Midia introdução

5.656 visualizações

Publicada em

Midia introdução

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.656
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Midia introdução

  1. 1. MÍDIA PARTE I
  2. 2. Vamos entrar a fundo na mídia.
  3. 3. www.midiaindependente.org
  4. 4. Distinção entre mídia e veículo: <ul><li>Mídia : no plural médium, em latim significa meio. </li></ul><ul><li>A criação é americana e nós, brasileiros, adaptamos a palavra media e pronunciamos mídia. </li></ul><ul><li>Pode significar: os meios de comunicação ou como: o profissional de mídia quando seguido do artigo “o” </li></ul><ul><li>O MÍDIA. </li></ul><ul><li>(Fonte: Administração em Publicidade, Marcélia Lupetti. Org.) </li></ul>
  5. 5. Resumindo: <ul><li>(Gilmar Santos – Princípios da Publicidade) </li></ul><ul><li>Meio de comunicação: é o conjunto de instituições que oferecem o acesso do emissor ao receptor, através de um mesmo suporte tecnológico. Por exemplo: o conjunto das emissoras de TV, o conjunto das emissoras de rádio, o conjunto dos títulos de jornais e etc; </li></ul><ul><li>Veículo de comunicação: refere-se a uma instituição específica, dentro do conjunto de um meio, que oferece o acesso do emissor ao receptor. Por exemplo: TV Alterosa, Rádio Itatiaia, jornal Estado de Minas etc.; </li></ul>
  6. 6. Classificação de veículos <ul><li>1. Visuais : jornais, revistas, periódicos especializados, Outdoor (cartazes, painéis e luminosos); publicidade direta (prospectos, folhetos, cartas, catálogos e congêneres), exibições (displays, vitrines e exposições). </li></ul><ul><li>2. Auditivos : Rádios e auto-falantes. </li></ul><ul><li>3. Audiovisuais : televisão e cinema. </li></ul><ul><li>4. Funcionais : amostras, brindes, concursos. </li></ul><ul><li>5. Multimídia : Internet. </li></ul>
  7. 7. Características+Teóricos
  8. 8. <ul><li>Segundo Armando Sant´anna todo veículo apresenta vantagens e limitações. O melhor veículo é uma combinação de todos eles. Para que suas vantagens sejam integralmente aproveitadas é preciso conhecer bem suas características e saber selecionar aqueles que se adaptam à natureza da mensagem, sempre buscando uma boa cobertura. No Brasil, a televisão é o meio que tem maior participação no bolo publicitário, seguida do jornal, rádio, revistas, outdoor e cinema. </li></ul>
  9. 9. O que quer dizer tudo isso?
  10. 10. Pode-se dizer que o melhor veículo para uma dada campanha é aquele que atinge o maior número de consumidores-alvos, do modo mais impressivo, mais rapidamente e ao menor preço por cabeça.
  11. 11. O que o mídia deve conhecer? Assim, é fundamental à estratégia de mídia conhecer os veículos, entender a natureza e as característica de cada gênero (imprensa, TV, rádio, etc) e a circulação (cobertura), preço de peculiaridades de cada um.
  12. 12. Público-alvo Âmbito da Campanha Natureza do produto: Características, sazonalidade, qualidades comportamento do consumidor, etc. Prestígio do veículo Oportunidade Tipo de distribuição Necessidade de influenciar revendedores Atividade Publicitária dos concorrentes Fatores que devem influenciar a escolha dos veículos
  13. 13. O que é O MÍDIA?
  14. 14. Quase o administrador de uma agência. Ele é responsável pelo planejamento e administração da Verba de um cliente nos veículos de comunicação. O MÍDIA
  15. 15. PERFIL DO MÍDIA:
  16. 16. 1º Ele deve conhecer bem o Público-alvo.
  17. 17. 2º Gostar muito de MATEMÁTICA
  18. 19. Cobertura (Teóricos)
  19. 20. <ul><li>Segundo Kotler , cobertura é o número de pessoas ou famílias diferentes expostas a uma determinada programação de mídia pelo menos uma vez, durante um período de tempo especifico. </li></ul><ul><li>Mizuho Tahara diz que cobertura é a percentagem de domiciliados ou pessoas em relação ao seu universo, que foi exposta, pelo menos uma vez, à mensagem. </li></ul><ul><li>Gilmar Santos também considera cobertura a extensão territorial atingida pela campanha, geralmente denominada de mercado (grande BH, Estado de Minas Gerais, Brasil). </li></ul>
  20. 21. José Carlos Veronezzi lembra que a partir dos anos 90, grande parte do mercado passou a chamar cobertura de alcance , influenciada por um estudo do Ibope ter passado a se chamar A&F (alcance e freqüência). A confusão também se deve ao fato de que até a década de 60, cobertura era chamada de reach, cuja tradução literal em inglês é alcance.
  21. 22. Freqüência (Teóricos)
  22. 23. Freqüência, como o próprio nome diz, é o número provável de vezes que uma unidade de consumo (indivíduo, domicílio ou organização) receberá mensagem publicitária. É medida por média e em tempo determinado. Veronezzi lembra que muitas pessoas confundem freqüência com o número de vezes que o comercial é exibido, irradiado ou veiculado. Para evitar a confusão, basta lembrar que a freqüência é calculada do ponto de vista do individuo. Definir a freqüência necessária que a mensagem precisa ter sobre o público deve ser prioridade em qualquer estratégia de mídia. É impossível atingir a freqüência ideal, deve-se buscar a mais certa possível, a partir de determinados parâmetros.
  23. 24. Freqüência Cobertura
  24. 25. O que O Mídia deve saber? <ul><li>• Penetração dos meios : orienta o mídia quanto a audiência. </li></ul><ul><li>Ex. Qual o veículo de comunicação de maior audiência? </li></ul><ul><li>• Atividades da concorrência: qual o veículo que seu concorrente mais anuncia. </li></ul>

×