Cycling ergonomics

2.289 visualizações

Publicada em

A Master Thesis about road cycling confort

  • Seja o primeiro a comentar

Cycling ergonomics

  1. 1. O conforto da bicicleta de estrada em competições de longa distância: uma abordagem ergonômica LINHARES, Ricardo. Mestrando em Design MONT’ALVÃO, Cláudia, D.Sc LEUI – Laboratório de Ergonomia e Usabilidade de Interfaces em Sistemas Humano-Tecnologia Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
  2. 2. <ul><li>Objeto da pesquisa </li></ul><ul><li>As bicicletas e seus componentes, como rodas, pneus, guidom, selim, etc… que s ão usados em competições de longa distância(com mais de 100km) </li></ul>Cap ítulo 1 Introdução
  3. 3. <ul><li>Hipótese: </li></ul><ul><li>Esta pesquisa parte do seguinte pressuposto: </li></ul><ul><li>“ Os ciclistas que disputam provas de longa duração fazem opções de tamanho, modelo e materiais das peças que compõem a bicicleta levando em consideração fatores como peso, preço e resistência, muitas vezes sem considerar um aumento proporcional de desconforto.” </li></ul>Cap ítulo 1 Introdução
  4. 4. <ul><li>Justificativa: </li></ul><ul><li>Segundo Christiaans (1998): “ 55% dos homens reportam desconforto em suas bicicletas ” . </li></ul><ul><li>Ou, segundo Mestdagh (1997): “Até a postura ideal do ciclista estressa tendões, músculos, e articulações…” </li></ul><ul><li>E ainda, segundo Salai (1999):”Quando se usa bicicletas de estrada, você paga o preço pela pouca resistência do ar ao ter que assumir uma posição baixa demais em relação ao que seria fisicamente natural para conseguir ganhar maior velocidade.” </li></ul><ul><li>Baseado nisso, faz-se necessário entender e mapear os custos humanos envolvidos na situação específica de pedaladas em estradas com longa duração. </li></ul>Cap ítulo 1 Introdução
  5. 5. <ul><li>Objetivo Geral: </li></ul><ul><li>O Objetivo geral dessa pesquisa é minimizar os custos humanos para o ciclista ao final de uma prova de estrada de longa dura ção. </li></ul>Cap ítulo 1 Introdução
  6. 6. <ul><li>Objetivos Espec íficos: </li></ul><ul><li>Avaliar os fatores que levam os atletas a optarem por algum tipo de material. </li></ul><ul><li>Analisar os diferentes tipos de materiais existentes. </li></ul><ul><li>Levantar as maneiras “altenativas” com as quais os atletas buscam aumentar o conforto. </li></ul><ul><li>Contribuir com conhecimento ergon ômico e referencial teórico para atletas, técnicos, pesquisadores e fabricantes para que sejam desenvolvidos produtos mais confortáveis. </li></ul>Cap ítulo 1 Introdução
  7. 7. Cap ítulo 2 Histórico das Competições Objetivos do Cap ítulo Apresentar as competi ções de ciclismo em estrada, desde seu início até o ponto em que estamos hoje. Mostrar paralelamente a evolução das bicicletas e dos componentes através do tempo.
  8. 8. Cap ítulo 2 Histórico das Competições <ul><li>Sum ário do Capítulo </li></ul><ul><li>2-Hist órico das Bicicletas em competições de estrada </li></ul><ul><li>2.1- O in ício, século XIX </li></ul><ul><ul><li>2.2- A bicicleta moderna </li></ul></ul><ul><ul><li>2.3- As corridas </li></ul></ul>
  9. 9. Cap ítulo 3 A Bicicleta de Estrada Objetivos do Capítulo Apresentar a bicicleta de estrada e seus componentes, destacando suas caracter ísticas específicas. Detalhar o funcionamento dos componentes e sua import ância numa competição. Analisar as formas de ajustar os componentes das bicicletas.
  10. 10. Cap ítulo 3 A Bicicleta de Estrada Sumário do Capítulo 3- A bicicleta de estrada 3.1-A roda 3.2- Os pneus 3.3- Os freios 3.4-A corrente e o sistema de câmbio 3.5- O quadro 3.5.1- Os principais materiais empregados no quadro 3.5.1.1- Aço 3.5.1.2- Cromo-Molibidêmio 3.5.1.3- Alumínio 3.5.1.4- Carbono 3.5.1.5- Titânio 3.6- Considerações Finais do Capítulo
  11. 11. Cap ítulo 3 A Bicicleta de Estrada
  12. 12. Cap ítulo 4 Os Custos Humanos do Ciclismo de Longa Distância Objetivo do Cap ítulo Fornecer embasamento te órico sobre os custos humanos envolvidos no uso da bicicleta. Listar lesões crônicas (provocadas por repetição de movimentos) e lesões agudas (provocadas por pancadas ou algum outro fator momentâneo).
  13. 13. Cap ítulo 4 Os Custos Humanos do Ciclismo de Longa Distância Sum ário do Capítulo 4-Os Custos Humanos do ciclismo de Longa Distância 4.1- A Bicicleta de Corrida e a Ergonomia Tamanho do quadro, a altura do assento, o posicionamento dos pés, a posição do selim no trilho, o formato, a largura e o ângulo do guidom. 4.2- Custos Humanos relacionados ao ciclismo 4.2.1- L.E.R. 4.2.2- Lesões Traumáticas 4.2.3- Lesões de Contato Mãos, pés e glúteos 4.2.4- As Lesões sem contato Joelhos, músculos da perna, costas, pescoço. 4.3- Considerações finais do capítulo
  14. 14. Cap ítulo 5 Delineamento da Pesquisa Objetivos do Capítulo Conceituar a proposta da pesquisa, com tema, problema, justificativa, etc…
  15. 15. Cap ítulo 6 Métodos e Técnicas da Pesquisa 6-M étodos e Técnicas da Pesquisa 6.1. Documentação indireta: Pesquisa bibliográfica; 6.2. Documentação direta: Pesquisa de campo; Foi realizada durante tr ês competições de estrada de longa distância.
  16. 16. Cap ítulo 6 Métodos e Técnicas da Pesquisa 6-M étodos e Técnicas da Pesquisa 6.3. Observações direta intensiva: 6.3.1 Observação assistemática Foi realizada em janeiro de 2005 uma observação assistemática durante a Volta Ciclística de São Paulo, uma prova de uma semana de duração com etapas que variavam de 40km a 250km por dia por todo território do estado de São Paulo. Deciciu-se focar o grupo estudado ao universo masculino devido à pouca participação feminina neste tipo de prova e às diferenças anatômicas dos dois grupos. Esta observa ção originou um roteiro de entrevistas semi-estruturadas.
  17. 17. <ul><li>6.3.2 Entrevistas semi-estruturadas </li></ul><ul><li>Em julho de 2005 foram aplicadas sete entrevistas semi-estruturadas durante a Prova da Inconfid ência, realizada em ouro Preto, MG. </li></ul><ul><li>Cada entrevista continha dezesseis perguntas abertas. </li></ul><ul><li>As entrevistas eram baseadas em observações feitas pelos ciclistas durante as observações. </li></ul>Cap ítulo 6 Métodos e Técnicas da Pesquisa
  18. 18. <ul><li>6.4. Observação direta extensiva: Questionário </li></ul><ul><li>Com os resultados das entrevistas foi elaborado um questionário com três perguntas abertas e fechadas e duas escalas de avaliação. </li></ul><ul><li>Al ém deste questionário foi aplicado o questionário Corlett, para se confirmar ou refutar as respostas dos ciclistas. </li></ul><ul><li>O objetivo do questionário foi medir com maior precisão a percepcão geral dos ciclistas para cada assunto. </li></ul><ul><li>Os question ários foram aplicados em setembro de 2005, na primeira etapa da Copa Rio de Ciclismo, na cidade do Rio de Janeiro. Foram aplicados vinte question ários preparados durante a pesquisa e vinte questionários Corlett. </li></ul>Cap ítulo 6 Métodos e Técnicas da Pesquisa
  19. 19. <ul><li>Pergunta 1 - Número de corridas com mais de cem quilômetros feitas por ano </li></ul><ul><li>Pergunta 2 - Número de quilômetros que são pedalados normalmente por semana </li></ul>Cap ítulo 7 Resultados da Pesquisa de Campo 249 3.48 20 Média 410 7.4 5 Elite 138 3 4 Mb 233 2 3 Ma 212 3 5 S30 400 4.5 2 S23 100 1 1 Inic. Pergunta 2 (Média) Pergunta 1 (Média) Respostas Por Categoria
  20. 20. <ul><li>Pergunta - Qual a marca da bermuda usada? </li></ul>Cap ítulo 7 Resultados da Pesquisa de Campo As bermudas nacionais são consideradas inferiores às importadas. X 100% das bermudas usadas s ão de fabricação nacional. 1(IDT) OUTRAS 5 ADENOSINA 4 FSA 3 CT 7 GB
  21. 21. <ul><li>Pergunta - O que é mais importante na regulagem da bicicleta ? </li></ul><ul><li>1 - Menos importante </li></ul><ul><li>5 - Mais importante </li></ul>Cap ítulo 7 Resultados da Pesquisa de Campo 0 0 7 6 7 Altura da mesa 0 1 3 9 7 Tamanho da mesa 0 3 7 5 5 Posição do selim 3 14 2 0 1 Altura do selim 17 2 1 0 0 Tamanho do quadro 5 4 3 2 1
  22. 22. <ul><li>Question ários Corlett: desconforto no tronco. </li></ul>Cap ítulo 7 Resultados da Pesquisa de Campo
  23. 23. <ul><li>Question ários Corlett: desconforto nos membros </li></ul>Cap ítulo 7 Resultados da Pesquisa de Campo
  24. 24. <ul><li>8 - Considera ções Finais </li></ul><ul><li>8.1 - Introdução </li></ul><ul><li>Pesquisa bibliográfica, Histórico das competições, mapa da bicicleta, custos humanos (ergonomia e lesões), métodos utilizados e resultados da pesquisa. </li></ul>Cap ítulo 8 Considerações Finais
  25. 25. <ul><li>8.2 - Conclus ão </li></ul><ul><li>A hipótese se confirmou: p o de-se verificar que as opções de materiais utilizados pelos ciclistas são baseadas principalmente por preço e qualidade geral da peça. </li></ul><ul><li>O valor dado às bermudas, ao selim, e à regulagem da bicicleta não foge muito do que existe na literatura sobre o assunto. </li></ul><ul><li>Também se conseguiu entender o significado de “prova de longa distância” dentro do universo estudado. </li></ul><ul><li> Levantou-se, dentro das principais bermudas encontradas no mercado nacional, quais são as mais utilizadas. </li></ul><ul><li>E por fim, verificou-se, através do questionário Corlett , que existe uma grande carga de custos humanos envolvidos neste esporte. </li></ul>Cap ítulo 8 Considerações Finais
  26. 26. <ul><li>8.3 - Desdobramentos </li></ul><ul><li>A área estudada é ampla, mas a partir deste estudo propõe-se dois desdobramentos: </li></ul><ul><li>As entrevistas mostraram que as bermudas importadas são consideradas melhores do que as nacionais, mas todos os atletas entrevistados utilizavam bermudas nacionais. Esta contradição abre espaço para pesquisas sobre os materiais e os métodos de construção entre as bermudas nacionais e importadas. </li></ul><ul><li>As diferenças no volume de treinamento entre os atletas da categoria Elite em comparação com as outras categorias é significativa. Pesquisas voltadas para uma categoria específica poderiam trazer resultados mais específicos. </li></ul>Cap ítulo 8 Considerações Finais
  27. 27. <ul><li>FIM </li></ul><ul><li>OBRIGADO </li></ul>Cap ítulo 8 Considerações Finais

×