O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 25 Anúncio

Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação

Baixar para ler offline

Princípios da colaboração bem-sucedida Universidade-Empresa (conforme estudo MIT), Memória de reflexões sobre a agenda de inovação do sul do país. Coprodução e o senso do bem comum (e seu impacto no sistema de inovação regional).

Princípios da colaboração bem-sucedida Universidade-Empresa (conforme estudo MIT), Memória de reflexões sobre a agenda de inovação do sul do país. Coprodução e o senso do bem comum (e seu impacto no sistema de inovação regional).

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (8)

Quem viu também gostou (16)

Anúncio

Semelhante a Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação (20)

Mais de Roberto C. S. Pacheco (20)

Anúncio

Mais recentes (20)

Coprodução e o Sistema Catarinense de Inovação

  1. 1. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Coprodução e Sistema Catarinense de Inovação Roberto C. Pacheco Florianópolis, 15 de outubro de 2015 Desafios na Articulação do Ecossistema de Inovação"
  2. 2. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação AGENDA Nossas Lentes Dupla trajetória institucional 1 Coprodução e Commons Dupla trajetória institucional 2 Aprendizados O que os outros já sabem 2 Reflexões para SC Histórico e recentes conquistas 2
  3. 3. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Nossas lentes Quem somos... 1
  4. 4. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação EGC/UFSC Programa de PG em Engenharia e Gestão do Conhecimento Criado em 2004 35 Doutores de diversas áreas (Psicologia, Administração, Engenharias, Computação, Semiótica, Educação) 700 candidatos para 60 ingressantes por ano 192 doutores 172 Mestres CAPES: Área Interdisciplinar Conceito 5
  5. 5. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação 1969 1989 1991 1995 2004 Criação do PPG em Eng. Prod. UFSC Áreas de IA, Gestão Qualidade, Ergonomia Doutorado em Eng. Produção Programa EaD implementado 1985 Planejamento Estratégico EaD e Conceito CAPES Criação do EGC Visão da engenharia de produção associada à engenharia industrial Visão da Eng. de produção com cognição e da Inteligência Aplicada, educação e sistema de produção, qualidade, gestão ambiental, empreendedorismo, inovação. Visão do conhecimento como fator central de agregação de valores organizacionais e posicionamento da GC, EC e MC como interdisciplinas Sociedade industrial Sociedade da informação Sociedade do conhecimento 2010-2014 Conceito 5 (CAPES) Quem somos Histórico da EGC/UFSC Como evoluiu nossa visão sobre GC e EC na cronologia da EC 2008 APPs-UE
  6. 6. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Formação & Pesquisa • Competências em domínios • Competências em EGMC • Projetos conjuntos • Eventos conjuntos • Formação de quadros • Redes de pesquisa Inovação • Desafios organizacionais • Formação de quadros • Capacitação em EGMC • Projetos conjuntos • Inserção de egressos P&D • Projetos conjuntos • Formação de quadros • Tecnologias EGMC • Competências EGMC • Soluções EGMC • Inserção de egressos P&D&I • Fomento a P&D • Desafios em EGMC • Projetos conjuntos • Formação de quadros • Inserção de egressos • Capacitação em EGMC Sistemas de inovação e o conhecimento (coletivos, redes, organizacionais, regionais, nacionais) Universidades Institutos Empresas Governo e Organizações Paragovernamentais COPRODUÇÃO
  7. 7. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Instituto Stela Instituto de Pesquisa sem fins lucrativos P&D&I em Engenharia do Conhecimento e Tecnologias da Informação Referência em Governo eletrônico (+ U$ 20 milhões em projetos) +40 pesquisadores e colaboradores (20% Doutores e 20% Mestres) Engenharias, Computação, Sistemas de Informação, EGC, entre outros 2012 2008 2007 Transformamos dados em conhecimento 1995-2002: Grupo Stela/UFSC 2002-hoje: Instituto Stela
  8. 8. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Projetos e soluções Plataformas Nacionais em e-Gov Soluções corporativasInovações do Instituto Gestão de informação sobre empresas, governo, universidades e agentes de inovação Mais de 6 milhões de usuários diretos
  9. 9. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação “The Brazilian experience with the Lattes Database is a powerful example of good practice. This provides high- quality data on about 1.6 million researchers and about 4,000 institutions. (…) - The result is one of the cleanest researcher databases in existence.“ Nature 25/03/2010 NSF STARMETRICS pilot Instituto é parceiro das iniciativas VIVO and ScienceCV Reconhecimento Artigo na Revista Science http://www.sciencemag.org/content/345/6202/1302
  10. 10. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Conjunto de organizações parceiras dos setores acadêmico, de pesquisa e empresarial de Santa Catarina dedicadas à formação, ao desenvolvimento científico-tecnológico, à inovação sustentável por meio de soluções oriundas das áreas de gestão, engenharia e mídia do conhecimento. ReCIC REDE CATARINENSE DE CONHECIMENTO E INOVAÇÃO
  11. 11. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Aprendizados O que os outros já sabem... 2
  12. 12. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação http://osp.mit.edu/sites/osp/files/u8/bestpractices.pdf Experiências MIT 100 projetos de 25 multinacionais Hiato Resultado-Impacto • 50% dos projetos geraram resultados (novas ideias, soluções, PI de potencial) • 40% desses geraram impacto (competitividade ou produtividade)
  13. 13. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação http://osp.mit.edu/sites/osp/files/u8/bestpractices.pdf 7 princípios para colaboração de sucesso 1 - Contexto estratégico do projeto é o da empresa 2 - Alto conhecimento do estado da arte da tecnologia 3 - Universidade deve ter a visão da empresa 4 - As relações devem visar o longo prazo 5 - A comunicação deve ter fortes laços U-E 6 - O projeto deve ser conhecido dentro da empresa 7 - Apoio interno ao projeto (durante e depois)
  14. 14. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Coprodução e commons Construindo uma visão comum 3
  15. 15. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação COPRODUÇÃO Coprodução é a participação de cidadãos na produção e entrega de serviços públicos. Vincent Ostrom Elinor Ostrom 1971
  16. 16. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Commons Commons são “recursos compartilhados por um grupo de indivíduos sujeitos a conflitos sociais” (Hess e Ostrom, 2007, p. 3). 1990
  17. 17. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Como são os Commons? São bens coletivos de pessoas, grupos ou organizações, que podem naturais ou produzidos. Praias Bibliotecas Praças Rios Geladeira AtmosferaConhecimento científico Vida selvagem
  18. 18. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação O que há em Commons duradouros? 1. Delimitação Definir claramente quem tem e quais são os direitos de uso do commons. 2. Adequação de contexto Definir regras de uso e provisão condizentes às necessidades e condições locais. 3. Participação (e Coprodução) Assegurar que aqueles afetos às regras operacionais possam participar de sua modificação. 7. Autonomia Assegurar que os direitos dos membros da comunidade não sejam desafiados por autoridades externas. 4. Monitoramento (e Avaliação) Há monitoramento responsável do estado do commons e do comportamento de apropriadores 5. Sanções (e Recompensas) proporcionais Utilizar mecanismos e autoridade de sansões proporcionais à violação das regras. 6. Resolubilidade Prover mecanismos de resolução de conflitos acessíveis localmente e de baixo custo. 8. Adocracia Governar (apropriar, prover, monitorar, resolver conflitos, sancionar) segundo estrutura de múltiplos e alinhados níveis de responsabilidades. Ostrom (1990 – pp. 90-102) com títulos sugeridos por Pacheco, 2014)
  19. 19. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Reflexões E no nosso caso? 4 http://3.bp.blogspot.com/- GaVCibeArf0/TxWjKvAUAwI/AAAAAAAAAAU/FOlDX6AXQKQ/s320/guita+pit.jpg
  20. 20. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Florianópolis, 27 e 28 de março de 2006 • 35 apresentadores e especialistas em inovação • 70 representantes Setor empresarial • 192 representantes Setor acadêmico e tecnológico • 44 representantes do Governo federal, do RS, SC e PR • 248 inscritos • 553 internautas Fórum Público-Privado de Apoio à inovação Tecnológica – Região Sul
  21. 21. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Há 9 anos atrás... I Fórum Público-Privado de Apoio à Inovação Tecnológica da Região Sul Florianópolis, março de 2006
  22. 22. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação  (...)  Há expectativas multi-setoriais: GOVERNOS: definição de prioridades, investir com efetividade (e.g.: editais que promovam redes U-E) EMPRESAS: ver inovação como fator de competitividade; inserção em estratégia nacional – Nas PMEs: inovação ocorre apenas quando inserida na estratégia operacional UNIVERSIDADES: formar pessoas com compreensão da sociedade do conhecimento: reconheçam inovação como fator estratégico INSTITUTOS DE TECNOLOGIA: aproximação entre conhecimento (ICTs) e riqueza (empresas+mercado) Há 9 anos atrás... I Fórum Público-Privado de Apoio à Inovação Tecnológica da Região Sul Florianópolis, março de 2006 Principais Conclusões do Fórum
  23. 23. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Avanços desde então...
  24. 24. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação O que ainda nos falta... 1. CTI ser um Commons: nossos atores ainda não têm uma visão comum do próprio sistema de CTI do Estado: o que é, para que serve e como devemos evoluí-lo. 2. Coprodução plena: não há pleno (e mútuo) entendimento das demandas e competências mútuas e, principalmente, da necessidade de coprodução em rede (e da urgência em fazê-lo). 3. Reconhecimento pela sociedade: nossa linguagem e, principalmente, impactos ainda não foram suficientes para criar uma mente coletiva
  25. 25. EGC/UFSC Institutos Empresas Rede Catarinense de conhecimento e Inovação Coprodução e Sistema Catarinense de Inovação Roberto C. Pacheco Florianópolis, 15 de outubro de 2015 Desafios na Articulação do Ecossistema de Inovação"

×