Qi Gong Yi Jin Jing ( Troca de tendões e músculos )

4.147 visualizações

Publicada em

Qi Gong Yi JIn Jing (Troca de tendões e músculos)

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • muito bom, Rogério! parabéns pela iniciativa! e muito obrigado!!!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.147
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
336
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Qi Gong Yi Jin Jing ( Troca de tendões e músculos )

  1. 1. 1 Uma das grandes contribuições da cultura Chinesa antiga foi o descobrimento de que é possível seguir e analisar com muita precisão todos os caminhos da energia do corpo humano. Estes conhecimentos podem ser utilizados como base da medicina preventiva e de tratamento de enfermidades. Os médicos e filósofos mais famosos da China tem contribuído muito para as análises e aplicações práticas do sistema de energia do corpo. A partir destes estudos surgiram as características distintas da Medicina Tradicional Chinesa incluídas nas mais variadas técnicas curativas e principalmente no sistema de exercícios do Qi Gong que fortalece o corpo internamente. A energia circula através de todo o corpo por canais que o ocidente chama de “meridianos”, que funcionam de forma similar ao sistema cardiovascular, só que através de redes mais finas. O Qi ou Chi é a substância básica para manter todas as atividades do corpo. Qi ou Chi significa Energia. (Troca de músculos e tendões )
  2. 2. 2 Histórico Conta a história, que o Imperador Liang Wu da Dinastia Liang preocupado com os ensinamentos religiosos de seu povo, convidou um monge Indiano de nome Budhidharma ( Da Mo ), que havia sido príncipe de uma pequena tribo no sul da Índia, para ir á China e pregar os preceitos Budistas no ano de 540 d.C. Mas o imperador não gostou da filosofia de Da Mo, que ia contra seus interesses, assim Da Mo vendo que seus préstimos não eram mais aceitos retirou-se e atravessou o Rio Amarelo para chegar ao Templo de Shaolin. Chegando no Templo ele viu que muitos dos monges eram fracos, doentes e adormeciam durante as mais simples meditações. Retirou-se do templo e decidiu então meditar para descobrir como ajudar os monges. Depois de nove anos a meditar numa caverna, ele escreveu dois clássicos, o Yi Jin Jing (o Clássico da Troca dos Músculos e Tendões) e o Xi Sui Jing ( o Clássico da Lavagem do Cérebro e da Medula) e começou a ensinar aos monges. Com algum tempo de prática, perceberam que o treino não só os tornavam mais fortes como também os faziam mais saudáveis. Depois da morte de Da Mo, os monges de Shaolin continuaram a praticar os seus métodos, especialmente o Yi Jin Jing, para fortalecer o corpo e o espirito. Quando combinaram o treino do Qi com as técnicas tradicionais de defesa, tornaram-se lutadores muito eficientes. Assim as técnicas de Da Mo se espalharam além do Templo de Shaolin. De acordo com os documentos disponíveis, antes da Dinastia Liang (540 d.C.), os artistas marciais não estudavam como usar o Qi para aumentar a velocidade e a força. Depois da Dinastia Liang os artistas marciais perceberam a importância do treino do Qi para desenvolverem a velocidade e a força, tornando-se uma das maiores preocupações em quase todos os estilos, mesmo que os princípios do Qi fossem largamente estudados e aplicados na medicina Chinesa, não eram usados nas artes marciais. A velocidade e a força eram geralmente desenvolvidos pelo treino continuado. Mesmo que o treino desse ênfase à concentração da mente, eles não deram o passo seguinte que liga isso ao desenvolvimento do Qi. Em vez disso eles concentraram-se apenas na força muscular. Por esta razão, são classificados de estilos externos. O Yi Jin Jing originalmente não foi criado para combater. No entanto os estilos de Qi Gong marciais foram criados apartir dele, como tal tornou-se uma disciplina necessária no templo de Shaolin. Isto teve um efeito revolucionário nas artes marciais Chinesas, graças a Da Mo, a partir da Dinastia Liang muitos outros estilos de Qi Gong marciais foram criados e conduzidos ao estabelecimento de uma fundação interna baseada no treino do Qi. Budhidharma foi o iniciador do Budismo Chan na China que logo se transmitiu ao Japão. Da Mo pertencia a escola Budista Mahayana e acredita-se que ele havia nascido no ano de 483 d.C. Após a Dinastia Liang os exercícios do Yi Jin Jing e de outras técnicas criadas a partir dele, foram aperfeiçoadas até poucos séculos atrás. Este método de exercício é resultado de combinações de sistemas criados por mestres Budistas e Taoista. Há varias escolas que ensinam o Yi Jin Jing com grandes diferenças de posturas e números de posturas, mas todos elas seguem os mesmos princípios criados pelo Monge Da Mo.
  3. 3. 3 Yi Jin Jing A série de exercícios que descrevemos neste material, nos ensinam que a força do exterior e a purificação do interior do corpo devem ser considerados como aspectos de um único método, destinado a unificar a matéria com o espírito. A prática constante destes exercícios desenvolve a vitalidade física e mental, tranqüiliza o espírito, melhora a circulação sangüínea e nutre os meridianos, melhora a flexibilidade dos músculos e tendões e a força dos mesmos e o enraizamento dos pés no solo. Recomendações Quietude Os exercícios requerem quietude e concentração, de outra forma não é possível haver a circulação da energia correta, prestar atenção ao corpo e a respiração. Quando o espírito está calmo, a energia natural penetra e circula no corpo livre e desenpedida. Lentidão A prática das posturas deve ser tranqüila e lenta, só assim é possível flexibilizar a fundo os músculos e tendões e as articulações e permitir que o Qi e o sangue circulem por todo o corpo. Extensão Em cada movimento, os músculos, tendões e articulações não devem ser estirados ao máximo, principalmente nos iniciantes. Pausa A extensão e a contração dos músculos devem ser mantidas por um certo período, para aumentar a eficiência do exercício e permitir a liberação da energia no momento do relaxamento.
  4. 4. 4 Precauções para a prática do Qi Gong. Quando o Qi Gong é utilizado para tratamento, deve ser encarado com o máximo de seriedade. Sendo assim, deve-se respeitar as instruções e praticar e aprimorar o que se aprendeu, sem querer criar ou inventar. • Antes do treino deve-se esvaziar a bexiga e evacuar, se necessário . • Não se deve praticar com o estômago vazio, ou logo após uma refeição pesada. • Refeições leves: a prática pode ser feita após1 hora . • Refeições mais pesadas: após 2 ou 3 horas . • È desaconselhável treinar quando o corpo está muito debilitado e em caso de febre muito alta. • Não se deve concentrar demais de modo tenso . • Deve-se escolher um lugar arejado para a prática. É importante nunca praticar na chuva ou vento muito forte. Não se deve praticar com os cabelos molhados. Caso haja necessidade de sair logo após a prática, se estiver chovendo ou muito frio, será melhor agasalhar-se e aguardar no mínimo 10 a 15 minutos para sair. • Deve-se persistir na prática do Qi Gong, só dessa forma pode-se obter os resultados na íntegra. Sempre que houver dúvidas ou mesmo sentir sensações estranhas, comunique o professor. • Durante o treino o praticante não deve ser interrompido. Escolha um local tranqüilo e arejado e retire todas as possíveis distrações: telefone, animais, e avise as pessoas que você não deve ser interrompido. • Se houver necessidade de uma interrupção procure manter-se tranqüilo e finalize. • Realize a prática no mínimo uma vez por dia. • Caso queira tomar banho, lavar as mão, comer e beber algo ou fazer as necessidades fisiológicas, espere no mínimo 15 minutos após a pratica . • Se após a pratica sentir alguma cólica ou mesmo muita vontade de urinar faça-o, pois pode ser um sinal de desintoxicação. • Evitar fazer Qi Gong se você estiver com hemorragia ou se sofre de anorexia.
  5. 5. 5 A série de exercícios do Yi Jin Jing 36 posturas: divididas em 3 séries 1ª série 12 posturas de alongamentos. 2ª série 12 posturas fechadas ( exercícios de força ). 3ª série 12 posturas abertas ( exercícios de força ). Dicas importantes • Você pode fazer a 2ª e a 3ª série em dias alternados. • O alongamento deve ser feito antes da 2ª ou 3ª série. É ele que vai preparar e aquecer os músculos, tendões e articulações para os exercícios seguintes. • Os alongamentos podem também serem feitos após a 2ª ou 3ª série. • Na 2ª e 3ª série ( exercícios de força ) não se deve esticar totalmente as articulações para não ficarem doloridas e estagnar o Qi. • Iniciantes não devem colocar força excessiva nos exercícios. • A respiração deve acompanhar sempre os exercícios. • Na 2ª e 3ª série ( exercícios de força ) se ficar cansado e ofegante, descansar fazendo o exercício da postura 8 dos alongamentos (foto página 13), após descansado e relaxado, volte a seqüência onde parou. • Os exercícios da 2ª série onde os punhos são contraídos ao soltar o ar, após fazer a contração dos punhos, ao puxar o ar relaxe os dedos abrindo um pouco as mãos entre um exercício e outro ( foto página 18, postura 3 ), isso serve para a circulação de Qi e sangue voltarem a circular normalmente. • Sempre que puxar o ar nos exercícios da 2ª e 3ª série, deve-se contrair o músculo do perineo ( ânus ) e do abdômen juntos, ao soltar o ar relaxe o perineo e o abdômen e contraia os braços.
  6. 6. 6 Aplicação Este estilo de Qi Gong é indicado para pessoas com pouca resistência física, para fortalecimento dos braços e costas e pessoas que sofrem de tendinites nos pulsos e cotovelos, para atletas, massagistas e praticantes de artes marciais. Contra indicações Pessoas que sofrem de hipertensão e portadores de fibromialgias não devem praticar sem a supervisão de um professor de Qi Gong. Por ser um exercício de força, deve-se tomar muito cuidado com esses tipos de doenças, porque pode agravar o problema, só o professor poderá fazer as modificações adequadas para estas pessoas. Preparação para os exercícios do Yi Jin Jing • Procure um lugar arejado para a prática. • Ponta da língua deve tocar o palato duro atrás dos dentes incisivos. • Junte os pés e coloque as palmas no Tan Tien. • Homens: palma esquerda, unir o polegar e o dedo médio e palma direita polegar toca o centro da palma esquerda, foto página 7. • Mulheres: palma direita, unir o polegar e o dedo médio e palma esquerda polegar toca o centro da palma direita, foto página 7. • Feche os olhos e concentre no Tan Tien ( VC 6 ) no mínimo 3 minutos. • Mulheres menstruadas a concentração de ser no VC 17, entre as mamas. • Após o relaxamento abra os olhos, puxe o ar e ao soltar o ar, separe a perna esquerda na abertura dos ombros e comece os exercícios de alongamento. • Após terminar os exercícios junte as mãos do mesmo modo do inicio, colocando no Tan Tien e junte os pés puxando a perna esquerda, feche os olhos e concentre no Tan Tien no mínimo 3 minutos.
  7. 7. 7 Yi Jin Jing Fotos da 1ª série: alongamentos ( 12 posturas ) Preparação Homens: palma esquerda, unir o polegar e o dedo médio e palma direita polegar toca o centro da palma esquerda e coloque as palmas no Tan Tien. Mulheres: palma direita, unir o polegar e o dedo médio e palma esquerda polegar toca o centro da palma direita e coloque as palmas no Tan Tien. Coloque-se na postura de meditação com as palmas no Tan Tien, joelhos levemente flexionados. Feche os olhos e faça respiração profunda, levando a consciência no ponto abaixo do umbigo (aproximadamente a dois dedos abaixo), e fique no mínimo três minutos.
  8. 8. 8 Postura 1 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Postura 1: A partir da postura de meditação abra os olhos, puxe o ar e ao soltar o ar separe a perna esquerda e as mãos na abertura dos ombros ( foto 1 ), puxe o ar em cima ( nariz ), desça os braços estendidos e leve as mãos até onde alcançarem, soltando o ar ( foto 2 ). Volte puxando o ar ( foto 3 ) até chegar à posição ereta e torne a descer soltando o ar, repita o exercício várias vezes. Obs: Nos exercícios de alongamentos a respiração é natural.
  9. 9. 9 Postura 2 Foto 1 Foto 2 Postura 2: Palmas das mãos voltadas uma para outra na altura do peito. Imagine que está segurando uma bola, e à medida que você puxar o ar esta bola cresce fazendo as maõs se afastarem. Ao soltar o ar as mãos apertam a bola que diminui de tamanho, fazendo as mãos se aproximarem sem se juntar. Postura 3 Foto 1 Foto 2 Foto 3
  10. 10. 10 Foto 4 Foto 5 Postura 3: Mão esquerda sobre a cabeça com a palma voltada para cima, mão direita nas costas, na altura do quadril, com a palma virada para baixo ( foto 1 ). Puxe o ar, e ao soltar o ar alongue os braços, mão de cima vai para cima e mão de baixo vai para baixo ( foto 2 ). Puxe o ar levando os braços em posição horizontal ao corpo ( foto 3), mude a posição das mão, direita sobre a cabeça e esquerda na altura do quadril e solte o ar alongando ( fotos 4 e 5). Postura 4 Foto 1 Foto 2 Postura 4: Partindo da postura anterior, desça o braço direito e entrelace as mãos atrás do corpo ( foto 1 ), puxe o ar. Ao soltar o ar, alongue os braços levando as mãos o mais longe possível do corpo ( foto 2 ). Relaxe puxando o ar encostando os braços no corpo e repita várias vezes. Depois inverta as palmas e repita o exercício novamente.
  11. 11. 11 Postura 5 Foto 1 Foto 2 Postura 5: Partindo da postura anterior, separe as mãos ao lado do corpo, braços relaxados, fazendo rotações dos ombros para trás algumas vezes e após faça rotações para a frente. Postura 6 Foto 1 Foto 2 Postura 6: Eleve o braço esquerdo acima da cabeça e o direito por baixo e entrelace os dedos mantendo o alongamento por algumas respirações, e após faça do outro lado.
  12. 12. 12 Importante Obs: Nas posturas de alongamento 7, 11 e 12, onde são feitas as torções de cintura, deve-se prestar atenção aos joelhos, para não machucá-los. Exercício: flexione o joelho do lado da torção e estenda o outro, nunca deixe a lateral do joelho flexionado passar a lateral do pé, deve-se traçar uma linha reta do joelho ao pé, como mostram as fotos.
  13. 13. 13 Postura 7 Foto 2 Foto 1 Foto 3 Postura 7: Partindo da postura anterior, desça o braço direito e entrelace os dedos atrás do corpo ( foto 1 ). Puxando o ar, gire a cintura para a esquerda e dobre o joelho da esquerda levemente para não machucar e alongue os braços levando o mais longe possível do corpo. Ao alongar, solte o ar ( foto 2 ). Repita também para o outro lado ( foto 3 ). Faça esse exercício várias vezes. Após as repetições, inverta as mãos e faça novamente as torções. Postura 8 Foto 1 Foto 2 Postura 8 : Partindo da postura anterior desentrelace os dedos e coloque as palmas na lateral do corpo, vire as palmas para fora elevando os braços até a altura dos ombros puxando o ar ( foto 1 ), vire as palmas para baixo e desça os braços soltando o ar ( foto 2), repita várias vezes e procure fazer este exercício bem tranqüilo e relaxado. OBS: este exercício serve também para descansar entre as posturas da 2ª e 3ª série.
  14. 14. 14 Postura 9 Foto 1 Foto 2 Foto3 Foto 4 Foto 4 a Foto 4 b Foto 5 Foto 6 Postura 9 : Puxe o ar em cima ( Foto 1 ), e desça os braços soltando o ar ( foto 2 ) mantendo os joelhos levemente flexionados, puxe o ar ,entrelace os dedos atrás da nuca ( foto 3 ), levante os cotovelos soltando o ar ( foto 4 e 4 a ). Na hora de levantar os cotovelos, deixe as costas alinhadas ( foto 4 a ) e não force muito a cervical. Solte os braços abaixando-os e puxando o ar ( foto 4 b ), novamente entrelace os dedos atrás da nuca e repita novamente o processo várias vezes. Ao término, encoste o queixo no peito ( foto 5 ), e vá desenrolando lentamente a coluna para não ficar tonto e por último, levante a cabeça.
  15. 15. 15 Postura 10 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Postura 10 : Mãos voltadas para cima na altura da cintura ( foto 1 ), puxe o ar e solte o ar levando as mãos para frente e para cima até a altura do ombro com uma certa força ( foto 2 ), vire as palmas para baixo e volte até a cintura novamente ( foto 1 ), faça isso puxando ar, bem relaxado, e repita a seqüência novamente. Postura 11 Foto 2 Foto 1 Foto 3 Foto 4
  16. 16. 16 Postura 11: Mãos à frente do corpo, na altura do umbigo, mão esquerda em cima e mão direita embaixo como se estivesse segurando uma bola e puxe o ar ( foto 1 ), alongue os braços, esquerdo para o lado esquerdo e o direito para o lado direito, dobre o joelho esquerdo levemente ( foto 2 ) e incline levemente para esse lado, mão esquerda com punho dobrado com o dorso da mão para o rosto e o olhar para o dorso da mão, mão direita apontando para o chão formando uma linha reta com o braço. Ao fazer este alongamento, solte o ar. Volte puxando o ar e inverta a posição das mãos em frente ao corpo ( foto 3 ) e repita a seqüência, agora com as mão alternadas. Postura 12 Foto 1 Foto 2 Postura 12 : Partindo da postura anterior, com o braço direito em cima puxe o ar, torça a cintura e leve a palma direita para o lado esquerdo soltando o ar e flexione o joelho esquerdo, mão direita à frente do rosto, braço dobrado com dorso da mão na altura dos olhos e mão esquerda atrás do corpo com o dorso da mão voltada para os rins, volte puxando o ar e torça a cintura para o lado direito, flexione o joelho direito e inverta as mãos, lembrando sempre de soltar o ar quando estiver torcendo a cintura com o braço em cima.
  17. 17. 17 Yi Jin Jing Fotos da 2ª série : posturas fechadas Postura básica : Pés paralelos a abertura dos ombros, joelhos levemente flexionados, quadril encaixado, cervical também levemente alinhada com a coluna. Respiração abdominal :. Língua sempre tocando o palato duro ( céu da boca ), respiração feita somente pelo nariz, ao puxar o ar contraia o abdômen e o ânus e imagine que a energia entra pela sola dos pés, sobe pela parte de trás das pernas, se encontra no coxis e sobe pela coluna, até o topo da cabeça. Faça isso com os braços relaxados. Ao soltar o ar, vá relaxando o abdômen e o ânus e imagine que a energia desce pela parte da frente e central do rosto, meio do peito e abdômen, até dois dedos abaixo do umbigo ( Tan Tien ). Ao fazer este processo, contraia os braços. Esta técnica e feita em todas as posturas seguintes. OBS: Na 2ª e 3ª série, a postura básica, respiração abdominal e a meditação são muito importantes. Faça-as corretamente. Postura 1 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Foto 3 a Postura 1: Faça a postura básica ( foto 1 e 2 ) e a respiração abdominal. Técnica: ao soltar o ar contraia os antebraços pondo força como se estivesse empurrando algo para baixo e sinta a dificuldade de empurrar e imagine que a energia saia pelas palmas das mãos em direção ao chão. OBS: Mantenha as palmas um pouco côncavas como na foto 3 a, e mantenha sempre os cotovelos levemente flexionados em todos os exercícios seguintes.
  18. 18. 18 Postura 2 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Foto 3 a Postura 2: Postura básica e respiração abdominal. Técnica: seguindo da postura anterior, feche os dedos ( foto 1e 3 ), ao soltar o ar contraia os antebraços e alongue os polegares para trás ( foto 2 e 3 a ), e imagine que a energia sai pelas mãos e pelos polegares. Postura 3 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Foto 4
  19. 19. 19 Postura 3: Postura básica e respiração abdominal. Técnica: Feche agora os polegares e se coloque na posição da foto 1. Ao soltar o ar, contraia os antebraços apertando as mãos ( foto 2 ) e imagine que a energia sai pelos dedos e para baixo. OBS: Ao terminar de apertar as mãos e soltar o ar relaxe os dedos abrindo-os para melhorar a circulação de sangue e Qi ( foto 3 ) até a próxima contração. Os polegares devem tocar a lateral do dedo indicador ( foto4 ). Faça isso em todas as demais posturas seguintes. Postura 4 Foto 1 Foto 2 Postura 4: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar vá subindo os braços lentamente até a altura dos ombros ( foto 1 ), ao soltar o ar, contraia os antebraços e aperte as mãos, imaginado que a energia sai pelos dedos e para a frente. OBS: mantenha os ombros relaxados e os cotovelos levemente flexionados. Postura 5 Postura 5: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar vá elevando os braços até a cabeça, como na foto ao lado. Deixe os ombros relaxados e os cotovelos levemente flexionados. Ao soltar o ar contraia os antebraços e aperte as mãos e imagine que a energia sai pelos dedos e para cima.
  20. 20. 20 Postura 6 Foto 1 Foto 2 Foto 3 Foto 4 Postura 6: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior puxando o ar desça os braços até a altura das têmporas ( foto1). Ao soltar o ar contraia os antebraços, aperte as mãos e gire com força os pulsos para fora ( foto2 ). OBS: deixe os cotovelos um pouco para frente como na foto 3, para relaxar as costas. Postura errada foto 4. Postura 7 Postura 7: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar, desdobre os cotovelos deixando os braços retos ao lado do corpo e paralelos ao chão, ao soltar o ar contraia os antebraços apertando as mãos, imaginando que a energia sai pelos dedos para os lados. Cotovelos levemente flexionados.
  21. 21. 21 Postura 8 Postura 8: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar, vá dobrando os cotovelos como se estivesse abraçando uma árvore. Ao soltar o ar, contraia os antebraços e aperte as mãos imaginando que a energia sai pelos dedos passando de um braço para outro. Postura 9 Foto 1 Foto 2 Postura 9: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar eleve as mãos até as têmporas ( foto 1 ), ao soltar o ar contraia os antebraços e aperte as mãos tentando descolar as mãos das têmporas para fora ( foto 2 ) e sinta os músculos das costas. Não descole muito as mãos das têmporas, apenas um pouco.
  22. 22. 22 Postura 10 Postura 10: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, vá puxando o ar e descole as mãos das têmporas e deixe os cotovelos a 90 graus. Ao soltar o ar contraia os antebraços e aperte as mãos, imaginando que a energia sai pelos dedos das mãos para cima. Postura 11 Postura 11: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar desça os braços, mãos à frente do corpo na altura do umbigo, punhos dobrados. Ao soltar o ar contraia os antebraços e aperte as mãos imaginando que a energia vai de um braço para outro. Postura 12 Postura 12: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar eleve as palmas até a altura dos ombros, ao soltar o ar contraia os antebraços imaginando que segura algo muito pesado.
  23. 23. 23 Yi Jin Jing Fotos da 3ª série: posturas abertas Importante: Nesta série, as palmas devem estar sempre um pouco côncavas e os cotovelos levemente flexionados. Postura 1 Foto 1 Foto 2 Foto 1 a Foto 2 a Postura 1: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior puxe o ar descendo os braços ao lado do corpo, palmas relaxadas e para baixo ( foto 1 e 1 a ). Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre as mãos para baixo e os dedos para cima ( foto 2 e 2 a ) e imagine que a energia sai pelas palmas das mãos para baixo e mantenha as palmas côncavas
  24. 24. 24 Postura 2 Postura 2: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior puxando o ar aponte os dedos para baixo. Ao soltar o ar contraia os antebraços imaginando que a energia sai das pontas dos dedos para baixo. Postura 3 Postura 3: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior eleve os braços puxando o ar até a altura dos ombros, palmas para cima. Ao soltar o ar imagine que está segurando algo pesado e imagine também que a energia sai da palma e ponta dos dedos.
  25. 25. 25 Postura 4 Postura 4: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar vá trazendo as palmas na altura do tórax e sem tocar o corpo. Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre as mãos uma contra a outra, sem no entanto tirá- las do lugar, imaginando que a energia sai da palma da mãos. Postura 5 Postura 5: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar estenda os braços. Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre as mãos para fora e imagine que a energia sai pelas palmas.
  26. 26. 26 Postura 6 Postura 6: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar traga as palmas juntando a frente ao tórax. Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre uma palma contra a outra, imaginando que a energia sai pelas palmas passando de um braço para o outro. Postura 7 Postura 7: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior puxando o ar estenda as palmas à frente do corpo. Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre as mãos para a frente, imaginando que a energia sai das palmas para frente.
  27. 27. 27 Postura 8 Postura 8: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar eleve as palmas acima da cabeça. Ao soltar o ar contraia os antebraços e empurre as mãos para cima e imagine que a energia sai pelas palmas para cima. Postura 9 Postura 9: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar desça os braços pela lateral e imagine que segura um grande jarro. Ao soltar o ar contraia os antebraços e imagine que este jarro esta ficando mais pesado e também imagine que a energia sai das palmas para cima.
  28. 28. 28 Postura 10 Postura 10: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar eleve as palmas até a altura dos ombros, ao soltar o ar contraia os antebraços imaginando que segura algo muito pesado. Obs: esta postura é igual a da série anterior ( posturas fechadas 12 ). Postura 11 Foto 1 Foto 2 Postura 11: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxando o ar traga as palmas à frente do tórax ( foto 1 ). Ao soltar o ar contraia os antebraços e force as palmas para baixo elevando um pouco os cotovelos ( foto 2 ) e imagine que a energia sai pelas palmas para baixo.
  29. 29. 29 Postura 12 Postura 12: Postura básica e a respiração abdominal. Técnica: Partindo da postura anterior, puxe o ar e estenda os braços nas laterais, palmas voltadas uma para a outra e ligeiramente para a frente. Ao soltar o ar contraia os antebraços tentando fechar os braços mas sem movimentá-los e imagine que a energia sai pelas palmas. Fechamento Fechamento: Junte os pés e relaxe os joelhos, junte as mãos e leve a consciência ao Tan Tien e feche os olhos. Fique pelo menos 3 minutos. Ao terminar a série, se preferir faça os alongamentos novamente e logo em seguida faça o fechamento.
  30. 30. 30 Seqüência de fotos do Yi Jin Jing 36 posturas Alongamentos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
  31. 31. 31 Posturas fechadas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
  32. 32. 32 Posturas abertas 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Rogério Luis Versolatto (011) 4339-7994 (011) 9174-7081 Fechamento

×