2010 11 11_expomoney rj

439 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
439
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2010 11 11_expomoney rj

  1. 1. ENCONTRO COM INVESTIDORES Rio de Janeiro, 11 de novembro de 2010
  2. 2. 1) A Companhia1) A Companhia 2) Setorial2) Setorial 3) Destaques3) Destaques 4) Resultados 3T104) Resultados 3T10 5) Perspectivas5) Perspectivas 2 Agenda
  3. 3. Visão 3 “ SERMOS MUNDIALMENTE RECONHECIDOS COMO O MELHOR FORNECEDOR DE NÃOTECIDOS”
  4. 4. Composição Acionária 4 Participante do Novo Mercado; Total de ações : 82,5 milhões ; 27,5% de free float. Estrutura Societária
  5. 5. 5 Estrutura Organizacional Em setembro de 2010: Total Colaboradores: 670 Pouso Alegre: 61 funcionários; São José dos Pinhais: 584; Estados Unidos (PUSA): 25 16% dos colaboradores na área administrativa e 84% na área operacional
  6. 6. 6 Estrutura Física – Brasil Capacidade Instalada: 80 mil t/ano KAMI 10 Pouso Alegre – MG KAMI 1 a 9 São José dos Pinhais - PR Pouso Alegre - MG 1 linha de produção – 10 mil t/ano 25 mil m² de área construída em terreno de 75 mil m2 São José dos Pinhais - PR 9 linhas de produção – 70 mil t/ano 72 mil m2 de área construída em terreno de 189 mil m2 6
  7. 7. 7 Estrutura Física – EUA Capacidade Instalada: 20 mil t/ano Statesville – Carolina do Norte - EUA 1 linha de produção – 20 mil t/ano 34 mil m2 de área construída em terreno de 640 mil m2 Previsão de início: 1º semestre de 2011. Mar/2010 Jun/2010 Out/2010
  8. 8. 1) A Companhia1) A Companhia 2) Setorial2) Setorial 3) Destaques3) Destaques 4) Resultados 3T104) Resultados 3T10 5) Perspectivas5) Perspectivas 8 Agenda
  9. 9. 9 O NãoTecido NãotecidoNãotecido PlásticoPlástico TecidoTecido PapelPapel Criado quando as tecnologias do papel, tecido e plástico foram combinadas para produzir novos tecidos e produtos com os atributos dos tecidos a custos significativamente mais baixos Polipropileno é a principal matéria-prima
  10. 10. Fabricante #1 de nãotecidos na América Latina Market share de 51% no Brasil Market share de 35% na América Latina, exceto Brasil NãotecidosNãotecidos PrincipaisPrincipais UsosUsos Fraldas Absorventes femininos Móveis e colchões Produtos médicos descartáveis Principais ClientesPrincipais Clientes Base ativa: 1.000 clientes Em novembro de 2009, a Providência retomou o projeto de internacionalização, com a instalação de uma nova planta nos EUA, com capacidade instalada de 20 mil toneladas/ano. A entrada em operação da linha de produção está prevista para o primeiro trimestre de 2011. 10 Mercado de Atuação
  11. 11. MixMix de Produtos – 09/2010de Produtos – 09/2010 (% da Receita Bruta de Nãotecidos)(% da Receita Bruta de Nãotecidos) Segmentação de MercadoSegmentação de Mercado Descartáveis Médicos* Higiene / Bens de Consumo* Duráveis Margem Operacional Cresci-mento Esperado Tamanho do Mercado Dois dígitos Dois dígitos Um dígito Alta Média Baixa Pequeno Grande Médio Produto de Valor Agregado       A Providência está focada em produtos de alto valor agregado e elevado potencial de crescimento (higiene e descartáveis médicos) * Também exportados para Estados Unidos e América Latina Higiênicos 79% Duráveis 17% Médicos 4% Foco em Nãotecidos: Indústrias de bens de consumo 11
  12. 12. Market Share BrasilMarket Share Brasil (3T10 em toneladas)(3T10 em toneladas) Market Share América Latina,Market Share América Latina, excluindo Brasil (3T10, em toneladas)excluindo Brasil (3T10, em toneladas) Evolução da Penetração de Fraldas Infantis no BrasilEvolução da Penetração de Fraldas Infantis no Brasil Providência 51% PGI 11% Fitesa 26% Outros 12% Providência 35% PGI 33% Fitesa 15% Outros 17% 15% 20% 35% 42% 1995 2000 2005 2009 12 Market Share & Mercado de Fraldas
  13. 13. 1) A Companhia1) A Companhia 2) Setorial2) Setorial 3) Destaques3) Destaques 4) Resultados 3T104) Resultados 3T10 5) Perspectivas5) Perspectivas 13 Agenda
  14. 14. Destaques 14 Estabilidade nos preços de mercado de nossa principal matéria prima, o polipropileno, o que contribuiu para melhoria de nossas margens ao longo deste trimestre. Contratação de financiamento à Exportação junto ao BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, por meio do Programa BNDES-Exim Pré- Embarque, no montante de R$ 150 milhões, com taxa de juros pré-fixada de 7,0% ao ano e prazo de pagamento de 18 meses. Os recursos provenientes deste financiamento serão utilizados pela Companhia nas operações de exportação e foram disponibilizados no mês de outubro; Distribuição de dividendos antecipados referente a 100% sobre o lucro líquido ajustado do período findo em 30 de junho de 2010, no montante de R$ 11,1 milhões, correspondente a R$ 0,13884220 por ação ordinária, pagos através do Banco Bradesco S.A com ex-dividendo em 19/11/2010 e pagamento em 26/11/2010, sem retenção de imposto de renda na fonte e sem incidência de correção monetária ou juros;
  15. 15. 1) A Companhia1) A Companhia 2) Setorial2) Setorial 3) Destaques3) Destaques 4) Resultados 3T104) Resultados 3T10 5) Perspectivas5) Perspectivas 15 Agenda
  16. 16. VOLUME DE VENDASVOLUME DE VENDAS ((em milhares de toneladasem milhares de toneladas)) 16 Crescimento de 2,4% no volume de nãotecidos quando comparado com o 3T09 e redução de 3,2% em relação ao 2T10; Continuamos operando a plena capacidade, aproximadamente 20 mil toneladas por trimestre. 17,7 18,7 18,1 1,4 1,3 1,6 19,1 20,0 19,7 3T09 2T10 3T10 Nãotecidos Outros
  17. 17. RECEITA LÍQUIDARECEITA LÍQUIDA NÃOTECIDOSNÃOTECIDOS (em milhões de Reais)(em milhões de Reais) 17 Na comparação com o 3T09, registramos um aumento de R$ 13,4 milhões, equivalente a 13,3%. Os principais fatores para o aumento na receita líquida foram o volume de vendas, realinhamento de preços e efeito câmbio; Em relação ao 2T10, mostramos estabilidade, mesmo em relação a oscilação do câmbio durante este período. 100,7 114,8 114,1 3T09 2T10 3T10
  18. 18. 18 CPV (Custo dos Produtos Vendidos)CPV (Custo dos Produtos Vendidos) NÃOTECIDOSNÃOTECIDOS A redução em termos absolutos de 5,6% na comparação com o 2T10 se deve, principalmente, a um recuo no preço do polipropileno neste último trimestre; Ao longo do 3T10 tivemos estabilidade no preço do polipropileno; 67,1 76,4 72,1 R$ 3,51 R$ 3,82 R$ 3,66 R$ 2,00 R$ 3,00 R$ 4,00 R$ 5,00 R$ 6,00 R$ 7,00 R$ 8,00 3T09 2T10 3T10 CPV (R$ m il) CPV unit ário (R$/ Kilo) Nota: O CPV referente ao 3T09, foi ajustado para fins de comparabilidade. Durante o 3T09, foi realizado o ajuste da depreciação acumulada até o mês de setembro de 2009 (CPC 13), o qual foi contabilizado integralmente por revisão da vida útil dos bens do ativo imobilizado. Desta forma, o valor do CPV seria R$ 56,0 milhões.
  19. 19. EBITDA (R$ milhões)EBITDA (R$ milhões) e MARGEM EBITDA (%)e MARGEM EBITDA (%) 19 O Ebitda fechou o 3T10 , com um acréscimo de 21,1% ou R$ 5,2 milhões em relação ao 2T10 e 15,6% em relação ao mesmo período do ano anterior; A Margem Ebtida, atingiu 25,8% neste trimestre, representando um incremento de 4,4 p.p na comparação com o 2T10 e 0,8 p.p. com o 3T09. 26,1 24,9 30,1 25,1% 21,4% 25,8% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% - 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 3T09 2T10 3T10 Ebit da Margem Ebit da (% )
  20. 20. LUCRO LÍQUIDO (R$ milhões)LUCRO LÍQUIDO (R$ milhões) E MARGEM LÍQUIDA (%)E MARGEM LÍQUIDA (%) 20 Neste trimestre, o lucro líquido atingiu um crescimento de 98,3% em comparação com o 2T10 e 33,1% em relação ao 3T09. Estes resultados estão ligados a recomposição de margens e menor despesa financeira. 10,7 7,2 14,2 10,3% 6,2% 12,2% -5,0% 5,0% 15,0% 25,0% 35,0% 45,0% 55,0% (1,0) 4,0 9,0 14,0 19,0 3T09 2T10 3T10 Lucro Líquido Margem Líquida (% ) Nota: O Lucro Líquido referente ao 3T09, foi ajustado para fins de comparabilidade. Durante o 3T09, foi realizado o ajuste da depreciação acumulada até o mês de setembro de 2009 (CPC13), o qual foi contabilizado integralmente por revisão da vida útil dos bens do ativo imobilizado. Desta forma, o valor do Lucro Líquido seria R$ 18,0 milhões.
  21. 21. 21 CAIXA E APLICAÇÕES FINANCEIRAS (em milhões de Reais) O Caixa da Companhia reduziu 14,4% ou R$ 39,1 milhões, na comparação com o 3T09, principalmente em função de pagamento de dividendos, juros e principal da dívida; Quando comparado com o 2T10, o caixa aumentou 3,2%, equivalente a R$ 7,2 milhões, com destaque a geração de caixa operacional. 272,0 225,8 233,0 3T09 2T10 3T10
  22. 22. 22 DÍVIDA LÍQUIDA (em milhões de Reais) A Dívida Líquida da Companhia teve um incremento de R$ 38,0 milhões na comparação com o 2T10, tendo como destaque a captação de recursos para financiamento da nova linha de produção nos EUA; 62% do endividamento é baseado em moeda local e 38% em moeda estrangeira. 161,2 192,5 230,5 3T09 2T10 3T10
  23. 23. Endividamento / Caixa 23 Dívida Líquida ConsolidadaDívida Líquida Consolidada R$ (MM) 30/09/2009 30/09/2010 Var 3T10 / 3T09 Dívida Total Financiamento Curto Prazo 60,8 145,3 139,1% Financiamento Longo Prazo 372,5 318,1 -14,6% Total 433,2 463,4 7,0% Caixa 272,0 233,0 -14,4% Dívida Líquida 161,2 230,5 43,0% Dívida Líquida / Ebitda Ajustado 1,4 2,5 78,6% Patrimônio Líquido 508,0 521,0 2,6%
  24. 24. Mercado de Capitais 24 Pagamento de 100% do Lucro Líquido do 1S10 PRVI3 x IBOVESPAPRVI3 x IBOVESPA Data Base Dividendo/Ação Lucro Líquido¹ (R$ MM) % Lucro Líquido Dividendos pagos (R$ MM) 2007 0,01 4,9 25% 1,2 2008 0,12 38,3 25% 9,6 2009 0,30 48,4 50% 24,2 1S10 0,14 11,1 100% 11,1 ¹ Já descontado reserva legal (5%) A Cia tem como Market Maker, o BTG Pactual; Debêntures emitidas e classificadas na categoria “A” pela agência de Rating S&P. Cotações e Volumes Negociados - em R$ 3T10 3T09 Var. 3T10/ 3T09 2T10 Var. 3T10/ 2T10 Cotação no final do período - PRVI3 7,00 6,00 16,7% 5,95 17,6% Cotação no final do período - IBOVESPA 69.429 61.517 12,9% 60.935 13,9% Volume Médio Diário Negociado - PRVI3 1.250.291 617.483 102,5% 173.428 620,9% Volume Total Negociado no Período - PRVI3 80.058.971 39.518.903 102,6% 10.752.515 644,6%
  25. 25. Reconhecimentos 25
  26. 26. 26 Reconhecimentos Exame 07/2010 2009 Empresa / sede Setor Vendas (em US$ milhões) Exportações (em US$ milhões) Empregados Controle Acionário 780 Cia Providência, São José dos Pinhais,PR Química e Petroquímica 238,1 101,3 711 Brasileiro
  27. 27. 27 Reconhecimentos Prêmio Preocupação com o Investidor Individual – Edição 2010 Prêmio Destaque entre as 100 maiores empresas do Paraná – Edição 2010
  28. 28. 1) A Companhia1) A Companhia 2) Setorial2) Setorial 3) Destaques3) Destaques 4) Resultados 3T104) Resultados 3T10 5) Perspectivas5) Perspectivas 28 Agenda
  29. 29. Perspectivas 29 Forte expectativa no 4º trimestre de 2010 de manutenção da plena capacidade de produção, corroborada pelos pedidos de vendas já existentes; Expectativa de estabilidade nos preços de nossa principal matéria prima, o polipropileno, o que deve contribuir para manutenção de margens no próximo trimestre; O principal projeto de investimento da Companhia neste ano, a planta nos Estados Unidos, está sendo desenvolvido dentro do cronograma previsto, tanto do ponto de vista operacional quanto financeiro. A montagem está em pleno andamento e a comercialização deverá ocorrer ainda no 1T11.
  30. 30. Contato - RI 30 As palavras “acredita”, “antecipa”, “espera”, “estima”, “irá”, “planeja”, “pode”, “poderá”, “pretende”, “prevê”, “projeta”, entre outras palavras com significado semelhante,As palavras “acredita”, “antecipa”, “espera”, “estima”, “irá”, “planeja”, “pode”, “poderá”, “pretende”, “prevê”, “projeta”, entre outras palavras com significado semelhante, têm por objetivo identificar estimativas e projeções. Estimativas e projeções futuras envolvem incertezas, riscos e premissas, pois incluem informações relativas aos nossostêm por objetivo identificar estimativas e projeções. Estimativas e projeções futuras envolvem incertezas, riscos e premissas, pois incluem informações relativas aos nossos resultados operacionais futuros possíveis ou presumidos, estratégia de negócios, planos de financiamento, posição competitiva no mercado, ambiente setorial,resultados operacionais futuros possíveis ou presumidos, estratégia de negócios, planos de financiamento, posição competitiva no mercado, ambiente setorial, oportunidades de crescimento potenciais, efeitos de regulamentação futura e efeitos da competição. Devido aos riscos e incertezas descritos acima, os eventos estimados eoportunidades de crescimento potenciais, efeitos de regulamentação futura e efeitos da competição. Devido aos riscos e incertezas descritos acima, os eventos estimados e futuros discutidos nesta apresentação podem não ocorrer e não são garantia de acontecimento futuro. A Providência não se obriga a atualizar essa apresentação mediantefuturos discutidos nesta apresentação podem não ocorrer e não são garantia de acontecimento futuro. A Providência não se obriga a atualizar essa apresentação mediante novas informações e/ou acontecimentos futuros.novas informações e/ou acontecimentos futuros. CEO: Hermínio V. S. de Freitas CFO: Eduardo Feldmann Costa RI : Gizele Rigoni Email: ri@providencia.com.br Tel: +55 (41) 3381-8673 Fax: +55 (41) 3283-5909 São José dos Pinhais – PR www.providencia.com.br/ri www.twitter.com/providencia_ri

×