Mtur apresentação sabara

1.315 visualizações

Publicada em

Mtur apresentação sabara

  1. 1. Políticas Públicas para oFortalecimento do Turismo Sabará/MG, 24 de agosto de 2011 ggggggggggggg gg
  2. 2. Histórico 1ª Política Nacional de Turismo:1966 •Conselho Nacional de Turismo •Empresa Brasileira de Turismo – Embratur Ministério do Turismo:2003 •Plano Nacional de Turismo 2003 – 2007 Lei do Turismo (11.771): 2008 •Estabelece a Política Nacional do Turismo •Cria marcos regulatórios para o setor Embratur Decreto (7.381): • Regulamenta a Lei 11.771 2010 •Define as atribuições do Governo no desenvolvimento do turismo
  3. 3. Plano Nacional de Turismo “Conjunto de diretrizes, metas e programas que orientam a atuação do Ministério do Turismo, em parceria com outros setores da gestão pública nas três esferas de governo e com as representações da sociedade civil, iniciativa privada e terceiro setor, relacionadas ao turismo” Decreto 7.381/2010 Art. 2
  4. 4. Plano Nacional de Turismo Elo entre os governos federal, estadual e municipal, as entidades não governamentais, a iniciativa privada e toda a sociedade.
  5. 5. Marco Legal“O Plano Nacional de Turismo será elaboradopelo Ministério do Turismo, ouvidos ossegmentos públicos e privados interessados,inclusive o Conselho Nacional de Turismo, eserá aprovado pelo Presidente da República”Lei 11.771/2008 Art. 6 ggggggggggggg gg
  6. 6. GestãoCoordenada ggggggggggggg gg
  7. 7. Macroprogramas Logística de Planejamento e Informações e Transportes Gestão Estudos Turísticos Regionalização do Turismo Qualificação dos Fomento à Infra-Estrutura Promoção e Apoio Equipamentos eIniciativa Privada Pública Serviços Turísticos à Comercialização ggggggggggggg gg
  8. 8. Destinos Indutores de Desenvolvimento Turístico Regional 65 Destinos Indutores Belo Horizonte Ouro Preto Diamantina Tiradentes Padrão de qualidade internacional ggggggggggggg gg
  9. 9. Destinos Indutores de Desenvolvimento Turístico Regional“aqueles que possuem infra-estruturabásica e turística e atrativos qualificados...que se caracterizam como núcleo receptore/ou distribuidor de fluxos turísticos...aqueles capazes de atrair e/ou distribuirsignificativo número de turistas para seuentorno e dinamizar a economia doterritório onde está inserido” ggggggggggggg gg
  10. 10. Macroprograma 4 Macroprograma REGIONALIZAÇÃO DO TURISMO Programa de Programa de Programa de Programa de Estruturação da Apoio aoPlanejamento e Estruturação dos Produção Desenvolvimento Gestão da Segmentos Associada ao Regional doRegionalização Turísticos Turismo Turismo ggggggggggggg gg
  11. 11. Segmentação do Turismo A segmentação constitui uma forma de organizar o turismo. É uma estratégia para a estruturação de produtos e consolidação de roteiros e destinos, a partir dos elementos de identidade da oferta e também das características e variáveis da demanda. ggggggggggggg Fonte: Marcos Conceituais – Segmentação do Turismo, MTur, 2006. gg
  12. 12. Segmentação do Turismo Atuação Segmentação segmentada do Turismo da Demanda Entender o que a região tem a Entender qual oferecer ao o perfil do turista turistaSegmentação da Oferta ggggggggggggg gg
  13. 13. Segmentos da Oferta Turística Rural CulturalEcoturismo Turismo de Aventura
  14. 14. Segmentos da Oferta Turística Turismo de Pesca Sol e PraiaTurismo Náutico
  15. 15. Segmentos da Oferta Turística Negócios e Eventos Estudos e IntercâmbioCultural Turismo de Saúde
  16. 16. Metodologias de estruturação de produtos turísticos ggggggggggggg gg
  17. 17. Estratégia para diversificação da oferta Fatores que Influenciam a Demanda turísticaRede de Cooperação Técnica para a Roteirização: – estruturação de produtos turísticos diferenciados, para que a oferta não se baseie apenas em um segmento turístico. – Roteiros: • Aparados da Serra (RS e SC); • Civilização do Açúcar – Caminhos dos Engenhos (PE, PB e AL) • Travessia do Pantanal (MS e MT) • Rota 174 (AM e RR) ggggggggggggg gg
  18. 18. Fatores de Cooperação Técnica para Rede que Influenciam a Demanda RoteirizaçãoMetodologia1 - Definição dos Territórios Envolvidos2 - Instalação do Comitê Gestor do Roteiro3 - Realização do Diagnóstico do Roteiro4 - Construção do Planejamento Estratégico5 - Implantação do Plano Operacional6 - Acompanhamento e Avaliação das Ações Implantadas ggggggggggggg gg
  19. 19. Resultados• Elaboração de Estudo de Caso;• 05 Roteiros Integrados estruturados e lançados no mercado;• Participação em eventos de grande relevância para o turismo nacional como o Salão do Turismo, a ABAV – Feira das Américas e a BRAZTOA;• Formação de comitês gestores regionais e nacional;• Famtur, Press Trip e Jornadas de Negócios em cada um dos roteiros;• Implantação da rede e desenvolvimento do Planejamento Estratégico e Plano de Ações;• Pesquisas de mercado qualitativas com operadoras e turistas, em mercado emissivos, como informação diferencial para agregar valor na formatação de um produto competitivo;• Mais de 120 atores capacitados com a metodologia. ggggggggggggg gg
  20. 20. PublicaçõesRoteirização Turística ggggggggggggg gg
  21. 21. Estratégia para conquista, encantamento e fidelização do turista (estratégia de marketing)• Utilizar o componente emocional como posição central na lógica do consumo: – sentir, viver, se emocionar, experimentar, ser personagem de sua própria viagem.• As ofertas devem priorizar a “promoção e venda de experiências únicas”.• Valorizar as comunidades e suas “histórias”. ggggggggggggg gg
  22. 22. Estratégia para conquista, encantamento e fidelização do turista (estratégia de marketing e novo posicionamento de imagem)• Aplicar o conceito da Economia da Experiência, como forma de fortalecimento e consolidação de arranjos produtivos de pequenos negócios. – apoiar os empreendedores locais na agregação de valor aos produtos turísticos do território. ggggggggggggg gg
  23. 23. Economia da ExperiênciaMetodologia1 – Análise da situação atual do destino: realizada através de pesquisas visita diagnóstica da equipe técnica do projeto ao local e empreendimentos , buscando entender a situação atual do destino;2 – Trabalhar o conceito: Sensibilizar a comunidade, empresários e lideranças locais através de palestras, a fim de trazer temas inovadores ao destino e formar uma rede integrada;3 – Aplicar o conceito nos empreendimentos e no destino através de consultorias individuais, com o objetivo de criar novos produtos, agregando valor aos mesmos e aumentando a competitividade.4 – Comercializar os novos produtos, para o público correto buscando cumprir os objetivos propostos inicialmente. ggggggggggggg gg
  24. 24. Resultados• Mais de 150 empreendimentos capacitados;• Cartilha com metodologia e conceito;• Estudo de caso dos 05 destinos;• Participação de eventos como o Salão do Turismo (2009/2010), o Festival de Turismo de Gramado e ABAV – Feira das Américas;• Elaboração e divulgação da marca “Tour da Experiência”.• Viagens de Benchmarking;• Planos de Mercado – 01 por destino;• Consultorias, workshops, oficinas e diagnósticos;• Estudo qualitativo sobre comportamentos de consumo ggggggggggggg de experiências memoráveis de turistas heavy users gg
  25. 25. www.tourdaexperiencia.com
  26. 26. www.tourdaexperiencia.com
  27. 27. Reserva da Jaqueira Porto Seguro/BAwww.tourdaexperiencia.com
  28. 28. PublicaçõesSegmentos do Turismo – Orientações Básicas Economia da Experiência ggggggggggggg gg
  29. 29. Modelos em Gestão do turismo focado em segmentos turísticos Desenvolver modelos de gestão doturismo local com foco na estratégia de segmentação de produtos turísticos, procurando envolver de forma participativa toda a cadeia produtivarelacionada com o segmento elencado. ggggggggggggg gg
  30. 30. Metodologia de Gestão de Destinos Turísticos1 - Identificação do arranjo institucional local comfoco no segmento em questão, para levar a cabo aestratégia competitiva do destino.2 - Criação da Estratégia Competitiva do destino,por meio de um diagnóstico: - diagnóstico de 6 dimensões: arranjo institucional, informação, infra-estrutura, produto turístico, marketing e sustentabilidade. ggggggggggggg3 – Priorização das demandas. ggggggggggggg gg gg
  31. 31. Metodologia de Gestão de Destinos Turísticos•Arranjo institucional: cooperação, democratização edescentralização, definição dos papéis dos setores privado epúblico, representatividade desses atores, composição doarranjo institucional, instrumentos legais, incentivos einterface com os outros setores.•Inteligência Competitiva (informação): desenvolvimento desistema de produção e difusão da realidade turística, domonitoramento permanente da conjuntura turística, de umsistema de base de dados e de relacionamento com asinstituições de pesquisa.•Infra-estrutura: identificação de ações prioritárias paramelhoria da infra-estrutura pública e turística, priorizando ehierarquizando as necessidades de investimentos do destino. ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  32. 32. Metodologia de Gestão de Destinos TurísticosQualificação do Produto: qualificação dos serviços, atrativos,produção associada, estética, identidade visual e roteirosturísticos. Interface entre as entidades especializadas naqualificação profissional e empresarial.Marketing e Promoção: Posicionamento do destino no mercado,ações de promoção e divulgação do destino, participação emfeiras, relacionamento com a mídia, consolidação de imagem emecanismos de apoio à comercialização.Sustentabilidade do Destino: Índices e “sensação” de violência,trânsito, capacidade de abastecimento de água e energia,tratamento de resíduos, patrimônio cultural, inclusão social,unidades de conservação, legislação ambiental e capacidade decarga, práticas sustentáveis e monitoramento dos impactos doturismo. ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  33. 33. Resultados• Fortalecimento institucional através da formação de 10Grupos Gestores locais;•Envolvimento de 77 instituições ligadas direta e indiretamenteao setor do turismo;•Desenvolvimento de 10 Destinos Referência em SegmentosTurísticos;•Realização de 10 oficinas de qualificação, entre elas: oficinasde planejamento, de marketing, elaboração de projetos,ecoturismo e de arranjo institucional;•Realização de 9 Seminários de Multiplicação;•Participação direta de cerca de 600 pessoas;•Integração de ações entre as esferas municipais, estaduais enacionais;•Integração entre governo, setor privado, terceiro setor ecomunidade; ggggggggggggg ggggggggggggg• Multiplicação dos resultados. gg gg
  34. 34. Destinos Referência em Segmentos Turísticos ggggggggggggg gg
  35. 35. PublicaçõesTurismo Social ggggggggggggg gg
  36. 36. Qualificação da oferta turística• Realizar visitas técnicas em destinos de excelência em práticas sustentáveis de turismo - Benchmarking www.excelenciaemturismo.gov.br ggggggggggggg gg
  37. 37. Qualificação da oferta turística• Realizar visitas técnicas em destinos de excelência em práticas sustentáveis de turismo - Benchmarking www.excelenciaemturismo.gov.br ggggggggggggg gg
  38. 38. Viagens internacionais realizadas: 2005, 2006, 2008/9 Destino: Alemanha Segmento: Mega Eventos - Copa Ano: 2009 Destino: Portugal Destino: EUA Destino: Espanha Destino: Espanha Segmento: Cultural e RuralSegmento: Eventos e Segmento: Cultural Segmento: Eventos Culturais e Esportivos Entretenimento Ano: 2008 Destino: Estados Unidos Ano: 2005 Ano: 2006 Ano: 2006 Segmento: Gestão e Tecnologia Destino: México Ano: 2008Segmento: Mergulho Ano: 2005 Destino: St. Maarten - Caribe Segmento: Sol e Praia Destino: Costa Rica Ano: 2006 Segmento: Ecoturismo Ano: 2005 Destino: Peru Segmento: Ecoturismo e Cultural Ano: 2005 Destino: Chile Segmento: Social – Melhor Idade Ano: 2008 Destino: África do Sul Destino: Argentina Segmento: Ecoturismo e Aventura Segmento: Pesca Esportiva Ano: 2006 Ano: 2005 Destino: Nova Zelândia Segmento: Aventura Ano: 2005 157 empresários 25 UFs
  39. 39. Viagens nacionais realizadas: 2006 e 2008/9 • Foz do Iguaçú (PR) Ano: 2008 Segmento: Ecoturismo em UC • Rio e Paraty (RJ) Ano: 2008 Segmento: Cultural 93 empresários 26 UFs • Serra Gaúcha (RS) Ano: 2008 Segmento: Cultural e Rural• Estrada Real (MG) • Fernando de Noronha (PE) • Costa dos Coqueiros (BA)Ano: 2006 Ano: 2006 Ano: 2008Segmento: Cultural Segmento: Ecoturismo Segmento: Sol e Praia• Vale do Café (RJ) • Roteiro Integrado CE/PI/MA • Acolhida da Colônia (SC)Ano: 2006 Ano: 2006 Ano: 2008Segmento: Rural Segmento: Sol e Praia e Aventura Segmento: Rural• Bonito (MS) • Costa dos Corais (AL) • Caldas Novas (GO)Ano: 2006 Ano: 2006 Ano: 2009Segmento: Ecoturismo Segmento: Sol e Praia Segmento: Social
  40. 40. Estratégia para promoção da inclusão social e da sustentabilidade, agregando competitividade• Inserir os produtos da agricultura familiar no mercado turístico, agregando valor à oferta turística brasileira. ggggggggggggg gg
  41. 41. Projeto Talentos do Brasil RuralProdutos Serviços Turísticos •Amenities •Alimentos e Bebidas •Decorativos e Utilitários•125 empreendimentos trabalhados Mais preparados Organizados em rede Selecionados por chamada pública Programa de Apoio ao•Abrangência nacional Desenvolvimento Regional•Ações Estudos; qualificação; apoio a comercialização ggggggggggggg gg
  42. 42. Rede Nacional de Turismo Rural Espaço para troca de informações,Um espaço de troca de informações, relacionamento, parcerias e negócios. Esse é relacionamento, parcerias eum fórum virtual de debates o objetivo da Rede Nacional de Turismo Rural, negócios entre todos os interessadosempreendedores, agentes de viagem, destinado a agricultores familiares, no Turismo Rural no operadores de turismo, gestores públicos, membros do terceiro setor, donos de Brasil. hotéis-fazenda, pousadas rurais, e demais interessados no segmento Rural. http://comunidades.mda.gov.br ggggggggggggg gg
  43. 43. Turismo de Aventura• Qualificação como principal estratégia;• Aprimoramento do produto de turismo de aventura como resultado;• Aumentar a competitividade e o profissionalismo do turismo de aventura;• Conjunto de ações integradas: - Ações com foco nos destinos(17 pólos); - Ações de abrangência nacional; ggggggggggggg gg
  44. 44. Publicações ggggggggggggg gg
  45. 45. PublicaçõesSegmentação – Marcos Conceituais e Orientações Básicas ggggggggggggg gg
  46. 46. Plano Nacional de Turismo 2012-2014 Premissas • Ampliação da participação e do diálogo com a sociedade • Redução das desigualdades sociais e regionais • Geração de oportunidades de emprego e empreendedorismo • Promoção da sustentabilidade • Incentivo à inovação e ao conhecimento • Regionalização – região como abordagem territorial
  47. 47. Plano Nacional de Turismo 2012-2014 Objetivos• Preparar o turismo brasileiro para os megaeventos• Incentivar o brasileiro a viajar pelo Brasil• Incrementar a geração de divisas e a chegada de turistas internacionais• Aumentar a competitividade do turismo brasileiro• Fortalecer a gestão descentralizada do turismo no Brasil ggggggggggggg gg
  48. 48. Plano Nacional de Turismo 2012-2014 Resultados esperados Aumentar para 240 milhões o1 número de viagens domésticas Aumentar para U$ 9,2 bilhões a2 receita com o turismo internacional Aumentar para 70 o Índice Geral de3 Competitividade Turística Brasil Cumprir a Matriz de4 Responsabilidade do Turismo5 Integrar a rede de gestão descentralizada do turismo no País ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  49. 49. Objetivo 1 – Preparar o turismo brasileiro para os megaeventos• Governança do Turismo para a Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016• Bem Receber - Qualificação Profissional do Turismo para a Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016• Infraestrutura turística para a Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016• Promoção Nacional - Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016 (Portal)• Promoção Nacional - Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016 (Campanhas)• Promoção Internacional - Copa do Mundo 2014 e Jogos Olímpicos 2016• Parques da Copa ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  50. 50. Objetivo 2 – Incentivar o brasileiro a viajar pelo Brasil• Viaja Brasil (Campanhas)• Viaja Brasil (Eventos)• Viaja Brasil (Apoio à Comercialização)• Salão do Turismo - Roteiros do Brasil ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  51. 51. Objetivo 3 – Incrementar a geração de divisas e a chegada de turistas internacionais• Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil• Internacionalização das Empresas Turísticas Brasileiras ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  52. 52. Objetivo 4 – Aumentar a competitividade do turismo brasileiro• Cadastur - Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos• Fiscalização dos Serviços Turísticos• Qualificação, Formação e Certificação Profissional em Turismo• Qualificação dos Serviços e Equipamentos Turísticos• Financiamento à Iniciativa Privada• Fundo Geral de Turismo - Fungetur• Atração de Investimentos e Adequação Tributária• Prodetur – Apoio a contratação de financiamentos para o desenvolvimento sustentável do Turismo ggggggggggggg ggggggggggggg gg gg
  53. 53. Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de TurismoDepartamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turísticos Coordenação Geral de Segmentação Fabiana Oliveira Técnica Contatos: fabiana.oliveira@turismo.gov.br segmentos@turismo.gov.br (61) 2023-8178 www.turismo.gov.br ggggggggggggg gg

×