SlideShare uma empresa Scribd logo

A importância da longevidade das vacas de corte

A importância da longevidade das vacas de corte

1 de 6
Baixar para ler offline
A IMPORTÂNCIA DA LONGEVIDADE DAS VACAS DE CORTE
Rafael Herrera Alvarez
Med. Vet e Zoot., Dr., PqC do Polo Regional Centro Sul-DDD/APTA/SAA
rherrera@apta.sp.gov.br
João Batista Pereira de Carvalho
Med. Vet., Dr., PqC do Polo Regional Vale do Paraíba-DDD/APTA/SAA
jbcarvalho@apta.sp.gov.br
INTRODUÇÃO
Em produção animal, o termo longevidade tem um significado relacionado com a
permanência mais longa que o comum de um animal no rebanho.
Dos motivos que justificam a permanência de vacas produtivas e longevas no rebanho, o
mais relevante deriva do fato de poder diminuir o número de novilhas destinadas à
reposição, com a consequente redução de custos para produzir essa categoria de animais.
Adicionalmente, ao diminuir o número de novilhas de reposição, o produtor pode ser mais
seletivona escolha das novilhas que deseja manter no rebanho (Baldi, 2016).
Rebanhos com uma maior proporção de vacas adultas geralmente têm um maior número de
bezerros, com maior peso à desmama. Os custos de manutenção das vacas também são
diluídos pelo maior número de bezerros e, para os criadores de gado de raças puras, o
aumento da longevidade permite uma maior intensidade de seleção para essa
característica.
O maior inconveniente de utilizar vacas longevas no rebanho é o aumento do intervalo de
gerações,devido à menor velocidade de introdução de genética nova, teoricamente superior
(Endecott et al, 2013).
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017
Reprodução e permanência de vacas de corte longevas nos rebanhos
As vacas de corte apresentam um desempenho reprodutivo consistente até a idade de oito
anos, começa a declinar aos dez anos e cai,de forma mais acentuada, aos doze anos de
idade. Por esse motivo, a maioria dos produtores adota o descarte sistemático das vacas
com idades entre oito e onze anos, independentemente da sua capacidade de continuar
gerando filhos.
Contudo, alguns produtores adotam o velho ditado de "só mais um bezerro" para manter as
vacas que parem regularmente, embora com idade avançada. Com efeito, do ponto de vista
fisiológico, as vacas longevas são capazes de levar uma gestação a termo, bem como
amamentar suas crias de forma adequada,mesmo que a função reprodutiva (população
folicular) decresça exponencialmente com a idade (Figura 1),
Figura 1. Característica dos ovários de vac
Figura 1. Característica dos ovários de vacas jovens, com 4 anos de idade (a) e longevas, com idade aproximada
de 15 anos (b). Fotos do Autor.
Além da condição física da vaca, à medida que ela envelhece, a fertilidade, habilidade
materna e a saúde (da vaca e de seus bezerros) são fatores condicionantes da permanência
das vacas longevas nos rebanhos. Vacas que apresentam dificuldade na parição, idade
avançada ao primeiro parto e menos de um bezerro produzido por ano, aumentamsua
probabilidade de descarte.
a) b)
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017
Fatores relacionados com a longevidade de vacas de corte
A longevidade da vaca é influenciada por diversos fatores, incluindo a idade ao primeiro
serviço, facilidade de parto, habilidade materna, produção de leite, porte, capacidade de
armazenar gordura corporal, capacidade de suportar condições climáticas extremas, firmeza
do úbere, solidez do esqueleto, ausência de defeitos genéticos, dentre outros.
As vacas são descartadas dos rebanhos por diversas razões, mas a causa principal
provavelmente seja o desgaste ou perda dos dentes, que ocorre ao longo do tempo e que
afeta a capacidade da vaca colher forragem, consumir alimentos e manter a condição
corporal (Parish, 2016).
A longevidade também é influenciada pela raça. Vacas de corte das raças zebuínas (Bos t.
indicus) tendem a ser mais longevas que as vacas mestiças que, por sua vez, são mais
longevas que as raças taurinas puras (Bos t. taurus).
Dentro das raças, um fator-chave para a longevidade está na combinação do tamanho
maduro da vaca e sua capacidade de produzir leite,em um determinado ambiente de
produção. Animais grandes e altamente produtivos são mais suscetíveis de descarte
precoce devido, por um lado, ao desgaste fisiológico naturale, por outro lado, à falta de
alimentos e cuidados para atender as necessidades metabólicas de produção.
Em estudo realizado em vários rebanhos, as principais causas que levaram ao descarte das
vacas longevas manejadas em pastagens foram, em ordem decrescente:problemas
reprodutivos (falha na prenhez; patologias reprodutivas); razões econômicas (preço baixo de
bezerros, preços atrativos de mercado de vacas); disponibilidade insuficiente de alimento
(particularmente na época seca); produção de bezerros fracos; condição física;
temperamento; problemas de úbere; afecções dos olhos; problemas respiratóriose
problemas digestivos (Sanders, 2016).
Dessa forma, a análise dos fatores que determinam o descarte das vacas deve ser realizado
constantemente. Para tanto, o controle zootécnico individual deve registrar o tempo de
permanência e o motivo pela qual cada vaca deixa o rebanho.Esses registros podem ser
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017
utilizados para fazer predições genéticas das características reprodutivas dos animais,
incluindo a longevidade. (Figura 2).
Figura 2. A analise doregistro zootécnico individual permite tomar decisões adequadas sobre as vacas que
devem ser descartadas do rebanho a cada ano. Foto do Autor.
Preditores genéticos incluem DEPs (Diferença Esperada da Progênie) para stayability (os
melhoristas chamam a longevidade de “stayability”). A stayability indica as diferenças no
percentual de filhas remanescentes no rebanho aos seis anos de idade (Da Cruz, 2016).
Esse período é usado,em raças taurinas, porque foi mostrado que as vacas equilibram seu
custo de manutenção (incluindo o período de recria) somente após seu quartoparto, quando
a vaca tem seisanos de vida, se parir anualmente a partir de dois anos de idade. Ainda,
existe evidência que vacas que produzem ininterruptamente, até os seis anos de idade, são
susceptíveis de também ser produtiva sem idades mais avançadas (Szabó eDákay, 2009)
Considerando que não existem indicadores genéticos de longevidade expressos no início da
vida produtiva ou reprodutiva, a seleção para stayability é relativamente pouco eficaz. Por
esse motivo, as vacas longevas são um excelente modelo para validar ou realizar estudos
sobre os genes envolvidos na fertilidade e outras características produtivas e reprodutivas.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017
Por exemplo, a análise da expressão de certos genes, no endométrio e no ovário de
novilhas de alta e baixa fertilidade, resultou na descoberta de diversos polimorfismos de
nucleotídeo simples (SNP) (Killeen et al., 2014). Se os SNPassociados com alta
fertilidadetambém estiverem relacionados com a longevidade reprodutiva, os mesmos
poderiam ser utilizados como marcadores genéticos em programas de melhoramento
genético para essa característica.
Considerações finais
A decisão de retervacascom idades avançadas oufazer um descarte mais precocepara
aumentar a taxa de ganho genético do rebanho deve ser tomada após uma análise
criteriosa dos registros reprodutivos dos animais e, principalmente, do mercado, que
determina o valor econômico e a rentabilidade do sistema de cria.
LITERATURA RECOMENDADA
Fernando Baldi. Stayability: Qual é a sua importância para o rebanho e como aumentar a
longevidade das matrizes? In: ANCP Ensino Online, 2015. http://www.ancp.org.br/producao-
cientifica/33/ensino-online-stayability-qual-a-sua-importa-ncia-para-rebanho-e-como-
aumentar-longevidade-das-matrizes#.VwwAEvkrLIU.Acesso em: 10 out 2016.
Diego A. Da Cruz. Stayability: manter a vaca por mais tempo no rebanho para aumentar a
lucratividade! In: https://www.biosistemico.org.br/blog/stayability-manter-vaca-por-mais-
tempo-no-rebanho-para-aumentar-lucratividade/Acessoem: 10 out 2016.
Endecott, R.L., Funston, R.N., Mulliniks, J.T., Roberts, A. J. Implications of beef heifer
development systems and lifetime productivity. Animal Science, v.91, p.1329–1335, 2013.
Jane Parish. Beef Cow Longevity. In: https://extension.msstate.edu/sites/default/files/topic-
files/cattle-business-mississippi-articles/cattle-business-mississippi-articles-landing-
page/mca_novdec2010.pdf. Acessoem: 10 out 2016.
JimSanders.Productive Longevity in Beef
Cows.In:http://www.bifconference.com/bif2012/proceedings-pdf/04sanders2.pdf.Acessoem:
10 out 2016.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017
Killeen, A.P., Morris D.G, Kenny, D.A., Mullen, M.P., Diskin, M.G., Waters, S.M. Global gene
expression in endometrium of high and low fertility heifers during the mid-luteal phase of the
estrous cycle. BMC Genomics, v.15, p.234-256, 2014.
Szabó, F., Dákay, I. Estimation of some productive and reproductive effects on longevity of
beef
cows using survival analysis.Livestock Science, v.122,p.271–275, 2009.

Recomendados

Paintball
PaintballPaintball
Paintball8acv
 
Dor em membros inferiores
Dor em membros inferioresDor em membros inferiores
Dor em membros inferioresPaulo Alambert
 
Pé diabético no contexto da neuropatia diabética e doença arterial periférica
Pé diabético no contexto da neuropatia diabética e doença arterial periféricaPé diabético no contexto da neuropatia diabética e doença arterial periférica
Pé diabético no contexto da neuropatia diabética e doença arterial periféricaadrianomedico
 
Plano da disciplina Fundamentos e Prática da Educação Física, Recreação e Jogos
Plano da disciplina Fundamentos e Prática da Educação Física, Recreação e JogosPlano da disciplina Fundamentos e Prática da Educação Física, Recreação e Jogos
Plano da disciplina Fundamentos e Prática da Educação Física, Recreação e JogosFernando S. S. Barbosa
 
AULA 1 O PODER DA MÍDIA E OS ESPORTES BRASILEIROS.pptx
AULA 1 O PODER DA MÍDIA E OS ESPORTES BRASILEIROS.pptxAULA 1 O PODER DA MÍDIA E OS ESPORTES BRASILEIROS.pptx
AULA 1 O PODER DA MÍDIA E OS ESPORTES BRASILEIROS.pptxJssicaLeo8
 
Doenças má alimentação
Doenças má alimentaçãoDoenças má alimentação
Doenças má alimentaçãoMaria Sequeira
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guia paralímpico - EVO
Guia paralímpico - EVOGuia paralímpico - EVO
Guia paralímpico - EVOJaque Godinho
 
05 educação física capacidades físicas-diego
05 educação física capacidades físicas-diego05 educação física capacidades físicas-diego
05 educação física capacidades físicas-diegoWALTER ALENCAR DE SOUSA
 
Projeto de Patrocínio - João Vítor - Judô
Projeto de Patrocínio - João Vítor - JudôProjeto de Patrocínio - João Vítor - Judô
Projeto de Patrocínio - João Vítor - Judôjudodiv
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoPortal Canal Rural
 
Modalidades-esportes
Modalidades-esportesModalidades-esportes
Modalidades-esporteseducaedil
 
Slide do projeto - Plano de Captação de Patrocínio
Slide do projeto - Plano de Captação de PatrocínioSlide do projeto - Plano de Captação de Patrocínio
Slide do projeto - Plano de Captação de PatrocínioAlfredo Tavares
 
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]melissageraldo
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdfAutómono
 
Atividade fisica ecancer de mama 2019
Atividade fisica ecancer de mama 2019Atividade fisica ecancer de mama 2019
Atividade fisica ecancer de mama 2019Maita Araujo
 
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptx
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptxSemana da Educação Alimentar nas Escolas.pptx
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptxAlisonLopes13
 
Corredores Logísticos Estratégicos
Corredores Logísticos EstratégicosCorredores Logísticos Estratégicos
Corredores Logísticos Estratégicosslides-mci
 
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdf
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdfFichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdf
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdfIrineuProfessor1
 

Mais procurados (20)

Esgrima
EsgrimaEsgrima
Esgrima
 
Guia paralímpico - EVO
Guia paralímpico - EVOGuia paralímpico - EVO
Guia paralímpico - EVO
 
05 educação física capacidades físicas-diego
05 educação física capacidades físicas-diego05 educação física capacidades físicas-diego
05 educação física capacidades físicas-diego
 
Projeto de Patrocínio - João Vítor - Judô
Projeto de Patrocínio - João Vítor - JudôProjeto de Patrocínio - João Vítor - Judô
Projeto de Patrocínio - João Vítor - Judô
 
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de PescadoManual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
Manual de Boas Práticas de Manipulação de Pescado
 
Modalidades-esportes
Modalidades-esportesModalidades-esportes
Modalidades-esportes
 
Avaliacao
AvaliacaoAvaliacao
Avaliacao
 
Artose
ArtoseArtose
Artose
 
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveteradaLuxacao gleno umeral aguda e inveterada
Luxacao gleno umeral aguda e inveterada
 
Artrose
ArtroseArtrose
Artrose
 
Osteoartrite
OsteoartriteOsteoartrite
Osteoartrite
 
Slide do projeto - Plano de Captação de Patrocínio
Slide do projeto - Plano de Captação de PatrocínioSlide do projeto - Plano de Captação de Patrocínio
Slide do projeto - Plano de Captação de Patrocínio
 
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]
Slides do trabalho_esgrima_maria_helena[1]
 
Condromalácia patelar seminario pdf
Condromalácia patelar  seminario pdfCondromalácia patelar  seminario pdf
Condromalácia patelar seminario pdf
 
Atividade fisica ecancer de mama 2019
Atividade fisica ecancer de mama 2019Atividade fisica ecancer de mama 2019
Atividade fisica ecancer de mama 2019
 
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptx
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptxSemana da Educação Alimentar nas Escolas.pptx
Semana da Educação Alimentar nas Escolas.pptx
 
Corredores Logísticos Estratégicos
Corredores Logísticos EstratégicosCorredores Logísticos Estratégicos
Corredores Logísticos Estratégicos
 
Artrose de joelho
Artrose de joelhoArtrose de joelho
Artrose de joelho
 
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdf
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdfFichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdf
Fichas tecnicas de preparo e receituario-3.pdf
 
Lombalgias
LombalgiasLombalgias
Lombalgias
 

Semelhante a A importância da longevidade das vacas de corte

Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...
Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...
Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...ANCP Ribeirão Preto
 
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da GuabiManual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da GuabiSérgio Amaral
 
Apostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaApostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaLenildo Araujo
 
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corte
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corteComposição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corte
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corteUlisses Nilo Landi
 
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVOAAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVOJussara Telma dos Santos
 
Apresentação prof rodrigo
Apresentação prof rodrigoApresentação prof rodrigo
Apresentação prof rodrigogepaunipampa
 
13 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-201113 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-2011Cutrim Junior
 
Frango corte
Frango corteFrango corte
Frango cortemvezzone
 
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrinofabianomarin1
 
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptx
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptxaula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptx
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptxHELIDAFERNANDESLEAO
 
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentar
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentarPesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentar
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentarAgricultura Sao Paulo
 
Manual de Manejo de Matrizes Ross
Manual de Manejo de Matrizes Ross Manual de Manejo de Matrizes Ross
Manual de Manejo de Matrizes Ross Sérgio Amaral
 
Desempenho Reprodutivo do Nelore Bacuri
Desempenho Reprodutivo do Nelore BacuriDesempenho Reprodutivo do Nelore Bacuri
Desempenho Reprodutivo do Nelore BacuriANCP Ribeirão Preto
 
Artigo - Leite de Cabra
Artigo - Leite de CabraArtigo - Leite de Cabra
Artigo - Leite de CabraGeorge Lucas
 
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRASMANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRASAgriPoint
 
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeProdução eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeRural Pecuária
 
desempenho e rendimento cortes frangos.pdf
desempenho e rendimento cortes frangos.pdfdesempenho e rendimento cortes frangos.pdf
desempenho e rendimento cortes frangos.pdfThaiCarla
 

Semelhante a A importância da longevidade das vacas de corte (20)

Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...
Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...
Ensino Online: Stayability - Qual é sua importância para o rebanho e como aum...
 
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da GuabiManual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
Manual de Confinamento de Bovinos de Corte da Guabi
 
Apostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basicaApostila sunicultura basica
Apostila sunicultura basica
 
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corte
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corteComposição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corte
Composição dos alimentos e exigências nutricionais de bovinos de corte
 
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVOAAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
AAC-Estacao-de-monta.pdf - MANEJO REPRODUTIVO
 
Apresentação prof rodrigo
Apresentação prof rodrigoApresentação prof rodrigo
Apresentação prof rodrigo
 
13 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-201113 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-2011
 
Frango corte
Frango corteFrango corte
Frango corte
 
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
22692estrategias reprodutivas carlos_augusto_gontijo_pellegrino
 
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptx
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptxaula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptx
aula 1 capriovinos importancia social e econômica dos caprinos e ovinos.pptx
 
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentar
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentarPesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentar
Pesquisa do IZ identifica nelore com melhor eficiência alimentar
 
Manual de Manejo de Matrizes Ross
Manual de Manejo de Matrizes Ross Manual de Manejo de Matrizes Ross
Manual de Manejo de Matrizes Ross
 
Desempenho Reprodutivo do Nelore Bacuri
Desempenho Reprodutivo do Nelore BacuriDesempenho Reprodutivo do Nelore Bacuri
Desempenho Reprodutivo do Nelore Bacuri
 
Cunicultura
CuniculturaCunicultura
Cunicultura
 
Artigo - Leite de Cabra
Artigo - Leite de CabraArtigo - Leite de Cabra
Artigo - Leite de Cabra
 
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRASMANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS
MANEJO NUTRICIONAL PARA A MÁXIMA EFICIÊNCIA NA RECRIA DE NOVILHAS LEITEIRAS
 
Machos ou femeas
Machos ou femeasMachos ou femeas
Machos ou femeas
 
Machos ou femeas
Machos ou femeasMachos ou femeas
Machos ou femeas
 
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeProdução eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
 
desempenho e rendimento cortes frangos.pdf
desempenho e rendimento cortes frangos.pdfdesempenho e rendimento cortes frangos.pdf
desempenho e rendimento cortes frangos.pdf
 

Mais de Rural Pecuária

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Rural Pecuária
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).Rural Pecuária
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Rural Pecuária
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Rural Pecuária
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalRural Pecuária
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...Rural Pecuária
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Rural Pecuária
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorRural Pecuária
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaRural Pecuária
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoRural Pecuária
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasRural Pecuária
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Rural Pecuária
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Rural Pecuária
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...Rural Pecuária
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Rural Pecuária
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovadoRural Pecuária
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelRural Pecuária
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesRural Pecuária
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Rural Pecuária
 
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
EFEITO DO ESTANDE DE PLANTAS NA EXPRESSÃO DA VIROSE EM AMENDOIM NO ESTADO DE ...
 

Último

ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docxMAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx2m Assessoria
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxjosecarlos413721
 
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docx
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docxMAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docx
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx2m Assessoria
 
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024Ismael Ash
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docx
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docxMAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docx
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docxjosecarlos413721
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx2m Assessoria
 
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareApresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareAleatório .
 
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxMAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docxATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docxATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx2m Assessoria
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx2m Assessoria
 

Último (20)

ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docxMAPA   -   DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
MAPA - DESENHO TÉCNICO - 51-2024.docx
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docxMAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
MAPA - INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 51-2024.docx
 
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docx
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docxMAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docx
MAPA - PROGRAMAÇÃO E CÁLCULO NUMÉRICO - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - PERÍCIA, ARBITRAGEM E ATUÁRIA - 512024.docx
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
 
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024
Serviços para fazer deploy do seu Frontend - react ceara 8 meetup 2024
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docx
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docxMAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docx
MAPA - RH - PLANEJAMENTO DE RECURSOS HUMANOS - 51-2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docxATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - CCONT - ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA - 512024.docx
 
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de softwareApresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
Apresentação bichinhos da TI: o que é esse arquiteto de software
 
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docxMAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
MAPA - ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE - 512024.docx
 
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docxMAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA  - 512024.docx
MAPA -INTRODUÇÃO À ENGENHARIA - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docxATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - TEORIA DAS ESTRUTURAS I - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docxATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - GCOM - TÉCNICAS DE NEGOCIAÇÃO E VENDAS - 512024.docx
 
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docxMAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES  - 512024.docx
MAPA - ADSIS - FUNDAMENTOS E ARQUITETURA DE COMPUTADORES - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docxATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
ATIVIDADE 1- LÓGICA PARA COMPUTAÇÃO - 512024.docx
 
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docxATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
ATIVIDADE 1 - PESQUISA OPERACIONAL - 512024.docx
 

A importância da longevidade das vacas de corte

  • 1. A IMPORTÂNCIA DA LONGEVIDADE DAS VACAS DE CORTE Rafael Herrera Alvarez Med. Vet e Zoot., Dr., PqC do Polo Regional Centro Sul-DDD/APTA/SAA rherrera@apta.sp.gov.br João Batista Pereira de Carvalho Med. Vet., Dr., PqC do Polo Regional Vale do Paraíba-DDD/APTA/SAA jbcarvalho@apta.sp.gov.br INTRODUÇÃO Em produção animal, o termo longevidade tem um significado relacionado com a permanência mais longa que o comum de um animal no rebanho. Dos motivos que justificam a permanência de vacas produtivas e longevas no rebanho, o mais relevante deriva do fato de poder diminuir o número de novilhas destinadas à reposição, com a consequente redução de custos para produzir essa categoria de animais. Adicionalmente, ao diminuir o número de novilhas de reposição, o produtor pode ser mais seletivona escolha das novilhas que deseja manter no rebanho (Baldi, 2016). Rebanhos com uma maior proporção de vacas adultas geralmente têm um maior número de bezerros, com maior peso à desmama. Os custos de manutenção das vacas também são diluídos pelo maior número de bezerros e, para os criadores de gado de raças puras, o aumento da longevidade permite uma maior intensidade de seleção para essa característica. O maior inconveniente de utilizar vacas longevas no rebanho é o aumento do intervalo de gerações,devido à menor velocidade de introdução de genética nova, teoricamente superior (Endecott et al, 2013).
  • 2. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017 Reprodução e permanência de vacas de corte longevas nos rebanhos As vacas de corte apresentam um desempenho reprodutivo consistente até a idade de oito anos, começa a declinar aos dez anos e cai,de forma mais acentuada, aos doze anos de idade. Por esse motivo, a maioria dos produtores adota o descarte sistemático das vacas com idades entre oito e onze anos, independentemente da sua capacidade de continuar gerando filhos. Contudo, alguns produtores adotam o velho ditado de "só mais um bezerro" para manter as vacas que parem regularmente, embora com idade avançada. Com efeito, do ponto de vista fisiológico, as vacas longevas são capazes de levar uma gestação a termo, bem como amamentar suas crias de forma adequada,mesmo que a função reprodutiva (população folicular) decresça exponencialmente com a idade (Figura 1), Figura 1. Característica dos ovários de vac Figura 1. Característica dos ovários de vacas jovens, com 4 anos de idade (a) e longevas, com idade aproximada de 15 anos (b). Fotos do Autor. Além da condição física da vaca, à medida que ela envelhece, a fertilidade, habilidade materna e a saúde (da vaca e de seus bezerros) são fatores condicionantes da permanência das vacas longevas nos rebanhos. Vacas que apresentam dificuldade na parição, idade avançada ao primeiro parto e menos de um bezerro produzido por ano, aumentamsua probabilidade de descarte. a) b)
  • 3. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017 Fatores relacionados com a longevidade de vacas de corte A longevidade da vaca é influenciada por diversos fatores, incluindo a idade ao primeiro serviço, facilidade de parto, habilidade materna, produção de leite, porte, capacidade de armazenar gordura corporal, capacidade de suportar condições climáticas extremas, firmeza do úbere, solidez do esqueleto, ausência de defeitos genéticos, dentre outros. As vacas são descartadas dos rebanhos por diversas razões, mas a causa principal provavelmente seja o desgaste ou perda dos dentes, que ocorre ao longo do tempo e que afeta a capacidade da vaca colher forragem, consumir alimentos e manter a condição corporal (Parish, 2016). A longevidade também é influenciada pela raça. Vacas de corte das raças zebuínas (Bos t. indicus) tendem a ser mais longevas que as vacas mestiças que, por sua vez, são mais longevas que as raças taurinas puras (Bos t. taurus). Dentro das raças, um fator-chave para a longevidade está na combinação do tamanho maduro da vaca e sua capacidade de produzir leite,em um determinado ambiente de produção. Animais grandes e altamente produtivos são mais suscetíveis de descarte precoce devido, por um lado, ao desgaste fisiológico naturale, por outro lado, à falta de alimentos e cuidados para atender as necessidades metabólicas de produção. Em estudo realizado em vários rebanhos, as principais causas que levaram ao descarte das vacas longevas manejadas em pastagens foram, em ordem decrescente:problemas reprodutivos (falha na prenhez; patologias reprodutivas); razões econômicas (preço baixo de bezerros, preços atrativos de mercado de vacas); disponibilidade insuficiente de alimento (particularmente na época seca); produção de bezerros fracos; condição física; temperamento; problemas de úbere; afecções dos olhos; problemas respiratóriose problemas digestivos (Sanders, 2016). Dessa forma, a análise dos fatores que determinam o descarte das vacas deve ser realizado constantemente. Para tanto, o controle zootécnico individual deve registrar o tempo de permanência e o motivo pela qual cada vaca deixa o rebanho.Esses registros podem ser
  • 4. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017 utilizados para fazer predições genéticas das características reprodutivas dos animais, incluindo a longevidade. (Figura 2). Figura 2. A analise doregistro zootécnico individual permite tomar decisões adequadas sobre as vacas que devem ser descartadas do rebanho a cada ano. Foto do Autor. Preditores genéticos incluem DEPs (Diferença Esperada da Progênie) para stayability (os melhoristas chamam a longevidade de “stayability”). A stayability indica as diferenças no percentual de filhas remanescentes no rebanho aos seis anos de idade (Da Cruz, 2016). Esse período é usado,em raças taurinas, porque foi mostrado que as vacas equilibram seu custo de manutenção (incluindo o período de recria) somente após seu quartoparto, quando a vaca tem seisanos de vida, se parir anualmente a partir de dois anos de idade. Ainda, existe evidência que vacas que produzem ininterruptamente, até os seis anos de idade, são susceptíveis de também ser produtiva sem idades mais avançadas (Szabó eDákay, 2009) Considerando que não existem indicadores genéticos de longevidade expressos no início da vida produtiva ou reprodutiva, a seleção para stayability é relativamente pouco eficaz. Por esse motivo, as vacas longevas são um excelente modelo para validar ou realizar estudos sobre os genes envolvidos na fertilidade e outras características produtivas e reprodutivas.
  • 5. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017 Por exemplo, a análise da expressão de certos genes, no endométrio e no ovário de novilhas de alta e baixa fertilidade, resultou na descoberta de diversos polimorfismos de nucleotídeo simples (SNP) (Killeen et al., 2014). Se os SNPassociados com alta fertilidadetambém estiverem relacionados com a longevidade reprodutiva, os mesmos poderiam ser utilizados como marcadores genéticos em programas de melhoramento genético para essa característica. Considerações finais A decisão de retervacascom idades avançadas oufazer um descarte mais precocepara aumentar a taxa de ganho genético do rebanho deve ser tomada após uma análise criteriosa dos registros reprodutivos dos animais e, principalmente, do mercado, que determina o valor econômico e a rentabilidade do sistema de cria. LITERATURA RECOMENDADA Fernando Baldi. Stayability: Qual é a sua importância para o rebanho e como aumentar a longevidade das matrizes? In: ANCP Ensino Online, 2015. http://www.ancp.org.br/producao- cientifica/33/ensino-online-stayability-qual-a-sua-importa-ncia-para-rebanho-e-como- aumentar-longevidade-das-matrizes#.VwwAEvkrLIU.Acesso em: 10 out 2016. Diego A. Da Cruz. Stayability: manter a vaca por mais tempo no rebanho para aumentar a lucratividade! In: https://www.biosistemico.org.br/blog/stayability-manter-vaca-por-mais- tempo-no-rebanho-para-aumentar-lucratividade/Acessoem: 10 out 2016. Endecott, R.L., Funston, R.N., Mulliniks, J.T., Roberts, A. J. Implications of beef heifer development systems and lifetime productivity. Animal Science, v.91, p.1329–1335, 2013. Jane Parish. Beef Cow Longevity. In: https://extension.msstate.edu/sites/default/files/topic- files/cattle-business-mississippi-articles/cattle-business-mississippi-articles-landing- page/mca_novdec2010.pdf. Acessoem: 10 out 2016. JimSanders.Productive Longevity in Beef Cows.In:http://www.bifconference.com/bif2012/proceedings-pdf/04sanders2.pdf.Acessoem: 10 out 2016.
  • 6. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 14, n. 2, Jul-Dez 2017 Killeen, A.P., Morris D.G, Kenny, D.A., Mullen, M.P., Diskin, M.G., Waters, S.M. Global gene expression in endometrium of high and low fertility heifers during the mid-luteal phase of the estrous cycle. BMC Genomics, v.15, p.234-256, 2014. Szabó, F., Dákay, I. Estimation of some productive and reproductive effects on longevity of beef cows using survival analysis.Livestock Science, v.122,p.271–275, 2009.