WebShoppers 15ª Edição

286 visualizações

Publicada em

15ª edição do relatório WebShoppers gerado pela E-bit.
Dados do mercado online

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

WebShoppers 15ª Edição

  1. 1. 2 e-bit – todos os direitos reservados 2 e-bit – todos os direitos reservados Índice O que é Web Shoppers................................................................................................................... A e-bit............................................................................................................................................ Dados Web Shoppers: Metodologia................................................................................................ Estrutura do Relatório..................................................................................................................... Parte I – Balanço de 2006............................................................................................................... Satisfação de Compra X Entrega no Prazo Datas especiais e produtos mais vendidos Movimentações do mercado em 2006 Parte II – Meios de pagamento mais utilizados na internet.......................................................... Parte III – Hábitos de Consumo na internet.................................................................................. Parte IV – Expectativas para 2007................................................................................................. Sobre a e-bit.................................................................................................................................. Sobre o Itaú................................................................................................................................... Sobre a camara-e.net.................................................................................................................... Contatos........................................................................................................................................ 03 04 06 07 08 17 20 22 26 28 29 30
  2. 2. 3 e-bit – todos os direitos reservados 3 e-bit – todos os direitos reservados O que é o Web Shoppers Uma iniciativa da e-bit, o Web Shoppers tem como objetivo difundir informações essenciais para o entendimento do comportamento dos internautas brasileiros e sua relação com o e-commerce. O Web Shoppers analisa a evolução do comércio eletrônico, as mudanças de comportamento e preferências dos e-consumidores e também procura encontrar pontos a serem melhorados no desenvolvimento do e-commerce brasileiro.
  3. 3. 4 e-bit – todos os direitos reservados 4 e-bit – todos os direitos reservados A e-bit Empresa de pesquisa e marketing online, a e-bit foi criada para auxiliar empresas a atrair, manter e rentabilizar clientes, aumentando a utilização da internet como canal de relacionamento. Através de um sofisticado sistema de coleta de dados, a e-bit gera diariamente informações detalhadas sobre o comércio eletrônico, a partir de dados do próprio consumidor online após a efetivação de compras em mais de 700 lojas virtuais brasileiras. Desde Janeiro de 2000, a e-bit já coletou mais de 4 milhões de questionários de avaliações de e-consumidores. Além de avaliações de lojas virtuais e informações do comércio eletrônico, a e-bit também presta serviços de consultoria e pesquisa de mercado online e e-mail marketing por meio de uma série de produtos inovadores como: Consultoria em e-Business e Usabilidade – A e-bit, devido ao grande conhecimento do mercado online brasileiro, desenvolve para empresas consultoria em e-business com foco em Usabilidade. Desde o planejamento das ações, análise de Benchmarking, elaboração de Arquitetura de Informação e Wireframes, passando por análises setoriais e realizando Testes de Usabilidade, a equipe de Consultoria da e-bit ajuda seu negócio a obter resultados mais expressivos utilizando a plataforma Web. bitSurvey – A pesquisa de mercado é uma ferramenta valiosa na hora da tomada de decisão de sua empresa. Fazê-las pela internet torna o processo mais rápido, barato e fácil de segmentar, atingindo respostas confiáveis de maneira mais ágil. A e-bit também é pioneira no Brasil em desenvolver estudos que combinam a interatividade do meio online com os métodos tradicionais de pesquisa por Focus Group ou telefone. Além disso, a e-bit desenvolve pesquisas Ad-hoc utilizando seu painel com mais de 500 mil respondentes formado por consumidores virtuais. Inteligência de Mercado – Os relatórios de Inteligência do Mercado de e-commerce permitem que sua empresa esteja sempre à frente de novas oportunidades de negócios, tomando decisões rápidas e certeiras. bitConsumidor – Programa gratuito de avaliação de lojas virtuais. O sistema da e-bit funciona sete dias por semana, 24 horas por dia e permite que você conheça a opinião dos seus consumidores a respeito de sua loja.
  4. 4. 5 e-bit – todos os direitos reservados 5 e-bit – todos os direitos reservados A e-bit Velobit – O Velobit permite à sua empresa enviar e administrar campanhas de e-mail marketing personalizadas, com rapidez e eficiência. Com o Velobit, você pode fidelizar seu cliente, convidando-os a visitar sua empresa, a comprar de você, a recomendá-lo para outros clientes e controlar as ações destes clientes. Utilizando a plataforma Web, o Velobit proporciona que todo o gerenciamento da campanha, desde o cadastramento até a análise do retorno, seja feito de maneira online. Publicidade – O site da e-bit (www.ebit.com.br) é um canal direto de comunicação com um público altamente qualificado. Formado em 90% por e-consumidores, o público do site é ideal para ações de divulgação de produtos e serviços no ambiente online. Comercializada em diferentes pacotes para empresas de todos os tamanhos e de qualquer segmento, a Publicidade e-bit é o produto certo para que sua empresa atinja todas as metas. bitMail – O bitMail permite que você se comunique por e-mail com um público altamente qualificado, de alto poder aquisitivo e que está acostumado a comprar e utilizar a internet como meio de comunicação, obtendo altas taxas de retorno em suas ações, como promoções, vendas e campanhas específicas. A e-bit respeita todos os códigos de ética para envio de e-mails, por isso, todos os cadastros são realizados com duplo opt-in e são identificados por meio de CPF, o que garante a unicidade da base. Com essa 15ª edição do Web Shoppers, a e-bit espera contribuir para o desenvolvimento da internet e do comércio eletrônico no Brasil. Boa Leitura, Equipe e-bit
  5. 5. 6 e-bit – todos os direitos reservados 6 e-bit – todos os direitos reservados Dados Web Shoppers: Metodologia O Web Shoppers, em sua 15ª edição, utiliza informações provenientes das pesquisas realizadas pela e-bit junto de mais de 700 lojas virtuais e ao seu painel de e-consumidores. Pesquisa bitConsumidor Desde Abril de 2000 a e-bit já coletou mais de 4 milhões de questionários respondidos após o processo de compras online pelo sistema bitConsumidor. Mensalmente, agrega a este volume mais de 100.000 novos questionários. Os dados da e-bit são coletados junto aos compradores online, imediatamente após sua experiência de compra. O bitConsumidor permite que, além de avaliar a loja e a experiência de compra, os compradores avaliem também o pós-venda, o serviço de atendimento e a probabilidade de retorno à loja virtual. Essas informações, compiladas, geram mensalmente relatórios de Inteligência de Mercado que indicam o perfil sócio demográfico do e-consumidor, bem como os produtos mais vendidos, meios de pagamento mais utilizados, entre outras informações. Pesquisa Hábitos de Consumo na internet A pesquisa Hábitos de Consumo na internet desta edição foi realizada durante os dias 18 e 22 de janeiro de 2007 com o objetivo de avaliar as diferenças e semelhanças no perfil de compra e hábitos desses e-consumidores. Um e-mail convite foi enviado para cerca de 100 mil pessoas cadastradas na base de dados da e-bit com um link para acesso ao questionário. Dos e-mails enviados, durante o período de coleta, foram respondidos 9.086 questionários.
  6. 6. 7 e-bit – todos os direitos reservados 7 e-bit – todos os direitos reservados Estrutura do relatório Balanço de 2006 Meios de pagamento na internet Pesquisa Hábitos de Consumo na internet Expectativas para 2007
  7. 7. 8 e-bit – todos os direitos reservados 8 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006
  8. 8. 9 e-bit – todos os direitos reservados 9 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 Raio-X 2006 Comodidade, praticidade e velocidade na consulta e comparação de produtos e preços são alguns dos fatores que, fazem com que o crescimento do comércio eletrônico no Brasil seja, cada vez mais, constante. Essas vantagens e benefícios oferecidos por esse promissor canal de compras têm sido os motivos que levam os consumidores e varejistas a procurarem essa alternativa para a comercialização de produtos e serviços. Analisando-se o fechamento de 2006, calculou-se um faturamento de R$ 4,4 bilhões para o segmento de e-commerce, o que resultou em um crescimento nominal de 76% em relação a 2005, e representa o mesmo valor faturado na soma do fechamento de 2001 até 2004. O valor médio anual gasto em cada compra foi R$ 296, porém com a mudança na preferência dos e-consumidores por compras de produtos com maior valor agregado como aparelhos eletrônicos e celulares, a tendência é que fique acima de R$ 300 para compras virtuais em 2007. Devido ao crescimento na base de e-consumidores e no aumento do uso do canal, o setor fechou o ano com seis milhões de pedidos a mais que em 2005 atingindo o resultado de 14,8 milhões de compras ao longo de doze meses. Tendência que deve acompanhar o percentual de crescimento do faturamento nos próximos anos. Na lista dos produtos mais vendidos em 2006, a categoria de Livros, Revistas e Jornais permaneceu na liderança com 17% de representatividade. Em segundo lugar, os Títulos de CD, DVD e Vídeo representaram 16%. Produtos de maior valor agregado que se encaixam na categoria de Eletrônicos, como TV’s, Aparelhos de Som, Vídeo ou DVD, ocuparam a terceira posição no ranking com 15% de representatividade. A tendência é que essa categoria continue a subir de posição nos próximos anos, já que na medida em que, os internautas adquirem uma maior confiança no canal, com a utilização de banda larga e serviços bancários, eles passem gradativamente a se tornarem e-consumidores de produtos mais caros.
  9. 9. 10 e-bit – todos os direitos reservados 10 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 Raio-X de 2006 (Brasil) * Participação por quantidade de pedidos Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 910.450 pesquisas de 01/01/06 a 31/12/06 7 milhões de e-consumidores Em 2001, eram pouco mais de 700 mil os adeptos às compras virtuais. Atualmente, após 5 anos, sete milhões de pessoas já tiveram, pelo menos, uma experiência de compra em alguma loja virtual brasileira. Isso significa dizer que no ano de 2006 houve um crescimento de 46% em relação ao ano anterior na base total de e-consumidores. Cartão de CréditoForma de pagamento mais utilizada Livros, Revistas e Jornais – 17% Títulos de CD, DVD e Vídeo – 16% Eletrônicos – 15% Produtos mais vendidos* 700%Crescimento em relação a 2001 76%Crescimento em relação a 2005 R$ 296Tíquete médio R$ 4,4 biFaturamento
  10. 10. 11 e-bit – todos os direitos reservados 11 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 O percentual de participação do público feminino vem crescendo ao longo dos anos e, em 2006 subiu, em relação a 2001, quatro pontos percentuais, atingindo 43% de representatividade. Já em relação à faixa de idade da maioria dos e-consumidores, o número se manteve estável com 70% entre 25 e 49 anos realizando pedidos pela rede. No Brasil, São Paulo ainda é o estado com o maior número de pessoas que fazem compras pela internet. Só para se ter uma idéia, nas vendas compreendidas entre 15 de novembro e 23 de dezembro (período de Natal), as compras no varejo virtual com destino para o Estado representaram 40% de participação no volume dos pedidos do comércio eletrônico nacional. Só na capital paulista, as vendas de Natal representaram 20% do total. Evolução do n° de e-consumidores 1,1 mi 2 mi 2,6 mi 3,4 mi 4,8 mi 7 mi 2001 2002 2003 2004 2005 2006 Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 2.777.607 pesquisas de Janeiro de 2001 a Dezembro de 2006
  11. 11. 12 e-bit – todos os direitos reservados 12 e-bit – todos os direitos reservados Por outro lado, nota-se que a quantidade de novos compradoresPor outro lado, nota-se que a quantidade de pessoas que aderiram ao e-commerce em 2006 não acompanharam a distribuição geográfica que geralmente ocorre com as vendas online. No ano passado, o número de pessoas das regiões Norte, Nordeste, Centro- Oeste e Sul que aderiram ao canal web foi percentualmente maior do que a região Sudeste do país. Esses números podem ser explicados se levarmos em consideração o fato de que pessoas que residem na região Sudeste terem sido privilegiadas com acesso a era digital antes das outras regiões levando ao pioneirismo nas compras virtuais. 14%12%Sul 8%7%Centro-Oeste 5%4%Norte 65% 12% Market Share por região* Novos e-consumidores por região*Região 59%Sudeste 15%Nordeste Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 910.450 pesquisas de 01/01/06 a 31/12/06 * Participação por quantidade de pedidos Balanço de 2006
  12. 12. 13 e-bit – todos os direitos reservados 13 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 Satisfação de Compra X Entrega no Prazo O número de e-consumidores satisfeitos com as compras realizadas pela internet é grande – cerca de 86%, segundo o índice e- bit/PwC - porém ainda há muito que fazer para aperfeiçoar o segmento e se preparar para a entrada de cada vez mais clientes. O envio, manuseio dos produtos e a qualidade no atendimento a clientes e, principalmente, a entrega no prazo das compras realizadas na internet são os fatores que mais influenciam no índice de satisfação e-bit/PwC. O cálculo da satisfação é composto por 10 quesitos que consideram, além da entrega no prazo e o atendimento a clientes, questões como a Facilidade em comprar e a Navegação do site, bem como as informações dos Produtos e a Política de Privacidade do site. Com a evolução do comércio eletrônico no Brasil e o amadurecimento do mercado, os consumidores tornam-se cada vez mais exigentes. Por isso, apesar do crescimento do setor, o índice de satisfação continua na casa dos 86%. Em meses onde há uma piora do serviço de entrega, a satisfação com o mercado tende a baixar. Dessa maneira, corresponder às expectativas do e-consumidor em relação a esses fatores é imprescindível para que a probabilidade dele voltar a comprar na loja aumente, assim como se aumentam as chances de recomendação do canal para amigos e parentes. Datas comemorativas Em 2006, o Dia das Mães, Pais e o Natal que geralmente são as datas mais importantes tanto do varejo tradicional quanto do virtual, ganharam um reforço extra representado pela Copa do Mundo de futebol que ajudou a impulsionar as vendas e aumentar o índice de faturamento no primeiro semestre, registrando R$ 690 milhões em vendas, principalmente de artigos Eletrônicos, com destaque para Televisores Tela Plana, LCD e de Plasma e Home Theathers.
  13. 13. 14 e-bit – todos os direitos reservados 14 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 O Natal, considerado de 15/11 a 23/12 para o varejo online, foi responsável pelo faturamento mais significativo de 2006, R$ 750 mi, representando cerca de 17% no faturamento anual. O segundo lugar foi ocupado pelo Dia dos Pais quando, no período de 30/07 a 14/08, o setor movimentou R$ 215 mi, cerca de 5% do faturamento do ano. Um fato importante a ressaltar é que o Dia dos Pais de 2006 cresceu 112% em relação ao mesmo período de 2005, quando a data movimentou R$ 101 mi. No ranking dos mais vendidos algumas categorias que geralmente são bastante afetadas dependendo da ocasião não tiveram tanta influência nesse ano. No Dia das Crianças, por exemplo, a categoria de Brinquedos, que geralmente conta com uma representatividade maior em comparação com o restante do ano, não foi a preferida das crianças. Na ocasião, elas optaram por ganhar telefones celulares, vídeo games e artigos de informática. Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Telefonia Celular 9% 53% R$ 700 mi 15/11/06 a 23/12/06 Natal Informática 11% 81% R$ 196 mi 28/09/06 a 12/10/06 Dia das Crianças Informática 8% 98% R$ 172 mi 28/05/06 a 13/06/06 Dia dos Namorados Saúde e Beleza 10% 92% R$ 177 mi 23/04/06 a 09/05/06 Dia das Mães Informática 10% 112% R$ 215 mi 30/07/06 a 14/08/06 Dia dos Pais 4° Produto mais vendido Crescimento em relação a 2005 Faturamento Período
  14. 14. 15 e-bit – todos os direitos reservados 15 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 Movimentações do mercado em 2006 O mercado brasileiro de internet, nos últimos anos, apresenta taxas de desenvolvimento e crescimento constantes e, com isso, desperta a atenção e o interesse de muitas empresas, sejam elas empresas tradicionais (que atuam basicamente no mundo físico) e empresas que são voltadas ao canal virtual. Assim, o ano de 2006 foi marcado por grandes movimentações. Empresas compraram outras empresas, algumas estrearam seu primeiro site de vendas e outras empresas realizaram uma fusão das suas operações. Entre os destaques desse ano, citamos o ingresso ao mundo virtual de lojas como Pernambucanas e Marabraz, tradicionais varejistas que passaram a vender seus produtos também pela internet. Além disso, a compra da Travel Web e da Ingresso.com pelo Submarino também foram importantes movimentações do ano passado. Dois dos maiores sites de comparação de preços do Brasil, Bondfaro e Buscapé, também unificaram suas operações em maio de 2006, apesar de manterem suas marcas separadas. Outro acontecimento de 2006 que não pode deixar de ser mencionado no balanço do ano foi o anúncio da possível fusão entre as duas maiores empresas de comércio eletrônico do país: Submarino e Americanas.com. O negócio, caso aprovado pelo CADE, criará uma nova companhia, a B2W – Companhia Global de Varejo – que será responsável por aproximadamente 50% de todo o faturamento do e-commerce brasileiro. A estratégia, anunciada em 23 de novembro de 2006, foi armada não apenas para disputar a preferência dos e-consumidores, mas também para transformar a internet em um poderoso concorrente do varejo tradicional e internacional.
  15. 15. 16 e-bit – todos os direitos reservados 16 e-bit – todos os direitos reservados Balanço de 2006 Segundo as empresas, os dois sites continuarão existindo e a nova empresa espera adotar uma política de varejo multi-canal, conquistando clientes que desejam fazer suas compras pela internet, Televendas, Catálogo, etc. Flavio Jansen R$ 59,2 mi R$ 2,7 bi 21% R$ 563 mi 1999 Capital pulverizado Submarino Anna Saicali R$ 15,4 mi R$ 3,1 bi 35% R$ 1,03 bi 1999 Lojas Americanas S/A Americanas.com Anna Saicali e Flavio JansenPresidência R$ 74,6 miLucro 2006 ----Valor de mercado 56%Fatia de mercado R$ 1,59 biFaturamento 2006 2006Fundação Lojas Americanas S/AControlador B2W Companhia Global de Varejo Fusão Submarino e Americanas.com Fonte: O Estado de S. Paulo – 24/11/2006 Folha de S. Paulo – 24/11/2006 O Globo – 24/11/2006 Valor Econômico – 24/11/2006 Meio & Mensagem – 27/11/2006 Revista Veja – 29/11/2006
  16. 16. 17 e-bit – todos os direitos reservados 17 e-bit – todos os direitos reservados Meios de Pagamento na internet
  17. 17. 18 e-bit – todos os direitos reservados 18 e-bit – todos os direitos reservados Meios de pagamento na internet Com relação ao meio de pagamento preferido do e-consumidor pouca coisa mudou. Os adeptos às compras virtuais de bens de consumo continuam utilizando com maior freqüência o cartão de crédito, representando 73% no volume de transações das compras feitas pela rede. Em segundo lugar, observamos uma menor participação dos boletos bancários - cerca de 13% - como opção de pagamento utilizado pelos ‘web shoppers’ nas compras por esse canal. Pagamentos em cheque ou dinheiro têm um índice bem menor na preferência dos e-consumidores. Talvez, por gerarem um processo logístico mais demorado e menos aceito, além de ser um meio de pagamento conceitualmente menos adequado ao ambiente virtual. 1% 1% 12% 68% 3% 3% 2% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% Dinheiro Cheque Cartão de débito Transferência eletrônica Depósito bancário Boleto bancário Cartão de crédito Meios de pagamento na compra de bens de consumo na internet em 2006 – Volume Financeiro Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 910.450 pesquisas de Janeiro de 2006 a Dezembro de 2006
  18. 18. 19 e-bit – todos os direitos reservados 19 e-bit – todos os direitos reservados Meios de pagamento na internet O valor médio gasto em compras na internet esse ano foi de R$ 296, pouco mais de 3% de aumento em relação à média atingida no ano anterior (R$ 287). Esse número compreende a média do valor gasto em bens de consumo pelos e-consumidores em todos os pedidos feitos pela internet, sejam eles de produtos com baixo valor agregado como CD´s, por exemplo, até produtos mais caros, como Televisores de Plasma. Essa pequena variação no valor do tíquete médio pode ser relacionada com a queda de preços na internet. Medido pelo e-flation – índice que registra a movimentação de preços e produtos consumidos de maneira online, calculado pelo PROVAR e o Canal Varejo, o valor dos produtos vendidos pela internet contabilizou 8,13% de deflação. Isso significa dizer que os e-consumidores realmente puderam comprar mais produtos durante o ano de 2006. Quando observamos o valor do tíquete médio por meio de pagamento, percebemos que os pagamentos efetuados com cheque têm um tíquete médio maior – R$ 351 – do que o das compras pagas com cartão de crédito – R$ 310 –, apesar da freqüência desse último ser maior na rede. Pagamentos com cartões de débito, apesar de ainda terem pequena participação, também apresentam um tíquete médio alto, cerca de R$ 310.
  19. 19. 20 e-bit – todos os direitos reservados 20 e-bit – todos os direitos reservados Pesquisa de Hábitos de Consumo na internet
  20. 20. 21 e-bit – todos os direitos reservados 21 e-bit – todos os direitos reservados Pesquisa Hábitos de Consumo na internet Os hábitos de consumo e a freqüência de compra na internet podem variar de acordo com o perfil de cada internauta, principalmente quando comparamos faixas etárias bastante distantes uma da outra. No entanto, uma pesquisa realizada pela e-bit em janeiro de 2007 revela que apesar disso, a internet, independentemente da idade, tornou-se um importante canal para atualizar-se sobre o que acontece no mundo para todas as faixas etárias. Segundo revela a pesquisa, para o público mais jovem (até 35 anos) preços competitivos, promoções, descontos e brindes são fatores determinantes para que eles adquiram mais produtos pela internet, representando quase 70% dos motivos que fazem com que realizem mais ou menos compras no canal. Em contrapartida, preocupações com a segurança na hora da transação é o que determina o número de compras que o público mais velho (entre 36 e 59 anos) fará ao longo do ano. Além disso, a pesquisa mostrou também que quase 50% dos jovens (até 35 anos) apresentam-se mais ansiosos e exigentes com relação ao prazo de entrega dos produtos adquiridos no canal do que o público mais velho, principalmente por efetuar o pagamento antes de receber a mercadoria. A pesquisa também constatou que 40% das pessoas que fazem compras pela rede, independentemente da faixa etária em que se encaixam, visita alguma loja física antes de se decidirem pela compra na internet. Porém, para as faixas etárias mais jovens (até 35 anos), mesmo que a internet não seja o canal escolhido para comprar, ela serve como ferramenta de pesquisa para 30% deles mesmo antes de adquirir algum produto em loja física. Observou-se também que a maioria dos serviços disponíveis na rede como sites de relacionamento, blogs e download de músicas ou filmes, com exceção de e-mail, internet banking, compras e portais são utilizados principalmente pelo público com até 25 anos. Esse fato pode ser explicado pela experiência elevada de navegação que esse público tem já que a utilização de internet é um hábito que sempre fez parte do dia a dia dessa geração. Para mais informações sobre a pesquisa, envie um e-mail para negocios@ebit.com.br.
  21. 21. 22 e-bit – todos os direitos reservados 22 e-bit – todos os direitos reservados Expectativas para 2007
  22. 22. 23 e-bit – todos os direitos reservados 23 e-bit – todos os direitos reservados Previsão para 2007 Considerando o grande percentual de crescimento que o comércio eletrônico brasileiro vem registrando desde seu estabelecimento como um poderoso canal de compras, a estimativa para o ano de 2007 é que o faturamento cresça 45% em relação à 2006 e atinja R$ 6,4 bi em vendas de bens de consumo realizadas diretamente ao consumidor final (B2C). R$ 6,4bi R$ 4,4bi R$ 2,5bi R$ 1,75bi R$ 1,2bi R$ 850mi R$ 550mi 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007* Expectativa de crescimento para 2007 Faturamento *2007 previsão Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 2.777.607 pesquisas de Janeiro de 2001 a Dezembro de 2006 45%
  23. 23. 24 e-bit – todos os direitos reservados 24 e-bit – todos os direitos reservados Previsão para 2007 Mais uma vez, o fator que deverá impulsionar o comércio eletrônico no Brasil em 2007 é a adesão de consumidores às vantagens oferecidas pela internet, como comodidade, praticidade e velocidade. A estabilização do dólar e a inserção da classe C no e-commerce por meio de projetos de inclusão digital e o aumento de vendas de computadores populares também devem contribuir para o crescimento do setor. Com isso, a expectativa é que quase 3 milhões de pessoas, que possuem acesso à internet e nunca fizeram suas compras sem sair de casa utilizando seu computador, experimentem pela 1ª vez os serviços oferecidos pelas lojas virtuais brasileiras. 9,8mi 7,0mi 4,8mi 3,4mi 2,6mi 1,7mi 1,1mi 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007* Expectativa de crescimento para 2007 N° e-consumidores *2007 previsão Fonte: Grupo de pesquisas e-bit (www.ebitempresa.com.br) Base amostral: 2.777.607 pesquisas de Janeiro de 2001 a Dezembro de 2006 40%
  24. 24. 25 e-bit – todos os direitos reservados 25 e-bit – todos os direitos reservados Além disso, no ranking dos produtos mais vendidos, as posições devem sofrer alterações ao longo do ano, já que a compra de produtos com maior valor agregado, devido ao aumento da utilização do canal para compras e conseqüentemente com o aumento na confiança do canal, têm crescido significativamente. Dessa maneira, algumas variações são esperadas também para o Tíquete Médio. Ainda em relação aos produtos mais vendidos pela internet, a expectativa é de que a categoria de CD’s, DVD’s e Vídeo perca definitivamente a primeira posição (fato que ocorreu em alguns meses de 2006), principalmente devido à concorrência dos novos formatos digitais para o consumo e utilização de música e vídeo. Ao que tudo indica, o horizonte do comércio eletrônico é bastante promissor. É de se esperar que a barreira da insegurança seja, aos poucos, superada. E cada vez mais, novos consumidores deverão passar a fazer parte desse mercado. Devido ao grande potencial do setor e ao desenvolvimento do mercado no Brasil, com a entrada de novos varejistas no comércio eletrônico, principalmente daqueles que já possuem marcas fortes no mundo tradicional, para os próximos três anos, o comércio eletrônico ainda deve exibir taxas de crescimento acima dos 30% e cada vez mais aumentar sua representatividade e importância para o faturamento do varejo no país. Previsão para 2007
  25. 25. 26 e-bit – todos os direitos reservados 26 e-bit – todos os direitos reservados
  26. 26. 27 e-bit – todos os direitos reservados 27 e-bit – todos os direitos reservados Sobre a e-bit A e-bit é uma empresa de pesquisa e marketing online fundada com a missão de auxiliar empresas a atrair, manter e rentabilizar seus clientes, alavancando a utilização da internet como um poderoso canal de relacionamento. As informações sobre e-commerce da e-bit são coletadas junto a consumidores após realizarem compras em mais de 700 lojas virtuais. De abril de 2.000 a dezembro de 2006, a e-bit já coletou mais de 4 mi de avaliações de e-consumidores. Além de avaliações de lojas virtuais, cuja classificação é divulgada em seu site (www.ebit.com.br), a e-bit também presta serviços de pesquisa quantitativas e qualitativas, gerenciamento de campanhas de e-mail marketing, além de relatórios de inteligência de mercado, Testes de Usabilidade e Consultoria em estratégias Web. Para saber mais sobre os serviços da e-bit, consulte o site www.ebitempresa.com.br. Principais clientes WebmotorsVideolarToymaniaTicket Serviços Sul America SegurosSubmarinoSanofi-AventisQuestex PreviPonto FrioPhilipsPernambucanas Pão de AçúcarNestléMSDMagazine Luiza Livraria CulturaItaú CardItaúIlumina IBCGOLExtra.comEletrodireto Editora GloboEditora AbrilEasyFotosDrogaRaia CyrellaCVCCompra FacilCNI ClaroCiti CardCetelem Braskem BradescoBanco RealBanco do BrasilAmericanas.com
  27. 27. 28 e-bit – todos os direitos reservados 28 e-bit – todos os direitos reservados Sobre o Itaú O Banco Itaú Holding Financeira S.A. (Itaú) é um dos maiores bancos da América Latina, com ativos consolidados de R$ 206,9 bilhões, patrimônio de R$ 21,7 bilhões e capitalização de mercado de R$ 76,8 bilhões (30/09/06), a maior da América Latina. Com 58,9 mil funcionários, o banco possui mais de 3,3 mil pontos de atendimento bancário, mais de 22,7 mil caixas eletrônicos e 17 milhões de clientes. Entre os bancos brasileiros, o Itaú é líder nos segmentos de alta renda, private banking, corporate e cartões de crédito, um dos produtos de maior crescimento do mercado financeiro para pessoas físicas, com 21% de market share*. Ao final de setembro de 2006, o total de cartões emitidos pelo Itaú em circulação somava 13,3 milhões de unidades, movimentando no período R$ 26,4 bilhões de faturamento. *Não inclui BankBoston A A e-bit agradece o Itaú pelo apoio e colaboração na divulgação da 15ª edição do Relatório Web Shoppers.
  28. 28. 29 e-bit – todos os direitos reservados 29 e-bit – todos os direitos reservados Sobre a camara-e.net A Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), fundada em 07 de maio de 2001, é a principal entidade multi-setorial da Economia Digital no Brasil e América Latina, voltada ao negócio eletrônico como fator estratégico de desenvolvimento econômico sustentável no século XXI. Sua missão é a de capacitar indivíduos e organizações para a prática segura dos negócios eletrônicos, através da geração e difusão de conhecimento de vanguarda, bem como defendendo posições de consenso frente aos principais agentes públicos e privados, nacionais e internacionais, relacionados ao fomento das tecnologias da informação e comunicação. Entre as principais prioridades da camara-e.net está a formulação e proposição de políticas públicas, regulatórias e de mercado, que incentivem a produção e a universalização dos benefícios das tecnologias de informação e comunicação. Os 160 sócios da entidade representam empresas líderes dos principais setores da economia brasileira e mundial. Acesse www.camara-e.net. A e-bit agradece a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico pelo apoio e colaboração na divulgação da 15ª edição do Relatório Web Shoppers.
  29. 29. 30 e-bit – todos os direitos reservados 30 e-bit – todos os direitos reservados Contatos www.ebitempresa.com.br Pedro Guasti negocios@ebit.com.br 55 11 3047-4999 www.camara-e.net Manuel Matos Manuel.matos@camara-e.net 55 11 3231-0445 Apoio: www.itau.com.br Fernando Chacon imprensa@itau.com.br 55 11 5019-8880

×