CARTILHA DE

RECOMENDAÇÕES
TÉCNICAS
PREZADO PRODUTOR RURAL,
A CENIBRA e o IEF - Instituto Estadual de Florestas têm
a enorme satisfação em tê-lo como parceiro...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

ÍNDICE
1. INFORMAÇÕES

5	

2. ONDE P...
6.4. RECEBIMENTO DAS MUDAS

19

6.5. TIPOS DE PLANTIO

20

6.6. ORIENTAÇÕES PARA O PLANTIO

20

6.7. ADUBAÇÃO

21

6.7.1. ...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

1. INFORMAÇÕES
Para informações acer...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

2. ONDE PLANTAR
•	Os técnicos da CEN...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

2.2. RESERVA LEGAL
•	Área que deve s...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

PRESTE ATENÇÃO
•	As atividades somen...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

3.1. SAÚVAS OU FORMIGAS CABEÇUDAS
•	...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

•	Aplicar oito doses de 6 g em cada ...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

PRESTE ATENÇÃO
•	Coloque o formicida...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

4. PROTEÇÃO AMBIENTAL
•	Recolha toda...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

5.2. PREPARO DE SOLO - ABERTURA DE C...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

5.3. PREPARO DE SOLO MECANIZADO - SU...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

5.3.2. ÁREAS DE ENCOSTAS
•	Locais de...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

5.4. CAPINA QUÍMICA
•	Uso de herbici...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

5.4.3. MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUA...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

REGIÃO ALTA - ESPAÇAMENTO 3 M X 3 M ...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

6.2. ALINHAMENTO
•	O alinhamento de ...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

6.5. TIPOS DE PLANTIO
•	Plantio irri...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

PRESTE ATENÇÃO
•	Criteriosamente rec...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

6.7.1. ADUBO NPK 06-30-06
•	Dosagem:...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

•	Deixe o mato espalhado em toda a á...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

9.2. NPK 6-10-29 - REGIÃO ALTA
•	Dos...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

9.4. CALCÁRIO/LAMA+MG - BAIXADAS - R...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

10. ORIENTAÇÕES PARA O MANEJO DA
REG...
Gema da cepa
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

•	Época da desbrota
Bro...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

Área de colheita mecanizada - Foment...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

Plantio de reboleiras
Nos talhões co...
DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL

CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

Caso ocorra incêndio, que não consig...
CANAL FALE
COM A CENIBRA

0800 283 1291
0800 283 3829
Projeto Gráfico: Café c/ Design / Ilustrações: Jorge Inácio / Fotografia: Gustavo Jácome

www.cenibra.com.br
Sede Fábrica:...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cartilha recomendacoes fomento_florestal

675 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
675
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartilha recomendacoes fomento_florestal

  1. 1. CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS
  2. 2. PREZADO PRODUTOR RURAL, A CENIBRA e o IEF - Instituto Estadual de Florestas têm a enorme satisfação em tê-lo como parceiro em nosso Programa de Fomento Florestal, cujo objetivo é incentivar a cultura de eucalipto na região de atuação da Empresa. Esta cartilha, criada especialmente para a sua orientação em todo o processo de plantio de eucalipto, é resultado dessa parceria CENIBRA - IEF e leva até você uma alternativa econômica, social e ambiental, proporcionando-lhe uma diversificação em suas atividades agrícolas. Leia esta cartilha com atenção e, em caso de dúvidas, procure a CENIBRA ou IEF nos telefones listados na página 5.
  3. 3. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS ÍNDICE 1. INFORMAÇÕES 5 2. ONDE PLANTAR 6 2.1. ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE – APP 6 2.2. RESERVA LEGAL 7 3. COMBATE A FORMIGAS 8 3.1. SAÚVAS OU FORMIGAS CABEÇUDAS 9 3.2. FORMIGAS QUENQUÉM 10 4. PROTEÇÃO AMBIENTAL 12 5. LIMPEZA DE ÁREA E PREPARO DO SOLO 12 5.1. LIMPEZA DE ÁREA: ROÇADA MANUAL 12 5.2. PREPARO DE SOLO - ABERTURA DE COVAS 13 5.3. PREPARO DE SOLO MECANIZADO - SUBSOLADOR 14 5.3.1. ÁREAS DE BAIXADAS 14 5.3.2. ÁREAS DE ENCOSTAS 15 5.4. CAPINA QUÍMICA 16 5.4.1. EQUIPAMENTOS PARA APLICAÇÃO 16 5.4.2. DOSAGEM 16 5.4.3. MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E AMBIENTAL 17 6. PLANTIO 17 6.1. ESPAÇAMENTO 17 6.2. ALINHAMENTO 19 6.3. MARCAÇÃO 19 3
  4. 4. 6.4. RECEBIMENTO DAS MUDAS 19 6.5. TIPOS DE PLANTIO 20 6.6. ORIENTAÇÕES PARA O PLANTIO 20 6.7. ADUBAÇÃO 21 6.7.1. ADUBO NPK 06-30-06 22 7. REPLANTIO 22 8. MANUTENÇÃO APÓS O PLANTIO 22 8.1. CAPINA MANUAL TOTAL 22 8.2. CAPINA QUÍMICA TOTAL 23 9. ADUBAÇÃO DE MANUTENÇÃO 23 9.1. NPK 6-10-29 - ENCOSTAS E TOPO - REGIÃO BAIXA 23 9.2. NPK 6-10-29 REGIÃO ALTA 24 9.3. NPK 6-18-20 - BAIXADAS E REGIÃO BAIXA 24 9.4. CALCÁRIO / LAMA+MG - BAIXADAS - REGIÃO BAIXA 25 9.5. CALCÁRIO / LAMA+MG - ENCOSTAS E TOPO - REGIÃO BAIXA 25 9.6. CALCÁRIO / LAMA+MG - REGIÃO ALTA 25 10. ORIENTAÇÕES PARA O MANEJO DA REGENERAÇÃO 10.1. DEFINIÇÃO DE ÁREAS COM POTENCIAL PARA CONDUÇÃO BROTAÇÃO 26 26 11. ACEIROS E CERCAS 29 12. MANUTENÇÃO FLORESTAL 29
  5. 5. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 1. INFORMAÇÕES Para informações acerca do Programa de Fomento Florestal procure um dos escritórios da CENIBRA ou IEF mais próximo da sua cidade. CENIBRA CIDADE TELEFONE Belo Oriente.................................... Guanhães........................................ Nova Era......................................... Administração Fomento................... (31) (33) (33) (31) 3829 3421 3861 3829 - 5947 4125 4800 5117 INSTITUTO ESTADUAL DE FLORESTAS - IEF CIDADE TELEFONE Caratinga....................................... Regional Rio Doce/Gov. Valadares.. Governador Valadares..................... Guanhães....................................... João Monlevade.............................. Regional Manhuaçu........................ Raul Soares.................................... Timóteo......................................... Regional Alto Jequitinhonha............ Regional Zona da Mata/Ubá........... Ponte Nova.................................... 5 (33) (33) (33) (33) (31) (33) (33) (31) (38) (32) (31) 3321 3277 3277 3421 3852 3331 3351 3847 3531 3531 3881 - 6011 8686 9524 3355 6684 3380 2746 6017 3919 1291 1413
  6. 6. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 2. ONDE PLANTAR • Os técnicos da CENIBRA e do IEF podem ajudá-lo na escolha da área. • Dê preferência às áreas próximas de estradas para facilitar as atividades de plantio e colheita. • Evite plantar em áreas vizinhas às benfeitorias e rede elétrica, entre outras. • Respeite as normas ambientais de proteção à natureza. PRESTE ATENÇÃO Não plantar em áreas de APP e Reserva Legal 2.1. ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE – APP • Área em torno de nascentes, rios, córregos e lagoas. Limites de Preservação: • 30 m ao longo de córregos com até 10 m de largura. • 50 m ao redor de nascentes e olhos d’água. • 50 m ao redor de lagoas com menos de 20 ha. • Áreas com declividade maior que 45% ou 100%. Preservação permanente Curso de água 6 Plantio
  7. 7. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 2.2. RESERVA LEGAL • Área que deve ser preservada dentro da propriedade e deve ser no mínimo 20% da área total. A reserva legal deve ser preferencialmente vegetação representativa da região. • A reserva legal deve ser áreas com cobertura vegetal densa, e dar preferência a áreas de solos susceptíveis a erosão e se possível ligadas a APP. Reserva Legal Plantio
  8. 8. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PRESTE ATENÇÃO • As atividades somente deverão ser iniciadas após: • A vistoria prévia do local e sua liberação por parte do técnico do IEF. • A assinatura do contrato com a CENIBRA. • Somente os técnicos do IEF poderão liberar licença para limpeza de área. 3. COMBATE A FORMIGAS • É muito importante fazer o primeiro combate a formigas antes de iniciar qualquer atividade no local escolhido para plantio. • Dê atenção aos grandes formigueiros, principalmente aqueles localizados nas divisas e nas áreas de reservas. • Procure percorrer até 100 m de distância ao redor das áreas de plantio. 8
  9. 9. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 3.1. SAÚVAS OU FORMIGAS CABEÇUDAS • Faça a medição do tamanho do formigueiro, percorrendo toda a extensão de terra solta e medindo o seu comprimento e largura em forma de cruz. • Calcule a área do formigueiro, multiplicando o maior comprimento pela maior largura. • Veja na figura abaixo como calcular a dosagem por formigueiro: 8m 6m 8 m x 6 m = 48 m2 8 colheres de 6 g em 6 olheiros • Localizar o monte de terra solta. • Medir o maior comprimento e a maior largura. O exemplo do resultado foi 6 m de largura por 8 m de comprimento. • Escolher seis olheiros na borda da terra solta e raspar até sair bastante formiga. 9
  10. 10. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS • Aplicar oito doses de 6 g em cada um dos seis olheiros raspados. Esse procedimento resultará na dose correta a ser aplicada sempre, independente da forma e tamanho do formigueiro. • Aplicar uma dose de 6 g de isca em todos os olheiros que estiverem a mais de um metro de distância do monte de terra solta. PRESTE ATENÇÃO • Não fume durante a aplicação de formicida. • Não aplicar em dias chuvosos. • Usar EPI recomendado. • Não reutilizar as embalagens de formicida. • Proteger a formicida da umidade e longe de produtos que emitem odores. • Quando for para aplicação no campo, a formicida deve ser armazenada na sombra. • Lavar o rosto e as mãos sempre que utilizar a formicida. 3.2. FORMIGAS QUENQUÉM • Esta espécie de formiga tem o hábito de se movimentar nas primeiras horas do dia e nos finais de tarde. • Seu formigueiro é de pequena extensão, tendo o tamanho de até 1 m². • Aplique 6 g de formicida por m² ou formigueiro. 10
  11. 11. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PRESTE ATENÇÃO • Coloque o formicida ao lado dos carreadores e em local seco no solo. • Se o solo estiver úmido, aplique o formicida em cima de folhas ou casca de árvore. • Não armazene formicida junto com produtos que exalam cheiro, tais como gasolina e outros. • Armazenar embalagens de agrotóxico longe do alcance de crianças. • Não armazenar as embalagens de agrotóxico em contado direto com o solo. • Não fume durante a aplicação de formicida. • Não aplique formicida nos olheiros com terra solta. 11
  12. 12. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 4. PROTEÇÃO AMBIENTAL • Recolha todas as embalagens de formicida (papel e plástico), para que sejam devolvidas aos técnicos da CENIBRA. • A lei ambiental exige que essas embalagens sejam devolvidas ao fabricante. • É proibido queimar ou reutilizar essas embalagens. • Use luvas de PVC para manusear o formicida. 5. LIMPEZA DE ÁREA E PREPARO DO SOLO 5.1. LIMPEZA DE ÁREA: ROÇADA MANUAL • Corte toda a vegetação o mais baixo possível. • Retire todo material lenhoso da área de plantio. 12
  13. 13. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5.2. PREPARO DE SOLO - ABERTURA DE COVAS • Utilize enxadão para fazer as covas. • Faça covas com as seguintes dimensões: 30 cm de altura, 30 cm de largura e 30 cm de comprimento para coveamento manual, e de 25 cm de diâmetro e 30 cm de profundidade para áreas de motocoveadoras. • Retire a terra e a triture fora da cova, retornando-a para a cova. • A cova deve ser preenchida integralmente após sua abertura. • Deixe um espaço de 5 cm abaixo da superfície para facilitar a coleta de água. • Aperte levemente a terra na cova, ficando, assim, pronta para o dia do plantio. IMPORTANTE Limpe bem o local da cova para evitar o acumulo de matéria orgânica e proliferação de doenças na muda após o plantio. 25 ou 30 cm 25 ou 30 cm 30 cm
  14. 14. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5.3. PREPARO DE SOLO MECANIZADO - SUBSOLADOR 5.3.1. ÁREAS DE BAIXADAS • Locais de ocorrência em áreas mecanizáveis de baixada, subsolar a no mínimo 60 cm de profundidade. • Qualidade esperada: No mínimo de 60 cm de profundidade e 80 cm de faixa superficial de solo revolvido. RESERVATÓRIO DE FERTILIZANTE CONDUTOR DE FERTILIZANTE BICO PARA APLICAÇÃO DE PRÉ-EMERGENTE CHASSI 45° HASTE DISCO DE CORTE 80 cm PONTEIRA 23° 60 cm 14
  15. 15. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5.3.2. ÁREAS DE ENCOSTAS • Locais de ocorrência em áreas mecanizáveis de encosta, subsolar a no mínimo 40 cm de profundidade. • Qualidade esperada: No mínimo de 40 cm de profundidade e 60 cm de faixa superficial de solo revolvido. 60 cm 40 cm IMPORTANTE • Realizar a operação sempre no sentido contrário (perpendicular) ao da maior declividade do terreno. • Ficar atento aos pontos onde ocorre dificuldade do implemento atingir profundidade de preparo recomendada, pois é exatamente nestes locais que há a necessidade de um maior revolvimento do solo a maiores profundidades. • Nas áreas de maior compactação verificar se a grade está realizando a desagregação dos blocos de solo adequadamente para o plantio de mudas. • Planejar a atividade de subsolagem de modo que sempre haja frentes de área subsolada para serem plantadas no período. Ou seja, não deixar de subsolar a área mecanizável (<150) em função da dificuldade de realizar a operação de subsolagem no período chuvoso. PRESTE ATENÇÃO • O preparo do solo é uma prática de manejo altamente recomendada pela CENIBRA porque melhora a produtividade e proporciona ganhos ambientais. 15
  16. 16. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5.4. CAPINA QUÍMICA • Uso de herbicidas é uma prática bastante utilizada, sendo de fácil manejo e de custo mais barato. • Procure eliminar com antecedência as gramíneas, tais como brachiária, grama, sapé, meloso, andrequicé e outras. • A matocompetição prejudica o crescimento do eucalipto e causa prejuízo para o seu negócio. 5.4.1. EQUIPAMENTOS PARA APLICAÇÃO • Pulverizador costal de 20 litros. • Bico espuma, modelo YAMAHO (25), Al 110015 VS ou TTI 110015. • Chapéu protetor de fibra de vidro ou PVC. • Válvula reguladora de pressão. • A pressão de trabalho deve ser 15 ou 30 libras. 5.4.2. DOSAGEM Prepare a calda com 400 ml de herbicida em 20 litros de água, para uma concentração de 2%. 16
  17. 17. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 5.4.3. MEDIDAS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E AMBIENTAL • Utilize luvas de PVC, botas de borracha, máscara descartável, chapéu e macacão. • Evite colocar as mãos no produto ou na calda. • Não reutilize embalagens vazias do produto. • Para maior segurança, repita a lavagem das embalagens por três vezes. • Não fume, não beba e não coma durante as aplicações. • Tenha sempre em mãos o receituário agronômico. • Devolva todas as embalagens ao fornecedor. IMPORTANTE • Não faça capina em faixa no sentido da declividade do terreno, pois esse procedimento provoca erosão com as águas da chuva. 6. PLANTIO 6.1. ESPAÇAMENTO • Siga o espaçamento orientado pelos técnicos da CENIBRA ou IEF. • O espaçamento recomendado, testado com antecedência nas áreas da CENIBRA, garante o melhor desenvolvimento do plantio. • Para o programa de Fomento na região alta, o espaçamento recomendado é de 3 m x 3 m e, na região baixa, o espaçamento recomendado é de 3 m x 2,5 m conforme demonstrado na página seguinte. 17
  18. 18. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS REGIÃO ALTA - ESPAÇAMENTO 3 M X 3 M (1.111 MUDAS/HECTARE) 3m 3m 3m 3m 3m REGIÃO BAIXA - ESPAÇAMENTO 3 M X 2,5 M (1.333 MUDAS/HECTARE) 2,5 m 2,5 m 3m 2,5 m 3m 18
  19. 19. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 6.2. ALINHAMENTO • O alinhamento de plantio é no sentido da declividade do terreno. • Utilize balizas de 3 metros de comprimento. • Coloque uma baliza, em linha reta, de 30 em 30 m, para definir o alinhamento (linha mestra). • Faça o alinhamento com pessoa treinada. 6.3. MARCAÇÃO • Utilize uma pequena enxada com o cabo no mesmo tamanho do espaçamento entre as covas, ou seja, 3 m. • A ponta do cabo deverá estar na direção da marcação anterior para poder fazer a próxima, mantendo assim o alinhamento. • Siga a reta do balizamento, cuidadosamente. 6.4. RECEBIMENTO DAS MUDAS • As mudas são entregues nas fazendas nos dias que antecedem o plantio. • Caso as mudas não sejam plantadas até 3 dias a partir do recebimento deve-se reduzir pela metade no numero de mudas da bandeja. Exemplo: total de 176 mudas por bandeja, deixar 98 mudas por bandeja. • Mantenha as mudas em local ensolarado. • O local escolhido para viveiro de espera deve estar limpo, livre de mato competição. • Faça a irrigação de acordo com a necessidade (observar ponto de murcha), evitando a lavagem de nutrientes presentes no substrato, utilizar sistema de chuveiro. • Observe a ação de formigas próximas às mudas. • Faça um estaleiro para apoiar as bandejas e não as deixe em contato direto com o solo. • Caso não seja possível fazer o estaleiro, é preciso fazer a remoção das bandejas ao menos uma vez por semana, para evitar o enraizamento. 19
  20. 20. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 6.5. TIPOS DE PLANTIO • Plantio irrigado: Somente realize depois de receber orientações técnicas específicas dos técnicos da CENIBRA. • Plantio não irrigado: Faça-o em dias chuvosos e úmidos. • Procure colocar o maior número de pessoas em atividade no dia do plantio, para poder aproveitar as chuvas. 6.6. ORIENTAÇÕES PARA O PLANTIO • Não puxar a muda do tubete para não danificar as raízes. • Para facilitar a saída da muda, bata a borda superior do tubete na bandeja ou na enxada. • Use o regulador de profundidade como “chucho com limitador orelha de onça” para fazer a covinha da muda. • Mergulhe as mudas até a altura das folhas na solução de adubo MAP e cupinicida enviados pela CENIBRA. • Realizar a última irrigação no mínimo 4 horas antes do tratamento com cupinicida e MAP. • O “chucho” deve ter o mesmo tamanho e a forma do tubete. De preferência, use o próprio tubete. • Após imersão cuidado para não respingar solução nas folhas das mudas, evitando a queima pela ação do MAP. • Durante o transporte das mudas para o interior do talhão até o plantio, manter o substrato saturado. • Prepara a bacia de contenção para águas da chuva. 20
  21. 21. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PRESTE ATENÇÃO • Criteriosamente recolha os tubetes e as bandejas para posterior devolução a CENIBRA. • Mantenha pessoas no combate a formigas. 6.7. ADUBAÇÃO • A adubação é feita depois do plantio. • Coloque a dosagem recomendada pelos técnicos da CENIBRA. • Utilize dosadores. 21
  22. 22. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 6.7.1. ADUBO NPK 06-30-06 • Dosagem: 100 g por cova, sendo metade em cada lado da muda. • Época: De 0 a 25 dias após o plantio. • Limpeza da área: Deve ser feita antes da adubação. • Aplicação: Duas covetas laterais com 10 a 15 cm de profundidade a uma distancia de 15 a 20 cm da muda. • Usar o tubete vazio com o chucho para fazer a coveta. • Cobrir o adubo com uma camada de solo após a aplicação. ADUBO 7. REPLANTIO • Faça o replantio em até 21 dias após o plantio, para recompor as falhas e manter a uniformidade de crescimento. • Faça nova adubação de plantio nas mudas que foram replantadas usando o adubo NPK 06-30-06 e aplicando 100 g/muda replantada. 8. MANUTENÇÃO APÓS O PLANTIO • Faça capina tão logo perceba infestação no local, pois o eucalipto tem dificuldade de crescimento na presença de plantas daninhas. • A capina pode ser feita manual total ou química total, ou seja, com uso de herbicida. 8.1. CAPINA MANUAL TOTAL • Faça a capina em toda a área, se possível em dias de sol, para melhor eliminação do mato. 22
  23. 23. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS • Deixe o mato espalhado em toda a área e em volta da muda para protegê-la contra a erosão e a perda de umidade no solo. • Não disponha o mato originado da capina formando leiras ou faixas no sentido da declividade do terreno, pois esse procedimento provoca erosão com as chuvas. 8.2. CAPINA QUÍMICA TOTAL • Siga o procedimento mostrado anteriormente na página 16. 9. ADUBAÇÃO DE MANUTENÇÃO • Serão enviados à propriedade dois tipos de adubo para a adubação de manutenção. • Aplique o adubo na dosagem recomendada pelos técnicos da CENIBRA. • Utilize os dosadores. 9.1. NPK 6-10-29 - ENCOSTAS E TOPO - REGIÃO BAIXA • Dosagem: 600 kg/ha (400 + 200), divididas em duas aplicações. • Época: 1ª Aplicação: 400 kg/ha. Nos plantios realizados de outubro a janeiro realizar aplicação em janeiro e fevereiro, e nos plantios realizados de fevereiro a setembro a 1ª aplicação será no período de fevereiro a outubro. • 2ª Aplicação: 200 kg/ha. Deverá ser realizada de agosto a novembro do ano seguinte à 1ª aplicação. • Modo de Aplicação: Duas faixas de 1 m aproximadamente 60 cm do centro da cova, ou no limite da projeção da copa (quando este estiver a mais de 60 cm do centro da cova). • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. 23
  24. 24. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 9.2. NPK 6-10-29 - REGIÃO ALTA • Dosagem: 800 kg/ha (400 + 400). • Época: 1ª Aplicação: 400 kg/ha. Nos plantios realizados de outubro a janeiro realizar aplicação em janeiro e fevereiro, e nos plantios realizados de fevereiro a setembro a 1ª aplicação será no período de fevereiro a outubro. • 2ª Aplicação: 400 kg/ha. Deverá ser realizada de agosto a novembro do ano seguinte à 1ª aplicação. • Aplicação: Duas faixas de 1 m aproximadamente 60 cm do centro da cova, ou no limite da projeção da copa (quando este estiver a mais de 60 cm do centro da cova). • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. 9.3. NPK 6-18-20 - BAIXADAS E REGIÃO BAIXA • Dosagem: 400 kg/ha. • Época: Aplicação Única: 400 kg/há. Nos plantios realizados de outubro a janeiro realizar aplicação em janeiro e fevereiro, e nos plantios realizados de fevereiro a setembro a 1ª aplicação será no período de fevereiro a outubro • Aplicação: Duas faixas de 1 m aproximadamente 60 cm do centro da cova, ou no limite da projeção da copa. • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. ADUBO PRESTE ATENÇÃO • Não coloque o adubo no pé da planta, pois esse procedimento provoca a queima e a morte da muda. • A aplicação deve ser feita na área livre de matocompetição, portanto, limpe a área antes da aplicação do adubo. 24
  25. 25. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 9.4. CALCÁRIO/LAMA+MG - BAIXADAS - REGIÃO BAIXA • Dosagem: 700 kg/ha. • Época: Janeiro a dezembro. Seis meses antes e até seis meses após o plantio. • Limpeza da área: Deve ser feita antes da adubação. • Aplicação: Espalhando a 1 m do centro da cova na entrelinha. • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. 9.5. CALCÁRIO/LAMA+MG - ENCOSTAS E TOPO REGIÃO BAIXA • Dosagem: 1.000 kg/ha. • Época: Janeiro a dezembro. Seis meses antes e até seis meses após o plantio. • Limpeza da área: Deve ser feita antes da adubação. • Aplicação: Espalhando a 1 m do centro da cova na entrelinha. • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. 9.6. CALCÁRIO / LAMA+MG – REGIÃO ALTA • Dosagem: 1.500 kg/ha. • Época: Janeiro a dezembro. Seis meses antes e até seis meses após o plantio. • Limpeza da área: Deve ser feita antes da adubação. • Aplicação: Espalhando a 1 m do centro da cova na entrelinha. • Use o dosador, colocando uma dose em cada lado da planta. 25
  26. 26. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS 10. ORIENTAÇÕES PARA O MANEJO DA REGENERAÇÃO 10.1. DEFINIÇÃO DE ÁREAS COM POTENCIAL PARA CONDUÇÃO BROTAÇÃO • Limpeza da cepa Até uma semana após o baldeio, deve-se limpar toda a cepa que estiver coberta de resíduo em um raio de 15 cm da borda da cepa, para que a emissão do broto não seja comprometida. Onde não houver presença de resíduos, esta operação não é necessária. Gema da cepa Nas cepas onde o corte foi realizado a menos de 5 cm da superfície do solo ou quando a cepa estiver com a casca “descolada”, retirar uma camada superficial do solo que esteja em contato com a cepa. Esta operação tem o objetivo de aumentar a quantidade de gemas expostas. Conduzir Descartar 26
  27. 27. Gema da cepa DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS • Época da desbrota Brotação com altura média de 70 a 150 cm (sistema de desbrota precoce). • Seleção do broto a ser conduzido Selecionar o broto mais vigoroso da cepa (maior altura e maior diâmetro). Obs.: Em áreas declivosas o fuste (broto) a ser conduzido deve estar localizado ao lado da cepa na posição superior do terreno (mais próximo possível do solo). Conduzir Descartar • Número de brotos por cepa Área de colheita manual - Fomento 1a opção - Conduzir uma quantidade de brotos equivalentes a população original do talhão. Portanto, quando houver falha na cepa vizinha devem ser conduzidos dois brotos por cepa, na cepa de maior diâmetro vizinha a falha. 2a opção - Adotar o mesmo critério da 1ª opção e nas plantas de bordadura e na vizinha a estas, conduzir dois brotos por cepa. Obs.: Poderão ser conduzidos dois brotos em todas as cepas, apesar de não estar entre as opções recomendadas. 27
  28. 28. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS Área de colheita mecanizada - Fomento Conduzir um broto por cepa nos casos onde for utilizado o sistema de colheita Harvester. Nos demais sistemas adotar a mesma recomendação feita para área de colheita manual. Gema da cepa • Iniciar a atividade pela touca onde esta presente o broto selecionado para ser conduzido. No caso de existir algum broto aderido a aquele selecionado para condução, proceder sua retirada manualmente, deslocando-o para baixo (nunca lateralmente). Após o término desta etapa realizar o deslocamento dos demais brotos. Controle do “broto ladrão” Realizar o controle aproximadamente até quatro meses apos a desbrota, utilizando cavadeira ou herbicida . Caso tenha ocorrido algum problema com o broto anteriormente selecionado para condução, conduzir o melhor broto ladrão em substituição ao broto danificado. Obs.: Priorizar o controle do broto ladrão utilizando a cavadeira. 28 Conduzir Descartar
  29. 29. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS Plantio de reboleiras Nos talhões conduzidos por talhadia que apresentarem falhas em reboleira deve-se realizar a reforma desta área (da reboleira). Definição de reboleira: Área contínua com formato irregular maior que 600 m2, no interior da qual a sobrevivência seja menor que 40%. PRESTE ATENÇÃO Adubação, combate a formiga e capina química da regeneração: ver recomendações de plantio. 11. ACEIROS E CERCAS • Limpe uma faixa ao redor do plantio, evitando danos por incêndio. • Faça cerca de arame para evitar a entrada de animais. 12. MANUTENÇÃO FLORESTAL • Realizar inspeções na área periodicamente para detectar a presença de formigas. • Ocorrências de pragas ocasionais como lagartas, besouros, percevejo entre outros devem ser informadas ao supervisor da CENIBRA. • Comunique aos técnicos da CENIBRA e IEF qualquer anormalidade no plantio (quebra por vento e outros). • Fique sempre alerta quanto ao risco de “fogo”, mantendo limpos os aceiros e cercas de divisas. 29
  30. 30. DEPARTAMENTO DE SILVICULTURA - FOMENTO FLORESTAL CARTILHA DE RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS Caso ocorra incêndio, que não consiga controlar avise a CENIBRA: LI G U E G R ÁT IS 0800 283 1291 30
  31. 31. CANAL FALE COM A CENIBRA 0800 283 1291 0800 283 3829
  32. 32. Projeto Gráfico: Café c/ Design / Ilustrações: Jorge Inácio / Fotografia: Gustavo Jácome www.cenibra.com.br Sede Fábrica: Rodovia BR 381 - km 172 Distrito de Perpétuo Socorro • Belo Oriente Minas Gerais • Brasil • CEP 35.196-972 • Caixa Postal 100 Telefone: (31) 3829 5010 • Fax: (31) 3829 5260 E-mail: comunicaocorporativa@cenibra.com.br

×