Successfully reported this slideshow.
Situação de AprendizagemPausa– Moacyr ScliarPúblico Alvo: 9º ano.Duração: 6 aulasRosane Casotti Câmara
Objetivos Gerais:Elaborar estratégias de leitura, compreensão leitora, deinterpretação e produção de texto que promovam um...
O que significa essa imagem?Você já a viu ? Emque lugar?
Qual o significado de”pausa”?(Após as hipóteses levantadas, sugerir a pesquisa no dicionário)•Intervalo de tempo•Suspensão...
Reflexões sobre o título:•Em que momento você tira um tempo para si mesmo?•Em quais situações e/ou lugares?•Esse tempo aju...
•Sobre o que você acha que o autor escreve nesse texto?•Qual o tema abordado?•Você já ouviu falar sobre Moacyr Scliar? Con...
Moacyr ScliarMoacyr Jaime Scliar foi um escritor brasileiro. Formado em medicina, trabalhou como médicoespecialista em saú...
Apresentação do texto:PAUSA"Às sete horas o despertador tocou. Samuel saltou da cama,correu para o banheiro, fez a barba e...
A mulher coçava a axila esquerda. Antes que voltasse àcarga, Samuel pegou o chapéu:—Volto de noite.As ruas ainda estavam ú...
Era um aposento pequeno: uma cama de casal, um guarda roupa depinho; a um canto, uma bacia cheia dágua, sobre um tripé. Sa...
Às sete horas o despertador tocou. Samuel saltou da cama, correu paraa bacia, lavou-se.Vestiu-se rapidamente e saiu.Sentad...
Habilidades de LeituraDurante a leitura autônoma e compartilhada:•Confirmar ou retificar as antecipações ou expectativas d...
Explorando os elementos da narrativa:•Quais são os personagens deste conto?•Quem é o protagonista?•Qual o foco narrativo?•...
Recursos utilizados pelos alunos:•Os alunos deverão utilizar recursos como: sublinhar, copiar,destacar informações relevan...
Caso o aluno se depare com uma palavra ou expressãodesconhecida, a compreensão do texto pode ficarcomprometida.Neste momen...
•Identificar as pistas linguísticas que pontuam a progressãotemática;•Levar o aluno a observar uma nova rotina que seestab...
Capacidades de apreciação e réplica do leitor emrelação ao texto (interpretação e interação):-Resgatar informações que int...
- Orientar o aluno/leitor, situando-o quanto à finalidadeda leitura em consonância com sua finalidade de vida.- O que você...
PausaTetê EspindolaChuva finaGota a gota caiO tempo, a correnteza vaiNão há destino, só um irNão quer sentidoE tanto fazSe...
•Propor ao aluno a leitura das músicas “Pausa” deTetêEspindola e “Todo Mês de Maio na Maior” de GuilhermeArantes e do poem...
Pesquisar imagens, símbolos e sons que simbolizam uma pausaCapacidades de apreciação e réplica:Percepção de outras linguag...
•Pedir ao aluno para citar passagens do texto e tecersuas impressões acerca do relacionamento de Samuelcom sua esposa;•Ana...
•Questionar o motivo que leva o personagem a utilizardois nomes: Samuel / Isidoro;•Comentar estabelecendo semelhanças ou d...
Após a checagem de hipóteses sobre osproblemas que afligem Samuel, propõe-seaos alunos que construam um desfechodiferente ...
Considerações finais:O ato da leitura e da escrita mexe, estimula,aguça todo o nosso sistema cognitivo esensorial. As idei...
Referências BibliográficasROJO, R. H. R. (2002) A concepção de leitor e produtor de textos nosPCNs: “Ler é melhor do que e...
Situação de aprendizagem corrigida   definitivo
Situação de aprendizagem corrigida   definitivo
Situação de aprendizagem corrigida   definitivo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Situação de aprendizagem corrigida definitivo

262 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Situação de aprendizagem corrigida definitivo

  1. 1. Situação de AprendizagemPausa– Moacyr ScliarPúblico Alvo: 9º ano.Duração: 6 aulasRosane Casotti Câmara
  2. 2. Objetivos Gerais:Elaborar estratégias de leitura, compreensão leitora, deinterpretação e produção de texto que promovam umaaprendizagem significativa, contribuindo para a formaçãode leitores críticos, autônomos que construam valoreséticos e de cidadania.
  3. 3. O que significa essa imagem?Você já a viu ? Emque lugar?
  4. 4. Qual o significado de”pausa”?(Após as hipóteses levantadas, sugerir a pesquisa no dicionário)•Intervalo de tempo•Suspensão temporária de ação ou de som•Figura que indica a duração de silêncio entre as notasmusicais
  5. 5. Reflexões sobre o título:•Em que momento você tira um tempo para si mesmo?•Em quais situações e/ou lugares?•Esse tempo ajuda-o a colocar suas ideias em ordem? Costumarefletir?Justifique sua resposta.•Após esse momento de pausa, como se sente?Capacidade de compreensão(estratégias)Ativação de conhecimento demundo
  6. 6. •Sobre o que você acha que o autor escreve nesse texto?•Qual o tema abordado?•Você já ouviu falar sobre Moacyr Scliar? Conhece algumasde suas obras?Vamos conhecer um pouco sobre o autordeste conto.Capacidades de compreensão (estratégias):Antecipação ou predição de conteúdos ou propriedades do textoChecagem de hipóteses
  7. 7. Moacyr ScliarMoacyr Jaime Scliar foi um escritor brasileiro. Formado em medicina, trabalhou como médicoespecialista em saúde pública e professor universitário. Sua prolífica obra consiste de contos,romances, ensaios e literatura infantojuvenil.Nascimento: 23 de março de 1937, Porto AlegreFalecimento: 27 de fevereiro de 2011Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Moacyr_Scliar
  8. 8. Apresentação do texto:PAUSA"Às sete horas o despertador tocou. Samuel saltou da cama,correu para o banheiro, fez a barba e lavou-se.Vestiu-se rapidamentee sem ruído. Estava na cozinha, preparando sanduíches, quando amulher apareceu, bocejando:—Vais sair de novo, Samuel?Fez que sim com a cabeça. Embora jovem, tinha a frontecalva; mas as sobrancelhas eram espessas, a barba, embora recém-feita, deixava ainda no rosto uma sombra azulada. O conjunto era umamáscara escura.—Todos os domingos tu sais cedo — observou a mulherCom azedume na voz.—Temos muito trabalho no escritório — disse o marido, secamente.Ela olhou os sanduíches:—Por que não vens almoçar?— Já te disse: muito trabalho. Não há tempo. Levo um lanche.
  9. 9. A mulher coçava a axila esquerda. Antes que voltasse àcarga, Samuel pegou o chapéu:—Volto de noite.As ruas ainda estavam úmidas de cerração. Samuel tirou ocarro da garagem. Guiava vagarosamente, ao longo do cais, olhando osguindastes,as barcaças atracadas.Estacionou o carro numa travessa quieta. Com o pacote desanduíches debaixo do braço, caminhou apressadamente duas quadras.Deteve-se ao chegar a um hotel pequeno e sujo. Olhou para os lados eEntrou furtivamente.Bateu com as chaves do carro no balcão,acordandoum homenzinho que dormia sentado numa poltrona rasgada. Era ogerente.Esfregando os olhos, pôs-se de pé.—Ah! Seu Isidoro! Chegou mais cedo hoje. Friozinho bom este,Não é? A gente...—Estou com pressa, seu Raul!— atalhou Samuel.— Está bem, não vou atrapalhar. O de sempre. — Estendeu a chave.Samuel subiu quatro lances de uma escada vacilante.Ao chegar ao último andar, duas mulheres gordas, de chambrefloreado,olharam-no com curiosidade:—Aqui, meu bem!—uma gritou, e riu: um cacarejo curto.Ofegante, Samuel entrou no quarto e fechou a porta à chave.
  10. 10. Era um aposento pequeno: uma cama de casal, um guarda roupa depinho; a um canto, uma bacia cheia dágua, sobre um tripé. Samuelcorreu as cortinas esfarrapadas, tirou do bolso um despertador deviagem,deu corda e colocou-o na mesinha de cabeceira.Puxou a colcha e examinou os lençóis com o cenho franzido; com um suspiro,tirou o casaco e os sapatos, afrouxou a gravata. Sentadona cama, comeu vorazmente quatro sanduíches. Limpou os dedos no papel deembrulho, deitou-se e fechou os olhos. Dormir.Em pouco, dormia. Lá embaixo, a cidade começava a mover-se: os automóveisbuzinando, os jornaleiros gritando, os sons longínquos.Um raio de sol filtrou-se pela cortina, estampou um círculo luminoso no chãocarcomido.Samuel dormia; sonhava. Nu, corria por uma planície imensa, perseguido poríndio montado a cavalo. No quarto abafado ressoava o galope. No planalto datesta, nas colinas do ventre, no vale entre as pernas, corriam.Samuel mexia-se e resmungava.Às duas e meia da tarde sentiu uma dorlancinante nas costas. Sentou-se na cama, os olhos esbugalhados: o índioacabava de trespassá-lo com a lança. Esvaindo-se em sangue, molhado de suor,Samuel tombou lentamente; ouviu o apito soturno de um vapor. Depois,silêncio.
  11. 11. Às sete horas o despertador tocou. Samuel saltou da cama, correu paraa bacia, lavou-se.Vestiu-se rapidamente e saiu.Sentado numa poltrona, o gerente lia uma revista.—Já vai, seu Isidoro?— Já — disse Samuel, entregando a chave. Pagou, conferiu o troco emsilêncio.—Até domingo que vem, seu Isidoro — disse o gerente.—Não sei se virei—respondeu Samuel, olhando pela porta; a noite caía.— O senhor diz isto, mas volta sempre — observou o homem, rindo.Samuel saiu.Ao longo do cais, guiava lentamente. Parou, um instante, ficou olhandoos guindastes recortados contra o céu avermelhado. Depois, seguiu.Para casa.“SCLIAR, Moacyr. In:BOSI,Alfredo.O conto brasileiro contemporâneo.São Paulo: Cutrix, 1997
  12. 12. Habilidades de LeituraDurante a leitura autônoma e compartilhada:•Confirmar ou retificar as antecipações ou expectativas desentido criadas antes ou durante a leitura;•Esclarecer as palavras desconhecidas a partir de inferênciaou consulta a dicionário.
  13. 13. Explorando os elementos da narrativa:•Quais são os personagens deste conto?•Quem é o protagonista?•Qual o foco narrativo?•Onde se passa essa história?•Quando aconteceram os fatos narrados?•Como e por que os fatos aconteceram?
  14. 14. Recursos utilizados pelos alunos:•Os alunos deverão utilizar recursos como: sublinhar, copiar,destacar informações relevantes para armazená-las e apreenderpontos essenciais para o entendimento do texto;•Buscar informações complementares em textos de apoioreferentes ao texto principal;•Consultar outras fontes como enciclopédias e Internet.Capacidades de compreensão (estratégias):Localização e comparação de informações
  15. 15. Caso o aluno se depare com uma palavra ou expressãodesconhecida, a compreensão do texto pode ficarcomprometida.Neste momento, intervimos questionando ao aluno secompreendeu o sentido da expressão, orientando-o aanalisar o contexto em que a palavra está inserida,levando-o a inferir sobre este sentido (pode-se utilizaro dicionário).Identificar marcas implícitas (ler nas entrelinhas) oupressupostos que inferem na significação do texto.Capacidades de compreensão (estratégias):Produção de inferências locaisProdução de inferências globais
  16. 16. •Identificar as pistas linguísticas que pontuam a progressãotemática;•Levar o aluno a observar uma nova rotina que seestabelece dentro da própria rotina desse personagem;•Propor ao aluno uma síntese do texto visando extrairconclusões gerais sobre fato, situação, problema.Capacidades de compreensão (estratégia):Generalização
  17. 17. Capacidades de apreciação e réplica do leitor emrelação ao texto (interpretação e interação):-Resgatar informações que interajam com aprodução textual:•Quem é o autor?•Que posição social ele ocupa?•Em que situação escreve?•Em que veículo escreve?•Com que finalidade?•Para quem escreve?Capacidade de réplicaRecuperação do contexto e produção de texto
  18. 18. - Orientar o aluno/leitor, situando-o quanto à finalidadeda leitura em consonância com sua finalidade de vida.- O que você costuma ler?-Tem preferência por algum gênero textual?Para que você lê?Capacidades de réplica:=> Definição de finalidades e metas da atividade deleitura
  19. 19. PausaTetê EspindolaChuva finaGota a gota caiO tempo, a correnteza vaiNão há destino, só um irNão quer sentidoE tanto fazSentir o dia dilatarDe grão em grãoA sombra contrairAo contratempo de um hai-kaiO incenso doce e denso de hortelãDa manhãA surgir, a migrarTrigo, estrada, moenda, roda dáguaCaminho do solTrino, ária, fuga, reza, pausaCaminho do som.
  20. 20. •Propor ao aluno a leitura das músicas “Pausa” deTetêEspindola e “Todo Mês de Maio na Maior” de GuilhermeArantes e do poema “Pausa” de Cristóvão Neto”;•Levantar questões acerca das relações intertextuais;•Observar como uma mesma ideia, um mesmo sentimento,uma mesma informação (tema) são tratados por diferenteslinguagens e intenções.•Sugerir pesquisas de textos de gêneros diferentes eestabelecer comparações entre a temática, o título e odiscurso.Capacidades de apreciaçãoPercepção de relações de intertextualidade ouinterdiscursividade
  21. 21. Pesquisar imagens, símbolos e sons que simbolizam uma pausaCapacidades de apreciação e réplica:Percepção de outras linguagens como elementos constitutivosdos sentidos dos textos
  22. 22. •Pedir ao aluno para citar passagens do texto e tecersuas impressões acerca do relacionamento de Samuelcom sua esposa;•Analisar o sonho de Samuel e seus elementosoníricos (analise subjetiva).- Gostou da linguagem utilizada no texto? Justifiquesua resposta.-Qual a sua opinião sobre o tema abordado?Capacidades de apreciação e réplica:=> Elaboração de apreciações estéticas e/ou afetivasEu preciso descobrir onde está ocontrole remoto da minha vida. Queriaadiantar alguns capítulos, preciso voltaroutros e principalmente dar uma pausaem algumas decisões que tenho quetomar.
  23. 23. •Questionar o motivo que leva o personagem a utilizardois nomes: Samuel / Isidoro;•Comentar estabelecendo semelhanças ou diferençasentre o significado de pausa e fuga.- Do que ele está fugindo?- Por que Samuel não tenta resolver seus problemas econflitos interiores?-Como você agiria se estivesse na mesma situação queSamuel?Capacidades de apreciação e réplica:=> Elaboração de apreciações relativas a valores éticose/ou políticos
  24. 24. Após a checagem de hipóteses sobre osproblemas que afligem Samuel, propõe-seaos alunos que construam um desfechodiferente do conto original, apresentandopossíveis soluções para este personagem.A seguir, o professor convida os alunos paraapresentarem suas produções mostrando-lhes o quanto é importante e enriquecedor ocompartilhamento dessas experiências.
  25. 25. Considerações finais:O ato da leitura e da escrita mexe, estimula,aguça todo o nosso sistema cognitivo esensorial. As ideias, os pensamentos, ossentimentos, a capacidade de estabelecercomparações, de elaborar julgamentos echegar a uma conclusão passam pelosprocessos de construção, desconstrução ereconstrução da percepção de mundo doleitor-escritor.
  26. 26. Referências BibliográficasROJO, R. H. R. (2002) A concepção de leitor e produtor de textos nosPCNs: “Ler é melhor do que estudar”. In M. T. A. Freitas & S. R. Costa(orgs) Leitura e Escrita na Formação de Professores, pp. 31-35.SP: Mus/UFRJ/INEP-COMPED.ZAPPA, R. (1999) Chico Buarque para Todos. Rio de Janeiro, Ed.Relume Dumará, 3º edição.SOLÉ, Isabel (1998) Estratégias de leitura. 6ª edição. Porto Alegre:ArtMed.

×