Definição
• Pneumotórax é o acúmulo de ar livre na cavidade pleural
Classificação
• De forma geral:
• Pneumotórax fechado
• Pneumotórax aberto
• Pneumotórax hipertensivo
• Quanto à origem:
•...
Etiologia
• Três caminhos:
• Fluxo de ar passa dos pulmões através da perfuração da
pleura visceral
• Fluxo de ar passa do...
Etiologia
Figura 2. Pneumotórax fechado (hipertensivo) produzido por um ferimento na
parede torácica.
Etiologia
Figura 3. Pneumotórax produzido pela ruptura da pleura visceral que funciona
como “check valve”.
Diagnóstico
• História + Exame Físico + Radiologia
• 1. Anamnese:
• PSP – Paciente em repouso. Pneumotórax não tem relação...
Diagnóstico
• História + Exame Físico + Radiologia
• 1. Radiologia:
• Raio-X de Tórax PA: modalidade mais usada.
• Guideli...
Figura 5. Hipertransparência à esquerda. Atelectasia de pulmão
esquerdo.
Figura 6. Separação das linhas pleurais por faixa hipertransparente sem
trama vascular.
Figura 7. Pneumotórax à esquerda. Observe a ponta do coração e o mediastino
afastando-se do pneumotórax hipertensivo.
Figura 8. Área de hipertransparência em hemitórax direito com desvio
mediastinal à esquerda
Figura 9. A, Desenvolvimento de um pequeno pneumotórax na parte inferior do pulmão direito. B,
(30 minutos depois) Observe...
Figura 10. Medição da magnitude do pneumotórax
Tratamento
• Na prática: a) Etiologia; b) Magnitude; c) Condições clínicas
• “A avaliação clínica provavelmente desempenha...
Tratamento
Pneumotórax Espontâneo Primário (PSP)
Clínica
Estável Instável
Semelhante ao estável
> 3 cm (DFT)
Caráter emerg...
Tratamento
Pneumotórax Espontâneo Secundário e Adquirido
Oquedevofazer
Solicito Imagem
Tamanho < 1 cm Tamanho > 1 cm
Pneum...
Drenagem Pleural
• Aspectos técnicos:
• Subtipo mais usado: Drenagem Fechada Tubular Simples
• Outras: Aspiração contínua ...
Drenagem Pleural
• Técnica Cirúrgica para DFT com dreno tubular:
• Antissepsia e bloqueio anestésico
• Incisão 1,5 – 2,0 c...
Drenagem Pleural
Drenagem Pleural
• Selo D’água
Figura 11. Sistema de drenagem por selo d’água
• Manutenção e retirada:
• Veriificar débito...
Considerações Finais
• O pneumotórax é condição clínica frequente em
emergências clínicas e cirúrgicas
• O aspecto clínico...
Referências Bibliográficas
• ANDRADE FILHO, Laert Oliveira; CAMPOS, José Ribas Milanez de; HADDAD,
Rui. Pneumotórax. Jorna...
Pneumotórax
Pneumotórax
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pneumotórax

8.453 visualizações

Publicada em

Apresentação feita ao Internato em Saúde da Mulher, da Uinversidade do Estado do Amazonas. Contém as mais recentes atualizações de diagnóstico e tratamento, optando por seguir principalmente a linha da British Thoracic Society (Sociedade Britânica de Pneumologia).

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.453
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
313
Comentários
0
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pneumotórax

  1. 1. Definição • Pneumotórax é o acúmulo de ar livre na cavidade pleural
  2. 2. Classificação • De forma geral: • Pneumotórax fechado • Pneumotórax aberto • Pneumotórax hipertensivo • Quanto à origem: • Pneumotórax Espontâneo • Primário • Secundário (a pneumopatias) • Pneumotórax Adquirido • Neonatal • Iatrogênico • Barotrauma • Traumatismo Figura 1. Atelectasia resultante da compressão por um pneumotórax
  3. 3. Etiologia • Três caminhos: • Fluxo de ar passa dos pulmões através da perfuração da pleura visceral • Fluxo de ar passa do ar atmosférico através da perfuração da parede torácica e da pleura parietal ou, raramente, através de uma fístula esofágica ou perfuração de víscera abdominal • Formação de gás através de microorganismos de um empiema na cavidade pleural (raro).
  4. 4. Etiologia Figura 2. Pneumotórax fechado (hipertensivo) produzido por um ferimento na parede torácica.
  5. 5. Etiologia Figura 3. Pneumotórax produzido pela ruptura da pleura visceral que funciona como “check valve”.
  6. 6. Diagnóstico • História + Exame Físico + Radiologia • 1. Anamnese: • PSP – Paciente em repouso. Pneumotórax não tem relação causal com esforço físico. • Dor torácica + Dispneia: principais sintomas • Clínica não tem relação proporcional com tamanho do Ptx. • 2. Exame Físico: •  do Murmúrio vesicular •  da expansibilidade local •  do volume torácico ipsilateral • Hiper-ressonância à percussão • Cianose, taquicardia, taquipneia e hipotensão → Ptx Hipertensivo?
  7. 7. Diagnóstico • História + Exame Físico + Radiologia • 1. Radiologia: • Raio-X de Tórax PA: modalidade mais usada. • Guidelines: • Separação das linhas pleurais (faixa de ar) • Lâmina de ar no ângulo costofrênico • Achados que sugerem: • Hipertransparência (sem trama vascular) • Desvio do mediastino (Ptx. hipertensivo) • Tomografia Computadorizada: modalidade mais sensível – “Gold Standart” • Métodos de imagem permitem quantificar o tamanho do Ptx.
  8. 8. Figura 5. Hipertransparência à esquerda. Atelectasia de pulmão esquerdo.
  9. 9. Figura 6. Separação das linhas pleurais por faixa hipertransparente sem trama vascular.
  10. 10. Figura 7. Pneumotórax à esquerda. Observe a ponta do coração e o mediastino afastando-se do pneumotórax hipertensivo.
  11. 11. Figura 8. Área de hipertransparência em hemitórax direito com desvio mediastinal à esquerda
  12. 12. Figura 9. A, Desenvolvimento de um pequeno pneumotórax na parte inferior do pulmão direito. B, (30 minutos depois) Observe a ponta do coração e o mediastino à esquerda do penumotórax. Note também o rebaixamento do hemidiafragma direito.
  13. 13. Figura 10. Medição da magnitude do pneumotórax
  14. 14. Tratamento • Na prática: a) Etiologia; b) Magnitude; c) Condições clínicas • “A avaliação clínica provavelmente desempenha papel mais importante na estratégia terapêutica” (British Thoracic Society, 2010) • O tratamento a seguir é baseado pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia
  15. 15. Tratamento Pneumotórax Espontâneo Primário (PSP) Clínica Estável Instável Semelhante ao estável > 3 cm (DFT) Caráter emergencial Oque observo Oquedevofazer SSVV (N) e boa pO2 SSVV alterados e má pO2 Solicito Imagem Tamanho < 3 cm Tamanho > 3 cm Observação Analgésicos e Repouso Reavaliar em 4 – 6 horas Melhora clínica e radiológica é sinal de alta Internar por ≥ 24 horas Considerar Punção Aspirativa Drenagem Fechada de Tórax
  16. 16. Tratamento Pneumotórax Espontâneo Secundário e Adquirido Oquedevofazer Solicito Imagem Tamanho < 1 cm Tamanho > 1 cm Pneumotórax laminar Follow-up Drenagem Fechada de Tórax
  17. 17. Drenagem Pleural • Aspectos técnicos: • Subtipo mais usado: Drenagem Fechada Tubular Simples • Outras: Aspiração contínua e aberta • Dreno: • Multifenestrado de plástico ou siliconizado • Calibre variável • Pig tail (9-12F): cateter maleável introduzido com auxílio de fio-guia através de pequena incisão na pele • Local do dreno: • Pneumotórax espontâneo: 2º EIC x LHC • Coleções líquidas livres: 5º EIC x LAA • Coleções septadas? Ver alternativas de tratamento.
  18. 18. Drenagem Pleural • Técnica Cirúrgica para DFT com dreno tubular: • Antissepsia e bloqueio anestésico • Incisão 1,5 – 2,0 cm e hemostasia • Divulsão romba com Kelly e exploração digital • Introduzir dreno para cima e posteriormente • Conectar dreno ao sistema e fixá-lo, na pele, com ponto em “U” • Curativo oclusivo • Verificar oscilação de coluna líquida
  19. 19. Drenagem Pleural
  20. 20. Drenagem Pleural • Selo D’água Figura 11. Sistema de drenagem por selo d’água • Manutenção e retirada: • Veriificar débito do frasco • Verificar se coluna líquida oscila • Manter frasco ao nível inferior ao do tórax • Retirar dreno se débito for < 75 ml/d com total expansibilidade pulmonar
  21. 21. Considerações Finais • O pneumotórax é condição clínica frequente em emergências clínicas e cirúrgicas • O aspecto clínico ainda desempenha essencial importância no estabelecimento da estratégia terapêutica • Constitui sinal clássico a separação das pleuras visceral e parietal, evidenciado, não raramente, por um Raio-X simples • O manejo adequado do pneumotórax depende de três fatores: a) etiologia; b) magnitude; c) condições clínicas • O limite de 3 cm da cúpula pleural à caixa torácica é fator radiológico determinante à conduta, no ptx. Espontâneo • Drenagem fechada tubular de tórax ainda constitui o processo terapêutico mais eficaz e seguro
  22. 22. Referências Bibliográficas • ANDRADE FILHO, Laert Oliveira; CAMPOS, José Ribas Milanez de; HADDAD, Rui. Pneumotórax. Jornal brasileiro de pneumologia, São Paulo , v. 32, supl. 4, Aug. 2006 . Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1806- 37132006000900008>. • BAUMANN, Michael H. et. al. Management of spontaneous pneumothorax: na American Coleege pf Chest Physicians Delphi Consensus Statement. Chest, february 2001, Vol 119, No. 2. Disponível em:<http://journal.publications.chestnet.org/article.aspx?articleid=1079496>. • MACDUFF, Andrew; ARNOLD, Anthony; HARVEY, John. Management of spontaneous pneumothorax: British Thoracic Society pleural disease guideline 2010. Disponível em: Thorax 2010; 56(Suppl 2): ii18-ii31. Disponível em: <doi:10.1136/thx.2010.136986>. • PFLEGER, René. GORROCHATEGUI, Martin. Pneumothorax. Disponível em: < http://radiopaedia.org/articles/pneumothorax>.

×