E se deus liberar geral?

71 visualizações

Publicada em

Contos ateístas

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
71
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

E se deus liberar geral?

  1. 1. E se Deus “liberar geral”? por Acauan dos Tupis O Deus cristão já se arrependeu de suas decisões uma vez. Ficou puto da vida, rodou a baiana e fez um escarcéu. E se ele se arrependesse de novo, mas em uma outra direção, deixasse para lá toda aquela história bíblica de salvação e liberasse geral? Abrisse os portões dos Céus para todo mundo que não tivesse cometido atrocidades contra seus semelhantes durante a vida, independente de qualquer outra exigência? A graça pela graça e só? Como reagiriam os crentes? Alegrariam-se com a decisão, já que, como amam ao próximo como a eles mesmos não poderiam conter a alegria de ver a salvação estendida incondicionalmente a toda a humanidade? Eu acho que não. Duvido que os crentes reagiriam bem à notícia de que o Céu não seria o clubinho exclusivo cujas prestações do título eles pagaram zelosamente durante toda a vida. E pior, teria sido negado a eles o tão ansiado momento em que do alto de suas nuvenzinhas poderiam olhar para todos os não cristãos ardendo no inferno e gritar: "Eu te avisei, eu te avisei…" Isso para não falar do insonhável pesadelo dos pesadelos dos crentes: encontrar ateus lá no paraíso. Fico imaginando como seria se um destes crentes, que durante a vida foram crentes pra caramba, topasse lá no Céu com alguém aqui da turma do Religião é Veneno: Crente — Você por aqui?!
  2. 2. Ateu — Pois é cara, sabe que até eu fiquei surpreso? No fim você tava certo… Quer dizer, meio certo, né? Já que estamos todos aqui. Crente — É… Estamos… Ateu — Que cara é esta meu? Você parece frustrado em me ver. Crente — O senhor Deus sabe o que faz… Ateu — Ah, o Velho, falei com ele ontem, cara legal. Crente — V-você falou com o senhor nosso Deus?! Ateu — Sim, fui pedir uma morada mais longe do pedaço dos crentes. Sabe como é, sem ressentimentos, mas vocês continuam barulhentos mesmo depois de mortos. Crente — Deus falou com você, um ateu, antes de falar comigo, um de seus fiéis servos? Ateu — Sim, o Velho é gente fina. Meio lacônico, mas simpático. Concordou comigo quanto aos crentes serem muito barulhentos. Crente — Eu não passei a minha vida orando, jejuando, lendo a Bíblia, evitando o pecado, indo naquela porcaria de igreja três vezes por semana, usando aquelas roupas ridículas para chegar aqui e encontrar um monte de ateus se dando bem! Ateu — Pô cara, vá dizer que você preferia me ver queimando no inferno? Você vivia dizendo que era meu irmão e que me amava… Crente — Te amava o cacete! Você era um ímpio, um escarnecedor, devia estar no lago de fogo que nunca apaga! E não aqui, furando a fila dos santos para falar com Deus. Ateu — Mas eu nunca fiz mal para ninguém, todo mundo dizia que eu era um bom sujeito… Até você! Crente — Você nunca aceitou o senhor Jesus como salvador, não acreditava na palavra de Deus, não se arrependeu dos seus pecados. Tinha que estar queimando no inferno, tinha… tinha… Ateu — Mas quando eu falei com o Velho ontem… Crente — Não se refira ao senhor nosso Deus por apelidos! Ou se refira, sei lá… Dá na mesma… Que diferença faz? Você está aqui no Céu e não devia…
  3. 3. Ateu — O Velho não esquentou em ser chamado assim e nem com as coisas que você falou antes, disse que tava tudo bem, que ele não tá mais ligando muito para estas coisas aí de salvação, Bíblia… Crente — Toda a minha vida… Toda a minha vida… Ateu — Pô meu, você tá chateado mesmo hein? Posso fazer algo para te ajudar? Crente — Pode… Ateu — E o que é? Crente — Vai pro Inferno! Estou certo que os crentes, crentes prá caramba que lerem isto não ficarão preocupados. Não é este texto que vai abalar a fé deles num Deus que nunca os privaria de ver quem desacreditava de suas crenças queimando por toda a eternidade.

×