Embalagens para Transporte Terrestrede Produtos PerigososABRE – Associação Brasileira de Embalagem              Luciana Pe...
Presidente Paulo Sérgio Peres    40 anos de atividade  300 empresas associadas
Anuário ABRE da Embalagem
Comitê Brasileiro de Embalagem e Acondicionamento      Grupos Técnicos de Trabalho
O papel da ABRE no processo de            normalizaçãoRepresentação institucional formal do setor
A normalização faz parte do                desenvolvimento do país    INMETRO   Requisitos de    conformidade             ...
ClarezaAgências                        SetorReguladoras    Factibili-     Produtivo                 dade              Cred...
Agências                Setor     Reguladoras            Produtivo• Estabelecimento de  critérios ideais e     • Participa...
EMPRESASINMETRO   ABRE                 DO SETOR
A embalagempara a sociedade       Proteção   AcondicionamentoTransporte / Distribuição     Identificação       Consumo
AVAL             E             M             B     ExpectativaSegurança             A             L     CobrançaConfiança ...
Resolução n°420 da ANTT•   Tambores de aço     – capacidade 450L e/ou 400k•   Tambores de alumínio     – capacidade 450L e...
•   Tambores de papelão     – capacidade 450L e/ou 400k•   Tambores e bombonas de plástico     – capacidade 450L e/ou 400k...
•   Caixas de plástico•   Caixas de madeira reconstituída     – capacidade 450L e/ou 400k•   Caixa de papelão     – capaci...
•   Sacos de filme plástico     – capacidade 50kg•   Sacos de papel     – capacidade 50kg•   Sacos de plástico tecido     ...
Portarias INMETRO        Portaria n° 250 de 16 de outubro de 2006      Contentores Intermediários para Granéis (IBC)    In...
Portarias INMETRO      Portaria n° 326 de 11 de dezembro de 2006         Embalagens de até 400 kg ou 450 litros   Institui...
Portarias INMETRO    em elaboraçãoEmbalagens Refabricadas:  fase de homologação
Portarias INMETRO a serem elaboradas• Embalagens grandes • Tanques portáteis • Recondicionadas
Avaliação da ConformidadeModelos previstos no RACModelo 3 - Ensaio de tipo, seguido de verificação através           de en...
Avaliação da ConformidadeModelos previstos no RACModelo 3 - Ensaio de tipo, seguido de verificação através           de en...
Avaliação da ConformidadeModelo 3• Modelo baseado no ensaio de tipo, com intervenções  posteriores para verificar se a pro...
Avaliação da ConformidadeModelo 5• Ensaio de tipo, acompanhado de avaliação das  medidas tomadas pelo solicitante para o s...
Avaliação da ConformidadeManutenção   Auditoria anual   Todos os ensaios de tipo devem ser repetidos,   para a manutenção ...
Avaliação da ConformidadeModelo 7  Neste modelo, submete-se a ensaios, amostras  tomadas conforme norma NBR 5425 de um lot...
DesafiosCanal constante de comunicação   Unificação da Certificação
Obrigada pela atenção!ABRE – Associação Brasileira de Embalagem            www.abre.org.br          Luciana@abre.org.br   ...
Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos

1.068 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.068
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Embalagens para Transporte Terrestre de Produtos Perigosos

  1. 1. Embalagens para Transporte Terrestrede Produtos PerigososABRE – Associação Brasileira de Embalagem Luciana Pellegrino Diretora Executiva 9 de outubro de 2007
  2. 2. Presidente Paulo Sérgio Peres 40 anos de atividade 300 empresas associadas
  3. 3. Anuário ABRE da Embalagem
  4. 4. Comitê Brasileiro de Embalagem e Acondicionamento Grupos Técnicos de Trabalho
  5. 5. O papel da ABRE no processo de normalizaçãoRepresentação institucional formal do setor
  6. 6. A normalização faz parte do desenvolvimento do país INMETRO Requisitos de conformidade EMPRESASvisando a segurança da população e do Competitividade, meio ambiente diferencial, qualidade Adequação Custos, Prazo, Investimentos
  7. 7. ClarezaAgências SetorReguladoras Factibili- Produtivo dade Credibilidade
  8. 8. Agências Setor Reguladoras Produtivo• Estabelecimento de critérios ideais e • Participação nos condizentes grupos de trabalho• Entendimento da • Antecedência no dinâmica industrial atendimento aos requisitos legais• Discussão ampla • Planejamento e• Procedimentos claros investimento
  9. 9. EMPRESASINMETRO ABRE DO SETOR
  10. 10. A embalagempara a sociedade Proteção AcondicionamentoTransporte / Distribuição Identificação Consumo
  11. 11. AVAL E M B ExpectativaSegurança A L CobrançaConfiança A G E M
  12. 12. Resolução n°420 da ANTT• Tambores de aço – capacidade 450L e/ou 400k• Tambores de alumínio – capacidade 450L e/ou 400k• Tambores de metal (outras) – capacidade 450L e/ou 400k• Bombonas de aço ou alumínio – capacidade 450L e/ou 400k• Tambores de madeira compensada – capacidade 450L e/ou 400k• Barris de madeira – capacidade 450L e/ou 400k
  13. 13. • Tambores de papelão – capacidade 450L e/ou 400k• Tambores e bombonas de plástico – capacidade 450L e/ou 400k• Caixa de madeira natural – capacidade 400kg• Caixas de madeira compensada – capacidade 400kg• Caixas de madeira reconstituída – capacidade 400kg• Caixa de papelão
  14. 14. • Caixas de plástico• Caixas de madeira reconstituída – capacidade 450L e/ou 400k• Caixa de papelão – capacidade 450L e/ou 400k• Caixa de aço ou alumínio – capacidade 400kg• Sacos têxteis – capacidade 50kg• Sacos de plástico tecido – capacidade 50kg
  15. 15. • Sacos de filme plástico – capacidade 50kg• Sacos de papel – capacidade 50kg• Sacos de plástico tecido – capacidade 50kg
  16. 16. Portarias INMETRO Portaria n° 250 de 16 de outubro de 2006 Contentores Intermediários para Granéis (IBC) Institui no âmbito do SBAC – Sistema Brasileiro da Avaliação da Conformidade, aCertificação compulsória a partir de 16 de outubro de 2007
  17. 17. Portarias INMETRO Portaria n° 326 de 11 de dezembro de 2006 Embalagens de até 400 kg ou 450 litros Institui no âmbito do SBAC – Sistema Brasileiro da Avaliação da Conformidade, aCertificação compulsória a partir de 25 de janeiro de 2008Prorrogado pela Portaria n° 320 de 14 de agosto de 2007
  18. 18. Portarias INMETRO em elaboraçãoEmbalagens Refabricadas: fase de homologação
  19. 19. Portarias INMETRO a serem elaboradas• Embalagens grandes • Tanques portáteis • Recondicionadas
  20. 20. Avaliação da ConformidadeModelos previstos no RACModelo 3 - Ensaio de tipo, seguido de verificação através de ensaio de amostras retiradas no fabricante;Modelo 5 - Ensaio de tipo, avaliação e aprovação do sistema de gestão da qualidade do fabricante, acompanhamento através de auditorias no fabricante e ensaio em amostras retiradas no fabricante;Modelo 7 - Ensaio de lote.
  21. 21. Avaliação da ConformidadeModelos previstos no RACModelo 3 - Ensaio de tipo, seguido de verificação através de ensaio de amostras retiradas no fabricante;Modelo 5 - Ensaio de tipo, avaliação e aprovação do sistema de gestão da qualidade do fabricante, acompanhamento através de auditorias no fabricante e ensaio em amostras retiradas no fabricante;Modelo 7 - Ensaio de lote.
  22. 22. Avaliação da ConformidadeModelo 3• Modelo baseado no ensaio de tipo, com intervenções posteriores para verificar se a produção continua sendo conforme. Compreende ensaios em amostras retiradas no solicitante.• Manutenção - os ensaios de tipo devem ser repetidos, para a manutenção da certificação, conforme tabela a seguir. .
  23. 23. Avaliação da ConformidadeModelo 5• Ensaio de tipo, acompanhado de avaliação das medidas tomadas pelo solicitante para o sistema de gestão da qualidade de sua produção, seguido de um acompanhamento regular, por meio de auditorias, do controle da qualidade do solicitante e de ensaios de verificação em amostras tomadas no solicitante. .
  24. 24. Avaliação da ConformidadeManutenção Auditoria anual Todos os ensaios de tipo devem ser repetidos, para a manutenção da certificação, 1 vez a cada 2 anos. .
  25. 25. Avaliação da ConformidadeModelo 7 Neste modelo, submete-se a ensaios, amostras tomadas conforme norma NBR 5425 de um lote de embalagens, podendo ser proveniente de uma importação ou não, emitindo-se a partir dos resultados, uma avaliação sobre sua conformidade a uma dada especificação. O OCP deve coletar as amostras do lote, conforme a norma NBR 5425. As amostras devem ser identificadas, lacradas e encaminhadas ao laboratório de ensaio, devendo ser representativas do lote .
  26. 26. DesafiosCanal constante de comunicação Unificação da Certificação
  27. 27. Obrigada pela atenção!ABRE – Associação Brasileira de Embalagem www.abre.org.br Luciana@abre.org.br 11 3082-9722

×