SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
1
Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua
propriedade*
Afonso Peche Filho
Instituto Agronômico, Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Engenharia e Automação,
peche@iac.sp.gov.br
* Campinas (SP), setembro de 2013
Atualmente o conhecimento acumulado pelas diferentes experiências de
sucesso com o Sistema Plantio Direto permite a sua recomendação para qualquer
tipo de exploração agrícola. É necessário seguir algumas premissas básicas para
implantar o sistema corretamente e ter sucesso garantido. Em função dos diferentes
impactos causados pelo uso contínuo da mobilização do solo e a sua exposição às
chuvas sabemos que as glebas apresentam baixa fertilidade em subsuperfície e
“cicatrizes” de erosão espalhadas pela superfície. Assim, como regra geral, para
uma ótima condição de implantação as atividades devem ter início duas ou três
safras antes. Para tanto, sugerimos os seguintes procedimentos:
1- Ao escolher a gleba, realizar uma adequada amostragem de solos, colhendo
amostras preferencialmente no final da safra de verão.
2- O esquema de amostragem deve permitir obter uma boa coleta, que represente a
situação do solo na parte superior, no meio e na parte baixa do terreno. Uma boa
amostra é composta de 15 a 20 pontos.
3- É fundamental obter amostras de 0 a 20 e de 20 a 40 cm de profundidade. As
amostras de superfície são para atender recomendações para fertilização de base e
as amostras de profundidade são para atender à correção da acidez e ao
2
suprimento de cálcio, elemento fundamental para o desenvolvimento radicular.
4- De acordo com os resultados das análises de solo, realizar logo ao final da safra
de verão as aplicações de corretivos e fertilizantes.
5- Imediatamente após a aplicação dos corretivos, ainda no período de outono,
iniciar a “sistematização do terreno”, que são operações de mobilização do solo no
sentido de incorporar corretivos e corrigir os “desarranjos de superfície”, eliminando
picos e depressões através apenas da gradagem de nivelamento.
6- Retificar a malha de drenagem, eliminando os pontos marcados por “cicatrizes”
de erosão, construir as práticas conservacionistas necessárias para eliminar
qualquer foco de escorrimento superficial, dotando a área de estruturas para
condução das águas excedentes.
7- Adequar toda a malha viária (caminhos e carreadores), dotando-a de condições
de trafegabilidade nos períodos chuvosos e drenos para condução adequada das
águas superficiais.
8- Marcar talhões, carreadores e terraços em nível.
9- Implantar a cultura de inverno focando a produção de cobertura morta para,
então, iniciar o plantio direto no verão.
10- Estabelecer um plano de rotação de culturas exequível e harmonioso com as
possibilidades de comercialização do mercado regional.
11- Estabelecer um plano de manejo fitossanitário.
12- Estabelecer um plano de monitoramento das propriedades do solo.
Em resumo, a implantação de um Sistema Plantio Direto na Palha sempre
deve começar no preparo de outono, seguido pelo plantio convencional da cultura
de inverno e se concretiza com a implantação da cultura de verão através da
3
semeadura direta. A partir daí, a meta passa a ser “nunca mais revolver o solo”.
Qualquer cultura vai bem no Sistema Plantio Direto na Palha.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes   Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes Anderson Santos
 
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...Sónia Dutra
 
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviáriosEstado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviáriosSónia Dutra
 
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...Instituto Besc
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do soloWillian Passos
 
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...cbsaf
 
Apostila agricultura geral
Apostila agricultura geralApostila agricultura geral
Apostila agricultura geralLuiz Oliveira
 
Máquinas de aplicação de corretivos e adubos
Máquinas de aplicação de corretivos e adubosMáquinas de aplicação de corretivos e adubos
Máquinas de aplicação de corretivos e adubosSabrina Nascimento
 
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...ISPG-CHOKWE CRTT
 
Máquinas e métodos de desmatamento
Máquinas e métodos de desmatamentoMáquinas e métodos de desmatamento
Máquinas e métodos de desmatamentoEugênio Viana
 
Desenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de MinaDesenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de MinaWalkiria Alves
 
Concreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes FundaçõesConcreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes FundaçõesEgydio Hervé Neto
 
Distribuidores de fertilizantes
Distribuidores de fertilizantesDistribuidores de fertilizantes
Distribuidores de fertilizantesSimão Gomes
 

Mais procurados (17)

Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes   Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
Apresentação máquinas de aplicação de fertilizantes
 
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
Relatório Tecnológico 2: Estudo do comportamento de solos lateríticos para ap...
 
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviáriosEstado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
Estado da arte sobre a utilização de solos lateríticos em pavimentos rodoviários
 
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...
Tópicos sobre a Aplicação de Lodos de ETEs em Plantações Florestais, por Fábi...
 
Aula 04 preparo do solo
Aula 04   preparo do soloAula 04   preparo do solo
Aula 04 preparo do solo
 
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...
Dia 3 - Simpósio 3 - Código Florestal e o papel dos SAFs na recuperação flore...
 
Radier
RadierRadier
Radier
 
Rotacionado
RotacionadoRotacionado
Rotacionado
 
Apostila agricultura geral
Apostila agricultura geralApostila agricultura geral
Apostila agricultura geral
 
Máquinas de aplicação de corretivos e adubos
Máquinas de aplicação de corretivos e adubosMáquinas de aplicação de corretivos e adubos
Máquinas de aplicação de corretivos e adubos
 
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...
DIMENSIONAMENTO DE UMA BARRAGEM DE TERRA EM MINIATURA NO CAMPO DE EXPERIMENTA...
 
Máquinas e métodos de desmatamento
Máquinas e métodos de desmatamentoMáquinas e métodos de desmatamento
Máquinas e métodos de desmatamento
 
Reunião-
 Reunião- Reunião-
Reunião-
 
Desenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de MinaDesenvolvimento de Mina
Desenvolvimento de Mina
 
Métodos de lavra
Métodos de lavraMétodos de lavra
Métodos de lavra
 
Concreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes FundaçõesConcreto para Grandes Fundações
Concreto para Grandes Fundações
 
Distribuidores de fertilizantes
Distribuidores de fertilizantesDistribuidores de fertilizantes
Distribuidores de fertilizantes
 

Semelhante a Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade

Semelhante a Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade (11)

Sumidouros
SumidourosSumidouros
Sumidouros
 
157654221 sumidouros-e-valas-de-infiltracao (1)
157654221 sumidouros-e-valas-de-infiltracao (1)157654221 sumidouros-e-valas-de-infiltracao (1)
157654221 sumidouros-e-valas-de-infiltracao (1)
 
III conservacao
III conservacaoIII conservacao
III conservacao
 
Apostila gradagem
Apostila gradagemApostila gradagem
Apostila gradagem
 
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento Manejo e conservação do solo - Terraceamento
Manejo e conservação do solo - Terraceamento
 
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
 
Procedimento de execução de serviço - Pavimentação de concreto
Procedimento de execução de serviço - Pavimentação de concretoProcedimento de execução de serviço - Pavimentação de concreto
Procedimento de execução de serviço - Pavimentação de concreto
 
Senar go ppv_cultprodgraos_mod1
Senar go ppv_cultprodgraos_mod1Senar go ppv_cultprodgraos_mod1
Senar go ppv_cultprodgraos_mod1
 
Tc0003 2
Tc0003 2Tc0003 2
Tc0003 2
 
Apostila implementos-preparo-de-sol
Apostila implementos-preparo-de-solApostila implementos-preparo-de-sol
Apostila implementos-preparo-de-sol
 
I.3 projeto de rega
I.3   projeto de regaI.3   projeto de rega
I.3 projeto de rega
 

Mais de Rural Pecuária

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Rural Pecuária
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).Rural Pecuária
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Rural Pecuária
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Rural Pecuária
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalRural Pecuária
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...Rural Pecuária
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Rural Pecuária
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorRural Pecuária
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaRural Pecuária
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoRural Pecuária
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasRural Pecuária
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Rural Pecuária
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Rural Pecuária
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...Rural Pecuária
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Rural Pecuária
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovadoRural Pecuária
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelRural Pecuária
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesRural Pecuária
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteRural Pecuária
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corte
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 

Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade

  • 1. 1 Diretrizes para iniciar o sistema plantio direto na sua propriedade* Afonso Peche Filho Instituto Agronômico, Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio de Engenharia e Automação, peche@iac.sp.gov.br * Campinas (SP), setembro de 2013 Atualmente o conhecimento acumulado pelas diferentes experiências de sucesso com o Sistema Plantio Direto permite a sua recomendação para qualquer tipo de exploração agrícola. É necessário seguir algumas premissas básicas para implantar o sistema corretamente e ter sucesso garantido. Em função dos diferentes impactos causados pelo uso contínuo da mobilização do solo e a sua exposição às chuvas sabemos que as glebas apresentam baixa fertilidade em subsuperfície e “cicatrizes” de erosão espalhadas pela superfície. Assim, como regra geral, para uma ótima condição de implantação as atividades devem ter início duas ou três safras antes. Para tanto, sugerimos os seguintes procedimentos: 1- Ao escolher a gleba, realizar uma adequada amostragem de solos, colhendo amostras preferencialmente no final da safra de verão. 2- O esquema de amostragem deve permitir obter uma boa coleta, que represente a situação do solo na parte superior, no meio e na parte baixa do terreno. Uma boa amostra é composta de 15 a 20 pontos. 3- É fundamental obter amostras de 0 a 20 e de 20 a 40 cm de profundidade. As amostras de superfície são para atender recomendações para fertilização de base e as amostras de profundidade são para atender à correção da acidez e ao
  • 2. 2 suprimento de cálcio, elemento fundamental para o desenvolvimento radicular. 4- De acordo com os resultados das análises de solo, realizar logo ao final da safra de verão as aplicações de corretivos e fertilizantes. 5- Imediatamente após a aplicação dos corretivos, ainda no período de outono, iniciar a “sistematização do terreno”, que são operações de mobilização do solo no sentido de incorporar corretivos e corrigir os “desarranjos de superfície”, eliminando picos e depressões através apenas da gradagem de nivelamento. 6- Retificar a malha de drenagem, eliminando os pontos marcados por “cicatrizes” de erosão, construir as práticas conservacionistas necessárias para eliminar qualquer foco de escorrimento superficial, dotando a área de estruturas para condução das águas excedentes. 7- Adequar toda a malha viária (caminhos e carreadores), dotando-a de condições de trafegabilidade nos períodos chuvosos e drenos para condução adequada das águas superficiais. 8- Marcar talhões, carreadores e terraços em nível. 9- Implantar a cultura de inverno focando a produção de cobertura morta para, então, iniciar o plantio direto no verão. 10- Estabelecer um plano de rotação de culturas exequível e harmonioso com as possibilidades de comercialização do mercado regional. 11- Estabelecer um plano de manejo fitossanitário. 12- Estabelecer um plano de monitoramento das propriedades do solo. Em resumo, a implantação de um Sistema Plantio Direto na Palha sempre deve começar no preparo de outono, seguido pelo plantio convencional da cultura de inverno e se concretiza com a implantação da cultura de verão através da
  • 3. 3 semeadura direta. A partir daí, a meta passa a ser “nunca mais revolver o solo”. Qualquer cultura vai bem no Sistema Plantio Direto na Palha.