Crio

1.083 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.083
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Crio

  1. 1. UNIDADE 1 – REPRODUÇÃO E MANIPULAÇÃO DA FERTILIDADE C onteúdo :Manipulação da Fertilidade: Reprodução assistida <ul><li>TRABALHO DE PESQUISA: </li></ul><ul><li>Crioconservação de gâmetas e de embriões </li></ul>
  2. 2. <ul><li>DEBATE E CONFRONTO DE PONTOS DE VISTA: </li></ul><ul><li>O que os alunos sabem desta problemática ( podem usar casos pessoais ou familiares, caso existam) </li></ul><ul><li>Interesse/ indiferença no estudo desta problemática </li></ul>
  3. 3. CONCEITOS/ PALAVRAS –CHAVE Infertilidade Reprodução assistida Crioconservação de gâmetas e de embriões <ul><li>COMPETÊNCIAS </li></ul><ul><li>Reconhecer a reprodução assistida como meio de ultrapassar a infertilidade humana. </li></ul><ul><li>Recolher, organizar e interpretar informação relacionada com e técnicas de reprodução assistida. </li></ul><ul><li>Analisar os princípios biológicos subjacentes a diferentes técnicas de reprodução assistida. </li></ul><ul><li>Desenvolver opiniões críticas e informadas sobre processos de reprodução assistida e de manipulação de embriões, assim como, sobre as implicações biológicas e socioéticas que decorrem da utilização de processos de manipulação da reprodução humana, no que respeita à qualidade de vida dos indivíduos e ao desenvolvimento das populações. </li></ul>
  4. 4. Avaliação ... <ul><li>Dimensão 1- processo de construção do plano de acção </li></ul><ul><li>Dimensão 2 - apresentação e defesa do trabalho realizado </li></ul><ul><li>Tempo previsto: </li></ul><ul><li>Lectivo – 8 blocos (735 minutos) </li></ul><ul><li>Não lectivo – ao longo de três semanas </li></ul>
  5. 5. O contexto de pesquisa: caracterização <ul><li>Crioconservação de gâmetas e de embriões </li></ul><ul><li>A conservação de espermatozóides e embriões excedentários por congelação a baixas temperaturas (geralmente recorrendo a azoto líquido, obtendo-se temperaturas abaixo dos -196 °C) é muito útil, sobretudo em situações de declínio de fertilidade. Em relação aos oócitos, ainda não existe uma técnica de crioconservação clinicamente satisfatória. </li></ul><ul><li>Muitos ovos são congelados para futuras tentativas de obtenção de uma gravidez. Todavia, muitos apresentam-se como excedentes ou não possuem as características desejadas para a implantação no útero, sendo assim eliminados ou usados para fins de investigação em áreas importantes da Medicina. </li></ul><ul><li>Calcula-se que existam actualmente 100 a 200 mil embriões &quot;excedentários&quot;. Em face de tal abundância, um critério utilitarista tenderá a reclamar o recurso a estes embriões na investigação médica para descoberta de cura para doenças e obtenção de células estaminais. </li></ul><ul><li>A doação, a outro casal, de embriões congelados para concepção é a opção menos criticada entre os estudiosos. Essa solução, que aparentemente pode ser ou é a mais coerente, carrega consigo agravante de ordem social, pois com tantas crianças órfãs, já concebidas, não há por que se incentivar o nascimento de outras crianças que não terão as características biológicas de seus futuros pais. </li></ul>
  6. 6. Problematização <ul><li>Qual o custo para o utente que recorre a esta técnica? É subsidiado? </li></ul><ul><li>A doação de embriões é feita com consentimento dos dadores? Será que os dadores conhecem e são informados acerca do destino dos embriões? </li></ul><ul><li>Qual a aceitação por parte da sociedade civil e religiosa desta técnica? </li></ul><ul><li>Quais as implicações éticas relativa ao uso de embriões? </li></ul><ul><li>Há legislação, em Portugal, sobre esta técnica e implicações desta? E nos outros países? </li></ul><ul><li>Como são usados os embriões na investigação médica? O uso de embriões excedentários já contribuiu para a descoberta da cura de alguma doença? Qual ou quais? </li></ul><ul><li>Quanto tempo deve permanecer um embrião crioconservado até ser considerado como “excedentário”? </li></ul><ul><li>Eticamente, é aceitável o uso de embriões como cobaias? Há alguma organização para a defesa dos embriões? </li></ul><ul><li>Será que esta técnica está circunscrita ao domínio da investigação médica e dos especialistas? Ainda não é do domínio da população em geral? </li></ul><ul><li>Há locais onde podem ser disponibilizadas informações? Há aconselhamento? De que tipo? Privado ou público? </li></ul><ul><li>O que são células estaminais? Qual a importância do embrião na obtenção destas? Como e com que finalidade são usadas? </li></ul><ul><li>Qual o facto que dificulta a crioconservação de oócitos? </li></ul>
  7. 7. Operacionalização da situação-problema Crioconservação de gâmetas e de embriões Sub-tema I- A crioconservação como um marco da reprodução medicamente assistida Sub-tema III – Implicações éticas Sub-tema II – Futuro dos embriões excedentários Sub-tema IV - Regulamentação

×