www.revistahoteis.com.br/materias/view/11752edições >> edição - 121 >> OpiniãoO Que o seu Hospede está disposto a pagar ao...
procedendo assim ao cancelamento puro e simples da sua reserva.Há hoteleiros que usam os algoritmos inteligentes para com ...
0px; background-color: #f5fcff;">*Rui Ventura é Administrador hoteleiro, atuando em consultoria plena e muito forte em Rev...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

9 o que o seu hospede está disposto a pagar ao longo da vida útil de seu empreendimento

302 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 o que o seu hospede está disposto a pagar ao longo da vida útil de seu empreendimento

  1. 1. www.revistahoteis.com.br/materias/view/11752edições >> edição - 121 >> OpiniãoO Que o seu Hospede está disposto a pagar ao longo da vida útil de seu empreendimento - Artigode Rui Ventura*Rui Silveira C. Ventura é Administrador hoteleiro, atuando em consultoria plena e muito forte em Revenue Management – Contato: rui@ruiventura.com.br24/05/2013 16:30:00* Rui VenturaDiz-se que os hotéis melhores em satisfazer as necessidades dos seus clientes apresentam resultados superiores. Agregando valores e isso éapenas um lado da moeda, quase plenamente verdade. Porém a equação resolvida pelo Revenue Management é a outra.Para que você pratique preços que seu cliente/hospede esteja disposto a pagar precisa que este preço seja determinado atendendo os mínimosdetalhes de sua composição e ainda assim esteja coerente com a sua necessidade de rentabilização, e o mercado onde você está inserido, emboraeste seja o de menor importância. Ou seja, paga todas as despesas e lhe dá o retorno desejado. E dá.Porque alguns hotéis usam sistemas de reservas em que a garantia não é reembolsável? Isso compreende uma serie de detalhes. No caso Brasiltem implicações com algumas leis. E desde a introdução do Revenue Management, já muito usado nas grandes redes Mundiais e pouco trabalhadoem nosso Brasil até mesmo por elas, trousse ou trará quando devidamente implementado importante contribuição para o crescimento do Hotel econsequente seu desempenho econômico-financeiro.Em que pese as grandes cadeias usarem o Revenue Management de forma bastante avançada, eu diria em alguns casos até plena, elas só oautomatizaram, depois que o sistema está funcionando perfeitamente de forma manual, quando me refiro há forma manual, é um Excel ou algumoutro sistema que possa manter a agilidade da informatização, mas, quero principalmente dizer que o sistema tem que estar compreendido e fazerparte da cultura da empresa para o alto investimento em sistemas automatizados valer a pena.Assim mesmo, as decisões sobre preços, que são o produto final de todo o sistema de RM, já que este visa o preço de venda, muitas vezes aindafogem das regras matemáticas que deveriam ser sempre levadas em conta e partem para a “experiência sobre determinado mercado”, sem que seesteja levando em conta, qual o resultado que essa experiência tem dado. Vamos usar a taxa correta de BAR – (best avaliable rates) o ”melhor preçodisponível”, sem restrições. Muitos hotéis complementam esta taxa com o BARR Melhor preço disponível restrito. Esta tarifa é menor, vamosentender porque disso: Os parâmetros mais comuns incluem:Nenhum cancelamento de reservas;Nenhuma modificação na solicitação anterior;Pagamento total no ato da reserva;E alguns outros de menor importância, mas não irrelevantes.O uso da informação não reembolsável já na oferta desta tarifa;São valores que seriam perdidos quando da ocorrência de um cancelamento de última hora ou o simples não comparecimento do cliente na datamarcada.As condições da reserva visam ainda proteger os hotéis contra os caçadores de “preços especiais” a reserva estratégica, pois estes fazem reservade grande número de UH’s para datas chaves com uma taxa BARR melhor com muita antecedência e cancelam-nas quando percebem que nãoconseguem vender as unidades reservadas, costumo instruir quem me pergunta sobre esta reserva. Aceite como “cama quente”. Até porque naconcorrência de mercado às vezes estes “oportunistas” encontram preços que lhe são mais convenientes,Revista Hotéis.
  2. 2. procedendo assim ao cancelamento puro e simples da sua reserva.Há hoteleiros que usam os algoritmos inteligentes para com eles proceder ao “overbooking” como forma de minimizar as perdas, mas isto podemuitas vezes se transformar em uma via de mão dupla, não esqueça que, se não tiver a unidade reservada precisa alocar seu cliente em outra domesmo ou de padrão superior principalmente se tiver que coloca-lo em outro hotel.Mesmo os que dizem usar o Revenue Management para otimizar seus resultados, por vezes e a maioria delas por falta de confiança oufundamentação matemática (afinal é uma ciência exata) vão pela “experiência”. O que às vezes dá certo, mas, vai que não dá? Não dá. Finançasnão é coisa para amadorismos. Dizia uma economista amiga minha: “dinheiro não aguenta desaforo”.Quando nos fundamentamos e temos os devidos planos de conta em dia, com suas atualizações e o controle total e absoluto do que calculamos, nãovamos pelo “achometro” ele invariavelmente vai nos fazer perder em relação aos concorrentes e principalmente ao que predeterminamos, o que eunão entendo como vantajoso.Entendamos que o Revenue Management nos dá subsídios para trabalhar bem fundamentado e isso nos trás alta rentabilidade, mesmo quandoestamos vendendo com um BAR que ninguém entenda. Realmente o concorrente não precisa entender, ele só precisa entender que algo foge do seucontrole.O Revenue Management nos torna senhores do mercado, mas ele precisa ser bem implementado e os cálculos que nos permitem praticardeterminadas tarifas não podem se permitir ao luxo de estar errados, neste caso, assim como em muitos outros o “mais ou menos” é sempreMENOS.Devemos entender também o perfil do mercado onde estamos inseridos, este vai nos informar o que nosso cliente prefere, às vezes deixa de ganharaté 15% do valor da diária para pagar na hora do check-out.Recomendamos que sejam usadas várias tarifas não reembolsáveis o BARR parte do segredo está em criar opções, ser flexível sem que isso, noentanto, não comprometa nem diminua nossa rentabilidade.É bom que o nosso mercado inicie entendendo a importância de um sistema de Revenue Management bem fundamentado, e entenda também quenão é uma filosofia de gestão para Hotelaria e sim também para a hotelaria onde gostaria de deixar claro que muitas outras empresas podem edevem se beneficiar desta eficiente filosofia de gestão.Vamos deixar um “recadinho” final, o casamento entre ATENDIMENTO – HOSPITALIDADE E SERVIÇO faz com que seu cliente pense antes deabandonar seu hotel, porém quando conjugamos estes fatores com a gestão fundamentada em Revenue Management o nosso “castigo” é arentabilidade certa e constante, e nesta conjugação não há sazonalidade há RENTABILIDADE.Nosso próximo curso de Revenue Management será novamente em Porto Alegre RS, e pode acontecer ainda este mês.Revista Hotéis.
  3. 3. 0px; background-color: #f5fcff;">*Rui Ventura é Administrador hoteleiro, atuando em consultoria plena e muito forte em Revenue Management – Contato: rui@ruiventura.com.brPowered by TCPDF (www.tcpdf.org)Revista Hotéis.

×