Atividade física idosos

1.031 visualizações

Publicada em

Trabalho de atividade física e lazer para idosos

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.031
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade física idosos

  1. 1. Terceira Idade ProfºPauloCésar de Oliveira
  2. 2. O QUE É ENVELHECIMENTO? “Irreversibilidade da substância viva em função do tempo.” "Complexo de manifestação que leva a um encurtamento da expectativa de vida com o aumento da idade." "Processo biológico que leva à limitação das possibilidades de adaptações do organismo e ao aumento da probabilidade de morrer."
  3. 3. “A soma de todas as alterações biológicas, psicológicas, físicas e sociais depois de alcançar a idade adulta e ultrapassar a idade de desempenho máximo, leva a uma redução gradual das capacidades de adaptação e de desempenho psicofísico do indivíduo.” Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) define-se velhice como "prolongamento e término de um processo representado por um conjunto de modificações fisiomórficas e psicológicas ininterruptas à ação do tempo sobre as pessoas"
  4. 4. FUNÇÃO MUSCULOESQUELÉTICA E MATEBÓLICA: O envelhecimento conduz a uma progressiva diminuição da força e da flexibilidade muscular. A força máxima é atingida por volta dos 25 anos de idade, e entra num platô entre 35-40 anos, a partir desta, mostra um rápido declínio, chegando a 25% de perda máxima até os 65 anos. Muitos mecanismos hormonais diminuem sua eficiência, por exemplo o pâncreas e a tiroide são afetadas por lesão e, ou, diminuição no número de células secretoras para as catecolaminas. Com essas mudanças, podem ser desenvolvida à diabetes, e outras, resultando em obesidade, diminuição da tolerância ao frio e depressão.
  5. 5. ESTRUTURA ÓSSEA: Com o passar do tempo há uma progressiva diminuição do conteúdo de cálcio, provocando a deterioração da matriz orgânica do osso devido ao envelhecimento. Todavia, o limiar entre normalidade e patologia não está claro, e, também é incerto como a diminuição da atividade física habitual contribui para uma idade relacionada com perda de cálcio. Mudanças são maiores nas mulheres, devido em parte as diferenças no aspecto hormonal, e em parte à baixa ingestão de cálcio e proteína de alta qualidade.
  6. 6. PERDAS PELO ENVELHECIMENTO: Durante o processo do envelhecimento temos alterações fisiológicas, psíquicas, e físicas como: - Redução da força. - Redução do volume muscular. - Aumento do tecido não contrátil (gordura e tecido conectivo) - Redução das unidades motoras, resultantes da perda de neurônios motores alfa da medula espinhal, em contra partida as unidades motoras remanescentes aumentam de tamanhos. - Redução gerar força em alta velocidade (potência). - Vários estudos têm relacionado a redução da força muscular a uma maior suscetibilidade a quedas, fraturas e dependência do idoso. - Parte da redução da capacidade aeróbia (50%) no idoso tem sido atribuída a sua perda de massa muscular
  7. 7. COMO AMENISAR A AÇÃO DO TEMPO: Sabemos que em todas as idades é necessário tomar cuidados, especialmente na terceira idade, durante essa fase algumas precauções devem ser tomadas, entre elas, uma alimentação adequada e a prática de atividade física para obter uma melhor qualidade de vida. Estudos confirmam a importância desses fatores para a manutenção e controle do sistema endócrino e do sistema músculo esquelético. Com uma alimentação equilibrada e com a prática de atividade física podemos diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, osteoporose, diabetes, e outras. Sendo assim, devemos estimular a essa adaptação respeitando seus limites físicos e fisiológicos.
  8. 8. BENEFÍCIOS DA ATIVIDADE FÍSICA: Melhora do condicionamento cardiovascular Aumento da força muscular Manutenção ou desenvolvimento da flexibilidade, coordenação e equilíbrio Incentivo ao contato social e o prazer pela vida Diminuição da ansiedade, insônia, stress e depressão Manutenção do libido e do vigor sexual Auto estima Capacidade mental Sono
  9. 9. RESTRIÇÕES: - Sempre é necessário observar a existência de patologias associadas, (diabetes, obesidade, hipertensão arterial...) pois é comum o idoso apresentar mais de uma. Antes do início da prática de exercícios o idoso deve passar por uma cuidadosa avaliação médica e por realização de exames, assim, o médico poderá dar um parecer sobre a pratica da atividade física e se for o caso sobre os efeitos da medicação sobre a mesma, e sempre que possível fazer um intercambio das informações.
  10. 10. ATIVIDADES SUGERIDAS: Aeróbias de baixo impacto, como caminhada, hidroginástica, dança, trabalhos resistidos como a ginástica localizada, musculação e trabalhos com alongamento buscando a manutenção da flexibilidade, bem como a mobilidade e se possível em grupos.
  11. 11. LIMITAÇÕES FUNCIONAIS AO TREINAMENTO: - Redução da capacidade cardiorrespiratória. - Redução da habilidade de desempenhar exercícios em intensidades moderas e intensas. - Diminuição da capacidade de adaptação e de recuperação de estímulos exógenos. - Redução da adaptabilidade ao treinamento físico. - Fraqueza muscular e aumento da sensação de fadiga. - Problemas degenerativos de ossos, tendões e articulações. - Maior suscetibilidade à dor muscular e lesões. - Diminuição do equilíbrio e coordenação neuromuscular. - Diminuição da visão e da audição.
  12. 12. Algumas vezes há o temor que exercícios com pessoas possam causar um perigoso aumento da pressão arterial, provocando um ataque cardíaco. Todavia, se o sujeito evitar a manobra de Valsalva, e mantiver 60% da força máxima voluntária por mais que poucos segundos, o aumento da pressão sanguínea não será maior que durante uma série de exercícios na bicicleta ergométrica.
  13. 13. RISCOS DA ATIVIDADE FÍSICA: - Sobre carga - Intensidade - Intervalo - Número de sessões - Número de repetições - Surgimento de lesões
  14. 14. RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES: • Uso de roupas e calçados adequados. • Ingestão de grandes quantidades de líquidos, antes do exercício. • Praticar atividades apenas quando estiver se sentindo bem. • Iniciar as atividades lenta e gradualmente. • Evitar o cigarro e medicamentos para dormir. • Alimentar-se até duas horas antes do exercício. • Respeitar seus limites pessoais. • Informar qualquer sintoma.
  15. 15. Todavia, certas precauções podem incrementar a segurança do exercício para o sujeito idoso. A dose recomendada de exercícios deve, deixar, o praticante levemente cansado, e não mais que isso, no dia seguinte. O processo de recuperação ocorre lentamente, e um treinamento mais vigoroso deve ser, assim, realizado em dias alternados. Uma rápida caminhada é melhor que uma corrida, pois além de oferecer um estímulo de treinamento, diminui o risco de deslizamentos, escorregos, e diminui o impacto sobre os membro inferiores
  16. 16. Atividades em meio aquático são particularmente úteis para aqueles com problemas articulares. A visão, audição e o equilíbrio estão mais expostos. Deve-se, assim, evitar esportes onde haja riscos de colisões com oponentes ou obstáculos estacionários. Se há um histórico de quedas, cuidados especiais são necessários para a realização de atividades que requerem um bom senso de equilíbrio (escaladas, ciclismo, corridas, ou meramente caminhar, principalmente ao redor de piscinas). Em idosos com medicação hipotensiva, há o perigo de uma repentina perda de consciência quando em pé no final de uma série de exercícios, particularmente se o local está quente, ou as veias estão com o tônus diminuído, relaxadas, pelo tempo na piscina.
  17. 17. O treinamento físico não pode restaurar tecidos que já foram destruídos, porém pode proteger o praticante contra um número de doenças crônicas relacionadas ao envelhecimento. Mais importante é maximizar as funções fisiológicas do organismo que ainda estão conservadas. Em alguns casos, a idade biológica é reduzida até em mais de 20 anos. A expectativa de vida é incrementada, condições debilitantes são adiadas, e ocorrem muitos ganhos na qualidade de vida. O exercício físico pode ser ,então, um componente de grande importância para uma vida saudável em cidadãos idosos.
  18. 18. TREINAMENTO: Alguns detalhes importantes que na hora do planejamento do treinamento de força para esta população não podem ficar sem a devida atenção: - Avaliação física a médica; - Identificar todos os fatores de risco; - No caso de haver patologias, direcionar o treino com uma prescrição segura e inteligente. - Não esquecer o aquecimento e volta a calma; - O alongamento deve fazer parte do treinamento; - Evitar manobra de valsava ou respiração bloqueada; - Não pular a fase de adaptação; - Estimular a fadiga;
  19. 19. - Ter cuidado com volume de treinamento, pois este sim não é seguro. - Um número razoável seria de 6 a 9 séries diárias. - Utilizar o aumento progressivo de carga. - Controlar o intervalo entre as séries e o tempo de recuperação. - Respeitar os princípios do Treinamento de força. - Fazer uso de pesos livres para estimular a coordenação e o equilíbrio.
  20. 20. Será um marco para população mundial o dia que descobrirem que um treinamento de força, feito com intensidades ideais, pode ser a maneira mais efetiva e barata para proporcionar uma vida independente e saudável ao idoso.
  21. 21. “Ótimo será quando todos os nossos velhinhos souberem a importância de praticar exercícios físicos, mas não basta apenas eles saberem, todos nós temos que por em prática, e nós como educadores físicos temos a obrigação de conscientiza-los, para que todos tenham uma vida melhor e mais longa!!!”

×