Workshop 28 04 2008

811 visualizações

Publicada em

Workshop para gestores da Prefeitura de São Paulo, demostrando exemplos práticos de governança pública e modernização de gestã implantados entre 2005/2008. Projeto sob minha gerência. Apresentação feita em 28/04/2008 para 200 alto gestores da Prefeitura.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
811
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Remume (Relação Municipal de Medicamentos Essenciais) possui todos os medicamentos utilizados na rede básica quanto na rede hospitalar. Portanto estamos nos referindo à Relação de Medicamentos Essenciais para a Rede Básica (que faz parte da Remume).
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Validar as datas.
  • Workshop 28 04 2008

    1. 1. Ética e Governança Pública: Conquistas da Administração Municipal São Paulo, 28 de abril de 2008
    2. 2. Ética, Estado Gestor e Governança Pública MÁRCIA REGINA UNGARETTE Estado, Princípios, Deveres e o Gestor Público.
    3. 3. EVOLUÇÃO DO MODELO DE ESTADO Estado Pós Independência “ Estado Paternalista” Estado Novo “ Estado Burocrático” Constituição de 1988 “Estado Gestor”
    4. 4. CONSTITUIÇÃO DE 1988 E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
    5. 5. PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
    6. 6. CONSTITUIÇÃO DE 1988 E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Deveres da Administração Pública Administração Federal Administrações Estaduais Administrações Municipais
    7. 7. O TERCEIRO ENTE FEDERADO: O MUNICÍPIO
    8. 8. Deveres da Administração Municipal O TERCEIRO ENTE FEDERADO: O MUNICÍPIO Secretaria X Secretaria Y Secretaria Z Secretaria W Atividades Atividades Atividades Atividades
    9. 9. DA TEORIA A PRÁTICA Deveres da Administração Municipal Secretaria X Tributos Servidores Instruções Normativas formais Gestão Atividades Recursos Pessoas Processos
    10. 10. CONSTITUIÇÃO DE 1988 E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
    11. 11. MODELO ESTRUTURAL DE GERÊNCIA PÚBLICA
    12. 12. O GERENTE PÚBLICO RELAÇÃO BUROCRÁTICA RELAÇÃO GERENCIAL Supervisão Hierárquica Auditoria focada nos procedimentos Administração por Resultados Benchmarking Uso de Indicadores Planejamento Estratégico Ausência de Planejamento Normas Exaustivas
    13. 13. Secretaria de Gestão Pública Compra e Estocagem de Suprimentos Operação da Folha e gestão burocrática da relação servidor/prefeitura
    14. 14. <ul><li>Secretaria Municipal de Gestão </li></ul><ul><ul><li>Gestão, Padronização e Organização de Suprimentos, Serviços Comuns e Concedidos </li></ul></ul><ul><li>Organização, gestão e aquisição de bens e serviços para a Merenda Escolar </li></ul><ul><li>Gestão e desenvolvimento de Pessoas e Modernização </li></ul><ul><li>Gestão de Tecnologia da Informação, Padronização, Apoio, Gestão de Ativos, Organização das Informações e de Atendimento ao Cidadão </li></ul><ul><ul><li>Modernização da Gestão do Patrimônio Imobiliário </li></ul></ul>
    15. 15. Do Planejamento ao Resultado RODRIGO MAURO RUIZ DE MATOS Redução qualitativa de gastos: planejamento, execução, verificação, padronização.
    16. 16. PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA LEGALIDADE IMPESSOALIDADE MORALIDADE PUBLICIDADE EFICIÊNCIA
    17. 17. EFICIÊNCIA E EFICÁCIA EFICÁCIA Eficiência consiste em fazer certo as coisas ; eficácia, em fazer as coisas certas (Peter Drucker) Vendo uma sala quase inundada, uma pessoa rapidamente pegou um balde e panos de chão e, desdobrando em esforços, empenhou-se em recolher a água. Ela foi eficiente, fez certo a coisa (recolher a água), mas não foi eficaz, não fez a coisa certa (antes de mais nada, fechar a torneira). Geralmente, para os ocupantes de cargos gerenciais, mais importa a eficácia; para os que desempenham trabalhos repetitivos, a eficiência . EFICIÊNCIA
    18. 18. EFICIÊNCIA E EFICÁCIA EFICÁCIA GOVERNANÇA E ÉTICA EFICIÊNCIA GOVERNANÇA ÉTICA
    19. 19. <ul><li>faz o que lhe é determinado; </li></ul><ul><li>dentro das normas e regras; </li></ul><ul><li>observando o bem comum; </li></ul><ul><li>mantendo a eficiência em suas ações; </li></ul><ul><li>buscando o melhor uso de seus recursos; </li></ul><ul><li>ampliando ao máximo os benefícios oferecidos. </li></ul>ESTADO ÉTICO E COM GOVERNANÇA
    20. 20. BASE DA GOVERNANÇA <ul><li>Conhecer seus objetivos; </li></ul><ul><li>Definir metas; </li></ul><ul><li>Conhecer todos os elementos envolvidos no processo; </li></ul><ul><li>Propor e desenhar soluções / planos de ação; </li></ul><ul><li>Ter método; </li></ul><ul><li>Utilizar indicadores; </li></ul><ul><li>Trazer os envolvidos para o processo; </li></ul><ul><li>Ter lideranças envolvidas no projeto/processo; </li></ul><ul><li>Analisar resultados; </li></ul><ul><li>Propor melhorias; </li></ul><ul><li>Divulgar e padronizar ações. </li></ul>
    21. 21. BASE DA ÉTICA <ul><li>Conhecer a legislação; </li></ul><ul><li>Conhecer e dominar os atos; </li></ul><ul><li>Gerenciar problemas e desafios dentro da esfera legal; </li></ul><ul><li>Buscar constantemente o melhor uso de recursos; </li></ul><ul><li>Buscar qualidade; </li></ul><ul><li>Visar o melhor atendimento possível; </li></ul><ul><li>Enxergar tarefas internas como parte do processo de atendimento ao cidadão; </li></ul><ul><li>Transparência nos atos. </li></ul>
    22. 22. MATERIALIZANDO CONCEITOS <ul><li>Metodologia de Trabalho </li></ul><ul><li>Planejar </li></ul><ul><li>Executar </li></ul><ul><li>Checar </li></ul><ul><li>Corrigir ou Padronizar (agir) </li></ul>Para passar da teoria para prática é preciso o uso de métodos. O projeto e seus gestores utilizam o PDCA.
    23. 23. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA O método PDCA é utilizado para definir as metas a serem atingidas e facilitar o acompanhamento.
    24. 24. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA Para identificar o problema é necessário definir a meta para otimização dos gastos.
    25. 25. METOLOGIA DO GMD – OBJETIVO PREÇO CONSUMO REDUÇÃO DO PREÇO REDUÇÃO DE CONSUMO X Y X’ Y’ DESPESA DESPESA DESPESA AUMENTO DO DO BENEFÍCIO OU DESPESA Para 2006 e 2007 foi proposta uma otimização de R$ 115 milhões em relação às despesas liquidadas de 2005.
    26. 26. VARIÁVEIS DE ATUAÇÃO Padrão: Ação sobre os Parâmetros Renegociação de Contratos X = Minuto Servidor R$ Minuto R$ Servidor Preço Consumo Indicador Global Aplicação do método na despesa de telefonia: a otimização dessas despesas é possível através da atuação em duas variáveis. GASTO Redução 2 1
    27. 27. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA Para entender melhor as características do Problema é realizada a Análise de Fenômeno .
    28. 28. DEFINIÇÃO PRELIMINAR DE METAS Exemplo de passagem da Régua (gastos com telefonia fixa): Cluster A Cluster B Secretarias Sub-Prefeituras Minutos / Servidor Na definição preliminar de metas são consideradas as diferentes características dos gastos. Meta: reduzir o valor dos indicadores das áreas até o valor proposto pela régua. Meta: manter o valor dos indicadores das áreas que estão abaixo da régua.
    29. 29. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA A partir do menor nível “possível” de desdobramento do problema devem ser identificadas suas causas fundamentais através de uma Análise de Processo .
    30. 30. ANÁLISE DO PROCESSO - ISHIKAWA Para alcançar as metas estabelecidas é necessário identificar as causas do problema. Ex1: Elevado número de ligações para celulares Ex2: Falha no uso da operadora Longa Distância para interurbanos ELEVADO GASTO COM TELEFONIA FIXA RECURSOS PESSOAS EQUIPAMENTOS AMBIENTE PROCESSOS INFORMAÇÕES CAUSAS
    31. 31. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA Para garantir que as metas estabelecidas sejam alcançadas e as causas do problema bloqueadas são elaborados os Planos de ação.
    32. 32. PLANO DE AÇÃO Após o levantamento das causas elas são priorizadas para que sejam sistematicamente eliminadas através de planos de ação consistentes. Ex1: Elevado número de ligações para celulares Ex2: Falha no uso da operadora Longa Distância para interurbanos CAUSAS PRIORITÁRIAS
    33. 33. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA Só é possível atingir resultados se as ações definidas forem efetivamente executadas.
    34. 34. EXECUÇÃO DO PLANO DE AÇÃO Para garantir que as ações definidas sejam executadas elas devem ser monitoradas.
    35. 35. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA Os resultados são acompanhados e os desvios são analisados profundamente e são efetuadas correções para recuperar o resultado.
    36. 36. ACOMPANHAMENTO MENSAL Mensalmente deve ser feita a seguinte pergunta: SIM PADRONIZAR NÃO METAS ALCANÇADAS ?
    37. 37. GASTO COM TELEFONIA FIXA Meses Desvio Recuperação R$ Os resultados devem ser acompanhados, os desvios analisados profundamente e efetuadas correções para recuperar o resultado. ACOMPANHAMENTO DE RESULTADOS
    38. 38. 1 Identificação do Problema 2 Análise de Fenômeno 3 Análise de Processo 4 Plano de Ação 5 Execução do Plano 6 Verificação dos Resultados e das ações 7 Analise de desvios e implantação de ações Corretivas Padronização 8 MÉTODO PDCA O método PDCA é utilizado para definir as metas a serem atingidas e facilitar o acompanhamento.
    39. 39. PADRONIZAÇÃO
    40. 40. FERRAMENTA DE ACOMPANHAMENTO O processo de acompanhamento de resultados é feito através do Software OMA (Orçamento Matricial de Despesas).
    41. 41. Mapa do processo anterior Mapa do processo redesenhado <ul><li>Fluxo com 101 tarefas </li></ul><ul><li>2. Diversas funções administrativas realizadas pelo Setor de Supervisão </li></ul><ul><li>Fluxo com 41 tarefas </li></ul><ul><li>2. Foco do Setor de Supervisão voltado à supervisão / atendimento às unidades </li></ul>MELHORIA DE PROCESSO - EXEMPLO
    42. 43. INTERVALO 15 minutos
    43. 44. Modernizando a Gestão Pública na Prática JANUÁRIO MONTONE
    44. 45. <ul><li>Cidade </li></ul><ul><li>Área: 1.509 Km 2 </li></ul><ul><li>População: 10,5 milhões habitantes </li></ul><ul><li>PIB: R$ 263 Bilhões </li></ul><ul><ul><li>( 12,26 % do PIB Brasil) </li></ul></ul><ul><li>Imóveis: 3,5 milhões </li></ul><ul><li>Veículos Registrados: 5,2 milhões </li></ul><ul><li>Ruas asfaltadas: 12,5 mil Km ( 7 mil logradouros não asfaltados) </li></ul><ul><li>Maior cidade brasileira. Só perde para 4 Estados em população (São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia) e empata com o Rio Grande do Sul </li></ul>Fonte : SMG / Site PMSP / Fundação SEADE / IBGE VISÃO GERAL DE SÃO PAULO
    45. 46. <ul><li>Prefeitura </li></ul><ul><li>Secretarias: 22 </li></ul><ul><li>Subprefeituras: 31 </li></ul><ul><li>Autarquias: 8 </li></ul><ul><li>Fundação: 1 </li></ul><ul><li>Empresas: 6 </li></ul><ul><li>Número de Servidores: 221 mil </li></ul><ul><ul><li>Ativos : 155 mil </li></ul></ul><ul><ul><li>Inativos/Pensionistas: 66 mil </li></ul></ul><ul><li>Escolas: 1.300 </li></ul><ul><li>Alunos Matriculados Rede Pública Municipal: 1,2 milhão </li></ul><ul><li>Unidades Saúde: 699 </li></ul><ul><li>Atendimentos Ambul./ano Rede Pública Municipal: 82 milhões </li></ul>Fonte : SMG / Site PMSP / Fundação SEADE / IBGE VISÃO GERAL DE SÃO PAULO
    46. 47. MISSÃO E DESAFIO FOCAR NO CIDADÃO, AUMENTANDO A QUANTIDADE E A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS, SEM AUMENTAR IMPOSTOS e OTIMIZANDO OS RECURSOS EXISTENTES.
    47. 48. <ul><li>Regulamentação do Sistema de Bens, Suprimentos e Serviços; </li></ul><ul><li>Incentivo ao uso do Pregão; </li></ul><ul><li>Consulta Pública; </li></ul><ul><li>Organização e aprimoramento de novas formas de parcerias (Contratos de Gestão com OSs e Oscips). </li></ul><ul><li>Definição das Políticas de E-gov e TIC; </li></ul>AÇÕES PRÁTICAS Algumas exemplos de ações de gestão que aumentam a eficiência e eficácia da máquina pública e conseqüentemente a qualidade e a quantidade de serviços prestados à população. Além da economia de mais de R$ 120 milhões , a regulamentação organizou o sistema de compras da Prefeitura, que é a 5º maior compradora do país. Somente na Secretaria de Gestão, desde 2005, foram realizadas 178 licitações, na modalidade pregão, que resultaram em uma economia de R$ 683 milhões O procedimento de consulta pública traz transparência, agilidade e ajuda na definição de objetos de licitação, possibilitando que o mercado e especialistas sejam ouvidos. A citada organização possibilita que a gestão das AMAs, por exemplo, seja compartilhada com parceiros que são responsáveis pelos recursos humanos, adequação física, aquisição de equipamentos e mobiliários A gestão de TIC e E-gov é baseada em uma política que potencializa o papel da informatização e da gestão de informações como instrumento de modernização e gestão.
    48. 49. <ul><li>Objetivos </li></ul><ul><ul><li>Qualidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Efetividade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Integração ao Novo Modelo de Gestão  Parcerias. </li></ul></ul><ul><li>Instrumentos de Gestão </li></ul><ul><ul><li>Contratos de Gestão  OS’s </li></ul></ul><ul><ul><li>Acordo de Resultados </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Todos os serviços e unidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Metas e indicadores  Contrato de Gestão </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Exercício opcional  gerenciamento por parceiros </li></ul></ul><ul><li>Impacto de 28% nas despesas de pessoal da saúde  R$ 400 milhões/ano </li></ul><ul><li>Produtividade = 60% do custo total </li></ul>EXEMPLOS DE AÇÕES NA SAÚDE - PCCS Saúde
    49. 50. ATIVISMO GOVERNAMENTAL CRIATIVIDADE COMPETÊNCIA AUSTERIDADE TRABALHO PARCERIA
    50. 51. Indicadores de Produtividade JOÃO JORGE DA COSTA
    51. 52. SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS
    52. 53. CENÁRIO ANTERIOR
    53. 54. 1º PASSO: COLETA DE INFORMAÇÕES Exemplo Diário de Produção (1) Boca-de-lobo / (2) Poço de visita
    54. 55. 2º PASSO: ANÁLISE DOS DADOS (1) Boca-de-lobo / (2) Poço de visita Produção (nº. de BL (1) e PV (2) limpos Número de BL (1) e PV (2) limpos – Fevereiro 2008
    55. 56. 3º PASSO: COMPARAÇÃO DOS RESULTADOS (1) Boca-de-lobo / (2) Poço de visita Produtividade (nº. de BL (1) e PV (2) limpos/equipe-dia) Número de BL (1) e PV (2) limpos – Fevereiro 2008
    56. 57. 4º PASSO: DEFINIÇÃO DE METAS Produtividade (nº. de BL (1) e PV (2) limpos/equipe-dia) (1) Boca-de-lobo / (2) Poço de visita Número de BL (1) e PV (2) limpos – Fevereiro 2008
    57. 58. 5º PASSO: AUMENTO DA PRODUTIVIDADE Produtividade (nº. de BL (1) e PV (2) limpos/equipe-dia) (1) Boca-de-lobo / (2) Poço de visita Número de BL (1) e PV (2) limpos – Fevereiro 2008
    58. 59. 6º PASSO: ACOMPANHAMENTO DOS RESULTADOS Produtividade/Equipe/Dia Produção Mensal Produção Diária Produção por Subprefeitura
    59. 60. CENÁRIO ATUAL
    60. 61. CENÁRIO ATUAL <ul><li>Boca-de-lobo </li></ul><ul><li>Poço de visita </li></ul>Meta 2008 73 53 60 20 PRODUTIVIDADE EM LIMPEZA DE BL (1) E PV (2) - MARÇO 2008
    61. 62. Sistema de Bonificação IRAILDES MEIRA PEREIRA BATISTA
    62. 63. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO
    63. 64. CENÁRIO ANTERIOR
    64. 65. 1º PASSO: AÇÕES CORPORATIVAS ESCOLAS PRIORIZADAS REVISÃO HIDRÁULICA REDUÇÃO NA TARIFA
    65. 66. 1º PASSO: AÇÕES CORPORATIVAS
    66. 67. 2º PASSO: MELHORIAS GERENCIAIS
    67. 68. 2º PASSO: MELHORIAS GERENCIAIS
    68. 69. 3º PASSO: TREINAMENTO
    69. 70. PROCESSO BONIFICAÇÃO
    70. 71. PROCESSO BONIFICAÇÃO META META ATINGIDA Realizado META BÔNUS
    71. 72. SITUAÇÃO ATUAL TREINAMENTO FOCO NA META DE REDUÇÃO BONIFICAÇÃO
    72. 73. RESULTADOS Fonte: Sistema OMA Concessionárias – 2007/2008 Melhorias implementadas em dezembro/07
    73. 74. A mudança na aquisição de material pedagógico vai permitir a racionalização dos estoques : OUTRAS MELHORIAS GERENCIAIS SITUAÇÃO ENCONTRADA SITUAÇÃO PROPOSTA Fonte: Secretaria Municipal de Educação - 2008 Kit padrão para todas unidades educacionais Unidades educacionais definem os materiais necessários Estoques nas unidades educacionais Unidades educacionais definem as quantidades Itens pouco utilizados Utilização de 100% do material no ano letivo Economia de R$ 1 milhão
    74. 75. Melhoria na Licitação de Medicamentos e Material Médico-Hospitalar AILTON DE LIMA RIBEIRO PAULO KRON PSANQUEVICH
    75. 76. SECRETARIA DA SAÚDE (1) Oxigenoterapia Domiciliar prolongada
    76. 77. CENÁRIO ANTERIOR Fonte: Secretaria da Saúde - 2008 GASTOS ELEVADOS COM FREQÜENTES INTERNAÇÕES HOSPITALARES
    77. 78. 1º PASSO: COLETA DE INFORMAÇÕES Exemplo Relatório do banco de dados (1) Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada Fonte: Secretaria da Saúde - 2008
    78. 79. 2º PASSO: ANÁLISE DOS DADOS (1) Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada / (2) Secretaria Municipal da Saúde / (5) Consumo Médio Mensal Fonte: Secretaria da Saúde - 2008
    79. 80. (1) Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada / (3) Continuous Positive Airway Pressure Fonte: Secretaria da Saúde - 2008 3º PASSO: ALTERAÇÃO DO TIPO DE CONTRATAÇÃO
    80. 81. CENÁRIO ATUAL <ul><li>Criação de programas para orientação do uso correto do oxigênio; </li></ul><ul><li>Criação de serviços de referência; </li></ul><ul><li>Treinamento de pneumologistas/enfermeiros da rede; </li></ul><ul><li>Garantia de acesso ao agendamento de consulta; </li></ul><ul><li>Início do processo de acompanhamento dos 2.282 pacientes em uso de ODP (1) nos serviços de referência. </li></ul>(1) Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada Fonte: Secretaria da Saúde – 2008
    81. 82. GANHOS PREVISTOS Os demais ganhos projetados com a alteração da contratação da ODP (1) são: MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DOS PACIENTES E REDUÇÃO DAS REINTERNAÇÕES <ul><li>Reavaliação dos pacientes: alta do serviço ; </li></ul><ul><li>Ampliação do atendimento a novos pacientes . </li></ul><ul><li>Acompanhamento sistemático dos pacientes. </li></ul>(1) Oxigenoterapia Domiciliar Prolongada Fonte: Secretaria da Saúde – 2008 1. CUSTO POR PACIENTE 2. READEQUAÇÃO DO CONSUMO 3. AMPLIAÇÃO DAS MELHORIAS NO ATENDIMENTO AO PACIENTE R$ / PACIENTE MÊS R$ 343 R$ 264 2007 2008 R$ 612 2004
    82. 83. SECRETARIA DA SAÚDE
    83. 84. CENÁRIO ANTERIOR OPORTUNIDADE DE MELHORIA COM A COMPRA DE MATERIAL MÉDICO-HOSPITALAR E MEDICAMENTOS
    84. 85. 1º PASSO: COLETA DE INFORMAÇÕES Exemplo Relatório do banco de dados
    85. 86. 2º PASSO: ANÁLISE DOS DADOS
    86. 87. 3º PASSO: ALTERAÇÃO NA FORMA DE LICITAÇÃO OUTRAS MODALIDADES PREGÃO PRESENCIAL PREGÃO ELETRÔNICO
    87. 88. 4º PASSO: ALTERAÇÃO NA PESQUISA DE PREÇOS (4) Ata de Registro de Preços
    88. 89. 5º PASSO: ALTERAÇÃO NA PRIORIZAÇÃO DOS ITENS 16,46 143,95 ‘ 127,49 1,13 0,83 0,20 0,16
    89. 90. 6º PASSO: OPORTUNIDADE DE REDUÇÃO (2) Secretaria Municipal da Saúde / (4) Ata de Registro de Preços ANÁLISE DE PREÇOS - METFORMINA - COMPRIMIDO 850MG CONSUMO MÉDIO MENSAL = 8.101.600 PREÇOS PESQUISADOS PREÇO MÉDIO
    90. 91. 7º PASSO: DEFINIÇÃO DE METAS Lista dos itens priorizados
    91. 92. 8º PASSO: EXECUÇÃO DAS AÇÕES RENEGOCIAÇÃO COM FORNECEDOR ABERTURA DE NOVA LICITAÇÃO
    92. 93. 9º PASSO: ACOMPANHAMENTO DOS RESULTADOS Lista dos itens renegociados (4) Ata de Registro de Preços / (5) Consumo Médio Mensal Fonte: Suprimentos/Secretaria da Saúde - 2008
    93. 94. CENÁRIO ATUAL
    94. 95. Fonte: Suprimentos/Secretaria da Saúde - 2008 EXEMPLO - IBUPROFENO 50MG/ML - CX. C/ 01 FR. 30ML (ANTINFLAMATÓRIO) CONSUMO MÉDIO MENSAL = 101.800 CENÁRIO ATUAL
    95. 96. Fonte: Suprimentos/Secretaria da Saúde - 2008 DIETA PARENTERAL INDIVIDUALIZADA 4 - BOL CMM = 1.468 CENÁRIO ATUAL BENZILPENICILINA COM 1.200.000 UI - FAM CMM = 140.900 TIAMINA COM 300MG - CP CMM = 140.900 PREÇO ANTERIOR PREÇO MÉDIO PREÇO ATUAL
    96. 97. SECRETARIA DA SAÚDE
    97. 98. CENÁRIO ANTERIOR Fonte: Secretaria da Saúde - 2008
    98. 99. GESTÃO POR INDICADORES Fonte: Secretaria da Saúde - 2008
    99. 100. CENÁRIO ATUAL Fonte: Secretaria da Saúde - 2008 GARANTIA DE ABASTECIMENTO CONFIÁVEL E REGULAR PARA A POPULAÇÃO
    100. 101. MELHORIAS NA GESTÃO DOS MEDICAMENTOS Os dados abaixo confirmam a melhoria na gestão dos medicamentos com a ampliação do número medicamentos entregues superior ao aumento das despesas: (7) Unidade Farmacêutica Fonte: Secretaria da Saúde - 2008 GESTÃO DE MEDICAMENTOS % AUMENTO 2004/2007 63 % 26 %
    101. 102. ALMOXARIFADO CENTRAL INICIAR FILME
    102. 103. A unificação das Autarquias Hospitalares traz as seguintes mudanças: UNIFICAÇÃO DAS AUTARQUIAS HOSPITALARES SITUAÇÃO ENCONTRADA SITUAÇÃO ATUAL/PROPOSTA (2) Secretaria Municipal da Saúde Fonte: Autarquia Hospitalar Municipal - 2008 Compras descentralizadas de medicamentos e material médico-hospitalar Centralização das compras sob as diretrizes de SMS (2) Gerenciamento financeiro administrativo independente em cada Autarquia Gerenciamento financeiro administrativo único sob as diretrizes de SMS (2) Nenhum contrato cadastrado no sistema de gerenciamento 90% dos contratos cadastrados no sistema de gerenciamento Contratos de serviços terceirizados distintos e sem uniformização Padronização dos contratos Impossibilidade de transferência de medicamentos entre as Autarquias Readequação das demandas/compras de medicamentos Compra e acompanhamento descentralizado do serviço de atendimento médico-hospitalar Acompanhamento do serviço de atendimento médico-hospitalar pelo Núcleo Técnico do Gabinete SMS (2)
    103. 104. Fonte: Autarquia Hospitalar Municipal - 2008 UNIFICAÇÃO DAS AUTARQUIAS HOSPITALARES
    104. 105. REVISÃO DO MODELO DE LOGÍSTICA <ul><li>Combate a eventuais perdas de estoques; </li></ul><ul><li>Melhoria no controle de lote e validade; </li></ul><ul><li>Redução dos estoques locais; </li></ul><ul><li>Redução do preço dos materiais; </li></ul><ul><li>Análise de consumo e custos de materiais por procedimento-paciente; </li></ul><ul><li>Entrega fracionada de medicamentos de acordo com a necessidade de cada paciente. </li></ul>ECONOMIA ANUAL PROJETADA DE R$ 18,2 MM , CORRESPONDENTE A 23% DA DESPESA ATUAL DE R$ 80 MM (6) Autarquia Hospitalar Municipal Fonte: Autarquia Hospitalar Municipal - 2008
    105. 106. Resultados do Projeto CLÓVIS DE BARROS CARVALHO
    106. 107. RESULTADOS DO PROJETO GANHOS * Janeiro a Março/08 CRESCIMENTO DA RECEITA REDUÇÃO DA DESPESA MELHORIA DE RESULTADOS PMSP 2006/2007 R$ 3.697 MM 2008* R$ 545 MM 2006/2007 R$ 122 MM 2008* R$ 24 MM
    107. 108. R$ Milhões O gráfico abaixo resume o incremento na arrecadação da Prefeitura no 1° trimestre de 2008. Há um ganho de 12,5% em relação ao mesmo período do ano anterior que representa R$ 545 milhões e em 1,4% acima da meta estabelecida , ou seja, R$ 67 milhões. INCREMENTO DE ARRECADAÇÃO Fonte: NOVOSEO em 23/04/2008 - Valores Nominais e em Milhões de Reais
    108. 109. Na análise do balanço patrimonial da PMSP, verifica-se uma melhora significativa do superávit financeiro, quando se compara os saldos disponíveis no período 2004 a 2007. O saldo de 2007 é de R$ 1,75 bilhões . SUPERÁVIT FINANCEIRO R$ Milhões Fonte: Secretaria de Finanças - Valores Nominais e em Milhões de Reais
    109. 110. OTIMIZAÇÃO DE DESPESAS – 2006/2007
    110. 111. Oportunidades – Despesas Correntes O escopo de R$ 1.150 milhões da Fase I está focado nas despesas comuns da PMSP. Fonte:PRODAM – Liquidado 2005 OTIMIZAÇÃO DE DESPESAS – 2006/2007
    111. 112. Durante as análises das despesas específicas foram identificadas oportunidades de otimização de R$ 131 milhões (8,3% do escopo de R$ 1.573 milhões). OTIMIZAÇÃO DE DESPESAS – 2008
    112. 113. DESAFIO A Frente de Despesas contribuiu para a identificação de uma economia potencial de R$ 266 milhões . O desafio está na implementação do total das oportunidades. FASE I – 2006/2007 FASE II – 2007/2008 (*) Realizado em 18 meses * R$ 201 MM R$ 266 MM R$ 115 MM
    113. 114. Fazer mais (quantidade) e melhor (qualidade) com menos (recursos)! MISSÃO ESTABELECIDA PELO PREFEITO “ NÃO REINVENTAR A RODA”
    114. 115. OBRIGADO! Contato do Projeto Modernizando a Administração Pública: Rodrigo Mauro Ruiz de Matos 3396-7067 [email_address]

    ×