Digital Ready

230 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Digital Ready

  1. 1. interactividade Rui Belona e-Business Director da JRS Pharmarketing DIGITAL READYPharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários
  2. 2. Para a implementação de uma estratégia digital com sucesso, existem certos pilares que devem estar sólidos na estrutura da empresa que embarca nesta viagem digital... A empresa tem de ser digital ready! Então, o que é ser digital ready? Digital ready é um estado que uma empresa atinge quando o formato digital está integrado na cultura da empresa, quando se torna tão natural como respirar para os seus colaboradores. E isto não implica o simples usar do e-mail, ter um site ou estar no Facebook... Implica pensar em todas as acções num formato digital. Claro que uma empresa pode empreender uma estratégia digital sem estar 100% digital ready... Principalmente quando já existe uma cultura com métodos mais tradicionais de obter enraizada, resultados. Afinal, a cultura de uma empresa não muda de um dia para o outro. É tendo tudo isto em conta que uma empresa deve tentar perceber como está a sua situação digital ready. E, para isso, deve tentar analisar os factores críticos de sucesso dentro da sua estrutura.Pharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários
  3. 3. O nível de importância de cada factor varia consoante a empresa e a forma como a sua cultura está enraizada nos seus colaboradores; no entanto, todos os factores aqui apresentados devem ser considerados.Pharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários
  4. 4. TODA A EMPRESA DEVE SER DIGITAL READY: QUALIDADE DOS RECURSOS TECNOLÓGICOS: o contacto com o formato digital deve ser o nível dos recursos tecnológicos deve transversal a todos os departamentos da empresa acompanhar os objectivos a que a estratégia (mesmo todos!). Isto implica a utilização de digital se propõe atingir. Questões como ferramentas digitais de forma corrente no dia- a qualidade dos computadores, largura de -a-dia de todos os departamentos e funções. banda de Internet suficiente, acesso mobile, Só assim a empresa poderá implementar networking, actualidade dos sistemas operativos uma estratégia digital sustentada e com e browsers, etc., devem estar acautelados sob desenvolvimento a médio/longo prazo. risco de desmotivação dos colaboradores para o formato digital. ENVOLVIMENTO TOP-DOWN NA ESTRATÉGIA DIGITAL: COERÊNCIA E FORMATO DA para que a estratégia digital seja implementada MENSAGEM: a um nível operacional de uma forma a diversidade de canais e ferramentas digitais convincente, o envolvimento ao nível top leva a que a mensagem a passar tenha de, management é imprescindível. Isto implica obrigatoriamente, ser semelhante em cada um formação, apoio e liderança por exemplo, deles, para que o público-alvo seja impactado para um efeito em cascata até aos níveis mais de forma equivalente independentemente operacionais. O shift para a utilização de do canal que utiliza. Já o formato deve ser ferramentas digitais para a comunicação entre adaptado ao meio a ser utilizado. Um vídeo ou níveis pode ser um bom ponto de partida. apresentação que seja destinado a ser passadoPharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários
  5. 5. offline não tem as limitações de peso/tamanho que o mesmo vídeo ou apresentação que passe na Internet. Aqui é importante que a agência criativa escolhida esteja à vontade para produzir conteúdos nos vários formatos para os vários canais. ÚBLICO S-ALVO: RDAGE M AOS P ABO a correcta escolha dos canais digitais a usar torna-se um factor tanto mais decisivo quanto mais específicos forem os públicos-alvo. A forma como os vários públicos-alvo utilizam os diferentes canais e o que retiram de cada um deles deve ser tida em conta na estratégia digital. Deve ser feito um planeamento dos conteúdos e respectivos timings para que os públicos-alvo sejam impactados regularmente (mas não de forma abusiva) com conteúdos de interesse (os utilizadores dos canais digitais são menos pacientes no que respeita a conteúdos, sem interesse que lhes “poluam” os seus espaços virtuais).Pharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários
  6. 6. FEEDBACK LOOP: ESTES SÃO ALGUNS uma das vantagens dos formatos digitais é serem mais flexíveis no que respeita à sua actualização e substituição. Independentemente DOS FACTORES MAIS IMPORTANTES do canal, da mensagem e do público-alvo, deve ser montado um programa de feedback A TER EM CONTA NA IMPLEMENTAÇÃO DE loop que permita recolher as opiniões, críticas e sugestões sobre aquele conteúdo/canal e UMA ESTRATÉGIA DIGITAL. depois actuar sobre esses factores de uma forma positiva. Se os públicos-alvo virem que a sua participação teve impacto no conteúdo/ canal que recebem, ficarão mais receptivos às E a sua empresa, está digital ready? Preencha este mensagens divulgadas. pequeno questionário e tenha uma indicação de como está o nível digital ready da sua empresa… download Comente este artigo aquiPharmagazine | edição nº14 | 2012 rcmpharma.com | created and owned by JRS Pharmarketing Editorial Mkt & Vendas Mitos Recursos Humanos Laboratório de Tentações Saúde Politics Read my Brain Sem Comentários

×