Retirar se

649 visualizações

Publicada em

Mensagem / Estudo Bíblico dirigido à Comunidade Cristã Restauração (Steinsel, Luxemburgo) a 23 de Abril de 2011

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
649
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Retirar se

  1. 1. CCR LUXEMBURGO 22/04/11 12 MENSAGEM TÍTULO: RECOLHER-SE   Rui Miguel Duarte     Texto-­‐chave:     Mt   14:13   “Quando   Jesus   recebeu   aquela   notícia,   retirou-­‐se   de   barco   e   foi   sozinho   para   um   lugar   isolado.”     Mc   6:30-­‐37:   “Quando   os   apóstolos   voltaram   para   junto   de   Jesus,   contaram   -­‐lhe   tudo   o   que   tinham   feito   e   ensinado.   Jesus   então   convidou-­‐os:   «Venham   comigo   a   um   lugar   sossegado   para   descansarem   um   pouco.»   É   que   havia   sempre   tanta   gente   a   chegar   e   a   partir   que   eles   nem   tinham   tempo  para  comer.  Entraram  no  barco  e  foram  sozinhos  para  um  lugar  isolado.”     Mas   muita   gente,   de   vários   lugares,   viu-­‐os   partir   e   reconheceu-­‐os.   Foram   a   pé   e   chegaram   lá   primeiro   do   que   eles.   Quando   Jesus   saiu   do   barco,   viu-­‐se   diante   duma   enorme   multidão.   Teve   imensa  pena  daquela  gente  que  era  como  um  rebanho  de  ovelhas  sem  pastor  e  pôs-­‐se  a  ensinar-­‐ lhes   muitas   coisas.   Como   já   fosse   bastante   tarde,   os   discípulos   foram   ter   com   Jesus   e   disseram-­‐lhe:   «Este   lugar   é   muito   deserto   e   já   é   bastante   tarde.   Manda   as   pessoas   embora   para   irem   pelos   campos   e   aldeias   das   redondezas   comprar   qualquer   coisa   para   comer.»   Mas   Jesus   respondeu:   «Dêem-­‐lhes  vocês  de  comer.»”    I. Introdução     Jesus  e  os  discípulos  retiram-­‐se.     Mat  14:13   Mc  6:31   Luc  9:10   Quando   Jesus   recebeu   aquela       notícia,   retirou-­‐se   de   barco   e   foi       sozinho  para  um  lugar  isolado.         Quando   os   apóstolos   voltaram   Quando   os   apóstolos   voltaram,   para  junto  de  Jesus,  contaram-­‐lhe   contaram   a   Jesus   tudo   o   que   tudo   o   que   tinham   feito   e   tinham  feito.  Ele  então  retirou  -­‐se   ensinado.   Jesus   então   convidou-­‐ só   com   eles   para   uma   povoação   os:   «Venham   comigo   a   um   lugar   chamada  Betsaida.   sossegado   para   descansarem   um   pouco.»   É   que   havia   sempre   tanta   gente  a  chegar  e  a  partir  que  eles   nem  tinham  tempo  para  comer.       1.  Contexto  do  episódio.     1.1.  Mc  liga-­‐o  exactamente  ao  regresso  dos  discípulos  duma  missão.  Antes  deu-­‐se  a  morte  de   João  Baptista.  Igualmente  Luc.   1
  2. 2. 1.2.   Mat   14:13-­‐15   liga-­‐o   exactamente   ao   conhecimento   por   Jesus   a   notícia   desta   morte.   Acrescenta   que   se   isolou   sozinho.   Não   refere   a   chegada   dos   discípulos   e   a   retirada   destes   com   o   Mestre.       2.  Acontecimentos:   2.1.  Jesus  sozinho  recebe  a  notícia  da  execução  de  João.  Retira-­‐se  só.   2.2.  Os  discípulos  chegam.  Jesus  convida-­‐os  a  acompanhá-­‐lo.     Este  texto,  bem  como  os  versículos  seguintes,  contém  várias  lições.    II. O  recolhimento  é  dado  por  Deus     O  próprio  Deus  convida  e  prepara  o  recolhimento  para  o  homem.     1.  É  notório  o  extremo  cuidado  que  Deus  tem  por  nós  —  Jesus  convidou  os  discípulos:     1.2.  A  recuperar  energias  e  nutrientes,  a  descansar  e  comer.   1.2.  A  recolherem-­‐se  em  si  mesmos.     1.3.  A  recolherem-­‐se  na  companhia  dele.       2.  É  estupidez  seguir  um  estilo  de  vida  workaholic;  é  sábio  dosear  e  equilibrar.     3.  Banquete  de  Deus.  O  encontro  da  Igreja  com  o  Senhor  regressado:     3.1.  As  bodas  do  Cordeiro:  Mat  26:29;  Apoc  19:6-­‐9.   3.2.  A  parábola  do  casamento:  Mat  22:1-­‐10  “Mais  uma  vez  Jesus  se  serviu  de  parábolas  para   lhes  dizer:  «O  reino  dos  céus  é  semelhante  a  um  rei  que  preparou  uma  festa  de  casamento  para  o   seu  filho.  Mandou  os  criados  chamar  as  pessoas  que  tinha  convidado  para  o  casamento  […]”     v.   4   “Então   o   rei   enviou   outros   criados   com   esta   recomendação:   “Digam   aos   convidados:   Olhem   que   o   banquete   já   está   pronto.   Já   mandei   abater   os   bois   e   as   reses   gordas:   está   tudo   preparado.  Venham  para  a  festa!”  […]   v.   8   “Depois   disso,   o   rei   disse   aos   criados:   «A   festa   do   casamento   está   pronta,   mas   os   convidados   não   eram   dignos.   Vão,   portanto,   pelas   ruas   e   caminhos   e   convidem   para   o   banquete   todos   os   que   encontrarem.»   Eles   saíram   para   as   ruas   e   juntaram   todos   os   que   conseguiram   encontrar,  tanto  bons  como  maus.  A  sala  do  banquete  ficou  cheia  de  gente.”     4.  O  Sábado  foi  feito  para  o  homem,  para  o  seu  bem  Mc  2:27:  “E  acrescentou:  «O  sábado  foi   criado  por  causa  do  homem  e  não  o  homem  por  causa  do  sábado.»”     5.  Para  a  língua  e  cultura  latinas,  o  ócio  (otium)  tinha  um  valor  positivo,  o  negócio  (negotium)   negativo:   5.1.  ócio:  tempo  livre,  para  o  lazer,  a  reflexão,  a  tranquilidade,  a  paz  como  ideal  do  homem   livre;   5.2.  negócio:  as  ocupações,  trabalhos,  actividades  políticas,  comerciais,  profissionais.     6.  Sentar-­‐se  à  mesa,  na  cultura  semita,  além  do  sentido  de  restauração  de  corpo  e  mente,  tinha   sentido  espiritual:  comunhão,  amizade,  aliança.  Jesus  pretendia  implicar  os  discípulos  neste  sentido   do  convite  para  se  retirarem  para  comer.     7.  Notar  a  relação  familiar  das  palavras  “restaurante”  e  "restauração”!     2
  3. 3. III. Recolher-­‐se     Há  coisas  que  demandam  recolhimento,  retirada,  isolamento,  voltar  à  intimidade,  com  os  mais   íntimos,  consigo  próprio.       1.  O  pesar  pela  morte  dum  amigo  ou  familiar.  Momentos  para  chorar,  meditar,  ou  orar.  Jesus   como  homem  sentiu  esse  acontecimento.     1.1.  Ecl  3:4.  Há  momentos  para  tudo,  para  festejar  e  prantear.       2.  Deus  descansou  /  contemplou  os  resultados  da  sua  obra:     Gén  2:1-­‐3:  “Assim  ficaram  completos  o  céu  e  a  terra,  com  tudo  aquilo  que  contêm.  No  sétimo   dia,  Deus  tinha  completado  a  sua  obra  e  nesse  sétimo  dia  Deus  descansou  dos  trabalhos  que  tinha   vindo   a   fazer.   Deus   abençoou   o   sétimo   dia   e   fez   dele   um   dia   sagrado,   pois   foi   o   dia   em   que   ele   descansou  de  todo  o  trabalho  de  criação  que  tinha  feito.”     3.  Recolher-­‐se:   3.1.  Em  si  mesmo:   • alimentar-­‐se   • tratar  das  feridas   • reciclar  energias,  a  mente,  dormir   • lazer  (ler,  ver  um  filme  que  disponha  bem,  jogar  xadrez  ou  Farmville,  correr,  nadar)   • contemplar  e  cultivar  o  belo  (ler  e  escrever,  pintar,  ouvir  e  compor  música)   • fazer  balanços  pessoais,  repensar  estratégias  e  objectivos,  avaliar  resultados   3.2.  Com  outros:   • distrair-­‐se   com   a   família   e   os   amigos   (ver   um   filme,   jogar   Monopólio   com   mulher   e   filhos),  comer  (em  casa  ou  fora)   • fazer  balanços  colectivos   • os  discípulos  foram  desafiados  a  recolherem-­‐se  à  intimidade  de  cada  um  e  do  grupo   3.3.  Descansar  em  Deus.  O  próprio  Deus  convida  ao  descanso,  nele.     Mat   11:28   “Venham   ter   comigo   todos   os   que   andam   cansados   e   oprimidos   e   eu   vos   darei   descanso”;     Sal  37:7  “Confia  no  SENHOR  e  põe  nele  a  tua  esperança…”  ;     Sal  91:1-­‐2  “Aquele  que  habita  sob  a  protecção  do  Altíssimo  e  mora  à  sombra  do  Omnipotente,   pode  exclamar:  «Ó  SENHOR,  tu  és  o  meu  refúgio,  o  meu  castelo,  o  meu  Deus,  em  quem  confio!»”   Êx  33:14  “Deus  respondeu:  «Eu  mesmo  te  acompanharei,  para  te  dar  tranquilidade.»”    IV. O  recolhimento  é  um  momento  de  transição       O  recolhimento  durou  pouco.     Mc   6:34-­‐37   Quando   Jesus   saiu   do   barco,   viu-­‐se   diante   duma   enorme   multidão.   Teve   imensa   pena   daquela   gente   que   era   como   um   rebanho   de   ovelhas   sem   pastor   e   pôs-­‐se   a   ensinar-­‐lhes   muitas   coisas.   Como   já   fosse   bastante   tarde,   os   discípulos   foram   ter   com   Jesus   e   disseram-­‐lhe:   «Este   lugar   é   muito   deserto   e   já   é   bastante   tarde.   Manda   as   pessoas   embora   para   irem   pelos   campos   e   aldeias   das   redondezas   comprar   qualquer   coisa   para   comer.»   Mas   Jesus   respondeu:   «Dêem-­‐lhes  vocês  de  comer.»”     1.  Foi  rápida  a  transição  entre  sentar-­‐se  à  mesa  e  levantar-­‐se  para  servir  à  mesa.     2.  Não  houve  descanso  no  descanso:   3
  4. 4. 2.1.  Jesus  deixou  o  seu  descanso  para  ajudar  necessitados.   2.2.  Os  discípulos  deixaram  o  seu  descanso  juntaram-­‐se-­‐lhe  na  tarefa.    3.  Estarmos  prontos  para  nos  levantarmos  do  descanso  para  servir  outros:   3.1.  Deixar  o  prato  na  mesa  para  dar  de  comer  a  outros;  dar  do  nosso  prato  para  o  dos  outros.   3.2.  Muitas  vezes  o  nosso  descanso  é  para  entreter  os  nossos  filhos  menores,  para  os  ocupar.    4.  O  recolhimento  e  a  mesa  de  um  multiplicou-­‐se  por  muitos:   4.1.  Jesus,  no  seu  recolhimento,  recebeu  os  discípulos.   4.2.  Estes  do  alimento  e  do  descanso  que  era  para  eles  distribuíram  por  outros.   4.3.  A  mesa  que  era  para  13  foi  para  milhares.   4

×