SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA




Luminotécnica é o estudo da aplicação da iluminação artificial
            em ambientes internos e externos.

É uma arte que concilia conhecimento técnico, gosto pessoal e
aspectos emocionais. O maior desafio de quem “desenha” a luz
está em conseguir bons resultados subjetivos. Luz você não vê,
                         você sente!
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA

 Um bom resultado depende de vários fatores: tipo do ambiente,
tempo de permanência naquele espaço, linguagem arquitetônica,
 composição de luz artificial com luz natural, perfil do cliente e
                           custo final.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA

    A luz em si é invisível, o que vemos é o objeto iluminado e é
exatamente por isso que a luz está diretamente relacionada à cor e à
    textura que este objeto possui. Como cada pessoa tem uma
 sensibilidade diferente da outra (para cores e quantidade de luz), a
sensação psicológica transmitida será diferente para cada indivíduo.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA


                           O que é "Luz“

   A luz é uma onda eletromagnética, que além dos efeitos visuais
(produção de claridade e cores), emite radiações ultravioletas (UV).
   Tais radiações são responsáveis pelo desbotamento de tecidos
  (cortinas, roupas, sofás), de madeiras (móveis, pisos) e de outros
objetos expostos à luz. Outra radiação emitida é a infravermelha (IV
ou IR), que é responsável pela produção de calor. Assim como a luz
 solar emite tais radiações, as lâmpadas (em menor ou maior grau,
           conforme o modelo) emitem radiações UV e IV.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA
 Veja abaixo um gráfico que mostra como percebemos a radiação solar que
                               chega à Terra:
 Ultravioleta (UV) - 3% da radiação total (além dos efeitos citados acima
   relacionados a Decoração, também é responsável pelo câncer de pele e
                        envelhecimento precoce);
 Infravermelho (IV ou IR) - 55% da radiação total (responsável pelo calor
                                  solar);
Luz Visível - 42% da radiação total (afeta o sentido da visão, por isso vemos
                                 as cores).
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA
                      Uso eficiente da Luz em Áreas Externas
 Talvez muitos não tenham ouvido falar da poluição luminosa, que é o uso irracional
 dos sistemas de iluminação, causando impactos indesejáveis no meio ambiente (em
especial em áreas externas), como: danos à flora - ex.: o não florescimento de plantas,
  pois a duração da noite é mais curta; desorientação dos animais ex.: desajuste na
    reprodução e migração das espécies. Além do consumo excessivo de energia.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA
    É fundamental saber planejar e utilizar lâmpadas, luminárias e acessórios
               adequadamente para obter o melhor resultado.
1ª e 2ª imagens revelam dois sistemas ineficientes, pois há uma grande dispersão da
      luz, sendo lançada em direção ao céu e conseqüentemente não está sendo
                                    aproveitada;
 3ª e 4ª imagens apresentam dois sistemas eficientes, pois a luz é direcionada para
      baixo, iluminando a área necessária, isto é, onde estão pessoas e veículos.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA

                     Uso eficiente da Luz em Áreas Internas
  A iluminação direcionada e de destaque tem a finalidade de criar um cenário
(trazer um efeito diferenciado) ou de auxiliar na visibilidade (trazendo mais luz
   para um ponto específico, importante para realização de diversas tarefas ou
simplesmente chamando a atenção do olhar para um determinado ponto). Estes
efeitos não tem a finalidade de produzir iluminação geral no ambiente interno, e
 por isso, se forem utilizados com este intuito, serão considerados ineficientes.
INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA

  Resumindo: é de suma importância conhecer os modelos de lâmpadas,
luminárias e acessórios para criar uma iluminação confortável e sustentável,
      atingindo os objetivos almejados sem desperdício de energia.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

                  Iluminância - Símbolo E - Unidade lux (lx)
    É o fluxo luminoso que incide sobre uma superfície situada a uma certa
  distância da fonte, ou seja, é a quantidade de luz que está chegando em um
ponto. A iluminância pode ser medida, porém, não pode ser vista. O que é visível
                      são as diferenças na reflexão da luz.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

            Luminância - Símbolo L - Unidade cd/m²
  É a intensidade luminosa de uma fonte de luz produzida ou
     refletida por uma superfície iluminada. Esta relação é
dada entre candelas e metro quadrado da área aparente (cd/m²).
    A luminância depende tanto do nível de iluminação ou
    iluminância, quanto das características de reflexão das
                          superfícies.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

            Intensidade Luminosa - Símbolo I - Unidade candela (cd)
É a quantidade de luz que uma fonte emite por unidade de ângulo sólido projetada
                    em uma determinada direção. O valor está
                 diretamente ligado à direção desta fonte de luz.
               A intensidade luminosa é expressa em candelas (cd)
               e, em algumas situações, em candelas/1000 lúmens.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

                   Fluxo Luminoso - Unidade lúmen (lm)
É uma das unidades fundamentais em engenharia de iluminação, dada como a
  quantidade total de luz emitida por uma fonte, em sua tensão nominal de
                              funcionamento.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

                        Índice de reprodução de cor - IRC
 É a medida de correspondência entre a cor real de um objeto ou superfície e sua
    aparência diante de uma fonte de luz. A luz artificial deve permitir ao olho
   humano perceber as cores corretamente, ou o mais próximo possível da luz
                                  natural do dia.
           Quanto mais alto o índice, melhor a reprodução das cores.
Lâmpadas com IRC de 100% apresentam as cores com total fidelidade e precisão.
Luminotécnica - Conceitos Básicos

 Eficiência Luminosa - Unidade lúmen por Watt (lm/W)
  É a relação entre o fluxo luminoso emitido e a energia
              elétrica consumida (potência).
   É útil para averiguarmos se um determinado tipo de
     lâmpada é mais ou menos eficiente do que outro.
Luminotécnica - Conceitos Básicos
               Temperatura de cor - Símbolo K - Unidade Kelvin
  É a grandeza expressa em Kelvin que indica a aparência de cor da luz.A luz
"quente", de aparência amarelada, tem baixa temperatura de cor (não superior a
                     3000K). A luz "fria" de aparência azul
violeta, tem temperatura de cor maior que 6000K. A luz branca natural emitida
  pelo sol em céu aberto ao meio-dia, tem temperatura de cor perto de 5800K.




       Fontes: Portal Clique Arquitetura, Lumidec Iluminação, Faculdade Engenharia Elétrica - UFU

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Luminotecnia
LuminotecniaLuminotecnia
Luminotecnia
Estudante
 

Mais procurados (20)

Manual luminotecnica
Manual luminotecnicaManual luminotecnica
Manual luminotecnica
 
Conforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
Conforto luminoso - Conforto Ambiental UrbanoConforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
Conforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
 
Aula01 iluminacao
Aula01 iluminacaoAula01 iluminacao
Aula01 iluminacao
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID III ILUMINAÇÃO E FORRO
DESIGN DE INTERIORES - UNID III ILUMINAÇÃO E FORRODESIGN DE INTERIORES - UNID III ILUMINAÇÃO E FORRO
DESIGN DE INTERIORES - UNID III ILUMINAÇÃO E FORRO
 
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
 
Iluminacao
IluminacaoIluminacao
Iluminacao
 
Metodo dos lumens
Metodo dos lumensMetodo dos lumens
Metodo dos lumens
 
Luminotecnica
LuminotecnicaLuminotecnica
Luminotecnica
 
conforto ambiental
conforto ambientalconforto ambiental
conforto ambiental
 
Metodo ponto a ponto
Metodo ponto a pontoMetodo ponto a ponto
Metodo ponto a ponto
 
Calculos iluminacao
Calculos iluminacaoCalculos iluminacao
Calculos iluminacao
 
OSRAM > Manual Luminotécnico Pratico
OSRAM > Manual Luminotécnico PraticoOSRAM > Manual Luminotécnico Pratico
OSRAM > Manual Luminotécnico Pratico
 
Luminotecnia
LuminotecniaLuminotecnia
Luminotecnia
 
Iluminação LED - Eficiência Energética
Iluminação LED - Eficiência EnergéticaIluminação LED - Eficiência Energética
Iluminação LED - Eficiência Energética
 
Exercicio método lumens
Exercicio método lumensExercicio método lumens
Exercicio método lumens
 
Luminotecnica ponto a_ponto [recuperado]
Luminotecnica ponto a_ponto [recuperado]Luminotecnica ponto a_ponto [recuperado]
Luminotecnica ponto a_ponto [recuperado]
 
Edificações Sustentáveis (Estudo das Tecnologias)
Edificações Sustentáveis (Estudo das Tecnologias)Edificações Sustentáveis (Estudo das Tecnologias)
Edificações Sustentáveis (Estudo das Tecnologias)
 
Lampadas
LampadasLampadas
Lampadas
 
Lâmpadas (lamps)
Lâmpadas (lamps)Lâmpadas (lamps)
Lâmpadas (lamps)
 
Eficiência Energética
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
Eficiência Energética
 

Destaque

2.01 _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
2.01  _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)2.01  _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
2.01 _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
shanthon
 
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADASLUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
INCOLED
 
Propriedades E AplicaçãO Da Luz
Propriedades E AplicaçãO Da LuzPropriedades E AplicaçãO Da Luz
Propriedades E AplicaçãO Da Luz
turma8bjoaofranco
 
Propriedades e aplicações da luz
Propriedades e aplicações da luz Propriedades e aplicações da luz
Propriedades e aplicações da luz
carolle155
 
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Crissio Costa
 

Destaque (12)

Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
 
2.01 _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
2.01  _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)2.01  _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
2.01 _luminotecnica_e_lampadas_eletricas_(apostila)
 
Nbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacaoNbr 8995 1 iluminacao
Nbr 8995 1 iluminacao
 
Luminarias
LuminariasLuminarias
Luminarias
 
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADASLUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
LUMINÁRIAS DE LED HOMOLOGADAS
 
Propriedades E AplicaçãO Da Luz
Propriedades E AplicaçãO Da LuzPropriedades E AplicaçãO Da Luz
Propriedades E AplicaçãO Da Luz
 
Propriedades e aplicações da luz
Propriedades e aplicações da luz Propriedades e aplicações da luz
Propriedades e aplicações da luz
 
Luminotécnica conceitos
Luminotécnica conceitosLuminotécnica conceitos
Luminotécnica conceitos
 
Estruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aulaEstruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aula
 
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)Madeira na construcao civil   aula 3 - 13.09.13 (1)
Madeira na construcao civil aula 3 - 13.09.13 (1)
 
3 Projetos como referências para meu TFG de Arquitetura
3 Projetos como referências para meu TFG de Arquitetura3 Projetos como referências para meu TFG de Arquitetura
3 Projetos como referências para meu TFG de Arquitetura
 
Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)
 

Semelhante a Introdução à luminotécnica

Manual luminotécnico_osram.pdf_
 Manual luminotécnico_osram.pdf_ Manual luminotécnico_osram.pdf_
Manual luminotécnico_osram.pdf_
Priscylla Gondim
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
laizdiniz
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
laizdiniz
 
Brotero - Imagem Apresentação 1
Brotero - Imagem Apresentação 1Brotero - Imagem Apresentação 1
Brotero - Imagem Apresentação 1
João Leal
 

Semelhante a Introdução à luminotécnica (20)

Predio pub manual_iluminacao
Predio pub manual_iluminacaoPredio pub manual_iluminacao
Predio pub manual_iluminacao
 
Fotografias e tipos de luz
Fotografias e tipos de luzFotografias e tipos de luz
Fotografias e tipos de luz
 
Manual iluminacao osram - elétrica
Manual iluminacao osram - elétricaManual iluminacao osram - elétrica
Manual iluminacao osram - elétrica
 
Manual luminotécnico ( Osram )
Manual luminotécnico ( Osram )Manual luminotécnico ( Osram )
Manual luminotécnico ( Osram )
 
Manual luminotécnico_osram.pdf_
 Manual luminotécnico_osram.pdf_ Manual luminotécnico_osram.pdf_
Manual luminotécnico_osram.pdf_
 
LUMINOTÉCNICA.pptx
LUMINOTÉCNICA.pptxLUMINOTÉCNICA.pptx
LUMINOTÉCNICA.pptx
 
Manual seminário iluminação liliana pereira
Manual seminário iluminação liliana pereiraManual seminário iluminação liliana pereira
Manual seminário iluminação liliana pereira
 
Esuda doc-dados sobre a luz-r00
Esuda doc-dados sobre a luz-r00Esuda doc-dados sobre a luz-r00
Esuda doc-dados sobre a luz-r00
 
Luminotecnica
LuminotecnicaLuminotecnica
Luminotecnica
 
Luz e Pigmento - CGA
Luz e Pigmento - CGALuz e Pigmento - CGA
Luz e Pigmento - CGA
 
TÉCNICAS IDEAIS PARA ILUMINAÇÃO RESIDENCIAL (SALA DE ESTAR, SALA DE JANTAR, Q...
TÉCNICAS IDEAIS PARA ILUMINAÇÃO RESIDENCIAL (SALA DE ESTAR, SALA DE JANTAR, Q...TÉCNICAS IDEAIS PARA ILUMINAÇÃO RESIDENCIAL (SALA DE ESTAR, SALA DE JANTAR, Q...
TÉCNICAS IDEAIS PARA ILUMINAÇÃO RESIDENCIAL (SALA DE ESTAR, SALA DE JANTAR, Q...
 
PROJETOS DE ILUMINACAO E DE ELETRICA - INTRODUÇAO
PROJETOS DE ILUMINACAO E DE ELETRICA - INTRODUÇAOPROJETOS DE ILUMINACAO E DE ELETRICA - INTRODUÇAO
PROJETOS DE ILUMINACAO E DE ELETRICA - INTRODUÇAO
 
Instalações Industriais: Aula 01 - Introdução e Luminotécico - Silmar
Instalações Industriais: Aula 01 - Introdução e Luminotécico - SilmarInstalações Industriais: Aula 01 - Introdução e Luminotécico - Silmar
Instalações Industriais: Aula 01 - Introdução e Luminotécico - Silmar
 
Agfisico
AgfisicoAgfisico
Agfisico
 
Dicas de iluminação
Dicas de iluminaçãoDicas de iluminação
Dicas de iluminação
 
1399
13991399
1399
 
Energia luminosa1
Energia luminosa1Energia luminosa1
Energia luminosa1
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
 
Brotero - Imagem Apresentação 1
Brotero - Imagem Apresentação 1Brotero - Imagem Apresentação 1
Brotero - Imagem Apresentação 1
 

Mais de rmpatron

Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2
rmpatron
 
Exercícios de escalas
Exercícios de escalasExercícios de escalas
Exercícios de escalas
rmpatron
 
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5esDesenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
rmpatron
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
rmpatron
 
Calendário 2013 1
Calendário 2013 1Calendário 2013 1
Calendário 2013 1
rmpatron
 
Paisagismo aula 1
Paisagismo   aula 1Paisagismo   aula 1
Paisagismo aula 1
rmpatron
 
Aula 1 2013 pidi
Aula 1   2013 pidiAula 1   2013 pidi
Aula 1 2013 pidi
rmpatron
 
Programa da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 okPrograma da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 ok
rmpatron
 
Braisntorm museu
Braisntorm museuBraisntorm museu
Braisntorm museu
rmpatron
 
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisaRoteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
rmpatron
 
Programa da disciplina pi arq_ok
Programa da disciplina  pi arq_okPrograma da disciplina  pi arq_ok
Programa da disciplina pi arq_ok
rmpatron
 
Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013
rmpatron
 
Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013
rmpatron
 

Mais de rmpatron (20)

Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2Exercício de escalas 2
Exercício de escalas 2
 
Exercícios de escalas
Exercícios de escalasExercícios de escalas
Exercícios de escalas
 
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5esDesenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
Desenho%20de%20 projetos%20de%20edifica%e7%f5es
 
Desenho técnico
Desenho técnicoDesenho técnico
Desenho técnico
 
Acessibilidade
AcessibilidadeAcessibilidade
Acessibilidade
 
Calendário 2013 1
Calendário 2013 1Calendário 2013 1
Calendário 2013 1
 
Manual osram
Manual osramManual osram
Manual osram
 
Luminotécnico
 Luminotécnico Luminotécnico
Luminotécnico
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Paisagismo aula 1
Paisagismo   aula 1Paisagismo   aula 1
Paisagismo aula 1
 
Aula 1 2013 pidi
Aula 1   2013 pidiAula 1   2013 pidi
Aula 1 2013 pidi
 
Programa da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 okPrograma da disciplina pi 2013 ok
Programa da disciplina pi 2013 ok
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Braisntorm museu
Braisntorm museuBraisntorm museu
Braisntorm museu
 
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisaRoteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
Roteiro basico para_elaboracao_de_projeto_de_pesquisa
 
Programa da disciplina pi arq_ok
Programa da disciplina  pi arq_okPrograma da disciplina  pi arq_ok
Programa da disciplina pi arq_ok
 
Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013Programa da disciplina paisagismo 2013
Programa da disciplina paisagismo 2013
 
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
Programa da disciplina projeto de interiores iii 2013
 
Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013Programa da disciplina luminotécnico 2013
Programa da disciplina luminotécnico 2013
 
Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013Programa da disciplina dmer 2013
Programa da disciplina dmer 2013
 

Introdução à luminotécnica

  • 1. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Luminotécnica é o estudo da aplicação da iluminação artificial em ambientes internos e externos. É uma arte que concilia conhecimento técnico, gosto pessoal e aspectos emocionais. O maior desafio de quem “desenha” a luz está em conseguir bons resultados subjetivos. Luz você não vê, você sente!
  • 2. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Um bom resultado depende de vários fatores: tipo do ambiente, tempo de permanência naquele espaço, linguagem arquitetônica, composição de luz artificial com luz natural, perfil do cliente e custo final.
  • 3. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA A luz em si é invisível, o que vemos é o objeto iluminado e é exatamente por isso que a luz está diretamente relacionada à cor e à textura que este objeto possui. Como cada pessoa tem uma sensibilidade diferente da outra (para cores e quantidade de luz), a sensação psicológica transmitida será diferente para cada indivíduo.
  • 4. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA O que é "Luz“ A luz é uma onda eletromagnética, que além dos efeitos visuais (produção de claridade e cores), emite radiações ultravioletas (UV). Tais radiações são responsáveis pelo desbotamento de tecidos (cortinas, roupas, sofás), de madeiras (móveis, pisos) e de outros objetos expostos à luz. Outra radiação emitida é a infravermelha (IV ou IR), que é responsável pela produção de calor. Assim como a luz solar emite tais radiações, as lâmpadas (em menor ou maior grau, conforme o modelo) emitem radiações UV e IV.
  • 5. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Veja abaixo um gráfico que mostra como percebemos a radiação solar que chega à Terra: Ultravioleta (UV) - 3% da radiação total (além dos efeitos citados acima relacionados a Decoração, também é responsável pelo câncer de pele e envelhecimento precoce); Infravermelho (IV ou IR) - 55% da radiação total (responsável pelo calor solar); Luz Visível - 42% da radiação total (afeta o sentido da visão, por isso vemos as cores).
  • 6. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Uso eficiente da Luz em Áreas Externas Talvez muitos não tenham ouvido falar da poluição luminosa, que é o uso irracional dos sistemas de iluminação, causando impactos indesejáveis no meio ambiente (em especial em áreas externas), como: danos à flora - ex.: o não florescimento de plantas, pois a duração da noite é mais curta; desorientação dos animais ex.: desajuste na reprodução e migração das espécies. Além do consumo excessivo de energia.
  • 7. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA É fundamental saber planejar e utilizar lâmpadas, luminárias e acessórios adequadamente para obter o melhor resultado. 1ª e 2ª imagens revelam dois sistemas ineficientes, pois há uma grande dispersão da luz, sendo lançada em direção ao céu e conseqüentemente não está sendo aproveitada; 3ª e 4ª imagens apresentam dois sistemas eficientes, pois a luz é direcionada para baixo, iluminando a área necessária, isto é, onde estão pessoas e veículos.
  • 8. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Uso eficiente da Luz em Áreas Internas A iluminação direcionada e de destaque tem a finalidade de criar um cenário (trazer um efeito diferenciado) ou de auxiliar na visibilidade (trazendo mais luz para um ponto específico, importante para realização de diversas tarefas ou simplesmente chamando a atenção do olhar para um determinado ponto). Estes efeitos não tem a finalidade de produzir iluminação geral no ambiente interno, e por isso, se forem utilizados com este intuito, serão considerados ineficientes.
  • 9. INTRODUÇÃO À LUMINOTÉCNICA Resumindo: é de suma importância conhecer os modelos de lâmpadas, luminárias e acessórios para criar uma iluminação confortável e sustentável, atingindo os objetivos almejados sem desperdício de energia.
  • 10. Luminotécnica - Conceitos Básicos Iluminância - Símbolo E - Unidade lux (lx) É o fluxo luminoso que incide sobre uma superfície situada a uma certa distância da fonte, ou seja, é a quantidade de luz que está chegando em um ponto. A iluminância pode ser medida, porém, não pode ser vista. O que é visível são as diferenças na reflexão da luz.
  • 11. Luminotécnica - Conceitos Básicos Luminância - Símbolo L - Unidade cd/m² É a intensidade luminosa de uma fonte de luz produzida ou refletida por uma superfície iluminada. Esta relação é dada entre candelas e metro quadrado da área aparente (cd/m²). A luminância depende tanto do nível de iluminação ou iluminância, quanto das características de reflexão das superfícies.
  • 12. Luminotécnica - Conceitos Básicos Intensidade Luminosa - Símbolo I - Unidade candela (cd) É a quantidade de luz que uma fonte emite por unidade de ângulo sólido projetada em uma determinada direção. O valor está diretamente ligado à direção desta fonte de luz. A intensidade luminosa é expressa em candelas (cd) e, em algumas situações, em candelas/1000 lúmens.
  • 13. Luminotécnica - Conceitos Básicos Fluxo Luminoso - Unidade lúmen (lm) É uma das unidades fundamentais em engenharia de iluminação, dada como a quantidade total de luz emitida por uma fonte, em sua tensão nominal de funcionamento.
  • 14. Luminotécnica - Conceitos Básicos Índice de reprodução de cor - IRC É a medida de correspondência entre a cor real de um objeto ou superfície e sua aparência diante de uma fonte de luz. A luz artificial deve permitir ao olho humano perceber as cores corretamente, ou o mais próximo possível da luz natural do dia. Quanto mais alto o índice, melhor a reprodução das cores. Lâmpadas com IRC de 100% apresentam as cores com total fidelidade e precisão.
  • 15. Luminotécnica - Conceitos Básicos Eficiência Luminosa - Unidade lúmen por Watt (lm/W) É a relação entre o fluxo luminoso emitido e a energia elétrica consumida (potência). É útil para averiguarmos se um determinado tipo de lâmpada é mais ou menos eficiente do que outro.
  • 16. Luminotécnica - Conceitos Básicos Temperatura de cor - Símbolo K - Unidade Kelvin É a grandeza expressa em Kelvin que indica a aparência de cor da luz.A luz "quente", de aparência amarelada, tem baixa temperatura de cor (não superior a 3000K). A luz "fria" de aparência azul violeta, tem temperatura de cor maior que 6000K. A luz branca natural emitida pelo sol em céu aberto ao meio-dia, tem temperatura de cor perto de 5800K. Fontes: Portal Clique Arquitetura, Lumidec Iluminação, Faculdade Engenharia Elétrica - UFU