SÍFILIS e MANEJO CLÍNICO DAPROFILAXIA DA TRANSMISSÃO VERTICAL          Dra Salineide Mafaldo         Secretaria de Saúde d...
Caso Clínico 1Paciente J.M.S,24ª, sexo masculino veio a unidade desaúde com queixa de lesão ulcerada em pênis há 1semana, ...
Caso Clínico 1Qual a conduta indicada para este caso?1)Tratar com 1 dose de Penicilina Benzatina (2.400.000UI)2)Tratar com...
Caso Clínico 1Qual a conduta em relação a parceira?1) Tratar imediatamente, sem testar2) Tratar apenas em caso de resultad...
Teorização - SífilisEtiologia: Treponema pallidum, descoberto em 1905;Vias de transmissão:  1- Sexual, por meio da pele e ...
Teorização - SífilisPor quê é um Desafio para a Saúde Pública ?  Agente etiológico conhecido (descoberto em 1905)  Histó...
Teorização - Sífilis Sífilis Primária Sífilis Secundária ou Latente Recente Sífilis Terciária ou Latente Tardia Sífili...
Caso Clínico 2• Paciente R.F.S, 36anos, sexo feminino procurou a  unidade básica devido queda progressiva de cabelos,  pap...
Caso Clínico 2Qual a conduta indicada para este caso?1)Tratar com 1 dose de Penicilina Benzatina (2.400.000UI)2)Tratar com...
Teorização - SífilisSífilis Secundária ou Latente RecenteLesões cutâneo-mucosas não ulceradas que surgem cercade 6 a 8 sem...
Sífilis Secundária
Teorização - Sífilis Sífilis Terciária ou Latente Tardia ou de duração IndeterminadaApós 3 a 12 anos: Lesões cutâneo-muco...
Sífilis Terciária
Teorização - Sífilis            Sorologia Treponêmica TPHA (Treponema pallidum Hemaglutination); FTA-Abs (Fluorescent Tr...
Sífilis - História natural     Contato        (1/3 torna-se infectado)          10 a 90VDRL      dias            Primária ...
Teorização - Sífilis             Sorologia não TreponêmicaVDRL (Venereal Diseases Research Laboratory); RPR (Rapid Plasm...
EXPOSIÇÃO SEXUAL AO                    TREPONEMA PALLIDUM                      21 dias (10 a 90 dias)                     ...
EXPOSIÇÃO SEXUAL AO                    TREPONEMA PALLIDUM                      21 dias (10 a 90 dias)                     ...
Vamos erradicar    a sífilis  congênita!!!
Só depende de nós.
Caso Clínico 3Paciente MSA, durante pré-natal foiconstatada sifílis, VDRL: 1/32, sendotratada com estearato de eritromicin...
Qual a conduta frente ao       recém- nascido ?1- Tratar dependendo do valor do VDRL do  RN2-Tratar como sífilis congênita...
Nasci saudável graças aos seus cuidados.
Obrigada!Marcia Dal Fabbro- fabbro@uol.com.brHelaine Milanez – helainemilanez@uol.com.br         transmissaovertical@aids....
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical

6.821 visualizações

Publicada em

Palestra de Dra Salineide sobre sífilis e profilaxia da transmissão vertical

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.821
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.661
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
276
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sífilis e manejo clínico da profilaxia da transmissão vertical

  1. 1. SÍFILIS e MANEJO CLÍNICO DAPROFILAXIA DA TRANSMISSÃO VERTICAL Dra Salineide Mafaldo Secretaria de Saúde de Parnamirim SAE
  2. 2. Caso Clínico 1Paciente J.M.S,24ª, sexo masculino veio a unidade desaúde com queixa de lesão ulcerada em pênis há 1semana, resultado de VDRL = NR
  3. 3. Caso Clínico 1Qual a conduta indicada para este caso?1)Tratar com 1 dose de Penicilina Benzatina (2.400.000UI)2)Tratar com 2 doses de Penicilina Benzatina (4.800.000UI)3)Tratar com 3 doses de Penicilina Benzatina (7.200.000UI)4)Tratar adequadamente com estearato de eritromicina500mg VO 6/6h por 30 dias por risco de anafilaxia apenicilina
  4. 4. Caso Clínico 1Qual a conduta em relação a parceira?1) Tratar imediatamente, sem testar2) Tratar apenas em caso de resultado positivo3) Tratar com 1 dose de penicilina benzatina em caso de resultado negativo do parceiro4) Nos casos de resultado positivo tratar com 3 doses de penicilina benzatina
  5. 5. Teorização - SífilisEtiologia: Treponema pallidum, descoberto em 1905;Vias de transmissão: 1- Sexual, por meio da pele e das membranas mucosas; 2- Vertical, intra-útero por disseminação hematogênicaao feto ou por contato direto durante o parto a partir de umagestante infectada; 3- Sanguínea, por meio do sangue e de seushemocomponentes durante transfusões não triadasadequadamente; A sanguínea e os acidentes com materiais biológicoscontaminados com o T. pallidum, representam formasexcepcionais de transmissão.
  6. 6. Teorização - SífilisPor quê é um Desafio para a Saúde Pública ?  Agente etiológico conhecido (descoberto em 1905)  História natural da doença conhecida  Diagnóstico laboratorial disponível Tratamento/profilaxia disponíveis
  7. 7. Teorização - Sífilis Sífilis Primária Sífilis Secundária ou Latente Recente Sífilis Terciária ou Latente Tardia Sífilis Congênita: Precoce Tardia
  8. 8. Caso Clínico 2• Paciente R.F.S, 36anos, sexo feminino procurou a unidade básica devido queda progressiva de cabelos, papulas palmo-plantares e manchas eritematosas. VDRL= 1/32
  9. 9. Caso Clínico 2Qual a conduta indicada para este caso?1)Tratar com 1 dose de Penicilina Benzatina (2.400.000UI)2)Tratar com 2 doses de Penicilina Benzatina (4.800.000UI)3)Tratar com 3 doses de Penicilina Benzatina (7.200.000UI)4)Tratar adequadamente com estearato de eritromicina500mg VO 6/6h por 30 dias por risco de anafilaxia apenicilina
  10. 10. Teorização - SífilisSífilis Secundária ou Latente RecenteLesões cutâneo-mucosas não ulceradas que surgem cercade 6 a 8 semanas após o cancro. Microadenopatias.Manchas eritematosas. Pápulas palmo-plantares. Alopécia.Pápulas hipertróficas (condiloma lata).TratamentoPen.Benzatina-1.200.000 UI IM em cada glúteo, duas sériescom intervalo de 7 dias;Total= 4.800.000UI. Seguimento : VDRL mensal Obs: seguimento trimestral em mulheres não gestantes e sexo masculino
  11. 11. Sífilis Secundária
  12. 12. Teorização - Sífilis Sífilis Terciária ou Latente Tardia ou de duração IndeterminadaApós 3 a 12 anos: Lesões cutâneo-mucosas: tubérculos ou gomas Lesões neurológicas: tabes dorsalis, demência Lesões cardiovasculares: aneurisma aórtico Lesões articulares: artropatia de CharcotTratamentoPen.Benzatina -1.200.000 UI IM em cada glúteo, três sériescom intervalo de 7 dias;Total = 7.200.000 UI.  Seguimento : VDRL mensal  Obs: seguimento trimestral em mulheres não gestantes e sexo masculino
  13. 13. Sífilis Terciária
  14. 14. Teorização - Sífilis Sorologia Treponêmica TPHA (Treponema pallidum Hemaglutination); FTA-Abs (Fluorescent Treponemal Antibody - Absorption); ELISA (Enzyme-Linked Immunosorbent Assay) Usados para confirmação da infecção pelo T. pallidum, Permite a exclusão dos resultados falso positivos dostestes não treponêmicos, Elevada especificidade (TPHA – 98 a 100%; FTA-Abs – 94a 100%; ELISA – 97 a 100%). Não são utilizados na rotina de triagem sorológica porapresentarem menor sensibilidade que os testes nãotreponêmicos (TPHA – 85 a 100%; FTA-Abs – 70 a 100%;ELISA – 82 a 100%).
  15. 15. Sífilis - História natural Contato (1/3 torna-se infectado) 10 a 90VDRL dias Primária TV+ 25% 100% 3 a 12VDRL + semanas Secundária TV 90%100% 4 a 14 semanasVDRL com Latente precoce Recaída emtítulos baixos 1 ano a partir do 25% contato TV 30%VDRL comtítulos baixos Latente tardia Mais de 1 anoou negativo Remissão 2/3 Terciária 1/3 Benigna tardia (16%); Cardiovascular(9,6%); Neurossífilis (6,5%) Tratado de dermatologia FITZPATRIK 5ª edição-2005 ; CDC - 2006
  16. 16. Teorização - Sífilis Sorologia não TreponêmicaVDRL (Venereal Diseases Research Laboratory); RPR (Rapid Plasma Reagin) São utilizados para a triagem sorológica da sífilis adquiridaincluindo gestantes devido sua elevada sensibilidade: RPR –86 a 100% e VDRL – 78 a 100% e a possibilidade de titulação. São de realização técnica simples, rápida e de baixo custo.A principal desvantagem se refere aos resultados falsopositivos possíveis, que podem ser explicados pela ocorrênciade reações cruzadas com outras infecções treponêmicas oupelo excesso de anticorpos, fenômeno conhecido como efeitoprozona. Pode haver ainda redução da sensibilidade nos estágiosprimário e tardio da doença.
  17. 17. EXPOSIÇÃO SEXUAL AO TREPONEMA PALLIDUM 21 dias (10 a 90 dias) Cancro duro, que poderá passar SÍFILIS despercebida na mulher quando25% com VDRL (-) PRIMÁRIA localizado nas paredes vaginais ou no cólo do útero 6 semanas a 6 meses Lesões cutâneo-mucosas generalizadas SÍFILIS (roséolas sifilíticas, sifílides papulosas,100% com VDRL (+) SECUNDÁRIA condiloma plano, alopécia), poliadenopatia, dentre outras < 1 anoVDRL com títulos LATENTE baixos RECENTE > 1 anoVDRL om títulos LATENTE baixos ou (-) TARDIA 2 a 40 anos Lesões cutâneo-mucosas (tubérculos ou gomas); alterações neurológicas (tabes SÍFILIS dorsalis demência); alterações TERCIÁRIA cardiovasculares (aneurisma aórtico); alterações articulares (artropatia de Charcot)
  18. 18. EXPOSIÇÃO SEXUAL AO TREPONEMA PALLIDUM 21 dias (10 a 90 dias) SÍFILIS Chance de Transmissão25% com VDRL (-) PRIMÁRIA Vertical: 70 a 100% 6 semanas a 6 meses SÍFILIS Chance de Transmissão100% com VDRL (+) SECUNDÁRIA Vertical: 90%VDRL com títulos LATENTE baixos RECENTE > 1 anoVDRL om títulos LATENTE Chance de Transmissão baixos ou (-) TARDIA Vertical: 30% 2 a 40 anos SÍFILIS TERCIÁRIA
  19. 19. Vamos erradicar a sífilis congênita!!!
  20. 20. Só depende de nós.
  21. 21. Caso Clínico 3Paciente MSA, durante pré-natal foiconstatada sifílis, VDRL: 1/32, sendotratada com estearato de eritromicina por30 dias, devido alergia a penicilina.
  22. 22. Qual a conduta frente ao recém- nascido ?1- Tratar dependendo do valor do VDRL do RN2-Tratar como sífilis congênita, com penicilina cristalina independente do VDRL3-Tratar com Benzetacil
  23. 23. Nasci saudável graças aos seus cuidados.
  24. 24. Obrigada!Marcia Dal Fabbro- fabbro@uol.com.brHelaine Milanez – helainemilanez@uol.com.br transmissaovertical@aids.gov.br

×