SEXUALIDADE NO IDOSO

34.095 visualizações

Publicada em

DISCUTIR A SEXUALIDADE DO IDOSO. DISFUNÇÕES SEXUAIS E TRATAMENTO

2 comentários
37 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
34.095
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
2
Gostaram
37
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SEXUALIDADE NO IDOSO

  1. 1. SEXUALIDADE
  2. 2. A VISÃO DO ESCRITOR “A sexualidade do idoso é um ‘continente oculto’ que muitas pessoas, inclusive os médicos, preferem não falar.” J. LoPiccolo
  3. 3. O OLHAR DO MÉDICO Para escutar a sexualidade do outro sem espelhar na própria sexualidade Quais os meus preconceitos em relação a sexualidade do idoso Como foi a sua história sexual e como ela repercute hoje
  4. 4. O QUE A SOCIEDADE FAZ COM A SEXUALIDADE DO IDOSO País de Jovem- enfatiza o belo O papel da mídia Mitos e Preconceitos Mito da Velhice Assexuada Falta de campanha uso de preservativo
  5. 5. O QUE A FAMILIA FAZ COM A SEXUALIDADE DO IDOSO Mito da velhice assexuada Inversão de Papéis Os filhos passam a controlar a afetividade dos seus idosos Muitos idosos passam a morar com os filhos, perda da privacidade
  6. 6. MAS O QUE É SEXUALIDADE? “A sexualidade abrange o self, a interação com os outros , e vários níveis de expressão e afeto”
  7. 7. SEXUALIDADE Intimidade : qualidade de íntimo íntimo : cordial e afetuoso Estreitamente ligado a afeição e confiança
  8. 8. SEXO IDENTIDADE PESSOAL SAÚDE SENSO DE BEM ESTAR A SEXUALIDADE É IMPORTANTE?
  9. 9. MITOS E SEXUALIDADE O idoso não está interessado em sexo ou na sexualidade. Sexo é só para jovens Modificações dos níveis hormonais que ocorrem durante e após a menopausa criam uma ‘doença de deficiência’ tornando o sexo desconfortável na mulher Para se ter uma vida sexual completa, uma mulher deve ter um parceiro sexual O único sexo verdadeiro é através do intercurso
  10. 10. BARREIRAS A SEXUALIDADE Mudanças fisiológicas Falta de privacidade Doença & Impotência Falta de parceiros Não sentir-se atraente
  11. 11. POR QUE O IDOSO PARA DE FAZER SEXO? Mesmas razões pelas quais param de andar de bicicleta! Medo de cair (ficar doente) Medo de parecerem ridículos Falta de bicicleta
  12. 12. SENTIMENTOS DA MULHER QUE ENVELHECE... Perda da feminilidade Medo do ridículo Medo de não lubrificar Dificuldade em expor seus sentimentos Vergonha do corpo envelhecido
  13. 13. SENESCÊNCIA Mulher Redução do tamanho da vagina & vulva Diminuição da vascularização & secreções Paredes vaginais mais finas e relaxadas Vaginite atrófica Diminuição da libido
  14. 14. CICLO SEXUAL Desejo Atração, interesse Excitação Aumento do desejo Plateau Emoção intensa, focus Orgasmo contrações Resolução/refratário Redução do interesse Masters and Johnson tempo arousal
  15. 15. MUDANÇAS NO CICLO SEXUAL… Excitação Diminuição da vasocongestão, lubricação, retardo na excitação Plateau Retração do clitoris
  16. 16. MUDANÇAS NO CICLO SEXUAL… Orgasmo Curto & poucas contrações As vezes doloroso Resolução Reversão mais rápida para o estado pré-excitação
  17. 17. DISFUNÇÕES SEXUAIS NA IDOSA Dispareunia Diminuição da lubrificação vaginal Falta de Desejo Sexual Anorgasmia
  18. 18. SENTIMENTOS DO HOMEM QUE ENVELHECE Temor de Desempenho Acha que ele é responsável pelo orgasmo da mulher Não sabe viver a sexualidade sem os genitais Falta de Comunicação sobre as mudanças ocorridas
  19. 19. SENESCENCIA DO HOMEM Mudanças na libido Função de ereção Maior necessidade de estimulação Menor rigidez associada a fatores de risco Diminuição da força ejaculatória Estágio refratário prolongado (acima de uma semana)
  20. 20. DISFUNÇÕES SEXUAIS NO IDOSO Disfunção Erétil (orgânica, psicológica) Ejaculação Retardada Ejaculação Precoce
  21. 21. FALANDO SOBRE SEXO COM O IDOSO! Importante indicador de comorbidades O profissional de saúde deve ajudar o idoso a sentir-se à vontade para falar sobre sexo: Não tenha medo Ajude o a “quebrar o gelo”
  22. 22. FALANDO SOBRE SEXO COM O IDOSO! Não assuma que ‘não existem queixas’ Faça perguntas diretas sobre atitudes e atividades Responda com honestidade
  23. 23. SEXUALIDADE & INCAPACIDADE
  24. 24. IMPACTO NA SEXUALIDADE Artrite Não compromete a resposta sexual Depressão, dor crônica ,fadiga, e medicamentos Câncer Compromete as funções hormonal, vascular e neurológica Dor é o fator maior Efeitos da quimio e radio podem se refletir na Imagem corporal
  25. 25. IMPACTO NA SEXUALIDADE AVE Comprometimento da função motora, sensorial, emocional e cognitiva Declínio na frequência de interesse e atividade sexual
  26. 26. MEDICAMENTOS Redução do desejo Antidepressivos(Paxil, Efexor) Ansiolíticos (Diazepam, alprazolam) Anti-hipertensivos Medicamentos GI Drogas anti-câncer
  27. 27. MEDICAMENTOS Redução da excitação Antidepressivos Ansioliticos Anti-hipertensivos Medicamentos GI
  28. 28. MEDICAMENTOS Redução do orgasmo Antidepressivos Ansiolíticos Anti-hipertensivos
  29. 29. O ENFRENTAMENTO… Aceite as limitações e aproveite as funções que permanecem Minimizando os efeitos da dor Escolha do melhor horário do dia para as Atividades sexuais Uso de analgésicos ou calor úmido para controlar a dor
  30. 30. POSIÇÕES SEXUAIS Posição lateral Permite melhor acesso as mamas e aos genitais Mulher em cima Deixa a mulher livre
  31. 31. OUTRAS FORMAS… ABRAÇO CARÍCIA BEIJO ESTIMULAÇÃO GENITAL MANUAL FANTASIAS SEXUAIS MASSAGEM
  32. 32. TRATAMENTO Atendimento individual e ou casal em psicoterapia sexual Trabalhar o relacionamento do casal Encaminhar para a fisioterapia Encaminhar para ginecologia e urologia
  33. 33. OS GRUPOS DE CONVIVENCIA... A grande maioria “ficam” Mudam muito de parceiros Não usam preservativo Enfrentam conflitos familiares pela pouca aceitação dos filhos
  34. 34. RUBENS DE FRAGA JÚNIOR GERIPAR@HOTMAIL.COMGERIPAR@HOTMAIL.COM

×