SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
ENFERMIDADES DE TILÁPIAS DO NILO EM TANQUES-REDE
Fabiana Garcia
Zootec., Dra., PqC do Polo Regional do Noroeste Paulista/APTA
fgarcia@apta.sp.gov.br
Daiane Mompean Romera
Biól., Técnica de apoio à pesquisa do Polo Regional do Noroeste Paulista/APTA
daianemompean@gmail.com
Katia Suemi Gozi
Méd. Vet., bolsista FAPESP
ksg.sjrp@hotmail.com
Durante o período entre 2005 e 2013, o grupo de pesquisa de sanidade de animais
aquáticos da APTA Noroeste Paulista, composto pelos pesquisadores Fabiana Garcia,
Sergio H. C. Schalch, Eduardo M. Onaka e Fernando S. Fonseca, pelos técnicos de apoio à
pesquisa Daiane Mompean Romera e Pedro G. Candeira e pelas bolsistas Katia S. Gozi,
Lidiane Franceschini e Aline C. Zago, desenvolveu estudos de levantamento de
enfermidades parasitarias e bacterianas em tilápias do Nilo. O objetivo destas avaliações foi
identificar as principais causas de mortalidade neste sistema de cultivo e definir quais as
situações que predispõem os peixes a tais enfermidades para fornecer base cientifica ao
desenvolvimento de medidas e produtos profiláticos e terapêuticos para a atividade.
Nestes trabalhos, foram avaliadas pisciculturas nos reservatórios de Nova Avanhandava -
rio Tietê, Ilha Solteira - rio Paraná, Água Vermelha - rio Grande e Canoas II - rio
Paranapanema. As amostragens foram sazonais no decorrer de um ano, com representação
de todas as fases de cultivo (1 a 800 g) e dando- se preferência aos peixes moribundos ou
com sinais clínicos de enfermidades.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Dos exemplares avaliados no Noroeste Paulista, a faixa de peso de 35 a 150 g foi a mais
acometida por bactérias (prevalência1
de 40 %), seguida pela faixa de peso de 400 a 800 g
(prevalência de 30 %). No sistema de cultivo em tanques-rede, os piscicultores têm adotado
o manejo de classificação e repicagem dos peixes, realizado, em geral quando as tilapias
atingem o peso médio de 150 g. Neste manejo, os peixes de cada tanque são retirados da
água e, sobre uma mesa classificatória, são selecionados, manualmente, em três classes de
tamanho (pequenos, médios e grandes) e redistribuídos em outros três tanques-rede, onde
ficarão acondicionados até atingirem o peso de abate.
Desta forma, as faixas de peso com maior ocorrência de bactérias correspondem às de
maiores densidades de estocagem, ou seja, antes da repicagem e ao final do cultivo. Esta
relação entre a ocorrência de patógenos e a densidade de estocagem foi comprovada
também no artigo científico publicado por nosso grupo de pesquisa (GARCIA et al., 2013a;
GARCIA et al., 2013b).
Por se tratarem de patógenos oportunistas, os parasitos e as bactérias que acometem as
tilápias em tanques-rede, assim como as demais espécies da piscicultura brasileira, são
indicadores de falhas de manejo ou, em situações menos comuns, indicam variações
ambientais bruscas (ex. redução na temperatura da água). Conhecendo este conceito, o
piscicultor pode acompanhar o grau de infestação parasitaria de seus peixes em cada fase
de cultivo, a cada época do ano e identificar, através dessa avaliação simples, os pontos
críticos de seu sistema de cultivo. A partir desta constatação, ele poderá lançar mão das
estratégias de boas praticas de manejo de maneira pontual.
Para a avaliação parasitológica, o técnico responsável necessita de um microscópio e de
laminas e lamínulas de vidro para proceder as avaliações. O custo é baixo comparado aos
benefícios que este monitoramento pode trazer à unidade produtiva. Para proceder a
amostragem, o técnico deve dar preferência a exemplares moribundos ou que apresentem
sinais clínicos de enfermidades. É importante que sejam capturados, pelo menos, três
exemplares de cada tanque-rede amostrado, pois há grande diferença na intensidade de
infestação de acordo com a capacidade individual de cada peixe resistir às enfermidades.
A constatação de que tais patógenos são oportunistas fica clara à medida que se verifica
que, na maioria das avaliações, peixes com elevada infestação por determinado patogeno,
também apresenta elevada infestação por outros parasitos e, se submetido à uma analise
1
Prevalência é o percentual de peixes infestados do total de peixes analisados (BUSH et al. 1997)
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
microbiológica, também estarão infectados por bactérias. Esta situação é comum e
demonstra que a somatória de fatores estressantes no cultivo (falhas de manejo) leva o
peixe à perda de sua capacidade de se defender dos organismos patogênicos.
O estudo de levantamento das enfermidades demonstrou que nos meses de inverno,
quando a temperatura e a renovação de água são reduzidas, há maior ocorrência de
parasitos dos gêneros Trichodina, Epistylis, Ictio e os monogenéticos Gyrodactilideos, que
acometem a pele das tilápias. Devido à menor taxa de renovação da água, neste período
pode ocorrer maior acumulo de matéria orgânica no ambiente de cultivo (sedimento, telas,
comedouros, bolsões, etc.), exigindo do piscicultor, maiores cuidados na limpeza dos
tanques e equipamentos e maior atenção para que não haja sobre de ração.
De todas as tilápias amostradas durante este estudo, aproximadamente, 40 % delas
apresentaram algum sinal clínico relacionado à enfermidade. Desses peixes que
apresentaram sinais clínicos, a prevalência de parasitos monogeneticos e Trichodina variou
de 60 a 100 % em todos os reservatórios estudados, enquanto a prevalência media de
bactérias isoladas nos reservatórios avaliados foi de 30 %.
Em geral, grande parte dos peixes acometida por bactérias, apresentou elevada infestação
por parasitos. Este é um resultado que deve ser levado em conta quando o piscicultor lançar
mão do uso de antibióticos para controlar a mortalidade de seus peixes. É imprescindível
que ele faça uma avaliação parasitológica antes de usar o antibiótico, pois, em grande parte
dos casos, o protozoário Trichodina, é a causa primaria da mortalidade de peixes. Esse
parasito possui movimentos giratórios com ação abrasiva, que causam lesões na pele dos
peixes. Essas lesões são porta de entrada para as bactérias. Nesses casos, banhos de sal
associados à correções de manejo (ex. redução na densidade de estocagem) já são
suficientes para controlar a causa da mortalidade elevada ( GARCIA & SCHALCH, 2011).
No Brasil, a lista de produtos terapêuticos registrados para uso na aqüicultura é limitada. Por
este motivo, as mesmas moléculas de antibióticos são utilizadas repetidas vezes pelo
piscicultor, levando à resistência bacteriana. Neste ano de 2013, o Laboratório de
Enfermidade de Animais Aquáticos do Pólo Noroeste Paulista isolou, pela primeira vez
desde sua criação (2005), bactérias resistentes aos antibióticos com registro para uso na
aqüicultura, demonstrando que este problema já começa a atingir as pisciculturas desta
região.
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
Se o piscicultor ou técnico responsável pela piscicultura tiver interesse em conhecer os
produtos veterinários com registro para uso na aqüicultura, ele deve consultar o Compendio
de Produtos Veterinários (http://www.cpvs.com.br/cpvs/index.html), clicar em ‘pesquisa’,
selecionar ‘peixes’ e clicar em ‘buscar’.
Por fim, devemos considerar as enfermidades como um desafio a ser superado na
piscicultura de tilápias do Nilo em tanques-rede, por se tratar de um sistema de produção
intensivo, com maior risco sanitário, econômico e ambiental, quando comparado aos
sistemas menos intensivos. Determinar a capacidade de suporte dos tanques-rede e
trabalhar dentro deste limite é o primeiro passo para se reduzir a ocorrência das
enfermidades e, conseqüentemente, a mortalidade no sistema. Juntamente com este ajuste,
destaca-se o monitoramento da qualidade da água e dos parasitos para se definir os pontos
críticos do sistema (época do ano, fase de cultivo, manejo, etc.) que determinarão a
adequada recomendação de produtos profiláticos estratégicos (vacinas, dietas especiais
contendo probióticos, prebióticos, imunoestimulantes, etc.). Estas medidas devem reduzir os
riscos da atividade, de modo a prolongar seu sucesso, garantindo menor impacto ambiental
e maior segurança alimentar aos consumidores da tilápia do Nilo.
Referencias Bibliográficas:
BUSH, A.O., LAFFERTY, K.D., LOTZ, J.M., SHOSTAK, A.W. Parasitology meets ecology on
its own terms. Journal of Parasitology, v.83, n.4, p.575-583, 1997.
GARCIA, F.; GOZI, K. F.; ROMERA, D. M. Tilápias em tanques-rede: As vantagens na
redução da densidade de estocagem. Panorama da Aquicultura, v.23, p.36-45, 2013a.
GARCIA, F.; ROMERA, D.M.; GOZI, K.S.; ONAKA, E.M.; FONSECA, F.S.; SCHALCH,
S.H.C.; CANDEIRA, P.G.; GUERRA, L.O.M.; CARMO, F.J.; CARNEIRO, D.J.; MARTINS,
M.I.E.G.; PORTELLA, M.C. Stocking density of Nile tilapia in cages placed in a hydroelectric
reservoir. Aquaculture (Amsterdam), v.410-411, p.51-56, 2013b.
GARCIA, F.; SCHALCH, S.H.C. Prevenção e Controle de Enfermidades. In: AYROZA,
L.M.S. (Org.). Piscicultura. 1ed.Campinas: CATI, 2011, p. 77-95. (Manual Técnico 79).
SCHALCH, S.H.C.; GARCIA, F. Enfermidade de Peixes. In: AYROZA, L.M.S. (Org.).
Piscicultura. 1ed.Campinas: CATI, 2011, p. 99-123. (Manual Técnico 79).
www.aptaregional.sp.gov.br
ISSN 2316-5146
Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014
ZAGO, A. C. Análise parasitológica e microbiológica de tilápias do Nilo (Oreochromis
niloticus) criadas em tanques-rede no reservatório de Água Vermelha - SP e suas
inter-relações com as variáveis limnológicas e fase de criação. 69f. Dissertação
(Mestrado em Zoologia). Botucatu, UNESP, Instituto de Biociências, 2012.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (6)

Aula 04 manejo_sanitario_na_piscicultura
Aula 04 manejo_sanitario_na_pisciculturaAula 04 manejo_sanitario_na_piscicultura
Aula 04 manejo_sanitario_na_piscicultura
 
Artigo bioterra v19_n2_05
Artigo bioterra v19_n2_05Artigo bioterra v19_n2_05
Artigo bioterra v19_n2_05
 
Fitossanidade helicoverpa
Fitossanidade helicoverpaFitossanidade helicoverpa
Fitossanidade helicoverpa
 
Javalis dbo
Javalis dboJavalis dbo
Javalis dbo
 
Santana1189[1]
Santana1189[1]Santana1189[1]
Santana1189[1]
 
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
Moscas domesticas e_intoxicacoes (1)
 

Destaque

Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesSamuel Vieira
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesFilgueira Nogueira
 
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias Nilóticas
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias NilóticasOs benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias Nilóticas
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias NilóticasRural Pecuária
 
Água ideal para aquários
Água ideal para aquáriosÁgua ideal para aquários
Água ideal para aquáriosAlcon Pet
 
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...AquaA3.com.br - Aquarismo Alagoano
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasmvezzone
 
A casa do futuro tem horta
A casa do futuro tem hortaA casa do futuro tem horta
A casa do futuro tem horta2016arqmiriam
 
Estabelecendo Metas
Estabelecendo MetasEstabelecendo Metas
Estabelecendo Metas-
 
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de ClientesTracksale
 
Plano de vendas_apresentacao
Plano de vendas_apresentacaoPlano de vendas_apresentacao
Plano de vendas_apresentacaoFabio Mesquita
 
Receitas E Carcapios Saudaveis
Receitas E Carcapios  SaudaveisReceitas E Carcapios  Saudaveis
Receitas E Carcapios SaudaveisTomateVerdeFrito
 

Destaque (17)

Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
 
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixesBoas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
Boas praticas-de-manejo-na-alimentacao-de-peixes
 
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias Nilóticas
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias NilóticasOs benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias Nilóticas
Os benefícios do alimento vivo na criação de Tilápias Nilóticas
 
Livro água 2011
Livro água 2011Livro água 2011
Livro água 2011
 
Água ideal para aquários
Água ideal para aquáriosÁgua ideal para aquários
Água ideal para aquários
 
Projeto aquário
Projeto aquárioProjeto aquário
Projeto aquário
 
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...
Guia para identificação de peixes ornamentais marinhos. (www.AquaA3.com.br) F...
 
Fogão a Lenha
Fogão a LenhaFogão a Lenha
Fogão a Lenha
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipiras
 
Digestorio peixes embrapa
Digestorio peixes embrapaDigestorio peixes embrapa
Digestorio peixes embrapa
 
Manual construcao-rural
Manual construcao-ruralManual construcao-rural
Manual construcao-rural
 
A casa do futuro tem horta
A casa do futuro tem hortaA casa do futuro tem horta
A casa do futuro tem horta
 
Estabelecendo Metas
Estabelecendo MetasEstabelecendo Metas
Estabelecendo Metas
 
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes
20 Modelos de Pesquisa de Satisfação de Clientes
 
Plano de vendas_apresentacao
Plano de vendas_apresentacaoPlano de vendas_apresentacao
Plano de vendas_apresentacao
 
Receitas E Carcapios Saudaveis
Receitas E Carcapios  SaudaveisReceitas E Carcapios  Saudaveis
Receitas E Carcapios Saudaveis
 
Como garantir eficiência
Como garantir eficiênciaComo garantir eficiência
Como garantir eficiência
 

Semelhante a Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede

Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminoseunipampagepa
 
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES Renê Pedro Marques
 
Itapua bromelias reginatto
Itapua bromelias reginattoItapua bromelias reginatto
Itapua bromelias reginattoavisaassociacao
 
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Herbert Dos Anjos
 
Manejo alimentar em tanques rede
Manejo alimentar em tanques redeManejo alimentar em tanques rede
Manejo alimentar em tanques redeRural Pecuária
 
Estudo da Herpetofauna Brasileira
Estudo da Herpetofauna Brasileira Estudo da Herpetofauna Brasileira
Estudo da Herpetofauna Brasileira Atena Editora
 
IlzoCostaPessoa
IlzoCostaPessoaIlzoCostaPessoa
IlzoCostaPessoaIFRR
 
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...Lilian De Rezende Jordão
 
Programa de controle sanitario bioterios
Programa de controle sanitario bioteriosPrograma de controle sanitario bioterios
Programa de controle sanitario bioteriosAndré Santos
 
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde- DMAIS
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde-  DMAISDiversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde-  DMAIS
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde- DMAISFiocruz Amazônia Ilmd
 
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápias
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápiasLarvas de moluscos bivalves na criação de tilápias
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápiasRural Pecuária
 
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucessoControle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucessoRural Pecuária
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágiotatianabd1992
 
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...Samira Mantilla
 
Clinica Veterinaria são paulo zona sul
Clinica Veterinaria são paulo zona sulClinica Veterinaria são paulo zona sul
Clinica Veterinaria são paulo zona sulmurcial870
 
ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De ColiformesResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De ColiformesBiblioteca Virtual
 
Itapua figueiras microbiologia_mautone
Itapua figueiras microbiologia_mautoneItapua figueiras microbiologia_mautone
Itapua figueiras microbiologia_mautoneavisaassociacao
 

Semelhante a Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede (20)

Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminose
 
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES
PROJETO DE PESQUISA :ENTEROPARASITOSES EM ALFACES
 
Itapua bromelias reginatto
Itapua bromelias reginattoItapua bromelias reginatto
Itapua bromelias reginatto
 
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
 
Artigo bioterra v19_n2_03
Artigo bioterra v19_n2_03Artigo bioterra v19_n2_03
Artigo bioterra v19_n2_03
 
Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003Achatina fulica 2003
Achatina fulica 2003
 
Manejo alimentar em tanques rede
Manejo alimentar em tanques redeManejo alimentar em tanques rede
Manejo alimentar em tanques rede
 
Artigo bioterra v21_n1_01
Artigo bioterra v21_n1_01Artigo bioterra v21_n1_01
Artigo bioterra v21_n1_01
 
Estudo da Herpetofauna Brasileira
Estudo da Herpetofauna Brasileira Estudo da Herpetofauna Brasileira
Estudo da Herpetofauna Brasileira
 
IlzoCostaPessoa
IlzoCostaPessoaIlzoCostaPessoa
IlzoCostaPessoa
 
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...
Considerações acerca das intoxicações de ruminantes por plantas tóxicas do gê...
 
Programa de controle sanitario bioterios
Programa de controle sanitario bioteriosPrograma de controle sanitario bioterios
Programa de controle sanitario bioterios
 
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde- DMAIS
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde-  DMAISDiversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde-  DMAIS
Diversidade Microbiana da Amazônia com importância para Saúde- DMAIS
 
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápias
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápiasLarvas de moluscos bivalves na criação de tilápias
Larvas de moluscos bivalves na criação de tilápias
 
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucessoControle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
Controle biológico com joaninhas: uma tecnologia de sucesso
 
Relatório de estágio
Relatório de estágioRelatório de estágio
Relatório de estágio
 
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...
Staphylococcus Aureus Resistentes A Antimicrobianos Um Problema Para A SaúDe ...
 
Clinica Veterinaria são paulo zona sul
Clinica Veterinaria são paulo zona sulClinica Veterinaria são paulo zona sul
Clinica Veterinaria são paulo zona sul
 
ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De ColiformesResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
 
Itapua figueiras microbiologia_mautone
Itapua figueiras microbiologia_mautoneItapua figueiras microbiologia_mautone
Itapua figueiras microbiologia_mautone
 

Mais de Rural Pecuária

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Rural Pecuária
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).Rural Pecuária
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Rural Pecuária
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Rural Pecuária
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalRural Pecuária
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...Rural Pecuária
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Rural Pecuária
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorRural Pecuária
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaRural Pecuária
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoRural Pecuária
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasRural Pecuária
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Rural Pecuária
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Rural Pecuária
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...Rural Pecuária
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Rural Pecuária
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovadoRural Pecuária
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelRural Pecuária
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesRural Pecuária
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteRural Pecuária
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Rural Pecuária
 

Mais de Rural Pecuária (20)

Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
Pecuária leiteira de precisão: uso de sensores para monitoramento e detecção ...
 
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
50 perguntas, 50 respostas sobre a Carne Carbono Neutro (CCN).
 
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
Soro de queijo tipo coalho de leite bovino: alternativa para a terminação de ...
 
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
Staphylococcus coagulase-negativos no leite de vacas com mastite tratadas com...
 
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animalTecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
Tecnologia e custo da cana-de-açúcar para a alimentação animal
 
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
BRS Capiaçu: cultivar de capim-elefante de alto rendimento para produção de s...
 
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
Reaproveitamento de água residuária em sistemas de produção de leite em confi...
 
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtorBoas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
Boas práticas agropecuárias na produção de leite: da pesquisa para o produtor
 
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela EmbrapaCatálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
Catálogo de forrageiras recomendadas pela Embrapa
 
Dez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milhoDez dicas para produção de milho
Dez dicas para produção de milho
 
Criação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras LeiteirasCriação de Bezerras Leiteiras
Criação de Bezerras Leiteiras
 
Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica Como produzir-Goiaba Orgânica
Como produzir-Goiaba Orgânica
 
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
Principais cogumelos comestíveis cultivados e nativos do estado de são paulo ...
 
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes”  ap...
Potencial de cultivo da planta alimentícia não convencional “major gomes” ap...
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovadoSilício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais  aprovado
Silício auxilia as plantas na defesa contra os estresses ambientais aprovado
 
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponívelManual Técnico de Ranicultura está disponível
Manual Técnico de Ranicultura está disponível
 
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixesInfiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
Infiltração em viveiros escavados destinados à criação de peixes
 
A importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corteA importância da longevidade das vacas de corte
A importância da longevidade das vacas de corte
 
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
Uso da água no enraizamento de estacas de Amoreira
 

Último

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 

Último (8)

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 

Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede

  • 1. ENFERMIDADES DE TILÁPIAS DO NILO EM TANQUES-REDE Fabiana Garcia Zootec., Dra., PqC do Polo Regional do Noroeste Paulista/APTA fgarcia@apta.sp.gov.br Daiane Mompean Romera Biól., Técnica de apoio à pesquisa do Polo Regional do Noroeste Paulista/APTA daianemompean@gmail.com Katia Suemi Gozi Méd. Vet., bolsista FAPESP ksg.sjrp@hotmail.com Durante o período entre 2005 e 2013, o grupo de pesquisa de sanidade de animais aquáticos da APTA Noroeste Paulista, composto pelos pesquisadores Fabiana Garcia, Sergio H. C. Schalch, Eduardo M. Onaka e Fernando S. Fonseca, pelos técnicos de apoio à pesquisa Daiane Mompean Romera e Pedro G. Candeira e pelas bolsistas Katia S. Gozi, Lidiane Franceschini e Aline C. Zago, desenvolveu estudos de levantamento de enfermidades parasitarias e bacterianas em tilápias do Nilo. O objetivo destas avaliações foi identificar as principais causas de mortalidade neste sistema de cultivo e definir quais as situações que predispõem os peixes a tais enfermidades para fornecer base cientifica ao desenvolvimento de medidas e produtos profiláticos e terapêuticos para a atividade. Nestes trabalhos, foram avaliadas pisciculturas nos reservatórios de Nova Avanhandava - rio Tietê, Ilha Solteira - rio Paraná, Água Vermelha - rio Grande e Canoas II - rio Paranapanema. As amostragens foram sazonais no decorrer de um ano, com representação de todas as fases de cultivo (1 a 800 g) e dando- se preferência aos peixes moribundos ou com sinais clínicos de enfermidades.
  • 2. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Dos exemplares avaliados no Noroeste Paulista, a faixa de peso de 35 a 150 g foi a mais acometida por bactérias (prevalência1 de 40 %), seguida pela faixa de peso de 400 a 800 g (prevalência de 30 %). No sistema de cultivo em tanques-rede, os piscicultores têm adotado o manejo de classificação e repicagem dos peixes, realizado, em geral quando as tilapias atingem o peso médio de 150 g. Neste manejo, os peixes de cada tanque são retirados da água e, sobre uma mesa classificatória, são selecionados, manualmente, em três classes de tamanho (pequenos, médios e grandes) e redistribuídos em outros três tanques-rede, onde ficarão acondicionados até atingirem o peso de abate. Desta forma, as faixas de peso com maior ocorrência de bactérias correspondem às de maiores densidades de estocagem, ou seja, antes da repicagem e ao final do cultivo. Esta relação entre a ocorrência de patógenos e a densidade de estocagem foi comprovada também no artigo científico publicado por nosso grupo de pesquisa (GARCIA et al., 2013a; GARCIA et al., 2013b). Por se tratarem de patógenos oportunistas, os parasitos e as bactérias que acometem as tilápias em tanques-rede, assim como as demais espécies da piscicultura brasileira, são indicadores de falhas de manejo ou, em situações menos comuns, indicam variações ambientais bruscas (ex. redução na temperatura da água). Conhecendo este conceito, o piscicultor pode acompanhar o grau de infestação parasitaria de seus peixes em cada fase de cultivo, a cada época do ano e identificar, através dessa avaliação simples, os pontos críticos de seu sistema de cultivo. A partir desta constatação, ele poderá lançar mão das estratégias de boas praticas de manejo de maneira pontual. Para a avaliação parasitológica, o técnico responsável necessita de um microscópio e de laminas e lamínulas de vidro para proceder as avaliações. O custo é baixo comparado aos benefícios que este monitoramento pode trazer à unidade produtiva. Para proceder a amostragem, o técnico deve dar preferência a exemplares moribundos ou que apresentem sinais clínicos de enfermidades. É importante que sejam capturados, pelo menos, três exemplares de cada tanque-rede amostrado, pois há grande diferença na intensidade de infestação de acordo com a capacidade individual de cada peixe resistir às enfermidades. A constatação de que tais patógenos são oportunistas fica clara à medida que se verifica que, na maioria das avaliações, peixes com elevada infestação por determinado patogeno, também apresenta elevada infestação por outros parasitos e, se submetido à uma analise 1 Prevalência é o percentual de peixes infestados do total de peixes analisados (BUSH et al. 1997)
  • 3. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 microbiológica, também estarão infectados por bactérias. Esta situação é comum e demonstra que a somatória de fatores estressantes no cultivo (falhas de manejo) leva o peixe à perda de sua capacidade de se defender dos organismos patogênicos. O estudo de levantamento das enfermidades demonstrou que nos meses de inverno, quando a temperatura e a renovação de água são reduzidas, há maior ocorrência de parasitos dos gêneros Trichodina, Epistylis, Ictio e os monogenéticos Gyrodactilideos, que acometem a pele das tilápias. Devido à menor taxa de renovação da água, neste período pode ocorrer maior acumulo de matéria orgânica no ambiente de cultivo (sedimento, telas, comedouros, bolsões, etc.), exigindo do piscicultor, maiores cuidados na limpeza dos tanques e equipamentos e maior atenção para que não haja sobre de ração. De todas as tilápias amostradas durante este estudo, aproximadamente, 40 % delas apresentaram algum sinal clínico relacionado à enfermidade. Desses peixes que apresentaram sinais clínicos, a prevalência de parasitos monogeneticos e Trichodina variou de 60 a 100 % em todos os reservatórios estudados, enquanto a prevalência media de bactérias isoladas nos reservatórios avaliados foi de 30 %. Em geral, grande parte dos peixes acometida por bactérias, apresentou elevada infestação por parasitos. Este é um resultado que deve ser levado em conta quando o piscicultor lançar mão do uso de antibióticos para controlar a mortalidade de seus peixes. É imprescindível que ele faça uma avaliação parasitológica antes de usar o antibiótico, pois, em grande parte dos casos, o protozoário Trichodina, é a causa primaria da mortalidade de peixes. Esse parasito possui movimentos giratórios com ação abrasiva, que causam lesões na pele dos peixes. Essas lesões são porta de entrada para as bactérias. Nesses casos, banhos de sal associados à correções de manejo (ex. redução na densidade de estocagem) já são suficientes para controlar a causa da mortalidade elevada ( GARCIA & SCHALCH, 2011). No Brasil, a lista de produtos terapêuticos registrados para uso na aqüicultura é limitada. Por este motivo, as mesmas moléculas de antibióticos são utilizadas repetidas vezes pelo piscicultor, levando à resistência bacteriana. Neste ano de 2013, o Laboratório de Enfermidade de Animais Aquáticos do Pólo Noroeste Paulista isolou, pela primeira vez desde sua criação (2005), bactérias resistentes aos antibióticos com registro para uso na aqüicultura, demonstrando que este problema já começa a atingir as pisciculturas desta região.
  • 4. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 Se o piscicultor ou técnico responsável pela piscicultura tiver interesse em conhecer os produtos veterinários com registro para uso na aqüicultura, ele deve consultar o Compendio de Produtos Veterinários (http://www.cpvs.com.br/cpvs/index.html), clicar em ‘pesquisa’, selecionar ‘peixes’ e clicar em ‘buscar’. Por fim, devemos considerar as enfermidades como um desafio a ser superado na piscicultura de tilápias do Nilo em tanques-rede, por se tratar de um sistema de produção intensivo, com maior risco sanitário, econômico e ambiental, quando comparado aos sistemas menos intensivos. Determinar a capacidade de suporte dos tanques-rede e trabalhar dentro deste limite é o primeiro passo para se reduzir a ocorrência das enfermidades e, conseqüentemente, a mortalidade no sistema. Juntamente com este ajuste, destaca-se o monitoramento da qualidade da água e dos parasitos para se definir os pontos críticos do sistema (época do ano, fase de cultivo, manejo, etc.) que determinarão a adequada recomendação de produtos profiláticos estratégicos (vacinas, dietas especiais contendo probióticos, prebióticos, imunoestimulantes, etc.). Estas medidas devem reduzir os riscos da atividade, de modo a prolongar seu sucesso, garantindo menor impacto ambiental e maior segurança alimentar aos consumidores da tilápia do Nilo. Referencias Bibliográficas: BUSH, A.O., LAFFERTY, K.D., LOTZ, J.M., SHOSTAK, A.W. Parasitology meets ecology on its own terms. Journal of Parasitology, v.83, n.4, p.575-583, 1997. GARCIA, F.; GOZI, K. F.; ROMERA, D. M. Tilápias em tanques-rede: As vantagens na redução da densidade de estocagem. Panorama da Aquicultura, v.23, p.36-45, 2013a. GARCIA, F.; ROMERA, D.M.; GOZI, K.S.; ONAKA, E.M.; FONSECA, F.S.; SCHALCH, S.H.C.; CANDEIRA, P.G.; GUERRA, L.O.M.; CARMO, F.J.; CARNEIRO, D.J.; MARTINS, M.I.E.G.; PORTELLA, M.C. Stocking density of Nile tilapia in cages placed in a hydroelectric reservoir. Aquaculture (Amsterdam), v.410-411, p.51-56, 2013b. GARCIA, F.; SCHALCH, S.H.C. Prevenção e Controle de Enfermidades. In: AYROZA, L.M.S. (Org.). Piscicultura. 1ed.Campinas: CATI, 2011, p. 77-95. (Manual Técnico 79). SCHALCH, S.H.C.; GARCIA, F. Enfermidade de Peixes. In: AYROZA, L.M.S. (Org.). Piscicultura. 1ed.Campinas: CATI, 2011, p. 99-123. (Manual Técnico 79).
  • 5. www.aptaregional.sp.gov.br ISSN 2316-5146 Pesquisa & Tecnologia, vol. 11, n. 1, Jan-Jun 2014 ZAGO, A. C. Análise parasitológica e microbiológica de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) criadas em tanques-rede no reservatório de Água Vermelha - SP e suas inter-relações com as variáveis limnológicas e fase de criação. 69f. Dissertação (Mestrado em Zoologia). Botucatu, UNESP, Instituto de Biociências, 2012.