Patrimônio: Conhecer para... Preservar?

404 visualizações

Publicada em

Apresentação de Roberto Martins, na abertura do III Encontro Feminino de Capoeira e II Seminário Capoeira Nosso Bem Imaterial, acontecido em Irará de 20 a 24 de agosto de 2014 em Irará - Ba

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
404
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Patrimônio: Conhecer para... Preservar?

  1. 1. Patrimônio: Conhecer para... preservar? Roberto Martins - Irará/Agosto/2014
  2. 2. • “Patrimônio”, “um bem”, pertencimento, hereditariedade. .. • Patrimônio Cultural é tudo o que faz parte da construção histórica e cultural do ser humano em um determinado espaço físico, entendendo-se cultura como complexo que inclui conhecimento, crenças, arte, morais, leis, costumes e outras aptidões e hábitos adquiridos pelo homem como membro da sociedade [Definição do IPAC].
  3. 3. • Segundo o artigo 216 da Constituição Federal, “constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem: • I - as formas de expressão; • II - os modos de criar, fazer e viver; • III - as criações científicas, artísticas e tecnológicas; • IV - as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais; • V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.
  4. 4. • Relação Material x Imaterial (intangível - “não edificável”) Material: Prédios, monumentos, conjuntos urbanos, artefatos, obras de arte, entre outros. Imaterial (intangível): cuja existência depende da contínua ação humana, ou seja, o conjunto das práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas.
  5. 5. • Onde se vê o Irará de Antes Centro histórico? “Aqui o novo surgiu passando por cima do antigo.” Roberto Martins – texto publicado no blog roberto-martins.blogspot.com em 11/05/2011. • Casas Antigas de Irará – Catalogadas anos 1980, hoje em Ruínas. • Prédios Tombados no município – Sobrados dos Nogueira [Casa da Cultura] ; Igreja de Bento Simões • Tombamento Municipal / Pesquisa /Lei local de Salvaguarda: • Quais Patrimônios poderiam ser tombados: Igreja da Caroba, Mercado Municipal ?
  6. 6. IGREJA DE BENTO SIMÕES SOBRADO DOS NOGUEIRAS
  7. 7. • Patrimônio Imaterial: cuja existência depende da contínua ação humana, ou seja, o conjunto das práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas. [Definição do IPAC] • Registro e não tombamento • Quatro Livros: • 01 - Livro de Registro dos Saberes: para os conhecimentos e modos de fazer enraizados no cotidiano das comunidades; • 02 - Livro de Registro de Celebrações: para os rituais e festas que marcam vivência coletiva, religiosidade, entretenimento e outras práticas da vida social; • 03 - Livro de Registros das Formas de Expressão: para as manifestações artísticas em geral; e • 04 - Livro de Registro dos Lugares: para mercados, feiras, santuários, praças onde são concentradas ou reproduzidas práticas culturais coletivas. Publicado no site do Iphan: http://portal.iphan.gov.br/
  8. 8. • Site do IPHAN lista 29 Registros • Entre eles: Oficio das Baianas do Acarajé / Samba de Roda do Recôncavo baiano /Capoeira • Capoeira tem duas inserções! • Roda de Capoeira: - inscrita no Livro de Registro das Formas de Expressão, em 2008. O registro da Roda de Capoeira e Ofício dos Mestres de Capoeira tem amplitude nacional e foi realizado com base nas pesquisas desenvolvidas, durante a fase de inventário, nos estados da Bahia, de Pernambuco e do Rio de Janeiro. A capoeira é uma manifestação cultural presente hoje em todo o território brasileiro e em mais de 150 países, com variações regionais e locais criadas a partir de suas “modalidades” mais conhecidas: as chamadas “capoeira angola” e “capoeira regional”.
  9. 9. • Ofício dos Mestres de Capoeira: exercido por aqueles detentores dos conhecimentos tradicionais dessa manifestação e responsáveis pela transmissão de suas práticas, rituais e herança cultural. O saber da capoeira é transmitido de modo oral e gestual, de forma participativa e interativa, nas rodas, nas ruas e nas academias, assim como nas relações de sociabilidade e familiaridade construídas entre mestres e aprendizes. O Ofício dos Mestres de Capoeira foi inscrito no Livro de Registro dos Saberes em 2008. Publicado no site do Iphan - http://portal.iphan.gov.br/
  10. 10. Roda – II Encontro Feminino de Capoeira - Irará - 2013 Vinhos & Versos – Batizado – 2010
  11. 11. • e no Irará? Qual o nosso patrimônio imaterial? • O que é nosso? O que é Iraraense e podemos transmitir às gerações futuras? • Festas, rituais, saberes, culinárias... Cerâmica: • Origem indígena de pigmento • Feitas por comunidades negras (seriam quilombolas?) • Vermelho único / site Secult • Associações • Estamos diminuição da produção?
  12. 12. 1998 2014 “éramos vinte; hoje somos quatro”
  13. 13. • Caminhos – Desenvolvimento da Capoeira em Irará • A força da Capoeira • é dança? É esporte? É cultura! • Conhecimento. • Arquivo Público • Estratégias de uso escolar • Fazer conhecer, para que no futuro, o nosso patrimônio não esteja só nas fotografias ou em ruínas. • E dá novo gosto, re-criar, re-vitalizar. Conhecer para “preservar”, re-apropriar, dá novos usos, samplear... Levar adiante, manter a referência e criar o novo. Criar as relações. Porque o novo sempre vem, mas, se o velho desaparecer, talvez não venha. • Obrigado!
  14. 14. Referências: * O REGISTRO DA CAPOEIRA COMO PATRIMÕNIO IMATERIAL: NOVOS DESAFIOS SIMBÓLICOS E POLÍTICOS - Simone Pondé Vassallo25 / disponível na internet * Onde se vê o Irará de antes. Roberto Martins. Blog de Roberto Martins, publicado em 07.05.2011. * Site do IPAC * Site do IPHAN * Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional n° 32, anos 2005. * IPAC – Região dos Pastorial n° III

×