Educação a distância[1]

2.634 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educação a distância[1]

  1. 1. Educação a Distância: Política e Conceituação
  2. 2. Conceituação • Educação a distância (EaD) é a modalidade de ensino que permite que o aprendiz não esteja fisicamente presente em um ambiente formal de ensino- aprendizagem. • Na expressão ensino a distância a ênfase é dada ao papel do professor (como alguém que ensina a distância). O termo educação é preferido por ser mais abrangente, embora nenhuma das expressões seja plenamente completa.
  3. 3. Conceituação • Aprendizado Independente o Nesse modelo os alunos podem fazer o curso independente do local onde estão e não têm que se adequar a escalas fixas de horário. Os estudantes recebem vários materiais de estudo, incluindo um programa do curso. Os alunos podem interagir com o tutor e, em alguns casos, com outros estudantes. O curso é apresentado em forma de material impresso, CD-ROM, ou fitas de vídeo. o Exemplo: Instituto Universal Brasileiro
  4. 4. Histórico • O desenvolvimento da EaD pode ser descrito basicamente em três gerações, conforme os avanços e recursos tecnológicos e de comunicação de cada época.
  5. 5. Histórico • Primeira geração: Ensino por correspondência, caracterizada pelo material impresso iniciado no século XIX. Nesta modalidade, por exemplo, destaca-se, no Brasil, o Instituto Universal Brasileiro atuando há mais de sessenta anos nesta modalidade educativa, no país;
  6. 6. Histórico • Segunda geração: Teleducação/Telecursos, com o recurso aos programas radiofônicos e televisivos, aulas expositivas, fitas de video e material impresso. A comunicação síncrona predominou neste período. Nesta fase, por exemplo, destacaram-se a Telescola, em Portugal, e o Projeto Minerva, no Brasil;
  7. 7. Histórico • Terceira geração: Ambientes interativos, com a eliminação do tempo fixo para o acesso à educação, a comunicação é assincrona em tempos diferentes e as informações são armazernadas e acessadas em tempos diferentes sem perder a interatividade. As inovações da web possibilitaram avanços na educação a distância nesta geração do século XXI.
  8. 8. Legislação e Política de EaD no Brasil • No Brasil já existe uma legislação específica para a EaD, que foi reconhecida como modalidade educacional na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da educação de 1996, a mesma lei ainda incentiva o poder público a desenvolver EaD(Art.80) • Após o reconhecimento,foi criada uma legislação que regulamentou a EaD.
  9. 9. Legislação e Política de EaD no Brasil • Resolução Nº 1/Conselho Nacional de Educação, de 26 de fevereiro de 1997 o Não reconhece e nem revalida diplomas de cursos de graduação e pós-graduação estrangeiros feitos no Brasil, sobretudo à distância.
  10. 10. Legislação e Política de EaD no Brasil • Portaria/MEC n.º 301, de 7 de abril de 1998 o Trata de regras para credenciamento das instituições interessadas em promover EaD o Art. 2º O credenciamento da instituição levará em conta os seguintes critérios: o I – breve histórico que contemple localização da sede, capacidade financeira, administrativa, infra-estrutura, denominação, condição jurídica, situação fiscal e parafiscal e objetivos institucionais, inclusive da mantenedora;
  11. 11. Legislação e Política de EaD no Brasil • Portaria/MEC n.º 301, de 7 de abril de 1998 o II – qualificação acadêmica e experiência profissional das equipes multidisciplinares - corpo docente e especialistas nos diferentes meios de informação a serem utilizados - e de eventuais instituições parceiras; o III – infra-estrutura adequada aos recursos didáticos, suportes de informação e meios de comunicação que pretende adotar; o IV – resultados obtidos em avaliações nacionais, quando for o caso; o V – experiência anterior em educação no nível ou modalidade que se proponha a oferecer.
  12. 12. Legislação e Política de EaD no Brasil • Portaria/MEC n.º 301, de 7 de abril de 1998 o A Autorização deve conter, entre outras coisas (Art. 3°): o Dados sobre o curso pretendido: objetivos, estrutura curricular, ementas, carga horária estimada para a integralização do curso, material didático e meios instrucionais a serem utilizados; o Descrição da infra-estrutura, em função do projeto o Descrição clara da política de suporte aos professores o Identificação das equipes multidisciplinares
  13. 13. Legislação e Política de EaD no Brasil • Portaria/MEC n.º 301, de 7 de abril de 1998 o Em caso de homologação de parecer desfavorável, a instituição interessada só poderá solicitar novo credenciamento após o prazo de dois anos, a contar da data da homologação do parecer no Diário Oficial. (Art 8°)
  14. 14. Legislação e Política de EaD no Brasil • Resolução Conselho Nacional de Educação/ Câmara de Ensino Superior nº 1, de 3 de abril de 2001 o Os cursos de Mestrado e Doutorado à distância serão oferecidos por instituições credenciadas junto ao MEC para tal. o Devem incluir necessariamente provas e atividades presenciais o Defesa de tese presencial. A banca deve incluir pelo menos um professor de fora da instituição responsável pelo curso o A autorização, reconhecimento e renovação dos cursos passará pelos mesmos critérios da CAPES para cursos presenciais
  15. 15. Legislação e Política de EaD no Brasil • Portaria nº 4.059/MEC, de 10 de dezembro de 2004 o “Libera” o uso de disciplinas semi-presenciais nos cursos de graduação reconhecidos, desde que as mesmas não ultrapassem 20% da carga horária total do curso (Art.1°). o A oferta dessas disciplinas deverão ser comunicadas ao MEC (Art. 3°).
  16. 16. Legislação e Política de EaD no Brasil • Decreto presidencial nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. o Caracteriza EaD pelo uso das TIC´s e com professor e estudante em tempo ou espaços diferentes (Art. 1°) o Obriga momentos presenciais de (Art. 1° § 1°) : • Avaliações de estudantes; • Estágios obrigatórios, quando previstos na legislação pertinente; • Defesa de trabalhos de conclusão de curso, quando previstos na legislação pertinente; • Atividades relacionadas a laboratórios de ensino, quando for o caso. o Define níveis e modalidades onde se pode aplicar EaD (Art. 2°): • Educação básica, de jovens e adulto, especial, profissional e superior.
  17. 17. Legislação e Política de EaD no Brasil • Decreto presidencial nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. o Deve ter a mesma duração dos cursos presenciais (Art. 3° § 1°). o Migração de estudantes (com aproveitamento de disciplinas) entre EaD e presencial e vice- versa (Art. 3° § 2°). o Diplomas terão validade nacional (Art. 5°). o Diplomas de cursos feitos em convênios com instituições estrangeiras deverá passar por análise a homologação por órgão normativo (Art. 6°).
  18. 18. Legislação e Política de EaD no Brasil • Decreto presidencial nº 5.622, de 19 de dezembro de 2005. o Cabe ao MEC autorização, renovação de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento dos cursos ou programas a distância (Art. 7°). o O SINAES se aplicará integralmente aos cursos à distância (Art. 16°). o EaD em ensino fundamental e médio, só em casos de complementação de estudo ou emergências (Art. 30°). o EaD no ensino básico de Jovens e Adultos só em casos de impedimento de freqüentar os cursos presenciais. Esses estudantes precisarão fazem exame de certificação (Art. 31°).
  19. 19. Legislação e Política de EaD no Brasil • Esses são os principais marcos legais da EaD, além da legislação da educação como um todo. • Apesar de uma legislação que propõe avaliação, qualificação do corpo docente e estrutura, na prática o que vemos é uma proliferação de cursos superiores à distância, que claramente descumprem a legislação
  20. 20. Referência • ZUIN, ANTONIO A. S. Educação a Distância ou educação distante? O programa Universidade Aberta do Brasil, o tutor e o professor virtual. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 96 - Especial, p. 935-954, out. 2006 • MORAN, José Manuel. O que é educação a distância. http://www.eca.usp.br/prof/moran/dist.htm • MEIRELLES, F. S. ; MAIA, Marta de Campos . Educação à Distância: o Caso Open University. RAE Eletrônica, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 1-14, 2002. http://en.wikipedia.org/wiki/Open_University • http://en.wikipedia.org/wiki/Distance_education • http://pt.wikipedia.org/wiki/educação_a_distância • http://www.uab.mec.gov.br/ • http://www.andes.org.br/

×