As TIC na formação de educadores de
infância: um estudo comparativo entre
Portugal e Espanha
Instituto Superior de Ciência...
Qual a formação TIC de futuros
educadores de infância, nas instituições de
formação inicial em Portugal e
Espanha, 2012/20...
Metodologia
1º Levantamento de todas as instituições de ensino
superior de formação inicial de educadores de infância em
PT e ES;
2º E...
Exemplo da tabela relativa às instituições portuguesas
3º Análise das tabelas, onde o conteúdo obtido
da informação recolhida foi transformado em
dados quantitativos
Metodologia
Resultados
Resultados
39%
61%
Inst. Privadas
Inst. Públicas
81%
16%
3%
Inst. públicas
Inst. Privadas
Inst. religiosas
36 Instituições...
Resultados
72%
89%
Instituições que têm UC’s TIC
Resultados
12%
55%
33%
10%
44%
44%
TIC Geral
TIC Educação
UC's temáticas isoladas
Distribuição das UC’s TIC por conjuntos ...
Resultados
Ano em que as UC’s TIC são lecionadas, 2010/2011
34%
26%
40%
0%
26%
46%
15%
13%
1º Ano
2º Ano
3º Ano
Mestrado/4...
Principais conclusões
Portugal tem cerca de metade das instituições de Espanha, mas uma
maior densidade por habitante:
36 instituições para 10 m...
Amante, L. (2003). A Integração das Novas Tecnologias no Pré-Escolar: Um Estudo de Caso. Dissertação de Doutoramento em Ci...
As TIC na formação de educadores de
infância: um estudo comparativo entre
Portugal e Espanha
Instituto Superior de Ciência...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As TIC na formação de educadores de infância um estudo comparativo entre Portugal e Espanha

650 visualizações

Publicada em

As tecnologias estão presentes na sociedade de uma maneira irreversível, quer a nível pessoal, individual, social, profissional e educacional. Como tal, a escola enquanto instituição formadora depara-se com inúmeros desafios e enfrenta profundas transformações, não se podendo alhear desta evolução, correndo o risco de se tornar obsoleta.
Para que seja feita uma correta integração das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) no processo de ensino e aprendizagem das crianças, o educador de infância necessita de ter competências, habilidades e conhecimentos de modo a poder alcançar os seus objetivos. As instituições de formação inicial têm aqui um papel relevante, detendo a função de preparar convenientemente os futuros educadores para essa integração, formando-os para e através das TIC.
As instituições de formação inicial de educadores de infância, em Portugal e Espanha, proporcionam formação a nível das TIC? Este foi o ponto de partida desta investigação, de cariz metodológico quantitativo e descritivo. Foram consultados os planos de estudos das instituições de formação de educadores de infância em Portugal e Espanha, através das suas páginas de internet, sendo a informação recolhida posteriormente analisada. Em modo de conclusão constatámos que, quer em Portugal, quer em Espanha, a grande maioria destas instituições tem, pelo menos, uma unidade curricular relacionada com TIC nos seus planos de estudo, o que significa que as TIC estão representadas nos currículos das instituições de ambos os países

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

As TIC na formação de educadores de infância um estudo comparativo entre Portugal e Espanha

  1. 1. As TIC na formação de educadores de infância: um estudo comparativo entre Portugal e Espanha Instituto Superior de Ciências Educativas Jornadas Pedagógicas – Supervisão, Liderança e Cultura de Escola 21 e 22 de junho de 2013 Rita Brito | britoarita@gmail.com | Instituto Superior de Ciências Educativas
  2. 2. Qual a formação TIC de futuros educadores de infância, nas instituições de formação inicial em Portugal e Espanha, 2012/2013? Objetivo Comparação com investigação anterior (Brito & Madrid, 2011)
  3. 3. Metodologia
  4. 4. 1º Levantamento de todas as instituições de ensino superior de formação inicial de educadores de infância em PT e ES; 2º Elaboração de duas tabelas de registo de dados (PT e ES) reunindo as informações recolhidas pela pesquisa feita anteriormente, informações disponibilizadas pelas instituições nas suas páginas de Internet. Metodologia
  5. 5. Exemplo da tabela relativa às instituições portuguesas
  6. 6. 3º Análise das tabelas, onde o conteúdo obtido da informação recolhida foi transformado em dados quantitativos Metodologia
  7. 7. Resultados
  8. 8. Resultados 39% 61% Inst. Privadas Inst. Públicas 81% 16% 3% Inst. públicas Inst. Privadas Inst. religiosas 36 Instituições que proporcionam a licenciatura em Educação Básica/Mestrado Educação Pré- Escolar 70 Instituições que proporcionam a licenciatura em Educação de Infância
  9. 9. Resultados 72% 89% Instituições que têm UC’s TIC
  10. 10. Resultados 12% 55% 33% 10% 44% 44% TIC Geral TIC Educação UC's temáticas isoladas Distribuição das UC’s TIC por conjuntos temáticos, 2010/2011 59% 10% 22% 10% 29% 8% 18% 4% 5% 7% 30% TIC e Educação TIC Geral UC's temáticas isoladas TIC e MATEMÁTICA TIC e educação musical TIC leitura e escrita TIC e CIÊNCIAS TIC e PRÉ-ESCOLAR Distribuição das disciplinas TIC por conjuntos temáticos, 2012/2013
  11. 11. Resultados Ano em que as UC’s TIC são lecionadas, 2010/2011 34% 26% 40% 0% 26% 46% 15% 13% 1º Ano 2º Ano 3º Ano Mestrado/4º Ano 32% 24% 36% 5% 31% 33% 24% 17% 1º Ano 2º Ano 3º Ano Mestrado (PT)/4º Ano (ES) Ano em que as UC’s TIC são lecionadas, 2012/2013
  12. 12. Principais conclusões
  13. 13. Portugal tem cerca de metade das instituições de Espanha, mas uma maior densidade por habitante: 36 instituições para 10 milhões habitantes 70 instituições para 47 milhões de habitantes mais instituições com disciplina TIC do que Principais conclusões aumento de UC’s de temáticas específicas: Matemática e Ciências. No entanto em verifica-se um aparecimento de UC’s dedicadas exclusivamente ao Pré-Escolar e, inclusivamente, à creche. existem muito poucas instituições que ministram a UC TIC no ano da especialização em Pré-Escolar, no entanto em 2010/2011 não havia nenhuma sequer.
  14. 14. Amante, L. (2003). A Integração das Novas Tecnologias no Pré-Escolar: Um Estudo de Caso. Dissertação de Doutoramento em Ciências da Educação. Lisboa: Universidade Aberta. Amante, L. (2004). As Tecnologias da informação e da Comunicação na Educação Pré-Escolar: excertos de um percurso. Escola Moderna, 25, pp. 5-36. Brito, R. & Madrid, D. (2011). As tecnologias de informação e comunicação na formação inicial de educadores de infância: estudo comparativo entre Portugal e Espanha. In In P. Dias & A. Osório (Eds.), Atas das VII Conferência Internacional de TIC na Educação, Challenges 2011. Braga: Centro de Competência da Universidade do Minho. Pp. 111-119. Cabra, F., & Marciales, G. P. (2009). Nativos digitales: ocultamiento de factores generadores de fracaso escolar?. Revista Iberoamericana de Educación, 50, 113-130. Castells, M. (1995). La ciudad informacional. Tecnologías de la información, estructuración económica y el proceso urbano-regional. Madrid: Alianza Editorial. Clements, D. H., & Nastasi, B. K. (2002). Os Meios Electrónicos de Comunicação e a Educação de Infância. In B. Spodek (org) Manual de investigação em Educação de Infância (pp. 561-619). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. Coutinho, C. P. (2006). A investigação em “meios de ensino” entre 1950 e 1980: expectativas e resultados. Revista Portuguesa de Educação, Vol. 19 (1). 153-174. Lawless, K. A., & Pellegrino, J.W. (2007). Professional development in integrating technology into teaching and learning: knowns, unknowns and ways to pursue better questions and answers. Review of Educational Research, 77 (4), 575–614. Ministério da Educação (1997). Orientações Curriculares Para a Educação Pré-Escolar. Departamento da Educação Básica – Núcleo de Educação Pré-Escolar. Lisboa: Ministério da Educação. Ministerio de Educación, Cultura y Deporte (2006). Real Decreto 1630/2006, de 29 de diciembre, por el que se establecen las enseñanzas mínimas del segundo ciclo de Educación infantil, BOE 004 de 04/01/2007. Retirado de http://www.boe.es/boe/dias/2007/01/04/pdfs/A00474- 00482.pdf em 24/04/2013 Pais, M. C. (2002). A Tecnologia na Formação inicial de Professores: um estudo sobre o contributo da TE para a formação de professores e educadores licenciados pelas ESES-Ensino Superior Politécnico. (Tese de mestrado). Braga: Universidade do Minho. Ponte, J. P., & Canavarro, A. P. (1997). Matemática e as Novas Tecnologias. Lisboa: Universidade Aberta. Ponte, J. P., Oliveira, H., & Varandas, J. M. (2002). As Novas Tecnologias na Formação Inicial de Professores: Análise de uma experiência. In M. Fernandes; J. Gonçalves; M. Bolina; T. Salvado & T. Vitorino (Org.), O Particular e o Global no virar do Milénio. V Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação. Lisboa, Edições Colibri e SPCE. Rego, B., Gomes, C. A., & Silva, M. J. (2008). A formação contínua de Educadores e Professores do 1º ciclo em Tecnologias da Informação e Comunicação: Bases para um modelo conceptual de formação. Revista Portuguesa de Pedagogia, 42(2), 29-50. Referências bibliográficas
  15. 15. As TIC na formação de educadores de infância: um estudo comparativo entre Portugal e Espanha Instituto Superior de Ciências Educativas Jornadas Pedagógicas – Supervisão, Liderança e Cultura de Escola 21 e 22 de junho de 2013 Rita Brito | britoarita@gmail.com | Instituto Superior de Ciências Educativas

×