Aposentadoria especial policial rs

1.120 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.120
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
137
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aposentadoria especial policial rs

  1. 1. COMARCA DE PORTO ALEGRE11ª VARA DA FAZENDA PÚBLICA DO FORO REGIONAL DOPARTENONRua Márcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10___________________________________________________________________Nº de Ordem:Processo nº: 001/1.10.0106356-3 (CNJ:.1063561- 70.2010.8.21.0001)Natureza: Ordinária - OutrosAutor: Jorge VenturiniRéu: Estado do Rio Grande do SulJuiz Prolator: Juiz de Direito - Dr. Mauricio Alves DuarteData: 03/12/2010 Vistos etc. I – Jorge Venturini ingressou com açãodeclaratória contra o Estado do Rio Grande do Sul,aduzindo que é ex-comissário de polícia . Asseverouque, ao conceder a aposentadoria ao autor, odemandado deixou de reconhecer o direito àaposentadoria especial, visto que exerceuexclusivamente atividade como comissário de políciade forma ininterrupta por mais de 30 anos. Requereu a
  2. 2. procedência da demanda para fins de declarar o direitodo autor à aposentadoria especial. Juntou documentos Deferida a gratuidade. Citado o demandado contestou. Alegouque a aposentadoria do demandante seu deu comfundamento no art. 40, parágrafo 1º, III, § 4º da CF,com redação dada pela EC41/03 e LC51/85. Invocou aLei 10.887/04, pois o fato de o autor ter direito areceber proventos integrais não afasta a incidência daforma de cálculo pela média das 80% das maioresremunerações. Requereu a improcedência do feito. Houve réplica. O MP opinou improcedência do feito. É o relatório. II – Decide-se. Matéria de direito desafia julgamentoantecipado. O autor computou 12.100 de efetivoexercício em atividades policiais, ou seja, mais de 30anos, conforme certidão da fl. 37.
  3. 3. O art. 1ª da Lei Complementar Federalnº 51/85 diz: O funcionário policial será aposentado: I – voluntariamente, com proventosintegrais, após 30(trinta) anos de serviço, desde queconte, pelo menos 20 (vinte) anos de exercício emcargo de natureza estritamente policial; Com a EC 47/05, o art. 40, § 4º, II, daConstituição Federal, passou a ter a seguinte redação: Art. 40. Aos servidores titulares de cargosefetivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dosMunicípios, incluídas suas autarquias e fundações, éassegurado regime de previdência de caráter contributivo esolidário, mediante contribuição do respectivo ente público,dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas,observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro eatuarial e o disposto neste artigo. § 4º - É vedada a adoção de requisitos ecritérios diferenciados para a concessão de aposentadoriaaos abrangidos pelo regime de que trata este artigo,ressalvados, nos termos definidos em leis complementares,os casos de servidores: II – que exerçam atividades de risco:
  4. 4. Assim, há previsão de aposentadoria especialaos servidores que exerçam atividades de risco. Ocorre que, desde a decisão do STF na ADI3.817/DF, publicada em abril de 2009, o inciso I do art. 1º daLCF 51/85 vem sendo considerado recepcionado pelo atualinciso I do § 4º do art. 40 da CF. Nesse sentido, Mandados de Injunções 2313;2379; 3206; 2573; 2749; 2311; 2553; 2609; 784 e 787/DF. Cumpre destacar que o autor, comissário depolícia, percebe a GIAP, que, segundo a Lei 10.007/93,absorveu a gratificação de risco de vida. Assim, diante das reiteradas decisões doSTF, o exercício por 20 anos de atividade estritamentepolicial é de risco presumido e, portanto, autorizada aaposentadoria especial de 30 anos, com proventosintegrais. III – Pelo exposto, JULGA-SEPROCEDENTE o pedido para determinar o Estado doRGS a aposentar o autor, com proventos integrais, após30(trinta) anos de serviço, uma vez que conta com 20(vinte) anos de exercício em cargo de naturezaestritamente policial; condenando-o ao honorários
  5. 5. advocatícios fixados em R$ 1.000,00, dispensado dascustas processuais. Oficie-se. Publique-se. Registre-se. Intimem-se. Porto Alegre, 10 de janeiro de 2011. Maurício Alves Duarte, Juiz de Direito

×