BioGeo11-consolidacao magmas

2.590 visualizações

Publicada em

Download em www.biogeolearning.com

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.590
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

BioGeo11-consolidacao magmas

  1. 1. CONSOLIDAÇÃO DE MAGMASProf. Ana Rita Rainho Condições de formação de cristais
  2. 2. Condições que afectam aformação e desenvolvimento decristais  Agitação do meio  Espaço disponível  Quanto mais calmo for o meio, maior a  O cristal só se desenvolve probabilidade de em função do espaço que desenvolvimento de tem para crescer. Sem cristais. espaço disponível não se desenvolve.  Tempo  Temperatura  É necessário para que se dê o  Temperaturas elevadas e crescimento do arrefecimento lento cristal. favorecem a cristalização.
  3. 3.  Meio calmo  Meio agitado Arrefecimento lento  Arrefecimento rápido Tempo de  Pouco tempo de crescimento crescimento Espaço de  Espaço reduzido para crescimento crescimentoCristais mais perfeitos e Cristais menos desenvolvidos. desenvolvidos.
  4. 4. Malha cristalina / SistemareticularForma dos cristais depende das condiçõesenvolventes.Mas a malha cristalina é constante. Organização espacial dos átomos que constituem o cristal. Malha cristalina, rede Cristais tridimensional ou sistema reticular
  5. 5. Estrutura cristalina É constante para cada mineral, independentemente da forma que os cristais venham a ter.Repetição 3D damalha elementar
  6. 6. Teoria Reticular As propriedades dos minerais são consequência da estrutura cristalina e do tipo de forças que ligam as partículas entre si. Ex: clivagem
  7. 7. Estrutura amorfa / vítrea Quando as partículas não chegam a assumir um arranjo definido. As partículas comportam- se como um líquido viscoso  (ex: sílica que constitui o vidro).
  8. 8. Basalto Obsidiana
  9. 9. Silicatos principais constituintes das rochas Polimerização em conjuntos complexos origina diferentes mineraisTetraedros de SiO4 Diferentes arranjos determinam diferentes propriedades
  10. 10. Isomorfismo e Polimorfismo• Nem sempre os minerais se podemdistinguir pela sua composição química.•Nem sempre a composição químicadetermina a estrutura cristalina.
  11. 11. Isomorfismo Minerais com diferentes constituições químicas mas com a mesma estrutura cristalina.  Ocorre quando um ião da estrutura é substituído por outro diferente. Condições necessárias para a substituição: Permite a • Afinidade química manutenção da estrutura cristalina • Raio iónico sem alterações semelhante • Mesma carga eléctrica
  12. 12. Isomorfismo FAMÍLIA DAS OLIVINAS Os iões Mg2+ e Fe2+ são substituídos mutuamente, podendo verificar-se todas as proporções possíveis entre os dois extremos
  13. 13. Isomorfismo FAMÍLIA DAS PLAGIOCLASES NaAlSi3O4 CaAl2Si2O 8 Ocorre uma dupla substituição. Como o Na+ e o Ca2+ não têm a mesma carga eléctrica, é necessário ocorrer também a substituição de Si4+ por Al3+ para se poder manter a carga eléctrica e a estrutura cristalina.
  14. 14. Polimorfismo Minerais com a mesma composição química mas com estruturas cristalinas diferentes.  Ocorre quando as condições de Pressão e Temperatura a que se formaram são muito diferentes. Implica diferentes propriedades apesar de terem a mesma composição química diamante grafite
  15. 15. Diamante e grafite: polímeros deCarbonoO diamanteapresentaligaçõescovalentes entreos seus átomosconstituintes emtodas asdirecções. É omineral mais duroque se conhece.A grafite apenasapresentaligaçõescovalentes entreos átomos queestão no mesmoplano. A suadureza é muitobaixa.
  16. 16. Mais material disponível em www.biogeolearning.com

×