MHB3 – Aula 3 – Parte I
Periodização •Alta Idade Média: Sec. V a X         (anos 500-1000)•Idade Média Plena: Sec. XI a XIII        (anos 1000-125...
Divisão do Império Romano
Por que Idade das Trevas?Obra "A extração da pedra da loucura" (1485),do pintor italiano Hieronymus Bosch (1450-1516).  • ...
Idade das             Trevas• Substituição do pensamento  racional pelo religioso   Cristianismo• Proibição das necropsias...
Medicina na Idade Média:  domínio pela religião
Conhecimento na Idade  Média: reproduçãomanuscrita nos mosteiros de trabalhos da Antiguidade
O Monastério Medieval      • Durante  muito tempo,      os médicos medievais      foram os monges:      Acesso à melhor   ...
Medicina Medieval     • Os monastériosdesempenharam um papelimportante no cuidado dos         doentes
A Teoria dos Quatro Humores  perdura na Idade Média•O  corpo era vistocomo uma parte douniverso: conceitoderivado dos greg...
Medicina Medieval • Sangrias para quase qualquerdoença: os pacientes tornavam-se       mais fracos e doentes     • Aplicav...
Medicina Medieval•   Clysters: Versão medieval        dos supositórios
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
Medicina Medieval         • Escassa higiene• Proliferação de ratos e moscas    • Saúde pública precária
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
Medicina Medieval• Tratamentos com remédios de ervas e poções eram vistos como feitiçaria        e banidos pela igreja
Medicina MedievalBoticários diagnosticavam   doenças e sugeriam       fitoterápicos
Medicina Medieval                 Iluminura                anatômica                 medieval               mostrando as  ...
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
Anestesia “fatal”
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To downl...
Inúmeras guerras (entre feudos,  reinos e religiões [Cruzadas])
Papa Urbano II pregando uma Cruzada                (1095)
Medicina Medieval• Cirurgiões nos campos de guerra  • Retirada de flechas – Ilustração  medieval: “O Homem Ferido”
Medicina Medieval• Cirurgiões-Barbeiros (séc. V-XIV)  Cirurgiões-                V-         Auxiliares dos monges         ...
Medicina Medieval• Médicos árabes  – Albucasis (932-1013)              (932-    • Al Tasrif       – Cirurgias plásticas   ...
Medicina Medieval• Médicos árabes  – Maimonides (1138-                (1138-    1204) - Rambam   Principal médico judeu   ...
Medicina Medieval• A institucionalização do       ensino médico• A Escola de Salerno e as  primeiras universidades        ...
Medicina Medieval• Escolas de Medicina Escola de Salerno (séc. IX)   •Popularização do   conhecimento médico-             ...
• Constantinus Africanus (1010-1087)Monge beneditino e médico, um dosfundadores da Escola de Salerno noSéculo XII  Uroscop...
•São Tomás de Aquino (1225- (1225-1274), italiano, sob a influência de Aristóteles separa mente e corpo combinando- combin...
Medicina Medieval• Universidade de Bolonha (séc. XIII)    • Teodorico de Lucca (1205-1296)                             (12...
•Sintetize em uma   palavra sua impressão inicial sobre a Medicina     Medieval
História da Medicina_Aula_Profa.Rilva_Muñoz_UFPB: Da Medicina  Medieval  ao  Renascimento - Parte I
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História da Medicina_Aula_Profa.Rilva_Muñoz_UFPB: Da Medicina Medieval ao Renascimento - Parte I

6.865 visualizações

Publicada em

Da Medicina Medieval ao Renascimento. Aula da disciplina de História da Medicina e da Bioética (MHB3) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) - Profa. Rilva Lopes de Sousa-Muñoz

Publicada em: Educação
  • Ola Profa Rilva -estamos em abertura de faculdade de medicina aqui emAdamantina SP -sou medica dermatologista e fui convidada a ministrar essa aula de Historia da Medicina -sera que 'e possivel assistir sua aula na integra - nao sei como fazer -voce poderia me ajudar??
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui

História da Medicina_Aula_Profa.Rilva_Muñoz_UFPB: Da Medicina Medieval ao Renascimento - Parte I

  1. 1. MHB3 – Aula 3 – Parte I
  2. 2. Periodização •Alta Idade Média: Sec. V a X (anos 500-1000)•Idade Média Plena: Sec. XI a XIII (anos 1000-1250)• Baixa Idade Média: Sec. XIV a XV (anos 1250-1500)
  3. 3. Divisão do Império Romano
  4. 4. Por que Idade das Trevas?Obra "A extração da pedra da loucura" (1485),do pintor italiano Hieronymus Bosch (1450-1516). • Na Idade Média, supunha-se que aloucura era causada por uma pedra no cérebro, e que sua extração seria “o caminho da cura”.
  5. 5. Idade das Trevas• Substituição do pensamento racional pelo religioso Cristianismo• Proibição das necropsias• Medicina monástica Preservação da literatura Acolhimento dos doentes
  6. 6. Medicina na Idade Média: domínio pela religião
  7. 7. Conhecimento na Idade Média: reproduçãomanuscrita nos mosteiros de trabalhos da Antiguidade
  8. 8. O Monastério Medieval • Durante muito tempo, os médicos medievais foram os monges: Acesso à melhor literatura médica da época • Proibição papal (1215): Os monges passaram a treinar camponeses para operarem
  9. 9. Medicina Medieval • Os monastériosdesempenharam um papelimportante no cuidado dos doentes
  10. 10. A Teoria dos Quatro Humores perdura na Idade Média•O corpo era vistocomo uma parte douniverso: conceitoderivado dos gregos eromanos• Teoria dos QuatroHumores: diretamenterelacionados aosquatro elementos
  11. 11. Medicina Medieval • Sangrias para quase qualquerdoença: os pacientes tornavam-se mais fracos e doentes • Aplicavam-se também sanguessugas
  12. 12. Medicina Medieval• Clysters: Versão medieval dos supositórios
  13. 13. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval • Lepra: doença frequente e das mais temidas • Leprosários: Os leprosos eram obrigados a viver em comunidades longe do resto da sociedade; andavam com roupas que os distinguiam e sinos para anunciar sua presença
  14. 14. Medicina Medieval • Escassa higiene• Proliferação de ratos e moscas • Saúde pública precária
  15. 15. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval A Peste Negra – 1347 • 30%-35% de mortalidade na Europa •Algumas áreas: 90% de mortalidade
  16. 16. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Vestimenta dos médicos durante a epidemia
  17. 17. Medicina Medieval• Tratamentos com remédios de ervas e poções eram vistos como feitiçaria e banidos pela igreja
  18. 18. Medicina MedievalBoticários diagnosticavam doenças e sugeriam fitoterápicos
  19. 19. Medicina Medieval Iluminura anatômica medieval mostrando as veias (Inglaterra, século XIII) O conhecimento da posição das veias no corpo humano era muito importante para o sucesso da sangria.• A Anatomia fez poucos progressos
  20. 20. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Cirurgias • Práticas grosseiras e cruéis Anestesia • Ópio • Dwale Limpeza das feridas • Vinho
  21. 21. Anestesia “fatal”
  22. 22. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Cirurgias: Procedimentos cruéis, sujos e excruciantes
  23. 23. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Cirurgias • Como último recurso • Fraturas, hemorróidas, fístulas, gangrena, catarata
  24. 24. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Cirurgia de catarata Inserção de um instrumento pérfuro-cortante, como uma faca, através da córnea e forçando o cristalino para fora de sua cápsula
  25. 25. To help protect y our priv acy , PowerPoint prev ented this external picture from being automatically downloaded. To download and display this picture, click Options in the Message Bar, and then click Enable external content. Medicina Medieval Parto: Alta mortalidade As mulheres eram preparadas para morrer pela Igreja
  26. 26. Inúmeras guerras (entre feudos, reinos e religiões [Cruzadas])
  27. 27. Papa Urbano II pregando uma Cruzada (1095)
  28. 28. Medicina Medieval• Cirurgiões nos campos de guerra • Retirada de flechas – Ilustração medieval: “O Homem Ferido”
  29. 29. Medicina Medieval• Cirurgiões-Barbeiros (séc. V-XIV) Cirurgiões- V- Auxiliares dos monges • Tratamento dos doentes • Higiene: corte cabelo e barba Leigos que passaram a executar procedimentos por toda Europa Adquiriram conhecimentos precários de anatomia e Medicina Comparáveis aos médicos- médicos- cirurgiões
  30. 30. Medicina Medieval• Médicos árabes – Albucasis (932-1013) (932- • Al Tasrif – Cirurgias plásticas – Anastomoses intestinais – 200 instrumentos ilustrados – Avicena (981-1038) (981- • Comparado a Galeno • Cânone – Sistematização do conhecimentos médico- médico-cirúrgico • Suturava com pêlo de porco - monofilamentar
  31. 31. Medicina Medieval• Médicos árabes – Maimonides (1138- (1138- 1204) - Rambam Principal médico judeu medieval Classificou a medicina em três divisões: a preventiva, a curativa e a que atendia aos convalescentes, inválidos e anciãos. Escreveu várias obras de Medicina: "Extratos de Galeno", "Comentários sobre os aforismos de Hipócrates, "Tratado sobre as hemorróidas"; “Tratado sobre a Asma”; “Livro da Santidade” (fisiologia sexual).
  32. 32. Medicina Medieval• A institucionalização do ensino médico• A Escola de Salerno e as primeiras universidades européias• Universidades: Bolonha, Montpellier, Paris, Pádua, Oxford, Cambridge
  33. 33. Medicina Medieval• Escolas de Medicina Escola de Salerno (séc. IX) •Popularização do conhecimento médico- médico- cirúrgico •Ensino de anatomia comparada Salerno, a “Mãe” •Legitimação do de todas as escolas médicas exercício da medicina e cirurgia
  34. 34. • Constantinus Africanus (1010-1087)Monge beneditino e médico, um dosfundadores da Escola de Salerno noSéculo XII Uroscopia: método de diagnósticoe prognóstico
  35. 35. •São Tomás de Aquino (1225- (1225-1274), italiano, sob a influência de Aristóteles separa mente e corpo combinando- combinando-os de acordo com os dogmas cristãos. •Preconiza que as doenças sérias seriam resultado de sobrecarga emocional, intoxicação ou de outros fatores externos atuando sobre a mente.
  36. 36. Medicina Medieval• Universidade de Bolonha (séc. XIII) • Teodorico de Lucca (1205-1296) (1205- Professor de cirurgia, que revolucionou o tratamento das feridas sugerindo sutura imediata para evitar a formação de pus, na época considerando inevitável. “...não é preciso, como sustentam todos os cirurgiões atuais, que se forme pus nas feridas. Não existe erro maior do que este. Esse método está em desacordo com a natureza, prolonga a enfermidade e dificulta a cura e a consolidação da ferida.”
  37. 37. •Sintetize em uma palavra sua impressão inicial sobre a Medicina Medieval

×