Substâncias Vegetais Hormonalmente Ativas - Profa. Rilva Muñoz

6.382 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.382
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.077
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Substâncias Vegetais Hormonalmente Ativas - Profa. Rilva Muñoz

  1. 1. SUBSTÂNCIAS VEGETAIS HORMONALMENTE ATIVASProfa. RILVA LOPES DE SOUSA MUÑOZ rilva@ccm.ufpb.br
  2. 2. SUBSTÂNCIAS HORMONALMENTE BIOATIVAS DE ORIGEM VEGETAL• Sistema endócrino: regulação e homeostase• Influências de substâncias exógenas• Eixo hipotálamo-hipófise-gonadal hipotálamo-hipófise-
  3. 3. SUBSTÂNCIAS HORMONALMENTE BIOATIVAS DE ORIGEM VEGETAL• Uso terapêutico de plantas para problemas reprodutivos remonta à Antiguidade• Medicina Alternativa• Problema de Toxicologia Ambiental: os “desreguladores endócrinos” “desreguladores
  4. 4. SUBSTÂNCIAS HORMONALMENTE ATIVAS Terminologia • Desreguladores endócrinos Endocrine disruptors“Compostos ambientais, vegetais ou sintéticos, que podem interferir na função endócrina normal, levando a efeitos adversos à saúde” BEN-JONATHAN et al. Environ Health Perspect. 1999;107 Suppl 4:605- BEN- Perspect. 11
  5. 5. DESREGULADORES ENDÓCRINOS • CONTAMINANTES SINTÉTICOS COM EFEITO HORMONAL: agrotóxicos, aditivos de plásticos, resíduos industriais, dioxinas • COMPOSTOS VEGETAIS COM EFEITO HORMONAL: fitoestrógenos Fitoestrógenos e leiomiomas uterinosWALKER C L. Recent Prog Horm Res 2002; 57: 277-94 277-HODGES LC. et al. Ann N Y Acad Sci 2001; 948:100-111. 948:100-HUNTER DS. et al. Environ Health Perspect 2000; 108 Suppl 5:829-34829-
  6. 6. SUBSTÂNCIAS HORMONALMENTE ATIVAS Terminologia• Potenciais disruptores endócrinos: fitohormônios• Moduladores endócrinos• Moduladores seletivos dos receptores estrogênicos (SERMs): fito-SERMs fito- Isoflavonas e xenobióticosYOU, L et al. Toxicol Sci. 2002; 66 (1): 91-104 Sci. 91- Isoflavonas e estrógenos endógenosCAPPELLETTI, V et al. Int J Oncol 2006; 28 (5): 1185-91 1185- Isoflavonas e efeito protetor sobre a próstataWEBER, KS et al. J Endocrinol 2004; 170 (3): 591-9 591-
  7. 7. SUBSTÂNCIAS HORMONALMENTE ATIVAS• Mimetizam a ação hormonal• Antagonizam a ação hormonal • Estimulam ou inibem a secreção de hormônios • Alteram síntese e metabolismo hormonais
  8. 8. Substâncias vegetais hormonalmente ativas • Flavonóides Agonistas ou Isoflavonas antagonistas Lignanas Coumestanos Inibição da secreção hormonal Prenilflavonóides • Fitoesteróis Alteração síntese e metabolismo hormonal Βeta- Βeta-sitosterol • Saponinas Estimulam secreção hormonal Diosgenina Glicirrizina Agonistas ou Ginsenosídeos antagonistas
  9. 9. Hipotálamo HORMÔNIOSDopamina (-) REPRODUTIVOS GnRH FEMININOS (-) Hipófise Prolactina FSH e LH Ovários Estrógenos e progesterona DNA RNAm Receptor estrogênico Proteína Célula mamária Resposta biológica
  10. 10. AÇÃO ESTROGÊNICAAGONISTA / ANTAGONISTA
  11. 11. S tro ng antago nist in the presence o f S trong an agon ist ago nist P artialIncreasing ago nistrespo nse W eak agonist Increasing concentratio n Relação entre agonistas, antagonistas e agonistas parciais
  12. 12. Hipotálamo HORMÔNIOS CRF (-) REPRODUTIVOS GnRH MASCULINOS ACTH Hipófise (-) LH Adrenal Testículos EstradiolAndrógenos (Células de Leydig) (E2) Testosterona (T) Receptor T DHT DNA androgênico 5-alfa-redutase alfa- Proteína RNAm CÉLULA Resposta biológica PROSTÁTICA
  13. 13. Adrenal HORMÔNIOS MINERALOCORTICÓIDESAldosterona Cortisol CÉLULA RENAL MR
  14. 14. EXEMPLOS DE PLANTAS QUE POSSUEM SUBSTÂNCIASHORMONALMENTE ATIVAS• Eixo hipotálamo- hipotálamo- hipófise- hipófise-gonadal
  15. 15. Cimicifuga racemosa (black cohosh) cohosh) • Substâncias ativas: formononetina, saponinas triterpênicas, fitoesteróis • Indicação: sintomas climatéricos; síndrome de tensão pré-menstrual pré- (STPM)• Segurança: relatos de hepatotoxicidade
  16. 16. Trifolium pratense (Red clover) clover) •Substâncias ativas: genisteína, daidzeína, formononetina e biocanina. Coumestrol. Fitoesteróis. • Indicações: sintomas climatéricos•Segurança: raros efeitos adversos; nãoconhecida em longo prazo; risco desangramentos com AAS, warfarina e outrosfitoterápicos
  17. 17. Vitex agnus-castus (Agnocasto) agnus- Agnocasto) • Substâncias ativas: Flavonóides (vitexina, casticina, apigenina). Diterpenos. • Indicações: STPM, hiperprolactinemia, infertilidade, sintomas climatéricos• Outros efeitos: anti-androgênico anti-• Segurança: boa tolerabilidade; efeitosadversos raros (gastrointestinais).
  18. 18. Angelica sinensis (Dong quai) quai) •Substâncias ativas: Beta- Beta-sitosterol. Flavonóides. • Parte usada: raízes• Indicações: sintomas climatéricos• Segurança: não conhecida em longo prazo;efeitos gastrointestinais; interação comanticoagulantes.
  19. 19. Glycyhrriza glabra (raiz do alcaçuz) • Substâncias ativas: flavonóides, fitoesteróis; saponinas (glicirrizina) • Indicações: STPM; sintomas climatéricos; insuficiência adrenal.• Uso não-medicinal: flavorizante não-• Segurança: síndrome mineralocorticóide -glicirrizina (efeito aldosterona-símile) aldosterona-
  20. 20. Dioscorea villosa (Inhame mexicano) • Substâncias ativas: saponinas esteroidais (diosgenina, sapogenina) • Indústria farmacêutica: progesterona, corticóides, contraceptivos • Indicações: STPM, sintomas climatéricos • Segurança: não conhecida
  21. 21. Ginkgo biloba (Ginkgo) Ginkgo) • Substâncias ativas: Quercetina e kaempferol. Ginkcolídeos. Beta- Beta- sitosterol. • Indicações: sintomas climatéricos – memória• Segurança: crises convulsivas em epilépticos(neurotoxina); associação comanticoagulantes: risco de hemorragiacerebral.
  22. 22. Panax ginseng (Ginseng) Ginseng) • Substâncias ativas: Luteolina e kaempferol. Fitoesteróis. Ginsenosídeos. • Indicações: diversas (“adaptógeno”), inclusive sintomas climatéricos. • Segurança: freqüentes interações com fármacos; risco de elevação da pressão arterial
  23. 23. Serenoa repens (Saw palmetto, palmeira-anã) palmetto, palmeira- • Substâncias ativas: Beta- Beta- sitosterol, estigmasterol, campesterol. Apigenina, kaempferol. • Indicações: hipertrofia prostática benigna; alopécia androgenética.• Segurança: bem tolerado; efeitos adversosraros e leves; disfunção erétil; raros relatosde hepatite colestática.
  24. 24. Oenothera biennis (óleo de Prímula) • Princípios ativos: beta- beta- sitosterol, campesterol. Kaempferol e quercetina. Ácidos linoléico e gama- gama- linolênico • Indicações: STPM• Segurança: pacientes epilépticas tratadascom fenotiazínicos podem apresentarepilepsia do lobo temporal
  25. 25. Linum usitatissimum (Linhaça) • Maior fonte dietética de lignanas. • Ácido linoléico. Perfil lipídico.
  26. 26. Humulus lupulus (Lúpulo) • Substâncias ativas: prenilflavonóides (8- (8- prenil- prenil-narigenina, xantohumol); flavanóis (quercetina, kaempferol). • Indicações: sedativo; sintomas climatéricos • Uso não-medicinal: não- fabricação da cerveja• Segurança: bem tolerado; interaçõespossíveis (depressores SNC; hipoglicemiantes)
  27. 27. • Alfafa• Lentilha • Couve-flor Couve-• Gergelim • Cevada• Alho • Aveia• Cebola • Óleo de girassol• Lentilha • Morango• Ervilha • Brócolis• Grão-de-bico Grão-de- • Uva• Orégano • Maçã• Gengibre • Banana• Amendoim • Feijão-fava Feijão-• Tomate • Ruibarbo• Cenoura
  28. 28. Vitis vinifera“É a dose que faz o veneno” PARACELSUS, século XVI

×