SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 206
Baixar para ler offline
1
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Gestão Sustentável
na Agricultura
Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Departamento de Gestão Estratégica
Brasília
Mapa
2015
2
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
© Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte.
A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens desta obra é da instituição participante.
3ª edição. Ano 2015
Ministra: Katia Abreu
Secretária Executiva: Mila Jaber
Publicação e Distribuição:
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA
Departamento de Gestão Estratégica
Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400
CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil
Tel: (61) 3218-2493
wwww.agricultura.gov.br
Departamento de Gestão Estratégica – DGE
Diretor: Alexandre Gedanken
Equipe Técnica:
Alessandra Vizcarra Tumba
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizador)
Marília Pereira Carvalho
Paulo Alexandre Meneses Mendes
Uander Gonçalves dos Anjos
Vinicius Augusto de Sá
Comissão de Avaliação:
Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA
Bernardete Neves - FAO
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA
José Garcia Gasques – SPA/MAPA
Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA
Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA
Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA
Editoração Gráfica
Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA
Catalogação na Fonte
Biblioteca Nacional de Agricultura – BINAGRI
Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
Gestão sustentável na agricultura = sustainable
management in agriculture / Ministério da Agricultura,
Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão Estratégica. –
3. ed. – Brasília : MAPA/ACS, 2015.
203 p.
ISBN 978-85-7991-099-9kelly.lemo
1. Agronegócio. 2. Desenvolvimento econômico.
3.Comércio. I. Assessoria de Gestão Estratégica. II. Título III.
Gestión sostenible em la agricultura .
AGRIS E71
CDU 339.56
3
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Sustainable Management
in Agriculture
Ministry of Agriculture, Livestock and Supply
Strategic Management Department
Brasília
Mapa
2015
4
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
© Ministry of Agriculture, Livestock and Supply. All rights reserved. Allowed to reproduce as long as the source is cited.
The participating institutions in this publication are responsible for texts and images copyright of their cases.
3rd edition, 2015
Minister: Katia Abreu
Vice Minister: Mila Jaber
Publishing and Distribution
MINISTRY OF AGRICULTURE, LIVESTOCK AND SUPPLY
Strategic Management Department
Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400
CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil
Tel: (61) 3218-2493
wwww.agricultura.gov.br
Strategic Management Department - DGE
Head: Alexandre Gedanken
Technical Team:
Alessandra Vizcarra Tumba
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizer)
Marilia Pereira Carvalho
Paulo Alexandre Meneses Mendes
Uander Gonçalves dos Anjos
Vinicius Augusto de Sá
Evaluation Committee:
Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA
Bernardete Neves - FAO
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA
José Garcia Gasques – SPA/MAPA
Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA
Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA
Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA
Graphic Editing
Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA
5
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Gestión Sostenible
en la Agricultura
Ministerio de la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento
Departamento de Gestión Estratégica
Brasília
Mapa
2015
6
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
© Ministerio de la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento. Todos los derechos reservados. Se permite la reproducción
citando la fuente. La responsabilidad por los derechos autorales de textos e imágenes de esta obra es de la institución
participante.
3ª edición. Año 2015
Ministra: Katia Abreu
Secretaria Ejecutiva: Mila Jaber
Publicación y Distribución:
MINISTÉRIO DE LA AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMIENTO - MAPA
Departamento de Gestión Estratégica
Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400
CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil
Tel: (61) 3218-2493
wwww.agricultura.gov.br
Departamento de Gestión Estratégica - DGE
Director: Alexandre Gedanken
Equipo Técnico:
Alessandra Vizcarra Tumba
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizador)
Marília Pereira Carvalho
Paulo Alexandre Meneses Mendes
Uander Gonçalves dos Anjos
Vinicius Augusto de Sá
Comité de Evaluación:
Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA
Bernardete Neves - FAO
Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA
José Garcia Gasques – SPA/MAPA
Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA
Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA
Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA
Edición Gráfica
Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA
7
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
APRESENTAÇÃO
A agropecuária brasileira, através de
seus contínuos ganhos de produção e de
produtividade, vem contribuindo de forma
relevante para a segurança alimentar do
País e, ao mesmo tempo, desempenhando
a função de suprir o mundo com alimentos,
biocombustíveisefibras.Nasafra2013/2014
a produção brasileira dos principais
alimentos mais consumidos no mundo
– milho, trigo, arroz, feijão, soja, carne
bovina, suína e de aves – foi da ordem de
213 milhões de toneladas. Dessa produção,
66% dos grãos e 75% das proteínas foi
destinado ao abastecimento do mercado
interno, demonstrando a importante função
da agropecuária no contexto da segurança
alimentar brasileira, prioritariamente.
Por força desse dinamismo, o setor
agropecuário gera sucessivos e crescentes
excedentes exportáveis que contribuem de
forma significativa para a composição do
superávit da balança comercial brasileira.
Importante salientar que esse desempenho
positivo no abastecimento dos mercados
não se pautou pela abertura de novas
áreas, mas sim nos incrementos crescentes
de produtividade. Nesse quesito, o
setor agropecuário brasileiro supera em
eficiência de produção os principais países
produtores, sendo que investimentos em
pesquisa agropecuária, empreendedorismo
por parte dos produtores, bem como as
políticas setoriais adequadas foram os
fatores que alicerçaram esse desempenho.
Ganhos de produtividade que
possibilitem a redução do uso de terras e
viabilizem o abastecimento da população
e, ainda, a geração de excedentes
exportáveis,sãocoerentescomosobjetivos
de segurança e soberania alimentar,
principalmente quando alinhados com uma
perspectiva que vise à sustentabilidade
da atividade agropecuária. Dessa forma,
o atual protagonismo do Brasil em foros
internacionais afins a temas como as
mudanças climáticas, o uso eficiente
dos recursos naturais e a manutenção
da biodiversidade devem se refletir no
campo da produção agropecuária e no
estabelecimento de programas, iniciativas
e políticas agrícolas que tenham como
base tecnologias coerentes com esses
objetivos. Assim, o desenvolvimento
de modelos de produção com graus
crescentes de sustentabilidade tornou-
se objetivo prioritário do Ministério da
Agricultura e isso tem sido evidenciado
através de seus programas voltados para
a produção orgânica, a agricultura de
baixo carbono, a produção integrada, as
boas práticas agrícolas e o fomento às
Indicações Geográficas, dentre outros.
8
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Convergente com esses objetivos,
a presente publicação busca divulgar e
dar visibilidade a iniciativas de gestão
na agricultura oriundas de organizações
públicas e privadas que constituem casos
exemplares de ganhos econômicos,
sociais e ambientais incorporando uma
perspectiva dinâmica de sustentabilidade.
Nesse sentido, o papel do Ministério da
Agricultura na construção, monitoramento
e gestão das políticas públicas setoriais
e na execução de programas é reforçado
com a divulgação dessas experiências,
as quais refletem, em diversos níveis e
dimensões, a nossa missão institucional de
promover o desenvolvimento sustentável
e a competitividade do agronegócio em
benefício da sociedade brasileira.
9
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
FOREWORDS
Throughitscontinuousgainsinproduction
and productivity, the Brazilian agriculture
contributes significantly to the country’s food
security and plays the role of providing the
world with food, biofuel and fibers. In the
crop 2013/2014 the Brazilian production of
the main most consumed food in the world
– corn, wheat, rice, beans, soy beans, beef,
pork and chicken – was of the order of 213
million tons. Of this production, 66% of grains
and 75% of protein were destined to supply
the domestic market, showing the important
role of agriculture in the context of Brazilian
food security.
Consistent with this dynamism, the
agricultural sector has generated successive
and growing surpluses, which contributes
significantly to the Brazilian trade balance
surplus. It is important to point out that
this positive performance in domestic and
foreign market supply was not guided by
the clearing of new areas, but by increasing
gains in productivity. Concerning this issue,
the Brazilian agricultural sector surpasses
in terms of production efficiency the major
producer countries. To achieve this behavior,
investments in agricultural research,
entrepreneurship of producers, as well as
adequate sector policies were the main
factors.
Gains in productivity that allow the
reduction in land use, providing adequate
supply of the population and the generation
of exportable surpluses, are coherent with
objectives of food security and sovereignty,
especially when aligned with a sustainability
perspective in agriculture. In that line, the
current prominence of Brazil in international
forums related to climate change, efficient
use of natural resources and maintenance
of biodiversity should reflect on agricultural
production through programs and policies
based on technologies compatible with
these objectives. Thus, the development of
production models with increasing levels of
sustainability has become a priority goal of
the Ministry of Agriculture and that has been
reflected through its programs directed to
organic production, low carbon agriculture,
integrated fruit production, best agricultural
practices and the support to geographical
indications, among others.
Converging to these objectives, this
publication aims to disseminate and give
visibility to initiatives of management in
agriculture coming from private and public
organization, that are successful cases of
economic, social and environmental gains
from a dynamic perspective of sustainability.
In this sense, the role of Ministry of
Agriculture on the construction, monitoring
and management of agricultural public
10
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
policies and on the execution of programs
is reinforced with the dissemination of these
experiences, which reflect, in several levels
and dimensions, our institutional mission of
promoting sustainable development and the
competitiveness of the agribusiness for the
benefit of Brazilian society.
11
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
PRESENTACIÓN
La agropecuaria brasileña, a través de
sus continuos incrementos de producción
y de productividad, contribuye de manera
relevante para la seguridad alimentaria
del país y, al mismo tiempo, desempeña
la función de abastecer el mundo con
alimentos, biocombustibles y fibras. En la
cosecha 2013/2014 la producción brasileña
delosprincipalesalimentosmásconsumidos
en el mundo – maíz, trigo, arroz, frijol, soja,
carne bovina, de cerdo y de aves – fue del
orden de 213 millones de toneladas. De esa
producción, 66% de los granos y 75% de las
proteínas fueron destinados al suministro
para el mercado interno, demostrando la
importante función de la agropecuaria en
el contexto de la seguridad alimentaria
brasileña, prioritariamente.
En virtud de ese dinamismo, el sector
agropecuario genera sucesivos excedentes
exportables, que contribuyen de manera
considerable para la composición
del superávit de la balanza comercial
brasileña. Es importante destacar que este
desempeño positivo en el abastecimiento
de los mercados no se ha guiado por la
apertura de nuevas áreas, pero por los
crecientes incrementos de productividad.
En esta cuestión, el sector agropecuario
brasileño supera en eficiencia de producción
los principales países productores, siendo
que los investimentos en investigación
agropecuaria, las iniciativas empresariales
por parte de los productores, así como
políticas sectoriales adecuadas, fueron los
principales factores que contribuyeron a
este desempeño.
Aumentos de productividad que posibiliten
la reducción del uso de tierras y faciliten el
abastecimiento de la población y también la
generación de excedentes exportables son
coherentes con los objetivos de seguridad y
soberaníaalimentaria,principalmentecuando
alineados con una perspectiva que busque la
sostenibilidad de la actividad agropecuaria.
En este ámbito, el actual protagonismo
del Brasil en foros internacionales afines a
asuntos como cambios climáticos, el uso
eficiente de los recursos naturales y la
manutención de la biodiversidad se refleten
en el sector de la producción agropecuaria
se ha reflejado en el establecimiento de
programas, iniciativas y políticas agrícolas
tiendo como base tecnologías coherentes
con estos objetivos. De esa manera, el
desarrollo de los modelos de producción
con niveles crecientes de sostenibilidad
se volvió objetivo prioritario del Ministerio
de Agricultura y ha sido evidenciado a
través de sus proyectos relacionados a la
producción orgánica, la agricultura con bajo
nivel de carbono, la producción integrada de
12
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
alimentos, las buenas prácticas agrícolas y
el fomento a las indicaciones geográficas,
entre otros.
Convergente con estos objetivos, la
presente publicación busca divulgar y dar
visibilidad a iniciativas de gestión en la
agricultura, procedentes de organizaciones
privadas y públicas, que son ejemplos
de ganancias económicas, sociales y
ambientales. Así, el papel del Ministerio
de la Agricultura en la construcción,
monitoreo y gestión de las políticas
públicas sectoriales y en la ejecución de
programas se refuerza con la divulgación
de esas experiencias, las cuales reflejan,
en diversos niveles y dimensiones,
nuestra misión institucional de promover el
desarrollo sostenible y la competitividad del
agro negocio en beneficio de la sociedad
brasileña.
13
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
14
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
152
138
Agricultura Sustentável no Oeste Paranaense: 11 anos de boas práticas
Carne Suína Autossustentável
Unidades Multiplicadoras de Tecnologias Socioambientais (UMTS)
Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas
do Estado do Rio de Janeiro - RIO RURAL
Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS)
45
101
121
190
170
84
68
25
Sumário
Água Brasil
Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo
desenvolvimento sustentável
Projeto Abelha - Aliadas da natureza
Balde Cheio
Café em Agrofloresta para o Fortalecimento da Economia de
Baixo Carbono em Apuí,Amazonas
15
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
16
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
INTRODUÇÃO
O periódico Gestão Sustentável na
Agricultura é uma publicação anual do
Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento que tem como objetivo
divulgar iniciativas exemplares de gestão
no setor agropecuário com enfoque
na sustentabilidade. Tendo em vista a
necessidade de alcançar um público mais
amplo, os casos são também narrados em
inglês e, distintamente nesta edição, em
língua espanhola.
A sustentabilidade é aqui considerada
como um construto dinâmico com
diferentes níveis, dimensões e atores
(antrópicos e ecossistêmicos). Adotam-se
as premissas da substituição limitada de
fatores como trabalho, capital e recursos
naturais, da existência de estoques críticos
de ativos como qualidade do clima, ar,
água, solos e biodiversidade e que o bem
estar (well-being) deriva de um conjunto de
condições de natureza social, psicológica,
cultural, organizacional, participativa e
autonômica não se limitando apenas à
riqueza ou ao consumo. No âmbito das
iniciativas analisadas, os recursos e atores
são considerados como estoques e as
intervenções das empresas e instituições,
como fluxos. Dessa forma, o que se
busca evidenciar é como as iniciativas de
gestão na agricultura, os fluxos, afetam os
estoques de capitais - físico, financeiro,
ecossistêmico, social e cultural - existentes
na área de atuação ou no ambiente interno
de cada organização, numa perspectiva de
sustentabilidade.
Os casos avaliados em cada edição
inserem-se no contexto da complexidade
das diversas funções do setor agropecuário
brasileiro e integram um universo onde
atuam pequenas médias e grandes
organizações ligadas às atividades de
produção, beneficiamento, transformação,
distribuição e serviços em um país de
dimensões continentais. Selecionar casos
de gestão sustentável num contexto tão rico
e diverso é por si só um grande desafio, o
que demanda um olhar atento para essa
complexidade no sentido de propiciar, por
um lado, um processo de seleção que
possibilite a participação dos diversos
tipos de atores e atividades e, por outro, o
estabelecimento de critérios adaptáveis às
diferentes realidades, regiões, portes de
iniciativa e setores das cadeias produtivas.
Com base no exposto, são considerados
tanto critérios eliminatórios quanto
classificatórios. Com relação aos primeiros,
asexigênciassãoocumprimentodasnormas
do edital da publicação, que as iniciativas
tragam benefícios efetivos às organizações
17
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
ou ao público-alvo considerado, e que
os casos reflitam ações voltadas para a
sustentabilidade e sejam inovadores, não
se limitando ao cumprimento de legislações
específicas referentes à atividade em si. No
âmbito dos critérios, avaliam-se a existência
e aplicabilidade da gestão, a natureza e o
grau dos benefícios proporcionados pelas
iniciativas, seus efeitos atuais e potenciais
no âmbito das dimensões social, econômica
e ambiental da sustentabilidade, bem
como o seu potencial de autonomização,
ou seja, sua capacidade de continuidade,
progressividade e replicabilidade ao longo
do tempo, independentemente dos atores ou
organizações que se dispuserem a adotá-
los.
Aavaliação e seleção dos casos desta 3ª
edição foram realizadas por uma equipe de
sete avaliadores, sendo seis profissionais
oriundos de setores do MAPA e um do
quadro da FAO. A análise dos casos se deu
através do uso de formulários eletrônicos,
onde os avaliadores atribuíram notas a
critérios predefinidos. A classificação dos
casos foi realizada através de programa de
computador, de forma automatizada, onde
foram apontados os dez casos com maior
pontuação.
As experiências relatadas abrangem
as cinco regiões brasileiras e englobam
organizações dos setores público e privado
de diversos portes. As iniciativas envolvem,
em variados níveis, as dimensões da
sustentabilidade e podem ser enquadradas
em quatro eixos principais: boas práticas
agropecuárias; uso sustentável da água;
economias de escopo via integração de
atividades; e reciclagem de dejetos/geração
de energias alternativas.
Essas experiências promoveram ou
estimularam geração de trabalho e renda,
aumento da autoestima por parte do
público envolvido, acesso a mercados,
uso sustentável dos recursos naturais,
organização coletiva e bem-estar no meio
rural, através de diferentes enfoques de
gestão sustentável na agricultura. Dessa
forma, iniciativas (fluxos) concretizadas
através de sistemas agroflorestais,
agricultura de baixo carbono, boas
práticas de produção, gestão responsável
dos recursos naturais e geração de
energias alternativas a partir de dejetos,
proporcionaram a criação de economias
de escopo, redução de custos e sinergias
diversas resultando, em diferentes níveis,
na manutenção e/ou qualificação dos
ativos sociais, ambientais e econômicos
(estoques) em cada região envolvida.
No âmbito de cada iniciativa, dentre os
elementos que sobressaem como fatores
18
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
que impulsionaram os resultados atuais e
potenciais, estão a participação do público-
alvo nas ações e na gestão, a existência de
processos de capacitação participativos,
o compromisso e a motivação por parte
dos envolvidos, bem como a formação de
parcerias e a organização sócio-produtiva,
visando ao enfrentamento dos desafios e
a busca por perenização dos resultados.
Mesmo considerando que as diversas
experiências não são automaticamente
replicáveis tendo em vista os diferentes
contextos socioeconômicos e ambientais
de cada região, bioma ou país, esperamos
que a divulgação desses casos possa
estimular adequações ou mesmo iniciativas
convergentesporpartedeprodutores,outros
atores da cadeia produtiva e organizações
relacionadas, numa perspectiva de gestão
sustentável no setor agropecuário.
19
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
INTRODUCTION
The annual publication “Sustainable
Management in Agriculture” of Ministry of
Agriculture, Livestock and Food Supply
aims to disseminate exemplary initiatives
of management in agricultural sector
focused on sustainability. Considering the
need to reach a wider audience, the cases
are reported in English and, especially in
this edition, in Spanish.
Sustainability is here considered a
dynamic construct with different levels,
dimensions and actors (human and
ecosystem). We adopt the premises of
limited substitution of factors as work,
capital and natural resources, the
existence of critical stocks of actives
as climatic conditions, air, water, soil
and biodiversity and that well-being
derives from a set of conditions of social,
psychological, cultural, organizational,
participatory and autonomic nature,
not limited to richness or consumption.
Within the analyzed initiatives, resources
and actors are considered stocks and
the interventions of companies and
institutions as flows. Thus, we seek to
analyze how initiatives of management in
agriculture (flows), affect different types of
capital, as physical, financial, ecosystem,
social and cultural (stocks), in the scope
of a concerned activity or in the internal
environment of each organization, from
the perspective of sustainability.
The cases evaluated are inserted in
the context of complexity of the Brazilian
agricultural sector and integrate a
universe where small, medium-sized and
large organizations are connected to
the activities of production, processing,
transformation, distribution and services
in a continent-sized country. Selecting
cases of sustainable management in
such miscellaneous context is a big
challenge, demanding a closer look to
this complexity in order to propitiate, on
the one hand, a selection process that
allows the participation of different types
of actors and activities and, on the other,
the establishment of criteria adaptable
to different realities, regions, sizes of
activities and supply chain sectors.
Based on this, both eliminatory and
classifying criteria are considered. Concerning
the former, the main requirements are the
compliance with rules of the public notice, real
benefits to organizations or target audience,
effective actions towards sustainability and
innovative initiatives, not limited to compliance
with environmental and social standards
under the laws. In the context of criteria, we
evaluate the existence and applicability of
the management, the nature and extent of
20
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
the benefits provided by the initiatives, their
current and potential effects within the social,
economic and environmental sustainability
dimensions, as well as its potential for
empowerment i.e. continuity capability,
progressiveness and reproducibility over
time, regardless of the types of actors or
organizations that are willing to adopt them.
Under these conditions, the cases
in this 3rd edition were evaluated and
selected by a team of seven judges:
six from MAPA e one of FAO. The case
analysis was done through the use of
electronic forms, where the evaluators
attributed notes based on predefined
criteria. The classification of cases was
performed by a computer program in an
automated manner, where the ten with
the highest score were appointed.
The reported experiences covered the
five Brazilian regions and encompassed
both public and private organizations.
These initiatives involved, in different
levels, the dimensions of sustainability
and can be framed in four main focuses:
good agricultural practices; sustainable
use of water; economies of scope
through the integration of activities;
and waste recycling/generation of
alternative energies.
These initiatives promoted or
stimulated, in different levels, generation
of jobs and income, increased self-
esteem by the public concerned, market
access, sustainable use of natural
resources, collective organization
and well-being in rural areas, through
its different focuses of sustainable
management in agriculture. As result,
the undertaken initiatives (flows) by
using agro forestry systems, low-carbon
agriculture, good production practices,
responsible management of natural
resources and generation of alternative
energies from animal waste, provided
the creation of economies of scope,
cost reduction and various synergies
contributing, in different levels, to the
maintenance and/or qualification of
social, environmental and economic
local actives (stocks) in each region
involved.
Within each initiative, among the
elements that we can highlight as
propelling factors of the current and
potential results, are the participation
of the target audience in actions
and management of the activities,
existence of participatory capacity-
building processes, commitment and
motivation by the parties concerned,
as well as search for partnerships
21
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
and strengthening of socio-productive
organization, aiming to face challenges
and seek the perpetuation of results.
Even considering that these experiences
can’t be automatically replicable due
to the various socioeconomic and
environmental contexts in each region or
biome, we expect that the dissemination
of these cases can stimulate adaptations
or even convergent initiatives by
producers, other actors of supply
chain and related organizations, in the
perspective of sustainable management in
the agricultural sector.
22
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
INTRODUCCIÓN
La publicación anual del Ministerio de
la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento
“Gestión Sostenible en la Agricultura” tiene
como propósito principal divulgar iniciativas
ejemplares de gestión en el sector
agropecuario enfocadas en sostenibilidad.
Teniendo en cuenta la necesidad de
alcanzar un público más amplio, los casos
son también narrados en inglés y, en esta
edición, en lengua española.
La sostenibilidad es aquí considerada
un constructo dinámico con diferentes
niveles, dimensiones y actores (antrópicos
y eco sistémicos). Se adoptan las premisas
de substitución limitada de factores como
trabajo, capital y recursos naturales, de
la existencia de stock crítico de activos
como calidad del clima, aire, agua, suelos
y biodiversidad y que el bienestar deriva de
un conjunto de condiciones de naturaleza
social, psicológica, cultural, organizacional,
participativa y autonómica, que no se
limita solo a la riqueza o al consumo. En
el ámbito de las iniciativas analizadas, los
recursos y actores son considerados stocks
y las intervenciones de las empresas e
instituciones, como flujos. De esa manera,
lo que se busca evidenciar es como las
iniciativas de gestión en la agricultura, los
flujos,afectanlosstocksdecapitales–físico,
financiero, eco sistémico, social y cultural –
existentes en el área de actuación o en el
ambiente interno de cada organización, en
una perspectiva de sostenibilidad.
Los casos evaluados en cada edición se
insertan en el contexto de la complejidad
del sector agropecuario brasileño e integran
un universo donde actúan organizaciones
pequeñas, medianas y grandes,
vinculadas a las actividades de producción,
procesamiento, transformación, distribución
y servicios en un país de dimensiones
continentales. Seleccionar casos de gestión
sostenible en un contexto tan rico y distinto
esungranreto,loqueexigeunaobservación
atenta para esa complejidad en el sentido
de propiciar, por un lado, un proceso de
selección que posibilite la participación de
los diversos tipos de actores y actividades
y, por otro, el establecimiento de criterios
adaptables a distintas situaciones,
regiones, portes de iniciativa y sectores de
las cadenas productivas.
Sobre esta base, son considerados tanto
criterios eliminatorios como clasificatorios.
En relación a los primeros, las exigencias
son el cumplimiento de las normas de la
convocatoria de la publicación, que las
iniciativas traigan beneficios efectivos a
las organizaciones o al público destinatario
considerado, y que los casos reflejan
23
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
acciones con vistas a la sostenibilidad y sean
innovadores, sin limitarse al cumplimiento
de leyes específicas relativas a la actividad.
En el marco de los criterios, se avalúan la
existencia y la aplicabilidad de la gestión,
la naturaleza y el grado de beneficios
proporcionados por las iniciativas, sus
efectos actuales y potenciales en el ámbito
de las dimensiones social, económica y
ambiental de la sostenibilidad, así como su
potencial de empoderamiento, es decir, su
capacidad de continuidad, progresividad
y replicabilidade a lo largo del tiempo,
independientemente de los actores o
organizaciones que se dispongan a
adoptarlos.
La evaluación y selección de los casos
de esta 3ª edición se realizó por un equipo
de siete evaluadores: seis de sectores del
MAPA y uno del personal de la FAO. El
análisis de los casos se hizo a través del
uso de formularios electrónicos, donde los
evaluadores atribuyeron calificaciones a
criterios predefinidos. La clasificación de los
casos fue hecha por programa informático,
de manera automatizada, que señaló los
diez casos con mayor puntuación.
Las experiencias presentadas incluyen
las cinco regiones brasileñas y abarcan
organizaciones de los sectores público
y privado de distintos tamaños. Las
iniciativas involucran, en diversos niveles,
las dimensiones de sostenibilidad y pueden
ser encuadradas en cuatro ejes principales:
buenas prácticas agropecuarias; utilización
sostenible del água; economías de gama
a través de la integración de actividades;
y reciclaje de desechos/generación de
energías alternativas.
Esas experiencias promovieron o
estimularon generación de trabajo e
ingresos, aumento de la autoestima por
parte del público interesado, acceso a
mercados, utilización sostenible de los
recursos naturales, organización colectiva
y bienestar en el medio rural, a través de
distintos enfoques de gestión sostenible en
la agricultura. De esa manera, iniciativas
(flujos) concretadas a través de sistemas
agroforestales, agricultura baja en carbono,
buenas prácticas de producción, gestión
responsable de los recursos naturales y
generación de energías alternativas a partir
de desechos, proporcionaron la creación
de economías de gama, reducción de
costes y sinergias diversas que resultan,
en diferentes niveles, en la manutención
y/o calificación de los activos sociales,
ambientales y económicos (stocks) en cada
región involucrada.
En el ámbito de cada iniciativa, entre los
elementos que sobresalen como factores
24
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
impulsadores de los resultados actuales
y potenciales, están la participación del
público destinatario en las acciones y en
la gestión, la existencia de procesos de
capacitación participativos, el compromiso y
la motivación por parte de los involucrados,
así como la formación de alianzas y la
organización socio-productiva, con vistas al
enfrentamiento de los retos y la búsqueda
por perpetuación de los resultados.
Aunque las distintas experiencias no sean
automáticamente replicables teniendo
en cuenta los diferentes contextos socio-
económicos y ambientales de cada región
o bioma, esperamos que la divulgación de
estoscasospuedaestimularadecuacioneso
mismo iniciativas convergentes por parte de
los productores, otros actores de la cadena
productiva y organizaciones relacionadas,
en una perspectiva de gestión sostenible en
el sector agropecuario.
25
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
1
Banco do Brasil
Agência Nacional de Águas e WWF-Brasil
Programa Água Brasil
Agua Brasil Program
Programa Água Brasil
26
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Resumo do caso
Lançado em 2010, o Programa Água
Brasil, concebido pelo Banco do Brasil e
desenvolvido em parceria com a Fundação
BancodoBrasil,aAgênciaNacionaldeÁguas
e o WWF-Brasil, tem o objetivo de fomentar
o desenvolvimento e a disseminação
de práticas e técnicas sustentáveis de
produção no campo e promover o consumo
responsável e a reciclagem de resíduos
sólidos nas cidades.
O Programa está estruturado em 4 eixos:
Eixo 1 - Projetos Socioambientais:
1.1 Água e Agricultura – ações em sete
microbacias para melhoria da qualidade
das águas e restauração ecológica da
vegetação natural por meio de melhores
práticas de produção e tecnologias sociais
nas bacias dos rios Lençóis (SP); Cancã-
Moinho, Peruaçu (MG); Longá (PI); córrego
Guariroba (MS); ribeirão Pipiripau (DF) e
igarapé Santa Rosa (AC).
1.2 Cidades Sustentáveis - apoio às
prefeituras de Rio Branco (AC), Natal
(RN), Belo Horizonte (MG), Pirenópolis
(GO) e Caxias do Sul (RS) para a
implementação da Política Nacional de
Resíduos Sólidos (PNRS), e geração
de trabalho e renda para catadores de
materiais recicláveis.
Eixo 2 - Comunicação e Engajamento
- sensibilizar e mobilizar a sociedade com
relação à conservação ambiental.
Eixo 3 - Mitigação de Riscos – reduzir os
impactosnegativosnaspráticasdeprodução
e comercialização tradicionais, mitigar os
riscos potenciais nas operações do Banco
e aperfeiçoar os critérios socioambientais
utilizados nos processos de financiamento
e investimento do Banco;
Eixo 4 - Negócios Sustentáveis –
aprimorar os modelos de negócios
sustentáveis e ampliação do portfólio de
produtos e serviços financeiros.
Por que o programa de sustenta-
bilidade foi criado?
O Brasil concentra aproximadamente
12% da água doce superficial do mundo,
sendo que mais de 90% do território
brasileiro recebe chuvas durante boa
parte do ano. Apesar disso, a água limpa
está cada vez mais rara na zona costeira
e a água potável cada vez mais cara.
Regiões fundamentais à economia do
País vêm enfrentando problemas graves.
27
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Esta situação resulta do uso inadequado,
com desperdício, que chega a índices da
ordem de 40 % a 50% nas cidades, e sem
cuidados com a qualidade. No campo, há
espaço (e necessidade) para o aumento
da eficiência e maior estruturação para a
preservação e o uso sustentável desse
recurso vital a partir da utilização de boas
práticas agropecuárias e a conservação
dos serviços ecossistêmicos relacionados
à água.
A água é o elemento comum entre as
ações de sustentabilidade do Banco e
também é o foco do Programa Água Brasil.
Este apoio deve-se à forte atuação do
Banco do Brasil no agronegócio, atividade
econômica de grande consumo hídrico
e pela importância do recurso água para
manutenção das atividades produtivas,
para a segurança hídrica e alimentar e para
o bem estar da sociedade.
Quemsebeneficiadesteprograma
e de que forma?
Considerando o amplo escopo de
atuação, entende-se que a sociedade de
modo geral é beneficiada pelo Programa
Água Brasil.
28
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Os resultados permitiram resgatar valores
sociais e ambientais com atores-chave do
meio rural e reafirmaram a interdependência
entre o campo e zonas urbanas brasileiras.
Até dezembro de 2013 foram realizadas 87
parcerias com diferentes agentes locais,
como associações de produtores, sindicatos
rurais, prefeituras, assistência técnica rural,
entre outros, com 620 beneficiários diretos e
3.452 indiretos e população potencialmente
beneficiada estimada em 10,8 milhões.
Resultados tangíveis com impacto local
direto garantem água e alimentos e geram
benefícios coletivos no âmbito das bacias em
questão. A partir da realização de parcerias
multisetoriais destacaram-se os resultados:
479 hectares de áreas degradadas
restaurados; 427 hectares de fragmentos
florestais conservados; 2.236 hectares
terraceados e com reformas de pastagens
realizadas; 1.131 barraginhas construídas
para conservação de solo; 53 produtores
beneficiados com o Pagamentos por
Serviços Ambientais (PSA); 626 produtores
envolvidos diretamente; 481 cisternas de uso
doméstico instaladas; 153 cisternas calçadão
construídas para produção agropecuária;
8 casas de sementes construídas; 17
unidades demonstrativas de boas práticas
agropecuárias; 554 fossas sépticas instaladas
e 600 metros do trecho periurbano do Igarapé
Santa Rosa desobstruídos.
Como funciona o programa?
A definição do plano de trabalho e dos
critérios de escolha das localidades contou
com a participação de todos os parceiros
do Programa Água Brasil, observado o
potencial de replicabilidade das ações
implementadas. Para isso, na medida do
possível, foram eleitas regiões, atividades,
diferentes tamanhos de propriedades
rurais e biomas que representassem a
diversidade e a complexidade geográfica,
econômica, social e ambiental do território
brasileiro. No meio rural, nesta primeira
fase, o Programa chegou aos biomas: Mata
Atlântica, Cerrado, Amazônia e Caatinga e
às regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e
Nordeste.
Apenas para citar a atuação no
setor do agronegócio, o eixo de Água e
Agricultura atua com a implementação
de unidades demonstrativas de boas
práticas agropecuárias, que contemplam
técnicas produtivas e de restauro florestal,
buscando a adequação da propriedade à
legislação ambiental, bem como ganhos de
produtividade e conservação dos recursos
naturais.
As unidades demonstrativas servem
como base para o conhecimento e
replicação das boas práticas nas bacias
29
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
hidrográficas, com a realização de dias
de campo e oficinas de capacitação, que
contam com a participação de produtores
rurais e assistência técnica rural. Além
disso, o Programa, alinhado ao objetivo de
disseminar informações e conhecimento,
publicará quatro portfolios de Boas Práticas
Agropecuárias, Certificações, Restauração
Ecológica e Instrumentos Econômicos
e Financeiros para a Sustentabilidade.
Também foram implementadas Tecnologias
Sociais, que visam permitir o acesso das
comunidades à água para o consumo
humano e produtivo.
Além disso, no eixo de Mitigação de
Riscos foram elaboradas Diretrizes de
Sustentabilidade para o Crédito para o setor
do agronegócio, com apoio técnico do Banco
do Brasil, do WWF-Brasil e stakeholders,
visando a divulgação das práticas
negociais e administrativas adotadas,
reforçando os compromissos públicos
assumidos alinhados aos princípios de
responsabilidade socioambiental presentes
em suas políticas gerais e específicas.
Com essas práticas, o Programa busca
contribuir para mitigar o risco socioambiental
e reduzir os impactos dos financiamentos
e de investimentos do Banco, bem como
identificar oportunidades de atuação na
cadeia de valor dos negócios sustentáveis
30
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
a partir de questões socioambientais
relevantes e de temas estratégicos para o
desenvolvimento sustentável.
O Água Brasil ainda possibilita o
desenvolvimento de diversos estudos,
com o intuito de avaliar o estado da arte e
oportunidades de novos financiamentos e
mercados, tais como:
a)	análise das possibilidades de
coordenação e compatibilização entre a
atuação do setor financeiro e a minimização
de externalidades negativas ambientais
derivadas de atividades produtivas que
alimentam as exportações de produtos da
lavoura e pecuária no Brasil;
b)	 análise dos desafios e oportunidades
da cadeia de valor do manejo florestal
madeireiro sustentável, com o objetivo de
aprimorar a oferta de produtos e serviços
financeiros que fomentem práticas
sustentáveis no setor de agronegócios
e que induzam os empreendimentos
à competitividade, seja através da
minimização ou adaptação aos processos
produtivos, de seus efeitos nas mudanças
climáticas, estimulo à redução ou extinção
de emissões de gases de efeito estufa,
promoção do uso eficiente dos recursos
naturais e inclusão social;
c)	análise do portfólio de produtos
financeiros de apoio a boas práticas
socioambientais no setor de agronegócios,
com foco no Programa de Agricultura
de Baixo Carbono e propostas de
aprimoramentos;
d)	análise da viabilidade técnica
e econômica da cadeia produtiva de
restauração florestal em Reserva Legal e
Áreas de Preservação Permanente (APP)
e a utilização de sistemas agroflorestais
para a recomposição da reserva legal nas
propriedadesrurais,conformeestabelecidono
Código Florestal, apresentando indicadores
que possam subsidiar a atuação dos agentes
financeiros e produtores rurais.
Quais os desafios para a im-
plantação do programa, para
mantê-lo em funcionamento,
e quais as perspectivas futuras
para o mesmo?
Inicialmente, o grande desafio do
Programa Água Brasil foi construir a
articulação local, buscando o engajamento
e o empoderamento dos agentes locais,
com o objetivo de proporcionar um ambiente
para continuidade e replicabilidade das
ações.
31
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Esse foi um processo naturalmente lento
e que inicialmente poderia ter frustrado
as expectativas do Banco do Brasil, caso
esperasse um retorno de curto prazo.
Felizmente, a estratégia mostrou-se bem
sucedida e hoje já é possível colher bons
resultados e reconhecimento nacional e
internacional, tais como, nas publicações
“Caring For Climate” e “CEO Water
Mandate” durante a Rio + 20, como um dos
10 casos no mundo que contribuem para a
adaptação às mudanças climáticas.
O Programa também integra o grupo
de práticas empresariais na categoria
Adaptação – Agricultura, Água e Comida
da Organização das Nações Unidas (ONU),
além de ter sido destaque na Conferência
das Partes de Biodiversidade, COP 11,
na Índia, em 2012, em publicação do
Conselho Empresarial Brasileiro para o
Desenvolvimento Sustentável – CEBDS.
Outro desafio enfrentado se relaciona à
diversidadedoProgramaeaogerenciamento
das ações. Este deve ser bem monitorado
por instâncias em nível técnico, gerencial e
corporativo. Para o Banco do Brasil, a sua
grande capilaridade e o engajamento dos
técnicos locais permitiram que a instituição
estivesse presente e acompanhasse a
execução dos projetos.
Em meados de 2015, os parceiros do
Programa avaliarão os resultados finais
e a pertinência da sua continuidade para
um período de cinco anos. Os resultados
já alcançados e os esperados, bem como
as lições apreendidas, permitem identificar
algumas ações que mereceriam ser
continuadas e que contribuiriam para a
gestão sustentável na agricultura.
Como outros agentes ligados à
agricultura e aos produtores rurais
podem iniciar um programa de
sustentabilidade como este e inse-
ri-lo em sua rotina de trabalho?
A experiência do Programa Água
Brasil demonstra que é possível conciliar
a produção de alimentos e a conservação
mediante a adoção de boas práticas e o uso
de instrumentos econômicos.
Fica evidente a necessidade do
engajamentodopoderpúblico,privadoedo
terceiro setor no apoio aos agricultores na
adoção e na manutenção de práticas mais
sustentáveis e rentáveis, constituindo-se
um grande desafio e ao mesmo tempo
uma oportunidade de mudança.
32
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Para definir a área de intervenção,
é fundamental mapear o potencial de
replicabilidade e de engajamento das
partes interessadas. Para isso, utilizar a
bacia hidrográfica ou a microbacia permite
a identificação das necessidades e a
capacidade de intervenção dos agentes
locais.
A qualidade do diagnóstico da área de
intervenção é importante e deve ser capaz
de enumerar os atores locais, os problemas
e as oportunidades, de modo a possibilitar
o engajamento daqueles que deverão
ser empoderados, permitindo assim, a
continuidade e o financiamento das ações.
Outro aspecto relevante é identificar as
boas experiências já implementadas na área
de intervenção e avaliar sua possibilidade
de integração com as demais ações, bem
como criar instâncias de coordenação e
de acompanhamento no âmbito local e
estratégico.
As técnicas de produção sustentável e as
tecnologias sociais adotadas no Programa
Água Brasil podem ser replicadas em
bacias hidrográficas onde há demanda para
segurança hídrica e alimentar no campo e
nas cidades.
33
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Case summary
Launched in 2010, Água Brasil Program,
conceived by Banco do Brasil and
developed in partnership with Fundação
Banco do Brasil, Agência Nacional de
Águas (National Water Agency) and WWF-
Brasil, aims to stimulate the development
and dissemination of sustainable production
practices in the field and also to promote the
responsible consumption and the recycling
of solid waste in the cities.
The Program is structured in four axes:
Axis 1 - Socio-environmental Projects:
1.1 Water and Agriculture - actions
on seven small watersheds promoting
an improvement on water quality and
ecological restoration of natural vegetation
through sustainable agriculture, employing
the best production practices and social
technologies around the rivers Lençóis (SP),
Cancã-Moinho (SP), Peruaçu (MG), Longá
(PI) and Pipiripau (DF), and also around the
Guariroba (MS) stream and Santa Rosa
(AC) watercourse.
1.2 Sustainable Cities – give support to
local cities, such as Rio Branco (AC), Natal
(RN), Belo Horizonte (MG), Pirenópolis (GO)
and Caxias do Sul (RS), in order to implant
the National Solid Waste Policy, increasing
employment rate and social inclusion to
recyclers.
Axis 2 - Communication and Engagement
–sensitizing and mobilizing society in order
to preserve the environment.
Axis3-RisksMitigation–reducenegative
impacts on traditional production and selling
practices, mitigate potential risks to the
bank operations, while improving social and
environmental criteria employed to the Bank
funding and investment processes;
Axis 4 - Sustainable Businesses –
improve sustainable business models and
expand financial products and services
portfolio.
Why was the sustainability pro-
gram created?
Approximately 12% of world´s fresh water
is concentrated in Brazil, and during most
part of the year, rain falls in more than 90%
of the Brazilian territory. Despite that, clean
water is becoming increasingly scarcer at
the Coastal Zone and drinkable water is
becoming more and more expensive.
34
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Regions that are crucial to the Brazilian
economy have been facing serious problems.
This situation is a result of the improper use
and the waste of water that reaches indexes
as high as 40% to 50% in cities, with no care
with quality. In the rural area, there is space
(and the necessity) to increase efficiency
and better structures to the preservation
and sustainable use of this vital resource,
with good agricultural and cattle farming
practices, additionally to the conservation of
water-based ecosystem services.
Water is the common element among
the actions on sustainability promoted by the
Bank and is also the focus of Água Brasil
Program. This support is due to the strong
presence of the Bank in agribusiness, a
water-intensive economic activity, and to
the importance of water resources in the
maintenance of productive activities, for
water and food security and the society
wellbeing.
Who benefits from this program,
and how?
Considering the wide scope of action,
it is understood that society in general is
benefited from the Água Brasil Program.
The results enabled rescuing social
and environmental values with the key
actors from rural areas, and reaffirmed the
interdependence between the Brazilian rural
and urban areas. Until December 2013, 87
partnerships were established with several
local agents like farmers associations, rural
trade unions, town halls, rural technical
assistance, among others, with 620 direct
beneficiaries and 3,452 indirect ones. The
potentially benefited population is estimated
in 10.8 million people.
Tangible results with local impact ensure
water and food and also generate collective
benefits in the area of the watersheds
benefited by the Program. With the support
of multisectoral partnerships, some results
have stood out, such as: 479 hectares of
degraded areas restored; 427 hectares of
forest fragments conserved; 2,236 hectares
terraced and reformed pasture; 1,131 small
dams built for soil conservation (Barraginhas,
in Portuguese); 53 farmers receiving
Payments for Environmental Services
-PSA; 626 farmers directly engaged with
the Program; 481 domestic water cisterns
installed; 153 water cisterns for rural areas
(Cisterna Calçadão in Portuguese); built to
the agricultural production; 8 seed houses
built; 17 demonstration units for good farming
practices; 554 septic tanks installed; and,
600 of Santa Rosa watercourse, located in
the peri-urban zone, were unobstructed.
35
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
How does the program work?
The workplan and the criteria to select
the sites were defined with the participation
of all the Program partners, observing
the potential engagement and sharing
of the implemented actions. Therefore,
as it was possible, they have selected
regions, activities, farmers - according to
the size of their properties - and biomes
that better represented the diversity and
geographic complexity, economic, social
and environmental of the Brazilian territory.
In the rural area, in this first stage, the
Program has reached important biomes
such as Atlantic Forest, Cerrado, Amazon
and Caatinga in the Southeast, Center-
West, North and Northeast regions of the
country.
Referring to the Program work on
agribusiness, the Water and Agriculture
axis acts with the implementation of
demonstrative units of good cattle farming
practices, that contemplate productive
and forest restoration techniques, always
looking for adapting the property to the
environmental legislation, as well as
promoting productivity increase and natural
resources conservation.
The demonstration units work as a base
to acquire more knowledge and disseminate
these good practices at the watersheds
through capacity-building workshops, which
are usually attended by farmers and rural
technical assistance agents. Moreover,
the Program also has the compromise to
disseminate its experiences and intends
to publish four portfolios of best practices -
Good Agricultural Practices, Certifications,
Ecological Restoration and Economic and
Financial Instruments for Sustainability.
The Program has also implemented
Social Technologies that should provide
communities with access to water for human
and production consumption.
Apart from that, under the axis of Risk
Mitigation, it was elaborated a guideline
of Sustainability for Credit, focused on
the agribusiness sector, with the technical
support of Banco do Brasil, WWF-Brasil
and stakeholders. The aim of this guideline
is to disseminate the negotiation and
administrative practices adopted, reinforcing
the Program public commitments that are
also in line with the principles of socio-
environmental responsibility established in
its general and specific policies.
Through these practices, the Program
intends to mitigate the socioenvironmental
risk and reduce the impact of the Bank
funding and investments, as well as identify
work opportunities on the value chain
36
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
of sustainable businesses, considering
relevant socioenvironmental issues and
strategictopics forsustainabledevelopment.
The Program also enables the
development of several studies in order
to evaluate the state-of-the-art and the
opportunities for new funding and markets,
such as:
a)	analysis of the possibilities of
coordination and alignment of the financial
sector work and the minimization of
negative environmental externalities derived
from productive activities that support the
exportation of Brazilian farming products;
b)	analysis of the challenges and
opportunities of the value chain of the
management of sustainable wood forest,
willing to improve the offer of financial products
and services that foster sustainable practices
in the agribusiness sector, and also induce
companies to competitiveness either through
the minimization or adaptation of productive
processes, its effects on climate changes, its
incentive to the reduction or abolishment of
emissions of greenhouse gases, its promotion
of efficient use of natural resources and social
inclusion;
c)	 analysis of the portfolio of financial
productssupportivetogoodsocioenvironmental
practices in the agribusiness sector, focusing
on the Low Carbon Agriculture Program and
proposals for improvement;
d)	 analysis of the technical and economic
viability of the productive chain on forest
recovery in Legal Reserve and Permanent
Preservation Areas (APP, in Portuguese);
analyze the use of agroforestry system to
recover legal reserves in rural properties, as
established by the Forest Code, presenting
indicators to support financial agents and
farmer work.
What were the challenges in pro-
gram implementation, to keep it
running, and what are its future
perspectives?
Firstly, that biggest challenge of the
Program was to build local articulation, in
order to engage and empower local agents,
with the aim of offering an ideal environment
to provide continuity and repercussion of
actions.
This process, inherently slow, could have
frustrated the Bank expectations if it had
wanted for short-term returns. Fortunately,
the strategy was a success, and now it is
possible to see the good results and national
and international recognition such as a
highlight in the publication by the Caring for
37
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Climate and CEO Water Mandate during the
event Rio +20, as one of the 10 cases in the
world that contributes to the climate changes
adaptation.
The Program is also part of the business
practices group in the category ofAdaptation
– Agriculture, Water and Food of the United
Nations Organization (UN), besides having
been the high spot at the Conference of the
Parties - COP 11, held in India in 2012, in
a publication of the Brazilian Entrepreneur
Council to the Sustainable Development
(CEBDS, in Portuguese.)
Another challenge faced, is related
to the Program diversity and the actions
management. These issues have to be
closely monitored by technical, managerial
and corporate instances. For the Bank, its
broad network and the engagement of local
technicians allowed the institution to be
present and following the projects execution.
In mid-2015, the Program partners
will evaluate the results and pertinence of
providing continuity to it for an additional
5-year period. The results achieved and
the expected ones, as well as the lessons
learned already allow the identification of
some actions that should be continued
and that would contribute to sustainable
management in agriculture.
How could other agriculture-re-
lated agents and farmers start a
similar sustainability program and
incorporate it into their everyday
work?
The Program experience shows that it is
possible to conciliate food production and
conservation through the adoption of good
practices and the use of economic tools.
It is unmistakable the need of engagement
from the public and private powers and the
third sector to support farmers in the adoption
and maintenance of more sustainable and
profitable practices. This is both a great
challenge and an opportunity for changes.
To define the area of intervention, it is
essential to map the potential for replicability
and stakeholder engagement. For this, to use
the watersheds allows the identification of
these needs and the capacity of intervention
of local agents.
The quality of the diagnosis about the
intervention area is important and should
be capable of listing local actors, problems
and opportunities to allow the engagement
of those who are to be empowered and,
thus, enabling the continuity and funding of
actions.
38
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Another relevant aspect is to
identify successful experiences already
implemented in the intervention area and
evaluate its potential integration to other
actions, as well as create spheres of
coordination and follow-up at the local and
strategic levels.
The sustainable production techniques
and social technologies adopted in Água
Brasil Program can be replicated in
watersheds where there is demand for food
and water security in rural and urban areas.
39
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Resumen del caso
Lanzado en 2010, el Programa de
Água Brasil, concebido por Banco do
Brasil y desarrollado en colaboración con
la Fundação Banco do Brasil, la Agencia
Nacional de Aguas y el WWF-Brasil, tiene
como objetivo fomentar el desarrollo y
la difusión de prácticas y técnicas de
producción sostenibles en el campo y
promover el consumo responsable y el
reciclaje de residuos sólidos en las ciudades.
El programa está estructurado en 4 ejes:
Eje 1 - Proyectos Socioambientales:
1.1: Agua y Agricultura – acciones en
siete microcuencas promoviendo la mejora
de la calidad del agua y la restauración
ecológica de la vegetación natural a través
de mejores prácticas de producción y
tecnologías sociales en las cuencas de los
ríos Lençóis (SP); Cancã-Moinho, Peruaçu
(MG); Longá (PI); arroyo Guariroba (MS)
y de las corrientes Pipiripau (DF) y Santa
Rosa (AC).
1.2: Ciudades Sostenibles – apoyo
a los municipios locales de Rio Branco
(AC), Natal (RN), Belo Horizonte (MG),
Pirenópolis (GO) y Caxias do Sul (RS) para
la implementación de la Política Nacional
de Residuos Sólidos (PNRS), y generar
empleo y ingreso para los recicladores.
Eje 2 - Comunicación y Compromiso –
sensibilizar y movilizar la sociedad a favor
de la conservación del medio ambiente.
Eje 3 - Mitigación de Riesgo – reducir
los impactos negativos en la producción
tradicional y prácticas de marketing y mitigar
los riesgos potenciales en las operaciones
del banco y mejorar los criterios sociales
y ambientales utilizados en el proceso de
financiación e inversiones del Banco;
Eje 4 - Negocio Sostenible – mejorar
los modelos de negocios sostenibles y
ampliar la cartera de productos y servicios
financieros.
¿Por qué se creó el programa de
sostenibilidad?
Brasil concentra aproximadamente el
12% del agua dulce superficial de todo el
mundo, y más de 90% del territorio brasileño
recibe lluvias durante la mayor parte del
año. A pesar de esto, el agua limpia es
cada vez más rara en la zona costera y el
agua potable cada vez más cara. Regiones
esenciales para la economía del país
enfrentan graves problemas. Esta situación
40
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
es resultado del uso inadecuado de agua,
con el desperdicio, que alcanza índices de
orden de 40% a 50% en las ciudades y sin
cuidados con la calidad. En el campo, hay
espacio (y necesidad) para mayor eficiencia
y mayor estructuración para la conservación
y uso sostenible de este recurso vital, a
partir de la adopción de buenas prácticas
agrícolas y la conservación de ecosistemas
relacionados con el agua.
El agua es el elemento común de las
acciones de sostenibilidad del Banco do
Brasil y también es el foco del Programa
Água Brasil. Este apoyo se debe por una
representación muy fuerte del banco
en el sector del agronegocios, actividad
económica de gran consumo de agua y
por la importancia de los recursos hídricos
para el mantenimiento de las actividades
productivas, seguridad del agua y bienestar
de la sociedad.
¿Quién se beneficia de este pro-
grama y cómo?
Teniendo en cuenta el amplio alcance
de la acción, significa que la sociedad en
general es beneficiada por el Programa
Água Brasil.
Losresultadosmostraronelrescatedelos
valores sociales y ambientales con actores
claves del entorno rural y reafirmaron la
interdependencia entre las zonas rurales y
urbanas en Brasil. Hasta diciembre de 2013
se realizaron 87 asociaciones con diferentes
agentes locales, como las asociaciones de
productores, sindicatos, municipalidades,
asistencia técnica rural, entre otros, con
620 beneficiarios directos e 3.452 indirectos
y población potencialmente beneficiada
estimada en 10,8 millones.
Resultados tangibles con impacto directo
localestánproporcionandoalimentosyagua,
y la generación de beneficios colectivos
en las cuencas en cuestión. A partir de la
realización de alianzas multisectoriales son
destacados los siguientes resultados: 479
hectáreasdeáreasdegradadasrestauradas;
427 hectáreas de fragmentos de bosque
preservados; 2.236 hectáreas terraceados y
reformas de pastoreo llevadas a cabo; 1.131
barraginhasconstruidasparalaconservación
del suelo; 53 productores están recibiendo
Pagos por Servicios Ambientales (PSA);
626 productores directamente involucrados;
481 cisternas de uso doméstico instaladas;
153 cisternas tanques construidas para
la producción agrícola; 8 casas de semilla
construidas; 17 Unidades de Demostración
de buenas prácticas agrícolas aplicadas;
554 séptico tanques instalados y 600 metros
del tramo periurbano de la corriente Santa
Rosa limpios.
41
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
¿Cómo funciona el programa?
La definición del plan de trabajo y los
criterios de selección de localidades contó
con la participación de todos los socios
del programa, destacó el potencial de
replicabilidad de acciones implementadas.
Por eso, en la medida de lo posible, fueron
elegidas regiones, actividades, diferentes
tamaños de propiedades rurales y biomas
que representan la diversidad y complejidad
geográfica, desarrollo económico, social
y ambiental del territorio brasileño. En
las zonas rurales, en esta primera fase,
el Programa alcanzó los biomas de Mata
Atlántica, Cerrado, Caatinga y Amazonia y
las regiones sudeste, centro-oeste, noreste
y norte.
Sólo por citar las acciones relacionadas
con el sector de agronegocios, el eje rural
tiene como objetivo poner en práctica
unidades de demostración de buenas
prácticas agrícolas, que incluyen técnicas
de producción y reforestación, buscando la
adecuación de la propiedad en la legislación
ambiental, así como el aumento de la
productividad y de la conservación de los
recursos naturales.
Unidades Demostrativas sirven como
base para el conocimiento y la replicación
de las buenas prácticas en las áreas de
captación, con la realización de días de
campo y talleres de capacitación y la
participación de los productores rurales
y asistencia técnica rural. Además, el
Programa, alineado con su objetivo de
difundir informaciones, publicará sus
manuales de Buenas Prácticas Agrícolas y
de Instrumentos Económicos y Financieros.
También se implementaron tecnologías
sociales, que tienen como objetivo permitir
el acceso de las comunidades al agua para
consumo humano y productivo.
Además, en el eje de Mitigación de
Riesgos fueron elaboradas las Directrices
de Sostenibilidad para el Crédito para el
sector agroindustrial, con el apoyo técnico
del Banco, WWF-Brasil y partes interesadas,
conelobjetivodeladifusióndelanegociación
y las prácticas administrativas adoptadas,
reforzar compromisos públicos, alineados
con los principios de responsabilidad social
y ambiental en sus políticas generales y
específicas.
Con estas prácticas, el Programa
busca contribuir para mitigar el riesgo
social y ambiental y reducir los impactos
de financiamientos e inversiones del
Banco, así como identificar oportunidades
de desempeño en la cadena de valor
empresarial sostenible de cuestiones
ambientales y sociales relevantes y de temas
estratégicos para el desarrollo sostenible.
42
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
El Programa Água Brasil también permite
el desarrollo de varios estudios para evaluar
el estado del arte y nuevas oportunidades de
financiación y mercados, tales como:
a)	análisis de las posibilidades de
coordinación y compatibilidad entre
el desempeño del sector financiero y
la minimización de las externalidades
ambientales negativas derivadas de las
actividades productivas que alimentan
las exportaciones de productos agrícola y
ganadera de Brasil;
b)	 análisis de los retos y oportunidades
de la cadena de valor de la gestión forestal
sostenible de madera, con el objetivo de
mejorar la oferta de productos financieros
y servicios que promuevan prácticas
sostenibles en el sector agroindustrial y para
inducir a la competitividad de las empresas,
ya sea por minimizar o adaptarse a los
procesos productivos, de sus efectos sobre
el cambio climático, fomentar la reducción o
extinción de las emisiones de gases de efecto
invernadero, promover el uso eficiente de los
recursos naturales y la inclusión social;
c)	 análisis de la cartera de productos
financieros de apoyo a las mejores prácticas
ambientales en el sector agroindustrial,
centrándose en el Programa Agricultura de
Bajo Carbono y propuestas de mejora;
d)	análisis de la viabilidad técnica y
económica de la cadena de producción de
restauración forestal en Reserva Legal y
Áreas de Preservación Permanente (APP)
y el uso de sistemas agroforestales para
la recomposición de la reserva legal en
propiedades rurales, según lo establecido
en el Código Forestal brasileño, introducción
de indicadores que pueden subvencionar
las actividades de los agentes financieros y
productores rurales.
¿Cuáles son los retos para la im-
plantación del programa, para
mantenerlo en funcionamiento
y cuáles son sus perspectivas de
futuro?
Inicialmente, el gran reto del Programa
fue construir la articulación local, buscando
la participación y el empoderamiento de
los actores locales, con el objetivo de
proporcionar un ambiente de continuidad y
replicabilidad de las acciones.
Esto fue un proceso lento naturalmente y
que inicialmente podría haber frustrado las
expectativas del banco, si esperaba retorno
a corto plazo. Afortunadamente, la estrategia
resultó exitosa y hoy ya es posible cosechar
buenos resultados y reconocimiento
43
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
nacional e internacional, como aparece en la
publicación Caring For Climate y CEO Water
Mandate durante el Río + 20, como uno de
los 10 casos en el mundo que contribuyen a
la adaptación al cambio climático.
El Programa también integra el grupo
de práctica empresarial en la categoría de
Adaptación – Agricultura, Água y Alimentos
de las Naciones Unidas (ONU), además de
haber sido presentado en la Conferencia de
las Partes COP 11, la biodiversidad, en la
India, en 2012, en la publicación del Consejo
Empresarial Brasileño para el Desarrollo
Sostenible – CEBDS.
Otro desafío se refiere a la diversidad
del Programa y la gestión de las acciones.
Esto debe ser bien vigilados por instancias
técnicas, a nivel gerencial y corporativo.
Para el Banco do Brasil, su gran alcance
y el compromiso de los técnicos locales
permitieron la institución estar presente y
acompañar la ejecución de los proyectos.
En mediados de 2015, los socios del
Programa evaluan los resultados finales
y la pertinencia de su continuidad para un
nuevo período de cinco años. Los resultados
ya obtenidos y los esperados, así como
las lecciones agarradas, permiten para
identificar ciertas acciones que continuaría
y que contribuiría a una gestión sostenible
en la agricultura e del água.
¿Cómo otros agentes vinculados a
la agricultura y a los productores
rurales pueden iniciar semejante
programa de sostenibilidad e in-
troducirlo en su rutina de trabajo?
La experiencia del Programa demuestra
que es posible conciliar la producción de
alimentos y la conservación mediante la
adopción de mejores prácticas y del uso de
instrumentos económicos.
Es evidente la necesidad de la
participación de las autoridades pública,
privada y tercer sector en el apoyo a
los agricultores en la adopción y el
mantenimiento de prácticas más sostenibles
y rentables, que constituyen un gran desafío
y al mismo tiempo una oportunidad para
cambiar.
Para definición del área de intervención,
es esencial mapear el potencial de
replicabilidad e de participación de las
partes interesadas. Para hacer esto, usar
la cuenca hidrográfica o la microcuenca le
permite la identificación de las necesidades
y la capacidad de intervención de los
agentes locales.
La calidad del diagnóstico de la zona
44
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
de intervención es importante y debe ser
capaz de enumerar los agentes locales,
los problemas y las oportunidades, con el
fin de permitir la participación de aquellos
que deben ser fortalecidos, por lo tanto, la
continuidad y la financiación de las acciones.
Otro aspecto importante es identificar
las buenas experiencias ya implementadas
en la zona de intervención y evaluar
la posibilidad de integración con otras
acciones, así como crear instancias de
coordinación y seguimiento de en el ámbito
local y estratégico.
Las técnicas de producción sostenibles
y las tecnologías sociales adoptadas en el
ProgramaÁguaBrasilpodríanserreplicadas
en ambas cuencas donde hay demanda
por la seguridad hídrica y alimentaria en el
campo y en las ciudades.
45
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
2
Clube Amigos da Terra – CAT
Mulheres do Campo: a força feminina em
ação pelo desenvolvimento sustentável
Mulheres do Campo Project: the female strenght in action for
a sustainable development
Proyecto Mulheres do Campo: la fuerza femenina en acci-
ón por el desarrollo sostenible
46
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Resumo do caso
O Projeto “Mulheres do Campo: a força
feminina em ação pelo desenvolvimento
sustentável” teve início em 2009 a partir
de uma avaliação com um grupo de 30
produtoras rurais sobre a participação da
mulher dentro do agronegócio no município
de Sorriso no estado do Mato Grosso.
Os principais resultados dessa avaliação
mostraram que as mulheres se sentiam
“excluídas” e desvalorizadas no meio rural
e gostariam de ter uma participação mais
efetiva na promoção da sustentabilidade.
Apartirdaidentificaçãodestesproblemas,
nasceu o projeto “Mulheres do Campo”
que sugeria a realização de vários cursos
de capacitação para o grupo nas questões
relativas a liderança, gestão da propriedade
rural e ao papel da mulher na sociedade
atual. No decorrer da participação das
mulheres nos cursos e dado ao crescente
fortalecimento do seu valor como indivíduo
e agente de transformação social, o grupo
propôs ações voltadas para a promoção da
sustentabilidade as quais foram realizadas
no decorrer dos últimos anos.
Em 2010 aconteceu o I Fórum
“Construindo um Futuro Melhor”. Em 2011,
o grupo abraçou a causa da coleta seletiva
do lixo nas propriedades rurais e em 2012
a implantação de composteiras para o lixo
orgânico com a finalidade de produção
de adubo a ser utilizado nas hortas das
propriedades rurais. Em 2013 o foco foi a
questão da violência doméstica e em 2014
o foco está na reativação da Associação
Produtiva das Mulheres da Poranga, nome
comum dado ao Assentamento Jonas
Pinheiro (Sorriso – MT), com o objetivo de
produzir derivados de leite, cana e polpa de
frutas do Cerrado.
Esta Associação existe desde 2007 e a
intenção do grupo é a sua reestruturação
e a motivação das mulheres para que a
entidade volte ao seu efetivo funcionamento
favorecendo a geração de renda para as
produtoras rurais da agricultura familiar do
município.
Por que o programa de sustenta-
bilidade foi criado?
O Clube Amigos da Terra – CAT Sorriso
é uma associação de produtores rurais
localizada no município de Sorriso e suas
principais ações estão concentradas
em projetos socioambientais ligados à
EducaçãoAmbiental e ao apoio a produtores
rurais para promoção da sustentabilidade
em geral. Sorriso é o maior produtor de soja
do mundo e tem sua economia baseada na
agricultura.
47
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Diante deste contexto, o CAT teve a
ideia de trabalhar com produtoras rurais e
usar a imagem que a mulher possui, entre
outras, de “mãe”, “protetora” e cuidadora,
para realizar uma campanha relacionada
às produtoras que estavam produzindo
sem degradar o meio ambiente. A ideia era
trazer as produtoras para participarem mais
ativamente no CAT.
Entretanto, durante a reunião realizada
com o grupo de 30 produtoras ficou
evidenciado que a preocupação com a
imagem do produtor não era prioridade,
e outros problemas foram citados como
preconceito, posse da terra, duras jornadas
de trabalho na casa e na propriedade rural,
falta de apoio, desvalorização dentro e fora
de suas propriedades rurais. Por outro
lado, o grupo demonstrou que gostaria de
participar, opinar e ser mais atuante.
Nesses debates, o CAT e o Sindicato
Rural de Sorriso resolveram abraçar a causa
das produtoras rurais e a partir daí foi criado
o projeto Mulheres do Campo com o objetivo
de trabalhar com as produtoras, questões
de liderança, autoestima e capacitá-las
para o agronegócio e o desenvolvimento
sustentável. Assim poderiam sentir
segurança e se tornariam instrumentos de
promoção da sustentabilidade no meio rural
do município.
48
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Quem se beneficia deste progra-
ma e de que forma?
O projeto beneficia principalmente
produtoras rurais de Sorriso, sendo elas da
agricultura familiar ou de larga escala, num
total de aproximadamente 50 mulheres. No
geral, são mulheres que tem entre 35 a 40
anos, imigrantes da região sul do Brasil,
casadas e com dois a três filhos.
Dentro do grupo de mulheres da
produção de soja, a maioria possui nível de
escolaridade até o ensino médio e algumas
com nível superior. O grupo de mulheres
da agricultura familiar está distribuído nos
Assentamentos Jonas Pinheiro - Poranga
(216 famílias); Casulo (26 famílias) e Santa
Rosa II (177 famílias). A maioria possui nível
de escolaridade até o ensino fundamental,
sendo que há a presença de mulheres mais
jovens (filhas de produtores) que estão
cursando o ensino médio.
A renda familiar gira em torno de
R$ 1.500,00 oriundos da produção de
hortifrutigranjeiros. Algumas famílias
contam com a aposentadoria do familiar
mais velho para complementar a renda.
No início deste projeto (2010), os
principais benefícios oferecidos para essas
mulheres foram cursos e palestras (total de
10) incluindo desde assuntos técnicos como
gestão da propriedade rural, liderança,
cooperativismo e questões relacionadas ao
gênero como empoderamento e o papel da
mulhernasociedade.Nosegundomomento,
a partir de 2011 após a elaboração da Carta
da Terra do Médio Norte do MT, um guia
orientador para as futuras ações do grupo na
promoção do desenvolvimento sustentável,
iniciaram-se as ações realizadas pelas
mulheres do campo em suas comunidades.
O CAT dá o suporte para que as
propostas do grupo aconteçam, desde a
elaboração de projetos, apoio na captação
de recursos para a execução no campo, na
mobilização das mulheres e da sociedade
em geral e junto a órgãos governamentais.
Assim, o maior benefício é mostrar para elas
que, com o desenvolvimento da autonomia,
elas têm o poder de transformar suas
realidades socioeconômicas a partir de um
comportamento proativo e com espírito de
grupo.
Como funciona o programa?
O programa nasceu a partir da
identificação de problemas que eram
comuns tanto para as mulheres da
agricultura familiar como da produção
de larga escala. A partir da identificação
destes problemas, junto com o grupo de
49
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
30 mulheres, foi discutido as possíveis
soluções e, com a participação ativa do
grupo foi elaborado o projeto “Mulheres
do Campo: a força feminina em ação pelo
desenvolvimento sustentável”. Com o
projeto em mãos o CAT apresentou-o a
diversas entidades públicas e privadas
tais como: Sindicato Rural, Secretaria de
Agricultura e Meio Ambiente do Município,
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural
- SENAR e Associação dos Produtores de
Soja e Milho de Mato Grosso - APROSOJA.
Como o projeto foi elaborado por um
grupo de pessoas da comunidade local
e não somente por uma única pessoa ou
entidade e, por ser de simples implantação
e ter como tema uma questão importante
e atualíssima trazendo à discussão o
preconceito contra a mulher, o CAT
ocupou todos os espaços passíveis de
questionamentos possibilitando a captação
de recursos e a realização de parcerias
para a implementação do projeto.
Comoprojetoaprovadopelacomunidade,
em 2010 foi realizado uma nova mobilização
das mulheres para o lançamento e
estabelecido um cronograma dos cursos
a serem oferecidos no decorrer do ano. A
maioria dos cursos foi realizada sem custos
para as mulheres e aconteceram com o
apoio do SENAR, Ministério de Agricultura
50
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
e Abastecimento - MAPA, APROSOJA que
forneciam instrutores, palestrantes e o local
dos cursos sem custos para o CAT- Sorriso.
Alguns foram custeados pelas empresas
privadas parceiras do projeto conforme a
necessidade. Cursos mais pertinentes à
agricultura familiar, como cooperativismo/
associativismo, foram realizados nos
assentamentos rurais com o apoio da
Secretaria de Agricultura no fornecimento
de transporte para o grupo de mulheres até
o local de realização.
Assim, 	 através do projeto, mais de
300 mulheres beneficiaram-se com cursos,
seminários e eventos voltados para a
questão de gênero e de sustentabilidade.
O foco é a capacitação das mulheres
nos temas solicitados por elas como:
liderança, oratória, gestão da propriedade
rural, práticas de sustentabilidade,
cooperativismo/associativismo. Os
seminários/fóruns servem como espaço
para discussão e reflexão sobre o papel
da mulher na sociedade atual, questões
sobre violência doméstica e demais temas
voltados para o gênero.
Em novembro de 2010 foi realizado o I
Fórum Construindo um Futuro Melhor com
participação 150 mulheres de Sorriso e
Região e foi criada, de maneira participativa,
a Carta da Terra das Mulheres do Médio
Norte de MT, mencionada anteriormente.
A Carta é uma ferramenta orientadora do
grupo para as ações a serem realizadas.
No final do I Fórum a questão eleita para
o ano de 2011 foi a coleta seletiva de lixo
nas propriedades rurais. As ações foram
definidas levando-se em consideração a
simplicidade e a facilidade que as mulheres
teriam para implementar, primeiro em suas
casas e depois em suas comunidades,
bairros, municípios, e assim por diante.
Em 2011, foi elaborado o projeto
“Conscientizar é Preciso” que tem
como objetivo a coleta seletiva de lixo
nas propriedades rurais das mulheres
participantes do projeto Mulheres do Campo
e trazer a discussão junto ao poder público
e à sociedade um problema que, na maioria
das vezes, é ignorado.
O processo para a implantação
desse projeto seguiu os mesmos passos
dos anteriores, ou seja, definição de
maneira participativa e em grupo do
problema a ser solucionado; elaboração
do projeto; apresentação deste para
o grupo de mulheres e seu respectivo
comprometimento com o trabalho;
busca de parceiros e apoiadores (tanto
na esfera pública como privada);
implementação e, durante a realização
dos Fóruns Construindo um Futuro Melhor,
51
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
apresentação dos resultados e avaliação
do trabalho. Assim, o projeto prossegue
até hoje.
Em 2012 o tema abordado foi violência
doméstica, quando várias ações de
conscientização foram realizadas para
mulheres do campo, desde participação
em palestras sobre o tema como ações
pontuais no dia internacional da mulher
e apresentação do projeto em outros
municípios como Nova Ubiratã, Ipiranga do
Norte, Sinop.
Atualmente, o foco do projeto das
mulheres do campo está na reestruturação
da Associação Produtiva das Mulheres da
Poranga para o seu efetivo funcionamento.
Esta Associação estava paralisada desde
2007 devido a falta de uma cozinha
comunitária para fabricação dos produtos
derivados de leite, cana e polpa de frutas
do Cerrado.
Com apoio do projeto, o grupo já elegeu
a nova presidente, regularizou toda a
documentação da associação e está dando
suporte para a captação de recursos para a
construção da cozinha comunitária. Neste
caso, as produtoras rurais de larga escala
estão apoiando ações da agricultura familiar
para a melhoria da qualidade de vida de
suas companheiras.
Quais os desafios para a im-
plantação do programa, para
mantê-lo em funcionamento,
e quais as perspectivas futuras
para o mesmo?
O projeto se concretizou devido
às parcerias realizadas pelo CAT com
empresas locais que contribuíram com os
recursos necessários para a realização dos
cursos e eventos para as mulheres, como foi
o caso da Agrobaggio, do Grupo Amazônia,
da Fundação AGRISUS – Agricultura
Sustentável,SENAR,PrefeituraMunicipalde
Sorriso, APROSOJA, Sindicato Rural. Além
disso, tivemos o Ministério da Agricultura e
Pecuária – MAPA, através do da Secretaria
de Desenvolvimento Agropecuário e
Cooperativismo-SDC/Departamento de
Cooperativismo e Associativismo Rural-
DENACOOP, do Programa Mato Grosso
MT Regional e Federação de Agricultura e
Pecuária do Estado do MT - FAMATO como
apoiadores do projeto.
Ainda assim, a maior dificuldade é a
captação de recursos para a ampliação dos
trabalhos para atender um número maior
de mulheres e para a implementação das
ações propostas pelo grupo. Acreditamos
que por o projeto propor sensibilização
das mulheres com relação ao seu valor e
52
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
a sua capacidade de transformação social,
o principal resultado não é produto visível
e os resultados mais relevantes se dão
no âmbito comportamental e atitudes de
empoderamento.
Outra dificuldade é manter o grupo
motivado, o que exige um grande esforço
tanto do CAT como daquelas mulheres
que se destacaram dentro do grupo
como líderes. Durante os quatro anos de
desenvolvimento deste projeto verificamos
que o número de integrantes que participam
efetivamente do trabalho varia devido a
diversos fatores como: a influência negativa
ou a falta de apoio de seus companheiros
com relação a participação das mulheres
nas reuniões/palestras, isto, tanto junto ao
grupo da agricultura familiar como junto
ao grupo das grandes proprietárias rurais;
a falta de paciência do grupo em atingir
seus objetivos, como é o caso da captação
de recursos para a construção da cozinha
comunitária.
Como perspectivas futuras, a intenção é
continuarcomotrabalhodeempoderamento
das mulheres do meio rural bem como
conseguir colocar a Associação das
Mulheres de volta ao funcionamento até o
final de 2015. Como meta, o projeto quer
aumentar em 30% a renda das participantes
da Associação até julho de 2016.
Como outros agentes ligados à
agricultura e aos produtores rurais
podeminiciarumprogramadesus-
tentabilidade como este e inseri-lo
em sua rotina de trabalho?
Consideramos este projeto de grande
relevância e de fácil aplicabilidade em
qualquer região do país, uma vez que várias
entidades - como a FAO, ONU Mulher
e o Ministério da Agricultura, Pecuária
e Abastecimento através do Programa
Coopergênero/Denacoop - reconhecem a
importância e a necessidade de se trabalhar
com questões de gênero, tendo em vista
que a realidade apontada pelas mulheres
da área rural de Sorriso/MT se repete pelo
mundo.
Opassoapassoparainiciarumprograma
como este é simples e a metodologia para
tal já está amplamente estabelecida. O
aspecto do “novo” é abordar justamente
a questão do gênero e colocar a mulher
como ente fundamental na promoção da
sustentabilidade, usar os aspectos inerentes
à condição da mulher como: a maternidade,
o cuidado com a família, a sensibilidade e
a maior facilidade em trabalhar em grupo.
Levando-seemconsideraçãoestesaspectos
o processo segue o caminho normal:
53
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
1.	 Identificação de um problema co-
mum
2.	 Elaboração de um rascunho de pro-
jeto para solucionar o problema de forma
PARTICIPATIVA com a comunidade/grupo;
3.	 Apresentação e validação do projeto
junto a comunidade e uma ação que sim-
bolize o comprometimento da comunidade
com o trabalho a ser realizado;
4.	 Apresentação do projeto para socie-
dade em geral para captação de recursos e
parcerias;
5.	 Organização de um evento de lança-
mento oficial do projeto para a criação de
um marco histórico junto ao grupo envolvi-
do e a sociedade em geral;
6.	 Engajamento contínuo da comunida-
de;
7.	 Implementação do projeto e avalia-
ção;
Ponto essencial a ser frisado é a
constante participação da comunidade em
todas as partes da elaboração do projeto
e de seu desenvolvimento, inclusive com
a delegação de responsabilidades para
pessoas que se destaquem como líderes
neste processo. A constante divulgação do
andamento do projeto para a sociedade em
geral é ponto fundamental, porque trabalha
com a autoestima dos participantes e faz
com que a sociedade se torne um agente
de monitoramento do projeto.
54
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
Case summary
The Project “Farm Women: the female
strength in action for a sustainable
development” started in 2009 after an
evaluation with a group of 30 agricultural
producers regarding women’s participation
in agribusiness in the Sorriso municipality,
State of Mato Grosso - MT. The main
results of this evaluation have shown that
women felt “excluded” and undervalued in
the agricultural field, and they would like
to have a more effective participation in
the promotion of sustainability. Upon the
identification of these problems, the Project
“Farm Women” started.
The Project suggested a number of
training courses targeted to these women,
and which focused on issues related to
leadership, rural property management and
women’s role in society at present.
Due to the women’s participation in the
courses and the increasing value assigned
to them as individuals and as agents of
social transformation, the group considered
actions that focused on the promotion of
sustainability, and these actions have been
developed throughout the last years. In
2010 it was held the 1st Forum “Building a
Better Future”.
In 2011, the group adopted the cause
of selective waste collection in rural
properties, and in 2012, they started to
use organic waste composting as fertilizer
in the vegetable gardens in these rural
properties. In 2013, the focus was the
issue of domestic violence, and in 2014
the focus has been on the reactivation of
the Associação Produtiva das Mulheres da
Poranga [Productive Association of Women
in Poranga]. Poranga is a popular name
given to the Assentamento Jonas Pinheiro
(Sorriso - MT) [Jonas Pinheiro Settlement].
The project’s objective is to produce
goods derived from milk, sugar cane and
pulps of native fruits of the Cerrado. This
Association has existed since 2007, and
the group’s intention is to restructure it
and to motivate the women, so it resumes
its effective operation, fostering income
generation for the rural producers in the
municipality.
Why was the sustainability pro-
gram created?
The Clube Amigos da Terra - CAT -
[Friends of the Earth Club] is an association
consisted of family-based agricultural
producers located in the municipality of
Sorriso - MT, and its main action focuses
on socio-environmental projects connected
55
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
to Environmental Education and support to
rural producers, in order to promote overall
sustainability.
Sorriso is the world’s largest soybean
producer and its economy is based on
agriculture. In this context, the CAT had the
idea of working with farm women and using
the image that women commonly have as
“mothers”, “protectors” and “care takers”,
to design a campaign related to these
producers, who were working on the land
without degrading the environment. The idea
was to invite these producers to participate
more actively in the CAT. However, during a
meeting with a group of 30 farm women it was
evident that the concern with their image was
not a priority.
Other problems, like prejudice, land
ownership, long work hours - both at home
and on the fields -, lack of support, and
depreciation inside and outside of the rural
properties were also mentioned. On the other
hand, the group showed that they would like
to participate, give their opinion and be more
active. During these debates, the CAT and the
Sorriso Rural Labor Union decided to adopt
the rural producers’ cause.
From that moment on, the Project Farm
Women was created. Its objective was to
work with the producers and to address
issues related to leadership and self-esteem,
as well as to train them for agribusiness and
for sustainable development. This way, they
could feel safer and they could become the
agents to foster sustainability within the
municipality.
Who benefits from this program,
and how?
The Project mainly benefits the female
rural producers of Sorriso - MT. These
workers can be either from family-based
agriculture or from large scale agriculture,
making a total of approximately 50 women.
In general, they are between 35 till 40
years old, married, and immigrants from the
southern region of Brazil. They usually have
2 or 3 children. Within the group of women
who work with soybean production, most of
them have concluded high school and some
have finished college.
The group of women from family-based
agriculture is distributed in the Settlements
Jonas Pinheiro - Poranga (216 families);
Casulo (26 families), and Santa Rosa II
(177 families). Most of them have concluded
primary school, and there are younger
women (the producers’ daughters) who are
currently attending high school. The family
income is about R$1.500,00 generated
from the production of vegetables and
56
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
fruits. Some families rely on an older family
member’s retirement income to add to their
income.
In the beginning of this project (2010),
the main benefits offered to these women
were courses and lectures (total 10) that
approached including technical subjects,
such as rural property management,
leadership and cooperativism, to issues
related to gender, such as women
empowerment and women’s role in society.
Then, from 2011 on, after the elaboration of
the Carta da Terra do Médio Norte do MT
[Open Letter from the Mid-northern Mato
Grosso], a guideline for the group’s future
actions to foster a sustainable development,
began the actions undertaken by rural
women in their communities.
The CAT gives all the necessary support
so that the group’s proposals come to life,
from the elaboration of projects and support
to raise funds to make things happen in the
fields, to the support to women’s movements
and the society in general, as well as a
support from governmental agencies. Thus,
the biggest benefit is to show these women
that, with the development of autonomy,
they have the power to change their socio-
economic reality, by means of proactive
attitude and group cohesion.
How does the program work?
The program originated from the
identification of problems that were common
to women from family-based agriculture and
to those working in large scale agriculture.
Upon the identification of these problems,
together with the group of 30 women, the
possible solutions were discussed, and
with the group’s active participation, it was
created the Project “Farm Women: the
female strength in action for a sustainable
development”. With this project in hand,
the CAT presented it to various public and
private agencies, such as: Rural Labor
Union, Municipial Secretariat of Agriculture
and the Environment, National Service of
Agricultural Learning - SENAR, and the
Association of the Producers of Soybean
and Corn of Mato Grosso - APROSOJA.
The Project has proved itself in all
possible ways due to these reasons: it
was elaborated by a group of people from
the local community, and not only from a
single person or agency; its application was
simple; its theme is a crucial and current
matter nowadays; and it has brought the
discussion regarding prejudice against
women to light. For all these reasons, the
Project made it possible to raise funds and
establish partnerships for its operation.
57
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
As the project was approved by the
community, in 2010 a new effort among the
women was made in order to launch the
project officially and to produce a schedule
of the courses to be offered throughout the
year. Most courses were offered free of
charge to the women. These courses had
the support from the SENAR, the Ministry
of Agriculture and Supply - MAPA, and the
APROSOJA, which supplied instructors,
lecturers and venues for the courses
at the CAT- Sorriso. When necessary,
some courses were paid by the private
companies that are the project’s partners.
The courses that were more closely related
to family-based agriculture, such as
cooperativism/associationism, took place
in the rural settlements, with the support
from the Secretariat of Agriculture, which
offered the group of women transportation
to the course venue.
Thus, through the project, more than
300 women were benefitted by means
of courses, seminars and events that
focused on gender and sustainability.
The focus is women’s qualification in
the fields suggested by them, such as
leadership, speaking skills, rural property
management, sustainable practices,
and cooperativism/associationism. The
seminars/forums serve as a place for
discussion and reflection regarding the
women’s role in current society, issues
related to domestic violence and other
gender-based topics.
In November 2010, it was held the 1st
Forum “Building a Better Future”, with the
participation of 150 women from Sorriso
and surrounding areas. On that occasion,
it was elaborated the “Open Letter from
the Women of the Mid-northern Mato
Grosso-MT”, previously mentioned. The
Letter is a guideline for the group, in order
to carry out the actions written therein. In
the end of the Forum, the issue chosen
to be dealt with in 2011 was the selective
waste collection in the rural properties. The
actions were chosen after considering that
it would be simple and easy for the women
to establish it first in their own homes, and
then in their communities, neighborhoods,
municipalities and so on.
In 2011, it was elaborated the project
“Awareness is Necessary”, whose
objective is the selective waste collection in
the rural properties where the participating
women live, and to bring this discussion
to the public power and to the society in
general, as this problem has been mostly
ignored.
The process for establishing this project
followed the same steps of the previous
58
Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
ones, that is, collectively choosing the
problem to be solved, elaborating the
project, presenting it to the women’s
group, evaluating the group’s commitment
to the work, searching partnerships and
supporters (both in the public and private
areas), establishing the project, presenting
the results and the work’s evaluation
(during the Forums “Building a Better
Future”). The project has continued like
this until today.
In 2012, the topic approached was
domestic violence. Many campaigns to
raise women’s awareness were conducted.
These campaigns included participation in
lectures about the topic, specific actions on
Women’s Day and the presentation of the
project in other towns like Nova Ubiratã,
Ipiranga do Norte, and Sinop.
Currently, the focus of the project is on the
reorganization of the Productive Association
of Women in Poranga, in order to make it
operate effectively. This Association has
not been operating since 2007, due to the
lack of a community kitchen to manufacture
the products derived from milk, sugar cane
and pulp of the fruits native of the Cerrado.
With the project’s support, the group has
already chosen the new president, made
official all the association’s documents and
is currently giving support in order to raise
funds to build a community kitchen. In this
case, the female workers from large scale
agricultural production are giving support to
the family-based producers, aiming at the
latter’s better quality of life.
What were the challenges in
program implementation, to
keep it running, and what are its
future perspectives?
The project has only become possible
due to the partnerships formed between
the CAT and the local companies that
had provided for the resources needed
to conduct the courses and events for
the women. Some of these partners are
Agrobaggio, the Grupo Amazônia, the
AGRISUS Foundation - Sustainable
Agriculture; the SENAR, the Sorriso City
Hall, APROSOJA, and the Rural Labor
Union. Moreover, we have had the
support from the Ministry of Agriculture
and Supply - MAPA, by means of its
Secretariat of Agricultural Development
and Cooperativism-SDC/Department of
Cooperativism and Rural Associationism
- DENACOOP, also from the Regional
MT and the Agriculture and Livestock
Federation of the Mato Grosso State -
FAMATO.
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoIAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoAgricultura Sao Paulo
 
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)Luiz Valeriano
 
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025Rural Pecuária
 
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizadoAs perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizadoAgriculturaSustentavel
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Juliano Hoffmann
 
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 Batata
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 BatataBoletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 Batata
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 BatataMarkEsalq
 
Sumário Gir Leiteiro 2015
Sumário Gir Leiteiro 2015Sumário Gir Leiteiro 2015
Sumário Gir Leiteiro 2015Rural Pecuária
 
Revista Indicadores da Agropecuária
Revista Indicadores da AgropecuáriaRevista Indicadores da Agropecuária
Revista Indicadores da AgropecuáriaRural Pecuária
 
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da AgropecuáriaEdição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da AgropecuáriaRural Pecuária
 
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...Rural Pecuária
 
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]Abel Zito Buce
 
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015Rural Pecuária
 
Informe rural - 10/04/2013
Informe rural - 10/04/2013Informe rural - 10/04/2013
Informe rural - 10/04/2013Informe Rural
 

Mais procurados (20)

IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigoIAC produz 320 toneladas de semente de trigo
IAC produz 320 toneladas de semente de trigo
 
Clipping cnc 19022015 versão de impressão
Clipping cnc 19022015   versão de impressãoClipping cnc 19022015   versão de impressão
Clipping cnc 19022015 versão de impressão
 
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)
Projeções do agronegócio 2016-2017 a 2026-2027 (versão preliminar)
 
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025
Projeções do Agronegócio 2014/2015 a 2024/2025
 
Gergelin
GergelinGergelin
Gergelin
 
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizadoAs perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
As perspectivas das commodities agrícolas no mercado globalizado
 
Growth Week 2011: Country Session 1 - Mozambique
Growth Week 2011: Country Session 1 - MozambiqueGrowth Week 2011: Country Session 1 - Mozambique
Growth Week 2011: Country Session 1 - Mozambique
 
Clipping cnc 08052017 versão de impressão
Clipping cnc 08052017   versão de impressãoClipping cnc 08052017   versão de impressão
Clipping cnc 08052017 versão de impressão
 
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
Apresentação do agronegócio brasileiro senadora Kátia Abreu - português 05.08...
 
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 Batata
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 BatataBoletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 Batata
Boletim MarkESALQ ano 3 nº12/Agosto 2015 Batata
 
Sumário Gir Leiteiro 2015
Sumário Gir Leiteiro 2015Sumário Gir Leiteiro 2015
Sumário Gir Leiteiro 2015
 
Introdução a apicultura
Introdução a apicultura Introdução a apicultura
Introdução a apicultura
 
Revista Indicadores da Agropecuária
Revista Indicadores da AgropecuáriaRevista Indicadores da Agropecuária
Revista Indicadores da Agropecuária
 
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da AgropecuáriaEdição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
Edição de setembro da Revista Indicadores da Agropecuária
 
AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014AGRO FESCAFÉ 2014
AGRO FESCAFÉ 2014
 
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...
Sumário de Touros Girolando Resultado do Teste de Progênie 3ª Prova de Pré-Se...
 
Proooontoooo
ProooontooooProooontoooo
Proooontoooo
 
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]
Manual de formacao_de_tecnicos_de_campo[2]
 
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015
Sumário de Avaliação Genética das Vacas Girolando - Julho/2015
 
Informe rural - 10/04/2013
Informe rural - 10/04/2013Informe rural - 10/04/2013
Informe rural - 10/04/2013
 

Semelhante a Gestão Sustentável na Agricultura

2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"
2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"
2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"Rural Pecuária
 
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Lela Gomes
 
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026Rural Pecuária
 
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da EmbrapaBPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapaprobarra
 
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...cbsaf
 
Agricultura orgânica e produção integrada diferenças e semelhanças
Agricultura orgânica e produção integrada  diferenças e semelhançasAgricultura orgânica e produção integrada  diferenças e semelhanças
Agricultura orgânica e produção integrada diferenças e semelhançasJoão Siqueira da Mata
 
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 20174°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017Luiz Valeriano
 
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018Luiz Valeriano
 
Projeções Agronegócio 2012 - 2022
Projeções Agronegócio 2012 - 2022Projeções Agronegócio 2012 - 2022
Projeções Agronegócio 2012 - 2022pepontocom
 
Manual de Boas Práticas: Agroindústria Familiar
Manual de Boas Práticas: Agroindústria FamiliarManual de Boas Práticas: Agroindústria Familiar
Manual de Boas Práticas: Agroindústria FamiliarCinara Tanhote Sousa
 
Informe Rural - 03/10/13
Informe Rural - 03/10/13Informe Rural - 03/10/13
Informe Rural - 03/10/13Informe Rural
 
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...iicabrasil
 
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronaf
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronafAgronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronaf
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronafequipeagroplus
 
Plano de investimento dnsv 14082012 final
Plano de investimento dnsv 14082012 finalPlano de investimento dnsv 14082012 final
Plano de investimento dnsv 14082012 finalPaulo Josefe Veloso
 
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)razasbovinasdecolombia
 
Perfil institucional SAR
Perfil institucional SARPerfil institucional SAR
Perfil institucional SARMarcos Vanzin
 

Semelhante a Gestão Sustentável na Agricultura (20)

2 edicao gestao-sustentavel completo
2 edicao gestao-sustentavel completo2 edicao gestao-sustentavel completo
2 edicao gestao-sustentavel completo
 
2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"
2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"
2ª edição do livro "Gestão Sustentável na Agricultura"
 
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
Youblisher.com 1132002-terra cia-edi_o_194
 
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026
MAPA disponibiliza projeção do Agronegócio 2016/2026
 
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da EmbrapaBPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
BPA - Manual de boas práticas bovino de corte da Embrapa
 
Agronomia
AgronomiaAgronomia
Agronomia
 
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
 
Agricultura orgânica e produção integrada diferenças e semelhanças
Agricultura orgânica e produção integrada  diferenças e semelhançasAgricultura orgânica e produção integrada  diferenças e semelhanças
Agricultura orgânica e produção integrada diferenças e semelhanças
 
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 20174°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017
4°Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - Dezembro 2017
 
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018
Acompanhamento da Safra Brasileira de Café - 4º Levantamento - Dezembro 2018
 
Projeções Agronegócio 2012 - 2022
Projeções Agronegócio 2012 - 2022Projeções Agronegócio 2012 - 2022
Projeções Agronegócio 2012 - 2022
 
Manual de Boas Práticas: Agroindústria Familiar
Manual de Boas Práticas: Agroindústria FamiliarManual de Boas Práticas: Agroindústria Familiar
Manual de Boas Práticas: Agroindústria Familiar
 
MSU/IFPRI Conference Agenda (Nov 20, 2014)
MSU/IFPRI Conference Agenda (Nov 20, 2014)MSU/IFPRI Conference Agenda (Nov 20, 2014)
MSU/IFPRI Conference Agenda (Nov 20, 2014)
 
Informe Rural - 03/10/13
Informe Rural - 03/10/13Informe Rural - 03/10/13
Informe Rural - 03/10/13
 
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
Agricultura familiar e desenvolvimento territorial: um olhar da Bahia sobre o...
 
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronaf
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronafAgronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronaf
Agronegócio familiarmg artigo_sãom_iguelantapronaf
 
Plano de investimento dnsv 14082012 final
Plano de investimento dnsv 14082012 finalPlano de investimento dnsv 14082012 final
Plano de investimento dnsv 14082012 final
 
Plano nacional de agroenergia
Plano nacional de agroenergiaPlano nacional de agroenergia
Plano nacional de agroenergia
 
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)
Boas praticas agropecuarias bovinos de corte (brazil)
 
Perfil institucional SAR
Perfil institucional SARPerfil institucional SAR
Perfil institucional SAR
 

Mais de Rural Pecuária

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Rural Pecuária
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).Rural Pecuária
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Rural Pecuária
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Rural Pecuária
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalRural Pecuária
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...Rural Pecuária
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Rural Pecuária
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorRural Pecuária
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaRural Pecuária
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoRural Pecuária
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasRural Pecuária
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Rural Pecuária
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Rural Pecuária
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...Rural Pecuária
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Rural Pecuária
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovadoRural Pecuária
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelRural Pecuária
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesRural Pecuária
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteRural Pecuária
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corte
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 

Gestão Sustentável na Agricultura

  • 1.
  • 2. 1 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Gestão Sustentável na Agricultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento de Gestão Estratégica Brasília Mapa 2015
  • 3. 2 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 © Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte. A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens desta obra é da instituição participante. 3ª edição. Ano 2015 Ministra: Katia Abreu Secretária Executiva: Mila Jaber Publicação e Distribuição: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA Departamento de Gestão Estratégica Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400 CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil Tel: (61) 3218-2493 wwww.agricultura.gov.br Departamento de Gestão Estratégica – DGE Diretor: Alexandre Gedanken Equipe Técnica: Alessandra Vizcarra Tumba Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizador) Marília Pereira Carvalho Paulo Alexandre Meneses Mendes Uander Gonçalves dos Anjos Vinicius Augusto de Sá Comissão de Avaliação: Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA Bernardete Neves - FAO Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA José Garcia Gasques – SPA/MAPA Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA Editoração Gráfica Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA Catalogação na Fonte Biblioteca Nacional de Agricultura – BINAGRI Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Gestão sustentável na agricultura = sustainable management in agriculture / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão Estratégica. – 3. ed. – Brasília : MAPA/ACS, 2015. 203 p. ISBN 978-85-7991-099-9kelly.lemo 1. Agronegócio. 2. Desenvolvimento econômico. 3.Comércio. I. Assessoria de Gestão Estratégica. II. Título III. Gestión sostenible em la agricultura . AGRIS E71 CDU 339.56
  • 4. 3 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Sustainable Management in Agriculture Ministry of Agriculture, Livestock and Supply Strategic Management Department Brasília Mapa 2015
  • 5. 4 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 © Ministry of Agriculture, Livestock and Supply. All rights reserved. Allowed to reproduce as long as the source is cited. The participating institutions in this publication are responsible for texts and images copyright of their cases. 3rd edition, 2015 Minister: Katia Abreu Vice Minister: Mila Jaber Publishing and Distribution MINISTRY OF AGRICULTURE, LIVESTOCK AND SUPPLY Strategic Management Department Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400 CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil Tel: (61) 3218-2493 wwww.agricultura.gov.br Strategic Management Department - DGE Head: Alexandre Gedanken Technical Team: Alessandra Vizcarra Tumba Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizer) Marilia Pereira Carvalho Paulo Alexandre Meneses Mendes Uander Gonçalves dos Anjos Vinicius Augusto de Sá Evaluation Committee: Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA Bernardete Neves - FAO Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA José Garcia Gasques – SPA/MAPA Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA Graphic Editing Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA
  • 6. 5 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Gestión Sostenible en la Agricultura Ministerio de la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento Departamento de Gestión Estratégica Brasília Mapa 2015
  • 7. 6 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 © Ministerio de la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento. Todos los derechos reservados. Se permite la reproducción citando la fuente. La responsabilidad por los derechos autorales de textos e imágenes de esta obra es de la institución participante. 3ª edición. Año 2015 Ministra: Katia Abreu Secretaria Ejecutiva: Mila Jaber Publicación y Distribución: MINISTÉRIO DE LA AGRICULTURA, PECUARIA E ABASTECIMIENTO - MAPA Departamento de Gestión Estratégica Esplanada dos Ministérios, Bloco D – 4º Andar – Sala 400 CEP: 70043-900 Brasília – DF - Brasil Tel: (61) 3218-2493 wwww.agricultura.gov.br Departamento de Gestión Estratégica - DGE Director: Alexandre Gedanken Equipo Técnico: Alessandra Vizcarra Tumba Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas (Organizador) Marília Pereira Carvalho Paulo Alexandre Meneses Mendes Uander Gonçalves dos Anjos Vinicius Augusto de Sá Comité de Evaluación: Ayrton Jun Ussami – CGAC/MAPA Bernardete Neves - FAO Gilberto Carlos Cerqueira Mascarenhas – CIG/MAPA José Garcia Gasques – SPA/MAPA Patrícia Metzler Saraiva – CIG/SDC/MAPA Paulo Alexandre Mendes –DGE/MAPA Reinaldo Carvalho Vergara – DIEL/SDC/MAPA Edición Gráfica Marco Antonio Tubino – SPA/MAPA
  • 8. 7 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 APRESENTAÇÃO A agropecuária brasileira, através de seus contínuos ganhos de produção e de produtividade, vem contribuindo de forma relevante para a segurança alimentar do País e, ao mesmo tempo, desempenhando a função de suprir o mundo com alimentos, biocombustíveisefibras.Nasafra2013/2014 a produção brasileira dos principais alimentos mais consumidos no mundo – milho, trigo, arroz, feijão, soja, carne bovina, suína e de aves – foi da ordem de 213 milhões de toneladas. Dessa produção, 66% dos grãos e 75% das proteínas foi destinado ao abastecimento do mercado interno, demonstrando a importante função da agropecuária no contexto da segurança alimentar brasileira, prioritariamente. Por força desse dinamismo, o setor agropecuário gera sucessivos e crescentes excedentes exportáveis que contribuem de forma significativa para a composição do superávit da balança comercial brasileira. Importante salientar que esse desempenho positivo no abastecimento dos mercados não se pautou pela abertura de novas áreas, mas sim nos incrementos crescentes de produtividade. Nesse quesito, o setor agropecuário brasileiro supera em eficiência de produção os principais países produtores, sendo que investimentos em pesquisa agropecuária, empreendedorismo por parte dos produtores, bem como as políticas setoriais adequadas foram os fatores que alicerçaram esse desempenho. Ganhos de produtividade que possibilitem a redução do uso de terras e viabilizem o abastecimento da população e, ainda, a geração de excedentes exportáveis,sãocoerentescomosobjetivos de segurança e soberania alimentar, principalmente quando alinhados com uma perspectiva que vise à sustentabilidade da atividade agropecuária. Dessa forma, o atual protagonismo do Brasil em foros internacionais afins a temas como as mudanças climáticas, o uso eficiente dos recursos naturais e a manutenção da biodiversidade devem se refletir no campo da produção agropecuária e no estabelecimento de programas, iniciativas e políticas agrícolas que tenham como base tecnologias coerentes com esses objetivos. Assim, o desenvolvimento de modelos de produção com graus crescentes de sustentabilidade tornou- se objetivo prioritário do Ministério da Agricultura e isso tem sido evidenciado através de seus programas voltados para a produção orgânica, a agricultura de baixo carbono, a produção integrada, as boas práticas agrícolas e o fomento às Indicações Geográficas, dentre outros.
  • 9. 8 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Convergente com esses objetivos, a presente publicação busca divulgar e dar visibilidade a iniciativas de gestão na agricultura oriundas de organizações públicas e privadas que constituem casos exemplares de ganhos econômicos, sociais e ambientais incorporando uma perspectiva dinâmica de sustentabilidade. Nesse sentido, o papel do Ministério da Agricultura na construção, monitoramento e gestão das políticas públicas setoriais e na execução de programas é reforçado com a divulgação dessas experiências, as quais refletem, em diversos níveis e dimensões, a nossa missão institucional de promover o desenvolvimento sustentável e a competitividade do agronegócio em benefício da sociedade brasileira.
  • 10. 9 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 FOREWORDS Throughitscontinuousgainsinproduction and productivity, the Brazilian agriculture contributes significantly to the country’s food security and plays the role of providing the world with food, biofuel and fibers. In the crop 2013/2014 the Brazilian production of the main most consumed food in the world – corn, wheat, rice, beans, soy beans, beef, pork and chicken – was of the order of 213 million tons. Of this production, 66% of grains and 75% of protein were destined to supply the domestic market, showing the important role of agriculture in the context of Brazilian food security. Consistent with this dynamism, the agricultural sector has generated successive and growing surpluses, which contributes significantly to the Brazilian trade balance surplus. It is important to point out that this positive performance in domestic and foreign market supply was not guided by the clearing of new areas, but by increasing gains in productivity. Concerning this issue, the Brazilian agricultural sector surpasses in terms of production efficiency the major producer countries. To achieve this behavior, investments in agricultural research, entrepreneurship of producers, as well as adequate sector policies were the main factors. Gains in productivity that allow the reduction in land use, providing adequate supply of the population and the generation of exportable surpluses, are coherent with objectives of food security and sovereignty, especially when aligned with a sustainability perspective in agriculture. In that line, the current prominence of Brazil in international forums related to climate change, efficient use of natural resources and maintenance of biodiversity should reflect on agricultural production through programs and policies based on technologies compatible with these objectives. Thus, the development of production models with increasing levels of sustainability has become a priority goal of the Ministry of Agriculture and that has been reflected through its programs directed to organic production, low carbon agriculture, integrated fruit production, best agricultural practices and the support to geographical indications, among others. Converging to these objectives, this publication aims to disseminate and give visibility to initiatives of management in agriculture coming from private and public organization, that are successful cases of economic, social and environmental gains from a dynamic perspective of sustainability. In this sense, the role of Ministry of Agriculture on the construction, monitoring and management of agricultural public
  • 11. 10 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 policies and on the execution of programs is reinforced with the dissemination of these experiences, which reflect, in several levels and dimensions, our institutional mission of promoting sustainable development and the competitiveness of the agribusiness for the benefit of Brazilian society.
  • 12. 11 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 PRESENTACIÓN La agropecuaria brasileña, a través de sus continuos incrementos de producción y de productividad, contribuye de manera relevante para la seguridad alimentaria del país y, al mismo tiempo, desempeña la función de abastecer el mundo con alimentos, biocombustibles y fibras. En la cosecha 2013/2014 la producción brasileña delosprincipalesalimentosmásconsumidos en el mundo – maíz, trigo, arroz, frijol, soja, carne bovina, de cerdo y de aves – fue del orden de 213 millones de toneladas. De esa producción, 66% de los granos y 75% de las proteínas fueron destinados al suministro para el mercado interno, demostrando la importante función de la agropecuaria en el contexto de la seguridad alimentaria brasileña, prioritariamente. En virtud de ese dinamismo, el sector agropecuario genera sucesivos excedentes exportables, que contribuyen de manera considerable para la composición del superávit de la balanza comercial brasileña. Es importante destacar que este desempeño positivo en el abastecimiento de los mercados no se ha guiado por la apertura de nuevas áreas, pero por los crecientes incrementos de productividad. En esta cuestión, el sector agropecuario brasileño supera en eficiencia de producción los principales países productores, siendo que los investimentos en investigación agropecuaria, las iniciativas empresariales por parte de los productores, así como políticas sectoriales adecuadas, fueron los principales factores que contribuyeron a este desempeño. Aumentos de productividad que posibiliten la reducción del uso de tierras y faciliten el abastecimiento de la población y también la generación de excedentes exportables son coherentes con los objetivos de seguridad y soberaníaalimentaria,principalmentecuando alineados con una perspectiva que busque la sostenibilidad de la actividad agropecuaria. En este ámbito, el actual protagonismo del Brasil en foros internacionales afines a asuntos como cambios climáticos, el uso eficiente de los recursos naturales y la manutención de la biodiversidad se refleten en el sector de la producción agropecuaria se ha reflejado en el establecimiento de programas, iniciativas y políticas agrícolas tiendo como base tecnologías coherentes con estos objetivos. De esa manera, el desarrollo de los modelos de producción con niveles crecientes de sostenibilidad se volvió objetivo prioritario del Ministerio de Agricultura y ha sido evidenciado a través de sus proyectos relacionados a la producción orgánica, la agricultura con bajo nivel de carbono, la producción integrada de
  • 13. 12 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 alimentos, las buenas prácticas agrícolas y el fomento a las indicaciones geográficas, entre otros. Convergente con estos objetivos, la presente publicación busca divulgar y dar visibilidad a iniciativas de gestión en la agricultura, procedentes de organizaciones privadas y públicas, que son ejemplos de ganancias económicas, sociales y ambientales. Así, el papel del Ministerio de la Agricultura en la construcción, monitoreo y gestión de las políticas públicas sectoriales y en la ejecución de programas se refuerza con la divulgación de esas experiencias, las cuales reflejan, en diversos niveles y dimensiones, nuestra misión institucional de promover el desarrollo sostenible y la competitividad del agro negocio en beneficio de la sociedad brasileña.
  • 14. 13 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
  • 15. 14 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 152 138 Agricultura Sustentável no Oeste Paranaense: 11 anos de boas práticas Carne Suína Autossustentável Unidades Multiplicadoras de Tecnologias Socioambientais (UMTS) Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas do Estado do Rio de Janeiro - RIO RURAL Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS) 45 101 121 190 170 84 68 25 Sumário Água Brasil Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo desenvolvimento sustentável Projeto Abelha - Aliadas da natureza Balde Cheio Café em Agrofloresta para o Fortalecimento da Economia de Baixo Carbono em Apuí,Amazonas
  • 16. 15 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015
  • 17. 16 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 INTRODUÇÃO O periódico Gestão Sustentável na Agricultura é uma publicação anual do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que tem como objetivo divulgar iniciativas exemplares de gestão no setor agropecuário com enfoque na sustentabilidade. Tendo em vista a necessidade de alcançar um público mais amplo, os casos são também narrados em inglês e, distintamente nesta edição, em língua espanhola. A sustentabilidade é aqui considerada como um construto dinâmico com diferentes níveis, dimensões e atores (antrópicos e ecossistêmicos). Adotam-se as premissas da substituição limitada de fatores como trabalho, capital e recursos naturais, da existência de estoques críticos de ativos como qualidade do clima, ar, água, solos e biodiversidade e que o bem estar (well-being) deriva de um conjunto de condições de natureza social, psicológica, cultural, organizacional, participativa e autonômica não se limitando apenas à riqueza ou ao consumo. No âmbito das iniciativas analisadas, os recursos e atores são considerados como estoques e as intervenções das empresas e instituições, como fluxos. Dessa forma, o que se busca evidenciar é como as iniciativas de gestão na agricultura, os fluxos, afetam os estoques de capitais - físico, financeiro, ecossistêmico, social e cultural - existentes na área de atuação ou no ambiente interno de cada organização, numa perspectiva de sustentabilidade. Os casos avaliados em cada edição inserem-se no contexto da complexidade das diversas funções do setor agropecuário brasileiro e integram um universo onde atuam pequenas médias e grandes organizações ligadas às atividades de produção, beneficiamento, transformação, distribuição e serviços em um país de dimensões continentais. Selecionar casos de gestão sustentável num contexto tão rico e diverso é por si só um grande desafio, o que demanda um olhar atento para essa complexidade no sentido de propiciar, por um lado, um processo de seleção que possibilite a participação dos diversos tipos de atores e atividades e, por outro, o estabelecimento de critérios adaptáveis às diferentes realidades, regiões, portes de iniciativa e setores das cadeias produtivas. Com base no exposto, são considerados tanto critérios eliminatórios quanto classificatórios. Com relação aos primeiros, asexigênciassãoocumprimentodasnormas do edital da publicação, que as iniciativas tragam benefícios efetivos às organizações
  • 18. 17 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 ou ao público-alvo considerado, e que os casos reflitam ações voltadas para a sustentabilidade e sejam inovadores, não se limitando ao cumprimento de legislações específicas referentes à atividade em si. No âmbito dos critérios, avaliam-se a existência e aplicabilidade da gestão, a natureza e o grau dos benefícios proporcionados pelas iniciativas, seus efeitos atuais e potenciais no âmbito das dimensões social, econômica e ambiental da sustentabilidade, bem como o seu potencial de autonomização, ou seja, sua capacidade de continuidade, progressividade e replicabilidade ao longo do tempo, independentemente dos atores ou organizações que se dispuserem a adotá- los. Aavaliação e seleção dos casos desta 3ª edição foram realizadas por uma equipe de sete avaliadores, sendo seis profissionais oriundos de setores do MAPA e um do quadro da FAO. A análise dos casos se deu através do uso de formulários eletrônicos, onde os avaliadores atribuíram notas a critérios predefinidos. A classificação dos casos foi realizada através de programa de computador, de forma automatizada, onde foram apontados os dez casos com maior pontuação. As experiências relatadas abrangem as cinco regiões brasileiras e englobam organizações dos setores público e privado de diversos portes. As iniciativas envolvem, em variados níveis, as dimensões da sustentabilidade e podem ser enquadradas em quatro eixos principais: boas práticas agropecuárias; uso sustentável da água; economias de escopo via integração de atividades; e reciclagem de dejetos/geração de energias alternativas. Essas experiências promoveram ou estimularam geração de trabalho e renda, aumento da autoestima por parte do público envolvido, acesso a mercados, uso sustentável dos recursos naturais, organização coletiva e bem-estar no meio rural, através de diferentes enfoques de gestão sustentável na agricultura. Dessa forma, iniciativas (fluxos) concretizadas através de sistemas agroflorestais, agricultura de baixo carbono, boas práticas de produção, gestão responsável dos recursos naturais e geração de energias alternativas a partir de dejetos, proporcionaram a criação de economias de escopo, redução de custos e sinergias diversas resultando, em diferentes níveis, na manutenção e/ou qualificação dos ativos sociais, ambientais e econômicos (estoques) em cada região envolvida. No âmbito de cada iniciativa, dentre os elementos que sobressaem como fatores
  • 19. 18 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 que impulsionaram os resultados atuais e potenciais, estão a participação do público- alvo nas ações e na gestão, a existência de processos de capacitação participativos, o compromisso e a motivação por parte dos envolvidos, bem como a formação de parcerias e a organização sócio-produtiva, visando ao enfrentamento dos desafios e a busca por perenização dos resultados. Mesmo considerando que as diversas experiências não são automaticamente replicáveis tendo em vista os diferentes contextos socioeconômicos e ambientais de cada região, bioma ou país, esperamos que a divulgação desses casos possa estimular adequações ou mesmo iniciativas convergentesporpartedeprodutores,outros atores da cadeia produtiva e organizações relacionadas, numa perspectiva de gestão sustentável no setor agropecuário.
  • 20. 19 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 INTRODUCTION The annual publication “Sustainable Management in Agriculture” of Ministry of Agriculture, Livestock and Food Supply aims to disseminate exemplary initiatives of management in agricultural sector focused on sustainability. Considering the need to reach a wider audience, the cases are reported in English and, especially in this edition, in Spanish. Sustainability is here considered a dynamic construct with different levels, dimensions and actors (human and ecosystem). We adopt the premises of limited substitution of factors as work, capital and natural resources, the existence of critical stocks of actives as climatic conditions, air, water, soil and biodiversity and that well-being derives from a set of conditions of social, psychological, cultural, organizational, participatory and autonomic nature, not limited to richness or consumption. Within the analyzed initiatives, resources and actors are considered stocks and the interventions of companies and institutions as flows. Thus, we seek to analyze how initiatives of management in agriculture (flows), affect different types of capital, as physical, financial, ecosystem, social and cultural (stocks), in the scope of a concerned activity or in the internal environment of each organization, from the perspective of sustainability. The cases evaluated are inserted in the context of complexity of the Brazilian agricultural sector and integrate a universe where small, medium-sized and large organizations are connected to the activities of production, processing, transformation, distribution and services in a continent-sized country. Selecting cases of sustainable management in such miscellaneous context is a big challenge, demanding a closer look to this complexity in order to propitiate, on the one hand, a selection process that allows the participation of different types of actors and activities and, on the other, the establishment of criteria adaptable to different realities, regions, sizes of activities and supply chain sectors. Based on this, both eliminatory and classifying criteria are considered. Concerning the former, the main requirements are the compliance with rules of the public notice, real benefits to organizations or target audience, effective actions towards sustainability and innovative initiatives, not limited to compliance with environmental and social standards under the laws. In the context of criteria, we evaluate the existence and applicability of the management, the nature and extent of
  • 21. 20 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 the benefits provided by the initiatives, their current and potential effects within the social, economic and environmental sustainability dimensions, as well as its potential for empowerment i.e. continuity capability, progressiveness and reproducibility over time, regardless of the types of actors or organizations that are willing to adopt them. Under these conditions, the cases in this 3rd edition were evaluated and selected by a team of seven judges: six from MAPA e one of FAO. The case analysis was done through the use of electronic forms, where the evaluators attributed notes based on predefined criteria. The classification of cases was performed by a computer program in an automated manner, where the ten with the highest score were appointed. The reported experiences covered the five Brazilian regions and encompassed both public and private organizations. These initiatives involved, in different levels, the dimensions of sustainability and can be framed in four main focuses: good agricultural practices; sustainable use of water; economies of scope through the integration of activities; and waste recycling/generation of alternative energies. These initiatives promoted or stimulated, in different levels, generation of jobs and income, increased self- esteem by the public concerned, market access, sustainable use of natural resources, collective organization and well-being in rural areas, through its different focuses of sustainable management in agriculture. As result, the undertaken initiatives (flows) by using agro forestry systems, low-carbon agriculture, good production practices, responsible management of natural resources and generation of alternative energies from animal waste, provided the creation of economies of scope, cost reduction and various synergies contributing, in different levels, to the maintenance and/or qualification of social, environmental and economic local actives (stocks) in each region involved. Within each initiative, among the elements that we can highlight as propelling factors of the current and potential results, are the participation of the target audience in actions and management of the activities, existence of participatory capacity- building processes, commitment and motivation by the parties concerned, as well as search for partnerships
  • 22. 21 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 and strengthening of socio-productive organization, aiming to face challenges and seek the perpetuation of results. Even considering that these experiences can’t be automatically replicable due to the various socioeconomic and environmental contexts in each region or biome, we expect that the dissemination of these cases can stimulate adaptations or even convergent initiatives by producers, other actors of supply chain and related organizations, in the perspective of sustainable management in the agricultural sector.
  • 23. 22 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 INTRODUCCIÓN La publicación anual del Ministerio de la Agricultura, Pecuaria y Abastecimiento “Gestión Sostenible en la Agricultura” tiene como propósito principal divulgar iniciativas ejemplares de gestión en el sector agropecuario enfocadas en sostenibilidad. Teniendo en cuenta la necesidad de alcanzar un público más amplio, los casos son también narrados en inglés y, en esta edición, en lengua española. La sostenibilidad es aquí considerada un constructo dinámico con diferentes niveles, dimensiones y actores (antrópicos y eco sistémicos). Se adoptan las premisas de substitución limitada de factores como trabajo, capital y recursos naturales, de la existencia de stock crítico de activos como calidad del clima, aire, agua, suelos y biodiversidad y que el bienestar deriva de un conjunto de condiciones de naturaleza social, psicológica, cultural, organizacional, participativa y autonómica, que no se limita solo a la riqueza o al consumo. En el ámbito de las iniciativas analizadas, los recursos y actores son considerados stocks y las intervenciones de las empresas e instituciones, como flujos. De esa manera, lo que se busca evidenciar es como las iniciativas de gestión en la agricultura, los flujos,afectanlosstocksdecapitales–físico, financiero, eco sistémico, social y cultural – existentes en el área de actuación o en el ambiente interno de cada organización, en una perspectiva de sostenibilidad. Los casos evaluados en cada edición se insertan en el contexto de la complejidad del sector agropecuario brasileño e integran un universo donde actúan organizaciones pequeñas, medianas y grandes, vinculadas a las actividades de producción, procesamiento, transformación, distribución y servicios en un país de dimensiones continentales. Seleccionar casos de gestión sostenible en un contexto tan rico y distinto esungranreto,loqueexigeunaobservación atenta para esa complejidad en el sentido de propiciar, por un lado, un proceso de selección que posibilite la participación de los diversos tipos de actores y actividades y, por otro, el establecimiento de criterios adaptables a distintas situaciones, regiones, portes de iniciativa y sectores de las cadenas productivas. Sobre esta base, son considerados tanto criterios eliminatorios como clasificatorios. En relación a los primeros, las exigencias son el cumplimiento de las normas de la convocatoria de la publicación, que las iniciativas traigan beneficios efectivos a las organizaciones o al público destinatario considerado, y que los casos reflejan
  • 24. 23 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 acciones con vistas a la sostenibilidad y sean innovadores, sin limitarse al cumplimiento de leyes específicas relativas a la actividad. En el marco de los criterios, se avalúan la existencia y la aplicabilidad de la gestión, la naturaleza y el grado de beneficios proporcionados por las iniciativas, sus efectos actuales y potenciales en el ámbito de las dimensiones social, económica y ambiental de la sostenibilidad, así como su potencial de empoderamiento, es decir, su capacidad de continuidad, progresividad y replicabilidade a lo largo del tiempo, independientemente de los actores o organizaciones que se dispongan a adoptarlos. La evaluación y selección de los casos de esta 3ª edición se realizó por un equipo de siete evaluadores: seis de sectores del MAPA y uno del personal de la FAO. El análisis de los casos se hizo a través del uso de formularios electrónicos, donde los evaluadores atribuyeron calificaciones a criterios predefinidos. La clasificación de los casos fue hecha por programa informático, de manera automatizada, que señaló los diez casos con mayor puntuación. Las experiencias presentadas incluyen las cinco regiones brasileñas y abarcan organizaciones de los sectores público y privado de distintos tamaños. Las iniciativas involucran, en diversos niveles, las dimensiones de sostenibilidad y pueden ser encuadradas en cuatro ejes principales: buenas prácticas agropecuarias; utilización sostenible del água; economías de gama a través de la integración de actividades; y reciclaje de desechos/generación de energías alternativas. Esas experiencias promovieron o estimularon generación de trabajo e ingresos, aumento de la autoestima por parte del público interesado, acceso a mercados, utilización sostenible de los recursos naturales, organización colectiva y bienestar en el medio rural, a través de distintos enfoques de gestión sostenible en la agricultura. De esa manera, iniciativas (flujos) concretadas a través de sistemas agroforestales, agricultura baja en carbono, buenas prácticas de producción, gestión responsable de los recursos naturales y generación de energías alternativas a partir de desechos, proporcionaron la creación de economías de gama, reducción de costes y sinergias diversas que resultan, en diferentes niveles, en la manutención y/o calificación de los activos sociales, ambientales y económicos (stocks) en cada región involucrada. En el ámbito de cada iniciativa, entre los elementos que sobresalen como factores
  • 25. 24 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 impulsadores de los resultados actuales y potenciales, están la participación del público destinatario en las acciones y en la gestión, la existencia de procesos de capacitación participativos, el compromiso y la motivación por parte de los involucrados, así como la formación de alianzas y la organización socio-productiva, con vistas al enfrentamiento de los retos y la búsqueda por perpetuación de los resultados. Aunque las distintas experiencias no sean automáticamente replicables teniendo en cuenta los diferentes contextos socio- económicos y ambientales de cada región o bioma, esperamos que la divulgación de estoscasospuedaestimularadecuacioneso mismo iniciativas convergentes por parte de los productores, otros actores de la cadena productiva y organizaciones relacionadas, en una perspectiva de gestión sostenible en el sector agropecuario.
  • 26. 25 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 1 Banco do Brasil Agência Nacional de Águas e WWF-Brasil Programa Água Brasil Agua Brasil Program Programa Água Brasil
  • 27. 26 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Resumo do caso Lançado em 2010, o Programa Água Brasil, concebido pelo Banco do Brasil e desenvolvido em parceria com a Fundação BancodoBrasil,aAgênciaNacionaldeÁguas e o WWF-Brasil, tem o objetivo de fomentar o desenvolvimento e a disseminação de práticas e técnicas sustentáveis de produção no campo e promover o consumo responsável e a reciclagem de resíduos sólidos nas cidades. O Programa está estruturado em 4 eixos: Eixo 1 - Projetos Socioambientais: 1.1 Água e Agricultura – ações em sete microbacias para melhoria da qualidade das águas e restauração ecológica da vegetação natural por meio de melhores práticas de produção e tecnologias sociais nas bacias dos rios Lençóis (SP); Cancã- Moinho, Peruaçu (MG); Longá (PI); córrego Guariroba (MS); ribeirão Pipiripau (DF) e igarapé Santa Rosa (AC). 1.2 Cidades Sustentáveis - apoio às prefeituras de Rio Branco (AC), Natal (RN), Belo Horizonte (MG), Pirenópolis (GO) e Caxias do Sul (RS) para a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), e geração de trabalho e renda para catadores de materiais recicláveis. Eixo 2 - Comunicação e Engajamento - sensibilizar e mobilizar a sociedade com relação à conservação ambiental. Eixo 3 - Mitigação de Riscos – reduzir os impactosnegativosnaspráticasdeprodução e comercialização tradicionais, mitigar os riscos potenciais nas operações do Banco e aperfeiçoar os critérios socioambientais utilizados nos processos de financiamento e investimento do Banco; Eixo 4 - Negócios Sustentáveis – aprimorar os modelos de negócios sustentáveis e ampliação do portfólio de produtos e serviços financeiros. Por que o programa de sustenta- bilidade foi criado? O Brasil concentra aproximadamente 12% da água doce superficial do mundo, sendo que mais de 90% do território brasileiro recebe chuvas durante boa parte do ano. Apesar disso, a água limpa está cada vez mais rara na zona costeira e a água potável cada vez mais cara. Regiões fundamentais à economia do País vêm enfrentando problemas graves.
  • 28. 27 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Esta situação resulta do uso inadequado, com desperdício, que chega a índices da ordem de 40 % a 50% nas cidades, e sem cuidados com a qualidade. No campo, há espaço (e necessidade) para o aumento da eficiência e maior estruturação para a preservação e o uso sustentável desse recurso vital a partir da utilização de boas práticas agropecuárias e a conservação dos serviços ecossistêmicos relacionados à água. A água é o elemento comum entre as ações de sustentabilidade do Banco e também é o foco do Programa Água Brasil. Este apoio deve-se à forte atuação do Banco do Brasil no agronegócio, atividade econômica de grande consumo hídrico e pela importância do recurso água para manutenção das atividades produtivas, para a segurança hídrica e alimentar e para o bem estar da sociedade. Quemsebeneficiadesteprograma e de que forma? Considerando o amplo escopo de atuação, entende-se que a sociedade de modo geral é beneficiada pelo Programa Água Brasil.
  • 29. 28 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Os resultados permitiram resgatar valores sociais e ambientais com atores-chave do meio rural e reafirmaram a interdependência entre o campo e zonas urbanas brasileiras. Até dezembro de 2013 foram realizadas 87 parcerias com diferentes agentes locais, como associações de produtores, sindicatos rurais, prefeituras, assistência técnica rural, entre outros, com 620 beneficiários diretos e 3.452 indiretos e população potencialmente beneficiada estimada em 10,8 milhões. Resultados tangíveis com impacto local direto garantem água e alimentos e geram benefícios coletivos no âmbito das bacias em questão. A partir da realização de parcerias multisetoriais destacaram-se os resultados: 479 hectares de áreas degradadas restaurados; 427 hectares de fragmentos florestais conservados; 2.236 hectares terraceados e com reformas de pastagens realizadas; 1.131 barraginhas construídas para conservação de solo; 53 produtores beneficiados com o Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA); 626 produtores envolvidos diretamente; 481 cisternas de uso doméstico instaladas; 153 cisternas calçadão construídas para produção agropecuária; 8 casas de sementes construídas; 17 unidades demonstrativas de boas práticas agropecuárias; 554 fossas sépticas instaladas e 600 metros do trecho periurbano do Igarapé Santa Rosa desobstruídos. Como funciona o programa? A definição do plano de trabalho e dos critérios de escolha das localidades contou com a participação de todos os parceiros do Programa Água Brasil, observado o potencial de replicabilidade das ações implementadas. Para isso, na medida do possível, foram eleitas regiões, atividades, diferentes tamanhos de propriedades rurais e biomas que representassem a diversidade e a complexidade geográfica, econômica, social e ambiental do território brasileiro. No meio rural, nesta primeira fase, o Programa chegou aos biomas: Mata Atlântica, Cerrado, Amazônia e Caatinga e às regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste. Apenas para citar a atuação no setor do agronegócio, o eixo de Água e Agricultura atua com a implementação de unidades demonstrativas de boas práticas agropecuárias, que contemplam técnicas produtivas e de restauro florestal, buscando a adequação da propriedade à legislação ambiental, bem como ganhos de produtividade e conservação dos recursos naturais. As unidades demonstrativas servem como base para o conhecimento e replicação das boas práticas nas bacias
  • 30. 29 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 hidrográficas, com a realização de dias de campo e oficinas de capacitação, que contam com a participação de produtores rurais e assistência técnica rural. Além disso, o Programa, alinhado ao objetivo de disseminar informações e conhecimento, publicará quatro portfolios de Boas Práticas Agropecuárias, Certificações, Restauração Ecológica e Instrumentos Econômicos e Financeiros para a Sustentabilidade. Também foram implementadas Tecnologias Sociais, que visam permitir o acesso das comunidades à água para o consumo humano e produtivo. Além disso, no eixo de Mitigação de Riscos foram elaboradas Diretrizes de Sustentabilidade para o Crédito para o setor do agronegócio, com apoio técnico do Banco do Brasil, do WWF-Brasil e stakeholders, visando a divulgação das práticas negociais e administrativas adotadas, reforçando os compromissos públicos assumidos alinhados aos princípios de responsabilidade socioambiental presentes em suas políticas gerais e específicas. Com essas práticas, o Programa busca contribuir para mitigar o risco socioambiental e reduzir os impactos dos financiamentos e de investimentos do Banco, bem como identificar oportunidades de atuação na cadeia de valor dos negócios sustentáveis
  • 31. 30 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 a partir de questões socioambientais relevantes e de temas estratégicos para o desenvolvimento sustentável. O Água Brasil ainda possibilita o desenvolvimento de diversos estudos, com o intuito de avaliar o estado da arte e oportunidades de novos financiamentos e mercados, tais como: a) análise das possibilidades de coordenação e compatibilização entre a atuação do setor financeiro e a minimização de externalidades negativas ambientais derivadas de atividades produtivas que alimentam as exportações de produtos da lavoura e pecuária no Brasil; b) análise dos desafios e oportunidades da cadeia de valor do manejo florestal madeireiro sustentável, com o objetivo de aprimorar a oferta de produtos e serviços financeiros que fomentem práticas sustentáveis no setor de agronegócios e que induzam os empreendimentos à competitividade, seja através da minimização ou adaptação aos processos produtivos, de seus efeitos nas mudanças climáticas, estimulo à redução ou extinção de emissões de gases de efeito estufa, promoção do uso eficiente dos recursos naturais e inclusão social; c) análise do portfólio de produtos financeiros de apoio a boas práticas socioambientais no setor de agronegócios, com foco no Programa de Agricultura de Baixo Carbono e propostas de aprimoramentos; d) análise da viabilidade técnica e econômica da cadeia produtiva de restauração florestal em Reserva Legal e Áreas de Preservação Permanente (APP) e a utilização de sistemas agroflorestais para a recomposição da reserva legal nas propriedadesrurais,conformeestabelecidono Código Florestal, apresentando indicadores que possam subsidiar a atuação dos agentes financeiros e produtores rurais. Quais os desafios para a im- plantação do programa, para mantê-lo em funcionamento, e quais as perspectivas futuras para o mesmo? Inicialmente, o grande desafio do Programa Água Brasil foi construir a articulação local, buscando o engajamento e o empoderamento dos agentes locais, com o objetivo de proporcionar um ambiente para continuidade e replicabilidade das ações.
  • 32. 31 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Esse foi um processo naturalmente lento e que inicialmente poderia ter frustrado as expectativas do Banco do Brasil, caso esperasse um retorno de curto prazo. Felizmente, a estratégia mostrou-se bem sucedida e hoje já é possível colher bons resultados e reconhecimento nacional e internacional, tais como, nas publicações “Caring For Climate” e “CEO Water Mandate” durante a Rio + 20, como um dos 10 casos no mundo que contribuem para a adaptação às mudanças climáticas. O Programa também integra o grupo de práticas empresariais na categoria Adaptação – Agricultura, Água e Comida da Organização das Nações Unidas (ONU), além de ter sido destaque na Conferência das Partes de Biodiversidade, COP 11, na Índia, em 2012, em publicação do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável – CEBDS. Outro desafio enfrentado se relaciona à diversidadedoProgramaeaogerenciamento das ações. Este deve ser bem monitorado por instâncias em nível técnico, gerencial e corporativo. Para o Banco do Brasil, a sua grande capilaridade e o engajamento dos técnicos locais permitiram que a instituição estivesse presente e acompanhasse a execução dos projetos. Em meados de 2015, os parceiros do Programa avaliarão os resultados finais e a pertinência da sua continuidade para um período de cinco anos. Os resultados já alcançados e os esperados, bem como as lições apreendidas, permitem identificar algumas ações que mereceriam ser continuadas e que contribuiriam para a gestão sustentável na agricultura. Como outros agentes ligados à agricultura e aos produtores rurais podem iniciar um programa de sustentabilidade como este e inse- ri-lo em sua rotina de trabalho? A experiência do Programa Água Brasil demonstra que é possível conciliar a produção de alimentos e a conservação mediante a adoção de boas práticas e o uso de instrumentos econômicos. Fica evidente a necessidade do engajamentodopoderpúblico,privadoedo terceiro setor no apoio aos agricultores na adoção e na manutenção de práticas mais sustentáveis e rentáveis, constituindo-se um grande desafio e ao mesmo tempo uma oportunidade de mudança.
  • 33. 32 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Para definir a área de intervenção, é fundamental mapear o potencial de replicabilidade e de engajamento das partes interessadas. Para isso, utilizar a bacia hidrográfica ou a microbacia permite a identificação das necessidades e a capacidade de intervenção dos agentes locais. A qualidade do diagnóstico da área de intervenção é importante e deve ser capaz de enumerar os atores locais, os problemas e as oportunidades, de modo a possibilitar o engajamento daqueles que deverão ser empoderados, permitindo assim, a continuidade e o financiamento das ações. Outro aspecto relevante é identificar as boas experiências já implementadas na área de intervenção e avaliar sua possibilidade de integração com as demais ações, bem como criar instâncias de coordenação e de acompanhamento no âmbito local e estratégico. As técnicas de produção sustentável e as tecnologias sociais adotadas no Programa Água Brasil podem ser replicadas em bacias hidrográficas onde há demanda para segurança hídrica e alimentar no campo e nas cidades.
  • 34. 33 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Case summary Launched in 2010, Água Brasil Program, conceived by Banco do Brasil and developed in partnership with Fundação Banco do Brasil, Agência Nacional de Águas (National Water Agency) and WWF- Brasil, aims to stimulate the development and dissemination of sustainable production practices in the field and also to promote the responsible consumption and the recycling of solid waste in the cities. The Program is structured in four axes: Axis 1 - Socio-environmental Projects: 1.1 Water and Agriculture - actions on seven small watersheds promoting an improvement on water quality and ecological restoration of natural vegetation through sustainable agriculture, employing the best production practices and social technologies around the rivers Lençóis (SP), Cancã-Moinho (SP), Peruaçu (MG), Longá (PI) and Pipiripau (DF), and also around the Guariroba (MS) stream and Santa Rosa (AC) watercourse. 1.2 Sustainable Cities – give support to local cities, such as Rio Branco (AC), Natal (RN), Belo Horizonte (MG), Pirenópolis (GO) and Caxias do Sul (RS), in order to implant the National Solid Waste Policy, increasing employment rate and social inclusion to recyclers. Axis 2 - Communication and Engagement –sensitizing and mobilizing society in order to preserve the environment. Axis3-RisksMitigation–reducenegative impacts on traditional production and selling practices, mitigate potential risks to the bank operations, while improving social and environmental criteria employed to the Bank funding and investment processes; Axis 4 - Sustainable Businesses – improve sustainable business models and expand financial products and services portfolio. Why was the sustainability pro- gram created? Approximately 12% of world´s fresh water is concentrated in Brazil, and during most part of the year, rain falls in more than 90% of the Brazilian territory. Despite that, clean water is becoming increasingly scarcer at the Coastal Zone and drinkable water is becoming more and more expensive.
  • 35. 34 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Regions that are crucial to the Brazilian economy have been facing serious problems. This situation is a result of the improper use and the waste of water that reaches indexes as high as 40% to 50% in cities, with no care with quality. In the rural area, there is space (and the necessity) to increase efficiency and better structures to the preservation and sustainable use of this vital resource, with good agricultural and cattle farming practices, additionally to the conservation of water-based ecosystem services. Water is the common element among the actions on sustainability promoted by the Bank and is also the focus of Água Brasil Program. This support is due to the strong presence of the Bank in agribusiness, a water-intensive economic activity, and to the importance of water resources in the maintenance of productive activities, for water and food security and the society wellbeing. Who benefits from this program, and how? Considering the wide scope of action, it is understood that society in general is benefited from the Água Brasil Program. The results enabled rescuing social and environmental values with the key actors from rural areas, and reaffirmed the interdependence between the Brazilian rural and urban areas. Until December 2013, 87 partnerships were established with several local agents like farmers associations, rural trade unions, town halls, rural technical assistance, among others, with 620 direct beneficiaries and 3,452 indirect ones. The potentially benefited population is estimated in 10.8 million people. Tangible results with local impact ensure water and food and also generate collective benefits in the area of the watersheds benefited by the Program. With the support of multisectoral partnerships, some results have stood out, such as: 479 hectares of degraded areas restored; 427 hectares of forest fragments conserved; 2,236 hectares terraced and reformed pasture; 1,131 small dams built for soil conservation (Barraginhas, in Portuguese); 53 farmers receiving Payments for Environmental Services -PSA; 626 farmers directly engaged with the Program; 481 domestic water cisterns installed; 153 water cisterns for rural areas (Cisterna Calçadão in Portuguese); built to the agricultural production; 8 seed houses built; 17 demonstration units for good farming practices; 554 septic tanks installed; and, 600 of Santa Rosa watercourse, located in the peri-urban zone, were unobstructed.
  • 36. 35 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 How does the program work? The workplan and the criteria to select the sites were defined with the participation of all the Program partners, observing the potential engagement and sharing of the implemented actions. Therefore, as it was possible, they have selected regions, activities, farmers - according to the size of their properties - and biomes that better represented the diversity and geographic complexity, economic, social and environmental of the Brazilian territory. In the rural area, in this first stage, the Program has reached important biomes such as Atlantic Forest, Cerrado, Amazon and Caatinga in the Southeast, Center- West, North and Northeast regions of the country. Referring to the Program work on agribusiness, the Water and Agriculture axis acts with the implementation of demonstrative units of good cattle farming practices, that contemplate productive and forest restoration techniques, always looking for adapting the property to the environmental legislation, as well as promoting productivity increase and natural resources conservation. The demonstration units work as a base to acquire more knowledge and disseminate these good practices at the watersheds through capacity-building workshops, which are usually attended by farmers and rural technical assistance agents. Moreover, the Program also has the compromise to disseminate its experiences and intends to publish four portfolios of best practices - Good Agricultural Practices, Certifications, Ecological Restoration and Economic and Financial Instruments for Sustainability. The Program has also implemented Social Technologies that should provide communities with access to water for human and production consumption. Apart from that, under the axis of Risk Mitigation, it was elaborated a guideline of Sustainability for Credit, focused on the agribusiness sector, with the technical support of Banco do Brasil, WWF-Brasil and stakeholders. The aim of this guideline is to disseminate the negotiation and administrative practices adopted, reinforcing the Program public commitments that are also in line with the principles of socio- environmental responsibility established in its general and specific policies. Through these practices, the Program intends to mitigate the socioenvironmental risk and reduce the impact of the Bank funding and investments, as well as identify work opportunities on the value chain
  • 37. 36 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 of sustainable businesses, considering relevant socioenvironmental issues and strategictopics forsustainabledevelopment. The Program also enables the development of several studies in order to evaluate the state-of-the-art and the opportunities for new funding and markets, such as: a) analysis of the possibilities of coordination and alignment of the financial sector work and the minimization of negative environmental externalities derived from productive activities that support the exportation of Brazilian farming products; b) analysis of the challenges and opportunities of the value chain of the management of sustainable wood forest, willing to improve the offer of financial products and services that foster sustainable practices in the agribusiness sector, and also induce companies to competitiveness either through the minimization or adaptation of productive processes, its effects on climate changes, its incentive to the reduction or abolishment of emissions of greenhouse gases, its promotion of efficient use of natural resources and social inclusion; c) analysis of the portfolio of financial productssupportivetogoodsocioenvironmental practices in the agribusiness sector, focusing on the Low Carbon Agriculture Program and proposals for improvement; d) analysis of the technical and economic viability of the productive chain on forest recovery in Legal Reserve and Permanent Preservation Areas (APP, in Portuguese); analyze the use of agroforestry system to recover legal reserves in rural properties, as established by the Forest Code, presenting indicators to support financial agents and farmer work. What were the challenges in pro- gram implementation, to keep it running, and what are its future perspectives? Firstly, that biggest challenge of the Program was to build local articulation, in order to engage and empower local agents, with the aim of offering an ideal environment to provide continuity and repercussion of actions. This process, inherently slow, could have frustrated the Bank expectations if it had wanted for short-term returns. Fortunately, the strategy was a success, and now it is possible to see the good results and national and international recognition such as a highlight in the publication by the Caring for
  • 38. 37 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Climate and CEO Water Mandate during the event Rio +20, as one of the 10 cases in the world that contributes to the climate changes adaptation. The Program is also part of the business practices group in the category ofAdaptation – Agriculture, Water and Food of the United Nations Organization (UN), besides having been the high spot at the Conference of the Parties - COP 11, held in India in 2012, in a publication of the Brazilian Entrepreneur Council to the Sustainable Development (CEBDS, in Portuguese.) Another challenge faced, is related to the Program diversity and the actions management. These issues have to be closely monitored by technical, managerial and corporate instances. For the Bank, its broad network and the engagement of local technicians allowed the institution to be present and following the projects execution. In mid-2015, the Program partners will evaluate the results and pertinence of providing continuity to it for an additional 5-year period. The results achieved and the expected ones, as well as the lessons learned already allow the identification of some actions that should be continued and that would contribute to sustainable management in agriculture. How could other agriculture-re- lated agents and farmers start a similar sustainability program and incorporate it into their everyday work? The Program experience shows that it is possible to conciliate food production and conservation through the adoption of good practices and the use of economic tools. It is unmistakable the need of engagement from the public and private powers and the third sector to support farmers in the adoption and maintenance of more sustainable and profitable practices. This is both a great challenge and an opportunity for changes. To define the area of intervention, it is essential to map the potential for replicability and stakeholder engagement. For this, to use the watersheds allows the identification of these needs and the capacity of intervention of local agents. The quality of the diagnosis about the intervention area is important and should be capable of listing local actors, problems and opportunities to allow the engagement of those who are to be empowered and, thus, enabling the continuity and funding of actions.
  • 39. 38 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Another relevant aspect is to identify successful experiences already implemented in the intervention area and evaluate its potential integration to other actions, as well as create spheres of coordination and follow-up at the local and strategic levels. The sustainable production techniques and social technologies adopted in Água Brasil Program can be replicated in watersheds where there is demand for food and water security in rural and urban areas.
  • 40. 39 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Resumen del caso Lanzado en 2010, el Programa de Água Brasil, concebido por Banco do Brasil y desarrollado en colaboración con la Fundação Banco do Brasil, la Agencia Nacional de Aguas y el WWF-Brasil, tiene como objetivo fomentar el desarrollo y la difusión de prácticas y técnicas de producción sostenibles en el campo y promover el consumo responsable y el reciclaje de residuos sólidos en las ciudades. El programa está estructurado en 4 ejes: Eje 1 - Proyectos Socioambientales: 1.1: Agua y Agricultura – acciones en siete microcuencas promoviendo la mejora de la calidad del agua y la restauración ecológica de la vegetación natural a través de mejores prácticas de producción y tecnologías sociales en las cuencas de los ríos Lençóis (SP); Cancã-Moinho, Peruaçu (MG); Longá (PI); arroyo Guariroba (MS) y de las corrientes Pipiripau (DF) y Santa Rosa (AC). 1.2: Ciudades Sostenibles – apoyo a los municipios locales de Rio Branco (AC), Natal (RN), Belo Horizonte (MG), Pirenópolis (GO) y Caxias do Sul (RS) para la implementación de la Política Nacional de Residuos Sólidos (PNRS), y generar empleo y ingreso para los recicladores. Eje 2 - Comunicación y Compromiso – sensibilizar y movilizar la sociedad a favor de la conservación del medio ambiente. Eje 3 - Mitigación de Riesgo – reducir los impactos negativos en la producción tradicional y prácticas de marketing y mitigar los riesgos potenciales en las operaciones del banco y mejorar los criterios sociales y ambientales utilizados en el proceso de financiación e inversiones del Banco; Eje 4 - Negocio Sostenible – mejorar los modelos de negocios sostenibles y ampliar la cartera de productos y servicios financieros. ¿Por qué se creó el programa de sostenibilidad? Brasil concentra aproximadamente el 12% del agua dulce superficial de todo el mundo, y más de 90% del territorio brasileño recibe lluvias durante la mayor parte del año. A pesar de esto, el agua limpia es cada vez más rara en la zona costera y el agua potable cada vez más cara. Regiones esenciales para la economía del país enfrentan graves problemas. Esta situación
  • 41. 40 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 es resultado del uso inadecuado de agua, con el desperdicio, que alcanza índices de orden de 40% a 50% en las ciudades y sin cuidados con la calidad. En el campo, hay espacio (y necesidad) para mayor eficiencia y mayor estructuración para la conservación y uso sostenible de este recurso vital, a partir de la adopción de buenas prácticas agrícolas y la conservación de ecosistemas relacionados con el agua. El agua es el elemento común de las acciones de sostenibilidad del Banco do Brasil y también es el foco del Programa Água Brasil. Este apoyo se debe por una representación muy fuerte del banco en el sector del agronegocios, actividad económica de gran consumo de agua y por la importancia de los recursos hídricos para el mantenimiento de las actividades productivas, seguridad del agua y bienestar de la sociedad. ¿Quién se beneficia de este pro- grama y cómo? Teniendo en cuenta el amplio alcance de la acción, significa que la sociedad en general es beneficiada por el Programa Água Brasil. Losresultadosmostraronelrescatedelos valores sociales y ambientales con actores claves del entorno rural y reafirmaron la interdependencia entre las zonas rurales y urbanas en Brasil. Hasta diciembre de 2013 se realizaron 87 asociaciones con diferentes agentes locales, como las asociaciones de productores, sindicatos, municipalidades, asistencia técnica rural, entre otros, con 620 beneficiarios directos e 3.452 indirectos y población potencialmente beneficiada estimada en 10,8 millones. Resultados tangibles con impacto directo localestánproporcionandoalimentosyagua, y la generación de beneficios colectivos en las cuencas en cuestión. A partir de la realización de alianzas multisectoriales son destacados los siguientes resultados: 479 hectáreasdeáreasdegradadasrestauradas; 427 hectáreas de fragmentos de bosque preservados; 2.236 hectáreas terraceados y reformas de pastoreo llevadas a cabo; 1.131 barraginhasconstruidasparalaconservación del suelo; 53 productores están recibiendo Pagos por Servicios Ambientales (PSA); 626 productores directamente involucrados; 481 cisternas de uso doméstico instaladas; 153 cisternas tanques construidas para la producción agrícola; 8 casas de semilla construidas; 17 Unidades de Demostración de buenas prácticas agrícolas aplicadas; 554 séptico tanques instalados y 600 metros del tramo periurbano de la corriente Santa Rosa limpios.
  • 42. 41 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 ¿Cómo funciona el programa? La definición del plan de trabajo y los criterios de selección de localidades contó con la participación de todos los socios del programa, destacó el potencial de replicabilidad de acciones implementadas. Por eso, en la medida de lo posible, fueron elegidas regiones, actividades, diferentes tamaños de propiedades rurales y biomas que representan la diversidad y complejidad geográfica, desarrollo económico, social y ambiental del territorio brasileño. En las zonas rurales, en esta primera fase, el Programa alcanzó los biomas de Mata Atlántica, Cerrado, Caatinga y Amazonia y las regiones sudeste, centro-oeste, noreste y norte. Sólo por citar las acciones relacionadas con el sector de agronegocios, el eje rural tiene como objetivo poner en práctica unidades de demostración de buenas prácticas agrícolas, que incluyen técnicas de producción y reforestación, buscando la adecuación de la propiedad en la legislación ambiental, así como el aumento de la productividad y de la conservación de los recursos naturales. Unidades Demostrativas sirven como base para el conocimiento y la replicación de las buenas prácticas en las áreas de captación, con la realización de días de campo y talleres de capacitación y la participación de los productores rurales y asistencia técnica rural. Además, el Programa, alineado con su objetivo de difundir informaciones, publicará sus manuales de Buenas Prácticas Agrícolas y de Instrumentos Económicos y Financieros. También se implementaron tecnologías sociales, que tienen como objetivo permitir el acceso de las comunidades al agua para consumo humano y productivo. Además, en el eje de Mitigación de Riesgos fueron elaboradas las Directrices de Sostenibilidad para el Crédito para el sector agroindustrial, con el apoyo técnico del Banco, WWF-Brasil y partes interesadas, conelobjetivodeladifusióndelanegociación y las prácticas administrativas adoptadas, reforzar compromisos públicos, alineados con los principios de responsabilidad social y ambiental en sus políticas generales y específicas. Con estas prácticas, el Programa busca contribuir para mitigar el riesgo social y ambiental y reducir los impactos de financiamientos e inversiones del Banco, así como identificar oportunidades de desempeño en la cadena de valor empresarial sostenible de cuestiones ambientales y sociales relevantes y de temas estratégicos para el desarrollo sostenible.
  • 43. 42 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 El Programa Água Brasil también permite el desarrollo de varios estudios para evaluar el estado del arte y nuevas oportunidades de financiación y mercados, tales como: a) análisis de las posibilidades de coordinación y compatibilidad entre el desempeño del sector financiero y la minimización de las externalidades ambientales negativas derivadas de las actividades productivas que alimentan las exportaciones de productos agrícola y ganadera de Brasil; b) análisis de los retos y oportunidades de la cadena de valor de la gestión forestal sostenible de madera, con el objetivo de mejorar la oferta de productos financieros y servicios que promuevan prácticas sostenibles en el sector agroindustrial y para inducir a la competitividad de las empresas, ya sea por minimizar o adaptarse a los procesos productivos, de sus efectos sobre el cambio climático, fomentar la reducción o extinción de las emisiones de gases de efecto invernadero, promover el uso eficiente de los recursos naturales y la inclusión social; c) análisis de la cartera de productos financieros de apoyo a las mejores prácticas ambientales en el sector agroindustrial, centrándose en el Programa Agricultura de Bajo Carbono y propuestas de mejora; d) análisis de la viabilidad técnica y económica de la cadena de producción de restauración forestal en Reserva Legal y Áreas de Preservación Permanente (APP) y el uso de sistemas agroforestales para la recomposición de la reserva legal en propiedades rurales, según lo establecido en el Código Forestal brasileño, introducción de indicadores que pueden subvencionar las actividades de los agentes financieros y productores rurales. ¿Cuáles son los retos para la im- plantación del programa, para mantenerlo en funcionamiento y cuáles son sus perspectivas de futuro? Inicialmente, el gran reto del Programa fue construir la articulación local, buscando la participación y el empoderamiento de los actores locales, con el objetivo de proporcionar un ambiente de continuidad y replicabilidad de las acciones. Esto fue un proceso lento naturalmente y que inicialmente podría haber frustrado las expectativas del banco, si esperaba retorno a corto plazo. Afortunadamente, la estrategia resultó exitosa y hoy ya es posible cosechar buenos resultados y reconocimiento
  • 44. 43 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 nacional e internacional, como aparece en la publicación Caring For Climate y CEO Water Mandate durante el Río + 20, como uno de los 10 casos en el mundo que contribuyen a la adaptación al cambio climático. El Programa también integra el grupo de práctica empresarial en la categoría de Adaptación – Agricultura, Água y Alimentos de las Naciones Unidas (ONU), además de haber sido presentado en la Conferencia de las Partes COP 11, la biodiversidad, en la India, en 2012, en la publicación del Consejo Empresarial Brasileño para el Desarrollo Sostenible – CEBDS. Otro desafío se refiere a la diversidad del Programa y la gestión de las acciones. Esto debe ser bien vigilados por instancias técnicas, a nivel gerencial y corporativo. Para el Banco do Brasil, su gran alcance y el compromiso de los técnicos locales permitieron la institución estar presente y acompañar la ejecución de los proyectos. En mediados de 2015, los socios del Programa evaluan los resultados finales y la pertinencia de su continuidad para un nuevo período de cinco años. Los resultados ya obtenidos y los esperados, así como las lecciones agarradas, permiten para identificar ciertas acciones que continuaría y que contribuiría a una gestión sostenible en la agricultura e del água. ¿Cómo otros agentes vinculados a la agricultura y a los productores rurales pueden iniciar semejante programa de sostenibilidad e in- troducirlo en su rutina de trabajo? La experiencia del Programa demuestra que es posible conciliar la producción de alimentos y la conservación mediante la adopción de mejores prácticas y del uso de instrumentos económicos. Es evidente la necesidad de la participación de las autoridades pública, privada y tercer sector en el apoyo a los agricultores en la adopción y el mantenimiento de prácticas más sostenibles y rentables, que constituyen un gran desafío y al mismo tiempo una oportunidad para cambiar. Para definición del área de intervención, es esencial mapear el potencial de replicabilidad e de participación de las partes interesadas. Para hacer esto, usar la cuenca hidrográfica o la microcuenca le permite la identificación de las necesidades y la capacidad de intervención de los agentes locales. La calidad del diagnóstico de la zona
  • 45. 44 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 de intervención es importante y debe ser capaz de enumerar los agentes locales, los problemas y las oportunidades, con el fin de permitir la participación de aquellos que deben ser fortalecidos, por lo tanto, la continuidad y la financiación de las acciones. Otro aspecto importante es identificar las buenas experiencias ya implementadas en la zona de intervención y evaluar la posibilidad de integración con otras acciones, así como crear instancias de coordinación y seguimiento de en el ámbito local y estratégico. Las técnicas de producción sostenibles y las tecnologías sociales adoptadas en el ProgramaÁguaBrasilpodríanserreplicadas en ambas cuencas donde hay demanda por la seguridad hídrica y alimentaria en el campo y en las ciudades.
  • 46. 45 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 2 Clube Amigos da Terra – CAT Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo desenvolvimento sustentável Mulheres do Campo Project: the female strenght in action for a sustainable development Proyecto Mulheres do Campo: la fuerza femenina en acci- ón por el desarrollo sostenible
  • 47. 46 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Resumo do caso O Projeto “Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo desenvolvimento sustentável” teve início em 2009 a partir de uma avaliação com um grupo de 30 produtoras rurais sobre a participação da mulher dentro do agronegócio no município de Sorriso no estado do Mato Grosso. Os principais resultados dessa avaliação mostraram que as mulheres se sentiam “excluídas” e desvalorizadas no meio rural e gostariam de ter uma participação mais efetiva na promoção da sustentabilidade. Apartirdaidentificaçãodestesproblemas, nasceu o projeto “Mulheres do Campo” que sugeria a realização de vários cursos de capacitação para o grupo nas questões relativas a liderança, gestão da propriedade rural e ao papel da mulher na sociedade atual. No decorrer da participação das mulheres nos cursos e dado ao crescente fortalecimento do seu valor como indivíduo e agente de transformação social, o grupo propôs ações voltadas para a promoção da sustentabilidade as quais foram realizadas no decorrer dos últimos anos. Em 2010 aconteceu o I Fórum “Construindo um Futuro Melhor”. Em 2011, o grupo abraçou a causa da coleta seletiva do lixo nas propriedades rurais e em 2012 a implantação de composteiras para o lixo orgânico com a finalidade de produção de adubo a ser utilizado nas hortas das propriedades rurais. Em 2013 o foco foi a questão da violência doméstica e em 2014 o foco está na reativação da Associação Produtiva das Mulheres da Poranga, nome comum dado ao Assentamento Jonas Pinheiro (Sorriso – MT), com o objetivo de produzir derivados de leite, cana e polpa de frutas do Cerrado. Esta Associação existe desde 2007 e a intenção do grupo é a sua reestruturação e a motivação das mulheres para que a entidade volte ao seu efetivo funcionamento favorecendo a geração de renda para as produtoras rurais da agricultura familiar do município. Por que o programa de sustenta- bilidade foi criado? O Clube Amigos da Terra – CAT Sorriso é uma associação de produtores rurais localizada no município de Sorriso e suas principais ações estão concentradas em projetos socioambientais ligados à EducaçãoAmbiental e ao apoio a produtores rurais para promoção da sustentabilidade em geral. Sorriso é o maior produtor de soja do mundo e tem sua economia baseada na agricultura.
  • 48. 47 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Diante deste contexto, o CAT teve a ideia de trabalhar com produtoras rurais e usar a imagem que a mulher possui, entre outras, de “mãe”, “protetora” e cuidadora, para realizar uma campanha relacionada às produtoras que estavam produzindo sem degradar o meio ambiente. A ideia era trazer as produtoras para participarem mais ativamente no CAT. Entretanto, durante a reunião realizada com o grupo de 30 produtoras ficou evidenciado que a preocupação com a imagem do produtor não era prioridade, e outros problemas foram citados como preconceito, posse da terra, duras jornadas de trabalho na casa e na propriedade rural, falta de apoio, desvalorização dentro e fora de suas propriedades rurais. Por outro lado, o grupo demonstrou que gostaria de participar, opinar e ser mais atuante. Nesses debates, o CAT e o Sindicato Rural de Sorriso resolveram abraçar a causa das produtoras rurais e a partir daí foi criado o projeto Mulheres do Campo com o objetivo de trabalhar com as produtoras, questões de liderança, autoestima e capacitá-las para o agronegócio e o desenvolvimento sustentável. Assim poderiam sentir segurança e se tornariam instrumentos de promoção da sustentabilidade no meio rural do município.
  • 49. 48 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Quem se beneficia deste progra- ma e de que forma? O projeto beneficia principalmente produtoras rurais de Sorriso, sendo elas da agricultura familiar ou de larga escala, num total de aproximadamente 50 mulheres. No geral, são mulheres que tem entre 35 a 40 anos, imigrantes da região sul do Brasil, casadas e com dois a três filhos. Dentro do grupo de mulheres da produção de soja, a maioria possui nível de escolaridade até o ensino médio e algumas com nível superior. O grupo de mulheres da agricultura familiar está distribuído nos Assentamentos Jonas Pinheiro - Poranga (216 famílias); Casulo (26 famílias) e Santa Rosa II (177 famílias). A maioria possui nível de escolaridade até o ensino fundamental, sendo que há a presença de mulheres mais jovens (filhas de produtores) que estão cursando o ensino médio. A renda familiar gira em torno de R$ 1.500,00 oriundos da produção de hortifrutigranjeiros. Algumas famílias contam com a aposentadoria do familiar mais velho para complementar a renda. No início deste projeto (2010), os principais benefícios oferecidos para essas mulheres foram cursos e palestras (total de 10) incluindo desde assuntos técnicos como gestão da propriedade rural, liderança, cooperativismo e questões relacionadas ao gênero como empoderamento e o papel da mulhernasociedade.Nosegundomomento, a partir de 2011 após a elaboração da Carta da Terra do Médio Norte do MT, um guia orientador para as futuras ações do grupo na promoção do desenvolvimento sustentável, iniciaram-se as ações realizadas pelas mulheres do campo em suas comunidades. O CAT dá o suporte para que as propostas do grupo aconteçam, desde a elaboração de projetos, apoio na captação de recursos para a execução no campo, na mobilização das mulheres e da sociedade em geral e junto a órgãos governamentais. Assim, o maior benefício é mostrar para elas que, com o desenvolvimento da autonomia, elas têm o poder de transformar suas realidades socioeconômicas a partir de um comportamento proativo e com espírito de grupo. Como funciona o programa? O programa nasceu a partir da identificação de problemas que eram comuns tanto para as mulheres da agricultura familiar como da produção de larga escala. A partir da identificação destes problemas, junto com o grupo de
  • 50. 49 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 30 mulheres, foi discutido as possíveis soluções e, com a participação ativa do grupo foi elaborado o projeto “Mulheres do Campo: a força feminina em ação pelo desenvolvimento sustentável”. Com o projeto em mãos o CAT apresentou-o a diversas entidades públicas e privadas tais como: Sindicato Rural, Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente do Município, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR e Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso - APROSOJA. Como o projeto foi elaborado por um grupo de pessoas da comunidade local e não somente por uma única pessoa ou entidade e, por ser de simples implantação e ter como tema uma questão importante e atualíssima trazendo à discussão o preconceito contra a mulher, o CAT ocupou todos os espaços passíveis de questionamentos possibilitando a captação de recursos e a realização de parcerias para a implementação do projeto. Comoprojetoaprovadopelacomunidade, em 2010 foi realizado uma nova mobilização das mulheres para o lançamento e estabelecido um cronograma dos cursos a serem oferecidos no decorrer do ano. A maioria dos cursos foi realizada sem custos para as mulheres e aconteceram com o apoio do SENAR, Ministério de Agricultura
  • 51. 50 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 e Abastecimento - MAPA, APROSOJA que forneciam instrutores, palestrantes e o local dos cursos sem custos para o CAT- Sorriso. Alguns foram custeados pelas empresas privadas parceiras do projeto conforme a necessidade. Cursos mais pertinentes à agricultura familiar, como cooperativismo/ associativismo, foram realizados nos assentamentos rurais com o apoio da Secretaria de Agricultura no fornecimento de transporte para o grupo de mulheres até o local de realização. Assim, através do projeto, mais de 300 mulheres beneficiaram-se com cursos, seminários e eventos voltados para a questão de gênero e de sustentabilidade. O foco é a capacitação das mulheres nos temas solicitados por elas como: liderança, oratória, gestão da propriedade rural, práticas de sustentabilidade, cooperativismo/associativismo. Os seminários/fóruns servem como espaço para discussão e reflexão sobre o papel da mulher na sociedade atual, questões sobre violência doméstica e demais temas voltados para o gênero. Em novembro de 2010 foi realizado o I Fórum Construindo um Futuro Melhor com participação 150 mulheres de Sorriso e Região e foi criada, de maneira participativa, a Carta da Terra das Mulheres do Médio Norte de MT, mencionada anteriormente. A Carta é uma ferramenta orientadora do grupo para as ações a serem realizadas. No final do I Fórum a questão eleita para o ano de 2011 foi a coleta seletiva de lixo nas propriedades rurais. As ações foram definidas levando-se em consideração a simplicidade e a facilidade que as mulheres teriam para implementar, primeiro em suas casas e depois em suas comunidades, bairros, municípios, e assim por diante. Em 2011, foi elaborado o projeto “Conscientizar é Preciso” que tem como objetivo a coleta seletiva de lixo nas propriedades rurais das mulheres participantes do projeto Mulheres do Campo e trazer a discussão junto ao poder público e à sociedade um problema que, na maioria das vezes, é ignorado. O processo para a implantação desse projeto seguiu os mesmos passos dos anteriores, ou seja, definição de maneira participativa e em grupo do problema a ser solucionado; elaboração do projeto; apresentação deste para o grupo de mulheres e seu respectivo comprometimento com o trabalho; busca de parceiros e apoiadores (tanto na esfera pública como privada); implementação e, durante a realização dos Fóruns Construindo um Futuro Melhor,
  • 52. 51 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 apresentação dos resultados e avaliação do trabalho. Assim, o projeto prossegue até hoje. Em 2012 o tema abordado foi violência doméstica, quando várias ações de conscientização foram realizadas para mulheres do campo, desde participação em palestras sobre o tema como ações pontuais no dia internacional da mulher e apresentação do projeto em outros municípios como Nova Ubiratã, Ipiranga do Norte, Sinop. Atualmente, o foco do projeto das mulheres do campo está na reestruturação da Associação Produtiva das Mulheres da Poranga para o seu efetivo funcionamento. Esta Associação estava paralisada desde 2007 devido a falta de uma cozinha comunitária para fabricação dos produtos derivados de leite, cana e polpa de frutas do Cerrado. Com apoio do projeto, o grupo já elegeu a nova presidente, regularizou toda a documentação da associação e está dando suporte para a captação de recursos para a construção da cozinha comunitária. Neste caso, as produtoras rurais de larga escala estão apoiando ações da agricultura familiar para a melhoria da qualidade de vida de suas companheiras. Quais os desafios para a im- plantação do programa, para mantê-lo em funcionamento, e quais as perspectivas futuras para o mesmo? O projeto se concretizou devido às parcerias realizadas pelo CAT com empresas locais que contribuíram com os recursos necessários para a realização dos cursos e eventos para as mulheres, como foi o caso da Agrobaggio, do Grupo Amazônia, da Fundação AGRISUS – Agricultura Sustentável,SENAR,PrefeituraMunicipalde Sorriso, APROSOJA, Sindicato Rural. Além disso, tivemos o Ministério da Agricultura e Pecuária – MAPA, através do da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo-SDC/Departamento de Cooperativismo e Associativismo Rural- DENACOOP, do Programa Mato Grosso MT Regional e Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do MT - FAMATO como apoiadores do projeto. Ainda assim, a maior dificuldade é a captação de recursos para a ampliação dos trabalhos para atender um número maior de mulheres e para a implementação das ações propostas pelo grupo. Acreditamos que por o projeto propor sensibilização das mulheres com relação ao seu valor e
  • 53. 52 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 a sua capacidade de transformação social, o principal resultado não é produto visível e os resultados mais relevantes se dão no âmbito comportamental e atitudes de empoderamento. Outra dificuldade é manter o grupo motivado, o que exige um grande esforço tanto do CAT como daquelas mulheres que se destacaram dentro do grupo como líderes. Durante os quatro anos de desenvolvimento deste projeto verificamos que o número de integrantes que participam efetivamente do trabalho varia devido a diversos fatores como: a influência negativa ou a falta de apoio de seus companheiros com relação a participação das mulheres nas reuniões/palestras, isto, tanto junto ao grupo da agricultura familiar como junto ao grupo das grandes proprietárias rurais; a falta de paciência do grupo em atingir seus objetivos, como é o caso da captação de recursos para a construção da cozinha comunitária. Como perspectivas futuras, a intenção é continuarcomotrabalhodeempoderamento das mulheres do meio rural bem como conseguir colocar a Associação das Mulheres de volta ao funcionamento até o final de 2015. Como meta, o projeto quer aumentar em 30% a renda das participantes da Associação até julho de 2016. Como outros agentes ligados à agricultura e aos produtores rurais podeminiciarumprogramadesus- tentabilidade como este e inseri-lo em sua rotina de trabalho? Consideramos este projeto de grande relevância e de fácil aplicabilidade em qualquer região do país, uma vez que várias entidades - como a FAO, ONU Mulher e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento através do Programa Coopergênero/Denacoop - reconhecem a importância e a necessidade de se trabalhar com questões de gênero, tendo em vista que a realidade apontada pelas mulheres da área rural de Sorriso/MT se repete pelo mundo. Opassoapassoparainiciarumprograma como este é simples e a metodologia para tal já está amplamente estabelecida. O aspecto do “novo” é abordar justamente a questão do gênero e colocar a mulher como ente fundamental na promoção da sustentabilidade, usar os aspectos inerentes à condição da mulher como: a maternidade, o cuidado com a família, a sensibilidade e a maior facilidade em trabalhar em grupo. Levando-seemconsideraçãoestesaspectos o processo segue o caminho normal:
  • 54. 53 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 1. Identificação de um problema co- mum 2. Elaboração de um rascunho de pro- jeto para solucionar o problema de forma PARTICIPATIVA com a comunidade/grupo; 3. Apresentação e validação do projeto junto a comunidade e uma ação que sim- bolize o comprometimento da comunidade com o trabalho a ser realizado; 4. Apresentação do projeto para socie- dade em geral para captação de recursos e parcerias; 5. Organização de um evento de lança- mento oficial do projeto para a criação de um marco histórico junto ao grupo envolvi- do e a sociedade em geral; 6. Engajamento contínuo da comunida- de; 7. Implementação do projeto e avalia- ção; Ponto essencial a ser frisado é a constante participação da comunidade em todas as partes da elaboração do projeto e de seu desenvolvimento, inclusive com a delegação de responsabilidades para pessoas que se destaquem como líderes neste processo. A constante divulgação do andamento do projeto para a sociedade em geral é ponto fundamental, porque trabalha com a autoestima dos participantes e faz com que a sociedade se torne um agente de monitoramento do projeto.
  • 55. 54 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 Case summary The Project “Farm Women: the female strength in action for a sustainable development” started in 2009 after an evaluation with a group of 30 agricultural producers regarding women’s participation in agribusiness in the Sorriso municipality, State of Mato Grosso - MT. The main results of this evaluation have shown that women felt “excluded” and undervalued in the agricultural field, and they would like to have a more effective participation in the promotion of sustainability. Upon the identification of these problems, the Project “Farm Women” started. The Project suggested a number of training courses targeted to these women, and which focused on issues related to leadership, rural property management and women’s role in society at present. Due to the women’s participation in the courses and the increasing value assigned to them as individuals and as agents of social transformation, the group considered actions that focused on the promotion of sustainability, and these actions have been developed throughout the last years. In 2010 it was held the 1st Forum “Building a Better Future”. In 2011, the group adopted the cause of selective waste collection in rural properties, and in 2012, they started to use organic waste composting as fertilizer in the vegetable gardens in these rural properties. In 2013, the focus was the issue of domestic violence, and in 2014 the focus has been on the reactivation of the Associação Produtiva das Mulheres da Poranga [Productive Association of Women in Poranga]. Poranga is a popular name given to the Assentamento Jonas Pinheiro (Sorriso - MT) [Jonas Pinheiro Settlement]. The project’s objective is to produce goods derived from milk, sugar cane and pulps of native fruits of the Cerrado. This Association has existed since 2007, and the group’s intention is to restructure it and to motivate the women, so it resumes its effective operation, fostering income generation for the rural producers in the municipality. Why was the sustainability pro- gram created? The Clube Amigos da Terra - CAT - [Friends of the Earth Club] is an association consisted of family-based agricultural producers located in the municipality of Sorriso - MT, and its main action focuses on socio-environmental projects connected
  • 56. 55 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 to Environmental Education and support to rural producers, in order to promote overall sustainability. Sorriso is the world’s largest soybean producer and its economy is based on agriculture. In this context, the CAT had the idea of working with farm women and using the image that women commonly have as “mothers”, “protectors” and “care takers”, to design a campaign related to these producers, who were working on the land without degrading the environment. The idea was to invite these producers to participate more actively in the CAT. However, during a meeting with a group of 30 farm women it was evident that the concern with their image was not a priority. Other problems, like prejudice, land ownership, long work hours - both at home and on the fields -, lack of support, and depreciation inside and outside of the rural properties were also mentioned. On the other hand, the group showed that they would like to participate, give their opinion and be more active. During these debates, the CAT and the Sorriso Rural Labor Union decided to adopt the rural producers’ cause. From that moment on, the Project Farm Women was created. Its objective was to work with the producers and to address issues related to leadership and self-esteem, as well as to train them for agribusiness and for sustainable development. This way, they could feel safer and they could become the agents to foster sustainability within the municipality. Who benefits from this program, and how? The Project mainly benefits the female rural producers of Sorriso - MT. These workers can be either from family-based agriculture or from large scale agriculture, making a total of approximately 50 women. In general, they are between 35 till 40 years old, married, and immigrants from the southern region of Brazil. They usually have 2 or 3 children. Within the group of women who work with soybean production, most of them have concluded high school and some have finished college. The group of women from family-based agriculture is distributed in the Settlements Jonas Pinheiro - Poranga (216 families); Casulo (26 families), and Santa Rosa II (177 families). Most of them have concluded primary school, and there are younger women (the producers’ daughters) who are currently attending high school. The family income is about R$1.500,00 generated from the production of vegetables and
  • 57. 56 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 fruits. Some families rely on an older family member’s retirement income to add to their income. In the beginning of this project (2010), the main benefits offered to these women were courses and lectures (total 10) that approached including technical subjects, such as rural property management, leadership and cooperativism, to issues related to gender, such as women empowerment and women’s role in society. Then, from 2011 on, after the elaboration of the Carta da Terra do Médio Norte do MT [Open Letter from the Mid-northern Mato Grosso], a guideline for the group’s future actions to foster a sustainable development, began the actions undertaken by rural women in their communities. The CAT gives all the necessary support so that the group’s proposals come to life, from the elaboration of projects and support to raise funds to make things happen in the fields, to the support to women’s movements and the society in general, as well as a support from governmental agencies. Thus, the biggest benefit is to show these women that, with the development of autonomy, they have the power to change their socio- economic reality, by means of proactive attitude and group cohesion. How does the program work? The program originated from the identification of problems that were common to women from family-based agriculture and to those working in large scale agriculture. Upon the identification of these problems, together with the group of 30 women, the possible solutions were discussed, and with the group’s active participation, it was created the Project “Farm Women: the female strength in action for a sustainable development”. With this project in hand, the CAT presented it to various public and private agencies, such as: Rural Labor Union, Municipial Secretariat of Agriculture and the Environment, National Service of Agricultural Learning - SENAR, and the Association of the Producers of Soybean and Corn of Mato Grosso - APROSOJA. The Project has proved itself in all possible ways due to these reasons: it was elaborated by a group of people from the local community, and not only from a single person or agency; its application was simple; its theme is a crucial and current matter nowadays; and it has brought the discussion regarding prejudice against women to light. For all these reasons, the Project made it possible to raise funds and establish partnerships for its operation.
  • 58. 57 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 As the project was approved by the community, in 2010 a new effort among the women was made in order to launch the project officially and to produce a schedule of the courses to be offered throughout the year. Most courses were offered free of charge to the women. These courses had the support from the SENAR, the Ministry of Agriculture and Supply - MAPA, and the APROSOJA, which supplied instructors, lecturers and venues for the courses at the CAT- Sorriso. When necessary, some courses were paid by the private companies that are the project’s partners. The courses that were more closely related to family-based agriculture, such as cooperativism/associationism, took place in the rural settlements, with the support from the Secretariat of Agriculture, which offered the group of women transportation to the course venue. Thus, through the project, more than 300 women were benefitted by means of courses, seminars and events that focused on gender and sustainability. The focus is women’s qualification in the fields suggested by them, such as leadership, speaking skills, rural property management, sustainable practices, and cooperativism/associationism. The seminars/forums serve as a place for discussion and reflection regarding the women’s role in current society, issues related to domestic violence and other gender-based topics. In November 2010, it was held the 1st Forum “Building a Better Future”, with the participation of 150 women from Sorriso and surrounding areas. On that occasion, it was elaborated the “Open Letter from the Women of the Mid-northern Mato Grosso-MT”, previously mentioned. The Letter is a guideline for the group, in order to carry out the actions written therein. In the end of the Forum, the issue chosen to be dealt with in 2011 was the selective waste collection in the rural properties. The actions were chosen after considering that it would be simple and easy for the women to establish it first in their own homes, and then in their communities, neighborhoods, municipalities and so on. In 2011, it was elaborated the project “Awareness is Necessary”, whose objective is the selective waste collection in the rural properties where the participating women live, and to bring this discussion to the public power and to the society in general, as this problem has been mostly ignored. The process for establishing this project followed the same steps of the previous
  • 59. 58 Gestão Sustentável na Agricultura - 2015 ones, that is, collectively choosing the problem to be solved, elaborating the project, presenting it to the women’s group, evaluating the group’s commitment to the work, searching partnerships and supporters (both in the public and private areas), establishing the project, presenting the results and the work’s evaluation (during the Forums “Building a Better Future”). The project has continued like this until today. In 2012, the topic approached was domestic violence. Many campaigns to raise women’s awareness were conducted. These campaigns included participation in lectures about the topic, specific actions on Women’s Day and the presentation of the project in other towns like Nova Ubiratã, Ipiranga do Norte, and Sinop. Currently, the focus of the project is on the reorganization of the Productive Association of Women in Poranga, in order to make it operate effectively. This Association has not been operating since 2007, due to the lack of a community kitchen to manufacture the products derived from milk, sugar cane and pulp of the fruits native of the Cerrado. With the project’s support, the group has already chosen the new president, made official all the association’s documents and is currently giving support in order to raise funds to build a community kitchen. In this case, the female workers from large scale agricultural production are giving support to the family-based producers, aiming at the latter’s better quality of life. What were the challenges in program implementation, to keep it running, and what are its future perspectives? The project has only become possible due to the partnerships formed between the CAT and the local companies that had provided for the resources needed to conduct the courses and events for the women. Some of these partners are Agrobaggio, the Grupo Amazônia, the AGRISUS Foundation - Sustainable Agriculture; the SENAR, the Sorriso City Hall, APROSOJA, and the Rural Labor Union. Moreover, we have had the support from the Ministry of Agriculture and Supply - MAPA, by means of its Secretariat of Agricultural Development and Cooperativism-SDC/Department of Cooperativism and Rural Associationism - DENACOOP, also from the Regional MT and the Agriculture and Livestock Federation of the Mato Grosso State - FAMATO.