Apresentação APIMEC-SP 2007

598 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação APIMEC-SP 2007

  1. 1. Reunião APIMEC SP 21/12/2007
  2. 2. Estrutura Acionária Grupo Espírito Grupo AIG Fundo Asas G&G Santo 18,4% 17,7% 18,3% 9,1% 36,5% 99,9% 99,9% Providência Providência Transportes 0,1% Participações 100,0% Isofilme Aproximadamente US$ 7,8 bilhões em investimentos Fundo de private equity independente, liderado por em private equity em mercados emergentes. Recentes G&G Grupo AIG Antônio Kandir, ex-ministro do Planejamento histórias de sucesso incluem: Gol e Fertilizantes Heringer, entre outros Grupo A divisão de private equity está presente em Portugal, Controlado pelos membros da família Constantino, Espírito Espanha, França e Brasil, com 32 companhias em seu Fundo Asas fundadores e controladores da Gol, que recentemente Santo portfolio adquiriram a Varig 2
  3. 3. Visão Geral A Providência opera duas divisões de negócios com cerca de 1.000 funcionários Nãotecidos: 76,1% da Receita Líquida nos 9 Principais Principais Usos primeiros meses de 2007 Clientes  Fabricante #1 de  Fraldas nãotecidos na  Higiene feminina América Latina  Móveis e colchões  Market share de 56% no Brasil  Produtos médicos (produtos descartáveis descartáveis) PVC: 20,2% da Receita Líquida nos 9 primeiros Principais Principais Usos meses de 2007 Clientes  Fabricante #3 de  Construtoras tubos de PVC no  Infraestrutura Brasil  Segmento Predial • 7% da market share EVENTOS RECENTES  Em 16 de agosto, concluimos a aquisição da Isofilme.  Em 30 de setembro, encerramos as operações da divisão de embalagens 3
  4. 4. Nosso Foco: Segmento de Nãotecidos Os Nãotecidos foram criados nos anos 50 a partir da combinação de três tecnologias O Que é o Nãotecido? Tecnologias Disponíveis 1994 2004 Papel A irlaid Wetlaid Wetlaid 5% A irlaid 5% 6% 7% Cardado Spunbo nded 46% Nãotecido & M eltblo w Cardado 33% 56% Spunbo nded & M eltblo w 42% Plástico Tecido Fonte: Worldwide Outlook Nonwovens Industry 2004-2009  Criado quando as tecnologias do papel, Produção Global de Nãotecidos por Tecnologia (em „000 toneladas) tecido e químicas foram combinadas para produzir novos tecidos e produtos com os 1.842 2.591 atributos dos tecidos a custos 2.048 1.135 1.439 significativamente mais baixos 777  Polipropileno é a principal matéria-prima • Aproximadamente 87% do CPV 1994 1999 2004 1994 1999 2004 Spunbonded & Meltblow n Outras Tecnologias Fonte: Worldwide Outlook Nonwovens Industry 2004-2009 A Providência possui a melhor plataforma com a tecnologia mais avançada em nãotecidos 4
  5. 5. Nosso Foco em Nãotecidos: Indústria de Bens de Consumo A Providência está focada em produtos de alto valor agregado e elevado potencial de crescimento (higiene e descartáveis médicos) Mix de Produto (% da Receita Bruta de Nãotecidos)1 Segmentação de Mercado Produto de Margem Tamanho do Cresci- Médicos² Valor Operacional Mercado mento 0% Agregado Esperado Duráveis 25% Descartáveis Médicos  Alta Pequeno Dois dígitos Higiene / Bens de  Média Grande Um dígito alto Consumo Higiene Duráveis  Baixa Médio Um dígito 75% Nota: ¹ Setembro 2007 ² Atualmente a Providência está em processo de instalação de sua 9ª máquina Reicofil que será destinada primariamente ao segmento médico 5
  6. 6. Posicionamento e Estratégia Corporativa 6
  7. 7. Nãotecidos: Uma indústria em Rápido Crescimento no Mundo… A Providência está focada nas Américas, beneficiando-se de um rápido crescimento (América do Sul e Central) e de mercados relevantes (NAFTA) Tamanho do Mercado Tamanho do Mercado 1,2 mm toneladas 1,4 mm toneladas CAGR (94-04) CAGR (94-04) 4,7% 8,5% Tamanho do Mercado 0,3 mm toneladas CAGR (94-04) 4,2% Tamanho do Mercado 1,0 mm toneladas CAGR (94-04) Tamanho do Mercado 9,6% 0,2 mm toneladas CAGR (94-04) Tamanho do Mercado 13,1% 0,3 mm toneladas CAGR (94-04) 10,2% Legenda Fonte: Worldwide Outlook Nonwoven Industry 2004-2009 elaborado por EDANA e INDA Representa o Tamanho do Mercado 7
  8. 8. … e Perspectivas Ainda Melhores no Brasil (cont.) A demanda de nãotecidos pode crescer 3x adicionais como resultado de um maior uso de nãotecidos por fralda Características Chave e Componentes Penetração de Fraldas Básicas de nãotecidos das Fraldas Fraldas Segmentos Fraldas 50% Básicas Intermediários Premium Cobertura interna    Barreira antivazamento    25% Camada inferior do núcleo    Painéis laterais    2% Revestimento externo    Brasil Argentina EUA Envelope do núcleo    Utilização de Nãotecidos por Fralda (m2/fralda) 0,54 0,54 0,33 0,17 Fralda Básica Intermediária Fraldas Premium Fraldas Médias Brasil EUA … e Providência tem a tecnologia para liderar esse crescimento 8
  9. 9. Posição de Liderança de Mercado & Altas Barreiras de Entrada A Providência é o fabricante líder de nãotecidos na América do Sul com mais de 1,5x a capacidade do segundo maior produtor... Principais Empresas Sul-Americanas: Capacidade Total Fortes Barreiras de Entrada (2008E em toneladas)  Escala para atender maiores clientes Providência¹ 79.800 10 linhas2  Investimento típico para um novo entrante é de aproximadamente PGI 48.000 4 linhas2 US$ 60 milhões Fitesa 22.800 2 linhas2  24 meses de implementação do projeto  Processo de certificação com as Softbond 6.000 principais companhias consumidoras dura até 18 meses Polystar 4.200  Know-how e mão-de-obra altamente especializada Lord 4.200 Sulbrasil 2.500 Nota: ¹ Pro-forma considerando a aquisição da Isofilme e da 9ª máquina Reicofil Providência obteve sua posição adquirindo ² Reicofil 3 ou acima Fonte:Technomic International uma nova máquina a cada dois anos desde 1988 9 A Atualização foi feita de acordo com dados de mercado e estimativas da Providência
  10. 10. Plantas Estrategicamente Localizadas As plantas da Providência estão estrategicamente localizadas próximas aos maiores produtores de fraldas do Brasil Fitesa Maiores Produtores de Fraldas do Brasil % da produção Polystar Companhia brasileira de fraldas KC 23% P&G 22% Aloes 12% Mabesa 10% Maiores plantas de produção de fraldas Sapeca 8% Principais competidores do Brasil J&J 4% Fitesa Pompom 4% Fonte: Estimativas da Providência Além disso, a Companhia tem acesso a dois dos principais portos brasileiros que permitem a exportação para a América Latina e EUA 10
  11. 11. Estratégia de Crescimento de Nãotecidos • Entrada no segmento de descartáveis médicos - Preços no segmento médico são mais altos que os preços dos segmentos de duráveis e higiene • Novos investimentos em desenvolvimento de produtos com o objetivo de fortalecer o relacionamento com os Novos Mercados clientes • Oferecer novos produtos como por exemplo nãotecidos de baixa gramatura, stretch impressos, macrografado e laminados respiráveis • O uso de tecnologia “estado da arte” eleva as margens - Produtos com baixa gramatura podem se traduzir em maior valor agregado Liderança Tecnológica • Comprometimento em manter a liderança tecnológica no mercado doméstico - Providência tem adquirido aproximadamente uma nova linha de produção a cada 2 anos • Mercado doméstico de nãotecidos gera margens mais altas quando comparadas com mercado internacional Expandir Liderança • Aposta no aumento do padrão de vida dos brasileiros ofertando produtos de maior qualidade Doméstica – Aumento do uso de nãotecidos em fraldas no Brasil • Uma das iniciativas para atingir este objetivo foi a aquisição da Isofilme • Expansão internacional com o objetivo de aumentar a participação da companhia e atender a demanda global • A produção na América do Norte ( ou em sua vizinhança ) terá início em 2010 Expansão Internacional – A demanda de produtos de higiene nos Estados Unidos tem previsão de crescimento aproximada de 2 equipamentos a cada 3 anos no período de 2006 a 2011 • Análise de oportunidades de aquisições potenciais em mercados fragmentados Potenciais Aquisições • Busca de oportunidades de fortalecer o relacionamento com companhias de bens de consumo no Brasil, diluir custos fixos, aumentar o poder de barganha com fornecedores e otimizar linhas de produção 11
  12. 12. Estratégia de Crescimento de PVC • Investimentos previstos na complementação da linha de Conexões Prediais – 120 novos SKUs . Novos Produtos • Nova linha de produtos corrugados para o mercado de infra estrutura e saneamento. • Nova linha de produtos para o mercado de irrigação. • Investimentos previstos para os próximos 3 anos em atualização tecnológica com consequente melhoria das margens. Atualizaçao Tecnológica •Aquisição de linha de extrusão de grandes diâmetros para atendimento de indústrias fornecedoras do setor Sucroalcooleiro. • Automação da força de vendas. • Reestruturação e aumento do número de representantes comerciais . Expansão de • Aumento do número de clientes ativos. Área de atuação • Análise de possíveis aquisições / parcerias estratégicas na região sudeste e nordeste. e penetração . Ampliação de vendas nas construtoras de médio e grande porte. • Foco contínuo na redução de custos operacionais e de logística. Excelência Operacional •.Desinvestimento em atividades e produtos que não geram valor. 12
  13. 13. Destaques Financeiros 13
  14. 14. Volume de Vendas (mil ton) 51,6 24,6 13,1 12,7 12,6 12,1 12,0 7,0 6,4 5,7 5,6 5,0 1,9 0,7 0,6 0,5 0,4 0,5 2006 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 NÃO TECIDOS PVC EMBALAGEM 14
  15. 15. Receita Líquida (R$ MM) 382,9 100,2 93,5 85,5 85,7 83,6 82,2 27,7 26,9 23,4 18,6 23,1 21,0 5,1 4,3 3,5 4,5 4,3 2006 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 NÃO TECIDOS PVC EMBALAGEM 15
  16. 16. EBITDA Ajustado (R$ MM)1 142,1 32,1 30,7 27,7 74,5% 26,3 28,3% 23,9 26,4% 25,4% 24,5% 24,4% 21,7% 2006 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 Nota: ¹ EBITDA ajustado para itens não-recorrentes. 16
  17. 17. Destaques do 3º Trimestre  Os volumes voltaram a crescer consolidando/ampliando maket share no segmento de nãotecidos;  A Cia optou por manter os preços e preservar/ampliar o seu maket share no mercado doméstico num cenário de valorização adicional do real;  Em que pese o sacrifício na política de recuperação das margens no curto prazo, acreditamos que esta é a melhor estratégia para a Cia numa perspectiva de longo prazo;  Cabe ressaltar que o nosso EBITDA cresceu em termos nominais e as margens permaneceram estáveis mesmo num cenário de forte competição, elevação dos preços das matérias primas e valorização do real;  Estratégia de hedge nos recebíveis em carteira gerou um ganho financeiro de aproximadamente R$ 3,0 milhões. 17
  18. 18. Estrutura de Capital Dívida Líquida Consolidada Pós Reestruturação (R$ MM) 30/09/07 da Dívida Dívida total Financiamento Curto Prazo 283,2 8,3 Financimento Longo Prazo 109,7 387,5 Total 392,9 395,8 Caixa 211,0 200,0 Dívida líquida 181,9 195,8 18
  19. 19. Estrutura de Capital Composição por Indexador (em R$ MM e % ) Cronograma da Dívida (Principal) DÍVIDA LÍQUIDA 120 114 114 114 100 80 R$ MM R$ 94,4 (48%) 60 R$ 101,4 (52%) 40 35 20 7 3 3 3 2 0 2.008 2.009 2.010 2.011 2.012 2.013 2.014 2.015 2.016 CDI USD Período 19
  20. 20. Perspectivas e Projetos 2008 20
  21. 21. Divisão KAMI - Nãotecidos  Crescimento de vendas ( + 18.600 toneladas) pela entrada em produção da máquina 9 e ampliação na capacidade produtiva da Isofilme:  Máquina 9 => 9.000 toneladas a partir de abril, inicialmente direcionadas para o mercado externo;  Isofilme => Começa a produzir 800 toneladas/mês de DH a partir do 1º trimestre de 2008;  Aproximadamente 30% do volume para 2008 estão vinculados a contratos. 21
  22. 22. Divisão KAMI - Nãotecidos  Máquina 9 (Plano de ação/etapas):  Start-up em janeiro de 2008;  Desenvolvimento de produtos: janeiro a março de 2008;  Qualificação nos principais clientes: janeiro a abril de 2008;  Operação: abril de 2008.  Isofilme (Plano de ação/etapas):  Finalizar homologação nos maiores clientes: janeiro de 2008;  Instalação das facas adicionais: janeiro de 2008;  Regravação rolo calandra: fevereiro de 2008;  Retorno de absorventes, barreira e spuntissue: fevereiro de 2008;  Construção de doca na expedição: fevereiro de 2008;  Instalação do sistema automático de corte de tubetes e posicionamento de facas: maio de 2008;  Instalação do sistema automático de embalagem do produto: maio de 2008. 22
  23. 23. Divisão KAMI - Nãotecidos  Laminados Impressos:  Ocupação da capacidade atual 750 toneladas/mês ou 9.000 toneladas/ano;  Avaliação novo investimento até junho de 2008 com margem adicional de 15%  Descartáveis Médicos:  Volume previsto de vendas para:  2008: 2.500 toneladas (6 meses)  2009: 6.500 toneladas (+30%)  2010: 8.500 toneladas (+30%)  Margem adicional: +/- 20% em relação ao TNT normal;  Etapas do Projeto:  Pré marketing e amostras: janeiro de 2008  Desenvolvimento de produtos: fevereiro a junho de 2008  Qualificação clientes: fevereiro a agosto de 2008 23
  24. 24. Divisão Provinil – Tubos e Conexões PVC  Crescimento de vendas em 5.000 toneladas (+ 23%) atingindo 27.000 toneladas em 2008:  Entrada em operação da máquina de grandes diâmetros;  Otimização no portfólio de produtos (Irrigação e predial).  Novos produtos (Plano de ação/etapas)  Investimento numa linha de conexões prediais:  Aquisição de equipamentos prevista para março com start-up em setembro de 2008;  Projeto multilayer/corrugado:  Avaliação em abril, investimento previsto para maio e start-up em dezembro de 2008.  Reestruturação Comercial (Plano de ação/etapas)  Automação e treinamento na força de vendas: abril de 2008  Implementação política comercial/segmentação: abril de 2008  Eficiência Operacional (Plano de ação/etapas)  Otimização logística (planejamento fabril e fretes): março de 2008  Redução de sobrepeso (2%): junho de 2008 24
  25. 25. Programa de Redução de Custos  Meta de redução global de custos de 5% em:  Matérias-primas;  Fretes, seguros e logística;  Gastos administrativos.  Implementação de ferramentas de controle/redução de gastos:  Orçamento matricial (pacotes);  Reuniões mensais de análise Real x Orçado;  Metas individuais (gerentes) de redução de determinadas contas orçamentárias. 25

×