A mulher samaritana

717 visualizações

Publicada em

Mensagem

Publicada em: Estilo de vida
  • Seja o primeiro a comentar

A mulher samaritana

  1. 1. A mulher de Samaria Abra a Bíblia em João 4.1-30, onde teremos o privilégio de aprender com uma mulher que foi buscar água e encontrou a fonte de vida eterna. Uma das passagens mais belas do evangelho é esta que fala da mulher samaritana e Jesus. Para quem conhece a história sabemos que havia uma rixa entre os judeus e os samaritanos. Havia preconceito e ódio. Ao examinarmos a Bíblia, no evangelho de João 4.4, vemos que Jesus havia deixado a Judéia e se dirigiapara a Galiléia mas "era-lhe necessário passar por Samaria" (João 4.4). É aí onde, realmente começa a nossa história... Jesus decidiu passar e não se desviar da cidade onde viviam aqueles rejeitados pelos judeus. A decisão dEle de parar junto à fonte de Jacó teve como resultado a salvação da nossa personagem principal - a mulher samaritana - e a de muitas pessoas que moravam em Samaria. Ela morava em Sicar e, à hora sexta (meio dia) caminhava até o poço para apanhar água. O mesmo poço em que, homens de Deus foram encontrar suas esposas: Rebeca - onde encontrou com o servo de Abraão, a quem levou para ser esposa de Isaque. Raquel – onde encontrou com seu esposo Jacó (Gn. 29) Zípora – onde encontrou com Moisés Era comum, naquela época, as mulheres mais novas de uma casa, irem buscar água no poço para suprir as necessidades. Geralmente, elas preferiam fazer isto no fim da tarde quando o tempo estava mais fresco. AO contrário delas, a mulher samaritana estava indo apanhar água, ao meio dia (“hora sexta” como diz a Bíblia em João 4.6). Esse horário, não era comum as mulheres tirarem água por causa do calor, clima quente e seco. Assim, a mulher samaritana veio em uma hora em que as outras mulheres talvez estavam preparando o almoço, cuidando de sua família, podendo assim evitá-las. Ela sofria preconceito por ser mulher, discriminação dos judeus por ser samaritana e dentro da própria comunidade, ela era mal vista e evitada por outras mulheres por ser considerada uma pecadora imoral.
  2. 2. Quando Jesus passou de propósito por Samaria, ele encontrou e conversou com essa mulher, quebrando três importantes regras socias: 1ª – As mulheres eram consideradas muito inferiores aos homens. No Oriente Médio um homem jamais falava com uma mulher em público, nem mesmo sua esposa, mãe ou irmã. 2ª – Os judeus não falavam com os samaritanos. Jesus era judeu. Os judeus e os samaritanos se odiavam e se evitavam. 3ª – Nenhum homem de respeito, especialmente um mestre, falaria com uma mulher de reputação tão desprezível. Jesus quebrou essas regras sociais, quebrou essas barreiras quando conversou com aquela mulher samaritana. A Bíblia nos diz que Jesus “cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte” (João 4.6) Como ser humano, Jesus sentia fadiga e sede. E enquanto ele descansava, seus discípulos foram a cidade buscar a comida. Podemos imaginar a mulher samaritana se aproximando do poço e ficando surpresa por encontrar ali um judeu e ainda mais por ele falar com ela dizendo... “Dá-me de beber” (João 4.7). Com certeza, ela se surpreendeu, principalmente, por ser uma mulher rejeitada (por fazer parte de um povo rejeitado) e por causa do seu modo de vida. Ali estava um homem judeu que reconhecia que ela existia. Ela, uma humilde mulher samaritana, que teria sido ignorada ou desprezada pela maioria dos homens judeus. Jesus, sendo Deus, é santo e puro, ao contrário de nós que, muitas vezes, fazemos acepção de pessoas. Os judeus rejeitavam os samaritanos, mas Jesus os amava e queria dar a eles a salvação eterna. O Senhor valoriza a cada um e deseja salvar a todos nós, pois somos iguaizinhos perante Ele. Cada um de nós precisa ter um encontro pessoal e estabelecer um compromisso com o Senhor. A mulher samaritana imediatamente reconheceu que havia algo diferente com esse viajante. Ela só não sabia que aquele que falava com ela não discriminava ninguém, nem fazia acepção de pessoas. Ela ficou surpresa com o pedido de Jesus, e mais surpresa ainda, quando Ele lhe disse que poderia lhe dar “água viva”. Ele não possuía nada que pudesse tirar essa ”água viva”. Como então, Ele poderia lhe dar esta água? Ela jamais poderia imaginar que o que Jesus estava dizendo era:
  3. 3. “...aquele que beber da água que Eu lhe der nunca terá sede, porque a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna” (João 4.14). Esta água oferecida por Jesus à mulher samaritana, era um tipo de água que iria saciar, para sempre, a sua sede – a Palavra de Deus que a levaria a ter uma vida eterna no céu. Apesar de ser pecadora, ela foi humilde e creu que Jesus tinha a “água viva”. Como mulheres de Deus, devemos ser humildes e submissas ao Senhor, pois só Ele pode dar o melhor para nossas vidas. A mulher samaritana ainda não estava entendendo, mas aceitou a “água viva” oferecida por Jesus dizendo: “... Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá- la” (João 4.15). Jesus ia, pouco a pouco, deixando a mulher samaritana maravilhada e cativada por Suas palavras. Ela ouviu-O dizer que ela havia tido cinco maridos e o que agora vivia com ela, não era seu marido. (Como poderia aquele homem conhecer toda a sua vida? Como aquele homem judeu estava ali conversando com ela revelando toda a sua vida?) Imagine o impacto dessas palavras nessa mulher. No seu coração, provavelmente, algo diferente estava para acontecer. Mesmo tendo toda a sua vida revelada por Jesus, ela ainda não sabia que estava diante do próprio Deus que a criou. Ela ainda não estava entendendo que quem estava diante dela era o próprio Jesus, filho de Deus, criador dos céus e da terra. Ela pensou que fosse um profeta. Ela jamais imaginou que estava frente a frente com Aquele que poderia lhe dar a vida eterna, com Aquele que saciaria a sua sede para todo o sempre. Foi a esta mulher pecadora, cheia de dúvidas, que Jesus decidiu dizer quem Ele era. Ele não escolheu líderes religiosos para dizer que Ele era o próprio Deus. Quando a mulher samaritana disse: “Eu sei que o Messias (que se chama o Cristo) vem; quando Ele vier, nos anunciará tudo” (João 4.25), Jesus lhe respondeu: “Eu o sou, Eu que falo contigo”. (João 4.26). Jesus escolheu uma simples mulher pecadora, que tinha sede de conhecer o Messias, para revelar quem Ele era. Essa mulher representa bilhões de seres humanos vivos hoje em dia. E muitos passam por Jesus sem mesmo percebê-lo ou entender sua língua. Poucos sabem que ele é o Senhor e Salvador que conhece as minúcias íntimas de nossas vidas e que oferece água da vida eterna.
  4. 4. Jesus e a mulher estavam falando agora a mesma língua. Não havia mais preocupação com a água de um poço velho. Agora, convencida de que estava diante do próprio Deus, ela prontamente foi para a cidade levar as boas-novas. Ela não guardou só para si o que ouvira e aprendera. Mas a Bíblia diz: Que ela deixou “o seu cântaro”, e foi a cidade e disse aqueles homens: “Vinde, vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura, não é este o Cristo? (João 4.28-29). Ao ver este maravilhoso exemplo de uma mulher evangelista, ficamos a pensar e chegamos à conclusão que algo mais urgente precisa ser feito por nós. Assim como ela, devemos falar de Cristo e mostrar aos que não conhecem a Palavra de Deus que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16) Quer ser uma mulher que honra ao Senhor obedecendo ao seu IDE por todo mundo para pregar o evangelho? Então devemos falar aos outros a respeito de Jesus e do seu amor por todos nós. Amém!

×