Primeira Guerra Mundial

1.684 visualizações

Publicada em

tudo sobre a primeira guerra mundial...87 slides

primeira guerra mundial

trabalho completo

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.684
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeira Guerra Mundial

  1. 1.  Primeira Guerra Mundial (também conhecidacomo Grande Guerra ou Guerra das Guerras até oinício da Segunda Guerra Mundial) foi uma guerraglobal centrada na Europa, que começou em 28 dejulho de 1914 e durou até 11 de novembro de 1918. Oconflito envolveu as grandes potências, de todo omundo, que organizaram-se em duas aliançasopostas: os Aliados (com base na TrípliceEntente entre Reino Unido, França e Império Russo) eos Impérios Centrais (originalmente TrípliceAliança entre Império Alemão , Áustria-Hungria e Itália;mas como a Áustria-Hungria tinha tomado a ofensivacontra o acordo, a Itália não entrou em guerra).
  2. 2.  Estas alianças reorganizaram-se (a Itália lutoupelos Aliados) e expandiram-se em maisnações que entraram na guerra. Em últimaanálise, mais de 70 milhões demilitares, incluindo 60 milhõesde europeus, foram mobilizados em uma dasmaiores guerras da história. Mais de 9 milhõesde combatentes foram mortos, em grande partepor causa de avanços tecnológicos quedeterminaram um crescimento enorme naletalidade de armas, mas sem melhoriascorrespondentes em proteção ou mobilidade.
  3. 3. Foi o sexto conflito mais mortal nahistória da humanidade e queposteriormente abriu caminho para váriasmudanças políticas, como revoluções emmuitas das nações envolvidas.
  4. 4.  Entre as causas da guerra inclui-se aspolíticas imperialistas estrangeiras das grandespotências da Europa, como o ImpérioAlemão, o Império Austro-Húngaro, o ImpérioOtomano, o Império Russo, o ImpérioBritânico, a Terceira República Francesa e a Itália. Em28 de junho de 1914, o assassinato doarquiduque Francisco Fernando da Áustria, o herdeirodo trono da Áustria-Hungria, pelo nacionalistaiugoslavo Gavrilo Princip, em Sarajevo, na Bósnia, foio gatilho imediato da guerra, o que resultou emum ultimato Habsburgo contra o Reino da Sérvia.
  5. 5.  Diversas alianças formadas ao longo dasdécadas anteriores foraminvocadas, assim, dentro de algumassemanas, as grandes potências estavam emguerra; através de suas colônias, o conflitologo se espalhou ao redor do planeta.
  6. 6.  Em 28 de julho, o conflito iniciou-se com a invasãoaustro-húngara da Sérvia, seguida pela invasão alemãda Bélgica, Luxemburgo e França, e um ataque russocontra a Alemanha. Depois da marcha alemã em Parister levado a um impasse, a FrenteOcidental estabeleceu-se em uma batalha de atritoestático com uma linha de trincheiras que pouco mudouaté 1917. Na Frente Oriental, o exército russo lutou comsucesso contra as forças austro-húngaras, mas foiforçado a recuar da Prússia Oriental e da Polônia peloexército alemão. Frentes de batalha adicionais abriram-se depois que o Império Otomano entrou na guerra em1914, Itália e Bulgária em 1915 e a Romênia em 1916.
  7. 7.  O Império Russo entrou em colapso em março de1917 e a Rússia deixou a guerra após a Revolução deOutubro, mais tarde nesse ano. Depois de uma ofensivaalemã em 1918 ao longo da Frente Ocidental, os Aliadosforçaram o recuo dos exércitos alemães em uma série deofensivas de sucesso e as forças dos EstadosUnidos começaram a entrar nas trincheiras. AAlemanha, que teve o seu próprio problema com osrevolucionários, neste ponto, concordou com um cessar-fogo em 11 de novembro de 1918, episódio mais tardeconhecido como Dia do Armistício. A guerra terminoucom a vitória dos Aliados.
  8. 8.  Eventos nos conflitos locais eram tão tumultuados comonas grandes frentes de batalha, sendo que osparticipantes tentaram mobilizar a sua mão de obra erecursos econômicos para lutar uma guerra total. Até ofinal da guerra, quatro grandes potências imperiais — osimpérios Alemão, Russo, Austro-Húngaro e Otomano —deixou de existir. Os Estados sucessores dos doisprimeiros perderam uma grande quantidade de seuterritório, enquanto os dois últimos foram completamentedesmontados. O mapa da Europa central foiredesenhado em vários países menores.
  9. 9.  A Liga das Nações (organização precursoradas Nações Unidas) foi formada na esperançade evitar outro conflito dessa magnitude.O nacionalismo europeu provocado pela guerrae a separação dos impérios, as repercussões daderrota da Alemanha e os problemas como Tratado de Versalhes são consenso enquantofatores que contribuíram para o inícioda Segunda Guerra Mundial.
  10. 10. Antecedentes
  11. 11. No século XIX, as grandes potências europeiastinham ido para grandes distâncias para mantero equilíbrio de poder em todaa Europa, resultando na existência de umacomplexa rede de alianças políticas e militaresem todo o continente por volta de 1900. Estescomeçaram em 1815, com a SantaAliança entre Reino da Prússia, ImpérioRusso e Império Austríaco.
  12. 12. SANTA ALIANÇA
  13. 13.  Então, em outubro de 1873, o chanceler alemão Otto vonBismarck negociado a Liga dos TrêsImperadores (em alemão: Dreikaiserbund) entre osmonarcas da Áustria-Hungria, Rússia e Alemanha. Esteacordo falhou porque a Áustria-Hungria e a Rússia nãopoderiam concordar com uma política maisbalcânica, deixando a Alemanha e Áustria-Hungria emuma aliança formada em 1879, chamada de Aliança Dua.Isto foi visto como um método de luta contra a influênciarussa nos Bálcãs, enquanto o Império Otomanocontinuava a se enfraquecer.
  14. 14.  Em 1882, esta aliança foi ampliada para incluira Itália no que se tornou a Tríplice Aliança.Depois de 1870, um conflito europeu foi evitadoem grande parte através de uma rede detratados cuidadosamente planejada entre oImpério Alemão e o resto da Europa eorquestrada por Bismarck. Ele trabalhouespecialmente para manter a Rússia ao lado daAlemanha, para evitar uma guerra de duasfrentes com a França e a Rússia.
  15. 15.  . Quando Guilherme II subiu ao trono como imperadoralemão (Kaiser), Bismarck foi obrigado a se aposentar eseu sistema de alianças foi gradualmente enfatizado. Porexemplo, o Kaiserse recusou a renovar o Tratado deResseguro com a Rússia em 1890. Dois anos maistarde, a Aliança Franco-Russa foi assinada paracontrabalançar a força da Tríplice Aliança. Em 1904, oReino Unido assinou uma série de acordos com aFrança, a Entente Cordiale, e em 1907, o Reino Unido e aRússia assinaram a Convenção Anglo-Russa.
  16. 16.  Embora estes acordos não tenham aliado oReino Unido com a França ou a Rússiaformalmente, eles fizeram a entrada britânicaem qualquer conflito futuro envolvendo aFrança ou a Rússia e o sistema deintertravamento dos acordos bilaterais setornou conhecido como a Tríplice Entente.
  17. 17.  O poder industrial e econômico dos alemães haviacrescido muito depois da unificação e da fundação doImpério em 1871. Desde meados da metade dos anos1890, o governo de Guilherme II usou essa base paradedicar significativos recursos econômicos para aedificação do KaiserlicheMarine (em português: Marinha Imperial alemã), criadapelo almirante Alfred von Tirpitz, em rivalidade coma Marinha Real Britânica na supremacia naval mundial.
  18. 18.  Como resultado, cada nação se esforçouconstruir o outro em termos de naviosimportantes. Com o lançamento do HMSDreadnought em 1906, o Império Britânicoexpandiu a sua vantagem sobre seu rivalalemão.
  19. 19. A corrida armamentista entre Reino Unido eAlemanha, eventualmente ampliada ao resto daEuropa, com todas as grandes potênciasdedicando a sua base industrial para produzir oequipamento e as armas necessárias para umconflito pan-europeu. Entre 1908 e 1913, osgastos militares das potências europeiasaumentou em 50%.
  20. 20. A Áustria-Hungria precipitou a crise bósnia de1908-1909 por anexar oficialmente o antigoterritório otomano da Bósnia eHerzegovina, que ocupava desde 1878. Istoirritou o Reino da Sérvia e seu patrono, o pan-eslavo e ortodoxo Império Russo. A manobrapolítica russa na região desestabilizou osacordos de paz, que já estavamenfraquecidos, no que ficou conhecido como"o barril de pólvora da Europa".
  21. 21.  Em 1912 e 1913, a Primeira Guerra Balcânica foitravada entre a Liga Balcânica e o fragmentado ImpérioOtomano. O Tratado de Londres resultante aindaencolheu o Império Otomano, com a criação de umEstado independente albanês, enquanto ampliou asexplorações territoriaisda Bulgária, Sérvia, Montenegro e Grécia. Quando aBulgária atacou a Sérvia e a Grécia em 16 de junho de1913, ela perdeu a maior parte da Macedônia à Sérviae Grécia e Dobruja do Sul para a Romênia durantea Segunda Guerra Balcânica, desestabilizando aindamais a região.
  22. 22.  Em 28 de junho de 1914, Gavrilo Princip, umestudante sérvio-bósnio e membro da JovemBósnia, assassinou o herdeiro do trono austro-húngaro,o arquiduque Francisco Fernando da Áustria,em Sarajevo, na Bósnia. Isto iniciou um mês demanobras diplomáticas entre Áustria-Hungria,Alemanha, Rússia, França e Reino Unido, no que ficouconhecido como a Crise de Julho. Querendo finalmenteacabar com a interferência sérvia na Bósnia — a MãoNegra tinha fornecido bombas e pistolas, treinamento eajuda para atravessar a fronteira à Princip e seu grupo eos austríacos estavam corretos para acreditar que osoficiais e funcionários sérvios estavam envolvidos — aÁustria-Hungria entregou o Ultimato de Julho para aSérvia, uma série de dez reivindicações criadas,intencionalmente, para serem inaceitáveis, com aintenção de provocar uma guerra com a Sérvia.
  23. 23. Quando a Sérvia concordou com apenas oito das dezreivindicações, a Áustria-Hungria declarou guerra ao paísem 28 julho de 1914. Hew Strachan argumenta que "seuma resposta equivocada e precipitada da Sérvia teria feitoalguma diferença para o comportamento da Áustria-Hungria é algo duvidoso. Francisco Fernando não era otipo de personalidade que comandava a popularidade esua morte não lançou o império em profundo luto".
  24. 24.  O Império Russo, disposto a permitir que a Áustria-Hungria eliminasse a sua influência nos Balcãs e emapoio aos seus sérvios protegidos de longadata, ordenou uma mobilização parcial um dia depois. OImpério Alemão mobilizou-se em 30 de julho de1914, pronto para aplicar o "Plano Schlieffen", queplanejava uma invasão rápida e massiva à França paraeliminar o exército francês e, em seguida, virar a lestecontra a Rússia.
  25. 25.  O gabinete francês resistiu à pressão militar parainiciar a mobilização imediata e ordenou que suastropas recuassem 10 km da fronteira, para evitarqualquer incidente. A França só se mobilizou nanoite de 2 de agosto, quando a Alemanha invadiua Bélgica e atacou tropas francesas.
  26. 26.  O Império Alemão declarou guerra à Rússia nomesmo dia. O Reino Unido declarou guerra àAlemanha em 4 de agosto de 1914, após uma"resposta insatisfatória" para o ultimato britânicode que a Bélgica deveria ser mantida neutra.
  27. 27. A guerra
  28. 28. A crise de Julho e asdeclarações de guerraApós o assassinato do arquiduqueFrancisco Fernando em 28 de Junho, oImpério Austro-Húngaro esperou trêssemanas antes de decidir tomar umcurso de ação. Essa espera foi devida aofato de que grande parte do efetivo militarestava na ajuda a colheita, o queimpossibilitava a ação militar naqueleperíodo.
  29. 29. Em 23 de Julho, graças ao apoio incondicionalalemão (carta branca) ao Império Austro-Húngaro se a guerra eclodisse, o Ultimato dejulho foi mandado à Sérvia, e que continhavárias requisições, entre elas a que agentesaustríacos fariam parte das investigações, eque a Sérvia seria a culpada pelo atentado. Ogoverno sérvio aceitou todos os termos doultimato, com exceção da participação deagentes austríacos, o que na opinião sérviaconstituía uma violação de sua soberania.
  30. 30. Por causa desse termo, rejeitado em respostasérvia em 26 de Julho, o Império Austro-Húngaro cortou todas as relações diplomáticascom o país e declarou guerra ao mesmo em 28de Julho, começando o bombardeio a Belgrado(capital sérvia) em 29 de Julho. No diaseguinte, o Império Russo, que sempre tinhasido aliado da Sérvia, deu a ordem de locomoçãoa suas tropas. O Império Alemão, que tinhagarantido apoio ao Império Austro-Húngaro nocaso de uma eventual guerra mandaram umultimato ao governo do Império Russo paraparar a mobilização de tropas dentro de 12horas, no dia 31.
  31. 31. No primeiro dia de Agosto o ultimato tinhaexpirado sem qualquer reação russa. AAlemanha então declarou-lhe guerra. Em 2de Agosto a Alemanha ocupouLuxemburgo, como o passo inicial dainvasão à Bélgica e do Plano Schlieffen(estratégia de defesa alemã que previa ainvasão da França, Inglaterra e Rússia). AAlemanha tinha enviado outroultimato, desta vez à Bélgica, requisitandoa livre passagem do exército alemão rumoà França. Como tal pedido foi recusado, foideclarada guerra a Bélgica.
  32. 32. Em 3 de Agosto a Alemanha declarou guerra àFrança, e no dia seguinte invadiu a Bélgica. Talato, violando a soberania belga - que Grã-Bretanha, França e a própria Alemanha estavamcomprometidos a garantir fez com que o ImpérioBritânico saísse da sua posição neutra e declarasseguerra à Alemanha em 4 de Agosto.
  33. 33. O início dos confrontosAlgumas das primeiras hostilidades de guerraocorreram no continente africano e no oceanoPacífico, nas colônias e territórios das naçõeseuropeias. Em Agosto de 1914, um combinado daFrança e do Império Britânico invadiu oprotetorado alemão da Togoland, no Togo. Poucodepois, em 10 de Agosto, as forças alemãsbaseadas na Namíbia atacaram a África doSul, que pertencia ao Império Britânico.
  34. 34. Em 30 de Agosto a Nova Zelândia invadiu aSamoa, da Alemanha; em 11 de Setembro aForça Naval e Expedicionária Australianadesembarcou na ilha de Neu Pommern (maistarde renomeada Nova Bretanha), que fazia parteda chamada Nova Guiné Alemã. O Japão invadiuas colônias micronésias e o porto alemão deabastecimento de carvão de Qingdao napenínsula chinesa de Shandong. Com isso, empoucos meses, a Tríplice Entente tinha dominadotodos os territórios alemães no Pacífico. Batalhasesporádicas, porém, ainda ocorriam na África.
  35. 35. Na Europa, o Império Alemão e o Império Austro-Húngarosofriam de uma mútua falta de comunicação edesconhecimento dos planos de cada exército. A Alemanhatinha garantido o apoio à invasão austro-húngara à Sérvia,mas a interpretação prática para cada um dos lados tinhasido diferente. Os líderes austro-Hhúngaros acreditavamque a Alemanha daria cobertura ao flanco setentrionalcontra a Rússia. A Alemanha, porém, tinha planejado que oImpério Austro-Húngaro focasse a maioria de suas tropasna luta contra a Rússia enquanto combatia a França naFrente Ocidental. Tal confusão forçou o exército Austro-Húngaro a dividir suas tropas. Mais da metade das tropasfoi combater os russos na fronteira, enquanto um pequenogrupo foi deslocado para invadir e conquistar a Sérvia.
  36. 36. A batalha da SérviaO exército sérvio submeteu-se a umaestratégia defensiva para conter os invasoresaustro-húngaros, o que culminou na Batalhade Cer. Os sérvios ocuparam posiçõesdefensivas no lado sul do rio Drina. Nas duasprimeiras semanas os ataques austro-húngaros foram repelidos causando grandesperdas ao exército das Potências Centrais.Essa foi a primeira grande vitória da TrípliceEntente na guerra. As expectativas austro-húngaras de uma vitória fácil e rápida nãoforam realizadas e como resultado o ImpérioAustro-Húngaro foi obrigado a manter umagrande força na fronteirasérvia, enfraquecendo as tropas quebatalhavam contra a Rússia na Frente Oriental.
  37. 37. Exército alemão na Bélgica eFrançaApós invadir o território belga, o exército alemãologo encontrou resistência na fortificada cidade deLiège. Apesar do exército ter continuado a rápidamarcha rumo à França, a invasão germânica tinhaprovocado a decisão britânica de intervir em ajudaa Tríplice Entente. Como signatário do Tratado deLondres, o Império Britânico estava comprometidoa preservar a soberania belga. Para a Grã-Bretanhaos portos de Antuérpia e Oostende eramimportantes demais para cair nas mãos de umapotência continental hostil ao país.25 Paratanto, enviou um exército para a Bélgica, atrasandoo avanço alemão.
  38. 38. Inicialmente os mesmos tiveram uma grandevitória na Batalha das Fronteiras (14 de Agosto a24 de Agosto de 1914). A Rússia, porém, atacou aPrússia Oriental, o que obrigou o deslocamentodas tropas alemãs que estavam planejadas para ira Frente Ocidental. A Alemanha derrotou a Rússiaem uma série de confrontos chamados daSegunda Batalha de Tannenberg (17 de Agosto a 2de Setembro de 1914).
  39. 39. O deslocamento imprevisto para combater osrussos, porém, acabou permitindo umacontra-ofensiva em conjunto das forçasfrancesas e inglesas, que conseguiram pararos alemães em seu caminho para Paris, naPrimeira Batalha do Marne (Setembro de1914), forçando o exército alemão a lutar emduas frentes. O mesmo se postou numaposição defensiva dentro da França econseguiu incapacitar permanentemente230.000 franceses e britânicos.
  40. 40. A guerra das trincheirasOs avanços na tecnologia militar significaram naprática um poder de fogo defensivo mais poderosoque as capacidades ofensivas, tornando a guerraextremamente mortífera. O arame farpado era umconstante obstáculo para os avanços da infantaria;a artilharia, muito mais letal que no séculoXIX, armada com poderosas metralhadoras. Osalemães começaram a usar gás tóxico em 1915, elogo depois, ambos os lados usavam da mesmaestratégia. Nenhum dos lados ganhou a guerrapelo uso de tal artifício, mas eles tornaram a vidanas trincheiras ainda mais miserável tornando-seum dos mais temidos e lembrados horrores deguerra.
  41. 41. Numa nota curiosa, temos queno início da guerra, chegando aprimeira época natalícia, seencontram relatos de os soldadosde ambos os lados cessarem ashostilidades e mesmo saírem dastrincheiras e cumprimentarem-se(trégua de Natal). Isto ocorreusem o consentimento docomando, no entanto, foi umevento único.
  42. 42. Não se repetiu posteriormente pordiversas razões: o número demasiadoelevado de baixas aumentou ossentimentos de ódio dos soldados e ocomando, dados os acontecimentos doprimeiro ano, tentou usar esta altura parafazer propaganda, o que levou ossoldados a desconfiar ainda mais uns dosoutros.A alimentação era sobretudo à base decarne, vegetais enlatados ebiscoitos, sendo os alimentos frescos umararidade.
  43. 43. Fim da guerraA partir de 1917, a situação começou aalterar-se, quer com a entrada em cena denovos meios, como o carro de combate e aaviação militar, quer com a chegada aoteatro de operações europeu das forçasnorte-americanas ou a substituição decomandantes por outros com nova visão daguerra e das tácticas e estratégias maisadequadas; lançam-se, de um lado e deoutro, grandes ofensivas, que causamprofundas alterações no desenho dafrente, acabando por colocar as tropasalemãs na defensiva e levando por fim àsua derrota.
  44. 44. É verdade que a Alemanha adquire aindaalgum fôlego quando a revolução estala noImpério Russo e o governo bolchevista,chefiado por Lênin, prontamente assina apaz sem condições, (Tratado de Brest-Litovski) assim anulando a frente leste,mas essa circunstância não será suficientepara evitar a derrota. O armistício que pôsfim à guerra foi assinado a 11 deNovembro de 1918.
  45. 45. BrasilNo Brasil, o confronto foi conhecidopopularmente, até a Segunda GuerraMundial, como a Guerra de 14, em alusão a 1914.No dia 5 de abril de 1917, o vapor brasileiro"Paraná", que navegava de acordo com asexigências feitas a países neutros, foitorpedeado, supostamente por um submarinoalemão. No dia 11 de abril o Brasil rompeu relaçõesdiplomáticas com os países do bloco liderado pelaAlemanha. Em 20 de maio, o navio "Tijuca" foitorpedeado perto da costa francesa. Nos mesesseguintes, o governo Brasileiro confiscou 42 naviosalemães, austro-húngaros e turco-otomanos queestavam em portos brasileiros, como umaindenização de guerra.
  46. 46. No dia 23 de outubro de 1917, ocargueiro nacional "Macau", um dosnavios arrestados, foi torpedeado porum submarino alemão, perto da costada Espanha, e seu comandante feitoprisioneiro. Com a pressão popularcontra a Alemanha, no dia 26 deoutubro de 1917, o país declarouguerra aos Poderes Centrais.
  47. 47. ConsequênciasMuitos dos combates na Primeira GuerraMundial ocorreram nas frentes ocidentais, emtrincheiras e fortificações (separadas pelas"Terras de Ninguém", que era o espaço entrecada trincheira, onde vários cadáveres ficavamà espera do recolhimento) do mar do Norte atéa Suíça. As batalhas davam-se em invasõesdinâmicas, em confrontos no mar, e pelaprimeira vez na história, no ar. O saldo foi demais de 19 milhões de mortos, dos quais 5%eram civis 27 . Na Segunda GuerraMundial, este número aumentou em 60%.
  48. 48. O conflito rompeu definitivamente com a antiga ordemmundial criada após as Guerras Napoleônicas, marcandoa derrubada do absolutismo monárquico na Europa.Três impérios europeus foram destruídos econsequentemente desmembrados: Alemão, o Austro-Húngaro e o Russo. Nos Bálcãs e no Médio Oriente omesmo ocorreu com o Império Turco-Otomano. Dinastiasimperiais europeias como as das famílias Habsburgos,Romanov e Hohenzollern, que vinham dominandopoliticamente a Europa e cujo poder tinha raízes nasCruzadas, também caíram durante os quatro anos deguerra.
  49. 49. O fracasso da Rússia na guerra acaboucontribuindo para a queda do czar e ofim do império, servindo de catalisadorpara a Revolução Russa que inspirououtras em países tão diferentes comoChina e Cuba, e que serviutambém, após a Segunda GuerraMundial, como base para a Guerra Fria.No Médio Oriente, o Império Turco-Otomano foi substituído pela Repúblicada Turquia e muitos territórios por toda aregião acabaram em mãos inglesas efrancesas.
  50. 50. Na Europa Central os novos estadosTchecoslováquia, Finlândia, Letônia, Lituânia, Estônia e Iugoslávia "nasceram" depoisda guerra e os estados daÁustria, Hungria e Polônia foramredefinidos. Pouco tempo depois daguerra, em 1923, os Fascistas tomaram opoder no Reino de Itália. A derrota daAlemanha na guerra e o fracasso emresolver assuntos pendentes no períodopós-guerra, alguns dos quais haviam sidocausas da Primeira Guerra, acabaram porcriar condições para a ascensão doNazismo quatorze anos depois e para aSegunda Guerra Mundial em 1939, vinteanos depois.
  51. 51. MUDANÇAS QUE OCORRERAM APÓSA 1ª GUERRA MUNDIALApós a 1ª Guerra Mundial existiramalgumas mudanças; económicas, sociaise geo-políticas.Sociais: após a guerra formou-se umanova sociedade. Os homens foramdestacados para ir combater e asmulheres começaram a trabalhar e a teroutro papel na sociedade.
  52. 52. Após a guerra intensificou-se o fenómeno damassificação - uniformização doscomportamentos - que já vinha desde arevolução industrial. Com a massificação, todasas pessoas se levantavam à mesma hora, iampara os seus locais de trabalho através dosmesmos meios de transporte, vestiam asmesmas roupas, divertiam-se da mesmaforma, etc. Houve também uma ruptura com osvalores tradicionais; a família, moralsexual, papel da mulher (emancipação), religiãoe regras de conduta (anomalia social). A guerratrouxe um sentimento de descrença e depessimismo.
  53. 53. Geo-políticas : após a guerra em 1919 foicriado o tratado de Paris, onde foi feitoum novo mapa geopolítico. Neste mapahouve a queda dos Impérios e oaparecimento de vários países. Para alémdisso, dá-se uma democratização dosregimes políticos que vigoravam naEuropa.
  54. 54. Económicas : apareceu uma nova potênciaMundial, os EUA. Este país sofreu estaascendência devido ao facto de: a Europater sido o palco da guerra e como tal terde pagar as despesas desta. Por outrolado, os homens foram para a guerra eassim deixa de existir mão-de-obra e,consequentemente, a produção diminuiu,pois os campos (agricultura) e as fábricas(indústria) estavam destruídos.
  55. 55. Trabalho de históriaPROFESSORA: ANA ELY BRESSIANIALUNOS: IVANICI VERÍSSIMO, CARLAZABOTT, RODRIGO GIACOMELLI, MARCIONESEAMARAL, ODENIR ROBERTI, RAFAEL LISOT, JEANPREVID, LETICIA PAINI.

×