Candeia           Boletim Informativo do Grupo de                    Estudos    Espírita “Leon Denis”                     ...
2 Boletim         Informativo        do     Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis”                                   Págin...
3         Boletim         Informativo do Grupo de        Estudos     Espírita     “ Leon Denis”                     Página...
4 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis”                                                   Página 4...
5    Boletim        Informativo do Grupo de Estudos                   Espírita     “Leon Denis”                    Página ...
6    Boletim Informativo do                    Grupo de         Estudos       Espírita “Leon                 Página 6     ...
7Boletim         Informativo do Grupo de Estudos                      Espírita „Leon Denis”                 Página 7      ...
8 Boletim        Informativo do Grupo de Estudos                   Espírita “Leon Denis”                     Página 8     ...
9   Boletim        Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis”                                         Página 9 ...
10      Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis”                                        Página 10    ...
11    Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis”                                                   Pági...
12                                                                                            Página 12Boletim Informativo...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Candeia 16 março/abril

419 visualizações

Publicada em

boletim informativo do geeld

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Candeia 16 março/abril

  1. 1. Candeia Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 NESTA EDIÇÃO: JESUS PARA O HOMEM- OS FENÔMENOS ESPÍRITAS 02PELO MUNDO De governador do mundo a servo- SOBRE OS MÉDIUNS 03 de todos...- O INFERNO E OS DEMÔNIOS 04 De credor magnânimo a escravo...- QUESTÃO DE FÉ 05 De benfeitor a perseguido... De salvador a desamparado...- PSICOLOGIA E ESPIRITISMO— 06NOÇÃO DO INCONSCIENTE De emissário do amor a vítima- SUBDESENVOLVIMENTO ESPI- 07 do ódio...RITUAL De redentor dos séculos a prisio-- CHICO XAVIER POR ELE MES- 08 neiro das sombras...MO De celeste pastor à ovelha opri-- A SOCIEDADE É O QUE DELA 09FIZEMOS... E SERÁ O QUE DELA mida...FIZERMOS...- ACRETITA EM ALAH E AMAR- ―E achado em forma como ho- De poderoso trono à cruz doRA BEM O TEU CAMELO mem, humilhou-se a si mesmo, sen- martírio...- EVANGELIZAÇÃO DA INFÂN- 10 do obediente até à morte de cruz‖. Do verbo santificante ao angustia-CIA –Paulo. (Filipenses, 2:8.) do silêncio... De advogado das criaturas a réu O- NEM O MENDIGO 11 sem defesa... Dos braços dos amigos ao encon- INTERESSES ESPECIAIS tro de ladrões...-OS FENÔMENOS ESPÍRITAS PELO Mestre desceu para servir, De doador da vida eterna a sen-MUNDO:- Muita gente “boa”, por aí, tenciado no vale da morte...imagina que os fatos espíritas são ocor- Do esplendor à escuridão...rências específicas de nosso país! Da alvorada eterna à noite plena... Humilhou-se e apagou-se para Das estrelas à manjedoura... que o homem se eleve e brilhe- SOBRE OS MÉDIUNS:- Ninguém para sempre!pode ser médium perfeito se estiver Do infinito à limitação...obsedado. Da glória à carpintaria... Oh! Senhor, que não fizestes por Da grandeza à abnegação... nós, a fim de aprendermos o ca--O INFERNO E OS DEMÔNIOS:- minho da Gloriosa RessurreiçãoO Espiritismo trás para a humanidade Da divindade dos anjos à miséria dosum ensinamento proporcional às suas homens... no Reino?necessidades. Da companhia de gênios sublimes à Pão Nosso FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER convivência dos pecadores... PELO ESPÍRITO EMMANUEL- PSICOLOGIA E ESPIRITISMO-NOÇÃO DO INCONSCIENTE:-A vida intelectual inconsciente consti-tui a base do nosso espírito. LIVRARIA ―LÉON DENIS‖ - NOVOS LANÇAMENTOS- É QUESTÃO DE FÉ:- A fé, positiva-mente, é a mais difícil das virtudes,porque implica na aceitaçãode cada momento vivido, na dor ou naalegria. - A SOCIEDADE É O QUE DELAFIZEMOS... E SERÁ O QUE DELAFIZERMOS...Será que não somos, pelomenos parcialmente, responsáveis pelosacontecimentos à nossa volta?
  2. 2. 2 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 2 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 OS FENÔMENOS ESPÍRITAS PELO MUNDO AmenAmamalachbjaniatteesmibparde- sa. (Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso - palavras que Jesus teria dirigido ao bom ladrão). Certa ocasião, em que diversos orientalistas emi- nentes a cercavam, a estigmatizada ouviu de novo as pala- vras pronunciadas pelo Mestre na cruz, entre elas a excla- mação: As-che! (Tenho sede!). Concordes, todos aqueles orientalistas declararam que teria enunciado esse pensa- mento por meio da palavra SACNENA. "Ora, do ponto de vista teórico", - elucida o Prof. Ernesto Bozzano - "é alta-M mente sugestiva esta substituição de palavras, uma vez que ninguém a tinha em mente.”. Mas, de onde teria ela tirado a inesperada e cor- uita gente “boa”, por aí, imagina que os reta palavra: AS-CHE? Os orientalistas não chegaram, afatos espíritas são ocorrências específicas de nosso país! respeito, a conclusão alguma.E quando o assunto é “mediunidade”, uma parte conside-rável de “espíritas” brasileiros só conhece o nome do Em outra ocasião, estando a seu lado o Dr. Wutz,querido médium Francisco Cândido Xavier sendo, ainda, notável orientalista, a registrar as palavras que ia proferin-incapazes de mencionar algumas das características medi- do, ouviu-a pronunciar uma frase arameia que não lheúnicas peculiares desse grande companheiro da seara pareceu correta. Observou, então, à estigmatizada:Espírita. "Teresa isto não é possível. As palavras que disseste não são aramaico." Respondeu ela: "Repeti as palavras que medisse-Por essa razão vamos trazer, a partir desta edição, o re- ram. " Perplexo e duvidoso, regressando a casa, apressou-lato desses fatos ocorridos pelo mundo afora (e incluin- se em consultar documentos aramaicos; e, num dos maisdo no Brasil) para que possamos melhor conhecer sobre antigos dicionários desse idioma deparou com uma frasea questão da manifestação daqueles que já viveram na idêntica à que a jovem pronunciara. Teresa Neumann, naTerra, através de tantos outros companheiros que, mui- verdade, falava o mais puro e autêntico aramaico, fato quetas vezes, nem mesmo militam o espiritismo! seria ratificado por esse Prof. de Teologia semítica na Uni-Para iniciarmos vamos trazer um relato sobre a médium versidade de Yale.(católica) TEREZA NEUMANN.Teresa nasceu numa Sex- Finalmente, o Prof. Ernesto Bozzano levanta ata-Feira da paixão em 1898 no norte da Bavária. Aos 20 seguinte questão: “admitindo-se que Teresa Neumann seanos ela sofreu um acidente que a deixou cega e paralíti- achasse realmente em comunicação como Mundo Espiri-ca. Em 1923 ficou curada e desde então Teresa nunca tual, quem era a entidade que lhe transmitia, em línguamais se alimentou ou tomou líquidos, exceto um pouco aramaica, as frases da “Paixão de Jesus”?". A vidente per-de água por dia.Teresa Neumann (a estigmatizada de cebia junto dela Santa Te- resa, isto é, a santa cujo nomeKonnersreuth) era filha de um alfaiate de Konnersreuth. lhe fora dado; mas, as palavras em aramaico, que eram, de Veja aqui algumas das frases ou palavras que a sua parte, repetidas foneticamente, ela as aprendia porestigmatizada pronunciava durante as crises que sofria: Clariaudiência, e não se sabe se declarou, alguma vez, que era a entidade que lhe as transmitia. - Salabu(crucificado) O certo é que muitos dos que estudaram, de per- - Jebudaje(Judeu) to, o fenômeno retiram-se convencidos de que a estigma- - Schlamaraboni (Eu te saúdo mestre). tizada se achava em comunicação com uma personagem (Estas palavras Judas as proferiu no jardim das que não só viveu ao tempo de Jesus, como foi testemunha Oliveiras.) ocular de sua Paixão. - Magerabaísebuajannaba; Jannabamagera- Teresa partiu em 1962. No livro de Paola Giovet- baísebua(segundo Teresa Neumann teria sido tis“Theresa Neumann”, a vida de Tereza é detalhadamente estas palavras que os Apóstolos proferiram quan- revelada para quem queira saber mais. do Jesus foi traído). - Abba Shabock lá hon(Pai perdoa-lhes - JOSÉ ALVAREZ RIVERA palavras ditas pelo Cristo, na cruz.). “Se alguém tem sede, que venha a mim e beba. Porque quem crê em mim, do seu interior fluirão rios de águaviva.” “Não precisava que alguém o informasse a respeito dos homens, pois sabia muito bem o que havia no coraçãode cada um”. JESUS
  3. 3. 3 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “ Leon Denis” Página 3 3 Página ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 SOBRE OS MÉDIUNS ERASTO - (discípulo de São Paulo) R pode receber, e que, por outro lado, estão submetidos a práticas de natureza supersticiosa, encontram-se inega- velmente sob uma obsessão bem caracterizada, sobretu- epelí impiedosamen- do quando o Espírito dominador se vangloria de um no- te todos esses Espíritos que se me que todos, Espíritos e encarnados, devem honrar e querem fazer conselheiros exclu- respeitar e não deixar que o profanem a qualquer pro- sivos, pregando a divisão e o iso- pósito. lamento. São quase sempre Espí- É incontestável que, submetendo ao crivo da razão e ritos vaidosos e medíocres, que da lógica todas as informações e comunicações dos Espí- procuram impor-se aos homens ritos, será fácil repelir o absurdo e o erro. Um médiumfracos e crédulos, prodigalizando-lhes louvores exage- pode estar fascinado, um grupo enganado, mas o contro-rados a fim de fasciná-los e mantê-los sob seu domínio. le severo de outros grupos, o conhecimento adquirido eSão geralmente Espíritos famintos de poder. Tiranos a alta autoridade moral dos dirigentes, junto às comuni-políticos ou particulares quando vivos, querem ainda cações dos principais médiuns que recebem, com lógicatiranizar outras vítimas após a morte. Desconfiai em e autenticidade reconhecidas, de Espíritos esclarecidos,geral das comunicações que revelam um caráter místico farão rapidamente justiça a esses ditados mentirosos ee estranho ou que prescrevem cerimônias e práticas astuciosos de uma turba de Espíritos mentirosos e malé-bizarras. Há sempre, nesses casos, legítimo motivo de volos.suspeita. OBS: Um dos caracteres distintos desses Espíritos que De outro lado, lembrai-vos de que quando uma ver- querem impor-se, fazendo aceitar suas idéias bizarras e siste-dade deve ser revelada á humanidade ela é comunicada, máticas, é a pretensão, como se fossem eles os únicos a sa-por assim dizer instantaneamente a todos os grupos berem, a ter razão contra todo mundo. Sua tática é a desérios, que possuem médiuns sérios, e não a este ou evitar a discussão. Quando se vêem combatidos de maneiraàquele em particular, com exclusão dos demais. vitoriosa pelos argumentos irresistíveis da lógica, recusam-se Ninguém pode ser médium perfeito se estiver obse- desdenhosamente a responder e determinam aos seus mé-dado e a obsessão é evidente quando um médium só diuns que se afastem dos Centros onde suas idéias não sãorecebe comunicações de determinado Espírito, por aceitas. Esse isolamento é o que há de mais fatal para osmais alto que este procure se colocar a si mesmo. médiuns, porque sofrem sem defesa o jugo desses Espíritos Em conseqüência, todo médium, todo grupo que obsessores, que os levam como cegos, frequentemente, pelosse acredita privilegiado por comunicações que só ele caminhos mais perigosos. ALLAN KARDEC – O LIVRO DOS MÉDIUNS INICIAÇÃO ESPIRITUAL C onta-se que Gandhi foi procurado, numa - É aprendendo a servir de boa-vontade que entra- de suas comunidades, por dois homens mos nos domínios da espiritualização. que desejavam fazer sua iniciação espiri- O episódio tem algo em comum com outro descrito tual. Ambos estavam entusiasmados com pelo Espírito André Luiz, no livro “Nosso Lar”, psicogra-a oportunidade de conviver com o grande líder hindu, fia de Francisco Cândido Xavier.conscientes de que receberiam preciosas orientações. .x.x.x.x.x. O Mahatma recebeu-os de bom grado e, tão logo -Mantenha a serenidade, considerando que a vida podese instalaram, pediu-lhes que tomassem das vassouras e nos oferecer experiências difíceis, mas sempre compatíveisvarressem o chão. Depois que descascassem batatas, com nossas necessidades evolutivas. Nenhum obsessor produ-cortassem verduras e rachassem lenha para o fogão. zirá tempestades em nosso íntimo se evitarmos nuvens som- À tarde encaminhou-os à limpeza das fossas nas brias de irritação ou desalento.aldeias vizinhas. Os dois iniciantes dos valores espiritu- -Não maldiga nem verbere a ação dos agressores espiritu-ais passaram o resto do dia desinfetando instalações ais, quando sob seu assédio. Ser-lhes-á impossível agredirsanitárias com água e creolina. indefinidamente alguém capaz de compreender e revelar. Ao anoitecer, foram convidados à meditação. -Empenhe-se por disciplinar seus pensamentos e impulsos. No dia seguinte, a mesma rotina. Se o obsessor não se afasta, podemos nos afastar dele com a No terceiro dia, um deles, aproximando-se de elevação de nosso padrão vibratório, cultivando o equilíbrio.Gandhi, perguntou: - Mestre, quando começa nossa iniciação? Uma Razão Para Viver - Richard Simonetti - Já começou... - Como assim?
  4. 4. 4 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 4 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 O INFERNO E OS DEMÔNIOS LÉON DENIS - Depois da Morte riores equivale a apenas vislumbrar tratam, geralmente, de assuntos vulga- o mal da humanidade. Os ensinos res, sem valor moral. Os espíritos le- dos Espíritos clarearam o caminho vianos ou inferiores abandonam-se, de da vida, resolveram os obscuros preferência, às manifestações físicas. problemas do futuro, fortificaram a O Espiritismo trás para a huma- fé vacilante, restabeleceram a justiça nidade um ensinamento proporcional nas suas bases inabaláveis. Graças a às suas necessidades. Vem restabele- eles, uma multidão de incrédulos e cer na sua pureza primitiva, explicar, de ateus restabeleceram a crença completar a doutrina do Evangelho,A em Deus e na arrancá-la do poiando-se nos casos de imortalidade; ho- ―A religião cristã alterou-se com o espírito de obsessão, nas manifesta- mens ignorantes e passar das idades, e, hoje, não e- esp ec ul aç ão, ções ruidosas dos espíri- viciosos retorna- xerce mais senão uma ação enfra- dos interesses tos levianos e zombetei- ram ao bem e à quecida, insuficiente, sobre os cos- de casta, de-ros, a Igreja acreditou dever atribuir verdade. É esta a tumes e os caracteres. Ora, a tare- volver-lhe seuaos demônios todos os fenômenos obra do demônio, fa devoluta ao Cristianismo, o Espi- papel verdadei-do Espiritismo e condená-los como e Satã, se existis-inúteis ou perigosos. Antes de rejei- ritismo acaba de retomá-la e a per- ro e sua influ- se, seria bastante ência sobre astar essa interpretação, convém, pri- segue.‖ cego para traba- almas.meiro, lembrar que o catolicismo lhar em detrimento dos seus inte- A religião cristã alterou-se com oacolheu da mesma forma todas as resses? passar das idades, e, hoje, não exercefraudes descobertas, todos os pro- Basta alguma sagacidade para mais senão uma ação enfraquecida,gressos consideráveis que marca- distinguir a natureza dos espíritos e insuficiente, sobre os costumes e osram as etapas da história. Não há separar, as nossas relações com e- caracteres. Ora, a tarefa devoluta aoquase conquistas científicas que não les, a parte do que deve ser rejeita- Cristianismo, o Espiritismo acaba detenham sido consideradas como do ou conservado. Jesus disse: retomá-la e a persegue. É aos espíritosobras diabólicas. “Reconhece-se a árvore pelos fru- invisíveis que cabe a missão de resta- O mundo invisível, dissemos, é tos!” A linguagem e as instruções belecer todas as coisas, de penetrara réplica da humanidade. Os espíri- dos espíritos elevados são sempre nos meios mais humildes como nostos são apenas as almas mais ou impregnadas de dignidade, de sabe- mais orgulhosos, e, em multidão inu-menos perfeitas, dos homens de- doria e de caridade. Não visam se- merável, trabalhar na regeneração dassencarnados, e nossas relações com não o progresso moral do homem e sociedades humanas. A teoria dos de-eles devem ser reguladas com tanta desinteressam-se do que é material. mônios e do inferno eterno não podereserva e prudência quanto nossas As comunicações dos espíritos ser mais invocada por nenhum ho-relações com nossos semelhantes. inferiores pecam pelos defeitos con- mem sensato. Satã é apenas um mito. Não ver no Espiritismo senão trários. Formigam de contradições e Nenhuma criatura é votada eterna-as manifestações dos espíritos infe- mente ao mal. PENSE NISSO . . . A vida física é uma A felicidade eterna é realização superior fora dos qua- escola abençoada, é dros transitórios da carne, é incontestável; contudo, se insofismável; mas, se você deseja perseverar no campo dos prazeres fáceis e voce não se apro- inferiores das esferas mais baixas, dentro delas permane- veitar dela a fim de aprender cerá, indefinidamente. suficientemente as lições que se destinam a seu engrandeci- Deus está conosco, em todas as circunstâncias, é ver- mento espiritual, em nada lhe dade indiscutível; todavia, se você não estiver com Deus, valerá o ingresso no aprendi- ninguém pode prever até onde descerá seu espírito, nos zado humano. domínios da intranqüilidade e da sombra. O caminho do bem é laborioso e difícil, não pade-ce dúvida; no entanto, se você não se dispuser a segui- CHICO XAVIER - ANDRÉ LUIZlo, ninguém o livrará da perigosa influência do mal.
  5. 5. 5 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 5 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 É QUESTÃO DE FÉ Seu objetivo é consolar em mais do que isso, libertar o ho- mem. A fé, positivamente, é a mais Não basta ver, é necessário, ―A resistência do incrédulo, difícil das virtudes, porque im- sobretudo, compreender‖, diz aindaconvenhamos, quase sempre plica na aceitação de cada o Evangelhose deve menos a ele do que à momento vivido, na dor ou na ale- A Doutrina Espírita émaneira pela qual lhe apre- gria. Guia-se pela certeza de que o esclarecedora e não se interessasentam as coisas. Pai é o supremo comandante dos em manter o seguidor na ignorância,―O Evangelho Segundo o Espiritismo‖ acontecimentos. Caridade já faze- pois não deseja lucros. mos e se ainda não damos de nós, Seu objetivo é consolar em mais já damos do nosso, com alguma do que isso, libertar o homem. generosidade. A fé, porém, que Libertá-lo não do pecado, do cas- afirmamos ter, tigo divino ou das o- quase não se vê em nossas ati- ―A tarefa do Espiri- pressõese sociais, passa- geiras necessárias, tudes. tismo é importante e mas de si mesmo, sem Ainda con- sua execução é da res- dúvida o seu maior fundimos fé inimigo. Isso só será com adoração ponsabilidade dos es- conseguido através do e com o co- píritas. Quem aceitar a conhecimento. mércio que É preciso cuidado. A tentamos esta- tarefa comece a agir, doutrina veio para ocu-O Cap XIX). alerta da espirituali- belecer com mas cuidando de man- par o lugar deixado Deus, para que pelos cristãos imprevi- dade nos itens 6 e 7 nos livre das ter a indispensável pu- dentes, que transfor- do capítulo acima, é dificuldades. reza doutrinária.‖ maram a pureza das dirigido às religiões A propos- lições de Jesus em teo-que não o Espiritismo. ta de fé do Espiritismo se baseia na rias complicadas demais para que to- A lição data de l864, lançamen- razão e não pede facilidades, mas dos pudéssemos entender.to do livro Imitação do Evange- justiça; não espera anistia das faltas, Não nos envolvamos pela vaidade.lho, atual O Evangelho Segundo o mas força para corrigi-las; não pe- Jesus quis fazer da Palestina o berçoEspiritismo, quando a fé se reduzia de a cura da doença, mas reequilí- do cristianismo. Os homens não Oaos dogmas da época. Essa fé foi brio para que o espírito seja o mé- compreenderam e o programa tevedefinida pelos espíritos como ce- dico do corpo. A fé tem certeza de ser adiado por quase vinte séculos.ga, pois não era resultante da ra- que o Dono do Universo tudo sa- Foi reiniciado na Terra do Cruzei-zão e fazia com que o praticante be e tudo pode. Que Ele nos deixa ro , o Coração do Mundo, mas preci-de uma religião seguisse as orien- com a carga da cruz para que a sa da nossa colaboração para que sejatações de forma totalmente irra- levemos até o fim e nos livremos sedimentada aqui a Pátria do Evange-cional. do fardo, em definitivo. lho. Se buscarmos soluções banais, O que víamos, então, era Neste momento de invenções, mágicas e vazias para resolver cadauma obediência fanática acompa- confusões e personificações, pelas problema, mais uma vez a planificaçãonhada de grande inconformação dificuldades da maioria surgem cen- do Cristo será adiada.com a própria vida. Tudo era feito tenas de salvadores, alguns dentro A tarefa do Espiritismo é impor-para fugir do castigo divino. A o- da própria Casa Espírita. São os tante e sua execução é da responsabi-ração era mecânica, sem que a novidadeiros e o simples está lidade dos espíritas. Quem aceitar aprece saísse do coração. Repetía- perdendo a vez. Estão inovando, tarefa comece a agir, mas cuidandomos palavras cujos significados sofisticando e incrementando o de manter a indispensável purezadesconhecíamos, em vezes pré Espiritismo, para que, seguindo o doutrinária.estabelecidas, como num ritual. modismo atual, também seja mo-Cumprida essa parte, cada um dernizado.ficava quites com Deus. ―A fé se baseia na perfeita Correio Fraterno do ABC Passados aproximadamente compreensão daquilo que se de- PONTOS DE VISTA150 anos e o alerta se volta agora Octávio Caúmo Serrano ve crêr.também para os espíritas. VISITE NOSSO SITE: www.geeld.blogspot.com FALE CONOSCO:- geeld@yahoo.com.br
  6. 6. 6 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Página 6 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 PSICOLOGIA & ESPIRITISMO - NOÇÃO DO INCONSCIENTE CARLOS TOLEDO RIZZINIÉ de máxima importância destacar que a usual ativi-dade mental, da qual temos plena noção, está longe deexpressar tudo quanto existe no espírito. O contrário é a uma influência preponderante, visto que é a ori- gem da enfermidade do indivíduo.‖ A idéia fixa pode-se revelar durante os “ataques, sonhos, sonam- bulismos, ou pelos atos subconscientes ou pelos sub- conscientes e as escritas automáticas”. Aí está o em-verdade. Sabe-se que há um amplo nível composto de brião da Psicanálise. Em 1895, Delanne (‖A evoluçãoconteúdos e processos inconscientes, independentes da Anímica‖) refere-se muito mais ao inconsciente. Emconsciência pessoal, e cuja influência sobre esta é podero- uma primeira passagem, declara que a ― vida intelec-sa. Assim, o espírito humano possui mais de um núcleo tual inconsciente constitui a base do nosso espíri-de funcionamento (veja André Luiz, ―No mundo Mai- to‖. Depois admite que haja registro inconsciente deor‖). percepções não assinaladas pelo consciente, das quais Na porção final do século passado falou-se bastante ―possível será encontrar o vestígio mediante unse claramente sobre inconsciente ou subconsciente. Con- tantos processos.‖ Julga que durante a aprendizagemvém, por razões consistentes, demonstrar que o Espiritis- de um idioma, as palavras, decoradas de início, pas-mo, antes delas, reconhecera a importância do conheci- sam ao inconsciente, como quaisquer outras noções,mento dos fatos relativos à parte inconsciente da mente, e o seu uso torna-se ―operação automática‖. Umpondo-se também nessa questão, de acordo com a Ciên- dos subcapítulos do citado livro intitula-se O Incons-cia – antecipando-a até. ciente Psíquico e nele Delanne explica que tudo o Em 1883, Gabriel Dellane (O Espiritismo perante que fazemos e aprendemos fica gravado na área in-a Ciência), tratando da sugestão de realização pós- consciente deixando lugar para novas noções e crian-hipnótica, postula a extrema necessidade de investigar-se do vasto acervo de elementos mentais. Comenta: ―Éacuradamente a zona mental dita inconsciente. Por essa a esse tesouro que denominamos – o inconscien-época, a existência de conteúdos e processos psíquicos te. Tem, portanto, o espírito o seu armazém dealheios à consciência estava bem averiguada. Psiquiatras e idéias e sensações.‖ Indica a existência do pré-psicólogos franceses e ingleses pesquisavam ativamente, consciente ao referir o material que pode voltar aoem doentes e sãos, fenômenos ligados ao hipnotismo. consciente por um certo esforço. Tratando da me-Pierre Janet, por exemplo, pensava que as idéias fixas, no mória, esclarece: ―nós pudemos constatar a obriga-geral ignoradas pelos doentes, eram a causa das perturba- ção indeclinável de admitir o inconsciente, isto é,ções mentais: ―essa idéia fica fora da consciência as lembranças não mais percebidas pelo eu nor-normal e, entretanto, não exerce menos, por isso, mal e que, no entanto subsistem‖. Parte do capítulo – NOÇÃO DO INCONSCIENTE ESCOLHA DAS PROVASQUESTÃO 258:- QUANDO NO ESTADO ERRANTE E ANTES DE SE REENCARNAR, O ESPÍRITO TEMA CONSCIÊNCIA E A PREVISÃO DAS COISAS QUE LHE SUCEDERÃO DURANTE A VIDA? E Dando ao Espírito a liberdade de escolha,deixa-lhe toda a responsabilidade de seus atos e suas conse- quências, de maneira que nada entrava o seu futuro; le próprio escolhe o gênero de o caminho do bem; como o do mal, lhe está aberto. provas que quer suportar e é isso que Se sucumbe , resta-lhe a consolação de que nem tu- consiste o seu livre arbítrio. do se acabou para ele; Deus, na bondade, lhe dá a -NÃO É DEUS QUE LHE IMPÕE, oportunidade de recomeçar o que foi mal feito. É ENTÃO, AS TRIBULAÇÕES DA VIDA necessário, aliás, distinguir o que é obra da vontade COMO CASTIGO? de Deus do que é da vontade do homem.Se um peri- -Nada ocorre sem a permissão de Deus, pois é Ele go vos ameaça, não fostes vós que criastes, mas Deus;quem estabelece todas as lei que regem o Universo. contudo, pela própria vontade, a ele vos expondes Perguntai , então, por que fez tal lei ao invés de ou- porque vedes um meio de adiantar-vos e Deus per-tra. mitiu.
  7. 7. 7Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita „Leon Denis” Página 7 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 SUBDESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL dade no trabalho do bem de todos, mas detentores de ―Ora, quanto ao que está enfermo na fé, escassos recursos no campo do sentimento para supor-recebei-o não em contenda de disputa.‖ – tarem, com êxito, as crises das épocas de mudanças.(Romanos,14:1.) ... Q Esse encontrou diferenças de conduta nos des- cendentes fascinados pelas experiências passageiras de equipes sociais em transição e se marginalizou nas mo- uando a palavra subde- léstias da inconformidade; aquele traumatizou-se com senvolvimento toma lugar na de- as provações coletivas em que grupos vários de pessoas signação de grupos humanos me- se viram defrontadas pela desencarnação em conjunto e nos dotados de mais amplo recur- se refugiou nas instituições de repouso e tratamento sos, na ordem material da vida mental; outro observou criaturas queridas a se desgar- terrestre, não será impróprio refe- rarem do lar, para se realizarem livremente nos ideais rir- nos à outra espécie de carên- próprios, e transformou-se em doente complexo; e cia – a carência de valores do espí- outros muitos viram a morte dos entes mais caros, ar- rito. rancados ao corpo nas engrenagens da própria civiliza- Isso nos induz a reconhecer a existência de uma ção e mergulharam-se na dor que acreditam sem con-retaguarda enorme de criaturas empobrecidas de espe- solo.rança e coragem, não obstante quase toda ela constituí- Se podes enxergar os conflitos impostos ao mun-da de companheiros com destaque merecido na cultura do pelo materialismo que vem desfibrando o ânimo dee na prosperidade da Terra. tantas criaturas, enternece-te com os sofrimentos de Abastece-te de suficiente amor para compreendê- quantos se encontram nas faixas do subdesenvolvimen-los a auxiliá-los. to espiritual e trabalhemos nas novas construções de São amigos chamados a caminhar nas frentes da fé.evolução, com áreas enormes de influência e possibili- CEIFA DE LUZ – XICO XAVIER – ESPÍRITO EMMANUEL.
  8. 8. 8 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 8 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 CHICO XAVIER POR ELE MESMO “Sei o que devo ser e ainda não sou, mas -O magistrado dá a sentença, mas quem a rendo graças a Deus por executa é o carcereiro. estar trabalhando, em- -Tem muita gente que é meio boa e meio bora lentamente por ruim. Gregório, do livro “Libertação”, era um juiz dentro de mim próprio, cruel, mas olhava para André Luiz com alguma bon- para chegar, um dia, a dade nos olhos. ser o que devo ser‖. -A verdade é um veneno. Nem Cristo quis defini-la.A s frases a seguir foram ouvidas em diver- - Toda vez que involuntariamente passei na sas circunstâncias e muitas delas em frente dos Espíritos, eles me deixaram falando sozi- épocas recuadas. Quando possível o re- nho. gistro imediato, anotava mentalmente e, -A culpa só se resolve com amor e trabalho.ao chegar em casa, passava-as para o papel. -Os Espíritos amigos nos ajudam. Quando -Não cortes onde possas desatar. nos veem em apuros estendem a ajuda. Nunca pedi -Em casa que muito cresce, o amor desapa- socorro aos Amigos Espirituais que eles não me am-rece. parassem. -No Centro Espírita, temos o Espiritismo -O amor verdadeiro é ter e não possuir.prático e, fora dele, as pessoas estão procurando -Quem ama verdadeiramente quer a felicida-em nós o Espiritismo praticado. de da pessoa querida. -Existem dois tipos de renúncia: a renúncia -O amor é uma força tão intensa que, se nãoprodutiva que gera o bem para os outros, e a re- fosse controlada, seria avassaladora.núncia vazia. O Criador controla essa força comparti- -O amor tem várias gradações. A mais alta mentando-a em amor de mãe, de pai, de esposa,delas é amar sem possuir. esposo, filhos, irmãos e amigos. -Em portas que muitos batem, alguém sem- KARDEC PROSSEGUE –ADELINO DA SILVEIRApre sai chorando. CENTRO ESPÍRITAE m uma época em que a necessidade do estudo exercício, a fazer o exercício consciente do seu livre torna-se cada vez mais importante no proces- -arbítrio‖. Para isso, continua, é necessário ao Centro so de transformação da criatura humana, é Espírita se instrumentalizar para operar como uni- preciso enxergar o homem como um ser inte- versidades abertas ao povo, preenchendo o espaçogral, dotado de espírito e matéria. Para tanto, o Cen- vazio na educação continuada. Por outro lado, astro Espírita, como escola das almas, pode contribuir universidades precisam incluir em seus currículos osobremaneira para a concretização deste princípio. É conteúdo espiritista para que os estudantes, muni-no Centro Espírita que aprendemos o verdadeiro sen- dos de uma visão mais abrangente, possam evitartido das coisas. É nele que descerramos o véu da igno- armadilhas da ignorância sobre as leis naturais atérância que cobre nosso entendimento acerca das ver- então não estudadas em nossos currículos materia-dades espirituais. Mas, diferentemente das escolas con- listas e agnósticos‖.vencionais, nele também encontramos a oportunidade Allan Kardec, em Obras Póstumas, no capítulo Pro-do trabalho redentor, onde podemos colocar em práti- jeto – 1868, já destacava a necessidade do estudo quan-ca os acontecimentos adquiridos. do afirma que ―um curso regular de Espiritismo seria No artigo O Centro Espírita como universidade professado com o fim de desenvolver os princípiosaberta, o autor destaca: “É neste deserto de respos- da Ciência e de difundir o gosto pelos estudos sé-tas coerentes, durante o longo período que as pes- rios‖, contribuindo assim o Centro Espírita para quesoas se ausentam dos bancos escolares, que o cada um de nós alcancemos com prontidão o papel deCentro Espírita do século XXI deve se consti- agentes da transformação interior que esperamos ver notuir como universidade aberta e permitir que ca- mundo em que vivemos.da interessado participe do debate, do estudo, do RIE 2008
  9. 9. 9 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 9 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 A SOCIEDADE é o que dela FIZEMOS . . . E será ACREDITA EM ALAH E o que dela FIZERMOS... AMARRA BEM TEU morais coexistam pacificamente CAMELO numa sociedade em que a con- quista de vantagens é o que im- porta, sejam elas lícitas ou não, tenham alguém sido ou não pre- judicado. Nenhum valor moral pode subsistir em meio a determinação de que o sucesso acima de tudoS entados à frente da TV, assis- é lei. timos aos noticiários que nos É fundamental entendermos falam de um mundo repleto que, quando o importante é o de violência, corrupção, imo- que parecemos ser, o que osten- Cralidades, inversão de valores. tamos e adquirimos, então passa- Parece-nos que, nesta socieda- mos a valorizar a matéria, sobre-de, já não mais importa o amanhã, pujando a nossa verdadeira essên-somente o hoje merece nosso cui- cia, a espiritual, deixando assim os instintos serem o guia de nossa erta vez, crentes vieramdado e atenção. existência terrena. em grande número a fim de escutar Mas, quando nos inquirimos emnossos raros momentos de reflexão, A mudança, a reforma, a as palavras do profeta Maomé. Umalgo nos incomoda; sentimos o vazio transformação íntima, é o ponto homem escutou de maneira especial-resultante de nossa indiferença: de partida para alcançarmos uma mente atenta e devotada, orou com Será que não somos, pelo me- nova fase em nossa existência. fé e fervor, finalmente, deixou a pre-nos parcialmente, responsáveis pelos Mas, tememos a mudança porque sença do profeta quando a noite caia.acontecimentos à nossa volta? sabemos que para que ela se dê, é Mal havia saído, quando voltou cor- Como conseguiremos mudar necessário romper com os ciclos rendo e gritou com voz trêmula:nossa inerte insatisfação? viciosos, com os quais muitas ve- -Ó, meu senhor! Essa manhã A par disso, recordemos as zes nos satisfazemos. Tememos o montei meu camelo para poder tecolocações do Codificador, contidas rompimento com o passado, por medo de perdermos o contato escutar, ó profeta de Alah. Agorano “Credo Espírita”, em Obras Pós- com a nossa identidade histórica; meu camelo se foi, por toda redonde-tumas: ―O progresso geral é a resul- e mais, porque nos intimida a idéi- za não há um camelo que se possatante de todos os progressos indi- a de darmos fim aos relaciona- avistar. Fui obediente a ti, atendi to-viduais; mas, o progresso individu- mentos que consideramos neces- das as tuas palavras e confiei no po-al não consiste apenas no desen- sários para a nossa existência. der de Alah. Agora, ó senhor, meuvolvimento da inteligência, na Apesar destes obstáculos, é camelo se foi, acaso é essa a justiçaaquisição de alguns conhecimen- preciso perseverar com coragem divina? Será essa a recompensa portos. Nisso mais não há do que u- e convicção em busca de novas minha fé? É esse o agradecimento porma parte do progresso, que não luzes em nossas vidas, iluminando minhas orações?conduz necessariamente ao bem, não somente a nós, mas, princi- Maomé escutou essas palavraspois que há homens que usam o palmente, aos nossos tutelados que necessitam de orientação desesperadas e respondeu com ummal do seu saber. O progresso moral em meio a um mundo re- sorriso amigo:consiste, sobretudo, no melhora-mento moral, na depuração do pleto de atrativos materialistas e -Acredita em Alah, e amarraEspírito, na extirpação dos maus auto destrutivos. bem teu camelo.germes que em nós existem. Esse Somente assim poderemoso verdadeiro progresso, o único ambicionar merecer uma existên- Obs:- Peça a Deus proteção eque pode garantir a felicidade cia mais harmoniosa, em um mun- ajuda em tuas tarefas, mas nãoao gênero Humano por ser o o- do regenerado, acompanhados esqueças de cumprir o que é tuaposto mesmo do mal. [...]‖ por aqueles que amamos e que obrigação. Pelo que se conclui a revisão compartilham de nossas experi-de valores é a única resposta viável. ências evolutivas. ALÉM DO HORIZONTE LICURGO SOARES DE LACERDA FILHO Não é possível que valores REFORMADOR 2011
  10. 10. 10 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 10 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 EVANGELIZAÇÃO DA INFÂNCIA ―Aquele, porém, pelo coração, pela educação do Candeia que recebe a semente em boa terra é o que escuta a sentimento. O Evangelho e o trabalho palavra, que lhe presta aten- incessante pela renovação do ção e em quem ela produz homem interior devem constituir a nossa causa comum[...]. frutos, dando cem ou sessen- Ora, a infância é a fase mais Av Emb.PEDRO DE TOLEDO,382 ta, ou trinta por profícua para motivar o desabro- Jd. AGUAPEÚ um .‖ (Mateus, 13:23.) char das capacidades e aptidões 11730-000 MONGAGUÁ -SP A dos indivíduos favorecendo a sua passagem em desta- evangelização. Sobre essa asser- que, cont ida na ção, os Espíritos superiores afir- Tel: (013) 3448- 3218 (013) 9629-9317 www.geeld.blosgspot.com ―Parábola do Semea- mam: geeld@yahoo.com.br dor‖, se expressa na Encarnando, com o objetivo ação da evangelização espírita de aperfeiçoar o Espírito durante infanto-juvenil, no seu sentido esse período, é mais acessível às amplo: semeiam os evangelizado- impressões que recebe, capazes GRUPO DE ESTUDOS res quando trabalham em benefí- de lhe auxiliarem o adiantamen- ESPÍRITA cio da divulgação do Espiritismo; to, para o que devem contribuir “LÉON DENIS” semeiam as crianças e os jovens, os incumbidos de educá-lo. ao serem evangelizados, na busca E concluem, em outra ques- da segurança moral e do amor, tão de O Livro dos Espíritos: CONHEÇA O ESPIRITISMO, ESTUDE O ESPIRITISMO, COMPREENDA O indispensáveis à felicidade do ser; [...]Os Espíritos só entram ESPIRITISMO, VIVENCIE O semeiam os pais ao atenderem às na vida corporal para se aper- ESPIRITISMO responsabilidade que lhes são feiçoarem, para se melhora- conferidas nos cuidados a se ter rem. A delicadeza da idade para com os filhos, encaminhando infantil os torna brandos, aces- -os às escolas de evangelização; e síveis aos conselhos da experi- DIRETORIA Presidente semeiam os dirigentes espíritas, ência e dos que devam fazê-los VERA LÚCIA S.N PEREIRA ao avaliarem a importância dessa progredir. Nessa fase é que se Vice Presidente tarefa nobilíssima, que é desenvol- DIONÍCIA MENDEZ RIVERA lhes pode reformar os caracte- 1º Secretário vida e organizada nas unidades res e reprimir os maus pendo- PARAGUASSU NUNES PEREIRA fundamentais do Movimento Espí- res. Tal o dever que Deus im- 2º Secretário MARCIA SINIGAGLIA N. PEREIRA rita, que são: os centros, os gru- pôs aos pais, missão sagrada 1º Tesoureiro pos e as demais instituições. de que terão de dar contas[...]. JOSÉ ALVAREZ RIVERA O Espírito Emmanuel, em É nesse período fértil que as 2º Tesoureiro DURVALINO BARRETO mensagem psicografada por Fran- crianças devem receber as orien- Conselho Fiscal cisco Cândido Xavier, no ano de tações iniciais de uma boa educa- MARIA ISABEL MACEDO, ADIRSON PEREI- 1938, e reproduzida em Reforma- ção moral-cristã, que lhe permita, RA GOMES e RAMATHIS MACEDO DA ROCHA dor de agosto de 2011, devido à na idade adulta, aplicar as leis —-oooOOOooo—- sua plena atualidade, observa: [...] divinas sem transgredi-las, e que Responsáveis pelo CANDEIA Nenhuma mensagem do mun- PARAGUASSU N PEREIRA e VERA LÚCIA S.N poderá livrá-las dos descomedi- PEREIRA do espiritual pode ultrapassar mentos futuros a que estão sub- Revisão a lição permanente e eterna do metidos todos aqueles que não JOSÉ A.RIVERA, PARAGUASSU N. PEREIRA e VERA LÚCIA S.N. PEREIRA Cristo, e a questão, sempre no- foram preparados para proceder Diagramação va, do Espiritismo é acima de corretamente, esforçando-se pa- PARAGUASSU NUNES PEREIRA tudo, evangelizar, ainda mesmo Impressão ra tudo fazer pelo bem do próxi- GRÁFICA ITANHAÉM com sacrifício de outras ativi- mo. O homem “praticando a lei dades de ordem doutrinária. de Deus, a muitos males se forra- A alma humana está cansada rá e proporcionará a si mesmo de ciência sem sabedoria e, enve- felicidade tão grande quanto o ―Confiar é sempre uma atitude po- nenado pelo pensamento moder- comporte a sua existência gros-sitiva quando se conhece o valor da- no, o cérebro, nas suas funções seira”.quilo ou daquele em quem se confi- culturais, precisa ser substituído CLARA LILA GONZALES DE ARAÚJOa.‖ PASTORINO REFORMADOR – Jan 2012.
  11. 11. 11 Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” Página 11 ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 NEM O MENDIGO O Khalil Gibran, em O Profeta, tem uma observa- ção notável a esse respeito: Tudo que possuís será um dia dado. voluntário servia num bazar Dai agora, portanto, para que a época da dádiva beneficente de roupas, promovido seja vossa e não de vossos herdeiros. pelo operoso Centro Espírita. Diga-se de passagem, em tal situação temos a Muita gente, muitas vendas. doação dos herdeiros não por desprendimento, mas Deparou-se, em dado instante, com simplesmente porque não lhes têm serventia alguma.RICHARD SIMONETTI uma calça encalhada, a única que não Assim engrossam o rol das inutilidades que atulham as fora vendida. entidades beneficentes a que são destinadas. Surpreso, logo a identificou. Algo a ponderar, amigo leitor: Acúmulo de tras- Era sua. tes em vida costuma impor dificuldades na morte. Foi reclamar com a esposa. Há Espíritos extremamente perturbados porque - Você pôs no bazar minha calça de estimação? os herdeiros vaporizam suas adoradas relíquias, após Ela respondeu reticente: concluírem que não há o que fazer com elas. - Bem... não fui eu... Melhor cultivar desapego, reduzir o patrimônio - Certamente, artes de nossa serviçal! do que é inutilidade para nós, mas que ainda pode ter - Na verdade eu a doei a um necessitado que bateu alguma utilidade para irmãos carentes.em nossa porta. Fiquei com pena. Estava andrajoso. Caixão, como diz o ditado popular, não tem ga- - E daí? vetas. - Ao que parece, meu querido, ele a dispensou, tra- Só levaremos para o mundo espiritual nossas a-zendo-a ao nosso bazar. quisições morais, espirituais e intelectuais, e também o Imagine, leitor amigo, o status da referida! lastro pesado do apego ao que se refere à vida transi- Nem o mendigo quis ficar com ela! tória, impedindo que desfrutemos das benesses da vida O episódio remete-nos a velha tendência humana: o eterna.apego, inspirado, ao raro, em persistente sentimento de Com o propósito de fazer circular roupas, livrosusura, sob a égide do egoísmo. e objetos de uso pessoal, consideremos o tempo ocio- Livros, roupas, objetos de uso pessoal, móveis, utensí- so.lios diversos permanecem anos segregados no porão do Um amigo costuma examiná-los periodicamente.esquecimento. Se estiverem sem uso nos últimos dois anos, des- Os proprietários, à maneira de escravos dos próprios tina-os as instituições filantrópicas.haveres, recusam-se ao benefício da alforria, da qual des- É uma boa medida para que não pretendamosfrutariam se os encaminhassem aos carentes, antes de se tornar permanente o que é transitório, evitando o ve-transformarem em trastes pelo impiedoso tempo. xame de constatar que nem os mendigos usariam o Guardamos tanto, e por tanto tempo, que se tornam que insistimos em reter.imprestáveis, uma dor de cabeça para nossos herdeiros. REFORMADOR – Dez-2011. TENDÊNCIAS E INFLUÊNCIAS COM DEUS SEMPRET N udo o que acontece na minha vida é produto das a treva exterior e íntima, Deus é clarida- minhas atitudes espirituais e materiais. Embora de. certas ações sejam induzidas por outrem, cabe- Na guerra incessante e impiedosa, Deus me filtrá-las, concretizá-las ou não, segundo meu é paz.discernimento. Na soledade e no abandono, Deus é companhia. A partir do momento que passo à ação, seja apenas No sofrimento, no problema e na amargura, Deus épor pensamento ou exteriorizando comportamento, ou solução.créditos ou débitos serão acrescidos ao meu plano de vida. No trabalho e na dificuldade, Deus é apoio.Créditos me elevarão, débitos me exigirão resgate. Na emergência e no desespero, Deus é auxílio. Enfim, para conquista da paz, devo somente e sempre No fracasso e na queda, Deus é misericórdia.ter pensamentos salutares, pois são chaves que abrem as Em qualquer circunstância, na dor ou na felicidade,portas para comportamentos benignos, fortalecendo as no abandono ou no amor, na glória ou no insucessoboas tendências e atraindo amorosas influências. Deus é o Pai amoroso de todos os instantes, velando, paciente e incansável, desde antes dos tempos e dos ROBERTO QUARESMA – RIE espaços, em favor de todos nós. RUMOS LIBERTADORES – JOANNA DE ÂNGELIS / DIVALDO P FRANCO
  12. 12. 12 Página 12Boletim Informativo do Grupo de Estudos Espírita “Leon Denis” ANO III N° 16 Março / Abril de 2012 REINÍCIO DAS ATIVIDADES E NOVAS TURMAS NA PRIMEIRA SEMANA DE MARÇO 2012 (013) 9629-9317— com VERA LÚCIA Tel:- (013) 3448 - 3218 . (013) 9629-9317

×