PLANO DE TRABALHO
1 – A PROPONENTE
Os seguimentos econômicos bem sucedidos são aqueles que estão organizados em rede.
“Aos...
2 – MISSÃO
Construção de ambiente favorável ao fortalecimento da agricultura e agro industrialização de
pequeno e médio po...
pequenas empresas rurais, melhorando a qualidade de vida das comunidades rurais,
alavancando a economia dos municípios e c...
7.3 – O produtor cooperado REDECOOP, é assistido desde a elaboração do projeto, com
recomendações para o plantio de cultur...
9.2 Capacitados os agricultores para a gestão associativista, com foco na formação de novas
institucionalidades e fortalec...
11 – DECLARAÇÃO
Na qualidade de representante legal do proponente, declaro, para fins de prova junto a
EMPAER, para os efe...
Nosso
Portfólio
EIXO DA PRODUÇÃO
NUCLEO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS
Elaboração de projetos da lavoura e da criação de animais pautados na vi...
EIXO DA PRODUÇÃO
CENTRAL DE COMPRAS
Aquisição de adubos, fertilizantes, sementes, insumos, máquinas e equipamentos, embala...
EIXO DA TRANSFORMAÇÃO
ELABORAÇÃO PERFIS AGROINDUSTRIAIS E LICENCIAMENTOS
Elaboração dos perfis agroindustriais, procedendo...
EIXO DA TRANSFORMAÇÃO
TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
Parcerias para promover capacitação continuada nas Boas Práticas de Fabricaç...
EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO
NOTA FISCAL ELETRÔNICA
Aos associados que não se enquadram como Pessoa Jurídica, contam com o serv...
EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO
MARCA DE USO COLETIVO
Os produtos credenciados de associados, contam com o selo de “Qualidade Gara...
EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO
VENDA NO MERCADO INSTITUCIONAL – PAA/CONAB
A REDECOOP elabora os projetos de comercialização junto...
EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO
VENDA NO MERCADO CONVENCIONAL – FEIRAS LIVRES
AOS associados REDECOOP, diante sua pequena produção...
OUTROS APORTES
GESTÃO DE NEGÓCIOS
A REDECOOP firma parcerias com entidades de ensino, para capacitar seus associados em
to...
Plano trabalho casa civil
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Plano trabalho casa civil

134 visualizações

Publicada em

Plano trabalho casa civil Redecoop

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
134
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano trabalho casa civil

  1. 1. PLANO DE TRABALHO 1 – A PROPONENTE Os seguimentos econômicos bem sucedidos são aqueles que estão organizados em rede. “Aos pequenos que não conseguiram se enquadrar no novo cenário, merece destaque a organização entre as pequenas agroindústrias, formando uma espécie de rede. Isto significa que cada agroindústria se articula com outras, para que juntas possam resolver problemas, os quais, individualmente, seriam de difícil superação. Com isso, as pequenas agroindústrias, ao invés de concorrerem entre si, formam uma espécie de bloco, em torno de uma Unidade Central de Apoio Gerencial. O principal objetivo desta Unidade Central, que representa mais uma forma de organização dos agricultores familiares, é prestar um conjunto de serviços às agroindústrias, ou seja, uma equipe multidisciplinar de apoio técnico para a produção da matéria prima, a industrialização, o planejamento e gestão. A rede de agroindústrias pode representar, ainda, uma forma de mediação com Órgãos Governamentais em relação às políticas e serviços públicos, com o mercado e com os fornecedores. É um instrumento, também, para facilitar o transporte dos produtos e para gerir a qualidade e a apresentação dos alimentos.” (Prezotto, LL.2002:26) Cooperativa agrícola Mista REDECOOP – Organização cooperativista, atuando nos ramos: agropecuário; produção e serviços, dispondo de equipe multidisciplinar a organizar os agricultores da pequena propriedade rural. Cooperativa Central Cooperativa Regional Cooperativa Regional REDECOOP Mercado CONVENCIONAL INSTITUCIONAL Agroindústrias PRODUÇÃO TRANSFORMAÇÃO COMERCIALIZAÇÃO Técnicos Campo Projetos JurídicoMarketingContador Compra e Vendas Eng. Sanitário Veterinário Eng. Agrônomo Eng. Alimentos Eng. Químico
  2. 2. 2 – MISSÃO Construção de ambiente favorável ao fortalecimento da agricultura e agro industrialização de pequeno e médio porte no Estado de Mato Grosso. 3 – OBJETO Provocar e estimular o pequeno produtor rural do Estado de Mato Grosso a se libertar das práticas produtivas de subsistência, substituindo-as por sistemas produtivos de cunho empresarial de forma a alcançar os mercados institucional e convencional na produção in- natura e agro industrialização de alimentos oriundos da produção da pequena propriedade rural. 4 – ESPECÍFICOS 4.1 – Profissionalizar a produção da pequena propriedade rural; 4.2 – Inserir a pequena produção na economia formal; 4.3 – Criar Arranjos Produtivos Locais; 4.4 – Fortalecer as cadeias produtivas regionalmente já identificadas: (Piscicultura, Fruticultura, Olericultura, Apicultura, Bovinocultura do Leite e Sistemas agroflorestais); 4.5 – Estimular a criação de agroindústrias no meio rural. 5 – JUSTIFICATIVAS 5.1 – O governo federal discursa que 70% dos alimentos postos a mesa do brasileiro são proveniente da agricultura familiar. Entendemos e reconhecemos que responsável por essa produção seja a pequena propriedade rural, mas de cunho empresarial. Por outro lado, sabemos desde muito, que o Estado de Mato Grosso é importador de aproximadamente 80% do que se consomem de frutas, legumes e verduras; 5.2 - Em sua maioria os municípios mato-grossenses são de perfil agrícola, atividade que vem sendo muito bem explorada junto a aproximadamente 20 municípios que apresentam os melhores indicadores socioeconômico por deterem amplas áreas favoráveis à produção das commodities: Algodão, Soja, Milho e Carne. Já aos demais 121 municípios que não conseguiram no agronegócio, as alternativas de renda são menores, resumindo em trabalhar sua vocação natural, ou seja, lidar a terra, porém, com emprego de tecnologias de produção. 5.3 – Estima-se que no Estado de Mato Grosso tenha aproximadamente 150.000 pequenas propriedades rurais, devendo ser trabalhadas para que venham a ser transformadas em
  3. 3. pequenas empresas rurais, melhorando a qualidade de vida das comunidades rurais, alavancando a economia dos municípios e contribuindo ativamente para o desenvolvimento do Estado. 6 – ABRANGÊNCIA Inicialmente a área de atuação da Redecoop compreende os municípios do: Vale do Rio Cuiabá; Região Noroeste; Região Sul e Médio Norte do Estado, estrategicamente eleitas considerando principalmente quanto as vocações produtivas, logística de produção e comercialização. 7 – METODOLOGIA 7.1 –Identificar e trabalhar a vocação empreendedora daqueles munidos de vontade em inserir na economia formal sua produção rural; 7.2 - A construção dos arranjos produtivos são trabalhados segundo as vocações produtivas regionais, considerando principalmente a demanda dos mercados: institucional e convencional;
  4. 4. 7.3 – O produtor cooperado REDECOOP, é assistido desde a elaboração do projeto, com recomendações para o plantio de culturas com demanda comercial, dentre os espaçamentos corretos, irrigado e emprego de tecnologias que garanta a produção nos formatos, dimensões e produção continuada requerida pelo mercado; 7.4 – De conformidade à vocação da produção regional, estimulamos a agro industrialização da produção primária para agregar valor e, sobretudo para garantir a colocação da produção quando das safras excedentes; 7.5 - Para alcançarmos as finalidades previstas, a REDECOOP vem estabelecendo parcerias com entidades das esferas governamentais e afins: MAPA; MDA; EMBRAPA; IFMT; EMPAER; SENAR; SICREDI e Prefeituras municipais entre outras; 8 – ETAPAS DE DESENVOLVIMENTO 8.1 – 2015/2016: Trabalhar no Vale do Rio Cuiabá os interessados com perfil para desenvolvimento das cadeias produtivas da Fruticultura, Olericultura e Piscicultura, bem como, a transformação dos seus subprodutos; 8.2 – 2015/2016: Buscar consolidar e certificar a produção artesanal dos derivados de leite da Região Noroeste, bem como, avançar com a cadeia produtiva da apicultura e piscicultura; 8.3 – 2015/2016: Estimular o desenvolvimento da cadeia produtiva da olericultura na região Médio Norte, principalmente os cultivos de: Tomate; Beterraba; Cenoura; Repolho e Cebola; 8.4 – 2015/2016: Trabalhar as cadeias produtivas da olericultura e fruticultura, bem como, buscar regularizar a produção artesanal dos derivados de leite; 8.5 - Incentivar a reativação de agroindústrias inativas e provocar a instalação daquelas cujos equipamentos foram doados pelo governo e que não foram colocadas em funcionamento, propondo que se faça em regime de comodato ao empreendedor interessado; 8.6 - 2017 por diante: Levar as ações REDECOOP para outras regiões do Estado de Mato Grosso. 9 - RESULTADOS ESPERADOS 9.1 Estabelecidas relações diretas entre agricultores organizados e o mercado, preferencialmente os supermercados, atacadistas de frutas e as centrais de abastecimento, eliminando o atravessador;
  5. 5. 9.2 Capacitados os agricultores para a gestão associativista, com foco na formação de novas institucionalidades e fortalecimento de cooperativas existentes; 9.3 Financiado e fomentado o desenvolvimento de tecnologias no cultivo de frutíferas e verduras para o consumo in-natura e uso na agro indústria e afins; 9.4 Articulada venda para a merenda escolar(PNAE) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), utilizando-se da sistemática estabelecida pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, do apoio da Conab e Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA; 9.5 Definido o conjunto de práticas agrícolas de manejo das cadeias produtivas eleitas, amigáveis ou negativas em harmonia com nossos biomas, tendo como pano de fundo sua preservação e conservação e como norteadores a melhoria da rentabilidade, a factibilidade de aplicação e a viabilidade econômica para o perfil de agricultores envolvidos; 9.6 Promovida a adoção de melhores tecnologias agrícolas desde cultivares, práticas de produção, pré-colheita e pós-colheita com acompanhamento técnico e certificação, seja de origem, seja orgânica, seja social (sem trabalho escravo e infantil) ou ecossocial, em conformidade com a aptidão e interesse dos agricultores envolvidos e com o conhecimento técnico das instituições parceiras; 9.7 Intensificada a aplicação de crédito Pronaf (custeio, investimento e Pronaf Agroindústria) para os grupos de agricultores organizados; 9.8 Significativo crescimento do volume de comercialização via cooperativas por meio de contratos; 9.9 Preparadas e utilizadas as ferramentas de monitoramento dos resultados das ações REDECOOP. 10 - DO PRAZO As ações REDECOOP são de caráter permanente e dentro de determinado período, buscando alcançar todas as regiões do Estado de Mato Grosso.
  6. 6. 11 – DECLARAÇÃO Na qualidade de representante legal do proponente, declaro, para fins de prova junto a EMPAER, para os efeitos e sob as penas da lei, que inexiste qualquer débito em mora ou situação de inadimplência com o Tesouro Nacional ou Estadual, ou qualquer órgão ou entidade da Administração Pública Federal ou Estadual, que impeça a celebração de convênio, na forma deste Plano de Trabalho. Cuiabá-MT, 14 de Setembro de 2015 Hudson Saturnino dos Anjos Presidente REDECOOP DADOS CADASTRAIS ENTIDADE PROPONENTE: Cooperativa Agrícola Mista Redecoop NATUREZA JURÍDICA: Pessoa Jurídica de Direito Privado CNPJ: 11.068.289/0001-05 INSC. EST: Endereço: Avenida República do Líbano, 1620, Bairro Rodoviária Parque Cidade:Cuiabá Estado: MT CEP: 78.048-135 DDD/Fone: (65) 3359.6045 Nome do responsável: Hudson Saturnino dos Anjos CPF:284.428.301-20 RG:329.510 Órgão expedidor: SSP-MT Cargo/função: Diretor Presidente Endereço: Rua Alto Garças, Casa 14, Quadra 25, CPA II Cidade: Cuiabá Estado: MT CEP: 78.055-123
  7. 7. Nosso Portfólio
  8. 8. EIXO DA PRODUÇÃO NUCLEO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS Elaboração de projetos da lavoura e da criação de animais pautados na viabilidade econômica, na responsabilidade social e em harmonia com o meio ambiente. ELABORAÇÃO DE PROPOSTAS AO CRÉDITO RURAL Elaboração da proposta de crédito rural junto às linhas de créditos disponibilizadas pelas instituições financeiras, deixando claro ao agente de crédito que o proponente encontra-se dentro de um arranjo produtivo em Rede.
  9. 9. EIXO DA PRODUÇÃO CENTRAL DE COMPRAS Aquisição de adubos, fertilizantes, sementes, insumos, máquinas e equipamentos, embalagens e quaisquer outros bens materiais e serviços para o cooperado REDECOOP. ASSISTÊNCIA TÉCNICA EM CAMPO O cooperado REDECOOP é assistido desde a elaboração do projeto, implantação, manutenção, colheita e pós-colheita do cultivo.
  10. 10. EIXO DA TRANSFORMAÇÃO ELABORAÇÃO PERFIS AGROINDUSTRIAIS E LICENCIAMENTOS Elaboração dos perfis agroindustriais, procedendo às adaptações das instalações pré- existentes quando for o caso. Licenciamentos ambientais, sanitários e de funcionamento. CONTROLE DA QUALIDADE Parcerias com laboratórios credenciados para proceder às análise de alimentos: Microscópicas; Microbiológicas; Sensoriais; Físico-Químicas e Testes de DNA.
  11. 11. EIXO DA TRANSFORMAÇÃO TECNOLOGIA DE ALIMENTOS Parcerias para promover capacitação continuada nas Boas Práticas de Fabricação e nos processos de produção a alcançar a satisfação do consumidor final. INOVAÇÕES NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS Cada vez mais exigente, o consumidor busca por produtos práticos, saudáveis e de maior valor agregado. Para atender a essas necessidades, firmamos parcerias para investimento em novas tecnologias, que vão desde ingredientes e aditivos, aromas, texturas, amidos modificados e outros componentes que caracterizam os alimentos conhecidos como funcionais.
  12. 12. EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO NOTA FISCAL ELETRÔNICA Aos associados que não se enquadram como Pessoa Jurídica, contam com o serviço de emissão de Nota Fiscal Eletrônica da REDECOOP. CÓDIGO DE BARRAS Disponibilizamos aos estabelecimentos associados, código de barras, convenção internacional, para credenciar seus produtos junto a rede de comercialização.
  13. 13. EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO MARCA DE USO COLETIVO Os produtos credenciados de associados, contam com o selo de “Qualidade Garantida” pela REDECOOP, devidamente registrado no INPI(Instituto Nacional da Proteção Industrial) no Ministério da Industria e Comércio, ampliando sua participação no mercado. ROTULAGEM DE PRODUTOS Associados REDECOOP contam com o serviço de criação de rótulos para identificar e dar personalidade ao produto do estabelecimento vinculado a Rede.
  14. 14. EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO VENDA NO MERCADO INSTITUCIONAL – PAA/CONAB A REDECOOP elabora os projetos de comercialização junto ao Programa de Aquisição de Alimentos(PAA) gerido pela CONAB, inserindo nesse projeto aqueles que optarem por esta modalidade de venda. VENDA NO MERCADO INSTITUCIONAL - PNAE Associados REDECOOP contam com o serviço de elaboração do projeto de venda junto ao Programa Nacional de Alimentação Escolar.
  15. 15. EIXO DA COMERCIALIZAÇÃO VENDA NO MERCADO CONVENCIONAL – FEIRAS LIVRES AOS associados REDECOOP, diante sua pequena produção, que não alcançam maiores mercados, contam com o Ticket Feira, instrumento de apoio ao fortalecimento das feiras livres. VENDA NO MERCADO CONVENCIONAL - SUPERMERCADOS A REDECOOP vem estabelecendo contrato de compra e venda com a rede de supermercados, principalmente para os associados que já estão consolidados.
  16. 16. OUTROS APORTES GESTÃO DE NEGÓCIOS A REDECOOP firma parcerias com entidades de ensino, para capacitar seus associados em todos os setores necessários a gestão do seu negócio: Cooperativismo; Técnicas de produção; Serviços administrativos; comercialização entre outras aprendizagens que se fizer necessário. CONTÁBIL FISCAL E TRIBUTÁRIA Na equipe multidisciplinar da REDECOOP, funciona a unidade contábil com especialização em contabilidade para estabelecimentos no ramo da produção rural e agroindústrias com foco na legislação que rege as associações e cooperativas, bem como, toda especialização quanto ao tratamento fiscal e tributário. JURÍDICO A legislação brasileira é totalmente excludente no que diz respeito a inserção da agroindústria de pequeno porte no ramo de processamento de alimentos. Vimos travando uma batalha e em muito ainda temos que percorrer para que o estabelecimento de pequeno porte possa desenvolver suas atividades no ramo da indústria de alimentos. A REDECOOP vem formando um corpo jurídico com especialização a oferecer o suporte necessário ao funcionamento dos estabelecimentos, até que tenhamos um conjunto de Leis e regulamentos voltados à produção de pequeno porte.

×