SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
INFORMAÇÕES SOBRE A FERRUGEM ALARANJADA DA CANA-DE-AÇÚCAR
Juliana Cristina Sodário Cruz
Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA
cruzjcs@apta.sp.gov.br
Elisangela Marques Jeronimo
Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA
elijeronimo@apta.sp.gov.br
Marcos José Perdoná
Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA
marcosperdona@apta.sp.gov.br
A cana-de-açúcar é uma cultura de grande importância econômica para o Brasil, pois, por
meio do seu cultivo e processamento são obtidos o açúcar e o etanol para consumo dentro
e fora do país. Na safra de 2012/2013 espera-se produzir cerca de 434,5 milhões de
toneladas de colmos de cana-de-açúcar em cerca de 6,0 milhões de hectares com
produtividade média de 80,6 toneladas/ha (Angelo et al., 2013). Dentre os fatores que
podem reduzir essa produtividade encontramos a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar,
causada pelo fungo Puccinia kuehnii, responsável por consideráveis danos econômicos em
diversas cultivares disponíveis atualmente no mercado.
Embora a ferrugem alaranjada seja encontrada há tempos em países asiáticos e na
Oceania, essa doença chegou ao continente americano somente nos últimos anos, sendo
relatada pela primeira vez no Brasil em dezembro de 2009, em uma propriedade do
município de Rincão, interior do Estado de São Paulo (Barbasso et al., 2010), e depois
disseminada para as demais regiões produtoras de cana-de-açúcar do país.
Em condições de campo essa doença pode ser confundida com a ferrugem marrom,
causado pelo fungo Puccinia melanocephala, que também afeta a cana-de-açúcar e já é
uma velha conhecida dos produtores. Assim diferenciar essas ferrugens no campo somente
pela aparência requer certo treinamento, pois seus sintomas e estruturas de resistência são
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
muito parecidos, requerendo em alguns casos, análises laboratoriais mais detalhadas para a
confirmação da doença. Essas análises são realizadas nos laboratórios de Sanidade
Vegetal da APTA Polo Regional Centro Oeste - Sede Bauru, que atende aos produtores da
região.
A ferrugem alaranjada apresenta como sintomas nas folhas pequenas pontuações
alongadas com halo amarelo no início do seu desenvolvimento, que evoluem para a
formação de pústulas alaranjadas conforme ocorre a produção de urediniósporos (estruturas
de resistência) e seu amadurecimento. Essas pústulas podem ocorrer em toda superfície
das folhas, porém, tendem a se agrupar em pontos próximos à inserção das folhas nos
colmos, causando necrose na maioria das vezes. Já a ferrugem marrom produz pústulas de
maior tamanho e mais alongadas, ocorrendo em maior número do centro para as pontas das
folhas, apresentando coloração mais escura e raramente provocando necrose nas folhas
das variedades cultivadas no Brasil (CDA, 2013) como mostra a Figura 1.
Figura 1. Folhas de cana-de-açúcar com sintomas de ferrugem alaranjada (A) e ferrugem
marrom (B)
Geralmente a ferrugem alaranjada se desenvolve no final do ciclo da cultura, favorecida por
verões úmidos com temperaturas amenas (21°C) após um período de molhamento foliar
acima de 12 horas. Já a ferrugem marrom inicia seu desenvolvimento em plantas jovens, no
período da primavera. Apesar dessas diferenças ambas são facilmente disseminadas pelo
vento.
O desenvolvimento da ferrugem alaranjada está diretamente relacionado com as condições
climáticas do local de cultivo da cana-de-açúcar, e segundo Santos (2013), as regiões
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
central e leste do Estado de São Paulo são as que apresentam condições climáticas mais
favoráveis para o desenvolvimento da doença, seguida pela região oeste que apresenta
condições climáticas menos adequadas.
Estima-se que a doença cause redução na produção agrícola na ordem de 20 a 40% na
TCH (Toneladas de colmos/hectare) e de 15 a 20% no teor de sacarose nos colmos. Isso
ocorre porque a partir do momento em que as pústulas se desenvolvem nas folhas, ocorre a
redução da área fotossintética e consequentemente a planta não consegue expressar o seu
potencial produtivo. Na Figura 2 podemos observar a diferença no desenvolvimento entre
uma variedade suscetível e outra resistente à ferrugem alaranjada, cultivadas na Unidade de
Pesquisa da APTA de Jaú. Na variedade suscetível os colmos são mais finos e o vigor da
planta é menor, quando comparada à uma variedade resistente em pleno vigor vegetativo.
Figura 2. Variedade suscetível com sintomas de ferrugem alaranjada (A) e variedade
resistente sem sintomas de ferrugem alaranjada (B), cultivadas lado a lado em Jaú (SP).
Fonte: Cruz, J. C. S.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Algumas variedades como a RB72454 e a SP89-1115 apresentam conhecida
suscetibilidade à ferrugem alaranjada, e foram substituídas dos canaviais paulistas por
outras que apresentam resistência ou tolerância. O uso de variedades resistentes, ou
tolerantes, é o método de controle mais eficiente e economicamente viável para o controle
dessa doença, entretanto nem sempre as variedades resistentes apresentam características
desejáveis para a indústria sucroalcooleira.
Periodicamente materiais que apresentam boas características produtivas e resistência, ou
tolerância, à ferrugem alaranjada são selecionados pelos programas de melhoramento
genético atuantes em cana-de-açúcar, como por exemplo o Centro de Cana - IAC/APTA,
vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.
Além da seleção de variedades para esse propósito, o conhecimento aprofundado sobre a
doença é de extrema importância para o desenvolvimento de estratégias de manejo e
controle eficientes. Diante disso no Polo Centro Oeste da APTA, Unidade de Jaú, estão em
andamento estudos sobre o comportamento da ferrugem alaranjada em diferentes
variedades comerciais de cana-de-açúcar após sucessivos cortes (colheitas), pois este
município é um dos locais mais favoráveis para o desenvolvimento da doença no Estado de
São Paulo, em virtude das suas condições edafoclimáticas.
Embora exista um razoável número de variedades de cana-de-açúcar resistentes, ou
tolerantes, à ferrugem alaranjada disponíveis no mercado brasileiro, P. Kuehnii é um fungo
com capacidade de adaptação ao ambiente de produção podendo em alguns casos
“quebrar” a resistência do material cultivado. Assim estudos constantes, como aqueles
desenvolvidos pela APTA sobre o comportamento do fungo e o desenvolvimento e uso de
variedades resistentes são necessários para que reduções extremas na produtividade da
cultura sejam evitadas.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Referencias bibliográficas
ANGELO, J. A.; CAMARGO, A. M. M. P.; BUENO, R. F.; CASER, D. V.; CAMARGO, F. P.;
OLIVETTE, M. P. A.; FRANCISCO, V. L. F. S. Previsões e estimativas das safras agrícolas
do Estado de São Paulo, ano agrícola 2012/2013. Análises e Indicadores do
Agronegócio, v. 8, n. 9, p.1-7, 2013. Disponível em
http://www.iea.sp.gov.br/out/LerTexto.php?codTexto=12728, Acesso em: 23 set. 2013.
BARBASSO, D.; JORDÃO, H.; MACCHERONI, W.; BOLDINI, J.; BRESSIANI, J.;
SANGUINO, A. First report of Puccinia kuehnii, causal agent of orange rust of sugarcane, in
Brazil. Plant Disease, v. 94, n. 9, p.1170, 2010.
CDA. Coordenadoria de Defesa Agropecuaria. Ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar.
Informativo Técnico, São Paulo. Disponível em http://www.cda.sp.gov.br., Acesso em: 23
set. 2013.
SANTOS, D. L. Zoneamento da favorabilidade climática para a ocorrência da ferrugem
alaranjada da cana-de-açúcar nas principais regiões produtoras do Brasil e da
Austrália. 2013, 100p. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Superior de Agricultura
“Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2013.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doença soja louca embrapa cerado
Doença soja louca  embrapa ceradoDoença soja louca  embrapa cerado
Doença soja louca embrapa cerado
mmaob
 
Castanha Portuguesa no Estado de São Paulo
Castanha Portuguesa no Estado de São PauloCastanha Portuguesa no Estado de São Paulo
Castanha Portuguesa no Estado de São Paulo
Rural Pecuária
 
Aptidao-para-o-Cafe-no-Acre
Aptidao-para-o-Cafe-no-AcreAptidao-para-o-Cafe-no-Acre
Aptidao-para-o-Cafe-no-Acre
Weliton Nogueira
 

Mais procurados (16)

Doença soja louca embrapa cerado
Doença soja louca  embrapa ceradoDoença soja louca  embrapa cerado
Doença soja louca embrapa cerado
 
Clipping cnc 27012015 versão de impressão
Clipping cnc 27012015   versão de impressãoClipping cnc 27012015   versão de impressão
Clipping cnc 27012015 versão de impressão
 
Clipping cnc 02072015 versão de impressão
Clipping cnc 02072015   versão de impressãoClipping cnc 02072015   versão de impressão
Clipping cnc 02072015 versão de impressão
 
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃODIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
DIFERENTES SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO
 
Escape no controle da ferrugem iran bueno
Escape no controle da ferrugem iran buenoEscape no controle da ferrugem iran bueno
Escape no controle da ferrugem iran bueno
 
Clipping cnc 10072014 versao de impressao
Clipping cnc 10072014   versao de impressaoClipping cnc 10072014   versao de impressao
Clipping cnc 10072014 versao de impressao
 
Castanha Portuguesa no Estado de São Paulo
Castanha Portuguesa no Estado de São PauloCastanha Portuguesa no Estado de São Paulo
Castanha Portuguesa no Estado de São Paulo
 
Clipping cnc 07062016 versão de impressão
Clipping cnc 07062016   versão de impressãoClipping cnc 07062016   versão de impressão
Clipping cnc 07062016 versão de impressão
 
Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015
 
Clipping cnc 19072016 versão de impressão
Clipping cnc 19072016   versão de impressãoClipping cnc 19072016   versão de impressão
Clipping cnc 19072016 versão de impressão
 
Clipping cnc 06112014 versão de impressão
Clipping cnc 06112014   versão de impressãoClipping cnc 06112014   versão de impressão
Clipping cnc 06112014 versão de impressão
 
Clipping cnc 25022015 versão de impressão
Clipping cnc 25022015   versão de impressãoClipping cnc 25022015   versão de impressão
Clipping cnc 25022015 versão de impressão
 
Aptidao-para-o-Cafe-no-Acre
Aptidao-para-o-Cafe-no-AcreAptidao-para-o-Cafe-no-Acre
Aptidao-para-o-Cafe-no-Acre
 
Clipping cnc 07042014 versao de impressao
Clipping cnc 07042014   versao de impressaoClipping cnc 07042014   versao de impressao
Clipping cnc 07042014 versao de impressao
 
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
 
Clipping cnc 17052017 versão de impressão
Clipping cnc 17052017   versão de impressãoClipping cnc 17052017   versão de impressão
Clipping cnc 17052017 versão de impressão
 

Semelhante a Informações sobre a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar

Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxertoVariedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
Rural Pecuária
 
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivaresSorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
Rural Pecuária
 
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoimEspécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
Rural Pecuária
 
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/invernoAveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
Rural Pecuária
 
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiroNovas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
Rural Pecuária
 
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito naSeveridade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
Leandro Almeida
 
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores ruraisImportância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
Rural Pecuária
 
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudasANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
Rural Pecuária
 
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeoGoiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
Rural Pecuária
 

Semelhante a Informações sobre a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar (20)

PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULOPANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxertoVariedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
Variedades de aceroleira com potencial para porta-enxerto
 
Fungicidas 2014 2015
Fungicidas 2014 2015Fungicidas 2014 2015
Fungicidas 2014 2015
 
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da culturaCultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
Cultivo do maracujá: Aspectos a serem observados antes da implantação da cultura
 
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivaresSorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
Sorgo granífero - desempenho agronômico de cultivares
 
abc23
abc23abc23
abc23
 
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoimEspécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
Espécies silvestres como fontes de resistência a pragas e doenças do amendoim
 
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/invernoAveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
Aveia preta - alternativa de cultivo no outono/inverno
 
DETERMINAÇÃO DE PERDA DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS NA CULTURA DA SOJA CAUSADA PO...
DETERMINAÇÃO DE PERDA DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS NA CULTURA DA SOJA CAUSADA PO...DETERMINAÇÃO DE PERDA DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS NA CULTURA DA SOJA CAUSADA PO...
DETERMINAÇÃO DE PERDA DE PRODUTIVIDADE DE GRÃOS NA CULTURA DA SOJA CAUSADA PO...
 
Tripes em cebola: cuidados no manejo
Tripes em cebola: cuidados no manejoTripes em cebola: cuidados no manejo
Tripes em cebola: cuidados no manejo
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Doenças da Macadâmia
Doenças da Macadâmia Doenças da Macadâmia
Doenças da Macadâmia
 
Artigo bioterra v20_n2_08
Artigo bioterra v20_n2_08Artigo bioterra v20_n2_08
Artigo bioterra v20_n2_08
 
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiroNovas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
Novas técnicas recomendadas no manejo de doenças do maracujazeiro
 
UTILIZAÇÃO DE ESPÉCIES DE PASSIFLORA SPP. COMO PORTA-ENXERTO NO CONTROLE DE D...
UTILIZAÇÃO DE ESPÉCIES DE PASSIFLORA SPP. COMO PORTA-ENXERTO NO CONTROLE DE D...UTILIZAÇÃO DE ESPÉCIES DE PASSIFLORA SPP. COMO PORTA-ENXERTO NO CONTROLE DE D...
UTILIZAÇÃO DE ESPÉCIES DE PASSIFLORA SPP. COMO PORTA-ENXERTO NO CONTROLE DE D...
 
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito naSeveridade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
Severidade de ferrugem polissora em cultivares de milho e seu efeito na
 
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores ruraisImportância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais
 
MÉTODOS DE ENXERTIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE ACEROLA
MÉTODOS DE ENXERTIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE ACEROLAMÉTODOS DE ENXERTIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE ACEROLA
MÉTODOS DE ENXERTIA NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE ACEROLA
 
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudasANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
ANONÁCEAS: Principais porta-enxertos para produção de mudas
 
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeoGoiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
Goiaba orgânica: comportamento de acessos de goiabeira frente ao psilídeo
 

Mais de Rural Pecuária

Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corte
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 
Aglomeração e especialização da piscilcultura no Estado de São Paulo
Aglomeração e especialização da piscilcultura no Estado de São PauloAglomeração e especialização da piscilcultura no Estado de São Paulo
Aglomeração e especialização da piscilcultura no Estado de São Paulo
 

Último

Último (8)

ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Informações sobre a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar

  • 1. INFORMAÇÕES SOBRE A FERRUGEM ALARANJADA DA CANA-DE-AÇÚCAR Juliana Cristina Sodário Cruz Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA cruzjcs@apta.sp.gov.br Elisangela Marques Jeronimo Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA elijeronimo@apta.sp.gov.br Marcos José Perdoná Eng. Agr., Dr., PqC do Polo Regional Centro Oeste/APTA marcosperdona@apta.sp.gov.br A cana-de-açúcar é uma cultura de grande importância econômica para o Brasil, pois, por meio do seu cultivo e processamento são obtidos o açúcar e o etanol para consumo dentro e fora do país. Na safra de 2012/2013 espera-se produzir cerca de 434,5 milhões de toneladas de colmos de cana-de-açúcar em cerca de 6,0 milhões de hectares com produtividade média de 80,6 toneladas/ha (Angelo et al., 2013). Dentre os fatores que podem reduzir essa produtividade encontramos a ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar, causada pelo fungo Puccinia kuehnii, responsável por consideráveis danos econômicos em diversas cultivares disponíveis atualmente no mercado. Embora a ferrugem alaranjada seja encontrada há tempos em países asiáticos e na Oceania, essa doença chegou ao continente americano somente nos últimos anos, sendo relatada pela primeira vez no Brasil em dezembro de 2009, em uma propriedade do município de Rincão, interior do Estado de São Paulo (Barbasso et al., 2010), e depois disseminada para as demais regiões produtoras de cana-de-açúcar do país. Em condições de campo essa doença pode ser confundida com a ferrugem marrom, causado pelo fungo Puccinia melanocephala, que também afeta a cana-de-açúcar e já é uma velha conhecida dos produtores. Assim diferenciar essas ferrugens no campo somente pela aparência requer certo treinamento, pois seus sintomas e estruturas de resistência são
  • 2. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 muito parecidos, requerendo em alguns casos, análises laboratoriais mais detalhadas para a confirmação da doença. Essas análises são realizadas nos laboratórios de Sanidade Vegetal da APTA Polo Regional Centro Oeste - Sede Bauru, que atende aos produtores da região. A ferrugem alaranjada apresenta como sintomas nas folhas pequenas pontuações alongadas com halo amarelo no início do seu desenvolvimento, que evoluem para a formação de pústulas alaranjadas conforme ocorre a produção de urediniósporos (estruturas de resistência) e seu amadurecimento. Essas pústulas podem ocorrer em toda superfície das folhas, porém, tendem a se agrupar em pontos próximos à inserção das folhas nos colmos, causando necrose na maioria das vezes. Já a ferrugem marrom produz pústulas de maior tamanho e mais alongadas, ocorrendo em maior número do centro para as pontas das folhas, apresentando coloração mais escura e raramente provocando necrose nas folhas das variedades cultivadas no Brasil (CDA, 2013) como mostra a Figura 1. Figura 1. Folhas de cana-de-açúcar com sintomas de ferrugem alaranjada (A) e ferrugem marrom (B) Geralmente a ferrugem alaranjada se desenvolve no final do ciclo da cultura, favorecida por verões úmidos com temperaturas amenas (21°C) após um período de molhamento foliar acima de 12 horas. Já a ferrugem marrom inicia seu desenvolvimento em plantas jovens, no período da primavera. Apesar dessas diferenças ambas são facilmente disseminadas pelo vento. O desenvolvimento da ferrugem alaranjada está diretamente relacionado com as condições climáticas do local de cultivo da cana-de-açúcar, e segundo Santos (2013), as regiões
  • 3. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 central e leste do Estado de São Paulo são as que apresentam condições climáticas mais favoráveis para o desenvolvimento da doença, seguida pela região oeste que apresenta condições climáticas menos adequadas. Estima-se que a doença cause redução na produção agrícola na ordem de 20 a 40% na TCH (Toneladas de colmos/hectare) e de 15 a 20% no teor de sacarose nos colmos. Isso ocorre porque a partir do momento em que as pústulas se desenvolvem nas folhas, ocorre a redução da área fotossintética e consequentemente a planta não consegue expressar o seu potencial produtivo. Na Figura 2 podemos observar a diferença no desenvolvimento entre uma variedade suscetível e outra resistente à ferrugem alaranjada, cultivadas na Unidade de Pesquisa da APTA de Jaú. Na variedade suscetível os colmos são mais finos e o vigor da planta é menor, quando comparada à uma variedade resistente em pleno vigor vegetativo. Figura 2. Variedade suscetível com sintomas de ferrugem alaranjada (A) e variedade resistente sem sintomas de ferrugem alaranjada (B), cultivadas lado a lado em Jaú (SP). Fonte: Cruz, J. C. S.
  • 4. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Algumas variedades como a RB72454 e a SP89-1115 apresentam conhecida suscetibilidade à ferrugem alaranjada, e foram substituídas dos canaviais paulistas por outras que apresentam resistência ou tolerância. O uso de variedades resistentes, ou tolerantes, é o método de controle mais eficiente e economicamente viável para o controle dessa doença, entretanto nem sempre as variedades resistentes apresentam características desejáveis para a indústria sucroalcooleira. Periodicamente materiais que apresentam boas características produtivas e resistência, ou tolerância, à ferrugem alaranjada são selecionados pelos programas de melhoramento genético atuantes em cana-de-açúcar, como por exemplo o Centro de Cana - IAC/APTA, vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Além da seleção de variedades para esse propósito, o conhecimento aprofundado sobre a doença é de extrema importância para o desenvolvimento de estratégias de manejo e controle eficientes. Diante disso no Polo Centro Oeste da APTA, Unidade de Jaú, estão em andamento estudos sobre o comportamento da ferrugem alaranjada em diferentes variedades comerciais de cana-de-açúcar após sucessivos cortes (colheitas), pois este município é um dos locais mais favoráveis para o desenvolvimento da doença no Estado de São Paulo, em virtude das suas condições edafoclimáticas. Embora exista um razoável número de variedades de cana-de-açúcar resistentes, ou tolerantes, à ferrugem alaranjada disponíveis no mercado brasileiro, P. Kuehnii é um fungo com capacidade de adaptação ao ambiente de produção podendo em alguns casos “quebrar” a resistência do material cultivado. Assim estudos constantes, como aqueles desenvolvidos pela APTA sobre o comportamento do fungo e o desenvolvimento e uso de variedades resistentes são necessários para que reduções extremas na produtividade da cultura sejam evitadas.
  • 5. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Referencias bibliográficas ANGELO, J. A.; CAMARGO, A. M. M. P.; BUENO, R. F.; CASER, D. V.; CAMARGO, F. P.; OLIVETTE, M. P. A.; FRANCISCO, V. L. F. S. Previsões e estimativas das safras agrícolas do Estado de São Paulo, ano agrícola 2012/2013. Análises e Indicadores do Agronegócio, v. 8, n. 9, p.1-7, 2013. Disponível em http://www.iea.sp.gov.br/out/LerTexto.php?codTexto=12728, Acesso em: 23 set. 2013. BARBASSO, D.; JORDÃO, H.; MACCHERONI, W.; BOLDINI, J.; BRESSIANI, J.; SANGUINO, A. First report of Puccinia kuehnii, causal agent of orange rust of sugarcane, in Brazil. Plant Disease, v. 94, n. 9, p.1170, 2010. CDA. Coordenadoria de Defesa Agropecuaria. Ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar. Informativo Técnico, São Paulo. Disponível em http://www.cda.sp.gov.br., Acesso em: 23 set. 2013. SANTOS, D. L. Zoneamento da favorabilidade climática para a ocorrência da ferrugem alaranjada da cana-de-açúcar nas principais regiões produtoras do Brasil e da Austrália. 2013, 100p. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2013.