ICSA17 - Autoimunidade

5.843 visualizações

Publicada em

Aula Autoimunidade

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
222
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ICSA17 - Autoimunidade

  1. 1. Autoimunidade
  2. 2. Conceito de Auto-imunidade •Auto-imunidade é uma resposta imune específica contra um antígeno ou uma série de antígenos próprios •Doença Auto-imune é uma síndrome provocada por lesão tissular ou alteração funcional desencadeadas por uma resposta auto-imune
  3. 3. Auto-imunidade  Auto-imunidade nem sempre está associada a doença auto-imune 1. Falha da Educação Tímica 2. Ruptura da Tolerância Periférica 3. Ativação de Linfócitos Antígeno-inespecíficos 4. Mimetismo Molecular (Mimecrismo)
  4. 4. Mecanismos responsáveis por diminuição de tolerância • Inibição ou superação dos processos de tolerância periférica • Mimetismo molecular (Ag estranhos muito semelhantes a ag próprios)
  5. 5. Inibição ou superação dos processos de tolerância periférica •Alteração da ignorância imunológica •Ex. Lesão tissular pode provocar a liberação de Ag previamente invisíveis ou pode destruir barreiras que limitam o acesso de LT a sítios de privilegio
  6. 6. Inibição ou superação dos processos de tolerância periférica •Apresentação inadequada de autoantígenos •Aparição de novas formas de Ag (Ativ. Proteolítica inflamação) •Reversão da anergia (IL-2 para trat. Tumores)
  7. 7. Etiologia da Auto-imunidade  Antígeno sequestrado  Escape de clones celulares auto-reativos  Reatividade cruzada com antígenos  Modificação de antígenos próprios  Reatividade cruzada a antígenos exógenos  Desregulação de citocinas e expressão inapropriada de MHC  Função supressora sub-ótima Etiologia exata não é conhecida
  8. 8. Auto-imunidade
  9. 9. Indução de Auto-imunidade Antígenos de Reação Cruzada
  10. 10. Indução de Linf. T Autoimunes Antígenos de Reação Cruzada
  11. 11. Indução de Linf. T Auto-imunes Antígenos de Reação Cruzada Ex: •Espondilite anquilosante: reação cruzada entre epítopos de HLA B-27 e da Klebsiella pneumonia •Artrite reumatóide: Reação cruzada entre epítopos de HLA-DR4 e Proteus mirabilis • Febre reumática: Reação cruzada entre epítopos de Proteína M de Esptreptococcus  hemolítico e proteínas do sarcolema do miocárdio e miosina (cardite).
  12. 12. Indução de Linf. T Auto-imunes Antígenos de Reação Cruzada Mecanismos dependentes do antígeno
  13. 13. Mecanismos Regulatórios no Controle da Auto-imunidade
  14. 14. Fatores desencadeantes Fatores ambientais •Infecção •Hormônios(Artrite reumatóideProlactina) •Fármacos •Radiação UV •Estresse psicológico •Dieta
  15. 15. Influência do Sexo
  16. 16. DoençasAutoimunes
  17. 17. Doenças Autoimunes Órgão-Específicas Doenças mediadas por dano celular direto
  18. 18. Tireoidite de Hashimoto a) Tireóide - Normal b) Tireóide - T. Hashimoto
  19. 19. Tireoidite de Hashimoto Auto-Anticorpos Auto-Anticorpos anti-Antígenos da Tireóide (Imunofluorescência) - T. Hashimoto
  20. 20. Diabetes Mellitus Insulina-Dependente
  21. 21. Diabetes Mellitus Insulina-Dependente IDDM a) Ilhotas de Langerhans Pâncreas Normal a) Ilhotas de Langerhans Pâncreas IDDM
  22. 22. Doença Celíaca Distúrbio no intestino delgado, com má absorção e intolerância ao glúten. Os cereais que contêm glúten têm gliadina - uma fração protéica - que é a responsável pelo dano na mucosa intestinal. As causas, entre outras em estudo, poderiam ser: predisposição genética, falta de enzima digestiva e formação de anticorpos. Associação com HLA-B8, DR3, DR7. Perda de peso, dor abdominal.
  23. 23. Doença Celíaca -Teoria Tóxica: pacientes carecem de peptidades mucosas específicas. - Teoria Imunológica: presença de um infiltrado de céls mononucleares. Ac IgA anti-gliadina. CD4 e CD8 relacionados com as lesões. - Manifestações clínicas: diarréia
  24. 24. Doenças Auto-imunes Órgão-Específicas Doenças mediadas por Anticorpos Bloqueadores ou Estimuladores
  25. 25. Doença de Graves Auto-anticorpos anti-receptor de TSH
  26. 26. Doença de Graves Hipertireoidismo, oftalmopatia e dermopatia inflitrativa. Os pacientes apresentam Acs que reconhecem o hormônio estimulador da tireóide (TSH) mimetizando-o, o que leva à ativação contínua da tireóide, aumento de T3, T4 e redução do TSH
  27. 27. Miastenia Grave Auto-Anticorpos anti-receptor de Acetil-Colina interferem com a transmissão neuromuscular e provocam lesão na placa motora.
  28. 28. Miastenia Grave • Músculos mais susceptíveis: nervos cranianos e em 50% dos casos músculos oculares. • Pode surgir após evento estressante, como infecção e anestesia. •Os indivíduos afetados podem apresentar timoma (tumor do timo).
  29. 29. Miastenia Grave
  30. 30. Doença Intestinal Inflamatória •Colite Ulcerativa: limita-se ao cólon e só afeta a mucosa •Doença de Crohn: pode afetar qualquer parte do trato gatrintestinal. •Afetam ambos os sexos, mais comuns em brancos, componentes genéticos. •Estímulo dietético ou microbiano desencadeia a RI que torna-se persistente e intensificada, provocando a lesão. •Presença de MHCII – auto-antígenos e de Ac anticitoplasma de neutrófilo em 70% dos pacientes com colite.
  31. 31. Doenças Auto-imunes Órgão-Inespecíficas Doenças Autoimunes Sistêmicas
  32. 32. Lupus Eritematoso Sistêmico •Doença crônica e multissistêmica •Desenvolve-se na dependência de: •Fatores genéticos (HLA DR3, deficiência de C2 e C4) •Fatores hormonais (razão mulher/homem =10:1 entre 20 e 60 anos) •Fatores ambientais (exposição a Uv-B e medicamentos como procainamida, hidralazina, clorpromazina, isoniazinas, practolol e metildopa). •Falhas na apoptose
  33. 33. Lupus Eritematoso Sistêmico •Anticorpos auto-reativos contra constituintes nucleares: DNA, ribonucleoproteínas, histonas e antígenos de nucléolos •Imune-complexos se depositam nos glomérulos renais, articulações, pele e vasos sangüíneos
  34. 34. Lupus Eritematoso Sistêmico (LES) Anti-IgM e anti-C3b
  35. 35. Artrite Reumatóide Plasmócitos no líquido sinovial de um paciente com AR (Anti-IgM)
  36. 36. Artrite Reumatóide •Inflamação crônica das articulações sinoviais com destruição progressiva de estruturas cartilaginosas e ósseas. Podem ocorrer vasculite e nódulos subcutâneos em 25% dos casos. •Linfócitos B das membranas sinoviais produzem Acs (IgM) contra a porção Fc da IgG produzidas contra infecções ou respostas inflamatórias.
  37. 37. Artrite Reumatóide •Possíveis causas: •Fatores hormonais (3:1 em mulheres entre 35 a 50 anos). •Agentes infecciosos como Mycoplasma, Vírus da Rubéola, CMV, Herpes, Parvovírus B19, EBV e Mycobacterium tuberculosis. •Presença de MHC-II: HLA-DR4 e HLA DR1
  38. 38. Febre Reumática Teoria imune  Alergia, Hipersensibilidade, Auto-imunidade articulação Infecção anticorpos (Estreptococos específicos “reumatogênicos”) coração cérebro
  39. 39. Anemia Perniciosa -Deficiência de vitamina B12 em decorrência da máabsorção. - Reações auto-imunes dirigidas contra as células parietais gástricas e seus produtos. - A absorção da vitamina B12 requer o fator intrínseco (IF) produzido no estômago. Em 90% dos pacientes a deficiência da absorção ocorre por Acs anti-IF.
  40. 40. Anemia Perniciosa -Ac bloqueador: liga-se ao fator intrínseco (IF) impedindo a ligação da B12. - Pacientes podem desenvolver pólipos gástricos e neoplasia gástrica.
  41. 41. Existem locais no corpo que são “sítios privilegiados” - o tecido nervoso no SNC, o interior do globo ocular e do testículo são exemplos destes locais onde a resposta imune não alcança.
  42. 42. Existem locais no corpo que são “sítios privilegiados”
  43. 43. Lesões em sítios de privilégio imunológico podem induzir reações auto-imunes
  44. 44. Susceptibilidade Genética a Doenças Auto-Imunes
  45. 45. Fatores de Risco Genético • Genes da Resposta Imune: – HLA – Complemento – TCR (?) – BCR (?) – Citocinas • Genes Não-Imunológicos  Genes que regulam: – a morte celular programada – genes que regulam a resposta à lesão tecidual (?) – genes que regulam a reparação dos tecidos – Genes que regulam a apoptose
  46. 46. Mecanismos Indutores de Auto Imunidade • Relacionados com o Ag: • · Vazamento de Ag internos (seqüestrados) · Mimetização Molecular · Ag Tolerado carreado por um "carreador não tolerado" (Ag próprio alterado) · Ag próprio + determinante estranho • • Células B - Auto Ac: · Ac IgG · Lise mediada por C' · Opsonização · ADCC · Ac Anti Receptor (Bloqueador ou estimulador) · Formação de Imuno Complexos (Local ou Circulantes)
  47. 47. Mecanismos Indutores de Auto Imunidade • Relacionados com a célula apresentadora de Ag (APC): • Ag próprio + maior expressão de MHC II • Relacionados com a Regulação da Tolerância: • Não deleção de clones auto reativos (seleção negativa deficiente) · Supressão Deprimida ou "suprimida" · Ativação policlonal · Falha no tolerância periférica (anergia periférica deficiente)

×