ApresentaçãO De Eficiencia Energetica

12.438 visualizações

Publicada em

Publicada em: Estilo de vida, Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.438
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
39
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
931
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • ADAVJNAN
  • ApresentaçãO De Eficiencia Energetica

    1. 1. Eficiência Energética
    2. 2. A GERAÇÃO E A TRANSMISSÃO DE ENERGIA <ul><li>Atualmente, o homem se utiliza uma série de formas para produzir energia. Estas provém de fontes não renováveis (geradas por recursos naturais finitos, como combustíveis fósseis) e fontes renováveis (aquelas que se reconstituem espontaneamente ou por práticas de conservação, como o ar, a água e a luz solar). </li></ul>
    3. 3. ENERGIA HIDRÁULICA <ul><li>Responsável por 95% da energia elétrica no Brasil; </li></ul><ul><li>Usinas com Reservatórios de acumulação e Usinas a Fio d’Água; </li></ul><ul><li>Sistemas de transmissão Interligados </li></ul><ul><li>Usinas geradoras acumulam o combustível; </li></ul><ul><li>Energia elétrica é produzida no momento do uso; </li></ul><ul><li>Fornecimento continuo e ininterrupto. </li></ul><ul><li>O consumo de Energia elétrica cresce de 3 a 5%aa. </li></ul>
    4. 5. ENERGIA TÉRMICA <ul><li>Crise energética ocorrida em 2001-2002; </li></ul><ul><li>Aumento da oferta em curto prazo; </li></ul><ul><li>Usinas Térmicas emergenciais; </li></ul><ul><li>Rápido tempo de instalação; </li></ul><ul><li>Capacidade de remanejamento; </li></ul><ul><li>Não fica exposto a mudanças sazonais; </li></ul><ul><li>Custo maior do KW em relação a usina hidráulica; </li></ul><ul><li>Grande parte dessas usinas localiza-se na região norte. </li></ul>
    5. 7. BIOMASSA <ul><li>Mais de ¼ da energia usada no Brasil e de origem vegetal; </li></ul><ul><li>Carvão vegetal = industrias siderúrgicas; </li></ul><ul><li>Cana de açúcar = produção de álcool combustível; </li></ul><ul><li>A transformação da energia com eficiência abaixo do seu potencial; </li></ul><ul><li>Aumento do consumo de álcool combustível; </li></ul><ul><li>Papel fundamental na expansão da oferta de energia elétrica. </li></ul>
    6. 9. ENERGIA EÓLICA <ul><li>Fonte abundante de energia renovável e limpa; </li></ul><ul><li>Dependência de ventos acima de 5m/s ou 10m/s; </li></ul><ul><li>Localização, potência e distância dos moinhos ; </li></ul><ul><li>Principais Centros eólicos; </li></ul><ul><li>O Brasil possui uma capacidade instalada na ordem de 20,3MW e cresce a cada ano; </li></ul><ul><li>Utilizados em locais isolados da rede convencional; </li></ul><ul><li>Maior potencial na região nordeste. </li></ul>
    7. 11. ENERGIA FOTOVOLTÁICA <ul><li>Utilizados em locais remotos ou de difícil acesso; </li></ul><ul><li>Armazena o excesso de energia elétrica gerada; </li></ul><ul><li>Possível utilização para co-geração; </li></ul><ul><li>Liberação de capacidade de geração e transmissão de energia são as grandes vantagens; </li></ul><ul><li>Descentralização da geração. </li></ul>
    8. 13. IMPACTO AMBIENTAL <ul><li>O que é impacto ambiental? </li></ul><ul><li>Interferências no meio ambientais; </li></ul><ul><li>Impactos sociais e ambientais; </li></ul><ul><li>Deslocamento de fauna e flora; </li></ul><ul><li>Vantagens da biomassa; </li></ul><ul><li>O que é Energia Limpa? </li></ul><ul><li>Realização do Protocolo de Kyoto; </li></ul><ul><li>Formas de energia limpa. </li></ul>
    9. 14. PROCEL <ul><li>Objetivo de conservar a energia elétrica; </li></ul><ul><li>Eliminar o desperdício; </li></ul><ul><li>Investimentos em ações de uso racional; </li></ul><ul><li>Reduzir custos e impactos ambientas; </li></ul><ul><li>Metas de redução de conservação de energia; </li></ul><ul><li>Adoção do selo PROCEL de eficiência energética; </li></ul><ul><li>Aumento médio de 10% no desempenho dos equipamentos que participem do programa. </li></ul>
    10. 15. Selo PROCEL de economia de energia Selo PROCEL INMETRO de desempenho
    11. 16. COMPREENDENDO SUA CONTA DE ENERGIA CONCESSIONÁRIA CLASSES DE CONSUMIDORES Residencial Industrial Comercial Rural Poder Público Iluminação Pública GRUPOS DE CONSUMIDORES Grupo “A” Grupo “B” PONTO DE ENTREGA DEMANDA Contratada Ultrapassada TARIFA Monômia Binômia Ultrapassagem ESTRUTURA TARIFÁRIA Convencional Horo-sazonal Azul Horo-sazonal Verde
    12. 17. CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO
    13. 18. CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA DE ALTA TENSÃO
    14. 19. CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA DE ALTA TENSÃO
    15. 20. GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Para o Gerenciamento dos Recursos Energéticos é fundamental que se disponha de informações de alta confiabilidade, baseadas em dados coletados em tempo real, enriquecidas por relatórios analíticos e gráficos objetivos, que facultem o perfeito acompanhamento das condições técnicas e econômicas das instalações, transformando da menor quantidade de energia possível para a geração da máxima quantidade de trabalho possível.
    16. 21. ILUMINAÇÃO <ul><li>Dê preferência as lâmpadas fluorescentes compactas; </li></ul><ul><li>Evite acender lâmpadas durante o dia use mais iluminação natural; </li></ul><ul><li>Pinte paredes e tetos com cores claras; </li></ul><ul><li>Utilizar iluminação dirigida para leitura; </li></ul><ul><li>Apague as lâmpadas que não estiver utilizando, salvo aquelas que contribuem para a sua segurança. </li></ul>
    17. 23. <ul><li>Utilize a quantidade de iluminância (luz) necessária; </li></ul><ul><li>Use lâmpadas adequadas para cada tipo de ambiente e trabalho; </li></ul><ul><li>Aproveite sempre a iluminação natural; </li></ul><ul><li>Instale interruptores independentes e temporizado; </li></ul><ul><li>Use luminárias espelhadas para aumentar a eficiência da iluminação; </li></ul><ul><li>Instale sensores de presença; </li></ul><ul><li>Substitua lâmpadas incandescentes por fluorescentes. </li></ul>
    18. 24. GELADEIRAS E FREEZER <ul><li>Não abrir a porta sem necessidade ou por muito tempo; </li></ul><ul><li>Não guarda alimentos ou líquidos quentes; </li></ul><ul><li>Coloque e retire os alimentos de uma só vez; </li></ul><ul><li>Não secar panos no dissipador de calor traseiro; </li></ul><ul><li>Refrigeradores devem estar afastados do fogão e dos raios solares; </li></ul><ul><li>Ao comprar um refrigerador, observar as etiquetas do PROCEL; </li></ul><ul><li>Deve-se deixar espaço para circulação do ar. </li></ul>
    19. 26. TELEVISÃO <ul><li>Não deixe o televisor ligado sem necessidade; </li></ul><ul><li>Evite o hábito de dormir com o aparelho ligado, use o temporizador programável; </li></ul><ul><li>Os aparelhos mais modernos consomem menos energia; </li></ul><ul><li>Se for sair por longo período, desligue da tomada, pois o aparelho em stand by, também consome energia. </li></ul>
    20. 27. CONDICIONADOR DE AR <ul><li>Procure os modelos que tenham o Selo PROCEL de economia de energia; </li></ul><ul><li>Dimensione adequadamente o termostato, mantendo a temperatura desejada no ambiente; </li></ul><ul><li>Mantenha janelas e portas fechadas quando o aparelho estiver funcionando; </li></ul><ul><li>Mantenha limpos os filtros do aparelho; </li></ul><ul><li>Desligue-o sempre que ausentar por muito tempo do local onde está instalado; </li></ul><ul><li>Evite o calor do sol no ambiente. </li></ul>
    21. 28. FERRO ELÉTRICO <ul><li>O ferro elétrico deve ser ligado quando houver uma grande quantidade de roupa para passar; </li></ul><ul><li>Evite ligar o ferro elétrico nos horários que outros aparelhos estejam ligados; </li></ul><ul><li>Siga as instruções de temperatura para cada tipo de tecido; </li></ul><ul><li>Ligar o ferro várias vezes por dia desperdiça energia; </li></ul><ul><li>Regule a temperatura, no caso dos ferros automáticos. </li></ul>
    22. 29. CHUVEIRO ELÉTRICO <ul><li>Não demore no banho, pois o chuveiro consome muita energia; </li></ul><ul><li>Na hora de se ensaboar feche a torneira; </li></ul><ul><li>Evite tomar banho no horário de ponta do sistema elétrico; </li></ul><ul><li>Não tente reaproveitar a resistência queimada; </li></ul><ul><li>Procure manter a chave seletora na posição verão; </li></ul><ul><li>A fiação de alimentação deve ter seção adequada; </li></ul><ul><li>Use chuveiro elétrico com controle eletrônico de temperatura. </li></ul>
    23. 31. MÁQUINA DE LAVAR ROUPA <ul><li>Economize água e energia, lavando de uma só vez, a quantidade máxima de roupa indicada pelo fabricante; </li></ul><ul><li>Use a dose certa de sabão especificada no manual para evitar repetir a operações de enxágüe; </li></ul><ul><li>Mantenha o filtro sempre limpo. </li></ul>
    24. 32. COMPUTADORES E IMPRESSORAS <ul><li>Use os recursos de economia de energia do sistema operacional ou simplesmente desligue o monitor quando se ausentar do micro; </li></ul><ul><li>Escolha a configuração ideal para o tipo de atividade a qual a máquina irá desempenhar; </li></ul><ul><li>Imprima apenas o que for indispensável e não desperdice cópias. Impressoras de jato de tinta gastam menos 90% de energia do que as à Laser; </li></ul><ul><li>Os portáteis gastam 90% menos energia do que um PC normal. </li></ul>
    25. 33. GRANDEZAS ELÉTRICAS Tensão Elétrica É a diferença de potencial elétrico, que produz o fluxo da eletricidade. Unidade - VOLTS (V). Corrente Elétrica É o fluxo ordenado de elétrons gerado pela tensão elétrica. Unidade – Ampère (A) Resistência É a propriedade que os materiais têm de se oporem à passagem da corrente elétrica . Unidade – Ohm(  ) Condutância É o inverso da resistência – Unidade: Siemens (S) Potência Aparente Trabalho realizado pelos elétrons, em um determinado tempo .É o produto da tensão (V) pela corrente elétrica (I). Unidade – Volts Ampère (VA). Potência Ativa É uma porcentagem da potência aparente que é efetivamente utilizada, é o produto da Pot. Aparente pelo Fator de potência. Unidade: Watt (W). Potência Reativa É a parcela transformada em campo magnético . Unidade – Volts Ampère reativos. Quantidade de Energia É a quantidade de energia ativa, ou seja, o produto da potência utilizada por um certo período de tempo(h).
    26. 34. FATOR DE POTÊNCIA <ul><li>É o numero que indica o quanto de energia elétrica é transformada em outras formas de energia; </li></ul><ul><li>O F.P. indica quanto da potência total fornecida (KVA) é utilizada como potência ativa (KW). </li></ul><ul><li>A ANEEL estabelece que F.P. deve ser mantido acima de 0,92. </li></ul><ul><li>Proporciona redução da conta de energia elétrica, liberação de capacidade elétrica no sistema elétrico, elevação do nível de tensão, redução nas perdas de energia. </li></ul>
    27. 35. CAUSAS DO BAIXO FATOR DE POTÊNCIA <ul><li>Motores operando em vazio; </li></ul><ul><li>Motores e transformadores superdimensionados; </li></ul><ul><li>Grande quantidade de motores de pequena potência; </li></ul><ul><li>Lâmpadas de descarga; </li></ul><ul><li>Excesso de energia capacitiva. </li></ul><ul><li>Pode corrigir através de motores síncronos superexcitados e através de Capacitores de Potência. </li></ul>
    28. 36. USOS FINAIS DA ENERGIA NA INDÚSTRIA E NO COMÉRCIO <ul><li>INSTALAÇÕES ELÉTRICAS </li></ul><ul><li>Na instalação elétrica </li></ul><ul><li>Entrada de energia </li></ul><ul><li>Quadros de distribuição </li></ul><ul><li>MOTORES ELÉTRICOS </li></ul><ul><li>SISTEMA DE BOMBEAMENTO </li></ul><ul><li>SISTEMA DE AR COMPRIMIDO </li></ul><ul><li>SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO </li></ul><ul><li>SISTEMA DE AR CONDICIONADO </li></ul><ul><li>SISTEMA DE AQUECIMENTO </li></ul>
    29. 37. INSTALAÇÕES ELÉTRICAS <ul><li>Detectar e eliminar as correntes de fuga; </li></ul><ul><li>Eliminar maus contatos nos equipamentos, principalmente de alta tensão; </li></ul><ul><li>Manter cabines elétricas sempre limpas; </li></ul><ul><li>Regular Relés e Disjuntores e evitar entrada de água em caixa de passagem; </li></ul><ul><li>Instalar quadros no centro ou perto das cargas; </li></ul><ul><li>Manter as fases equilibradas; </li></ul><ul><li>Aterrar a carcaça dos quadros de distribuição. </li></ul>
    30. 39. MOTORES ELÉTRICOS <ul><li>Dimensione corretamente a potência dos motores ; </li></ul><ul><li>Adote sistemas de partidas para motores acima de 7,5 cv ; </li></ul><ul><li>Ajuste os condutores à tensão e à corrente ; </li></ul><ul><li>Evite rebobinamento de motores antigos; </li></ul><ul><li>Programe corretamente o número de partidas/hora ; </li></ul><ul><li>Evite Partidas com cargas ; </li></ul><ul><li>Efetue, periodicamente, manutenção preventiva e corretiva ; </li></ul><ul><li>Evite variações de tensão ou voltagem. </li></ul>
    31. 41. SISTEMA DE BOMBEAMENTO <ul><li>Elimine vazamentos em todo o sistema de fluido ; </li></ul><ul><li>Ajuste as bombas conforme as curvas de desempenho ; </li></ul><ul><li>Minimize os acessórios da canalização ; </li></ul><ul><li>Dimensione corretamente o diâmetro da tubulação; </li></ul><ul><li>Compatibilize a potência do motor elétrico com a capacidade da bomba; </li></ul><ul><li>Realize manutenção periódica de filtros e etc.; </li></ul><ul><li>No projeto tomar cuidado com a altura demasiada de sucção. </li></ul>
    32. 43. SISTEMA DE AR COMPRIMIDO <ul><li>Elimine vazamentos de ar na geração, no transporte e nas fontes consumidoras ; </li></ul><ul><li>Evite instalar o ponto de captação do ar em locais aquecidos; </li></ul><ul><li>Dimensione os compressores e tubulações corretamente; </li></ul><ul><li>Mantenha o compressor bem refrigerado; </li></ul><ul><li>Execute a regulagem de pressão e vazão; </li></ul><ul><li>Instale o equipamento o mais próximo possível das fontes consumidoras de ar . </li></ul>
    33. 45. SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO <ul><li>Evite que fontes frias fiquem perto das quentes ; </li></ul><ul><li>Mantenha fechadas as portas dos equipamentos de frio ; </li></ul><ul><li>Evite a formação de gelo no equipamento; </li></ul><ul><li>Evite obstruir a saída de ar frio dos equipamentos; </li></ul><ul><li>Ajuste a temperatura dos equipamentos às necessidades de conservação dos alimentos; </li></ul><ul><li>Execute manutenção periódica; </li></ul><ul><li>Faça o pré-congelamento dos produtos. </li></ul>
    34. 47. SISTEMA DE AR CONDICIONADO <ul><li>Dimensione corretamente o equipamento; </li></ul><ul><li>Mantenha a temperatura ambiente em 24 graus centígrados; </li></ul><ul><li>Evite a obstrução do aparelho com cortinas e etc.; </li></ul><ul><li>Efetue limpeza e troca periódica dos filtros de ar; </li></ul><ul><li>Evite fontes de calor em ambientes refrigerados; </li></ul><ul><li>Use o acionamento elétrico (inversor de freqüência); </li></ul><ul><li>Ajuste e alinhe correias e polias dos ventiladores; </li></ul><ul><li>Mantenha o ambiente fresco ligando apenas a ventilação do aparelho. </li></ul>
    35. 49. SISTEMA DE AQUECIMENTO <ul><li>Opere o equipamento com a carga máxima ; </li></ul><ul><li>Só deixe as portas abertas para carga e descargas ; </li></ul><ul><li>Verifique sempre o uso de exaustores ; </li></ul><ul><li>Mantenha em bom estado de conservação o isolamento e o dispositivo de controle de temperatura dos equipamentos; </li></ul><ul><li>Regule a pressão de vapor da caldeira de acordo com as necessidades; </li></ul><ul><li>Limpe os tubos de fogo da caldeira; </li></ul><ul><li>Aproveite o retorno de condensado para aumentar temperatura . </li></ul>
    36. 51. INDUSTRIA: MÁQUINAS OPERATRIZES DE PRODUÇÃO <ul><li>COMO REDUZIR O CONSUMO ESPECÍFICO DE ENERGIA ; </li></ul><ul><li>ORIENTAÇÕES PARA GERENCIAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EFICIENTE; </li></ul><ul><li>ORIENTAÇÕES PARA CONTROLAR A DEMANDA </li></ul><ul><li>Como funciona um controlador de demanda </li></ul><ul><li>Banco automático de capacitores </li></ul><ul><li>OPORTUNIDADES DE EFICIENTIZAÇÃO EM MOTORES </li></ul><ul><li>Estimar o carregamento do motor </li></ul><ul><li>Verificar o moto adequado </li></ul><ul><li>Estimar o funcionamento do motor </li></ul><ul><li>Estimar o rendimento do motor </li></ul><ul><li>Calcular o carregamento do motor de alto rendimento </li></ul><ul><li>SISTEMA DE PRODUÇÃO </li></ul>
    37. 53. ESTUDOS DE CASOS CASO 1 – Um minimercado tem uma cabine de transformação com 75KVA de potência, e um contrato de fornecimento de energia elétrica com a concessionária local em baixa tensão, depois de realizados alguns estudos, verificou-se a possibilidade de passar para tarifa horo-sazonal verde, a tabela abaixo detalha a situação anterior e a atual . SITUAÇÃO ANTERIOR ATUAL CONSUMO DE ENERGIA 24.000KWh/mês 24.000KWh/mês POTÊNCIA TARIFÁRIA Grupo B Grupo A4 – HZ Verde Demanda Contratada = 50KW PREÇO DA ENERGIA R$ 0,40 KW.h Demanda = R$ 24,42 KW.h Consumo = R$ 0,223 KW.h DESPESAS MENSAIS R$ 9.600,00 R$ 6.573,00 ECONOMIA GERADA R$ 3.027,00
    38. 54. ESTUDOS DE CASOS CASO 2 – Uma indústria moveleira está executando um plano de eficientização energética. Após realizar um estudo técnico, constatou que no exaustor de pó havia um motor elétrico de 7,5 CV com rendimento de 80% e F.P. 0.85, verificou-se a possibilidade de substituição por um de 5CV com rendimento de 95% e F.P. 0.92. Considerando que a empresa trabalha em média 9 horas/dia, 25 dias/mês, veja a economia que esta empresa obteve: SITUAÇÃO ANTERIOR ATUAL CONSUMO DE ENERGIA 1.242 KWh/mês 828 KWh/mês POTÊNCIA 5,52 KWh 3,68 KWh TARIFÁRIA Convencional Convencional PREÇO DA ENERGIA R$ 0,40 KW.h R$ 0,40 KW.h DESPESAS MENSAIS R$ 496,80 R$ 331,00 ECONOMIA GERADA R$ 165,80
    39. 55. ESTUDOS DE CASOS CASO 3 – Uma loja comercial possui 19 lâmpadas fluorescentes com reatores eletromagnéticos, funcionando 10 horas/dia, durante 26 dias no mês. O projeto foi concebido com base em 34 lâmpadas fluorescente econômicas, em 17 luminárias reflexivas, com reator eletrônico. A tabela apresenta um sumário das alterações propostas. Situação Encontrada Situação Proposta Potência da lâmpada Quantidade Potência Total Potência da lâmpada Quantidade Potência Total 110W 18 1.980W 32W 34 1.156W 40W 1 40W Sub-Total 19 2020W Sub-Total 34 1.156W Reatores 19 202W Reatores 17 63W Total 2.222W Total 1.219 W Consumo de energia 577,72KWh/mês Consumo de energia 316,94KWh/mês Preço da energia R$ 0,40 Preço da energia R$ 0,40 Total R$ 231,08 Total R$ 126,77 Economia R$ 104,30 Iluminância Média 700 Lux Iluminância Média 521 Lux

    ×