14/11/2010       CEULP/ULBRA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL    TECNOLOGIA DO CONCRETO         - CONCRETO -Prof. Fábio Henrique ...
14/11/2010        2
14/11/2010        3
14/11/2010        4
14/11/2010        5
14/11/2010        6
14/11/2010        7
14/11/2010        8
14/11/2010        9
14/11/2010       10
14/11/2010RELAÇÕES ESTRUTURA-PROPRIEDADE NAPASTA ENDURECIDA As características de Engenharia desejáveis para o concreto ta...
14/11/2010ZONA DE TRANSIÇÃO Mesmo em concretos com baixo a/c, o volume e tamanho dos vazios serão maiores do que na matriz...
14/11/2010       13
14/11/2010SERVIÇOS DE CONCRETAGEM TransporteSERVIÇOS DE CONCRETAGEM                                 14
14/11/2010    SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LançamentoMolhar a fôrma previamente    SERVIÇOS DE CONCRETAGEMLançamento           ...
14/11/2010         SERVIÇOS DE CONCRETAGEM   LançamentoUso de passarelas oucaminhos:  Protege as instalações  Otimizar a l...
14/11/2010          SERVIÇOS DE CONCRETAGEM   LançamentoJuntas de concretagem   A junta deve ser quase vertical(preferenci...
14/11/2010        SERVIÇOS DE CONCRETAGEM  Adensamento Não vibrar a armadura!!!   Agulha na posição vertical ou, no máximo...
14/11/2010       SERVIÇOS DE CONCRETAGEM  AdensamentoSuperfície mais brilhante ecomeça a borbulhar:vibração suficiente    ...
14/11/2010     SERVIÇOS DE CONCRETAGEMAcabamento     SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCuraCura por molhagemInicia-se tão logo a supe...
14/11/2010   SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCura   SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCura                                    21
14/11/2010PRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Plástico Trabalhabilidade Consistência Coesão Vazios Adensamento ~(1...
14/11/2010PRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Plástico Exsudação Falta de finos Água excessiva Formação d bolsas P...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Agua capila

153 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
153
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Agua capila

  1. 1. 14/11/2010 CEULP/ULBRA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL TECNOLOGIA DO CONCRETO - CONCRETO -Prof. Fábio Henrique de Melo Ribeiro, MSc. Eng. Civil e Eng. Seg. Trab. 1
  2. 2. 14/11/2010 2
  3. 3. 14/11/2010 3
  4. 4. 14/11/2010 4
  5. 5. 14/11/2010 5
  6. 6. 14/11/2010 6
  7. 7. 14/11/2010 7
  8. 8. 14/11/2010 8
  9. 9. 14/11/2010 9
  10. 10. 14/11/2010 10
  11. 11. 14/11/2010RELAÇÕES ESTRUTURA-PROPRIEDADE NAPASTA ENDURECIDA As características de Engenharia desejáveis para o concreto também são influenciadas pelas propriedades da pasta. Resistência C-S-H (grande aderência) Porosidade Estabilidade Dimensional Grau de umidade e Retração por secagem 11
  12. 12. 14/11/2010ZONA DE TRANSIÇÃO Mesmo em concretos com baixo a/c, o volume e tamanho dos vazios serão maiores do que na matriz (primeiras idades). Com o aumento da idade a resistência da zona de transição aumenta. Motivo do concreto romper a um nível de tensão mais baixo. Diferença C-S-H e CH 12
  13. 13. 14/11/2010 13
  14. 14. 14/11/2010SERVIÇOS DE CONCRETAGEM TransporteSERVIÇOS DE CONCRETAGEM 14
  15. 15. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LançamentoMolhar a fôrma previamente SERVIÇOS DE CONCRETAGEMLançamento 15
  16. 16. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LançamentoUso de passarelas oucaminhos: Protege as instalações Otimizar a logística Ferragem SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LançamentoJuntas de concretagem Estudar os locais de parada Localização em seções poucosolicitadas (cisalhamento) Em locais muito solicitados,aplicar adesivo estrutural 16
  17. 17. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEM LançamentoJuntas de concretagem A junta deve ser quase vertical(preferencialmente perpendicular). Juntas muito inclinadas podemprovocar segregação, rolando aspedras pesadas até o pé da junta. Limpeza da superfície. Para paradas longas, aplicarargamassa na superfície. SERVIÇOS DE CONCRETAGEM Rastreabilidade 17
  18. 18. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEM Adensamento Não vibrar a armadura!!! Agulha na posição vertical ou, no máximo, inclinado a 45o Utilizar camadas de espessuras máximas entre 40 cm e 50 cm Não forçar o vibrador contra as fôrmas e a armadura Atingir a camada subjacente SERVIÇOS DE CONCRETAGEM AdensamentoDistâncias entre Pontos deVibração: 6 a 10 vezes o diâmetro da agulha 18
  19. 19. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEM AdensamentoSuperfície mais brilhante ecomeça a borbulhar:vibração suficiente SERVIÇOS DE CONCRETAGEM AcabamentoProporcionar à laje a textura desejada Convencional: não há controle Nivelada: possui controle para contrapiso comespessura do projeto Acabada: possui controle e não utilizacontrapiso(laje zero) 19
  20. 20. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEMAcabamento SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCuraCura por molhagemInicia-se tão logo a superfície do concreto não seja maisdanificada pelo contato com a águaCura químicaA pulverização do produto deve ser iniciada depois que tenhacessado a ascensão de água à superfície do concreto 20
  21. 21. 14/11/2010 SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCura SERVIÇOS DE CONCRETAGEMCura 21
  22. 22. 14/11/2010PRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Plástico Trabalhabilidade Consistência Coesão Vazios Adensamento ~(1 a 2% de ar) LançamentoPRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Plástico Coesão Os concretos permanecem coesos Avaliação: Agregados não tendem a se mostrar limpos Bordas da mistura convexas Sem tendência de separação da pasta ou da água Influência: Teor de finos Ar incorporado Proporção de água 22
  23. 23. 14/11/2010PRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Plástico Exsudação Falta de finos Água excessiva Formação d bolsas Prejudica a resistência e a aderência Deve-se aumentar o teor de finos ou de ar incorporado Retração Água evapora rapidamente Proteger o concreto recém-lançadoPRINCÍPIOS DA TECNOLOGIA Concreto no estado Endurecido Resistência Módulo de Deformação Retração Fluência Permeabilidade Carbonatação Durabilidade Colmatação 23

×