Jonh Dewey

7.505 visualizações

Publicada em

Vida e Obra do filósofo e psicólogo John Dewey.

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
469
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jonh Dewey

  1. 1. JONH DEWEY Ana Maria da Silva Rodrigues Maria Angela da Silva Fernandes Roxana Vieira Araujo Alhadas Universidade Federal de Juiz de Fora Universidade Aberta do Brasil Faculdade de Educação Curso de Pedagogia Fundamentos Teóricos Metodológicos e Práticas Escolares em Educação Infantil I
  2. 2. Biografia: Filósofo e Psicólogo norte americano. Nasceu em 20 de outubro de 1859 em Burlington, no estado de Vermont – EUA; Em 1879 se graduou pela Universidade de Vermont, onde foi professor secundário por dois anos na Pennsylvania; Retornou aos estudos ingressando na Universidade John Hopkins entre 1882 e 1884 e obtendo o título de Doutor em Filosofia; Foi professor do departamento de Filosofia nas Universidades de Michigan e Minnesota; Casou-se com Alice Chipman em 1886, ficou viúvo em 1927; 1894 foi professor catedrático do Departamento de Filosofia, incluindo psicologia e pedagogia na Universidade de Chicago. 1889-1900 foi presidente da Associação Americana de Psicologia. Na Universidade de Columbia ficou até o fim de sua carreira no ensino em 1930, passando a ensinar como Professor Emérito até 1939 e escrevendo e intervindo socialmente até as vésperas de sua morte em 1952. Fonte: The Essencial Dewey, Volume 1, Indiana University Press, 1988, p.16
  3. 3. Obras traduzidas para o Português: • Interest and Effort in Education (1913) • Traduzido para o português por Anísio Teixeira sob o título de “Interesse e Esforço” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980). • My Pedagogic Creed (1897) • Traduzido para o português sob o título de “Meu credo pedagógico” (In: D'Ávila, Antônio. Pedagogia. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1954). • The School and Society (1900) • The Child and the Curriculum (1902) • Traduzido para o português por Anísio Teixeira sob o título de “A Criança e o Programa Escolar” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980). • How We Think (1910) • Traduzido para o português com o título de “Como pensamos: como se relaciona o pensamento reflexivo com o processo educativo: uma reexposição.” (Companhia Editora Nacional, 1959). • Democracy and Education: an introduction to the philosophy of education (1916) • Traduzido para o português sob o título de “Democracia e educação: capítulos essenciais” (Ática, 2007). • Reconstruction in Philosophy (1919) • Traduzido para o português por António Pinto de Carvalho sob o título de “Reconstrução em Filosofia” (Companhia Editora Nacional, 1959). • Human Nature and Conduct: An Introduction to Social Psychology • Traduzido para o português sob o título de “A natureza humana e a conduta (introdução à psicologia social)” (Brasil, 1956). Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Dewey
  4. 4. Obras traduzidas para o Português: • Experience and Nature (1925) • Traduzido para o português por Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme sob o título de “Experiência e Natureza” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980). • Art as Experience (1934) • Traduzido para o português por Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme sob o título de “A arte como experiência” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980). • Experience and Education (1938) • Traduzido para o português por Anísio Teixeira sob o título de “Experiência e Educação” (Companhia Editora Nacional, 1971). • Logic: The Theory of Inquiry (1938) • Traduzido para o português por Murilo Otávio Rodrigues Paes Leme sob o título de “Lógica - a teoria da investigação” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980). • Freedom and Culture (1939) • Traduzido para o português sob o título de “Liberdade e cultura” (Revista Branca, 1953). • The Living Thoughts of Thomas Jefferson (1940) • Traduzido para o português por Lêda Boechat Rodrigues sob o título de “O Pensamento Vivo de Jefferson” (Livraria Martins Editora, 1954). • Theory of Moral Life (1960) • Traduzido para o português por Leônidas Contijo de Carvalho sob o título de “Teoria da vida moral” (In: Os Pensadores, Abril Cultural, 1980).
  5. 5. A Visão Filosófica de Dewey Pedagogia Tradicional Educação centrada na figura do professor, o detentor das verdades prontas e acabadas. O PRAGMATISMO Vai contra todas as formas de absolutismo, inclusive na educação. É contrário aos determinismos, materialismos e idealismos. Critica a metafísica e a epistemologia. baseia-se na Visão do Aluno como um receptáculo da verdade. Portanto a postura de Dewey é de rompimento com a Filosofia Tradicional e também com a pedagogia tradicional. x
  6. 6. Para Dewey, em um novo modelo educacional, a escola seria um instrumento para edificação de uma nova sociedade em que se pudesse levar em conta as qualidades pessoais dos indivíduos, assim para ele, a educação tem um propósito de humanização e transformação social.
  7. 7. Nesta frase, Dewey claramente critica a Tradicional Filosofia de Platão, que diz que o homem deve, através da educação aproximar-se da perfeição divina.
  8. 8. O Pragmatismo de Dewey
  9. 9. “Podemos encontrar na relação existente entre o empirismo Inglês e o pragmatismo norte-americano, de certo modo, as origens epistemológicas da filosofia de Dewey”. (Souza, 2010 p. 2) Mas Dewey não poupava o empirismo de críticas. Dizia ele que o plano epistemológico deve resolver problemas práticos da vida dos indivíduos, enquanto o empirismo insistia no método científico e ignorava o mundo da vida. Outro ponto criticado por Dewey é o dualismo, enquanto o empirismo reforçava o antagonismo entre a razão e a experiência, o pragmatismo rompia com esta ideia reunindo-os em um mesmo plano epistemológico. Fonte: SOUZA, Rodrigo Augusto. A Filosofia de Jonh Dewey e a Epistemologia Pragmatista. Revista Redescrições, 2010. > disponível em: http://www.gtpragmatismo.com.br/redescricoes/redescricoes/ano2_01/4_souza.pdf
  10. 10. “O pragmatismo surge com a intenção de reparar o atraso da filosofia em relação ao mundo moderno” (Souza, 2010). O mundo moderno era palco de revoluções: revolução científica, revolução industrial, revolução política (capitalismo) então Dewey a filosofia deve ser reconstruía, sair do modelo dogmático para o modelo experimental. Fonte: SOUZA, Rodrigo Augusto. A Filosofia de Jonh Dewey e a Epistemologia Pragmatista. Revista Redescrições, 2010. > disponível em: http://www.gtpragmatismo.com.br/redescricoes/redescricoes/ano2_01/4_souza.pdf Não aceita a filosofia mais como uma forma de pensamento transcendental, sem praticidade no mundo e no dia-a-dia dos indivíduos.
  11. 11. A Epistemologia Pragmática
  12. 12. A epistemologia procura analisar criticamente as teorias científicas. Portanto ... Ela critica o empirismo = Empírico é um fato que se apoia somente em experiências vividas, na observação de coisas, e não em teorias e métodos científicos. O pragmatismo = é aquilo que contem considerações de ordem prática, realista, sem rodeios, com alvo bem definido, sem subterfúgios. Portanto ... Fonte: http://www.significados.com.br
  13. 13. A epistemologia e o Pragmatismo estão relacionados ... • Eles buscam a lógica no processo de construção do conhecimento. • Ele retira o conhecimento do plano metafísico e o coloca nas mãos dos indivíduos, vinculando-os ao plano pragmático, útil à vida. • Conecta o pensamento reflexivo com os acontecimentos da experiência diária. Fonte: SOUZA, Rodrigo Augusto. A Filosofia de Jonh Dewey e a Epistemologia Pragmatista. Revista Redescrições, 2010. > disponível em: http://www.gtpragmatismo.com.br/redescricoes/redescricoes/ano2_01/4_souza.pdf
  14. 14. A Concepção de Educação para Dewey
  15. 15. Educação é uma função social, pois é um fenômeno criado pela e para a sociedade, mas além disto é uma necessidade da vida. A escola tradicional não distingue a maturidade de um adulto da maturidade de uma criança. Manter o espírito de uma criança aberto ao conhecimento só é possível quando o professor adequa o currículo em função de seus alunos. O intuito fundamental da educação é fazer com que a aprendizagem de todo o conhecimento leve à prática.
  16. 16. Princípio da Atividade O verdadeiro conhecimento é o que vem da experiência Princípio da Utilidade A aprendizagem só tem significado quando é útil para a criança. Princípio da União dos Meios e dos Fins O currículo escolar deveria ser concebido para responder aos problemas cotidianos. PRINCÍPIO DA DEMOCRACIA.
  17. 17. A Educação Democrática: “A educação onde cada aluno se enriquece com a experiência do outro, numa vida partilhada onde todos têm a mesma igualdade de oportunidades”. BALOI, Jochua Abraão. A Concepção da Educação Democrática na obra de John Dewey, Maputo, 2009.
  18. 18. • Para Dewey, a Escola é o principal local onde deverá ser desenvolvida a educação democrática; • Educar democraticamente não significa apenas inserir o sujeito na sociedade mas formá-lo para tomar decisões e participar ativamente da sociedade. • Para isto é necessário que se forme o aluno intelectualmente = conhecimento através da literatura, das artes, educação moral, consciência ética, enraizar hábitos de tolerância diante do diferente, aprendizado da cooperação e da subordinação do interesse pessoal ao interesse geral.
  19. 19. A Liberdade Intelectual para os Alunos Os alunos devem elaborar suas próprias certezas, os próprios conhecimentos, as próprias regras morais. O papel do professor é o de fazer o aluno raciocinar, elaborar seus próprios conceitos e depois confrontar com o conhecimento sistematizado.
  20. 20. Estimulo à Cooperação "O aprendizado se dá quando compartilhamos experiências, e isso só é possível num ambiente democrático, onde não haja barreiras ao intercâmbio de pensamento“. (Dewey, 1959) A escola deve proporcionar práticas conjuntas e promover situações de cooperação, em vez de lidar com as crianças de forma isolada.
  21. 21. A Criança como um ser em desenvolvimento Esta visão de Dewey sobre a criança, pressupõe que não exista o conhecimento inato. Deve-se respeitar aquilo que é natural nas crianças, dispor a elas conhecimentos para que direcionem adequadamente a natureza. Diz ele, “O resultado do desenvolvimento da criança é o ser social. A infância é a sociedade, o ser individual e o ser socializado; a espontaneidade natural infantil e o saber racionalmente sistematizado do aluno; o psicológico lógico; todos esses termos delimitam pontos de partida e pontos de chegada na trajetória do desenvolvimento do indivíduo”
  22. 22. John Dewey e a Escola Nova no Brasil
  23. 23. No Brasil, o maior representante do pensamento deweyano foi Anísio Teixeira.
  24. 24. A influência de Dewey sobre os educadores brasileiros é notada principalmente na promoção da relação entre os programas escolares e “as atividades primárias da criança”, ou seja, na tentativa de sincronizar o currículo ao desenvolvimento psicológico e cognitivo da criança.
  25. 25. O ideal de transformação da escola brasileira não alcançará sucesso na década de 1930, sendo cerceado pela ditadura de Vargas. Mais tarde, em 1959, no período pós-guerra e pós Estado-novo, o “Manifesto” será novamente convocado. Convocação esta que não alcançará bom êxito, uma vez que o Golpe Militar de 1964 já estava a caminho, impedindo assim a educação para a democracia.
  26. 26. O Professor Reflexivo
  27. 27. • O pensamento de Dewey volta ao cenário educacional brasileiro nos anos de 1990, quando o fim da ditadura militar se consolida e as reformas educacionais acontecem na perspectiva neoliberal de Fernando Henrique Cardoso. • A proposta de estudiosos é a formação inicial e continuada de professores, é neste sentido que a ação reflexiva de Dewey apresenta-se como uma possibilidade. • Os autores propõem experiências práticas para os professores desde os primeiros anos de formação profissional, tendo os programas como referência a investigação reflexiva na prática pedagógica.
  28. 28. • No Brasil, esta referência marca as referências educacionais dos documentos , como a LDB 9394/96 os PCN´s 1998, entre outros documentos. O pensamento reflexivo faz um ativo, prolongado e cuidadoso exame de toda crença ou espécie hipotética de conhecimento, exame efetuado à luz dos argumentos que apoiam a estas e das conclusões a que as mesmas chegam, (...) para afirmar uma crença em base sólida de argumentos é necessário um esforço consciente e voluntário. (Dewey, 1953, p. 8)
  29. 29. “A mais importante atitude a ser formada é a do desejo de continuar a aprender” (John Dewey)
  30. 30. Referências: • DEWEY, John. Democracia e Educação. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1959. • DEWEY, John. Como Pensamos. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1953. • RECH, Ilona Patricia Freire. “Atividades” na Educação Infantil e Posturas Educativas. In: MARTINS FILHO, Altino (org). Criança Pede Respeito, Porto Alegre; Ed. Mediação, 2005. • RIBEIRO, Elisabete Aparecida. Democracia Pragmatismo e Escola Nova no Brasil. Revista de Iniciação Científica da FFC, v. 4, n. 2, 2004. • SOUZA, Rodrigo Augusto. Considerações Históricas sobre a Influência de John Dewey no Pensamento Pedagógico Brasileiro. Revista HISTEDBR on-line, Campinas, n.35 p.160-162, 2009. • SOUZA, Rodrigo Augusto. A Filosofia de John Dewey e a Epistemologia Pragmatista. Revista Redescrições. Ano 2 nº 1, 2010. Sites: The Center of Dewey studies at Southern Illinois University Carbondale • http://deweycenter.siu.edu/about_bio.html > visitado em 12 de maio de 2014. Revista Nova Escola • http://revistaescola.abril.com.br/formacao/john-dewey-428136.shtml?page=1 • Vídeo: O pensamento pedagógico de John Dewey > https://www.youtube.com/watch?v=Gm1zjkhw9r8

×