Trem local

622 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
622
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trem local

  1. 1. TREM LOCAL ALUMÍNIO-BARUERI Autor: Rodrigo Alves de Paula (Arquitetura e Urbanismo – Uniso) 1. DESCRIÇÃO GERAL Serviço ferroviário local na antiga linha tronco da Estrada de FerroSorocabana entre as estações de Alumino e Antônio João (Barueri),funcionando como um alimentador e complemento do futuro TremRegional São Paulo-Sorocaba, com conexão na futura estação São Roquedo Regional, servindo também de um sistema local de mobilidadedestinado aos moradores da Microrregião de São Roque e integrado aosfuturos Expresso Oeste-Sul e VLT de Alphaville. 2. CARACTERÍSTICAS GERAISExtensão: 53,8 kmEstações: 9 (2 a construir)Apeadeiros: 5Bitola: 1600 mmVelocidade média de operação: 45 Km/h
  2. 2. 3. VIA PERMANENTE Situação atual da linha-tronco da antiga Sorocabana, próxima a São Roque.(foto de Reynaldo Marcondes: http://www.estacoesferroviarias.com.br/p/paradacinzano.htm) - O trem correrá pela antiga linha-tronco da Sorocabana, entre os km25 (Antônio João) e 78,8 (Alumínio); - Será necessária a adoção de bitola mista (1000/1600 mm) entre oskm 42,6 (Amador Bueno) e 70 (Pantojo) para que as composições possamoperar com segurança; - Entre os km 70 e 78, o sistema usará o Ramal da CBA, de bitolamista e que conecta o Corredor de Exportação à usina da Cia. Brasileira deAlumínio (CBA); - O Ramal da CBA e o trecho da antiga Sorocabana entre Pantojo eAmador Bueno, atualmente sob administração da América Latina Logística(ALL), passariam a ser administrados pela CPTM; - O trecho entre São Roque (km 63,8) e Mairinque (km 69,1) teráuma linha paralela em bitola métrica exclusiva para o uso do TremTurístico existente entre as duas cidades, com o uso de locomotivas avapor;
  3. 3. - O trecho entre São Roque (km 63,8) e Mailasqui (km 53,8) passaráa ser via única, exceto na área onde será construída a estação do TremRegional em São Roque. Outro trecho que também terá via única(“desduplicação”) será entre Mairinque (km 69,1) e Pantojo (69,8); - Será construída alça de acesso sentido Interior-Capital entre alinha-tronco da Sorocabana e o Corredor de Exportação, no km 70, paradesvio dos trens cargueiros de bitola métrica que se dirigem ao Porto deSantos; - Os trilhos serão do tipo TR-57 para suportar o tráfego de eventuaistrens cargueiros da ALL para São Paulo e os dormentes serão de concretosomente defronte às estações e apeadeiros, podendo ser de madeira norestante da linha. 4. ESTAÇÕES O serviço terá nove estações, a saber: Antônio João: operacional, usada pela Linha 8 da CPTM e, futuramente, ao VLT de Alphaville. Será ampliada para receber o trem local; Barueri: operacional, usada pela Linha 8 da CPTM e, futuramente, ao Expresso Oeste-Sul; Jandira: operacional, usada pela Linha 8 da CPTM; Itapevi: operacional, usada pela Linha 8 da CPTM; Mailasqui: desativada e abandonada. Será reformada para receber bilheteria e pequena lanchonete. Seu pátio será usado para depósito das composições, a ser detalhado ainda neste resumo; São Roque – Regional: futura estação do Trem Regional; São Roque – antiga: operacional para o trem turístico. Será adaptada para receber bilheteria;
  4. 4. Mairinque: em reformas para receber o trem turístico. Receberá bilheteria e pequena lanchonete; Alumínio: será construída no km 78,8, 500 metros antes da atual estação por três motivos: localização do pátio atual dentro da Cia. Brasileira de Alumínio, forte poluição provocada pela fábrica e dificuldades de acesso pelos usuários. A nova estação terá estacionamento, bilheteria, máquinas de vending-machine e pequeno terminal rodoviário. O sistema também terá apeadeiros, que são pontos de parada dos trens com o mínimo de infra-estrutura (assentos, cobertura e informações ao usuário). Serão cinco, no total: Pantojo, Marmeleiro, Vila Amaral, Gabriel Piza e São João Novo. O pátio de recolha dos trens será em Mailasqui, dotado de posto de abastecimento, pequena oficina para consertos rápidos e instalações para funcionários. 5. VEÍCULO A composição a ser usada no serviço local será do tipo Automotrizou railcar, sendo que o sistema não será eletrificado num futuro próximo. Cada veículo será formado por dois carros acoplados por articulação,tendo as seguintes características: - Transmissão diesel-mecânica - Dois motores diesel de 390 kW - 41 metros de comprimento - 120 assentos - Velocidade máxima de 75 Km/h - Sanitário a bordo
  5. 5. - Piso baixo em 70% do salão; - 3 portas e, cada lado (2 no salão de piso baixo e 1 no piso alto paraoperações nas estações da L8); - Ar-condicionado - Espaço para três bicicletas - Possibilidade de tração múltipla Cada veículo terá uma tripulação formada por dois profissionais:maquinista e revisor/fiscal verificador. Para o serviço, serão necessários 8 automotrizes, dos quais 6 farão aoperação Alumínio - Antônio João, 1 ficará de reserva em Mailasqui e 1fará a viagem especial Alumínio - Osasco, no qual a composição ficará nasoficinas de Presidente Altino para revisão semanal e manutenção pesada(sendo um veículo por dia, em esquema de revezamento). Trem Alstom Coradia LINT, com algumas das especificações para o trem local (http://en.wikipedia.org/wiki/Coradia_Lint).
  6. 6. 6. OPERAÇÃO - O trem local ligará Alumínio a Antônio João em 75 minutos deviagem a uma velocidade média de 45 Km/h; - Serão realizadas 108 viagens entre as duas estações, com headwayde 30 minutos nos dias úteis; aos Sábados, o headway será diminuídopara uma hora e o intervalo aos Domingos e Feriados será de duashoras; - O horário de operação será entre as 05:00 e 23:00; - Haverá um serviço especial diário ligando Alumínio a Osasco, comuma única saída de Alumínio às 05:00 e de Osasco às 17:00. Esseserviço será usado por uma composição a fazer revisão semanal emanutenção pesada nas oficinas de Pres. Altino, havendo umrevezamento diário entre a frota; - A tarifa será a mesma praticada em toda a rede da CPTM; mas, nãohaverá integração tarifária com a L8. As combinações trem local-VLTAlphaville, trem local-Trem Regional e trem local-Expresso Oeste-Sulpossibilitarão um desconto na soma entre as duas tarifas, a definir; - Nos apeadeiros, haverá leitores do Cartão BOM, adotando osistema proof-of-payment. Assim, cada trem haverá um fiscal que iráverificar se o cartão foi validado. As estações terão bloqueiostradicionais; - Em algumas estações, haverá bolsões de estacionamento paraautomóveis, motos e bicicletas; - A sinalização ferroviária será feita através da central de operaçõesda CPTM, por meio do CTC (Controle de Tráfego Centralizado),integrado à central de operações da ALL em Curitiba devido ao tráfegomútuo de cargueiros. As AMV’s serão controladas da central,dispensando a operação humana presencial (comum em pequenas linhaslocais na Europa).
  7. 7. 7. CONCLUSÃO Por se tratar de um pequeno resumo, ainda não foram estabelecidosos custos reais de implantação e operação, bem como a demanda a seratendida. No entanto, o sistema terá capacidade de transportar até 12.900passageiros/dia, podendo atender facilmente à demanda local depassageiros no eixo São Roque-Grande São Paulo. A implantação do trem local não exige grandes obras de engenharia;seria, na verdade, uma revitalização de toda a via permanente e infra-estrutura existente nos 54 km de trilhos entre Alumínio e Antônio João.Também não será preciso nenhuma retificação de traçado, já que o atualcondiz com a proposta de operação de viagens locais. De 1924 a 1998, a região de São Roque foi atendida por serviçosferroviários metropolitanos e a sua desativação foi um erro que trouxeprejuízos para toda a população local. A sua reativação e modernizaçãotraria uma alternativa ecológica e eficiente para milhares de pessoas que sedeslocam diariamente entre a Região Metropolitana Oeste e a Microrregiãode São Roque, considerando também que a sua operação será essencialpara o êxito do futuro Trem Regional São Paulo-Sorocaba.

×