Vlt

897 visualizações

Publicada em

Veículo Leve sobre Trilhos: Impacto Ambiental Acústico em Brasília - DF

Prof. Dr. Armando de Mendonça Maroja e Fabiane Silva Santos – FUP-UnB.

Prof. Dr. Sérgio Luiz Garavelli e Prof. MSc. Edson Benício de Carvalho Júnior – Universidade Católica de Brasília

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
53
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vlt

  1. 1. Armando de Mendonça Maroja Fabiane Silva Santos UnB Planaltina – DF Sérgio Luiz Garavelli Edson Benício de Carvalho Júnior UCB – Brasília – DF Seminário Metropolização e Megaeventos * Trabalho completo aprovado - XXVII ANPET – Congresso de Pesquisa e Ensino em Transportes 11/2013
  2. 2. Distrito Federal - DF Plano Piloto Brasília Veículos >200.000 habitantes >2.000.000 Habitantes 1.500.000 2
  3. 3. Asa Sul 3 W3 SUL
  4. 4. W3 Sul 4
  5. 5. VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)  Transporte de massa adequada para distâncias entre 10 km e 40 km.  É possível posicioná-lo entre o metrô e o bonde elétrico.  Tem baixo impacto ambiental, já que são veículos elétricos. São adaptáveis a qualquer região.  A emissão sonora de um VLT é comparável a de 11 carros, mas tem capacidade de transporte de centenas de pessoas (Leeuwen, 2003). 5
  6. 6. Perspectiva do VLT na Av. W3 SUL 6
  7. 7. VLT e a poluição sonora  O desenvolvimento tecnológico permitiu reduzir a níveis mais aceitáveis os ruídos e vibrações provenientes dos motores elétricos e demais maquinários dos trens (Leeuwen, 2003).  Os Modernos VLT’s são 10 dB mais silenciosos que os da primeira geração (anos 1990-2000)  A maior fonte de ruído dos veículos atuais é o ruído proveniente do atrito entre roda e trilho, que é mais significativo em curvas fechadas (Leeuwen, 2003). 7
  8. 8. VLT 8
  9. 9. VLT na Av. W3  Em várias das sedes da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, como Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Recife e Rio de Janeiro, os projetos de mobilidade urbana incluem a construção de corredores exclusivos para ônibus e Veículos Leves sobre Trilhos (VLT). No caso de Brasília, o VLT faz a ligação entre o Aeroporto Internacional e a região central, onde se localizam a maioria dos hotéis e o Estádio Nacional Mané Garrincha. O futuro trem vai atravessar a cidade na direção norte - sul ao longo do canteiro central da Avenida W3. 9
  10. 10. VLT Brasília 10 A redução do tráfego de veículos na Avenida W3 com a implantação do sistema VLT de Brasília é estimado em 30%. (Estimativa)
  11. 11. Características  A velocidade máxima dos trens será de 70 km/h e a velocidade média de 30 km/h.  Os trens têm comprimento de 44 metros extensíveis até 54 m e 2,65 m de largura.  A estimativa é de 12 mil passageiros por hora/sentido no pico, por dia com a passagem de um trem a cada 4 minutos.  Cada módulo do veículo transporta o equivalente a 50 carros ou 3 ônibus. O metrô leve de Brasília vai transportar assim cerca de 120 mil passageiros por dia, com a perspectiva de retirar passageiros dos ônibus que circulam hoje na avenida W3 sul e diminuir em 30% o fluxo de veículos (estimativa).  A avaliação é restrita ao segundo trecho, que vai do terminal da Asa Sul até a CRS 502 Norte. 11
  12. 12. Objetivo do trabalho  Avaliar o impacto ambiental sonoro com a implantação do VLT no canteiro central da avenida W3 Sul.  Mapas de ruído: a situação atual é comparada com cenários futuros considerando como fontes do ruído ambiental o VLT e o ruído do tráfego de veículos. Foram simulados cenários com a manutenção e redução do tráfego de veículos. 12
  13. 13. Ruído Ambiental  Principal fonte: tráfego veicular (DF: Frota - 7% ao ano)  Ruído x saúde  Distrito Federal a lei Nº 4.092/2008 – Níveis de pressão sonora da NBR 10.151 13
  14. 14. NPS para ambientes externos 14
  15. 15. Mapas de ruído  São uma representação gráfica da distribuição espacial dos níveis de pressão sonora (NPS) em uma região. Nos mapas, os NPS são apresentados na forma de linhas de contorno ou isofônicas, cada linha representando níveis iguais de exposição de ruído. 15
  16. 16. Elaboração do mapa de ruídos  Na confecção dos mapas de ruído utilizou-se o software de simulação ambiental SoundPLAN®.  Construção do modelo digital de terreno da região de estudo sobre uma base cartográfica.  Em seguida, são inseridos os edifícios, casas e conjuntos comerciais com as respectivas alturas em relação ao modelo digital de terreno.  Por fim, são incorporadas ao mapa as linhas de emissão sonora referentes às vias que atravessam a região de interesse, com a distribuição do fluxo de veículos por hora e composição do tráfego veicular característico de cada via, bem como do tráfego dos VLT. Todos esses elementos constituem a base de dados do programa. 16
  17. 17. Elaboração do mapa de Ruídos  Fluxo e composição do tráfego veicular nas vias presentes na região de interesse nas 24 horas do dia.  Dados dos Controladores Eletrônicos de Velocidade, CEV – Detran-DF.  Simulação: - o modelo matemático para emissão e propagação do ruído do tráfego veicular foi o RLS 90 (norma alemã) - para o VLT foi utilizado o modelo alemão de previsão do ruído ferroviário Schall03. - a metodologia para elaboração de mapas de ruído do Instituto do Ambiente (Guedes e Leite, 2007) do Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional de Portugal. 17
  18. 18. Elaboração do mapa de ruídos  Mapa de ruído de grelha - O mapa de ruído de grelha é calculado a partir de uma rede de receptores construída dentro da área de cálculo do mapa. - A partir deste mapa são construídos os mapas de contorno apresentados a seguir. - A grelha utilizada possui uma resolução espacial de 9x9, passo de 5m e altura do cálculo de 2m. - Por exemplo, no mapa da asa sul, a grelha tem 674982 receptores. O valor do NPS é definido a partir do som das fontes propagado até cada um dos receptores. 18
  19. 19. Mapa de Ruído da Asa Sul - Lden 19
  20. 20. Parâmetros acústicos  Na produção dos mapas os parâmetros acústicos de longo prazo são os estipulados na Diretiva Européia 2002/49/EC, LAeq,den. Esses parâmetros são definidos como: 20
  21. 21. Mapa de Ruído da Asa Sul – VLT Lden 21
  22. 22. Mapa de Ruído da Asa Sul – VLT Lnoite 22
  23. 23. Resultados quantitativos da simulação  Medidas de níveis de ruído por meio de receptores localizados em áreas abertas, a mais de 10 m das fachadas de casas e edifícios, nas margens da Avenida W3 SUL, quadra HIGS 703 23
  24. 24. CONSIDERAÇÕES FINAIS  A implantação do VLT na avenida W3 Sul não vai ampliar os NPS na região. Desde que ocorra uma redução do fluxo de veículos da ordem de 30% os níveis de ruído serão reduzidos. A análise quantitativa da situação mostra que a redução não é superior a 2,0 dB, assim as residências localizadas nas margens da via continuam expostas a níveis de pressão sonora acima dos estabelecidos pela legislação vigente.  Hoje o volume do fluxo de veículos já está próximo ao ponto de saturação da Avenida W3 Sul, dados os engarrafamentos observados diariamente em alguns pontos críticos. O trabalho indica que as obras de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014 vão além dos benefícios aos participantes do evento, mas são uma necessidade da população, tanto sob o ponto de vista de controle da poluição ambiental, sonora e do ar, como da mobilidade de boa parte da população do DF que utiliza a avenida no trajeto entre casa e trabalho. 24
  25. 25. Agradecimentos  Os autores agradecem ao CNPq, ao DPP UnB e á Universidade Católica de Brasília pelos recursos financeiros aplicados no financiamento do projeto. Ao Departamento de Trânsito do DF e ao Departamento de Estradas de Rodagem do DF pelos dados relativos ao tráfego veicular. 25

×