SlideShare uma empresa Scribd logo
robertoemery@gmail.com
INTRODUÇÃO AO
SISTEMA DE
GESTÃO AMBIENTAL
(SGA)
robertoemery@gmail.com
Sobre o que iremos ver...
robertoemery@gmail.com
Há uma relação histórica entre a definição de Meio Ambiente e o fato de
que nenhum profissional pode ficar à margem das decisões de defesa e
preservação dos recursos naturais. Sustentabilidade, conforme definido na
Conferência de Estocolmo e posteriormente no Relatório
Brundtland, é um conceito influenciado por muitas idéias, como por exemplo as
do Clube de Roma. Agenda 21 e Pacto Global são exemplos da
atuação do Estado e das corporações. A disseminação de SGAs em escala global
está baseada principalmente na série ISO 14000. Aspectos e impactos
ambientais são classificados segundo filtro de significância com critérios
e níveis de significância, de modo a estabelecer planos de ação conforme os
requisitos da norma. As auditorias são geralmente conduzidas segundo a
norma ISO 19011, podendo entretanto seguir outras orientações.
robertoemery@gmail.com
atuar profissionalmente percebendo a evolução do pensamento
ambientalista no Brasil e no mundo;
Identificar e distinguir as principais características de um SGA baseado
na NBR ISO 14001;
orientar a implantação de um SGA segundo a NBR ISO 14001 em
qualquer empreendimento;
Objetivo Geral
Após o curso o participante será capaz de
robertoemery@gmail.com
Roteiro Básico
✓ Introdução
✓ Conceitos e definições
✓ Casos Históricos
✓ Principais marcos do pensamento ambientalista
✓ Sistema de Gestão Ambiental - SGA - NBR ISO
14000
✓ Aplicação do conhecimento: Exercícios práticos
robertoemery@gmail.com
Conceitos e Definições
robertoemery@gmail.com
Sustentabilidade: o que é isso...?
Para uma empresa...
robertoemery@gmail.com
SUSTENTABILIDADE... o que é isso?
robertoemery@gmail.com
NEGÓCIO
SUSTENTÁVEL
SOBREVIVÊNCIA
DA
EMPRESA
PERENE
RENTÁVEL
SUSTENTABILIDADE de empresas
robertoemery@gmail.com
PERENE
RENTÁVEL
Prosperidade econômica
Proteção e qualidade ambiental
Justiça social
robertoemery@gmail.com
Qual a consequência de não se dar
importância a isso...?
robertoemery@gmail.com
Casos históricos
robertoemery@gmail.com
“Em janeiro daquele ano, 1,3 milhão de litros de óleo
combustível foram derramados na já poluída Baía de
Guanabara. O material saiu de um duto que liga a Refinaria
Duque de Caxias ao terminal da Ilha D´Água. A mancha
negra se estendeu por 40 quilômetros quadrados (...).
2000
robertoemery@gmail.com
Apenas seis meses depois, mais um revés: quantidade
ainda maior de petróleo, 4 milhões de litros, foi despejada
nos Rios Barigui e Iguaçu, este o principal do Estado do
Paraná, durante operação de bombeio na Refinaria Getúlio
Vargas...”
2000
robertoemery@gmail.com
04/2006 – Questão ambiental é prioridade. Depois de
dois desastres em 2000, volume de óleo vazado nas
operações da Petrobras caiu drasticamente
“O Estado de São Paulo”
robertoemery@gmail.com
22/11/2002 - 10h32 - Navio PRESTIGE
Camada de óleo se aproxima do litoral espanhol
robertoemery@gmail.com
Navio PRESTIGE na costa da Espanha - 2002
robertoemery@gmail.com
Contenção e remoção - costa da Espanha - 2002
robertoemery@gmail.com
Petroleiro Exxon Valdez
robertoemery@gmail.com
Enseada de Prince Williams, Alaska, 1989
O petroleiro Exxon Valdez encalha nos recifes, derrama
40.000 ton de petróleo, destrói 50 km de frágeis
reservas biológicas, contamina 2.400 km da costa,
custando para a Exxon um valor estimado até o momento
em US$16,5 bilhões.
robertoemery@gmail.com
Exxon Valdez
1989 - Alaska
robertoemery@gmail.com
Exxon Valdez
1989 – Alaska
robertoemery@gmail.com
1. Falha do imediato em manobrar corretamente o navio,
provavelmente devido à fadiga e trabalho excessivo;
2. Falha do comandante em proporcionar uma vigilância correta da
navegação, provavelmente devido ao seu estado alcoólico;
3. Falha da companhia Exxon em supervisionar o comandante e
proporcionar uma tripulação suficientemente numerosa e
descansada à operação do Exxon Valdez;
4. Falha da Guarda Costeira americana em proporcionar um
sistema eficiente de controle de tráfego de navios;
Ausência de pensamento
preventivo, ausência de
consciência ambiental
Fonte: P. Paulo de Lima Silva Fo.
Algumas causas resultantes da investigação:
robertoemery@gmail.com
1. Falha do imediato em manobrar corretamente o navio,
provavelmente devido à fadiga e trabalho excessivo;
2. Falha do comandante em proporcionar uma vigilância correta da
navegação, provavelmente devido ao seu estado alcoólico;
3. Falha da companhia Exxon em supervisionar o comandante e
proporcionar uma tripulação suficientemente numerosa e
descansada à operação do Exxon Valdez;
4. Falha da Guarda Costeira americana em proporcionar um
sistema eficiente de controle de tráfego de navios;
Fonte: P. Paulo de Lima Silva Fo.
Algumas causas resultantes da investigação:
robertoemery@gmail.com
O que é meio ambiente?
Indagações em Grupo...
robertoemery@gmail.com
“Conjunto de condições, leis, influências e interações
de ordem física, química e biológica, que permite,
abriga e rege a vida em toda as sua formas” (lei
6938/81)
Conceitos - Definições
robertoemery@gmail.com
“Circunvizinhança em que uma organização opera,
incluindo-se ar, água, solo, recursos naturais, flora, fauna,
seres humanos e suas inter-relações” (NBR ISO
14001:2004 )
Conceitos - Definições
robertoemery@gmail.com
O que se deseja com uma gestão eficiente
de QSMS... ?
robertoemery@gmail.com
• Evitar novos acidentes
• Manter rentabilidade
• Perenidade
• Minimizar impactos ambientais
• Recuperar áreas degradadas
• Manter eficiente gestão e tratamento de resíduos
• Manter eficiente gestão e tratamento de efluentes
• Manter eficiente gestão e tratamento de emissões
atmosféricas
• Novos desafios...???
Gestão eficiente de
SMS
robertoemery@gmail.com
Algumas ferramentas para uma gestão eficiente de
SMS
Planejamento Estratégico da Empresa: Missão, Visão
Valores Éticos
Padrões internos de gestão
Normas técnicas
Diretrizes específicas de SMS
Sistemas integrados de gestão
Certificação (ambiental)
robertoemery@gmail.com
Principais Marcos do Pensamento
Ambiental no Mundo
Breve histórico
Entendendo as ferramentas de gestão...
robertoemery@gmail.com
Segunda Guerra Mundial (1939-1945)
• Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki
• Traumas humanos e ambientais: mundo passa novamente a pensar
coletivamente.
• Criação da ONU (Organização das Nações Unidas - 1945): evitar a
repetição de tragédias (!!).
• Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948): 1ª.
proclamação internacional dos direitos básicos (políticos,
econômicos e sociais) dos indivíduos.
(e o que tem aqui de bem surpreendente...?)
robertoemery@gmail.com
Doença de Minamata - detectada
em 1953.
Só em 1959 - Universidade de Kumamoto:
sintomas ao metilmercúrio consumido
através de peixes e de moluscos.
De 1932 a 1968: companhia Chisso produziu
acetaldeído, utilizando óxido de mercúrio
como catalizador.
Metilmercúrio: formado na reação e
descarregado (cerca de 400 toneladas)
com os efluentes na baía de Minamata.
Moradores de Minamata e vizinhanças,
que consumiam extensivamente peixes e
frutos do mar sofreram as piores
conseqüências desta irresponsabilidade
industrial.
Até 1997, 10.353 pessoas, das
quais 1.246 faleceram, foram
certificadas pelo governo
japonês como vítimas da
“Doença de Minamata”.
robertoemery@gmail.com
Cientista, escritora e ecologista norte-
americana escreveu sobre a toxicidade do
DDT, sua penetração na cadeia alimentar e
seus efeitos.
A publicação foi considerada importante por
mostrar que a natureza é vulnerável à
interferência humana e que os homens e os
animais estão em interação constante com o
meio em que vivem.
1962 – Publicação de Primavera Silenciosa, livro de Rachel Carson
robertoemery@gmail.com
• Chefes de Estado, humanistas, empresários, cientistas: reuniões em
Roma para analisar situação do mundo e propor soluções para o
futuro da humanidade
§ Propuseram diminuição da produção para reduzir os impactos
ambientais: considerada muito radical, não foi aceita mundialmente.
•Limites do Crescimento (1972): relatório sobre os impactos
ambientais causados pela atividade humana.
•Além dos Limites (1992): livro com alertas ainda mais contundentes.
Clube de Roma (1968)
http://www.clubofrome.org/
robertoemery@gmail.com
Influenciada pelas publicações do Clube de Roma
• Representantes de 110 países, inclusive o Brasil.
• Declaração de Estocolmo: introduziu a dimensão
ambiental condicionadora do crescimento econômico e do uso
dos recursos naturais.
• Primeira vez que o conceito de sustentabilidade foi empregado
“Conferência das Nações Unidas
sobre Meio Ambiente Humano”
Conferência de Estocolmo (Suécia, 1972)
ou
robertoemery@gmail.com
Início da publicação de balanços sociais no Brasil (1984)
Balanço social
• Relatório publicado anualmente por uma organização contendo
indicadores de desempenho econômico, social e ambiental
• Avaliação e disseminação da prática da responsabilidade social
dentro da organização.
• Transparência às ações da organização, deixando claros os pontos
fortes e fracos da instituição.
Década de 80
http://www.fundacaosemear.org.br
robertoemery@gmail.com
• Balanço social da empresa estatal Nitrofértil (1984):
considerado o primeiro documento do gênero.
• Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e
E c o n ô m i c a s ) : p r i m e i r a o r g a n i z a ç ã o n ã o
governamental a publicar seu balanço, após Herbert
de Souza, o Betinho, então presidente da entidade,
lançar uma campanha pela divulgação voluntária do
balanço social.
Década de 80
robertoemery@gmail.com
Década de 80
Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento, 1987 (ONU)
TEMA: Nosso Futuro Comum
Presidida pela então Primeira-Ministra da Noruega, Gro Harlen Brundtland
Formulação do conceito de
Desenvolvimento Sustentável no Relatório Brundtland
Capítulo 2 § 4
“desenvolvimento que satisfaz as necessidades das gerações
presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de
suprir suas próprias necessidades”.
robertoemery@gmail.com
Reunião de Cúpula das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Rio-92):
Proposta a Agenda 21:
§ Principal resultado da Rio-92
§ Acordo firmado entre 179 países.
§ 40 capítulos, programa de ação participativo e planejamento do futuro
de forma sustentável
§ Responsabilidade dos Governos.
§ Ampla participação pública é estimulada.
Década de 90
§ Procura traduzir em ações o conceito de desenvolvimento sustentável
robertoemery@gmail.com
Década de 90
Declaração do Rio:
2 princípios fundamentais (base do Protocolo de Quioto)
• Pagamento pela produção da poluição
• Precaução: garantia contra riscos potenciais ainda não
identificados pela
ciência.
Declaração de Princípios sobre o Uso das Florestas:
• Direito dos países sobre seus recursos florestais.
robertoemery@gmail.com
Década de 90
Convênio sobre a Diversidade Biológica:
• Conservação e uso sustentável da diversidade biológica do planeta.
Convenção sobre Mudanças Climáticas:
• Compromisso para estabilização de concentrações atmosféricas seguras
de gases que causam o efeito estufa.
robertoemery@gmail.com
Década de 90
1992 – Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do
Clima. (origem do Protocolo de Quioto)
Objetivo: estabilizar efeitos dos gases causadores do efeito
estufa
Originou: Conferência Anual das Partes que culminou com a
assinatura do Protocolo de Quioto
robertoemery@gmail.com
• Lançado pelo Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan durante o Fórum
Econômico Mundial. (atual: Ban-Ki-moon)
• Annan desafiou líderes empresariais a darem suporte e adotarem o Pacto,
tanto em suas práticas corporativas individuais como no apoio às políticas
públicas apropriadas.
• Parceria entre o setor privado e as Nações Unidas.
• Responsabilidade social corporativa
Pacto Global (Davos, 1999)
robertoemery@gmail.com
• Meta: Tornar a economia mundial mais sustentável e possibilitar a
inclusão social.
• 10 princípios:
• Direitos Humanos
• Padrões de Trabalho
• Meio Ambiente
• Combate à Corrupção.
Pacto Global (Davos, 1999)
robertoemery@gmail.com
EXEMPLO
robertoemery@gmail.com
(Earth Summit 2002)
★ Forum de discussão das Nações Unidas: 26 de agosto
e 4 de setembro de 2002, em Johanesburgo, África do
Sul.
★ Objetivo principal: discutir soluções propostas na
Agenda 21 (Rio 92), para que pudesse ser aplicada
duma agenda 21 local, e implementando o que fora
discutido em 1992.
Rio+10 ou Cúpula Mundial sobre
Desenvolvimento Sustentável
robertoemery@gmail.com
Aplicação de conhecimento
robertoemery@gmail.com
1. Sustentabilidade: por que? para que?
2. Quais algumas características marcantes do meio ambiente?
3. Por que nenhum profissional pode desconhecer a importância do meio
ambiente?
4. O que se entende por uma gestão eficiente de QSMS?
5. Cite e explique brevemente algumas ferramentas de gestão.
6. O que foi e o que influenciou a Conferência de Estocolmo?
7. O que é um Relatório de Sustentabilidade? Quais empresas são obrigadas a
apresentá-lo?
8. Discuta o que vem a ser o conceito de Desenvolvimento Sustentável.
9. O que é a Agenda 21?
10. O que vem a ser o Protocolo de Quioto?
11. É interessante a uma empresa ser signatária do Pacto Global da ONU? Por
que?
Responda...
robertoemery@gmail.com
Certificação Ambiental
robertoemery@gmail.com
Gestão Ambiental/Instrumento Econômico
Reativa
70
Resistência
às
exigências
legais
(ambientais)
até o limite
possível.
Responsável
80
Busca de
conformidade
com a
legislação
ambiental.
Pró-ativa
90
Questões
ambientais são
tratadas em
antecipação ao
surgimento de
exigências
legais.
Competitiva
Questões
ambientais são
abordadas de
forma a permitir
uma vantagem
competitiva aos
negócios.
MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA
Yuan,C.2004
Lei 6938/81...
robertoemery@gmail.com
Gestão Ambiental/Instrumento
Econômico
MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA
EMPRESA
MERCADO
Produtos /Serviços
ORGÃOS DE
CONTROLE
AMBIENTAL
Poluição, Controle de
P o l u i ç ã o , N o v o s
Projetos
L u c r o s ;
desenvolvimento
sustentado; médio-
longo prazo; resp.
social
Esquema de comportamento ambiental pró-
ativo/competitivo das empresas (adaptado de
J.Ribeiro de Almeida, 2004)
Sociedade
Interesses
ambientais
Oportunidades
ambientais:
tecnologia; gestão
Responsabilidade
ambiental integrada
à e s t r u t u r a
organizacional.
M e i o a m b i e n t e :
oportunidade de
negócio
robertoemery@gmail.com
Gestão Ambiental/Instrumento
Econômico
MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA
EMPRESA
MERCADO
Produtos /Serviços
ORGÃOS DE
CONTROLE
AMBIENTAL
Poluição, Controle de
P o l u i ç ã o , N o v o s
Projetos
L u c r o s ;
desenvolvimento
sustentado; médio-
longo prazo; resp.
social
Esquema de comportamento ambiental pró-
ativo/competitivo das empresas (adaptado de
J.Ribeiro de Almeida, 2004)
Sociedade
Interesses
ambientais
Oportunidades
ambientais:
tecnologia; gestão
robertoemery@gmail.com
Gestão Ambiental como Instrumento Econômico
Desenvolvimento de sistemas de
certificação
Mudanças no comportamento das empresas levou ao...
robertoemery@gmail.com
E o que é um Sistema de Gestão Ambiental – SGA...?
CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS para gerir ou
administrar uma organização em sua INTERFACE com
o meio ambiente
ISO 14001 – SGA: parte de um sistema de uma organização
utilizado para desenvolver e implementar sua política ambiental e
para gerenciar seus aspectos ambientais
robertoemery@gmail.com
CERTIFICAÇÃO
Mercado competitivo
Aumento das exigências (clientes, órgãos públicos,
empregados, comunidade, acionistas, investidores e as
ONGs...)
Legislação nacional e internacional
Custos com incidentes e acidentes
robertoemery@gmail.com
Certificação
começa onde...?
robertoemery@gmail.com
Normas Técnicas
Inglaterra: berço dos sistemas de qualidade e também precursora dos SGA
normalizados.
BSI Group (Instituto Britânico de Normatização - BSI (http://www.bsi-
global.com)
Fundado em 1901, possui cerca de 2.100 funcionários e atua em mais de
100 países. 
Norma BS 7750, precursora da ISO 14001 - emitida pela primeira vez em
1992.
robertoemery@gmail.com
Quais são algumas características da
Norma BS 7750...?
robertoemery@gmail.com
Norma BS 7750
A Norma BS 7750 especifica os requisitos de sistemas de gestão
ambiental.
Não estabelece critérios de desempenho ambiental específicos.
Porém exige que as organizações formulem políticas e estabeleçam
objetivos, levando em consideração informações sobre impactos
ambientais significativos.
robertoemery@gmail.com
Norma BS 7750
A BS 7750 aplica-se a qualquer organização,
independente do seu porte, atividade ou localização
que deseje:
• garantir o cumprimento a uma política ambiental
estabelecida;
• demonstrar este cumprimento a terceiros.
robertoemery@gmail.com
• BSI - membro fundador da ISO (1946)
• Serviu de base para a série ISO 14.000
• BS 7750 tornou-se a ISO 14.001
Norma BS 7750
robertoemery@gmail.com
International Organization for Standardization
robertoemery@gmail.com
ISO
✓ International Organization for Standardization
✓ Fundada em 25 de fevereiro de 1947
✓ 163 países participantes
✓ Sede: Genebra - Suíça
✓ Cada país tem apenas 1 representante
✓ Representante do Brasil – ABNT
Fundadores da ISO, Londres 1946
robertoemery@gmail.com
ISO
"International Organization for Standardization“: diferentes
abreviaturas em vários idiomas ("IOS" em Inglês, "OIN" em
Francês para Organisation international de normalisation)
Decidiu-se, desde o início, usar uma palavra derivada do
grego - isos, que significa “igual”
Em qualquer país, portanto, em qualquer idioma, a
abreviatura da organização é sempre ISO
robertoemery@gmail.com
• Revisada em 2004 (pequenas alterações de
redação e de itens)
• Gerenciar para qualidade total em meio ambiente
• Posição pró-ativa;
• Todos os aspectos ambientais são gerenciados-
aqueles que a organização pode controlar e sobre os
quais se espera que tenha influência.
ISO-14001/96
robertoemery@gmail.com
Aplica-se a qualquer organização que deseje
a) estabelecer, implementar, manter e aprimorar um SGA
b) assegurar-se da conformidade com sua política ambiental definida,
c) demonstrar conformidade com esta Norma ao
1) fazer uma auto-avaliação ou autodeclaração, ou
2) buscar confirmação de sua conformidade por partes que tenham interesse
na organização, tais como clientes, ou
3) buscar confirmação de sua autodeclaração por meio de uma organização
externa, ou
4) buscar certificação/registro de seu sistema da gestão ambiental por uma
organização externa.
ISO-14001/04
robertoemery@gmail.com
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
robertoemery@gmail.com
Razões “locais”
• Atender a diferentes expectativas de diversas partes interessadas
(stakeholders). (Antes só os Shareholders - proprietários e acionistas)
• Diferencial no mercado: vantagem competitiva duradoura
• Decisão da empresa – VOLUNTÁRIA
Razões“globais”
• Esgotamento de recursos naturais
• Crescimento da consciência ambiental
• Progressiva poluição da água, ar e solo
POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
robertoemery@gmail.com
Razões organizacionais
• Comércio globalizado; comunidades com consciência ambiental;
barreira não tarifária.
• Oportunidade estratégica para novos negócios
• Credibilidade
Razões compulsórias
• Antecipa providências para garantir a conformidade legal
POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
robertoemery@gmail.com
POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
• Redução do custo na gestão de resíduos
• Economia no consumo de energia e materiais
• Menor custo de distribuição dos produtos
• Melhora contínua da imagem da empresa entre autoridades
regulamentadoras, clientes e o público
Conformidade com sistema ABNT
NBR 14001 ajuda
robertoemery@gmail.com
NORMAS DE SISTEMA
SÉRIE ISO 14000
robertoemery@gmail.com
Como começaram os trabalhos de elaboração da NBR ISO
14001....?
ABNT
robertoemery@gmail.com
• Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT) - órgão responsável pela normalização técnica no país.
• Entidade privada, sem fins lucrativos.
• Única representante no Brasil das seguintes entidades internacionais:
ISO (International Organization for Standardization), IEC
(International Electrotechnical Comission); e das entidades de
normalização regional COPANT (Comissão Pan-americana de
Normas Técnicas) e a AMN (Associação Mercosul de Normalização).
ABNT
http://www.abnt.org.br
robertoemery@gmail.com
Hoje Comitê Brasileiro 38 - Gestão Ambiental
CB-38: criado em abril de 1999, na estrutura da Associação Brasileira
de Normas Técnicas - ABNT.
Função: organizar as sugestões das instituições brasileiras na
formulação das normas da série ISO 14000, referente a
ü sistemas de gestão ambiental,
ü auditorias ambientais,
ü avaliação do desempenho ambiental,
ü rotulagem ambiental,
ü avaliação do ciclo de vida e terminologia.
Grupo de Apoio à Normalização Ambiental
G.A.N.A.
robertoemery@gmail.com
ü sistemas de gestão ambiental: 14001, 14004
ü auditorias ambientais: 19011
ü avaliação do desempenho ambiental: 14031
Avaliação da Cia.
ürotulagem ambiental: 14020
üavaliação do ciclo de vida e terminologia: 14040
ütermos e definições: 14060
Avaliação do Produto
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 14001
• Única norma da série ISO 14000 utilizada para fins de
certificação; as demais são informativas.
• Norma de gestão ambiental: não estabelece objetivos
ou metas específicas de desempenho.
• Objetivos e metas: estabelecidos pela organização
• Comprometimento com melhoria contínua e com
prevenção da poluição
• Qualquer tipo de organização pode ser certificada
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 14001
“Certificar um Sistema de Gestão Ambiental
significa comprovar às partes interessadas que a
organização adota um conjunto de práticas destinadas a
minimizar impactos ambientais negativos.”
robertoemery@gmail.com
Quem certifica o SGA das empresas segundo a
NBR ISO 14001?
robertoemery@gmail.com
• Ministério da Indústria e Comércio: formou no INMETRO – Instituto
Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial uma Comissão
Técnica de Certificação Ambiental
• Missão: recomendar ao Comitê Brasileiro de Certificação(CBC)
procedimentos, critérios e regulamentos para o credenciamento de
organismos de certificação para gestão ambiental.
• Comitê Brasileiro de Avaliação da Conformidade - CBAC foi criado
(12/12/01), em substituição ao Comitê Brasileiro de Certificação – CBC.
• O INMETRO , além de membro nato, exerce a Secretaria Executiva do
mesmo.
INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia,
Normalização e Qualidade Industrial
robertoemery@gmail.com
É atestação de terceira parte (INMETRO) a um Organismo de
Avaliação da Conformidade (OAC), comunicando a
demonstração formal da competência deste organismo para realizar
tarefas específicas de avaliação da conformidade.
O credenciamento de empresas que certificam
denomina-se ACREDITAÇÃO
INMETRO
Quem certifica o SGA das empresas segundo a
NBR ISO 14001?
robertoemery@gmail.com
• Caráter voluntário
• Representa o reconhecimento formal da competência de
um Organismo de Avaliação da Conformidade - OAC
para desenvolver tarefas específicas, segundo requisitos
estabelecidos.
A ACREDITAÇÃO...
robertoemery@gmail.com
A ACREDITAÇÃO...
• Coordenação Geral de Acreditação:
• INMETRO - responsável pela acreditação de
Organismos de Avaliação da Conformidade -
OAC.
robertoemery@gmail.com
Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental
Concedem a certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001.
(continua...)
robertoemery@gmail.com
Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental - concedem a
certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001.
robertoemery@gmail.com
Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental - concedem a
certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001.
robertoemery@gmail.com
ISO 14001 – Empresas Certificadas
robertoemery@gmail.com
ISO 14001 – Empresas Certificadas
robertoemery@gmail.com
robertoemery@gmail.com
Avaliação da Organização
Avaliação do
Desempenho
Ambiental
14031/04
Sistema de
Gestão Ambiental
14001/04
14004/04
Auditoria
Ambiental
19011/02*
(cancela e substitui
14010/96,
14011/96
14012/96)
*CB-25 Comitê Brasileiro
da Qualidade
Série NBR ISO 14000
robertoemery@gmail.com
Avaliação do Desempenho Ambiental
ISO 14031/04
robertoemery@gmail.com
✓ A Norma fornece orientação para o projeto e uso da avaliação do
desempenho ambiental em uma organização.
✓ É aplicável a todas as organizações, independentemente do tipo, tamanho,
localização e complexidade.
✓ Não estabelece níveis de desempenho ambiental. Não se pretende que ela
seja usada como uma norma de especificação para propósitos de certificação
ou registro, ou para estabelecimento de quaisquer outros requisitos de
conformidade de sistema de gestão ambiental.
ISO 14031/04
robertoemery@gmail.com
Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA)
14031/04
• Processo para facilitar as decisões gerenciais com relação ao
desempenho ambiental de uma organização;
• Compreende:
✓ seleção de indicadores,
✓ coleta e análise de dados
✓ avaliação da informação em comparação com critérios de
desempenho ambiental
✓ relatórios e informes
✓ análises críticas periódicas
✓ melhorias deste processo.
robertoemery@gmail.com
• Uma organização pode escolher ou pode ser solicitada
a emitir relatórios ambientais ou declarações que
forneçam informações que descrevam seu desempenho
ambiental às partes interessadas externas.
• A ADA fornece informações que uma organização pode
desejar incluir em seus relatórios ambientais ou em
outras comunicações com audiências externas.
Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA)
14031/04
robertoemery@gmail.com
Exemplo de solicitação de emissão de relatório de
desempenho ambiental....
robertoemery@gmail.com
Art. 18 - O órgão ambiental competente estabelecerá os prazos de
validade de cada tipo de licença, especificando-os no respectivo
documento, levando em consideração os seguintes aspectos:
§ 3º - Na renovação da Licença de Operação (LO) de uma atividade
ou empreendimento, o órgão ambiental competente poderá (...)
aumentar ou diminuir o seu prazo de validade, após avaliação do
desempenho ambiental da atividade ou empreendimento no período
de vigência anterior, respeitados os limites estabelecidos no inciso III.
CONAMA - RESOLUÇÃO Nº 237
AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL
(ADA)
ISO 14031:2004
robertoemery@gmail.com
• Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental (RADA) - documento
elaborado pelo empreendedor para fins de revalidação da Licença de
Operação (LO) da correspondente atividade.
• Baseado em informações e dados consolidados e atualizados, permite a
avaliação do desempenho dos sistemas de controle ambiental, da
implementação de medidas mitigadoras dos impactos ambientais, bem
como a análise da evolução do gerenciamento ambiental do
empreendimento.
AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL
(ADA)
ISO 14031:2004
robertoemery@gmail.com
• Subsidia análise técnica do pedido de revalidação da
Licença de Operação (LO), por meio da avaliação do
desempenho ambiental global do empreendimento
durante o período de vigência da licença vincenda.
http://www.feam.br/Licenciamento_Ambienta
AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL
(ADA)
ISO 14031:2004
robertoemery@gmail.com
Gestão ambiental - Avaliação de desempenho
ambiental - diretrizes
ISO 14031:2004
Documento Final
é
Relatório de Avaliação de
Desempenho Ambiental
robertoemery@gmail.com
robertoemery@gmail.com
Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA
Abordagem de causa e efeito
Indicadores que conduzam à causa fundamental ou básica
de seus aspectos ambientais significativos.
✓ Elevadas emissões de material particulado podem ser
devidas a uma manutenção preventiva inadequada e
infreqüente.
✓ organização pode selecionar um IDO (Indicador de
Desempenho Operacional) apropriado, tal como a quantidade
de emissões diárias de material particulado.
robertoemery@gmail.com
Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA
Abordagem baseada nos riscos
Risco probabilístico
✓ Horas de treinamento em segurança de processos dirigido
aos trabalhadores envolvidos com o processo específico
identificado.
robertoemery@gmail.com
Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA
Abordagem baseada nos riscos
R i s c o s p a r a a s a ú d e
humana
✓ Quantidade emitida de um material específico proveniente
das operações da organização.
robertoemery@gmail.com
Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA
Abordagem baseada nos riscos
Risco financeiro
✓ custo do material mais dispendioso usado nas operações da organização;
✓ quantidade consumida deste mesmo material pelas operações da
organização;
✓ custos de recuperação e reutilização deste mesmo material a partir do
resíduo;
✓ percentagem deste material em uma quantidade específica de resíduo.
robertoemery@gmail.com
Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA
Outros critérios
✓ Relações com a comunidade;
✓ Fornecimento e distribuição;
✓ Produtos;
✓ Resíduos;
✓ Emissões
✓ Água, fauna, flora...
robertoemery@gmail.com
O desenvolvimento e aplicação de ICA (Indicadores de
Condição Ambiental) é freqüentemente mais uma função
das agências governamentais locais, regionais, nacionais
ou internacionais, organizações não-governamentais, e
instituições científicas e de pesquisa, do que uma função
de uma organização individual.
robertoemery@gmail.com
Série NBR ISO 14000
Sistema de Gestão Ambiental
14001/04
14004/04
robertoemery@gmail.com
SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL (SGA)
ISO 14001: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – Requisitos com
orientação para uso – NBR/04 ( válida a partir de 31.01.2005)
ISO 14004: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – Diretrizes gerais
sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio – NBR/05 (versão
corrigida de 14/05/2007)
Sistema de Gestão Ambiental
14001/04
14004/04
robertoemery@gmail.com
	
 A certificação de sistemas de gestão ambiental – SGA permite
concluir que a organização:
Possui uma política ambiental e que está implementando-a em
conformidade com os requisitos da norma referencial, ou seja,
a ISO 14001.
	
 Não necessariamente:
• atende todas exigências
• isenta de impacto ambiental negativo
Sistema de Gestão Ambiental
14001/04
14004/04
robertoemery@gmail.com
	
 Ter um SGA pode ajudar uma organização a assegurar às partes
interessadas que
existe comprometimento da administração em atender à política,
objetivos e metas ambientais
é dada ênfase à prevenção
podem ser oferecidas evidências de atuação cuidadosa e de
atendimento aos requisitos legais
a concepção do sistema incorpora o conceito de melhoria contínua
Sistema de Gestão Ambiental
14001/04
14004/04
robertoemery@gmail.com
Interpretação da ISO 14001:2004 Página 38 de 84
FIGURA 6 - FLUXOGRAMA DO PROCESSO PARA A ISO 14001
PROCESSOS DE APOIO AO SGA
4.4.1 ESTRUTURA E RESPONSABILIDADES
4.4.2 COMPETÊNCIA, FUNÇÕES, RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES
Monitoramento e Medição
4.5.1
Auditoria Interna
4.5.5
VERIFICARAGIR
MELHORIA GESTÃO DA
EMERGÊNCIA
CONTROLE
Objetivos,
Metas e Programas
4.3.3
Planos de
Emergência
4.4.7
Procedimentos
de Controle
Operacional
4.4.6
EXECUTARPLANEJAR
Identificar
Requisitos Legais e
Outros requisitos
4.3.2
Identificar os Aspectos e
Impactos ambientais
4.3.1
Avaliar a significância
dos impactos
4.3.1
Política
4.2
Análise crítica
pela Administração
4.6
robertoemery@gmail.com
NBR/ISO 14001 – REQUISITOS DO SISTEMA DE GESTÃO
AMBIENTAL (2004)
POLÍTICA
AMBIENTAL
1-Alta
Administração
define a
política
organizacional
PLANEJAMENTO
2- Aspectos
ambientais
3- Requisitos
legais e outros
4-Objetivos,
metas e
programas (de
Gestão de SMS)
IMPLEMENTAÇÃO
E OPERAÇÃO
5- Recursos,
funções,
responsabilidades
e autoridades
6- Competência,
treinamento e
conscientização
7- Comunicação
8- Documentação
9- Controle de
documentos
10- Controle
operacional
11- Preparação e
resposta à
emergências
VERIFICAÇÃO
12-
Monitoramento e
Medição
13- Avaliação do
atendimento a
requisitos legais
e outros
14- Não
conformidade,
ação corretiva e
ação preventiva
15-Controle de
registros
16- Auditoria
interna
ANÁLISE PELA
ADMINISTRAÇÃO
17-Revisão do
Sistema de gestão
ambiental para
assegurar
conveniência,
adequação e
eficácia contínua
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programa
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
Algumas definições
NBR ISO 14001:04
robertoemery@gmail.com
DESEMPENHO AMBIENTAL: resultados mensuráveis da gestão de uma
organização sobre seus aspectos ambientais
NÃO-CONFORMIDADE: não atendimento a um requisito.
Algumas definições – NBR ISO 14001:04
POLÍTICA AMBIENTAL: intenções e princípios gerais de uma
organização em relação ao seu desempenho ambiental.
robertoemery@gmail.com
META AMBIENTAL: requisito de desempenho detalhado,
aplicável à organização ou a parte dela, resultante dos objetivos ambientais e
que necessita ser estabelecido e atendido para que tais objetivos sejam
atingidos
Algumas definições – NBR ISO 14001:04
OBJETIVO AMBIENTAL: propósito ambiental geral,
decorrente da política ambiental, que uma organização se propõe
a atingir;
robertoemery@gmail.com
Algumas definições – NBR ISO 14001:04
MELHORIA CONTÍNUA: processo de avançar com o sistema de
gestão ambiental com o propósito de aprimorar o desempenho ambiental
coerente com a política ambiental
ASPECTO AMBIENTAL: elemento das atividades ou produtos ou
serviços de uma organização que pode interagir com o meio ambiente
(“causa”)
IMPACTO AMBIENTAL: qualquer modificação do meio ambiente,
adversa ou benéfica, que resulte de aspecto ambiental da organização
(“efeito”)
robertoemery@gmail.com
REQUISITOS – NBR ISO
14001:2004
robertoemery@gmail.com
NBR/ISO 14001 – Termos Gerais
• Deve: ação é obrigatória
• É recomendado que: é sugerido
• Pode: é permissível
A Norma:
• Não estabelece requisitos absolutos para o
desempenho ambiental
• Não se dirige à saúde ocupacional e segurança
• Pretende ser compatível com a NBR ISO 9001:2005
robertoemery@gmail.com
4.1 REQUISITOS GERAIS
• COMPROMETIMENTO e liderança da alta
administração
• Escopo do SGA
• Análise ambiental inicial: avaliação da posição atual em relação ao
meio ambiente
ØOnde estamos
ØOnde queremos chegar
ØComo chegar
robertoemery@gmail.com
A organização deve estabelecer, documentar,
implementar, manter e continuamente melhorar um
sistema da gestão ambiental em conformidade com os
requisitos desta Norma e determinar como ela irá atender
a esses requisitos.
A organização deve definir e documentar o escopo de seu
sistema da gestão ambiental.
4.1 REQUISITOS GERAIS
robertoemery@gmail.com
Para assegurar sucesso, um passo inicial no
estabelecimento ou aprimoramento de um sistema de
gestão ambiental envolve a obtenção do comprometimento
da alta administração da organização, para aprimorar a
gestão ambiental de suas atividades, produtos e serviços.
Comprometimento e liderança da
alta administração
4.1 REQUISITOS GERAIS
robertoemery@gmail.com
✓ A alta administração precisa definir o escopo do seu
sistema de gestão ambiental.
✓ Recomenda-se que a alta administração determine os
limites da organização aos quais o sistema de gestão
ambiental se aplica.
Escopo do sistema de gestão
ambiental
4.1 REQUISITOS GERAIS
robertoemery@gmail.com
✓ Recomenda-se que uma organização que ainda não
possui um sistema de gestão ambiental avalie sua
posição atual em relação ao meio ambiente, por meio de
uma análise.
✓ Recomenda-se que o objetivo desta análise seja
considerar os aspectos ambientais das atividades,
produtos e serviços da organização como base para o
estabelecimento de seu sistema de gestão ambiental.
Análise ambiental inicial
4.1 REQUISITOS GERAIS
robertoemery@gmail.com
SGA – Três questões fundamentais
Onde queremos chegar?
Como chegar lá?
Onde estamos?
Onde estamos?
Demandas do mercado Requisitos legais
Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004
Objetivo do SGA: assegurar a melhoria
contínua do desempenho ambiental da empresa
robertoemery@gmail.com
SGA – Três questões fundamentais
Onde queremos chegar?
Como chegar lá?
Onde estamos?
Onde estamos?
Demandas do mercado Requisitos legais
Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004
robertoemery@gmail.com
A alta administração deve definir, documentar e
comunicar sua política ambiental para os públicos interno
(empregados) e externo.
A política deve:
✓ ser apropriada à natureza, ao tamanho e aos impactos
ambientais de suas atividades, produtos e/ou serviços
✓ incluir comprometimento com melhoria contínua
e prevenção da poluição
4.2 POLÍTICA AMBIENTAL
robertoemery@gmail.com
4.2 POLÍTICA AMBIENTAL
✓ incluir comprometimento em atender aos requisitos legais e
outros requisitos subscritos pela organização que se
relacionem a seus aspectos ambientais;
✓ fornecer estrutura para estabelecimento e análise dos
objetivos e metas ambientais;
✓ ser documentada, implementada e mantida;
✓ estar disponível para o público.
robertoemery@gmail.com
A política ambiental pode ser entendida como o
conjunto das grandes linhas de
orientação, estabelecidas pela alta administração (ou
gestão de topo ou simplesmente diretoria) da empresa,
para todos os processos do negócio com potencial
impacto no ambiente.
4.2 POLÍTICA AMBIENTAL
robertoemery@gmail.com
robertoemery@gmail.com
4.3 - PLANEJAMENTO
robertoemery@gmail.com
4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS
4.3 PLANEJAMENTO
A organização deve estabelecer, implementar e manter
procedimentos para:
✓ identificar aspectos ambientais (diretos e indiretos)
✓ determinar aspectos que tenham ou possam ter impactos
ambientais significativos (isto é, aspectos
ambientais significativos - FILTROS DE SIGNIFICÂNCIA)
robertoemery@gmail.com
4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS
4.3 PLANEJAMENTO
A organização deve estabelecer, implementar e manter
procedimentos para:
✓ identificar aspectos ambientais (diretos e indiretos)
✓ determinar aspectos que tenham ou possam ter impactos
ambientais significativos (isto é, aspectos
ambientais significativos - FILTROS DE SIGNIFICÂNCIA)
robertoemery@gmail.com
4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS
4.3 PLANEJAMENTO
✓ A organização deve documentar essas informações
e mantê-las atualizadas.
✓ A organização deve assegurar que os aspectos
ambientais significativos sejam levados em
consideração no estabelecimento, implementação e
manutenção de seu sistema da gestão ambiental.
robertoemery@gmail.com
Aspectos e Impactos Ambientais de E&P
Quais são eles...?
Atividade: extração de petróleo
Aspecto: derramamento de óleo
Impacto:____________________________
robertoemery@gmail.com
EXEMPLOS DE ASPECTOS E IMPACTOS NBR ISO 14004*
*SGA: Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio.
consumidor renováveis
Final de vida - disposição Geração de resíduo sólido c
Uso do solo
Recuperação e reutilização de
componentes
Conservação de recursos naturais
Serviço: Manutenção e serviços de reparo
Manuseio e uso de produto
químico
Lançamento não controlado
durante emergência b
Poluição do ar
Poluição do solo
Danos a seres humanos
Reparo de condicionador de
ar por subcontratado
Emissão de substâncias que
diminuem a camada de ozônio
(ou seja, líquido refrigerante) a
Diminuição da camada de ozônio
Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos
Operação da frota Consumo de combustível Esgotamento de combustíveis fósseis não
renováveis
Emissão de óxidos de nitrogênio
(NOx)
Poluição do ar - produção de ozônio - névoa
Aquecimento global e mudança climática
Geração de ruído Desconforto e inconveniência para os
residentes da área
Manutenção rotineira da
frota (incluindo trocas de
óleo)
Emissão de óxidos de nitrogênio
(NOx)
Cumprimento dos objetivos da qualidade do
ar
Geração de resíduo de óleo Poluição do solo
a
Condições anormais.
b
Condições emergenciais.
c
Organização pode ser capaz de “influenciar” o aspecto.
d
Impacto benéfico.
ABNT NBR ISO 14004:2005
Tabela A.1 (conclusão)
Atividade/Produto/Serviço Aspectos Impactos reais e potenciais
Produto: Condicionador de ar
Operação da unidade pelo
consumidor
Uso de eletricidade c
Esgotamento de recursos naturais não
renováveis
Final de vida - disposição Geração de resíduo sólido c
Uso do solo
Recuperação e reutilização de
componentes
Conservação de recursos naturais
Serviço: Manutenção e serviços de reparo
Manuseio e uso de produto
químico
Lançamento não controlado
durante emergência b
Poluição do ar
Poluição do solo
Danos a seres humanos
Reparo de condicionador de
ar por subcontratado
Emissão de substâncias que
diminuem a camada de ozônio
(ou seja, líquido refrigerante) a
Diminuição da camada de ozônio
Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos
Operação da frota Consumo de combustível Esgotamento de combustíveis fósseis não
renováveis
Emissão de óxidos de nitrogênio Poluição do ar - produção de ozônio - névoa
robertoemery@gmail.com
Exemplos de aspectos e impactos NBR ISO 14004*
*SGA: Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio.
ABNT NBR ISO 14004:2005
Tabela A.1 (continuação)
Atividade/Produto/Serviço Aspectos Impactos reais e potenciais
Atividade: Operações de caldeira a combustível fóssil
Operação de caldeira Consumo de óleo de
aquecimento
Esgotamento de recursos naturais não
renováveis
Emissão de dióxido de enxofre,
óxido nitroso e CO2 (ou seja, gás
de efeito estufa)
Poluição do ar
Impactos respiratórios sobre os residentes
locais
Impactos de chuva ácida em água
superficial
Aquecimento global e mudança climática
Lançamento de água aquecida Mudanças na qualidade da água (por
exemplo, temperatura)
Armazenamento de
combustível de caldeira em
tanques subterrâneos
Lançamento de óleo no solo a
Poluição do solo
Poluição de águas subterrâneas
Entrega e transferência de
óleo de aquecimento
Liberação não controlada de
óleo de aquecimento para o
dreno/drenagem de água
superficial b
Poluição de água superficial
Bioacumulação de substâncias tóxicas na
fauna
Atividade: Agricultura - Cultivo de arroz
Operações em campo
durante o estágio/fase de
Consumo de água Esgotamento do suprimento de águas
subterrâneas
robertoemery@gmail.com
AVALIAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS IMPACTOS
Avaliação da significância dos aspectos e impactos
ambientais (priorizar) é a atividade sobre a qual o
restante do SGA é construído.
Objetivo: garantir que os aspectos ambientais
responsáveis por impactos significativos sejam
considerados, quando forem estabelecidos objetivos e
metais ambientais da empresa. (4.3.1)
NBR/ISO 14001 – Planejamento
robertoemery@gmail.com
AVALIAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS IMPACTOS
• Organização pode ter muitos aspectos ambientais e
impactos relacionados.
• É recomendável o estabelecimento de critério e
método para determinar quais serão considerados
significativos
• A organização deve ter procedimento para avaliar
e classificar impactos (“Filtro de significância”).
NBR/ISO 14001 – Planejamento
robertoemery@gmail.com
Determinação de aspectos ambientais significativos
Significância: conceito relativo. Significativo para
uma organização – não significativo para outra
Avaliar significância envolve aplicação de
• análise técnica
• julgamento por parte da organização
NBR/ISO 14001 – Planejamento
robertoemery@gmail.com
Recomenda-se que a organização considere:
• Critérios ambientais: severidade, escala, duração
do impacto, tipo, ou tamanho e freqüência de um
aspecto ambiental.
• Requisitos ambientais aplicáveis: limites de
emissão, lançamentos com autorização,
regulamentos, etc...
• Preocupações das partes interessadas, internas e
externas: valores da organização, imagem pública,
ruído, odor, etc...
Determinação de aspectos ambientais significativos
robertoemery@gmail.com
Determinação de aspectos ambientais significativos
• Critérios de significância podem ser aplicados aos aspectos
ou impactos ambientais associados.
• Organização pode estabelecer níveis (ou valores) de
significância associados a cada critério, por exemplo com base
numa combinação de probabilidade/freqüência e a conseqüência
(severidade/intensidade)
METODOLOGIA EM CONSTANTE
APERFEIÇOAMENTO
robertoemery@gmail.com
Determinação de aspectos ambientais significativos
Efeitos diretos
• Decorrem diretamente de operações comerciais sobre
as quais a empresa exerce controle quase total
• Aqueles que cessariam completamente se a empresa
encerrasse as atividades
Efeitos indiretos (não é exigência da ISO 14001)
• Mais difíceis de avaliar; fora do controle da empresa
• Podem persistir por muito tempo após fechamento da
empresa
robertoemery@gmail.com
Avaliação da significância
• Resultados obtidos são qualitativos, não fornecendo
necessariamente estimativas numéricas.
• Ordenação qualitativa dos cenários de acidentes
identificados.
• A s p e c t o s / i m p a c t o s s i g n i f i c a t i v o s e s t ã o
necessariamente associados a um PLANO DE
AÇÃO.
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Impacto Ambiental
Filtro de Significância
Exemplo
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Impacto Ambiental
Filtro de Significância
Índice de Avaliação do Impacto (IAI) = (A+B) x C
Onde:
A: Probabilidade de ocorrência
B: Probabilidade de detecção
C: Severidade do impacto
Exemplo
robertoemery@gmail.com
Procedimento para identificação e avaliação de
aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO)
A: Probabilidade de ocorrência:
- método de controle
- substâncias envolvidas
- frequência da atividade
robertoemery@gmail.com
Procedimento para identificação e avaliação de
aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO)
B: Probabilidade de detecção:
- impossível
- difícil
- monitorado continuamente
robertoemery@gmail.com
Procedimento para identificação e avaliação de
aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO)
C: Severidade do impacto:
- nível do risco
- quantidade derramada / liberada
- tempo
- legislação pertinente - ...
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Impacto Ambiental
Filtro de Significância
Índice de Avaliação do Impacto = (A+B) x C
A: Probabilidade de
ocorrência
B: Probabilidade de
detecção
C: Severidade do
impacto
5: Frequente
4: (Intermediário)
3: Algumas vezes
2: (Intermediário)
1: Raramente
5: Impossível detectar
4: Difícil detectar
3:Verificado periodicamente
2: Verificado continuamente
1: Previsível
5: Dano humano e ambiental
4: Reclamação de vizinhos
3: Dano temporário
2: Rápida recuperação
1: Baixo dano
Valor máximo do IAI: 50
Exemplo
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Impacto Ambiental
Filtro de Significância
Exemplo
Aspecto Ambiental
Probabilidade de
ocorrêncîa (A)
Probabilidade de
detecção (B)
Severidade do
impacto (C)
TOTAL
Vazamento de NOx 3 1 4 16
Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC
A: Probabilidade
de Ocorrência
5: Frequente
4: Intermediário
3: Algumas vezes
2: Intermediário
1: Raramente
B: Probabilidade de
Detecção
5: Impossível
4: Difícil
3: Periodicamente
2: Continuamente
1: Previsível
C: Severidade do Impacto
5: Dano a pessoas e ao
ambiente
4: Dano local
3: Dano temporal
2: Reparo rápido
1: Pouco dano
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Aspecto/Impacto Ambiental
(EXERCÍCIO 1)
Aspecto Ambiental
Probabilidade de
ocorrêncîa (A)
Probabilidade de
detecção (B)
Severidade do
impacto (C)
TOTAL
Vazamento de óleo
para o efluente final
Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC
A: Probabilidade
de Ocorrência
5: Frequente
4: Intermediário
3: Algumas vezes
2: Intermediário
1: Raramente
B: Probabilidade de
Detecção
5: Impossível
4: Difícil
3: Periodicamente
2: Continuamente
1: Previsível
C: Severidade do
Impacto
5: Dano a pessoas e
ao ambiente
4: Dano local
3: Dano temporal
2: Reparo rápido
1: Pouco dano
robertoemery@gmail.com
Avaliação de Impactos Ambientais (EXERCÍCIO 2)
Aspecto Ambiental
Probabilidade de
ocorrêncîa (A)
Probabilidade de
detecção (B)
Severidade do
impacto (C)
TOTAL
Vazamento em filtro
manga
Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC
A: Probabilidade
de Ocorrência
5: Frequente
4: Intermediário
3: Algumas vezes
2: Intermediário
1: Raramente
B: Probabilidade de
Detecção
5: Impossível
4: Difícil
3: Periodicamente
2: Continuamente
1: Previsível
C: Severidade do
Impacto
5: Dano a pessoas e
ao ambiente
4: Dano local
3: Dano temporal
2: Reparo rápido
1: Pouco dano
robertoemery@gmail.com
robertoemery@gmail.com
Aspecto/Impacto ambiental significativo –
Desdobramentos no SGA
Controle
Operacional (4.4.6)
Competência,
treinamento e
conscientização (4.4.2)
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programa
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
A organização DEVE estabelecer, implementar e manter
procedimento para:
identificar e ter acesso a requisitos legais e outros requisitos
subscritos pela organização, relacionados aos seus aspectos ambientais,
determinar como esses requisitos se aplicam aos aspectos ambientais da
organização
4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS
4.3 PLANEJAMENTO
robertoemery@gmail.com
Requisitos legais podem ser:
a) legislação, incluindo estatutos e regulamentos,
b) decretos e diretivas,
c) permissões, licenças ou outras formas de autorização,
d) ordens emitidas por agências regulamentadoras,
e) sentenças judiciais,
f) leis consuetudinárias ou direitos dos povos indígenas, e
g) tratados, convenções e protocolos.
4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS
4.3 PLANEJAMENTO
robertoemery@gmail.com
✓ acordos com autoridades públicas,
✓ acordos com clientes,
✓ princípios voluntários ou códigos de prática,
✓ rotulagem ambiental voluntária ou compromissos de
gerenciamento de produtos,
✓ acordos com grupos comunitários ou organizações
não-governamentais,
✓ compromissos públicos da organização ou sua matriz,
✓ requisitos da corporação/companhia
4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS
4.3 PLANEJAMENTO
robertoemery@gmail.com
Legislação Aplicável (EXEMPLO)
✓ Lei 6938/81 - SISNAMA
✓ Resoluções CONAMA
✓ Lei 9605/98 - Crimes Ambientais
✓ Lei 9985/00 - SNUC
✓ Lei 9433/97 - PNRH
✓ Lei 9966/00 - Lei do óleo
✓ Lei 12305 - PNRS
✓ ...
robertoemery@gmail.com
Conformidade Legal e outros S N NA OBS
A empresa tem cadastro atualizado junto ao órgão ambiental?
Há licença ambiental envolvendo as atividades da empresa?
Houve nodificação em alguma área licenciada? A alteração foi
comunicada ao órgãoambiental?
Exigências e TAC estão sendo cumpridos?
A empresa tem procedimento para acompanhar o cumprimento das
exigências e renovações das licenças ambientais?
A Licença Ambiental está no prazo de validade?
É feita divulgação na empresa da legislação ambiental? Há evidências
visíveis?
Os padrões de gestão e de processo da empresa são conhecidos e
seguidos pelos setores pertinentes? Há evidências?
4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS
4.3 PLANEJAMENTO
Exemplo de roteiro para elaboração de relatório de
auditoria de SGA
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
4.3.3 OBJETIVOS, METAS E PROGRAMAS
• A organização deve estabelecer, implementar e manter
objetivos e metas ambientais documentados
• Objetivos e metas devem ser mensuráveis e
coerentes com política ambiental (Associar Indicadores!)
• P r o g r a m a d e v e i n c l u i r a t r i b u i ç ã o d e
responsabilidade, meios e prazo para atingir metas
4.3 PLANEJAMENTO
robertoemery@gmail.com
4.3.3 OBJETIVOS, METAS E PROGRAMAS
4.3 PLANEJAMENTO
Cada aspecto e impacto significativo deve ter um
plano de ação correspondente.
Ao estabelecer e analisar seus objetivos e metas:
considerar os requisitos legais e outros requisitos por ela
subscritos, e seus aspectos ambientais significativos.
robertoemery@gmail.com
4.3 PLANEJAMENTO
Objetivos e Metas
Exemplos de Plano de Ação
robertoemery@gmail.com
Objetivos e Metas
robertoemery@gmail.com
Objetivos e Metas (cont...)
robertoemery@gmail.com
Objetivos e Metas (cont...)
ABNT NBR ISO 14004:2005
Tabela A.2 (conclusão)
Aspectos Objetivos Metas Programas Indicadores
Controle
operacional
Monitoramento e
medição
Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos (manutenção da frota)
Geração de
resíduos de óleo
Gerenciar
resíduos de
óleo em
conformidade
com os
requisitos
Atingir 100% de
conformidade
com os requisitos
de disposição de
resíduos de óleo
em centros de
serviço, dentro de
um ano
Desenvolver e
implementar o
programa de
treinamento de
gerenciamento
de resíduos
nos centros de
serviço
x % de empregados
treinados
dos centros de
serviço
x Número de
não-conformidades
na disposição de
resíduos
x % de resíduos de
óleo descartados
de acordo com os
requisitos
x Procedimentos
de
gerenciamento
de resíduos
x Programa de
treinamento
para
empregados de
centros de
serviço
xMonitoramento do
treinamento
realizado com os
empregados dos
centros de serviço
xAcompanhamento
das quantidades
de resíduos de
óleo dispostos e
dos métodos de
disposição
xAvaliações
trimestrais das
práticas de
gerenciamento de
resíduos de óleo
robertoemery@gmail.com
Objetivos e Metas (cont...)
c
Política ambiental
Requisites legais e outros
Aspectos ambientais
significativos
Opções tecnológicas
Requisitos financeiros e
mercadológicos
Opinião das partes interessadas
Objetivos e metas
Programas / Planos de ação
consistência
Considerando...
}
}
robertoemery@gmail.com
4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
Exemplo de plano de ação
Aspectos
ambientais
Impactos
ambientais
Requisitos
Legais
Outros
requisitos
Objetivos Metas Prazos Custo Responsável
Emissão de
efluente
líquido
Contaminação
de curso d´água
Padrões de
qualidade em
lei
Interno:
padrão
internacional
Controlar
emissão
Assegurar
atendimento
padrão
internacional e
legal
10 meses XXX R$
Gerente de
meio ambiente
Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004
Indicador Concentração de algum ou
alguns metais; pH; DBO
robertoemery@gmail.com
4 . 4 . 1 R E C U R S O S , F U N Ç Õ E S ,
RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES
•Alta administração deve assegurar
recursos para estabelecer, implementar, manter e
melhorar o sistema de gestão ambiental.
•Funções e responsabilidades devem ser
definidas e documentadas e comunicadas visando
uma gestão eficaz.
4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
• Organização deve assegurar que qualquer
pessoa que realize tarefa com potencial de causar
impacto ambiental significativo seja competente com
base em informação apropriada, treinamento ou experiência.
• Organização deve identificar as necessidades
de treinamento associadas com seus aspectos
ambientais e seu SGA.
4.4.2 COMPETÊNCIA, TREINAMENTO E CONSCIENTIZAÇÃO
4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
robertoemery@gmail.com
O que significa competência e
conscientização?
1.Competência
Habilidade de atingir os requisitos
2.Pontos a serem considerados
✓ Política Ambiental da organização
✓ Aspectos e impactos significativos relacionados com
respectiva atividade
✓ Benefícios por melhora de desempenho pessoal
✓ Deveres e responsabilidades
✓ Riscos potenciais caso os procedimentos
estabelecidos não sejam seguidos.
robertoemery@gmail.com
Recomenda-se que uma organização defina e comunique as responsabilidades e autoridades das pessoas que
para ela trabalhem ou atuem em seu nome, e cujo trabalho se relacione à gestão ambiental da organização.
Responsabilidades ambientais não devem ser vistas como restritas à função ambiental, podendo também incluir
outras áreas da organização, tais como gestão operacional ou outras funções de apoio (como aquisição,
engenharia, qualidade etc.). Recomenda-se que os recursos fornecidos pela alta administração permitam o
cumprimento das responsabilidades atribuídas. As responsabilidades e autoridades devem ser analisadas quando
ocorrer uma mudança na estrutura da organização.
Ajuda prática - Estrutura e responsabilidade
Para se garantir o estabelecimento e a implementação efetiva de um sistema de gestão ambiental, é
necessária a atribuição de responsabilidades apropriadas.
Os seguintes exemplos ilustram responsabilidades ambientais:
Exemplos de responsabilidades ambientais Pessoa(s) tipicamente responsável(is)
Estabelecer orientação geral
Desenvolver a política ambiental
Desenvolver objetivos, metas e programas ambientais
Monitorar o desempenho geral do sistema de gestão
ambiental
Garantir o atendimento a requisitos legais aplicáveis e
outros requisitos subscritos pela organização
Promover melhoria contínua
Identificar as expectativas dos clientes
Identificar requisitos para fornecedores
Desenvolver e manter procedimentos contábeis
Promover conformidade com os requisitos do sistema de
gestão organização
Analisar a operação do sistema de gestão ambiental
Presidente, executivo principal, diretoria
Presidente, executivo principal e outros,
conforme apropriado
Gerentes pertinentes
Gerente de meio ambiente
Todos os gerentes
Todos os gerentes
Equipe de vendas e marketing
Compradores
Gerentes financeiros/contábeis
Todas as pessoas que trabalham para a
organização ou atuam em seu nome
Alta administração
NOTA Companhias e instituições têm diferentes estruturas organizacionais e precisam definir responsabilidades de
gestão ambiental baseadas em seus próprios processos de trabalho. No caso de uma PME, por exemplo, o proprietário
pode ser a pessoa responsável por todas essas atividades.
parausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31
Funções e Responsabilidades
(EXEMPLO)
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
• A organização deve manter procedimento para
comunicação interna e externa sobre sua política ambiental,
desempenho e outras informações pertinentes.
• Exemplos de informações a serem comunicadas:
• Política, objetivos e metas ambientais
• Informações gerais sobre a organização
• Compromisso de melhoria contínua
• Informações sobre desempenho ambiental dos produtos e serviços
oferecidos
• Conformidade com requisitos legais
4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO;
CONTROLE DE DOCUMENTOS
robertoemery@gmail.com
COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE
DOCUMENTOS
Comunicação Conteúdo
Comunicação Interna
Comunicação Externa
Métodos: reunião gerencial, reunião
local, informes impressos, mensagens correio
eletrônico, reuniões diárias, site, etc...
Comunicação com autoridades e partes
interessadas (externas)
1.Aspectos ambientais significativos
2.Reclamações, mudanças na legislação,
na política ambiental, etc.
Métodos: Relatório Anual, informativos, página
internet, reuniões com a comunidade, etc.
robertoemery@gmail.com
A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento(s) para
a) aprovar documentos quanto à sua adequação antes de seu uso,
b) analisar e atualizar, conforme necessário, e reaprovar documentos,
c) assegurar que as alterações e a situação atual da revisão de documentos
sejam identificadas,
4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO;
CONTROLE DE DOCUMENTOS
robertoemery@gmail.com
A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento(s) para
d) assegurar que as versões relevantes de documentos aplicáveis estejam
disponíveis em seu ponto de uso,
e) assegurar que os documentos permaneçam legíveis e prontamente
identificáveis,
f) assegurar que os documentos de origem externa determinados pela organização
como sendo necessários ao planejamento e operação do sistema da gestão
ambiental sejam identificados e que sua distribuição seja controlada, e
g) prevenir a utilização não intencional de documentos obsoletos e utilizar
identificação adequada nestes, se forem retidos para quaisquer fins.
4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO;
CONTROLE DE DOCUMENTOS
robertoemery@gmail.com
4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO;
CONTROLE DE DOCUMENTOS
Para assegurar:
ü Identificação apropriada
ü Revisão periódica
ü Disponibilidade
ü Atualidade
robertoemery@gmail.com
4.4.6 - CONTROLE OPERACIONAL
Recomenda-se que uma organização avalie quais de suas
operações estão associadas com seus
aspectos ambientais significativos
identificados e assegure que elas sejam conduzidas de
modo a controlar ou reduzir os impactos ambientais
adversos associados, para atender aos requisitos de sua
política ambiental e atingir seus objetivos e metas.
robertoemery@gmail.com
CONTROLE OPERACIONAL - EXEMPLO
Procedimento para recebimento de NaOH de um caminhão tanque
LOCAL ITEM DE VERIFICAÇÃO Observações
Sala de
Controle
Verificar NF incluindo propriedades do
produto (densidade, concentração)
1. Verificar o número da licença
do caminhão tanque
2. Receber o NaOH somente
após verificar as propriedades
da NF
3. Enquanto estiver ocorrendo o
recebimento, colocar EPI.
4. Caso observe alguma situação
a n o r m a l , i n t e r r o m p a a
operação.
5. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, confira o nível
do tanque
6. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, verifique se há
vazamentos na linha ou em
válvulas.
Ponto de
descarga
Verificar o nível do tanque e espaço
disponível no tanque de recebimento
Verificar calços no caminhão tanque
Verificar se o cavalo está aterrado em
segurança
Acender o aviso de “em recebimento” antes e
depois do caminhão
Autorizar o motorista a transferir o NaOH
para o tanque
Purgar o ar da linha após recebimento
Desconectar o cavalo
Verificar a quantidade recebida
1. Verificar o número da licença
do caminhão tanque
2. Receber o NaOH somente
após verificar as propriedades
da NF
3. Enquanto estiver ocorrendo o
recebimento, colocar EPI.
4. Caso observe alguma situação
a n o r m a l , i n t e r r o m p a a
operação.
5. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, confira o nível
do tanque
6. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, verifique se há
vazamentos na linha ou em
válvulas.Sala de
Controle
Assinar o recibo e entregá-lo ao motorista
Entrar com a quantidade recebida no diário
1. Verificar o número da licença
do caminhão tanque
2. Receber o NaOH somente
após verificar as propriedades
da NF
3. Enquanto estiver ocorrendo o
recebimento, colocar EPI.
4. Caso observe alguma situação
a n o r m a l , i n t e r r o m p a a
operação.
5. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, confira o nível
do tanque
6. E n q u a n t o e s t i v e r
descarregando, verifique se há
vazamentos na linha ou em
válvulas.
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
• A organização deve estabelecer procedimentos para identificar
possíveis situações de emergência
• Deve responder às situações reais de emergência e aos
acidentes, e prevenir ou mitigar os impactos ambientais adversos
associados
• Periodicamente deve testar tais procedimentos, quando
exeqüível
4.4.7 PREPARAÇÃO E RESPOSTAS À EMERGÊNCIAS
4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
robertoemery@gmail.com
PREPARAÇÃO E RESPOSTAS À EMERGÊNCIAS -
EXEMPLO
Sistema de Notificação de
acidentes e incidentes Medidas de emergência
Descobridor do
fogo,
emergência,
etc.
Aviso no local de
trabalho e
vizinhança
Oficial do dia
Corpo de bombeiros
Grupo de SMS
Telefone de
Emergência
Veículos contra o fogo
Estabelecimento de
central de prevenção de
acidentes
Ações preventivas e
corretivas
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
Qual uma forma adequada de verificar
a p r e p a r a ç ã o e r e s p o s t a s a
emergências de uma companhia... ?
robertoemery@gmail.com
4.5.1 Monitoramento e medição
4.5.2 Avaliação de atendimento a requisitos legais e
outros
4.5.3 Não-conformidade, ação corretiva e preventiva
4.5.4 Controle de registros
4.5.5 Auditoria Interna
Ciclo de Ação Corretiva
Ação corretiva significa tomar providências
com relação à causa de um problema, não
apenas os sintomas.
robertoemery@gmail.com
Monitoramento e medição - Exemplo
A organização deve estabelecer, implementar e manter
procedimento para monitorar e medir regularmente as
características principais de suas operações que possam ter
um impacto ambiental significativo.
robertoemery@gmail.com
Não-conformidade, ação corretiva e preventiva
• Resultado do monitoramento: identificação da
necessidade de implementar ações corretivas e
preventivas.
• ações corretivas: ações necessárias e suficientes
para evitar que um problema real volte a ocorrer.
• ações preventivas: ações necessárias e suficientes
para evitar que um problema potencial de fato
aconteça.
robertoemery@gmail.com
Monitoramento e medição - Exemplo
• Para melhoria contínua do desempenho ambiental: medições e
monitoramentos sistemáticos desse desempenho
• Exemplos de indicadores de desempenho ambiental:
• Quantidade de emissões por unidade de produto acabado
• Consumo de água por funcionário
• Número de reclamações da comunidade em um determinado intervalo
de tempo
• Volume de efluente descartado ao corpo hídrico ou à rede de esgotos
• .....
• Os resultados do monitoramento devem ser documentados!
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
4.5.2 - Avaliação de atendimento a requisitos legais e outros
De maneira coerente com o seu comprometimento
a requisitos, a organização deve estabelecer,
implementar e manter procedimento para avaliar
periodicamente o atendimento aos requisitos
legais aplicáveis.
robertoemery@gmail.com
EXEMPLO - 4.5.2
Lei PertinenteLei Pertinente Controle Instalação
Itens
verificados
Controle
da
poluição
da água
Resolução
CONAMA,
....
1.Verificação
da qualidade
da água
2.Verificação
da carga de
poluentes no
efluente
3....
Unidade
de
tratamento
de efluente
1.Confirmação dos
p a r â m e t r o s
exigidos
2.Histórico de
medidas
3.Confirmação da
pessoa
responsável.
4....
...do ar... ... ... ... ...
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
4.5.3 Não-conformidade, ação corretiva e preventiva
• Resultado do monitoramento: identificação da necessidade
de implementar ações corretivase preventivas.
• ações corretivas: ações necessárias e suficientes para evitar
que um problema real volte a ocorrer.
• ações preventivas: ações necessárias e suficientes para evitar
que um problema potencial de fato aconteça.
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
✓ A organização deve estabelecer e manter registros,
conforme necessário, para demonstrar conformidade com
os requisitos de seu sistema da gestão ambiental e desta
Norma, bem como os resultados obtidos.
✓ A organização deve estabelecer, implementar e manter
procedimento(s) para a identificação, armazenamento,
proteção, recuperação, retenção e descarte de registros.
✓ Os registros devem ser e permanecer legíveis,
identificáveis e rastreáveis.
4.5.4 Controle de registros
robertoemery@gmail.com
4.5.4 Controle de registros
•Demonstramo cumprimento da empresa com:
• Política ambiental
• Melhoria contínua
• Realização (ou não) dos objetivos e metas
•Exemplosde registros:
• Licenças
• Requisitos legais
• Treinamento de funcionários
• Aspectos ambientais e impactos correspondentes
• Acidentes ambientais e ações implementadas
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
4.5.5 Auditoria interna
Organização deve planejar auditorias
internas do SGA em intervalos regulares para:
• Determinar conformidade do SGA
• Assegurar que SGA foi implementado e
mantido
• Fornecer informações à administração
sobre os resultados das auditorias
robertoemery@gmail.com
Papel do auditor ambiental interno -
EXEMPLO
1.Preparação
1.1.Estudar os documentos da organização referentes ao SGA
1.2.Preparar lista de verificação que será usada na avaliação do SGA
2.Auditoria
2.1.Entrevistas, exame de documentos e observação de atividades
2.2.Preparação do relatório da auditoria
3.Acompanhamento
3.1.Recomendação de planejamento para corrigir não conformidades
3.2.Apresentação do relatório final
robertoemery@gmail.com
Política Ambiental
Planejamento
• Aspectos Ambientais
• Requisitos Legais
• Objetivos, Metas e Programas
Implementação e Operação
• Estrutura e Responsabilidades
• Treinamento, conscientização,
Competências
• Objetivos, Metas e Programa
• Comunicação
• Documentação
• Controle de documentos e
operacional
• Resposta à emergência
Verificação
• Monitoramento e Medição
• Requisitos legais e outros
• Não conformidades e ações
corretivas
• Controle de registros
• Auditoria interna
Análise pela Administração
Melhoria Contínua
Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001
Plan
Do
Check
Act
robertoemery@gmail.com
4.6 – Análise crítica pela administração
Recomenda-se que a organização analise
periodicamente e aprimore continuamente
seu SGA, com objetivo de aprimorar seu
desempenho ambiental geral
robertoemery@gmail.com
4.6 – Análise crítica pela administração
a) Resultados de auditorias internas e das avaliações do atendimento aos
requisitos legais e outros subscritos pela organização;
b) Comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas externas,
incluindo reclamações;
c) O desempenho ambiental da organização;
d) Extensão na qual foram atendidos os objetivos e metas;
Entradas para análise crítica pela administração devem incluir:
Continua...
robertoemery@gmail.com
4.6 – Análise crítica pela administração
Entradas para análise crítica pela administração devem incluir:
e) Situaçãodas ações corretivas e preventivas;
f) Açõesde acompanhamento das análises anteriores;
g)Mudança de circunstâncias, incluindo desenvolvimentos
em requisitos legais e outros requisitos relacionados aos
aspectos ambientais, e
h) Recomendações para melhoria.
robertoemery@gmail.com
SGA - NBR ISO 14001 -
ASPECTOS GERAIS
Resumo...
robertoemery@gmail.com
Principais mudanças na versão 2004
Indica a metodologia PDCA para compatibilidade entre as normas ISO 9001:2000 e a ISO
14001:2004 ver exemplo na figura 5.
FIGURA 5 – MODELO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL BASEADO EM PROCESSO
Modelo de SGA baseado em processo
robertoemery@gmail.com
SGA - NBR ISO 14001 - ASPECTOS GERAIS
REVISÃO
• O SGA é modificado para OTIMIZAR sua eficiência
• A revisão cria um CICLO de melhoria contínua na
empresa.
robertoemery@gmail.com
AUDITORIA AMBIENTAL
NOTA: ISO 19.011 – Diretrizes para Auditorias de Sistema de Gestão da
Qualidades e/ou Ambiental. Principal objetivo: avaliar os Sistemas de Gestão
Ambiental e de Qualidade desenvolvidos de acordo com Norma ISO 140001 e
9.001
robertoemery@gmail.com
O QUE É AUDITORIA AMBIENTAL?
Conceito teve início na década de 1970
Processo de verificação sistemática e documentada,
pelo qual se obtém e avaliam PROVAS OBJETIVAS para
determinar se atividades, eventos, condições - S.G.A. ou
informações estão de acordo com “padrões
estabelecidos".
robertoemery@gmail.com
AUDITORIA AMBIENTAL
Organizações têm necessidade de demonstrar
responsabilidade ambiental.
Sistemas de Gestão Ambiental e a prática de Auditoria
Ambiental são sugeridas como uma forma de satisfazer
essas necessidade.
robertoemery@gmail.com
OBJETIVOS
DA AUDITORIA AMBIENTAL
➡ Determinar conformidade a uma norma
➡ Determinar eficácia do SGA
➡ Produzir oportunidade para melhorias ao SGA
➡ Atender aos requisitos regulamentares para fins
de certificação (porém não necessariamente!)
robertoemery@gmail.com
BENEFÍCIOS
DA AUDITORIA AMBIENTAL
Credibilidade à alta administração
Credibilidade ao cliente
Demonstrar compromisso com meio ambiente
Fornecer oportunidade de melhorias
Verificação de informações relacionadas a ações
corretivas e preventivas.
Outros...
Alguns....
robertoemery@gmail.com
AUDITORIA AMBIENTAL
Auditoria eficaz, portanto:
• É uma Medida de como o SGA atende aos
requisitos especificados
• Serve como Base e incentivo para ações corretivas
das não- conformidades observadas
• É uma verificação de que a ação corretiva
previamente acordada foi efetuada no prazo e de
forma eficaz
robertoemery@gmail.com
• Voluntária ou compulsória: investigação documentada, independente e
sistemática de fatos, procedimentos, documentos e registros relacionados ao
meio ambiente.
AUDITORIA AMBIENTAL
robertoemery@gmail.com
ALGUNS TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL
Auditoria de Conformidade Legal
Avalia a unidade auditada com relação à legislação e
aos regulamentos pertinentes
Auditoria do Sistema de Gestão Ambiental
Avalia se os requisitos estabelecidos pelo Sistema de
Gestão Ambiental da empresa estão sendo cumpridos,
como (implantação) e verificação (eficácia)
robertoemery@gmail.com
ALGUNS TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL
Auditoria de diagnose /adequação
caracterização geral do sistema e preparação da
certificação a pedido do interessado
Auditoria de Constatação para Certificação
Verifica se o SGA documentado está implementado e
conclui se atende (ou não) à norma de referência
robertoemery@gmail.com
TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL
Auditoria de Certificação
Avalia o cumprimento da empresa conforme os
requisitos da norma pela qual a empresa esteja
querendo se certificar
Auditoria de Acompanhamento
Avalia se as ações corretivas previamente
estabelecidas foram implementadas e se são eficazes
robertoemery@gmail.com
Tipo de Auditorias - ISO 14001
Adaptado de HGB - www.hgb.com.br
Fornecedor Organização Cliente
Organismo
Certificador
ou
Organismo
Independente
Auditoria de
Segunda Parte
Auditoria de
Segunda Parte
Auditoria de
Primeira
Parte
Relacionamento
Comercial
Relacionamento
Comercial
Sem
Relacionamento
Comercial
Auditoria de
Terceira Parte
Garantia de
isenção aos
clientes e
partes
interessadas
robertoemery@gmail.com
ISO – Normalização - no Brasil representante é ABNT
(www.iso.ch)
IAF – International Accreditation Forum (http://iaf.nu) -
Harmonização e reconhecimento global das
certificações - Brasil é representado pelo INMETRO
(Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro)
AUDITORIA AMBIENTAL
CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL
robertoemery@gmail.com
PROCESSO DE AUDITORIA E
CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL (EXEMPLO)
Definição da empresa certificadora
Auditoria de diagnose/adequação
Auditoria de constatação
Recomenda-se?
Auditoria de certificação
Manutenção do SGA
Auditoria de acompanhamento
sim
não
Auditoria do SGA
Auditoria de recertificação
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 19.011
Esta Norma fornece orientação sobre:
✓ princípios de auditoria
✓ gestão de programas de auditoria
✓ realização de auditorias internas ou externas de
sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental,
✓ competência e a avaliação de auditores.
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 19.011
É aplicável a todas as organizações que necessitam
realizar auditorias internas ou externas de sistemas de
gestão da qualidade e/ou ambiental ou gerenciar um
programa de auditoria.
Esta Norma fornece somente orientação, embora os
usuários possam aplicá-la no desenvolvimento de seus
próprios requisitos relativos a auditoria.
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 19.011
Convém que o plano de auditoria inclua:
a) os objetivos da auditoria;
b) o critério de auditoria e qualquer documento de referência;
c) o escopo da auditoria, inclusive com identificação das
unidades organizacionais e funcionais e processos a serem
auditados;
d) as datas e lugares onde as atividades de auditoria no
local serão realizadas;
robertoemery@gmail.com
NBR ISO 19.011
Convém que o plano de auditoria inclua o seguinte (cont.):
e) o tempo esperado e duração de atividades de
auditoria no local, inclusive reuniões com a direção do
auditado e reuniões da equipe da auditoria;
f) as funções e responsabilidades dos membros
da equipe da auditoria e das pessoas acompanhantes;
g) a alocação de recursos apropriados para áreas críticas da
auditoria.
robertoemery@gmail.com
• Dar exemplos e justificar a implantação de um SGA certificado.
• Identificar o ciclo de melhoria contínua do SGA implantado segundo a
NBR ISO 14001.
• Identificar e distinguir conceitos como aspecto ambiental, impacto
ambiental e filtro de significância, entre outros da NBR ISO 14001.
• Identificar conceitos relevantes de auditoria ambiental - NBR ISO
19011
Questões do curso
robertoemery@gmail.com
Exemplo de Roteiro para Elaboração
de Relatório de Auditoria de SGA
robertoemery@gmail.com
Controle Gerencial S N NA OBS
Política Ambiental
A empresa documenta sua Política Ambiental, definida dentro do
escopo de seu SGA?
Existe orientação para total conformidade com a legislação?
Houve aprovação e endosso pela alta direção ou acionistas?
Considera todas as partes interessadas? (fornecedores, clientes,
ONGs, comunidades locais, empregados e outros agentes)
Está facilmente acessível ao público interno e externo?
Indica de análise de objetivos e metas ambientais?
É apropriada à natureza , escala e impactos ambientais de suas
atividades?
Inclui comprometimento com melhoria contínua?
Lista de Controle - Auditoria Ambiental
robertoemery@gmail.com
Roteiro para Auditoria de SGA
robertoemery@gmail.com
Requisitos da NBR ISO 14001 - 2004 Documento Evidência Resultado
4.1 - Requisitos gerais
A organização estabelce e mantem um SGA, com escopo
definido e documentado?
4.2 - Política Ambiental
A P.A. da organização foi definida pela alta administração?
a) A organização assegura que a P.A. é apropriada à
natureza, escala e impactos ambientais de suas
atividades, pordutos e serviços?
b) A organização assegura que a P.A. inclui
comprometimento com a melhoria contínua e com a
prevenção de poluição?
c) A organização assegura que a P.A. inclui
comprometimento em atender aos requisitos legais
aplicáveis e outros requisitos subscritos pela organização?
d) A organização assegura que a P.A. forneça estrutura
para o estabelecimento e análise dos objetivos e metas
ambientais?
robertoemery@gmail.com
Requisitos da NBR ISO 14001 - 2004 Documento Evidência Resultado
4.2 - Política Ambiental
e) A organização assegura que a P.A. é documentada,
implementada, mantida e comunicada a todos que
trabalhem na organização?
b) A organização assegura que a P.A. está disponível para
o público?
Resultado: OK = Conforme; NA=Não se aplica; NC = Não Conforme / OBS: Observação
robertoemery@gmail.com
Bibliografia...
Ø Gestão Ambiental, Josimar Ribeiro de Almeida, Claudia dos S. Mello, Yara
Cavalcanti, Thex Editora, Rio de Janeiro, 2004.
Ø Direito Ambiental, Paulo de Bessa Antunes, 9ª. Edição, Ed. Lumen Juris, Rio de
Janeiro, 2007.
Ø Ecology and our endangered life-supporting systems, Eugene Odum, Sinauer
Associates, Inc., Massachusetts, EUA, 1993.
Ø Controle de documentos e da legislação pertinente às organizações na
implantação/operação de SGA, Roberto de Barros Emery Trindade, Josimar
Ribeiro de Almeida e Gustavo Araujo, Série Gestão e Planejamento Ambiental, no.
3, CETEM – www.cetem.gov.br, 2005.
robertoemery@gmail.com
Ø Seleção de indicadores de estado e avaliação de sensibilidade dos sistemas
naturais às ações antrópicas, Gustavo Araujo, Lais Alencar de Aguiar, Josimar
Ribeiro de Almeida, Paulo Sérgio Moreira Soares e Roberto de Barros Emery
Trindade, Série Gestão e Planejamento Ambiental, no.2, CETEM –
www.cetem.gov.br, 2005
Ø Passo a Passo da ISO 14000 para Implantação nas Pequenas e Médias Empresas.
1. ed. Dália Maimon, v. 1. 86 p.Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 1999.
Ø Impactos Ambientais em Desastres Marítimos, Rucemah Leonardo Gomes Pereira,
FUNENSEG, Rio de Janeiro, 2003.
Ø Impactos Ambientais do refino do Petróleo, Jacqueline Barboza Mariano, Ed.
Interciência, Rio de Janeiro, 2005.
Bibliografia...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 7 gestão ambiental empresarial
Aula 7   gestão ambiental empresarialAula 7   gestão ambiental empresarial
Aula 7 gestão ambiental empresarial
Alex Santiago Nina
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
Giovanna Ortiz
 
Gerenciamento de resíduos sólidos
Gerenciamento de resíduos sólidosGerenciamento de resíduos sólidos
Gerenciamento de resíduos sólidos
Templum Consultoria Online
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Milton Henrique do Couto Neto
 
Aula 20 indicadores
Aula 20 indicadoresAula 20 indicadores
Aula 20 indicadores
Giovanna Ortiz
 
ISO 14.000
ISO 14.000ISO 14.000
ISO 14.000
Iago Caldas
 
Aula 02 sistemas de gestão ambiental
Aula 02   sistemas de gestão ambientalAula 02   sistemas de gestão ambiental
Aula 02 sistemas de gestão ambiental
Luiz Anselmo Tourinho
 
06 aulas iso 14000
06 aulas iso 1400006 aulas iso 14000
06 aulas iso 14000
Homero Alves de Lima
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
Cadernos PPT
 
Educação ambiental versao-resumida
Educação ambiental  versao-resumidaEducação ambiental  versao-resumida
Educação ambiental versao-resumida
João Paulo M. Marinho
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
carlosbidu
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Edvaldo S. Júnior
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
janeibe
 
Analise Ambiental 01
Analise Ambiental 01Analise Ambiental 01
Analise Ambiental 01
Francisco de Assis da S Araujo
 
Aula 2 introdução a qualidade ambiental qualidade
Aula 2   introdução a qualidade ambiental qualidadeAula 2   introdução a qualidade ambiental qualidade
Aula 2 introdução a qualidade ambiental qualidade
Giovanna Ortiz
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
Leonardo Welliton
 
Gestão ambiental e administração
Gestão ambiental e administraçãoGestão ambiental e administração
Gestão ambiental e administração
e-Tec
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
Jane Mary Lima Castro
 
Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade social
Aline Corso
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
adelsonb
 

Mais procurados (20)

Aula 7 gestão ambiental empresarial
Aula 7   gestão ambiental empresarialAula 7   gestão ambiental empresarial
Aula 7 gestão ambiental empresarial
 
Aula 3 sga qualidade
Aula 3   sga qualidadeAula 3   sga qualidade
Aula 3 sga qualidade
 
Gerenciamento de resíduos sólidos
Gerenciamento de resíduos sólidosGerenciamento de resíduos sólidos
Gerenciamento de resíduos sólidos
 
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e SustentabilidadeGestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
Gestão Ambiental 01 - Introdução a Gestão Ambiental e Sustentabilidade
 
Aula 20 indicadores
Aula 20 indicadoresAula 20 indicadores
Aula 20 indicadores
 
ISO 14.000
ISO 14.000ISO 14.000
ISO 14.000
 
Aula 02 sistemas de gestão ambiental
Aula 02   sistemas de gestão ambientalAula 02   sistemas de gestão ambiental
Aula 02 sistemas de gestão ambiental
 
06 aulas iso 14000
06 aulas iso 1400006 aulas iso 14000
06 aulas iso 14000
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Educação ambiental versao-resumida
Educação ambiental  versao-resumidaEducação ambiental  versao-resumida
Educação ambiental versao-resumida
 
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de HábitosEducação Ambiental e Mudanças de Hábitos
Educação Ambiental e Mudanças de Hábitos
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Analise Ambiental 01
Analise Ambiental 01Analise Ambiental 01
Analise Ambiental 01
 
Aula 2 introdução a qualidade ambiental qualidade
Aula 2   introdução a qualidade ambiental qualidadeAula 2   introdução a qualidade ambiental qualidade
Aula 2 introdução a qualidade ambiental qualidade
 
Licenciamento ambiental
Licenciamento ambientalLicenciamento ambiental
Licenciamento ambiental
 
Gestão ambiental e administração
Gestão ambiental e administraçãoGestão ambiental e administração
Gestão ambiental e administração
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 
Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade social
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
 

Destaque

Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
guestfcc10a
 
ISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
ISO 14000 Apresentação Dos RequisitosISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
ISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
Rogério Souza
 
GestãO Ambiental
GestãO AmbientalGestãO Ambiental
GestãO Ambiental
phsouto
 
Aula 1 GestãO Ambiental E Responsabilidade Social Slide
Aula 1    GestãO Ambiental E Responsabilidade Social   SlideAula 1    GestãO Ambiental E Responsabilidade Social   Slide
Aula 1 GestãO Ambiental E Responsabilidade Social Slide
budhamider
 
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - NoçõesSGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
Roberto Emery-Trindade
 
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGASistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
Jean Leão
 
Aula 03 planejamento
Aula 03  planejamentoAula 03  planejamento
Aula 03 planejamento
Sara Ceron Hentges
 
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA PÚBLICA -...
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA  PÚBLICA -...PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA  PÚBLICA -...
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA PÚBLICA -...
Elisane Almeida Pires
 
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
Roberto Emery-Trindade
 
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
Roberto Emery-Trindade
 
Aula iso 14000
Aula  iso 14000Aula  iso 14000
Aula iso 14000
Elisane Almeida Pires
 
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicosAvaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
Joãozinho Wolff
 
Responsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidadeResponsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidade
ALVARO RAMOS
 
ISO 14001 Gestão Ambiental
ISO 14001 Gestão AmbientalISO 14001 Gestão Ambiental
ISO 14001 Gestão Ambiental
Robson Peixoto
 
Sistema de gestao ambiental
Sistema de gestao ambientalSistema de gestao ambiental
Sistema de gestao ambiental
rubiapesan
 
GESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTALGESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTAL
Filipa Andrade
 
Estudo de impactos ambientais
Estudo de impactos ambientaisEstudo de impactos ambientais
Estudo de impactos ambientais
Thayne Moura
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
SlideShare
 
Folder Ald Consultoria
Folder Ald ConsultoriaFolder Ald Consultoria
Folder Ald Consultoria
André Dametto Consultoria
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
ExpoGestão
 

Destaque (20)

Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
ISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
ISO 14000 Apresentação Dos RequisitosISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
ISO 14000 Apresentação Dos Requisitos
 
GestãO Ambiental
GestãO AmbientalGestãO Ambiental
GestãO Ambiental
 
Aula 1 GestãO Ambiental E Responsabilidade Social Slide
Aula 1    GestãO Ambiental E Responsabilidade Social   SlideAula 1    GestãO Ambiental E Responsabilidade Social   Slide
Aula 1 GestãO Ambiental E Responsabilidade Social Slide
 
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - NoçõesSGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
SGA segundo a NBR ISO 14001:2015 - Noções
 
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGASistema de Gestão Ambiental - SGA
Sistema de Gestão Ambiental - SGA
 
Aula 03 planejamento
Aula 03  planejamentoAula 03  planejamento
Aula 03 planejamento
 
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA PÚBLICA -...
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA  PÚBLICA -...PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA  PÚBLICA -...
PROJETO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL PARA UMA EMPRESA DE LIMPEZA PÚBLICA -...
 
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente. Parte1
 
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
Controle e tecnologia ambiental. Tecnologia de Tratamento de Água e Efluente....
 
Aula iso 14000
Aula  iso 14000Aula  iso 14000
Aula iso 14000
 
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicosAvaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
Avaliação de Impactos Ambientais - 3 - conceitos básicos
 
Responsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidadeResponsabilidade social e sustentabilidade
Responsabilidade social e sustentabilidade
 
ISO 14001 Gestão Ambiental
ISO 14001 Gestão AmbientalISO 14001 Gestão Ambiental
ISO 14001 Gestão Ambiental
 
Sistema de gestao ambiental
Sistema de gestao ambientalSistema de gestao ambiental
Sistema de gestao ambiental
 
GESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTALGESTÃO AMBIENTAL
GESTÃO AMBIENTAL
 
Estudo de impactos ambientais
Estudo de impactos ambientaisEstudo de impactos ambientais
Estudo de impactos ambientais
 
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
A Guide to SlideShare Analytics - Excerpts from Hubspot's Step by Step Guide ...
 
Folder Ald Consultoria
Folder Ald ConsultoriaFolder Ald Consultoria
Folder Ald Consultoria
 
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc Palestra: Responsabilidade Social Corporativa  - Georges Blanc
Palestra: Responsabilidade Social Corporativa - Georges Blanc
 

Semelhante a Introdução ao SGA (Sistema de Gestão Ambiental)

aula 1.pptx
aula 1.pptxaula 1.pptx
aula 1.pptx
daniel936004
 
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
gomezzeduardo88
 
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e TendênciasSustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
Tânnia Grigorieff
 
Atualidade meio ambiente
Atualidade meio ambienteAtualidade meio ambiente
Atualidade meio ambiente
Bruna Azevedo
 
Texto623
Texto623Texto623
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
Sara Ceron Hentges
 
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
PhamellaThabata
 
problematica ambiental
problematica ambientalproblematica ambiental
problematica ambiental
Elvis Enhard
 
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
Zoraide6
 
Manual de ufcd 0349
Manual de ufcd 0349Manual de ufcd 0349
Manual de ufcd 0349
Susana Marques
 
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
Camipf
 
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDFMEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
dreamacedo
 
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdfAmbiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
José Guerra
 
Contabilidade e gestão ambiental aula 02
Contabilidade e gestão ambiental   aula 02Contabilidade e gestão ambiental   aula 02
Contabilidade e gestão ambiental aula 02
gracielecaetano85
 
O início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambientalO início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambiental
Nanda Santana
 
Evento alerj 02.09.13
Evento alerj   02.09.13Evento alerj   02.09.13
Evento alerj 02.09.13
leonardo2710
 
Blog
BlogBlog
Introdução aula 5
Introdução   aula 5Introdução   aula 5
Introdução aula 5
Giovanna Ortiz
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Alenilson De Sousa Nobre
 
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ PnumaO Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
Instituto Besc
 

Semelhante a Introdução ao SGA (Sistema de Gestão Ambiental) (20)

aula 1.pptx
aula 1.pptxaula 1.pptx
aula 1.pptx
 
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
Aula 01- A evolucao da questao ambiental e suas repercussoes no ambiente empr...
 
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e TendênciasSustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
Sustentabilidade e Responsabilidade Ambiental - Cenários e Tendências
 
Atualidade meio ambiente
Atualidade meio ambienteAtualidade meio ambiente
Atualidade meio ambiente
 
Texto623
Texto623Texto623
Texto623
 
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
Aula1 sgaecertificao-140310095637-phpapp01
 
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
1 Aula 2-Sustentabilidade.pptx
 
problematica ambiental
problematica ambientalproblematica ambiental
problematica ambiental
 
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptxAULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
AULA 2 - LEGISLAÇÃO AMBIENTAL.pptx
 
Manual de ufcd 0349
Manual de ufcd 0349Manual de ufcd 0349
Manual de ufcd 0349
 
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
Manualdeufcd0349 141228095227-conversion-gate02
 
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDFMEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
MEIO AMBIENTE E GESTAO AMBIENTAL.TST.PDF
 
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdfAmbiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
 
Contabilidade e gestão ambiental aula 02
Contabilidade e gestão ambiental   aula 02Contabilidade e gestão ambiental   aula 02
Contabilidade e gestão ambiental aula 02
 
O início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambientalO início da conscientização na Educação ambiental
O início da conscientização na Educação ambiental
 
Evento alerj 02.09.13
Evento alerj   02.09.13Evento alerj   02.09.13
Evento alerj 02.09.13
 
Blog
BlogBlog
Blog
 
Introdução aula 5
Introdução   aula 5Introdução   aula 5
Introdução aula 5
 
Meio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aulaMeio ambiente e sustentabilidade aula
Meio ambiente e sustentabilidade aula
 
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ PnumaO Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
O Desenvolvimento Sustentável Na Prática/ Pnuma
 

Mais de Roberto Emery-Trindade

Tratamento de efluentes contendo íon cianeto
Tratamento de efluentes contendo íon cianetoTratamento de efluentes contendo íon cianeto
Tratamento de efluentes contendo íon cianeto
Roberto Emery-Trindade
 
Roteiro NBR 16001:2012
Roteiro NBR 16001:2012Roteiro NBR 16001:2012
Roteiro NBR 16001:2012
Roberto Emery-Trindade
 
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
Roberto Emery-Trindade
 
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivoDeterminação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
Roberto Emery-Trindade
 
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
Roberto Emery-Trindade
 
O que é octanagem
O que é octanagemO que é octanagem
O que é octanagem
Roberto Emery-Trindade
 

Mais de Roberto Emery-Trindade (6)

Tratamento de efluentes contendo íon cianeto
Tratamento de efluentes contendo íon cianetoTratamento de efluentes contendo íon cianeto
Tratamento de efluentes contendo íon cianeto
 
Roteiro NBR 16001:2012
Roteiro NBR 16001:2012Roteiro NBR 16001:2012
Roteiro NBR 16001:2012
 
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
Roteiro auditoria SGA NBR ISO 14001:2015v1
 
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivoDeterminação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
Determinação de íon cianeto em solução aquosa, utilizando eletrodo seletivo
 
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
TIR - Taxa Interna de Retorno. O que é isso?
 
O que é octanagem
O que é octanagemO que é octanagem
O que é octanagem
 

Último

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 

Último (20)

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 

Introdução ao SGA (Sistema de Gestão Ambiental)

  • 3. robertoemery@gmail.com Há uma relação histórica entre a definição de Meio Ambiente e o fato de que nenhum profissional pode ficar à margem das decisões de defesa e preservação dos recursos naturais. Sustentabilidade, conforme definido na Conferência de Estocolmo e posteriormente no Relatório Brundtland, é um conceito influenciado por muitas idéias, como por exemplo as do Clube de Roma. Agenda 21 e Pacto Global são exemplos da atuação do Estado e das corporações. A disseminação de SGAs em escala global está baseada principalmente na série ISO 14000. Aspectos e impactos ambientais são classificados segundo filtro de significância com critérios e níveis de significância, de modo a estabelecer planos de ação conforme os requisitos da norma. As auditorias são geralmente conduzidas segundo a norma ISO 19011, podendo entretanto seguir outras orientações.
  • 4. robertoemery@gmail.com atuar profissionalmente percebendo a evolução do pensamento ambientalista no Brasil e no mundo; Identificar e distinguir as principais características de um SGA baseado na NBR ISO 14001; orientar a implantação de um SGA segundo a NBR ISO 14001 em qualquer empreendimento; Objetivo Geral Após o curso o participante será capaz de
  • 5. robertoemery@gmail.com Roteiro Básico ✓ Introdução ✓ Conceitos e definições ✓ Casos Históricos ✓ Principais marcos do pensamento ambientalista ✓ Sistema de Gestão Ambiental - SGA - NBR ISO 14000 ✓ Aplicação do conhecimento: Exercícios práticos
  • 7. robertoemery@gmail.com Sustentabilidade: o que é isso...? Para uma empresa...
  • 11. robertoemery@gmail.com Qual a consequência de não se dar importância a isso...?
  • 13. robertoemery@gmail.com “Em janeiro daquele ano, 1,3 milhão de litros de óleo combustível foram derramados na já poluída Baía de Guanabara. O material saiu de um duto que liga a Refinaria Duque de Caxias ao terminal da Ilha D´Água. A mancha negra se estendeu por 40 quilômetros quadrados (...). 2000
  • 14. robertoemery@gmail.com Apenas seis meses depois, mais um revés: quantidade ainda maior de petróleo, 4 milhões de litros, foi despejada nos Rios Barigui e Iguaçu, este o principal do Estado do Paraná, durante operação de bombeio na Refinaria Getúlio Vargas...” 2000
  • 15. robertoemery@gmail.com 04/2006 – Questão ambiental é prioridade. Depois de dois desastres em 2000, volume de óleo vazado nas operações da Petrobras caiu drasticamente “O Estado de São Paulo”
  • 16. robertoemery@gmail.com 22/11/2002 - 10h32 - Navio PRESTIGE Camada de óleo se aproxima do litoral espanhol
  • 17. robertoemery@gmail.com Navio PRESTIGE na costa da Espanha - 2002
  • 20. robertoemery@gmail.com Enseada de Prince Williams, Alaska, 1989 O petroleiro Exxon Valdez encalha nos recifes, derrama 40.000 ton de petróleo, destrói 50 km de frágeis reservas biológicas, contamina 2.400 km da costa, custando para a Exxon um valor estimado até o momento em US$16,5 bilhões.
  • 23. robertoemery@gmail.com 1. Falha do imediato em manobrar corretamente o navio, provavelmente devido à fadiga e trabalho excessivo; 2. Falha do comandante em proporcionar uma vigilância correta da navegação, provavelmente devido ao seu estado alcoólico; 3. Falha da companhia Exxon em supervisionar o comandante e proporcionar uma tripulação suficientemente numerosa e descansada à operação do Exxon Valdez; 4. Falha da Guarda Costeira americana em proporcionar um sistema eficiente de controle de tráfego de navios; Ausência de pensamento preventivo, ausência de consciência ambiental Fonte: P. Paulo de Lima Silva Fo. Algumas causas resultantes da investigação:
  • 24. robertoemery@gmail.com 1. Falha do imediato em manobrar corretamente o navio, provavelmente devido à fadiga e trabalho excessivo; 2. Falha do comandante em proporcionar uma vigilância correta da navegação, provavelmente devido ao seu estado alcoólico; 3. Falha da companhia Exxon em supervisionar o comandante e proporcionar uma tripulação suficientemente numerosa e descansada à operação do Exxon Valdez; 4. Falha da Guarda Costeira americana em proporcionar um sistema eficiente de controle de tráfego de navios; Fonte: P. Paulo de Lima Silva Fo. Algumas causas resultantes da investigação:
  • 25. robertoemery@gmail.com O que é meio ambiente? Indagações em Grupo...
  • 26. robertoemery@gmail.com “Conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em toda as sua formas” (lei 6938/81) Conceitos - Definições
  • 27. robertoemery@gmail.com “Circunvizinhança em que uma organização opera, incluindo-se ar, água, solo, recursos naturais, flora, fauna, seres humanos e suas inter-relações” (NBR ISO 14001:2004 ) Conceitos - Definições
  • 28. robertoemery@gmail.com O que se deseja com uma gestão eficiente de QSMS... ?
  • 29. robertoemery@gmail.com • Evitar novos acidentes • Manter rentabilidade • Perenidade • Minimizar impactos ambientais • Recuperar áreas degradadas • Manter eficiente gestão e tratamento de resíduos • Manter eficiente gestão e tratamento de efluentes • Manter eficiente gestão e tratamento de emissões atmosféricas • Novos desafios...??? Gestão eficiente de SMS
  • 30. robertoemery@gmail.com Algumas ferramentas para uma gestão eficiente de SMS Planejamento Estratégico da Empresa: Missão, Visão Valores Éticos Padrões internos de gestão Normas técnicas Diretrizes específicas de SMS Sistemas integrados de gestão Certificação (ambiental)
  • 31. robertoemery@gmail.com Principais Marcos do Pensamento Ambiental no Mundo Breve histórico Entendendo as ferramentas de gestão...
  • 32. robertoemery@gmail.com Segunda Guerra Mundial (1939-1945) • Bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki • Traumas humanos e ambientais: mundo passa novamente a pensar coletivamente. • Criação da ONU (Organização das Nações Unidas - 1945): evitar a repetição de tragédias (!!). • Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948): 1ª. proclamação internacional dos direitos básicos (políticos, econômicos e sociais) dos indivíduos. (e o que tem aqui de bem surpreendente...?)
  • 33. robertoemery@gmail.com Doença de Minamata - detectada em 1953. Só em 1959 - Universidade de Kumamoto: sintomas ao metilmercúrio consumido através de peixes e de moluscos. De 1932 a 1968: companhia Chisso produziu acetaldeído, utilizando óxido de mercúrio como catalizador. Metilmercúrio: formado na reação e descarregado (cerca de 400 toneladas) com os efluentes na baía de Minamata. Moradores de Minamata e vizinhanças, que consumiam extensivamente peixes e frutos do mar sofreram as piores conseqüências desta irresponsabilidade industrial. Até 1997, 10.353 pessoas, das quais 1.246 faleceram, foram certificadas pelo governo japonês como vítimas da “Doença de Minamata”.
  • 34. robertoemery@gmail.com Cientista, escritora e ecologista norte- americana escreveu sobre a toxicidade do DDT, sua penetração na cadeia alimentar e seus efeitos. A publicação foi considerada importante por mostrar que a natureza é vulnerável à interferência humana e que os homens e os animais estão em interação constante com o meio em que vivem. 1962 – Publicação de Primavera Silenciosa, livro de Rachel Carson
  • 35. robertoemery@gmail.com • Chefes de Estado, humanistas, empresários, cientistas: reuniões em Roma para analisar situação do mundo e propor soluções para o futuro da humanidade § Propuseram diminuição da produção para reduzir os impactos ambientais: considerada muito radical, não foi aceita mundialmente. •Limites do Crescimento (1972): relatório sobre os impactos ambientais causados pela atividade humana. •Além dos Limites (1992): livro com alertas ainda mais contundentes. Clube de Roma (1968) http://www.clubofrome.org/
  • 36. robertoemery@gmail.com Influenciada pelas publicações do Clube de Roma • Representantes de 110 países, inclusive o Brasil. • Declaração de Estocolmo: introduziu a dimensão ambiental condicionadora do crescimento econômico e do uso dos recursos naturais. • Primeira vez que o conceito de sustentabilidade foi empregado “Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano” Conferência de Estocolmo (Suécia, 1972) ou
  • 37. robertoemery@gmail.com Início da publicação de balanços sociais no Brasil (1984) Balanço social • Relatório publicado anualmente por uma organização contendo indicadores de desempenho econômico, social e ambiental • Avaliação e disseminação da prática da responsabilidade social dentro da organização. • Transparência às ações da organização, deixando claros os pontos fortes e fracos da instituição. Década de 80 http://www.fundacaosemear.org.br
  • 38. robertoemery@gmail.com • Balanço social da empresa estatal Nitrofértil (1984): considerado o primeiro documento do gênero. • Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e E c o n ô m i c a s ) : p r i m e i r a o r g a n i z a ç ã o n ã o governamental a publicar seu balanço, após Herbert de Souza, o Betinho, então presidente da entidade, lançar uma campanha pela divulgação voluntária do balanço social. Década de 80
  • 39. robertoemery@gmail.com Década de 80 Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento, 1987 (ONU) TEMA: Nosso Futuro Comum Presidida pela então Primeira-Ministra da Noruega, Gro Harlen Brundtland Formulação do conceito de Desenvolvimento Sustentável no Relatório Brundtland Capítulo 2 § 4 “desenvolvimento que satisfaz as necessidades das gerações presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades”.
  • 40. robertoemery@gmail.com Reunião de Cúpula das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Rio-92): Proposta a Agenda 21: § Principal resultado da Rio-92 § Acordo firmado entre 179 países. § 40 capítulos, programa de ação participativo e planejamento do futuro de forma sustentável § Responsabilidade dos Governos. § Ampla participação pública é estimulada. Década de 90 § Procura traduzir em ações o conceito de desenvolvimento sustentável
  • 41. robertoemery@gmail.com Década de 90 Declaração do Rio: 2 princípios fundamentais (base do Protocolo de Quioto) • Pagamento pela produção da poluição • Precaução: garantia contra riscos potenciais ainda não identificados pela ciência. Declaração de Princípios sobre o Uso das Florestas: • Direito dos países sobre seus recursos florestais.
  • 42. robertoemery@gmail.com Década de 90 Convênio sobre a Diversidade Biológica: • Conservação e uso sustentável da diversidade biológica do planeta. Convenção sobre Mudanças Climáticas: • Compromisso para estabilização de concentrações atmosféricas seguras de gases que causam o efeito estufa.
  • 43. robertoemery@gmail.com Década de 90 1992 – Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. (origem do Protocolo de Quioto) Objetivo: estabilizar efeitos dos gases causadores do efeito estufa Originou: Conferência Anual das Partes que culminou com a assinatura do Protocolo de Quioto
  • 44. robertoemery@gmail.com • Lançado pelo Secretário-Geral da ONU, Kofi Annan durante o Fórum Econômico Mundial. (atual: Ban-Ki-moon) • Annan desafiou líderes empresariais a darem suporte e adotarem o Pacto, tanto em suas práticas corporativas individuais como no apoio às políticas públicas apropriadas. • Parceria entre o setor privado e as Nações Unidas. • Responsabilidade social corporativa Pacto Global (Davos, 1999)
  • 45. robertoemery@gmail.com • Meta: Tornar a economia mundial mais sustentável e possibilitar a inclusão social. • 10 princípios: • Direitos Humanos • Padrões de Trabalho • Meio Ambiente • Combate à Corrupção. Pacto Global (Davos, 1999)
  • 47. robertoemery@gmail.com (Earth Summit 2002) ★ Forum de discussão das Nações Unidas: 26 de agosto e 4 de setembro de 2002, em Johanesburgo, África do Sul. ★ Objetivo principal: discutir soluções propostas na Agenda 21 (Rio 92), para que pudesse ser aplicada duma agenda 21 local, e implementando o que fora discutido em 1992. Rio+10 ou Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável
  • 49. robertoemery@gmail.com 1. Sustentabilidade: por que? para que? 2. Quais algumas características marcantes do meio ambiente? 3. Por que nenhum profissional pode desconhecer a importância do meio ambiente? 4. O que se entende por uma gestão eficiente de QSMS? 5. Cite e explique brevemente algumas ferramentas de gestão. 6. O que foi e o que influenciou a Conferência de Estocolmo? 7. O que é um Relatório de Sustentabilidade? Quais empresas são obrigadas a apresentá-lo? 8. Discuta o que vem a ser o conceito de Desenvolvimento Sustentável. 9. O que é a Agenda 21? 10. O que vem a ser o Protocolo de Quioto? 11. É interessante a uma empresa ser signatária do Pacto Global da ONU? Por que? Responda...
  • 51. robertoemery@gmail.com Gestão Ambiental/Instrumento Econômico Reativa 70 Resistência às exigências legais (ambientais) até o limite possível. Responsável 80 Busca de conformidade com a legislação ambiental. Pró-ativa 90 Questões ambientais são tratadas em antecipação ao surgimento de exigências legais. Competitiva Questões ambientais são abordadas de forma a permitir uma vantagem competitiva aos negócios. MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA Yuan,C.2004 Lei 6938/81...
  • 52. robertoemery@gmail.com Gestão Ambiental/Instrumento Econômico MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA EMPRESA MERCADO Produtos /Serviços ORGÃOS DE CONTROLE AMBIENTAL Poluição, Controle de P o l u i ç ã o , N o v o s Projetos L u c r o s ; desenvolvimento sustentado; médio- longo prazo; resp. social Esquema de comportamento ambiental pró- ativo/competitivo das empresas (adaptado de J.Ribeiro de Almeida, 2004) Sociedade Interesses ambientais Oportunidades ambientais: tecnologia; gestão Responsabilidade ambiental integrada à e s t r u t u r a organizacional. M e i o a m b i e n t e : oportunidade de negócio
  • 53. robertoemery@gmail.com Gestão Ambiental/Instrumento Econômico MUDANÇAS NO POSICIONAMENTO DA INDÚSTRIA EMPRESA MERCADO Produtos /Serviços ORGÃOS DE CONTROLE AMBIENTAL Poluição, Controle de P o l u i ç ã o , N o v o s Projetos L u c r o s ; desenvolvimento sustentado; médio- longo prazo; resp. social Esquema de comportamento ambiental pró- ativo/competitivo das empresas (adaptado de J.Ribeiro de Almeida, 2004) Sociedade Interesses ambientais Oportunidades ambientais: tecnologia; gestão
  • 54. robertoemery@gmail.com Gestão Ambiental como Instrumento Econômico Desenvolvimento de sistemas de certificação Mudanças no comportamento das empresas levou ao...
  • 55. robertoemery@gmail.com E o que é um Sistema de Gestão Ambiental – SGA...? CONJUNTO DE PROCEDIMENTOS para gerir ou administrar uma organização em sua INTERFACE com o meio ambiente ISO 14001 – SGA: parte de um sistema de uma organização utilizado para desenvolver e implementar sua política ambiental e para gerenciar seus aspectos ambientais
  • 56. robertoemery@gmail.com CERTIFICAÇÃO Mercado competitivo Aumento das exigências (clientes, órgãos públicos, empregados, comunidade, acionistas, investidores e as ONGs...) Legislação nacional e internacional Custos com incidentes e acidentes
  • 58. robertoemery@gmail.com Normas Técnicas Inglaterra: berço dos sistemas de qualidade e também precursora dos SGA normalizados. BSI Group (Instituto Britânico de Normatização - BSI (http://www.bsi- global.com) Fundado em 1901, possui cerca de 2.100 funcionários e atua em mais de 100 países.  Norma BS 7750, precursora da ISO 14001 - emitida pela primeira vez em 1992.
  • 59. robertoemery@gmail.com Quais são algumas características da Norma BS 7750...?
  • 60. robertoemery@gmail.com Norma BS 7750 A Norma BS 7750 especifica os requisitos de sistemas de gestão ambiental. Não estabelece critérios de desempenho ambiental específicos. Porém exige que as organizações formulem políticas e estabeleçam objetivos, levando em consideração informações sobre impactos ambientais significativos.
  • 61. robertoemery@gmail.com Norma BS 7750 A BS 7750 aplica-se a qualquer organização, independente do seu porte, atividade ou localização que deseje: • garantir o cumprimento a uma política ambiental estabelecida; • demonstrar este cumprimento a terceiros.
  • 62. robertoemery@gmail.com • BSI - membro fundador da ISO (1946) • Serviu de base para a série ISO 14.000 • BS 7750 tornou-se a ISO 14.001 Norma BS 7750
  • 64. robertoemery@gmail.com ISO ✓ International Organization for Standardization ✓ Fundada em 25 de fevereiro de 1947 ✓ 163 países participantes ✓ Sede: Genebra - Suíça ✓ Cada país tem apenas 1 representante ✓ Representante do Brasil – ABNT Fundadores da ISO, Londres 1946
  • 65. robertoemery@gmail.com ISO "International Organization for Standardization“: diferentes abreviaturas em vários idiomas ("IOS" em Inglês, "OIN" em Francês para Organisation international de normalisation) Decidiu-se, desde o início, usar uma palavra derivada do grego - isos, que significa “igual” Em qualquer país, portanto, em qualquer idioma, a abreviatura da organização é sempre ISO
  • 66. robertoemery@gmail.com • Revisada em 2004 (pequenas alterações de redação e de itens) • Gerenciar para qualidade total em meio ambiente • Posição pró-ativa; • Todos os aspectos ambientais são gerenciados- aqueles que a organização pode controlar e sobre os quais se espera que tenha influência. ISO-14001/96
  • 67. robertoemery@gmail.com Aplica-se a qualquer organização que deseje a) estabelecer, implementar, manter e aprimorar um SGA b) assegurar-se da conformidade com sua política ambiental definida, c) demonstrar conformidade com esta Norma ao 1) fazer uma auto-avaliação ou autodeclaração, ou 2) buscar confirmação de sua conformidade por partes que tenham interesse na organização, tais como clientes, ou 3) buscar confirmação de sua autodeclaração por meio de uma organização externa, ou 4) buscar certificação/registro de seu sistema da gestão ambiental por uma organização externa. ISO-14001/04
  • 68. robertoemery@gmail.com Sistema de Gestão Ambiental - SGA POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
  • 69. robertoemery@gmail.com Razões “locais” • Atender a diferentes expectativas de diversas partes interessadas (stakeholders). (Antes só os Shareholders - proprietários e acionistas) • Diferencial no mercado: vantagem competitiva duradoura • Decisão da empresa – VOLUNTÁRIA Razões“globais” • Esgotamento de recursos naturais • Crescimento da consciência ambiental • Progressiva poluição da água, ar e solo POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
  • 70. robertoemery@gmail.com Razões organizacionais • Comércio globalizado; comunidades com consciência ambiental; barreira não tarifária. • Oportunidade estratégica para novos negócios • Credibilidade Razões compulsórias • Antecipa providências para garantir a conformidade legal POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA?
  • 71. robertoemery@gmail.com POR QUE IMPLEMENTAR UM SGA? • Redução do custo na gestão de resíduos • Economia no consumo de energia e materiais • Menor custo de distribuição dos produtos • Melhora contínua da imagem da empresa entre autoridades regulamentadoras, clientes e o público Conformidade com sistema ABNT NBR 14001 ajuda
  • 73. robertoemery@gmail.com Como começaram os trabalhos de elaboração da NBR ISO 14001....? ABNT
  • 74. robertoemery@gmail.com • Fundada em 1940, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) - órgão responsável pela normalização técnica no país. • Entidade privada, sem fins lucrativos. • Única representante no Brasil das seguintes entidades internacionais: ISO (International Organization for Standardization), IEC (International Electrotechnical Comission); e das entidades de normalização regional COPANT (Comissão Pan-americana de Normas Técnicas) e a AMN (Associação Mercosul de Normalização). ABNT http://www.abnt.org.br
  • 75. robertoemery@gmail.com Hoje Comitê Brasileiro 38 - Gestão Ambiental CB-38: criado em abril de 1999, na estrutura da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT. Função: organizar as sugestões das instituições brasileiras na formulação das normas da série ISO 14000, referente a ü sistemas de gestão ambiental, ü auditorias ambientais, ü avaliação do desempenho ambiental, ü rotulagem ambiental, ü avaliação do ciclo de vida e terminologia. Grupo de Apoio à Normalização Ambiental G.A.N.A.
  • 76. robertoemery@gmail.com ü sistemas de gestão ambiental: 14001, 14004 ü auditorias ambientais: 19011 ü avaliação do desempenho ambiental: 14031 Avaliação da Cia. ürotulagem ambiental: 14020 üavaliação do ciclo de vida e terminologia: 14040 ütermos e definições: 14060 Avaliação do Produto
  • 77. robertoemery@gmail.com NBR ISO 14001 • Única norma da série ISO 14000 utilizada para fins de certificação; as demais são informativas. • Norma de gestão ambiental: não estabelece objetivos ou metas específicas de desempenho. • Objetivos e metas: estabelecidos pela organização • Comprometimento com melhoria contínua e com prevenção da poluição • Qualquer tipo de organização pode ser certificada
  • 78. robertoemery@gmail.com NBR ISO 14001 “Certificar um Sistema de Gestão Ambiental significa comprovar às partes interessadas que a organização adota um conjunto de práticas destinadas a minimizar impactos ambientais negativos.”
  • 79. robertoemery@gmail.com Quem certifica o SGA das empresas segundo a NBR ISO 14001?
  • 80. robertoemery@gmail.com • Ministério da Indústria e Comércio: formou no INMETRO – Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial uma Comissão Técnica de Certificação Ambiental • Missão: recomendar ao Comitê Brasileiro de Certificação(CBC) procedimentos, critérios e regulamentos para o credenciamento de organismos de certificação para gestão ambiental. • Comitê Brasileiro de Avaliação da Conformidade - CBAC foi criado (12/12/01), em substituição ao Comitê Brasileiro de Certificação – CBC. • O INMETRO , além de membro nato, exerce a Secretaria Executiva do mesmo. INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial
  • 81. robertoemery@gmail.com É atestação de terceira parte (INMETRO) a um Organismo de Avaliação da Conformidade (OAC), comunicando a demonstração formal da competência deste organismo para realizar tarefas específicas de avaliação da conformidade. O credenciamento de empresas que certificam denomina-se ACREDITAÇÃO INMETRO Quem certifica o SGA das empresas segundo a NBR ISO 14001?
  • 82. robertoemery@gmail.com • Caráter voluntário • Representa o reconhecimento formal da competência de um Organismo de Avaliação da Conformidade - OAC para desenvolver tarefas específicas, segundo requisitos estabelecidos. A ACREDITAÇÃO...
  • 83. robertoemery@gmail.com A ACREDITAÇÃO... • Coordenação Geral de Acreditação: • INMETRO - responsável pela acreditação de Organismos de Avaliação da Conformidade - OAC.
  • 84. robertoemery@gmail.com Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental Concedem a certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001. (continua...)
  • 85. robertoemery@gmail.com Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental - concedem a certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001.
  • 86. robertoemery@gmail.com Organismos de Avaliação de Conformidade de Sistema de Gestão Ambiental - concedem a certificação de conformidade com base na norma NBR ISO 14001.
  • 87. robertoemery@gmail.com ISO 14001 – Empresas Certificadas
  • 88. robertoemery@gmail.com ISO 14001 – Empresas Certificadas
  • 90. robertoemery@gmail.com Avaliação da Organização Avaliação do Desempenho Ambiental 14031/04 Sistema de Gestão Ambiental 14001/04 14004/04 Auditoria Ambiental 19011/02* (cancela e substitui 14010/96, 14011/96 14012/96) *CB-25 Comitê Brasileiro da Qualidade Série NBR ISO 14000
  • 92. robertoemery@gmail.com ✓ A Norma fornece orientação para o projeto e uso da avaliação do desempenho ambiental em uma organização. ✓ É aplicável a todas as organizações, independentemente do tipo, tamanho, localização e complexidade. ✓ Não estabelece níveis de desempenho ambiental. Não se pretende que ela seja usada como uma norma de especificação para propósitos de certificação ou registro, ou para estabelecimento de quaisquer outros requisitos de conformidade de sistema de gestão ambiental. ISO 14031/04
  • 93. robertoemery@gmail.com Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA) 14031/04 • Processo para facilitar as decisões gerenciais com relação ao desempenho ambiental de uma organização; • Compreende: ✓ seleção de indicadores, ✓ coleta e análise de dados ✓ avaliação da informação em comparação com critérios de desempenho ambiental ✓ relatórios e informes ✓ análises críticas periódicas ✓ melhorias deste processo.
  • 94. robertoemery@gmail.com • Uma organização pode escolher ou pode ser solicitada a emitir relatórios ambientais ou declarações que forneçam informações que descrevam seu desempenho ambiental às partes interessadas externas. • A ADA fornece informações que uma organização pode desejar incluir em seus relatórios ambientais ou em outras comunicações com audiências externas. Avaliação do Desempenho Ambiental (ADA) 14031/04
  • 95. robertoemery@gmail.com Exemplo de solicitação de emissão de relatório de desempenho ambiental....
  • 96. robertoemery@gmail.com Art. 18 - O órgão ambiental competente estabelecerá os prazos de validade de cada tipo de licença, especificando-os no respectivo documento, levando em consideração os seguintes aspectos: § 3º - Na renovação da Licença de Operação (LO) de uma atividade ou empreendimento, o órgão ambiental competente poderá (...) aumentar ou diminuir o seu prazo de validade, após avaliação do desempenho ambiental da atividade ou empreendimento no período de vigência anterior, respeitados os limites estabelecidos no inciso III. CONAMA - RESOLUÇÃO Nº 237 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL (ADA) ISO 14031:2004
  • 97. robertoemery@gmail.com • Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental (RADA) - documento elaborado pelo empreendedor para fins de revalidação da Licença de Operação (LO) da correspondente atividade. • Baseado em informações e dados consolidados e atualizados, permite a avaliação do desempenho dos sistemas de controle ambiental, da implementação de medidas mitigadoras dos impactos ambientais, bem como a análise da evolução do gerenciamento ambiental do empreendimento. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL (ADA) ISO 14031:2004
  • 98. robertoemery@gmail.com • Subsidia análise técnica do pedido de revalidação da Licença de Operação (LO), por meio da avaliação do desempenho ambiental global do empreendimento durante o período de vigência da licença vincenda. http://www.feam.br/Licenciamento_Ambienta AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AMBIENTAL (ADA) ISO 14031:2004
  • 99. robertoemery@gmail.com Gestão ambiental - Avaliação de desempenho ambiental - diretrizes ISO 14031:2004 Documento Final é Relatório de Avaliação de Desempenho Ambiental
  • 101. robertoemery@gmail.com Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA Abordagem de causa e efeito Indicadores que conduzam à causa fundamental ou básica de seus aspectos ambientais significativos. ✓ Elevadas emissões de material particulado podem ser devidas a uma manutenção preventiva inadequada e infreqüente. ✓ organização pode selecionar um IDO (Indicador de Desempenho Operacional) apropriado, tal como a quantidade de emissões diárias de material particulado.
  • 102. robertoemery@gmail.com Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA Abordagem baseada nos riscos Risco probabilístico ✓ Horas de treinamento em segurança de processos dirigido aos trabalhadores envolvidos com o processo específico identificado.
  • 103. robertoemery@gmail.com Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA Abordagem baseada nos riscos R i s c o s p a r a a s a ú d e humana ✓ Quantidade emitida de um material específico proveniente das operações da organização.
  • 104. robertoemery@gmail.com Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA Abordagem baseada nos riscos Risco financeiro ✓ custo do material mais dispendioso usado nas operações da organização; ✓ quantidade consumida deste mesmo material pelas operações da organização; ✓ custos de recuperação e reutilização deste mesmo material a partir do resíduo; ✓ percentagem deste material em uma quantidade específica de resíduo.
  • 105. robertoemery@gmail.com Exemplos de critérios para seleção de indicadores de ADA Outros critérios ✓ Relações com a comunidade; ✓ Fornecimento e distribuição; ✓ Produtos; ✓ Resíduos; ✓ Emissões ✓ Água, fauna, flora...
  • 106. robertoemery@gmail.com O desenvolvimento e aplicação de ICA (Indicadores de Condição Ambiental) é freqüentemente mais uma função das agências governamentais locais, regionais, nacionais ou internacionais, organizações não-governamentais, e instituições científicas e de pesquisa, do que uma função de uma organização individual.
  • 107. robertoemery@gmail.com Série NBR ISO 14000 Sistema de Gestão Ambiental 14001/04 14004/04
  • 108. robertoemery@gmail.com SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL (SGA) ISO 14001: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – Requisitos com orientação para uso – NBR/04 ( válida a partir de 31.01.2005) ISO 14004: SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL – Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio – NBR/05 (versão corrigida de 14/05/2007) Sistema de Gestão Ambiental 14001/04 14004/04
  • 109. robertoemery@gmail.com A certificação de sistemas de gestão ambiental – SGA permite concluir que a organização: Possui uma política ambiental e que está implementando-a em conformidade com os requisitos da norma referencial, ou seja, a ISO 14001. Não necessariamente: • atende todas exigências • isenta de impacto ambiental negativo Sistema de Gestão Ambiental 14001/04 14004/04
  • 110. robertoemery@gmail.com Ter um SGA pode ajudar uma organização a assegurar às partes interessadas que existe comprometimento da administração em atender à política, objetivos e metas ambientais é dada ênfase à prevenção podem ser oferecidas evidências de atuação cuidadosa e de atendimento aos requisitos legais a concepção do sistema incorpora o conceito de melhoria contínua Sistema de Gestão Ambiental 14001/04 14004/04
  • 111. robertoemery@gmail.com Interpretação da ISO 14001:2004 Página 38 de 84 FIGURA 6 - FLUXOGRAMA DO PROCESSO PARA A ISO 14001 PROCESSOS DE APOIO AO SGA 4.4.1 ESTRUTURA E RESPONSABILIDADES 4.4.2 COMPETÊNCIA, FUNÇÕES, RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES Monitoramento e Medição 4.5.1 Auditoria Interna 4.5.5 VERIFICARAGIR MELHORIA GESTÃO DA EMERGÊNCIA CONTROLE Objetivos, Metas e Programas 4.3.3 Planos de Emergência 4.4.7 Procedimentos de Controle Operacional 4.4.6 EXECUTARPLANEJAR Identificar Requisitos Legais e Outros requisitos 4.3.2 Identificar os Aspectos e Impactos ambientais 4.3.1 Avaliar a significância dos impactos 4.3.1 Política 4.2 Análise crítica pela Administração 4.6
  • 112. robertoemery@gmail.com NBR/ISO 14001 – REQUISITOS DO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL (2004) POLÍTICA AMBIENTAL 1-Alta Administração define a política organizacional PLANEJAMENTO 2- Aspectos ambientais 3- Requisitos legais e outros 4-Objetivos, metas e programas (de Gestão de SMS) IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO 5- Recursos, funções, responsabilidades e autoridades 6- Competência, treinamento e conscientização 7- Comunicação 8- Documentação 9- Controle de documentos 10- Controle operacional 11- Preparação e resposta à emergências VERIFICAÇÃO 12- Monitoramento e Medição 13- Avaliação do atendimento a requisitos legais e outros 14- Não conformidade, ação corretiva e ação preventiva 15-Controle de registros 16- Auditoria interna ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO 17-Revisão do Sistema de gestão ambiental para assegurar conveniência, adequação e eficácia contínua
  • 113. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programa Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 115. robertoemery@gmail.com DESEMPENHO AMBIENTAL: resultados mensuráveis da gestão de uma organização sobre seus aspectos ambientais NÃO-CONFORMIDADE: não atendimento a um requisito. Algumas definições – NBR ISO 14001:04 POLÍTICA AMBIENTAL: intenções e princípios gerais de uma organização em relação ao seu desempenho ambiental.
  • 116. robertoemery@gmail.com META AMBIENTAL: requisito de desempenho detalhado, aplicável à organização ou a parte dela, resultante dos objetivos ambientais e que necessita ser estabelecido e atendido para que tais objetivos sejam atingidos Algumas definições – NBR ISO 14001:04 OBJETIVO AMBIENTAL: propósito ambiental geral, decorrente da política ambiental, que uma organização se propõe a atingir;
  • 117. robertoemery@gmail.com Algumas definições – NBR ISO 14001:04 MELHORIA CONTÍNUA: processo de avançar com o sistema de gestão ambiental com o propósito de aprimorar o desempenho ambiental coerente com a política ambiental ASPECTO AMBIENTAL: elemento das atividades ou produtos ou serviços de uma organização que pode interagir com o meio ambiente (“causa”) IMPACTO AMBIENTAL: qualquer modificação do meio ambiente, adversa ou benéfica, que resulte de aspecto ambiental da organização (“efeito”)
  • 119. robertoemery@gmail.com NBR/ISO 14001 – Termos Gerais • Deve: ação é obrigatória • É recomendado que: é sugerido • Pode: é permissível A Norma: • Não estabelece requisitos absolutos para o desempenho ambiental • Não se dirige à saúde ocupacional e segurança • Pretende ser compatível com a NBR ISO 9001:2005
  • 120. robertoemery@gmail.com 4.1 REQUISITOS GERAIS • COMPROMETIMENTO e liderança da alta administração • Escopo do SGA • Análise ambiental inicial: avaliação da posição atual em relação ao meio ambiente ØOnde estamos ØOnde queremos chegar ØComo chegar
  • 121. robertoemery@gmail.com A organização deve estabelecer, documentar, implementar, manter e continuamente melhorar um sistema da gestão ambiental em conformidade com os requisitos desta Norma e determinar como ela irá atender a esses requisitos. A organização deve definir e documentar o escopo de seu sistema da gestão ambiental. 4.1 REQUISITOS GERAIS
  • 122. robertoemery@gmail.com Para assegurar sucesso, um passo inicial no estabelecimento ou aprimoramento de um sistema de gestão ambiental envolve a obtenção do comprometimento da alta administração da organização, para aprimorar a gestão ambiental de suas atividades, produtos e serviços. Comprometimento e liderança da alta administração 4.1 REQUISITOS GERAIS
  • 123. robertoemery@gmail.com ✓ A alta administração precisa definir o escopo do seu sistema de gestão ambiental. ✓ Recomenda-se que a alta administração determine os limites da organização aos quais o sistema de gestão ambiental se aplica. Escopo do sistema de gestão ambiental 4.1 REQUISITOS GERAIS
  • 124. robertoemery@gmail.com ✓ Recomenda-se que uma organização que ainda não possui um sistema de gestão ambiental avalie sua posição atual em relação ao meio ambiente, por meio de uma análise. ✓ Recomenda-se que o objetivo desta análise seja considerar os aspectos ambientais das atividades, produtos e serviços da organização como base para o estabelecimento de seu sistema de gestão ambiental. Análise ambiental inicial 4.1 REQUISITOS GERAIS
  • 125. robertoemery@gmail.com SGA – Três questões fundamentais Onde queremos chegar? Como chegar lá? Onde estamos? Onde estamos? Demandas do mercado Requisitos legais Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004 Objetivo do SGA: assegurar a melhoria contínua do desempenho ambiental da empresa
  • 126. robertoemery@gmail.com SGA – Três questões fundamentais Onde queremos chegar? Como chegar lá? Onde estamos? Onde estamos? Demandas do mercado Requisitos legais Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004
  • 127. robertoemery@gmail.com A alta administração deve definir, documentar e comunicar sua política ambiental para os públicos interno (empregados) e externo. A política deve: ✓ ser apropriada à natureza, ao tamanho e aos impactos ambientais de suas atividades, produtos e/ou serviços ✓ incluir comprometimento com melhoria contínua e prevenção da poluição 4.2 POLÍTICA AMBIENTAL
  • 128. robertoemery@gmail.com 4.2 POLÍTICA AMBIENTAL ✓ incluir comprometimento em atender aos requisitos legais e outros requisitos subscritos pela organização que se relacionem a seus aspectos ambientais; ✓ fornecer estrutura para estabelecimento e análise dos objetivos e metas ambientais; ✓ ser documentada, implementada e mantida; ✓ estar disponível para o público.
  • 129. robertoemery@gmail.com A política ambiental pode ser entendida como o conjunto das grandes linhas de orientação, estabelecidas pela alta administração (ou gestão de topo ou simplesmente diretoria) da empresa, para todos os processos do negócio com potencial impacto no ambiente. 4.2 POLÍTICA AMBIENTAL
  • 132. robertoemery@gmail.com 4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS 4.3 PLANEJAMENTO A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimentos para: ✓ identificar aspectos ambientais (diretos e indiretos) ✓ determinar aspectos que tenham ou possam ter impactos ambientais significativos (isto é, aspectos ambientais significativos - FILTROS DE SIGNIFICÂNCIA)
  • 133. robertoemery@gmail.com 4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS 4.3 PLANEJAMENTO A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimentos para: ✓ identificar aspectos ambientais (diretos e indiretos) ✓ determinar aspectos que tenham ou possam ter impactos ambientais significativos (isto é, aspectos ambientais significativos - FILTROS DE SIGNIFICÂNCIA)
  • 134. robertoemery@gmail.com 4.3.1- ASPECTOS AMBIENTAIS 4.3 PLANEJAMENTO ✓ A organização deve documentar essas informações e mantê-las atualizadas. ✓ A organização deve assegurar que os aspectos ambientais significativos sejam levados em consideração no estabelecimento, implementação e manutenção de seu sistema da gestão ambiental.
  • 135. robertoemery@gmail.com Aspectos e Impactos Ambientais de E&P Quais são eles...? Atividade: extração de petróleo Aspecto: derramamento de óleo Impacto:____________________________
  • 136. robertoemery@gmail.com EXEMPLOS DE ASPECTOS E IMPACTOS NBR ISO 14004* *SGA: Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio. consumidor renováveis Final de vida - disposição Geração de resíduo sólido c Uso do solo Recuperação e reutilização de componentes Conservação de recursos naturais Serviço: Manutenção e serviços de reparo Manuseio e uso de produto químico Lançamento não controlado durante emergência b Poluição do ar Poluição do solo Danos a seres humanos Reparo de condicionador de ar por subcontratado Emissão de substâncias que diminuem a camada de ozônio (ou seja, líquido refrigerante) a Diminuição da camada de ozônio Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos Operação da frota Consumo de combustível Esgotamento de combustíveis fósseis não renováveis Emissão de óxidos de nitrogênio (NOx) Poluição do ar - produção de ozônio - névoa Aquecimento global e mudança climática Geração de ruído Desconforto e inconveniência para os residentes da área Manutenção rotineira da frota (incluindo trocas de óleo) Emissão de óxidos de nitrogênio (NOx) Cumprimento dos objetivos da qualidade do ar Geração de resíduo de óleo Poluição do solo a Condições anormais. b Condições emergenciais. c Organização pode ser capaz de “influenciar” o aspecto. d Impacto benéfico. ABNT NBR ISO 14004:2005 Tabela A.1 (conclusão) Atividade/Produto/Serviço Aspectos Impactos reais e potenciais Produto: Condicionador de ar Operação da unidade pelo consumidor Uso de eletricidade c Esgotamento de recursos naturais não renováveis Final de vida - disposição Geração de resíduo sólido c Uso do solo Recuperação e reutilização de componentes Conservação de recursos naturais Serviço: Manutenção e serviços de reparo Manuseio e uso de produto químico Lançamento não controlado durante emergência b Poluição do ar Poluição do solo Danos a seres humanos Reparo de condicionador de ar por subcontratado Emissão de substâncias que diminuem a camada de ozônio (ou seja, líquido refrigerante) a Diminuição da camada de ozônio Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos Operação da frota Consumo de combustível Esgotamento de combustíveis fósseis não renováveis Emissão de óxidos de nitrogênio Poluição do ar - produção de ozônio - névoa
  • 137. robertoemery@gmail.com Exemplos de aspectos e impactos NBR ISO 14004* *SGA: Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio. ABNT NBR ISO 14004:2005 Tabela A.1 (continuação) Atividade/Produto/Serviço Aspectos Impactos reais e potenciais Atividade: Operações de caldeira a combustível fóssil Operação de caldeira Consumo de óleo de aquecimento Esgotamento de recursos naturais não renováveis Emissão de dióxido de enxofre, óxido nitroso e CO2 (ou seja, gás de efeito estufa) Poluição do ar Impactos respiratórios sobre os residentes locais Impactos de chuva ácida em água superficial Aquecimento global e mudança climática Lançamento de água aquecida Mudanças na qualidade da água (por exemplo, temperatura) Armazenamento de combustível de caldeira em tanques subterrâneos Lançamento de óleo no solo a Poluição do solo Poluição de águas subterrâneas Entrega e transferência de óleo de aquecimento Liberação não controlada de óleo de aquecimento para o dreno/drenagem de água superficial b Poluição de água superficial Bioacumulação de substâncias tóxicas na fauna Atividade: Agricultura - Cultivo de arroz Operações em campo durante o estágio/fase de Consumo de água Esgotamento do suprimento de águas subterrâneas
  • 138. robertoemery@gmail.com AVALIAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS IMPACTOS Avaliação da significância dos aspectos e impactos ambientais (priorizar) é a atividade sobre a qual o restante do SGA é construído. Objetivo: garantir que os aspectos ambientais responsáveis por impactos significativos sejam considerados, quando forem estabelecidos objetivos e metais ambientais da empresa. (4.3.1) NBR/ISO 14001 – Planejamento
  • 139. robertoemery@gmail.com AVALIAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS IMPACTOS • Organização pode ter muitos aspectos ambientais e impactos relacionados. • É recomendável o estabelecimento de critério e método para determinar quais serão considerados significativos • A organização deve ter procedimento para avaliar e classificar impactos (“Filtro de significância”). NBR/ISO 14001 – Planejamento
  • 140. robertoemery@gmail.com Determinação de aspectos ambientais significativos Significância: conceito relativo. Significativo para uma organização – não significativo para outra Avaliar significância envolve aplicação de • análise técnica • julgamento por parte da organização NBR/ISO 14001 – Planejamento
  • 141. robertoemery@gmail.com Recomenda-se que a organização considere: • Critérios ambientais: severidade, escala, duração do impacto, tipo, ou tamanho e freqüência de um aspecto ambiental. • Requisitos ambientais aplicáveis: limites de emissão, lançamentos com autorização, regulamentos, etc... • Preocupações das partes interessadas, internas e externas: valores da organização, imagem pública, ruído, odor, etc... Determinação de aspectos ambientais significativos
  • 142. robertoemery@gmail.com Determinação de aspectos ambientais significativos • Critérios de significância podem ser aplicados aos aspectos ou impactos ambientais associados. • Organização pode estabelecer níveis (ou valores) de significância associados a cada critério, por exemplo com base numa combinação de probabilidade/freqüência e a conseqüência (severidade/intensidade) METODOLOGIA EM CONSTANTE APERFEIÇOAMENTO
  • 143. robertoemery@gmail.com Determinação de aspectos ambientais significativos Efeitos diretos • Decorrem diretamente de operações comerciais sobre as quais a empresa exerce controle quase total • Aqueles que cessariam completamente se a empresa encerrasse as atividades Efeitos indiretos (não é exigência da ISO 14001) • Mais difíceis de avaliar; fora do controle da empresa • Podem persistir por muito tempo após fechamento da empresa
  • 144. robertoemery@gmail.com Avaliação da significância • Resultados obtidos são qualitativos, não fornecendo necessariamente estimativas numéricas. • Ordenação qualitativa dos cenários de acidentes identificados. • A s p e c t o s / i m p a c t o s s i g n i f i c a t i v o s e s t ã o necessariamente associados a um PLANO DE AÇÃO.
  • 145. robertoemery@gmail.com Avaliação de Impacto Ambiental Filtro de Significância Exemplo
  • 146. robertoemery@gmail.com Avaliação de Impacto Ambiental Filtro de Significância Índice de Avaliação do Impacto (IAI) = (A+B) x C Onde: A: Probabilidade de ocorrência B: Probabilidade de detecção C: Severidade do impacto Exemplo
  • 147. robertoemery@gmail.com Procedimento para identificação e avaliação de aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO) A: Probabilidade de ocorrência: - método de controle - substâncias envolvidas - frequência da atividade
  • 148. robertoemery@gmail.com Procedimento para identificação e avaliação de aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO) B: Probabilidade de detecção: - impossível - difícil - monitorado continuamente
  • 149. robertoemery@gmail.com Procedimento para identificação e avaliação de aspectos/impactos ambientais (EXEMPLO) C: Severidade do impacto: - nível do risco - quantidade derramada / liberada - tempo - legislação pertinente - ...
  • 150. robertoemery@gmail.com Avaliação de Impacto Ambiental Filtro de Significância Índice de Avaliação do Impacto = (A+B) x C A: Probabilidade de ocorrência B: Probabilidade de detecção C: Severidade do impacto 5: Frequente 4: (Intermediário) 3: Algumas vezes 2: (Intermediário) 1: Raramente 5: Impossível detectar 4: Difícil detectar 3:Verificado periodicamente 2: Verificado continuamente 1: Previsível 5: Dano humano e ambiental 4: Reclamação de vizinhos 3: Dano temporário 2: Rápida recuperação 1: Baixo dano Valor máximo do IAI: 50 Exemplo
  • 151. robertoemery@gmail.com Avaliação de Impacto Ambiental Filtro de Significância Exemplo Aspecto Ambiental Probabilidade de ocorrêncîa (A) Probabilidade de detecção (B) Severidade do impacto (C) TOTAL Vazamento de NOx 3 1 4 16 Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC A: Probabilidade de Ocorrência 5: Frequente 4: Intermediário 3: Algumas vezes 2: Intermediário 1: Raramente B: Probabilidade de Detecção 5: Impossível 4: Difícil 3: Periodicamente 2: Continuamente 1: Previsível C: Severidade do Impacto 5: Dano a pessoas e ao ambiente 4: Dano local 3: Dano temporal 2: Reparo rápido 1: Pouco dano
  • 152. robertoemery@gmail.com Avaliação de Aspecto/Impacto Ambiental (EXERCÍCIO 1) Aspecto Ambiental Probabilidade de ocorrêncîa (A) Probabilidade de detecção (B) Severidade do impacto (C) TOTAL Vazamento de óleo para o efluente final Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC A: Probabilidade de Ocorrência 5: Frequente 4: Intermediário 3: Algumas vezes 2: Intermediário 1: Raramente B: Probabilidade de Detecção 5: Impossível 4: Difícil 3: Periodicamente 2: Continuamente 1: Previsível C: Severidade do Impacto 5: Dano a pessoas e ao ambiente 4: Dano local 3: Dano temporal 2: Reparo rápido 1: Pouco dano
  • 153. robertoemery@gmail.com Avaliação de Impactos Ambientais (EXERCÍCIO 2) Aspecto Ambiental Probabilidade de ocorrêncîa (A) Probabilidade de detecção (B) Severidade do impacto (C) TOTAL Vazamento em filtro manga Índice de Avaliação do Impacto: (A+B) xC A: Probabilidade de Ocorrência 5: Frequente 4: Intermediário 3: Algumas vezes 2: Intermediário 1: Raramente B: Probabilidade de Detecção 5: Impossível 4: Difícil 3: Periodicamente 2: Continuamente 1: Previsível C: Severidade do Impacto 5: Dano a pessoas e ao ambiente 4: Dano local 3: Dano temporal 2: Reparo rápido 1: Pouco dano
  • 155. robertoemery@gmail.com Aspecto/Impacto ambiental significativo – Desdobramentos no SGA Controle Operacional (4.4.6) Competência, treinamento e conscientização (4.4.2)
  • 156. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programa Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 157. robertoemery@gmail.com A organização DEVE estabelecer, implementar e manter procedimento para: identificar e ter acesso a requisitos legais e outros requisitos subscritos pela organização, relacionados aos seus aspectos ambientais, determinar como esses requisitos se aplicam aos aspectos ambientais da organização 4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS 4.3 PLANEJAMENTO
  • 158. robertoemery@gmail.com Requisitos legais podem ser: a) legislação, incluindo estatutos e regulamentos, b) decretos e diretivas, c) permissões, licenças ou outras formas de autorização, d) ordens emitidas por agências regulamentadoras, e) sentenças judiciais, f) leis consuetudinárias ou direitos dos povos indígenas, e g) tratados, convenções e protocolos. 4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS 4.3 PLANEJAMENTO
  • 159. robertoemery@gmail.com ✓ acordos com autoridades públicas, ✓ acordos com clientes, ✓ princípios voluntários ou códigos de prática, ✓ rotulagem ambiental voluntária ou compromissos de gerenciamento de produtos, ✓ acordos com grupos comunitários ou organizações não-governamentais, ✓ compromissos públicos da organização ou sua matriz, ✓ requisitos da corporação/companhia 4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS 4.3 PLANEJAMENTO
  • 160. robertoemery@gmail.com Legislação Aplicável (EXEMPLO) ✓ Lei 6938/81 - SISNAMA ✓ Resoluções CONAMA ✓ Lei 9605/98 - Crimes Ambientais ✓ Lei 9985/00 - SNUC ✓ Lei 9433/97 - PNRH ✓ Lei 9966/00 - Lei do óleo ✓ Lei 12305 - PNRS ✓ ...
  • 161. robertoemery@gmail.com Conformidade Legal e outros S N NA OBS A empresa tem cadastro atualizado junto ao órgão ambiental? Há licença ambiental envolvendo as atividades da empresa? Houve nodificação em alguma área licenciada? A alteração foi comunicada ao órgãoambiental? Exigências e TAC estão sendo cumpridos? A empresa tem procedimento para acompanhar o cumprimento das exigências e renovações das licenças ambientais? A Licença Ambiental está no prazo de validade? É feita divulgação na empresa da legislação ambiental? Há evidências visíveis? Os padrões de gestão e de processo da empresa são conhecidos e seguidos pelos setores pertinentes? Há evidências? 4.3.2 REQUISITOS LEGAIS E OUTROS 4.3 PLANEJAMENTO Exemplo de roteiro para elaboração de relatório de auditoria de SGA
  • 162. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 163. robertoemery@gmail.com 4.3.3 OBJETIVOS, METAS E PROGRAMAS • A organização deve estabelecer, implementar e manter objetivos e metas ambientais documentados • Objetivos e metas devem ser mensuráveis e coerentes com política ambiental (Associar Indicadores!) • P r o g r a m a d e v e i n c l u i r a t r i b u i ç ã o d e responsabilidade, meios e prazo para atingir metas 4.3 PLANEJAMENTO
  • 164. robertoemery@gmail.com 4.3.3 OBJETIVOS, METAS E PROGRAMAS 4.3 PLANEJAMENTO Cada aspecto e impacto significativo deve ter um plano de ação correspondente. Ao estabelecer e analisar seus objetivos e metas: considerar os requisitos legais e outros requisitos por ela subscritos, e seus aspectos ambientais significativos.
  • 165. robertoemery@gmail.com 4.3 PLANEJAMENTO Objetivos e Metas Exemplos de Plano de Ação
  • 168. robertoemery@gmail.com Objetivos e Metas (cont...) ABNT NBR ISO 14004:2005 Tabela A.2 (conclusão) Aspectos Objetivos Metas Programas Indicadores Controle operacional Monitoramento e medição Serviço: Transporte e distribuição de bens e produtos (manutenção da frota) Geração de resíduos de óleo Gerenciar resíduos de óleo em conformidade com os requisitos Atingir 100% de conformidade com os requisitos de disposição de resíduos de óleo em centros de serviço, dentro de um ano Desenvolver e implementar o programa de treinamento de gerenciamento de resíduos nos centros de serviço x % de empregados treinados dos centros de serviço x Número de não-conformidades na disposição de resíduos x % de resíduos de óleo descartados de acordo com os requisitos x Procedimentos de gerenciamento de resíduos x Programa de treinamento para empregados de centros de serviço xMonitoramento do treinamento realizado com os empregados dos centros de serviço xAcompanhamento das quantidades de resíduos de óleo dispostos e dos métodos de disposição xAvaliações trimestrais das práticas de gerenciamento de resíduos de óleo
  • 169. robertoemery@gmail.com Objetivos e Metas (cont...) c Política ambiental Requisites legais e outros Aspectos ambientais significativos Opções tecnológicas Requisitos financeiros e mercadológicos Opinião das partes interessadas Objetivos e metas Programas / Planos de ação consistência Considerando... } }
  • 170. robertoemery@gmail.com 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO Exemplo de plano de ação Aspectos ambientais Impactos ambientais Requisitos Legais Outros requisitos Objetivos Metas Prazos Custo Responsável Emissão de efluente líquido Contaminação de curso d´água Padrões de qualidade em lei Interno: padrão internacional Controlar emissão Assegurar atendimento padrão internacional e legal 10 meses XXX R$ Gerente de meio ambiente Adaptado de: J.Ribeiro de Almeida et al., 2004 Indicador Concentração de algum ou alguns metais; pH; DBO
  • 171. robertoemery@gmail.com 4 . 4 . 1 R E C U R S O S , F U N Ç Õ E S , RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES •Alta administração deve assegurar recursos para estabelecer, implementar, manter e melhorar o sistema de gestão ambiental. •Funções e responsabilidades devem ser definidas e documentadas e comunicadas visando uma gestão eficaz. 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
  • 172. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 173. robertoemery@gmail.com • Organização deve assegurar que qualquer pessoa que realize tarefa com potencial de causar impacto ambiental significativo seja competente com base em informação apropriada, treinamento ou experiência. • Organização deve identificar as necessidades de treinamento associadas com seus aspectos ambientais e seu SGA. 4.4.2 COMPETÊNCIA, TREINAMENTO E CONSCIENTIZAÇÃO 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
  • 174. robertoemery@gmail.com O que significa competência e conscientização? 1.Competência Habilidade de atingir os requisitos 2.Pontos a serem considerados ✓ Política Ambiental da organização ✓ Aspectos e impactos significativos relacionados com respectiva atividade ✓ Benefícios por melhora de desempenho pessoal ✓ Deveres e responsabilidades ✓ Riscos potenciais caso os procedimentos estabelecidos não sejam seguidos.
  • 175. robertoemery@gmail.com Recomenda-se que uma organização defina e comunique as responsabilidades e autoridades das pessoas que para ela trabalhem ou atuem em seu nome, e cujo trabalho se relacione à gestão ambiental da organização. Responsabilidades ambientais não devem ser vistas como restritas à função ambiental, podendo também incluir outras áreas da organização, tais como gestão operacional ou outras funções de apoio (como aquisição, engenharia, qualidade etc.). Recomenda-se que os recursos fornecidos pela alta administração permitam o cumprimento das responsabilidades atribuídas. As responsabilidades e autoridades devem ser analisadas quando ocorrer uma mudança na estrutura da organização. Ajuda prática - Estrutura e responsabilidade Para se garantir o estabelecimento e a implementação efetiva de um sistema de gestão ambiental, é necessária a atribuição de responsabilidades apropriadas. Os seguintes exemplos ilustram responsabilidades ambientais: Exemplos de responsabilidades ambientais Pessoa(s) tipicamente responsável(is) Estabelecer orientação geral Desenvolver a política ambiental Desenvolver objetivos, metas e programas ambientais Monitorar o desempenho geral do sistema de gestão ambiental Garantir o atendimento a requisitos legais aplicáveis e outros requisitos subscritos pela organização Promover melhoria contínua Identificar as expectativas dos clientes Identificar requisitos para fornecedores Desenvolver e manter procedimentos contábeis Promover conformidade com os requisitos do sistema de gestão organização Analisar a operação do sistema de gestão ambiental Presidente, executivo principal, diretoria Presidente, executivo principal e outros, conforme apropriado Gerentes pertinentes Gerente de meio ambiente Todos os gerentes Todos os gerentes Equipe de vendas e marketing Compradores Gerentes financeiros/contábeis Todas as pessoas que trabalham para a organização ou atuam em seu nome Alta administração NOTA Companhias e instituições têm diferentes estruturas organizacionais e precisam definir responsabilidades de gestão ambiental baseadas em seus próprios processos de trabalho. No caso de uma PME, por exemplo, o proprietário pode ser a pessoa responsável por todas essas atividades. parausoexclusivo-PETROLEOBRASILEIRO-33.000.167/0036-31 Funções e Responsabilidades (EXEMPLO)
  • 176. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 177. robertoemery@gmail.com • A organização deve manter procedimento para comunicação interna e externa sobre sua política ambiental, desempenho e outras informações pertinentes. • Exemplos de informações a serem comunicadas: • Política, objetivos e metas ambientais • Informações gerais sobre a organização • Compromisso de melhoria contínua • Informações sobre desempenho ambiental dos produtos e serviços oferecidos • Conformidade com requisitos legais 4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE DOCUMENTOS
  • 178. robertoemery@gmail.com COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE DOCUMENTOS Comunicação Conteúdo Comunicação Interna Comunicação Externa Métodos: reunião gerencial, reunião local, informes impressos, mensagens correio eletrônico, reuniões diárias, site, etc... Comunicação com autoridades e partes interessadas (externas) 1.Aspectos ambientais significativos 2.Reclamações, mudanças na legislação, na política ambiental, etc. Métodos: Relatório Anual, informativos, página internet, reuniões com a comunidade, etc.
  • 179. robertoemery@gmail.com A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento(s) para a) aprovar documentos quanto à sua adequação antes de seu uso, b) analisar e atualizar, conforme necessário, e reaprovar documentos, c) assegurar que as alterações e a situação atual da revisão de documentos sejam identificadas, 4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE DOCUMENTOS
  • 180. robertoemery@gmail.com A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento(s) para d) assegurar que as versões relevantes de documentos aplicáveis estejam disponíveis em seu ponto de uso, e) assegurar que os documentos permaneçam legíveis e prontamente identificáveis, f) assegurar que os documentos de origem externa determinados pela organização como sendo necessários ao planejamento e operação do sistema da gestão ambiental sejam identificados e que sua distribuição seja controlada, e g) prevenir a utilização não intencional de documentos obsoletos e utilizar identificação adequada nestes, se forem retidos para quaisquer fins. 4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE DOCUMENTOS
  • 181. robertoemery@gmail.com 4.4.3; 4.4.4; 4.4.5 COMUNICAÇÃO; DOCUMENTAÇÃO; CONTROLE DE DOCUMENTOS Para assegurar: ü Identificação apropriada ü Revisão periódica ü Disponibilidade ü Atualidade
  • 182. robertoemery@gmail.com 4.4.6 - CONTROLE OPERACIONAL Recomenda-se que uma organização avalie quais de suas operações estão associadas com seus aspectos ambientais significativos identificados e assegure que elas sejam conduzidas de modo a controlar ou reduzir os impactos ambientais adversos associados, para atender aos requisitos de sua política ambiental e atingir seus objetivos e metas.
  • 183. robertoemery@gmail.com CONTROLE OPERACIONAL - EXEMPLO Procedimento para recebimento de NaOH de um caminhão tanque LOCAL ITEM DE VERIFICAÇÃO Observações Sala de Controle Verificar NF incluindo propriedades do produto (densidade, concentração) 1. Verificar o número da licença do caminhão tanque 2. Receber o NaOH somente após verificar as propriedades da NF 3. Enquanto estiver ocorrendo o recebimento, colocar EPI. 4. Caso observe alguma situação a n o r m a l , i n t e r r o m p a a operação. 5. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, confira o nível do tanque 6. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, verifique se há vazamentos na linha ou em válvulas. Ponto de descarga Verificar o nível do tanque e espaço disponível no tanque de recebimento Verificar calços no caminhão tanque Verificar se o cavalo está aterrado em segurança Acender o aviso de “em recebimento” antes e depois do caminhão Autorizar o motorista a transferir o NaOH para o tanque Purgar o ar da linha após recebimento Desconectar o cavalo Verificar a quantidade recebida 1. Verificar o número da licença do caminhão tanque 2. Receber o NaOH somente após verificar as propriedades da NF 3. Enquanto estiver ocorrendo o recebimento, colocar EPI. 4. Caso observe alguma situação a n o r m a l , i n t e r r o m p a a operação. 5. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, confira o nível do tanque 6. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, verifique se há vazamentos na linha ou em válvulas.Sala de Controle Assinar o recibo e entregá-lo ao motorista Entrar com a quantidade recebida no diário 1. Verificar o número da licença do caminhão tanque 2. Receber o NaOH somente após verificar as propriedades da NF 3. Enquanto estiver ocorrendo o recebimento, colocar EPI. 4. Caso observe alguma situação a n o r m a l , i n t e r r o m p a a operação. 5. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, confira o nível do tanque 6. E n q u a n t o e s t i v e r descarregando, verifique se há vazamentos na linha ou em válvulas.
  • 184. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 185. robertoemery@gmail.com • A organização deve estabelecer procedimentos para identificar possíveis situações de emergência • Deve responder às situações reais de emergência e aos acidentes, e prevenir ou mitigar os impactos ambientais adversos associados • Periodicamente deve testar tais procedimentos, quando exeqüível 4.4.7 PREPARAÇÃO E RESPOSTAS À EMERGÊNCIAS 4.4 IMPLEMENTAÇÃO E OPERAÇÃO
  • 186. robertoemery@gmail.com PREPARAÇÃO E RESPOSTAS À EMERGÊNCIAS - EXEMPLO Sistema de Notificação de acidentes e incidentes Medidas de emergência Descobridor do fogo, emergência, etc. Aviso no local de trabalho e vizinhança Oficial do dia Corpo de bombeiros Grupo de SMS Telefone de Emergência Veículos contra o fogo Estabelecimento de central de prevenção de acidentes Ações preventivas e corretivas
  • 187. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 188. robertoemery@gmail.com Qual uma forma adequada de verificar a p r e p a r a ç ã o e r e s p o s t a s a emergências de uma companhia... ?
  • 189. robertoemery@gmail.com 4.5.1 Monitoramento e medição 4.5.2 Avaliação de atendimento a requisitos legais e outros 4.5.3 Não-conformidade, ação corretiva e preventiva 4.5.4 Controle de registros 4.5.5 Auditoria Interna Ciclo de Ação Corretiva Ação corretiva significa tomar providências com relação à causa de um problema, não apenas os sintomas.
  • 190. robertoemery@gmail.com Monitoramento e medição - Exemplo A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento para monitorar e medir regularmente as características principais de suas operações que possam ter um impacto ambiental significativo.
  • 191. robertoemery@gmail.com Não-conformidade, ação corretiva e preventiva • Resultado do monitoramento: identificação da necessidade de implementar ações corretivas e preventivas. • ações corretivas: ações necessárias e suficientes para evitar que um problema real volte a ocorrer. • ações preventivas: ações necessárias e suficientes para evitar que um problema potencial de fato aconteça.
  • 192. robertoemery@gmail.com Monitoramento e medição - Exemplo • Para melhoria contínua do desempenho ambiental: medições e monitoramentos sistemáticos desse desempenho • Exemplos de indicadores de desempenho ambiental: • Quantidade de emissões por unidade de produto acabado • Consumo de água por funcionário • Número de reclamações da comunidade em um determinado intervalo de tempo • Volume de efluente descartado ao corpo hídrico ou à rede de esgotos • ..... • Os resultados do monitoramento devem ser documentados!
  • 193. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 194. robertoemery@gmail.com 4.5.2 - Avaliação de atendimento a requisitos legais e outros De maneira coerente com o seu comprometimento a requisitos, a organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento para avaliar periodicamente o atendimento aos requisitos legais aplicáveis.
  • 195. robertoemery@gmail.com EXEMPLO - 4.5.2 Lei PertinenteLei Pertinente Controle Instalação Itens verificados Controle da poluição da água Resolução CONAMA, .... 1.Verificação da qualidade da água 2.Verificação da carga de poluentes no efluente 3.... Unidade de tratamento de efluente 1.Confirmação dos p a r â m e t r o s exigidos 2.Histórico de medidas 3.Confirmação da pessoa responsável. 4.... ...do ar... ... ... ... ...
  • 196. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 197. robertoemery@gmail.com 4.5.3 Não-conformidade, ação corretiva e preventiva • Resultado do monitoramento: identificação da necessidade de implementar ações corretivase preventivas. • ações corretivas: ações necessárias e suficientes para evitar que um problema real volte a ocorrer. • ações preventivas: ações necessárias e suficientes para evitar que um problema potencial de fato aconteça.
  • 198. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 199. robertoemery@gmail.com ✓ A organização deve estabelecer e manter registros, conforme necessário, para demonstrar conformidade com os requisitos de seu sistema da gestão ambiental e desta Norma, bem como os resultados obtidos. ✓ A organização deve estabelecer, implementar e manter procedimento(s) para a identificação, armazenamento, proteção, recuperação, retenção e descarte de registros. ✓ Os registros devem ser e permanecer legíveis, identificáveis e rastreáveis. 4.5.4 Controle de registros
  • 200. robertoemery@gmail.com 4.5.4 Controle de registros •Demonstramo cumprimento da empresa com: • Política ambiental • Melhoria contínua • Realização (ou não) dos objetivos e metas •Exemplosde registros: • Licenças • Requisitos legais • Treinamento de funcionários • Aspectos ambientais e impactos correspondentes • Acidentes ambientais e ações implementadas
  • 201. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 202. robertoemery@gmail.com 4.5.5 Auditoria interna Organização deve planejar auditorias internas do SGA em intervalos regulares para: • Determinar conformidade do SGA • Assegurar que SGA foi implementado e mantido • Fornecer informações à administração sobre os resultados das auditorias
  • 203. robertoemery@gmail.com Papel do auditor ambiental interno - EXEMPLO 1.Preparação 1.1.Estudar os documentos da organização referentes ao SGA 1.2.Preparar lista de verificação que será usada na avaliação do SGA 2.Auditoria 2.1.Entrevistas, exame de documentos e observação de atividades 2.2.Preparação do relatório da auditoria 3.Acompanhamento 3.1.Recomendação de planejamento para corrigir não conformidades 3.2.Apresentação do relatório final
  • 204. robertoemery@gmail.com Política Ambiental Planejamento • Aspectos Ambientais • Requisitos Legais • Objetivos, Metas e Programas Implementação e Operação • Estrutura e Responsabilidades • Treinamento, conscientização, Competências • Objetivos, Metas e Programa • Comunicação • Documentação • Controle de documentos e operacional • Resposta à emergência Verificação • Monitoramento e Medição • Requisitos legais e outros • Não conformidades e ações corretivas • Controle de registros • Auditoria interna Análise pela Administração Melhoria Contínua Sistema de Gestão Ambiental - ISO 14001 Plan Do Check Act
  • 205. robertoemery@gmail.com 4.6 – Análise crítica pela administração Recomenda-se que a organização analise periodicamente e aprimore continuamente seu SGA, com objetivo de aprimorar seu desempenho ambiental geral
  • 206. robertoemery@gmail.com 4.6 – Análise crítica pela administração a) Resultados de auditorias internas e das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela organização; b) Comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas externas, incluindo reclamações; c) O desempenho ambiental da organização; d) Extensão na qual foram atendidos os objetivos e metas; Entradas para análise crítica pela administração devem incluir: Continua...
  • 207. robertoemery@gmail.com 4.6 – Análise crítica pela administração Entradas para análise crítica pela administração devem incluir: e) Situaçãodas ações corretivas e preventivas; f) Açõesde acompanhamento das análises anteriores; g)Mudança de circunstâncias, incluindo desenvolvimentos em requisitos legais e outros requisitos relacionados aos aspectos ambientais, e h) Recomendações para melhoria.
  • 208. robertoemery@gmail.com SGA - NBR ISO 14001 - ASPECTOS GERAIS Resumo...
  • 209. robertoemery@gmail.com Principais mudanças na versão 2004 Indica a metodologia PDCA para compatibilidade entre as normas ISO 9001:2000 e a ISO 14001:2004 ver exemplo na figura 5. FIGURA 5 – MODELO DE UM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL BASEADO EM PROCESSO Modelo de SGA baseado em processo
  • 210. robertoemery@gmail.com SGA - NBR ISO 14001 - ASPECTOS GERAIS REVISÃO • O SGA é modificado para OTIMIZAR sua eficiência • A revisão cria um CICLO de melhoria contínua na empresa.
  • 211. robertoemery@gmail.com AUDITORIA AMBIENTAL NOTA: ISO 19.011 – Diretrizes para Auditorias de Sistema de Gestão da Qualidades e/ou Ambiental. Principal objetivo: avaliar os Sistemas de Gestão Ambiental e de Qualidade desenvolvidos de acordo com Norma ISO 140001 e 9.001
  • 212. robertoemery@gmail.com O QUE É AUDITORIA AMBIENTAL? Conceito teve início na década de 1970 Processo de verificação sistemática e documentada, pelo qual se obtém e avaliam PROVAS OBJETIVAS para determinar se atividades, eventos, condições - S.G.A. ou informações estão de acordo com “padrões estabelecidos".
  • 213. robertoemery@gmail.com AUDITORIA AMBIENTAL Organizações têm necessidade de demonstrar responsabilidade ambiental. Sistemas de Gestão Ambiental e a prática de Auditoria Ambiental são sugeridas como uma forma de satisfazer essas necessidade.
  • 214. robertoemery@gmail.com OBJETIVOS DA AUDITORIA AMBIENTAL ➡ Determinar conformidade a uma norma ➡ Determinar eficácia do SGA ➡ Produzir oportunidade para melhorias ao SGA ➡ Atender aos requisitos regulamentares para fins de certificação (porém não necessariamente!)
  • 215. robertoemery@gmail.com BENEFÍCIOS DA AUDITORIA AMBIENTAL Credibilidade à alta administração Credibilidade ao cliente Demonstrar compromisso com meio ambiente Fornecer oportunidade de melhorias Verificação de informações relacionadas a ações corretivas e preventivas. Outros... Alguns....
  • 216. robertoemery@gmail.com AUDITORIA AMBIENTAL Auditoria eficaz, portanto: • É uma Medida de como o SGA atende aos requisitos especificados • Serve como Base e incentivo para ações corretivas das não- conformidades observadas • É uma verificação de que a ação corretiva previamente acordada foi efetuada no prazo e de forma eficaz
  • 217. robertoemery@gmail.com • Voluntária ou compulsória: investigação documentada, independente e sistemática de fatos, procedimentos, documentos e registros relacionados ao meio ambiente. AUDITORIA AMBIENTAL
  • 218. robertoemery@gmail.com ALGUNS TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL Auditoria de Conformidade Legal Avalia a unidade auditada com relação à legislação e aos regulamentos pertinentes Auditoria do Sistema de Gestão Ambiental Avalia se os requisitos estabelecidos pelo Sistema de Gestão Ambiental da empresa estão sendo cumpridos, como (implantação) e verificação (eficácia)
  • 219. robertoemery@gmail.com ALGUNS TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL Auditoria de diagnose /adequação caracterização geral do sistema e preparação da certificação a pedido do interessado Auditoria de Constatação para Certificação Verifica se o SGA documentado está implementado e conclui se atende (ou não) à norma de referência
  • 220. robertoemery@gmail.com TIPOS DE AUDITORIA AMBIENTAL Auditoria de Certificação Avalia o cumprimento da empresa conforme os requisitos da norma pela qual a empresa esteja querendo se certificar Auditoria de Acompanhamento Avalia se as ações corretivas previamente estabelecidas foram implementadas e se são eficazes
  • 221. robertoemery@gmail.com Tipo de Auditorias - ISO 14001 Adaptado de HGB - www.hgb.com.br Fornecedor Organização Cliente Organismo Certificador ou Organismo Independente Auditoria de Segunda Parte Auditoria de Segunda Parte Auditoria de Primeira Parte Relacionamento Comercial Relacionamento Comercial Sem Relacionamento Comercial Auditoria de Terceira Parte Garantia de isenção aos clientes e partes interessadas
  • 222. robertoemery@gmail.com ISO – Normalização - no Brasil representante é ABNT (www.iso.ch) IAF – International Accreditation Forum (http://iaf.nu) - Harmonização e reconhecimento global das certificações - Brasil é representado pelo INMETRO (Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro) AUDITORIA AMBIENTAL CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL
  • 223. robertoemery@gmail.com PROCESSO DE AUDITORIA E CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL (EXEMPLO) Definição da empresa certificadora Auditoria de diagnose/adequação Auditoria de constatação Recomenda-se? Auditoria de certificação Manutenção do SGA Auditoria de acompanhamento sim não Auditoria do SGA Auditoria de recertificação
  • 224. robertoemery@gmail.com NBR ISO 19.011 Esta Norma fornece orientação sobre: ✓ princípios de auditoria ✓ gestão de programas de auditoria ✓ realização de auditorias internas ou externas de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental, ✓ competência e a avaliação de auditores.
  • 225. robertoemery@gmail.com NBR ISO 19.011 É aplicável a todas as organizações que necessitam realizar auditorias internas ou externas de sistemas de gestão da qualidade e/ou ambiental ou gerenciar um programa de auditoria. Esta Norma fornece somente orientação, embora os usuários possam aplicá-la no desenvolvimento de seus próprios requisitos relativos a auditoria.
  • 226. robertoemery@gmail.com NBR ISO 19.011 Convém que o plano de auditoria inclua: a) os objetivos da auditoria; b) o critério de auditoria e qualquer documento de referência; c) o escopo da auditoria, inclusive com identificação das unidades organizacionais e funcionais e processos a serem auditados; d) as datas e lugares onde as atividades de auditoria no local serão realizadas;
  • 227. robertoemery@gmail.com NBR ISO 19.011 Convém que o plano de auditoria inclua o seguinte (cont.): e) o tempo esperado e duração de atividades de auditoria no local, inclusive reuniões com a direção do auditado e reuniões da equipe da auditoria; f) as funções e responsabilidades dos membros da equipe da auditoria e das pessoas acompanhantes; g) a alocação de recursos apropriados para áreas críticas da auditoria.
  • 228. robertoemery@gmail.com • Dar exemplos e justificar a implantação de um SGA certificado. • Identificar o ciclo de melhoria contínua do SGA implantado segundo a NBR ISO 14001. • Identificar e distinguir conceitos como aspecto ambiental, impacto ambiental e filtro de significância, entre outros da NBR ISO 14001. • Identificar conceitos relevantes de auditoria ambiental - NBR ISO 19011 Questões do curso
  • 229. robertoemery@gmail.com Exemplo de Roteiro para Elaboração de Relatório de Auditoria de SGA
  • 230. robertoemery@gmail.com Controle Gerencial S N NA OBS Política Ambiental A empresa documenta sua Política Ambiental, definida dentro do escopo de seu SGA? Existe orientação para total conformidade com a legislação? Houve aprovação e endosso pela alta direção ou acionistas? Considera todas as partes interessadas? (fornecedores, clientes, ONGs, comunidades locais, empregados e outros agentes) Está facilmente acessível ao público interno e externo? Indica de análise de objetivos e metas ambientais? É apropriada à natureza , escala e impactos ambientais de suas atividades? Inclui comprometimento com melhoria contínua? Lista de Controle - Auditoria Ambiental
  • 232. robertoemery@gmail.com Requisitos da NBR ISO 14001 - 2004 Documento Evidência Resultado 4.1 - Requisitos gerais A organização estabelce e mantem um SGA, com escopo definido e documentado? 4.2 - Política Ambiental A P.A. da organização foi definida pela alta administração? a) A organização assegura que a P.A. é apropriada à natureza, escala e impactos ambientais de suas atividades, pordutos e serviços? b) A organização assegura que a P.A. inclui comprometimento com a melhoria contínua e com a prevenção de poluição? c) A organização assegura que a P.A. inclui comprometimento em atender aos requisitos legais aplicáveis e outros requisitos subscritos pela organização? d) A organização assegura que a P.A. forneça estrutura para o estabelecimento e análise dos objetivos e metas ambientais?
  • 233. robertoemery@gmail.com Requisitos da NBR ISO 14001 - 2004 Documento Evidência Resultado 4.2 - Política Ambiental e) A organização assegura que a P.A. é documentada, implementada, mantida e comunicada a todos que trabalhem na organização? b) A organização assegura que a P.A. está disponível para o público? Resultado: OK = Conforme; NA=Não se aplica; NC = Não Conforme / OBS: Observação
  • 234. robertoemery@gmail.com Bibliografia... Ø Gestão Ambiental, Josimar Ribeiro de Almeida, Claudia dos S. Mello, Yara Cavalcanti, Thex Editora, Rio de Janeiro, 2004. Ø Direito Ambiental, Paulo de Bessa Antunes, 9ª. Edição, Ed. Lumen Juris, Rio de Janeiro, 2007. Ø Ecology and our endangered life-supporting systems, Eugene Odum, Sinauer Associates, Inc., Massachusetts, EUA, 1993. Ø Controle de documentos e da legislação pertinente às organizações na implantação/operação de SGA, Roberto de Barros Emery Trindade, Josimar Ribeiro de Almeida e Gustavo Araujo, Série Gestão e Planejamento Ambiental, no. 3, CETEM – www.cetem.gov.br, 2005.
  • 235. robertoemery@gmail.com Ø Seleção de indicadores de estado e avaliação de sensibilidade dos sistemas naturais às ações antrópicas, Gustavo Araujo, Lais Alencar de Aguiar, Josimar Ribeiro de Almeida, Paulo Sérgio Moreira Soares e Roberto de Barros Emery Trindade, Série Gestão e Planejamento Ambiental, no.2, CETEM – www.cetem.gov.br, 2005 Ø Passo a Passo da ISO 14000 para Implantação nas Pequenas e Médias Empresas. 1. ed. Dália Maimon, v. 1. 86 p.Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 1999. Ø Impactos Ambientais em Desastres Marítimos, Rucemah Leonardo Gomes Pereira, FUNENSEG, Rio de Janeiro, 2003. Ø Impactos Ambientais do refino do Petróleo, Jacqueline Barboza Mariano, Ed. Interciência, Rio de Janeiro, 2005. Bibliografia...