Vni nas dnm

3.374 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.374
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
168
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vni nas dnm

  1. 1. A ventilação não invasiva (VNI) nas doenças neuromusculares (DNM) Cristina Alves Serviço de Pneumologia
  2. 2. Ventilação Não Invasiva <ul><li>Refere-se a todas as técnicas de administração de ventilação mecânica pulmonar que não necessitam de uma via aérea artificial invasiva. </li></ul><ul><li>Objectivo: tratar os casos de maior gravidade da insuficiência respiratória, diminuindo a necessidade de intubação endo-traqueal ou traqueostomia. </li></ul>
  3. 3. Prespectiva histórica da VNI <ul><li>Anos 30 - “pulmão de aço” </li></ul><ul><li>Anos 80 – CPAP </li></ul><ul><li>Anos 90 - BiPAP ® </li></ul>
  4. 4. Modalidades da VNI <ul><li>Ventilação por pressão negativa </li></ul>
  5. 5. Modalidades da VNI <ul><li>Ventilação por pressão positiva </li></ul>
  6. 6. Modalidades da VNI <ul><li>Ventiladores Volumétricos </li></ul><ul><ul><li>VC fixo </li></ul></ul><ul><ul><li>Pressão de insuflação variável </li></ul></ul><ul><li>Ventiladores Pressurométricos </li></ul><ul><ul><li>VC variável </li></ul></ul><ul><ul><li>Inspiração termina quando a pressão predeterminada é atingida </li></ul></ul><ul><li>Tipos de Ventiladores </li></ul>
  7. 7. Mecanismo de acção <ul><li>CPAP </li></ul>BIPAP t P t P EPAP EPAP
  8. 8. Interfaces doente/ventilador <ul><li>Máscaras nasais </li></ul><ul><li>Máscaras nasobucais </li></ul><ul><li>Peça Bucal </li></ul>
  9. 9. Doenças neuromusculares <ul><li>Toda a doença que afecta qualquer parte do nervo e do músculo </li></ul><ul><ul><li>Doenças do neurónio motor </li></ul></ul><ul><ul><li>Doenças da junção neuromuscular </li></ul></ul><ul><ul><li>Doenças dos nervos periféricos </li></ul></ul><ul><li>Miopatias e Distrofias Musculares </li></ul>
  10. 10. Classificação das DNM Poliomielite Anterior Aguda Parelesia Bulbar Progressiva Atrofia Muscular Espinhal Doença de Dejerine-Sottas Botulismo Atrofia Muscular Progressiva Doença de Charcot-Marie-Tooth Síndrome de Eaton-Lambert Esclerose Lateral primária Síndrome de Guillen-Barre Miastenia Gravis Esclerose Lateral amiotrófica Doenças dos nervos periféricos Doenças da junção neuromuscular Doenças do neurónio motor
  11. 11. Sintomatologia DNM <ul><li>Atrofia/fadiga Muscular </li></ul><ul><li>Hipotonia </li></ul><ul><li>Hiperreflexia </li></ul><ul><li>Espasticidade </li></ul><ul><li>Caibras musculares </li></ul><ul><li>Disartria </li></ul><ul><li>Diasfagia </li></ul>
  12. 12. Alterações ventilatórias nas DNM <ul><li>Fraqueza/fadiga muscular </li></ul>Alteração padrão ventilatório Desigualdade V/P  Capacidade contráctil  Volumes pulmonares  Pressões expiratórias Atelectasias Retenção de secreções Hipercapnia Hipoxemia HTP Falência respiratória  
  13. 13. Alterações ventilatórias nas DNM <ul><li>Padrão restritivo </li></ul><ul><ul><li> CV </li></ul></ul><ul><ul><li> CPT </li></ul></ul><ul><ul><li> CI; VRE E CRF </li></ul></ul><ul><ul><li>VR n ou  </li></ul></ul><ul><ul><li>DEM 25%, 50% e 75% n </li></ul></ul><ul><ul><li>CLCO N </li></ul></ul><ul><ul><li> PEM e PIM </li></ul></ul>
  14. 14. Efeitos da VNI <ul><li>Alívio dos sintomas </li></ul><ul><li>Estabiliza e/ou melhora as trocas gasosas </li></ul><ul><li>Previne a hipoventilação nocturna </li></ul><ul><li>Melhora a qualidade do sono </li></ul><ul><li>Reduz o nº de complicações respiratórias e hospitalizações </li></ul><ul><li>Adia a necessidade de ventilação invasiva </li></ul><ul><li>Melhora a qualidade de vida </li></ul><ul><li>Aumenta a sobrevida </li></ul>
  15. 15. Indicação para VNI nas DNM <ul><li>Sintomatologia </li></ul><ul><ul><li>Fadiga generalizada, dispneia, cefaleias… </li></ul></ul><ul><li>Alterações gasométricas </li></ul><ul><ul><li>Hipercapnia diurna (pCO 2 >45mmHg) </li></ul></ul><ul><ul><li>Dessaturação nocturna (SatO 2 <88% > 5min cons) </li></ul></ul><ul><li>Alterações funcionais </li></ul><ul><ul><li>PIM <60cmH 2 O </li></ul></ul><ul><ul><li>CVF <50% </li></ul></ul>
  16. 16. Contraindicações da VNI nas DNM <ul><li>Relativas </li></ul><ul><ul><li>Acompanhamento familiar/social inadequado </li></ul></ul><ul><ul><li>Compromisso severo da deglutição </li></ul></ul><ul><ul><li>Necessidade de ventilação continua </li></ul></ul><ul><li>Absolutas </li></ul><ul><ul><li>Obstrução da via aérea </li></ul></ul><ul><ul><li>Retenção de secreções / tosse ineficaz </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de colaboração </li></ul></ul>
  17. 17. Complicações da VNI nas DNM <ul><li>Comuns </li></ul><ul><ul><li>Insuflação pulmonar </li></ul></ul><ul><ul><li>Claustrofobia </li></ul></ul><ul><ul><li>Congestão e secura oral/nasal </li></ul></ul><ul><ul><li>Irritação ocular </li></ul></ul><ul><ul><li>Insuflação gástrica </li></ul></ul><ul><li>Raras </li></ul><ul><ul><li>Intolerância </li></ul></ul><ul><ul><li>Aspiração </li></ul></ul><ul><ul><li>Pneumotorax </li></ul></ul>
  18. 18. Opções de VNI <ul><li>Pressão positiva </li></ul><ul><ul><li>Volume (10-15ml/Kg) </li></ul></ul><ul><ul><li>Pressão (CPAP/BIPAP ® ) </li></ul></ul><ul><li>Pressão negativa </li></ul><ul><ul><li>Rara </li></ul></ul><ul><ul><li>Falha da PP </li></ul></ul><ul><li>Outros </li></ul><ul><ul><li>Pacing diafragmático </li></ul></ul>
  19. 19. Escolha da VNI <ul><li>Depende </li></ul><ul><ul><li>Necessidade específica da patologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Preferência/adaptação do doente </li></ul></ul><ul><li>Melhor tolerância </li></ul><ul><ul><li>Pressão </li></ul></ul><ul><ul><li>Máscara nasal </li></ul></ul><ul><ul><li>Modo espontâneo </li></ul></ul>
  20. 20. Inicio da VNI <ul><li>Preparação do doente </li></ul><ul><li>Escolha do equipamento adequado </li></ul><ul><li>Preferencialmente hospitalização </li></ul><ul><ul><li>Internamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Laboratório sono </li></ul></ul><ul><li>Aumento gradual de parâmetros e tempo de utilização </li></ul>
  21. 21. Follow-up <ul><li>Avaliação periódica </li></ul><ul><ul><li>1-3 meses (doenças progressão rápida) </li></ul></ul><ul><ul><li>6-12 meses (outras patologias) </li></ul></ul><ul><li>Avaliação clínica </li></ul><ul><li>Avaliação funcional </li></ul>
  22. 22. VNI no HSS <ul><li>7 doentes </li></ul><ul><ul><li>5 ELA (71%) </li></ul></ul><ul><ul><li>2 Miopatia (29%) </li></ul></ul><ul><ul><li>4 ♂ / 3 ♀ </li></ul></ul><ul><ul><li>Idade </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>30-76 anos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Média 52 </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>3 óbitos - ELA (43%) </li></ul></ul><ul><li>VNI </li></ul><ul><ul><li>BIPAP ® (100%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Est 4 (57%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Exac 3 (43%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Adaptação (100%) </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhoria sint (100%) </li></ul></ul>
  23. 23. Conclusão <ul><li>Avaliação funcional respiratória - elemento essencial da abordagem dos doente neuromusculares </li></ul><ul><li>Avaliação funcional seriada – monitorizar o inicio/continuidade da VNI </li></ul><ul><li>Modo/ventilador ideal – varia com doença e adaptação do doente </li></ul><ul><li>Monitorização e folow-up </li></ul>

×