O POVO BRASILEIRO E A GAMBIARRA!!!                                                                              (por Eng G...
O POVO BRASILEIRO E SUAS GAMBIARRAS
O POVO BRASILEIRO E SUAS GAMBIARRAS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O POVO BRASILEIRO E SUAS GAMBIARRAS

593 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O POVO BRASILEIRO E SUAS GAMBIARRAS

  1. 1. O POVO BRASILEIRO E A GAMBIARRA!!! (por Eng Glauber Maurin)A criatividade do povo brasileiro é sem dúvida uma característica marcante! Durante nossoaprendizado em inspeções e treinamentos por aí, deparamos com inúmeras situações e relatos dosfamosos RTE “recursos técnicos de emergência”.O brasileiro prefere deixar de lado padrões técnicos e normativos ou ainda burlá-los quando se tratade solucionar um determinado problema específico.Comecei de curioso a filosofar: Qual a origem desta preferência pela “gambiarra”. Seria a únicaexplicação a falta de recursos financeiros do nosso povo? Acredito só isso não! Seria muito simplista.Freqüentemente nos deparamos com casos de que se gasta mais com a gambiarra do que com asolução adequada.Brasileiro é imediatista, isto é, “pensa curto”! Talvez pela explicação de que vivemos várias décadassob uma inflação, sem poder planejar um futuro a longo prazo. Então, tenta-se resolver uma situaçãoo mais rápido possível, sem prever que lá na frente isso tornará mais oneroso consertardefinitivamente. Talvez pela nossa alegria e conformismo de que está tudo bom! Aceitamos os mandos e desmandosde nossos governantes, como se fossemos ainda colonos ou súditos de um reinado onde o rei é donode nossas vidas, ele tem a obrigação de resolver todos os nossos problemas. O brasileiro se senteimportante em poder dar os seus “jeitinhos” porque ele conhece algum político. É novamente nãopensa que isto tornar-se mais caro do que as vias normais e cada vez delegamos oportunidade domercado do funcionalismo público do princípio “dificultar a solução para poder cobrar mais caro pela asolução por fora”.Mas cheguei a uma conclusão pelo menos mais bonita para esta característica feia brasileira, somosum povo relativamente novo, durante muito tempo um país essencialmente agrícola, geograficamentemuito distante de outros países considerados produtores industriais ou produtores de pensamentoscientíficos. Então, tornavam-se muito demorado e custoso soluções técnicas adequadas. Ainda nocomeço do século passado, imagina você ter de esperar uma peça para se substituir a uma quebradana indústria de fiação do Matarazzo. Teríamos de solicitar via carta ou telegrafo, de uma fabricante naEuropa, ele despachar de navio e depois de alguns meses estaria disponível em nosso porto de Santos.Que processo industrial agüentaria isso, mesmo naquela época? Imagina nossos engenhos de açúcarou torrefação de café no meio das fazendas interioranas!Então, o raciocínio criativo dos nossos matenedores da época, homens sem nenhuma escolaridade,sem nenhuma referencia técnica, era colocado para laborar... !Amarra com um arame, faz a peça noferreiro com qualquer coisa parecida com aço, desmonta aquela para arrumar esta, cola com cera deabelha, e outras... Esta cultura foi sendo passada, de pai para filho, para neto...Talvez alguém discorde com isso, mas prefiro esta explicação. O fato é que precisamos mudar issourgente se quisermos melhorar também a nossa segurança do trabalho!FAZER BEM FEITO DA PRIMEIRA VEZ PARA NÃO TER DE FAZER DE NOVO!

×