A importância de um planejamento financeiro

139 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
139
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A importância de um planejamento financeiro

  1. 1. A Importância de um Planejamento Financeiro 14/6/2009 HENRIQUE CARVALHO FINANÇAS PESSOAIS Gostaria que vocês parassem um pequeno momento e pensassem na seguinte pergunta: Qual o conceito de riqueza para você? É provável escutar de muita gente, principalmente entre os mais jovens, que quem é rico é quem ganha muito.
  2. 2. Entretanto, por mais que para ser rico é importante ganhar bem, o que difere a maioria das pessoas ricas daquelas que não são é a sua inteligência financeira. Algumas características de quem é financeiramente inteligente: 1. Ganha bem: Gosta do que faz e busca ser remunerado pelo que agrega e não pela quantidade de horas que trabalhou. 2. Não gasta muito: A idéia aqui é ter um modelo sustentável para que sempre sobre dinheiro e de preferência bastante dinheiro. 3. Sabe investir bem o seu dinheiro: Aqui é onde se realiza a “mágica” dos juros compostos. Sabendo dessas características podemos simular alguns casos para chegarmos à algumas conclusões. A idéia é ver quem acumulou maior patrimônio no período de 20 anos. 1º caso: Renda Mensal: 15.000 Poupança Mensal: 1.500 (10%) Retorno dos Investimentos: 0,5% a.m. Caso 1 (Clique para ampliar)
  3. 3. Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 688.121 Inflação acumulada no período: R$246.465 Patrimônio Corrigido: R$441.655 2º caso: Renda Mensal: 5.000 Poupança Mensal: 1.000 (20%) Retorno dos Investimentos: 1,0% a.m. Caso 2 (Clique para ampliar) Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 978.471 Inflação acumulada no período: R$277.224 Patrimônio Corrigido: R$701.246 3º caso: Renda Mensal: 3.000 Poupança Mensal: 800 (26,6%) Retorno dos Investimentos: 1,5% a.m.
  4. 4. Caso 3 (Clique para ampliar) Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 1.818.999 Inflação acumulada no período: R$408.254 Patrimônio Corrigido: R$1.410.745 Conclusões: Não importa o quanto você ganhe, começe cedo a poupar. Estabeleça metas (em %) para manter a disciplina de sempre estar poupando não importando o valor recebido. Elimine gastos desnecessários. Busque não contrair dívidas (não deixe que osjuros compostos haja sobre você). Invista em conhecimento, compre livros e faça cursos que lhe agreguem valor. Procure estudar mais sobre investimentos para que o seu dinheiro trabalhe para você e não ao contrário. No começo os aportes mensais tem grande contribuição com o patrimônio total, mas com o tempo os juros é que fazem a curva de patrimônio ser exponencial. Sendo assim, quanto mais jovem, maior a importância de juntar mais e quanto mais velho for ficando, maior a importância de investir melhor o seu dinheiro.
  5. 5. Pessoalmente, eu uso uma regrinha que tem funcionado bem. Estipulo uma taxa de poupança em cima daquilo que ganho (por ex. 20%). Então, assim que o dinheiro do mês entra eu já invisto este dinheiro e “me viro” com o resto. Acredito que deste modo criamos a disciplina de economizar todo mês e fazer com que nosso dinheiro hoje se valorize, para que no futuro tenhamos mais dinheiro, buscando sempre superar a inflação (pelo menos mantendo nosso poder de compra). Gostaria que vocês parassem um pequeno momento e pensassem na seguinte pergunta: Qual o conceito de riqueza para você? É provável escutar de muita gente, principalmente entre os mais jovens, que quem é rico é quem ganha muito. Entretanto, por mais que para ser rico é importante ganhar bem, o que difere a maioria das pessoas ricas daquelas que não são é a sua inteligência financeira. Algumas características de quem é financeiramente inteligente: 1. Ganha bem: Gosta do que faz e busca ser remunerado pelo que agrega e não pela quantidade de horas que trabalhou. 2. Não gasta muito: A idéia aqui é ter um modelo sustentável para que sempre sobre dinheiro e de preferência bastante dinheiro. 3. Sabe investir bem o seu dinheiro: Aqui é onde se realiza a “mágica” dos juros compostos. Sabendo dessas características podemos simular alguns casos para chegarmos à algumas conclusões. A idéia é ver quem acumulou maior patrimônio no período de 20 anos. 1º caso: Renda Mensal: 15.000 Poupança Mensal: 1.500 (10%) Retorno dos Investimentos: 0,5% a.m.
  6. 6. Caso 1: Clique para Ampliar Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 688.121 Inflação acumulada no período: R$246.465 Patrimônio Corrigido: R$441.655 2º caso: Renda Mensal: 5.000 Poupança Mensal: 1.000 (20%) Retorno dos Investimentos: 1,0% a.m.
  7. 7. Caso 2: Clique para Ampliar Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 978.471 Inflação acumulada no período: R$277.224 Patrimônio Corrigido: R$701.246 3º caso: Renda Mensal: 3.000 Poupança Mensal: 800 (26,6%) Retorno dos Investimentos: 1,5% a.m.
  8. 8. Caso 3: Clique para Ampliar Patrimônio Total (em 20 anos): R$ 1.818.999 Inflação acumulada no período: R$408.254 Patrimônio Corrigido: R$1.410.745 Conclusões: Não importa o quanto você ganhe, comece cedo a poupar. Estabeleça metas (em %) para manter a disciplina de sempre estar poupando não importando o valor recebido. Elimine gastos desnecessários. Busque não contrair dívidas (não deixe que os juros compostos haja sobre você). Invista em conhecimento, compre livros e faça cursos que lhe agreguem valor. Procure estudar mais sobre investimentos para que o seu dinheiro trabalhe para você e não ao contrário. No começo os aportes mensais tem grande contribuição com o patrimônio total, mas com o tempo os juros é que fazem a curva de patrimônio ser exponencial.
  9. 9. Sendo assim, quanto mais jovem maior a importância de juntar mais e quanto mais velho for ficando maior a importância de investir melhor o seu dinheiro. Pessoalmente, eu uso uma regrinha que tem funcionado bem. Estipulo uma taxa de poupança em cima daquilo que ganho (por ex. 20%). Então, assim que o dinheiro do mês entra, eu já invisto este dinheiro e “me viro” com o resto. Acredito que deste modo criamos a disciplina de economizar todo mês e fazer com que nosso dinheiro hoje se valorize, para que no futuro tenhamos mais dinheiro, buscando sempre superar a inflação (pelo menos mantendo nosso poder de compra). (crédito das imagens: shutterstock.com)

×