SlideShare uma empresa Scribd logo

Chiara lubichset2011

1 de 28
Baixar para ler offline
Palavra  de  Vida Chiara Lubich – Setembro de 2011
“ Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado” (Lc 15,32)
Esta frase se encontra no final da chamada parábola do filho pródigo – que certamente você conhece – e quer revelar-nos a grandeza da misericórdia de Deus.
Ela conclui todo um capítulo do Evangelho de Lucas, no qual Jesus narra outras duas parábolas para ilustrar o mesmo assunto.
Lembra-se do episódio da ovelha desgarrada, cujo pastor deixa as outras noventa e nove no deserto para procurá-la?
Lembra-se também da história da dracma perdida e da alegria da mulher que, após encontrá-la, chama as amigas e as vizinhas para se alegrarem com ela?

Recomendados

Roteiro homilético do 4.º domingo da quaresma – ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo da quaresma – ano cRoteiro homilético do 4.º domingo da quaresma – ano c
Roteiro homilético do 4.º domingo da quaresma – ano cJosé Luiz Silva Pinto
 
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...
Resumo Expandido sobre a Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amores Laetitia do ...Virna Salgado Barra
 
Vida digna do evangelho
Vida digna do evangelhoVida digna do evangelho
Vida digna do evangelhoWeinne Santos
 
Princípios Para Edificar Uma Família Saudável
Princípios Para Edificar Uma Família SaudávelPrincípios Para Edificar Uma Família Saudável
Princípios Para Edificar Uma Família SaudávelEid Marques
 
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...Antonio De Assis Ribeiro
 
10 Lições para um casamento feliz [E-book]
10 Lições para um casamento feliz [E-book]10 Lições para um casamento feliz [E-book]
10 Lições para um casamento feliz [E-book]Mauro Ribeiro
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Amoris laetitia apresentao (1)
Amoris laetitia apresentao (1)Amoris laetitia apresentao (1)
Amoris laetitia apresentao (1)MARCO ANTONIO
 
2013 2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão
2013   2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão2013   2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão
2013 2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristãoNatalino das Neves Neves
 
A família católica, 13 edição, junho 2014
A família católica, 13 edição, junho 2014A família católica, 13 edição, junho 2014
A família católica, 13 edição, junho 2014Thiago Guerino
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoMárcio Pereira
 
Aula 1 Escolhas para um lar cristão
Aula 1   Escolhas para um lar cristãoAula 1   Escolhas para um lar cristão
Aula 1 Escolhas para um lar cristãoNacao_Libertai
 
Mandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editadoMandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editadoPr Ismael Carvalho
 
Família projeto de deus
Família projeto de deusFamília projeto de deus
Família projeto de deusMax Pereira
 
Palestra - Hábitos dos casais felizes
Palestra - Hábitos dos casais felizesPalestra - Hábitos dos casais felizes
Palestra - Hábitos dos casais felizesPr Ismael Carvalho
 
As 12 colunas que sustentam um casamento
As 12 colunas que sustentam um casamentoAs 12 colunas que sustentam um casamento
As 12 colunas que sustentam um casamentoWillian Xavier
 
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão   divórcio viúvez 2o casamentoO lar cristão   divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamentoEstudos Bíblicos
 
Lição 2 os alicerces da experiência conjugal
Lição 2 os alicerces da experiência conjugalLição 2 os alicerces da experiência conjugal
Lição 2 os alicerces da experiência conjugalCleonilson Freitas
 
Transformando reclamações em crescimento (1)
Transformando reclamações em crescimento (1)Transformando reclamações em crescimento (1)
Transformando reclamações em crescimento (1)Pr Ismael Carvalho
 

Mais procurados (20)

Amoris laetitia apresentao (1)
Amoris laetitia apresentao (1)Amoris laetitia apresentao (1)
Amoris laetitia apresentao (1)
 
O filho pródigo
O filho pródigo O filho pródigo
O filho pródigo
 
2013 2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão
2013   2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão2013   2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão
2013 2 tri -lição 3 - as bases do casamento cristão
 
A família católica, 13 edição, junho 2014
A família católica, 13 edição, junho 2014A família católica, 13 edição, junho 2014
A família católica, 13 edição, junho 2014
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
 
Em Caná
Em CanáEm Caná
Em Caná
 
Aula 1 Escolhas para um lar cristão
Aula 1   Escolhas para um lar cristãoAula 1   Escolhas para um lar cristão
Aula 1 Escolhas para um lar cristão
 
Mandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editadoMandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editado
 
Família projeto de deus
Família projeto de deusFamília projeto de deus
Família projeto de deus
 
Palestra - Hábitos dos casais felizes
Palestra - Hábitos dos casais felizesPalestra - Hábitos dos casais felizes
Palestra - Hábitos dos casais felizes
 
Cantares
CantaresCantares
Cantares
 
Palestra para Casais
Palestra para CasaisPalestra para Casais
Palestra para Casais
 
As 12 colunas que sustentam um casamento
As 12 colunas que sustentam um casamentoAs 12 colunas que sustentam um casamento
As 12 colunas que sustentam um casamento
 
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão   divórcio viúvez 2o casamentoO lar cristão   divórcio viúvez 2o casamento
O lar cristão divórcio viúvez 2o casamento
 
02 03-2014
02 03-201402 03-2014
02 03-2014
 
Lição 2 os alicerces da experiência conjugal
Lição 2 os alicerces da experiência conjugalLição 2 os alicerces da experiência conjugal
Lição 2 os alicerces da experiência conjugal
 
Bna dom comum 26 sim pai
Bna dom comum 26 sim paiBna dom comum 26 sim pai
Bna dom comum 26 sim pai
 
As 12 colunas que sustentam uma família
As 12 colunas que sustentam uma famíliaAs 12 colunas que sustentam uma família
As 12 colunas que sustentam uma família
 
O lar adventista estudo 12
O lar adventista   estudo 12O lar adventista   estudo 12
O lar adventista estudo 12
 
Transformando reclamações em crescimento (1)
Transformando reclamações em crescimento (1)Transformando reclamações em crescimento (1)
Transformando reclamações em crescimento (1)
 

Semelhante a Chiara lubichset2011

Semelhante a Chiara lubichset2011 (20)

A parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigoA parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigo
 
A parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigoA parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigo
 
A parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigoA parábola do filho pródigo
A parábola do filho pródigo
 
Q1304 a reconciliacao
Q1304 a reconciliacaoQ1304 a reconciliacao
Q1304 a reconciliacao
 
Parábola do filho pródigo
Parábola do filho pródigoParábola do filho pródigo
Parábola do filho pródigo
 
Parábola do filho pródigo
Parábola do filho pródigoParábola do filho pródigo
Parábola do filho pródigo
 
Filho pródigo
Filho pródigoFilho pródigo
Filho pródigo
 
Revista prodigo
Revista prodigoRevista prodigo
Revista prodigo
 
O filho pródigo
O filho pródigoO filho pródigo
O filho pródigo
 
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de DeusO Filho Pródigo e a Missão de Deus
O Filho Pródigo e a Missão de Deus
 
Jornal agosto
Jornal agostoJornal agosto
Jornal agosto
 
Beume abril 14
Beume abril 14Beume abril 14
Beume abril 14
 
Biblia gente3 2013
Biblia gente3 2013Biblia gente3 2013
Biblia gente3 2013
 
20151021.Estudo PGs 25
20151021.Estudo PGs 2520151021.Estudo PGs 25
20151021.Estudo PGs 25
 
20151007.Estudo PGs 24
20151007.Estudo PGs 2420151007.Estudo PGs 24
20151007.Estudo PGs 24
 
Boletim Jovem Junho 2014
Boletim Jovem Junho 2014Boletim Jovem Junho 2014
Boletim Jovem Junho 2014
 
LBJ LIÇÃO 9 - CONFLITOS FAMILIARES
LBJ LIÇÃO 9 - CONFLITOS FAMILIARESLBJ LIÇÃO 9 - CONFLITOS FAMILIARES
LBJ LIÇÃO 9 - CONFLITOS FAMILIARES
 
Boletim 222
Boletim 222Boletim 222
Boletim 222
 
A síndrome do Ninho Vazio
A síndrome do Ninho VazioA síndrome do Ninho Vazio
A síndrome do Ninho Vazio
 
O Pai e os filhos perdidos
O Pai e os filhos perdidosO Pai e os filhos perdidos
O Pai e os filhos perdidos
 

Mais de Rosa Silva

Devolva o peixe
Devolva o peixeDevolva o peixe
Devolva o peixeRosa Silva
 
El ave maria_de_schubert
El ave maria_de_schubertEl ave maria_de_schubert
El ave maria_de_schubertRosa Silva
 
O amor maior_do_mundo
O amor maior_do_mundoO amor maior_do_mundo
O amor maior_do_mundoRosa Silva
 
Cortesia com chapéu_alheio
Cortesia com chapéu_alheioCortesia com chapéu_alheio
Cortesia com chapéu_alheioRosa Silva
 
Não avalie o outro
Não avalie o outroNão avalie o outro
Não avalie o outroRosa Silva
 
A magia das lanternas
A magia das lanternasA magia das lanternas
A magia das lanternasRosa Silva
 
Sawabona shikoba
Sawabona shikobaSawabona shikoba
Sawabona shikobaRosa Silva
 
O tempo e as jaboticabas
O tempo e as jaboticabasO tempo e as jaboticabas
O tempo e as jaboticabasRosa Silva
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guardaRosa Silva
 
Maria mae da divina misericordia
Maria mae da divina misericordiaMaria mae da divina misericordia
Maria mae da divina misericordiaRosa Silva
 

Mais de Rosa Silva (20)

Devolva o peixe
Devolva o peixeDevolva o peixe
Devolva o peixe
 
El ave maria_de_schubert
El ave maria_de_schubertEl ave maria_de_schubert
El ave maria_de_schubert
 
O amor maior_do_mundo
O amor maior_do_mundoO amor maior_do_mundo
O amor maior_do_mundo
 
Salmo 51
Salmo 51Salmo 51
Salmo 51
 
Cortesia com chapéu_alheio
Cortesia com chapéu_alheioCortesia com chapéu_alheio
Cortesia com chapéu_alheio
 
Amar drummond
Amar drummondAmar drummond
Amar drummond
 
Ah!o amor
Ah!o amorAh!o amor
Ah!o amor
 
Afinidade
AfinidadeAfinidade
Afinidade
 
Paciência
PaciênciaPaciência
Paciência
 
Não avalie o outro
Não avalie o outroNão avalie o outro
Não avalie o outro
 
A vida
A vidaA vida
A vida
 
Amizade
AmizadeAmizade
Amizade
 
A magia das lanternas
A magia das lanternasA magia das lanternas
A magia das lanternas
 
Arcanjos
ArcanjosArcanjos
Arcanjos
 
Salmo 121
Salmo 121Salmo 121
Salmo 121
 
Sawabona shikoba
Sawabona shikobaSawabona shikoba
Sawabona shikoba
 
O tempo e as jaboticabas
O tempo e as jaboticabasO tempo e as jaboticabas
O tempo e as jaboticabas
 
Inspire se
Inspire seInspire se
Inspire se
 
Anjo da guarda
Anjo da guardaAnjo da guarda
Anjo da guarda
 
Maria mae da divina misericordia
Maria mae da divina misericordiaMaria mae da divina misericordia
Maria mae da divina misericordia
 

Último

B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfRuannSolza
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...excellenceeducaciona
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
B) Discorra sobre o que contempla cada uma das cinco dimensões da sustentabil...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdfAtividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
Atividade O homem mais rico da Babilônia.pdf
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
Sendo assim, desenvolva um breve texto que possa evidenciar a importância da ...
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 

Chiara lubichset2011

  • 1. Palavra de Vida Chiara Lubich – Setembro de 2011
  • 2. “ Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado” (Lc 15,32)
  • 3. Esta frase se encontra no final da chamada parábola do filho pródigo – que certamente você conhece – e quer revelar-nos a grandeza da misericórdia de Deus.
  • 4. Ela conclui todo um capítulo do Evangelho de Lucas, no qual Jesus narra outras duas parábolas para ilustrar o mesmo assunto.
  • 5. Lembra-se do episódio da ovelha desgarrada, cujo pastor deixa as outras noventa e nove no deserto para procurá-la?
  • 6. Lembra-se também da história da dracma perdida e da alegria da mulher que, após encontrá-la, chama as amigas e as vizinhas para se alegrarem com ela?
  • 7. "Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado" ( Lc 15,32)
  • 8. Estas palavras são um convite que Deus dirige a você, e a todos os cristãos, de rejubilar-se com ele, de festejar e participar da sua alegria pela volta do homem pecador que antes estava perdido e depois foi encontrado.
  • 9. E, na parábola, estas palavras são ditas pelo pai ao filho mais velho que havia compartilhado toda a sua vida mas que, após um dia de trabalho duro, se recusa a entrar em casa, onde se festeja a volta de seu irmão.
  • 10. O pai vai ao encontro do filho fiel – assim como foi ao encontro do filho perdido – e procura convencê-lo. Mas é evidente o contraste entre os sentimentos do pai e os do filho mais velho:
  • 11. de um lado o pai, com o seu amor sem limites e com sua grande alegria, da qual gostaria que todos participassem;
  • 12. de outro lado o filho, cheio de desprezo e de ciúme de seu irmão, que ele não reconhece mais como irmão. Com efeito, falando dele, diz: "Este teu filho, que devorou teus bens“.
  • 13. O amor e a alegria do pai pelo filho que voltou evidenciam ainda mais o rancor do outro, rancor que indica um relacionamento frio – diríamos até falso – com o próprio pai.
  • 14. A este filho importa o trabalho, o cumprimento do seu dever; mas ele não ama o pai como um verdadeiro filho. Ao contrário, mais parece que lhe obedece como a um patrão.
  • 15. "Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado" ( Lc 15,32)
  • 16. Com estas palavras Jesus denuncia um perigo em que também você pode incorrer: viver apenas para ser uma "pessoa de bem", baseando sua vida na busca da perfeição e criticando os irmãos "menos perfeitos" que você.
  • 17. Na verdade, se você estiver "apegado" à perfeição, construirá o seu ego, ficará cheio de si, cheio de admiração pela própria pessoa.
  • 18. Será como o filho que permaneceu em casa, e que enumera ao pai os seus méritos: "Há tantos anos que eu te sirvo e jamais transgredi um só dos teus mandamentos“.
  • 19. "Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado" ( Lc 15,32)
  • 20. Com estas palavras, Jesus censura aquela atitude segundo a qual a relação com Deus estaria fundamentada apenas na observância dos mandamentos, porque essa observância não é suficiente. Disso também a tradição judaica está bem consciente.
  • 21. Nesta parábola Jesus põe em evidência o Amor divino, mostrando como Deus, que é Amor, que dá o primeiro passo em direção ao homem sem levar em consideração se ele merece ou não; Deus quer que o homem se abra a ele para poder estabelecer uma autêntica comunhão de vida.
  • 22. Naturalmente, como você pode entender, o maior obstáculo diante de Deus-Amor é justamente a vida daqueles que acumulam ações, obras, enquanto Deus quer simplesmente o seu coração.
  • 23. "Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado”. ( Lc 15,32)
  • 24. Com estas palavras, Jesus convida você a ter, diante do homem pecador, o mesmo amor sem limites que o Pai tem para com ele. Jesus o convida a não julgar, segundo a sua própria medida, o amor que o Pai tem para com qualquer pessoa.
  • 25. Convidando o filho mais velho a compartilhar a sua alegria pelo filho encontrado, o Pai pede também a você uma mudança de mentalidade:
  • 26. na prática, você deve acolher como irmãos e irmãs também aqueles homens e mulheres pelos quais nutriria apenas sentimentos de desprezo e de superioridade.
  • 27. Isto provocará em você uma verdadeira conversão, porque o purifica da sua convicção de ser "mais perfeito", evita que você caia na intolerância religiosa e o faz acolher como puro dom do amor de Deus a salvação que Jesus lhe proporcionou.
  • 28. “ Palavra de Vida”, publicação mensal do Movimento dos Focolares. Texto de: Chiara Lubich, março de 2001 Gráfica Anna Lollo em colaboração com padre Placido D’Omina (Sicília, Itália) Este comentário sobre a Palavra de Vida é traduzido em 96 línguas e idiomas, e chega a milhões de pessoas no mundo através da imprensa rádio, TV e via internet. Para maiores informações www.focolare.org Este PPS, em várias línguas, é publicado em www.santuariosancalogero.org "Mas era preciso festejar e alegrar-se porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado“. ( Lc 15,32)