2011 01 20_seminario_paulo_nassar_capitulo_6

1.020 visualizações

Publicada em

Apresentação do fichamento do capítulo 6 do livro Comunicação organizacional - Volume 1 - Histórico, fundamentos e processos, organizado pela Margarida M. Krohling Kunsch e afeito para a disciplina Comunicação Organizacional - conceitos e processos, do professor Paulo Roberto Nassar de Oliveira, do curso de especialização Gestão Estratégica da Comunicação Organizacional e Relações Públicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.020
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2011 01 20_seminario_paulo_nassar_capitulo_6

  1. 1. Comunicação Organizacional – Volume 1 – Histórico, fundamentos e processos<br />Capítulo 6 – Um modelo de processo de Comunicação Organizacional na perspectiva da “Escola de Montreal” – Adriana Machado Casali<br />
  2. 2. A autora – Adriana Machado Casali<br />Professora adjunta do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Mestrado em Administração da Universidade Federal do Paraná (UFPR);<br />Pesquisadora do Grupo de Estudos sobre Comunicação Organizacional: Estratégias e Processos (Ecoep) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).<br />ABD em Comunicação Organizacional na Université de Montréal;<br />Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC);<br />Mestre em Administração/Estratégias e Organizações pela Universidade Federal do Paraná (UFPR);<br />Especialista em Marketing Empresarial pela Universidade Federal do Paraná (UFPR);<br />Bacharel em Comunicação Social/Relações Públicas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR);<br />Bacharel em Administração/Comércio Exterior pela Fundação de Estudos Sociais do Paraná – Fesp).<br />
  3. 3. Sumário<br />1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />
  4. 4. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  5. 5. Difundida na América do Norte, Europa e Oceania;<br />Trabalho pioneiro de James Taylor;<br />Rede de pesquisadores em diversos países;<br />Propõe uma Teoria da Comunicação.<br />Descobrir como a organização emerge da comunicação e quais suas consequências<br />A Escola de Montreal<br />
  6. 6. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  7. 7. Origens históricas – Comunicação Organizacional antes da Escola de Montreal<br />Até 1950: estudos voltados à Comunicação Empresarial e Industrial (Laramée, 1993). Busca pela cientificidade leva ao extremo rigor da pesquisa positivista;<br />1960 e 1970: hegemonia tirana – critérios limitados, tradição positivista como critério de pesquisa em Comunicação Organizacional.<br />
  8. 8. Origens históricas – Comunicação Organizacional antes da Escola de Montreal<br />1980 e 1990: início da busca por acomodar estudos emergentes. Discussão de paradigmas em ciências sociais proposta por Burrel e Morgan (1979);<br />Século XXI: início de uma teoria comunicacional dos processos organizacionais. Nessa acepção se destacam os trabalhos da Escola de Montreal, cujo desenvolvimento coincide com um período de intensas mudanças na academia e no universo das organizações.<br />
  9. 9. Origens históricas – O surgimento daEscola de Montreal<br />No ambiente acadêmico, pesquisadores afastam-se da pesquisa positivista e surgem métodos relativistas;<br />Escola de Montreal desenvolve-se à luz do movimento interpretativo, influenciada pelas obras de Garfinkel, Goffman, Berger e Luckmann;<br />No mundo dos negócios, conceitos tradicionais de organização começam a ser questionados.<br />
  10. 10. Origens históricas – O surgimento daEscola de Montreal<br />Multinacionais e conglomerados sentem a turbulência ambiental causada pela globalização, desenvolvimento tecnológico e aumento da competitividade, fatores que geram mudanças nos processos de gestão e produção;<br />Influências da Escola de Montreal: Canadá, Estados Unidos e Europa. Fusões conceituais que geraram uma concepção teórica distinta da Comunicação Organizacional, com ênfase na linguagem e no discurso, sem abandonar os aspectos materiais da realidade.<br />
  11. 11. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  12. 12. Pressuposto básico<br />Relação Comunicação/Organização<br />Deetz (2001)<br />Comunicação vista como especialidade de departamentos e associações;<br />Comunicação definida como fenômeno;<br />Comunicação como descrição/explicação das organizações.<br />Smith (1996)<br />Contêiner;<br />Produção;<br />Equivalência.<br />
  13. 13. Pressuposto básico – Como é a relação comunicação/organização? (Smith – 1994)<br />Contêiner<br />“Comunicação nas Organizações”;<br />Organização reduzida a um local;<br />Base: atos empíricos de transferência de informação;<br />Reproduz estruturas organizacionais e é definida por necessidades práticas – manutenção da ordem organizacional;<br />Funções operacionais de manutenção, de relações humanas e de inovação.<br />
  14. 14. Pressuposto básico – Como é a relação comunicação/organização? (Smith – 1994)<br />Produção<br />“Comunicação como Organização”;<br />Examina a forma como as organizações produzem a comunicação ou como a comunicação produz as organizações;<br />Relação de dependência.<br />
  15. 15. Pressuposto básico – Como é a relação comunicação/organização? (Smith – 1994)<br />Equivalência<br />Mudança radical;<br />Comunicação e Organização como processo isomórfico;<br />Escola de Montreal baseia-se nessa concepção;<br />Organizações não apenas se constituem pela Comunicação, mas se expressam por meio dela.<br />
  16. 16. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  17. 17. Proposições teóricas<br />A Escola de Montreal desenvolve uma proposta teórica única da Comunicação Organizacional.<br />
  18. 18. Proposições teóricas<br />Premissas básicas para entendimento da teoria com relação à Comunicação e à Organização:<br />Comunicação: simples transmissão de mensagens;<br />A Organização é mais que um entidade material, ela tem um papel sobre a ação social.<br />As Organizações são construções plurais instituídas nas práticas cotidianas de seus membros. A Organização, seus processos tem a comunicação junto de todas as práticas organizacionais.<br />
  19. 19. Proposições teóricas<br />Taylor e Weick propõem uma reconstrução da Teoria das Organizações com base na Comunicação:<br />Reduzir a prioridade conceitual da separação entre Organizações e Ambiente, identificando práticas discursivas como característica principal;<br />Abordar a relação Organização/Ambiente enraizada nas práticas e processos discursivos.<br />Weick: o Ambiente é formado por indivíduos e Organizações à medida que trabalham alguns aspectos da sua experiência;<br />Taylor: o Ambiente é criado pelos seus indivíduos e Organizações que atuam nele – a Organização é influenciada pelo ambiente e ao mesmo tempo que o influencia.<br />
  20. 20. Proposições teóricas<br />O que é uma Organização para Escola de Montreal?<br />Organização como um tecido de Comunicação;<br />Toda ação em um Organização resulta em um processo de Comunicação;<br />Por meio da Comunicação se investe em indivíduos tornando-os capazes de agir a favor da Organização;<br /> “À medida em que a Comunicação se realiza, esta produz Organização e a Organização só se concretiza pela Comunicação.”<br />
  21. 21. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  22. 22. Teoria da Coorientação<br />A unidade básica de análise da Comunicação Organizacional é a relação A/B/X, de Newcomb; <br />Relação de troca com, no mínimo, dois agentes (A e B) – indivíduos ou organizações – que focam a atenção em um objeto X.<br />Fonte: adaptada de Taylor etal (2001)<br />
  23. 23. Teoria da Coorientação<br />Modelo representa relação meios/fins entre agentes e beneficiários, em que os meios de uns constituem os fins dos demais;<br />A comunicação é simbólica – representação, referencial de fatos, objetos e conceitos preexistentes; e <br />Subsimbólica– relacionamento A/B e contexto de produção da comunicação – produção de conhecimento, contexto; <br />Sistema de Comunicação de Newcomb >> Escola de Montreal >> Sistema Organizacional, em que a Coorientação é a pedra fundamental de todas as estruturas e de todos os processos organizacionais.<br />
  24. 24. Teoria da Coorientação<br />Teoria da Coorientação >> intersubjetividade das relações entre sujeitos comunicadores (A e B) e também ressalta que a comunicação possui um objeto material/social (X). Três agentes com papel equivalente nos processos de comunicação;<br />Na dinâmica A/B/X os mundos objetivos e subjetivos interagem;<br />Exemplo: diretor de Marketing (A) e diretor de Produção (B) definem a quantidade (X) de um item a ser produzido. Após reunião, A e B vão interagir com seus pares sobre o objetivo (X).<br />
  25. 25. Teoria da Coorientação<br />Teoria da Coorientação explica como as organizações são permeadas por processos de comunicação: reuniões, conversas por telefone, negociações, uso de novas tecnologias etc; <br />Teoria da Coorientação >> realidade social como um processo simbólico continuamente criado e recriado; <br />Teoria da Coorientação >> nas interações A/B/X o uso da linguagem produz organização e a Comunicação se torna uma instância de produção de sentidos, agenciamento do posicionamento social ao mesmo tempo em que atua sobre o mundo material.<br />
  26. 26. Teoria da Coorientação<br />Modelo de coorientação<br />Fonte: adaptada de Taylor e Robichaud (2004)<br />
  27. 27. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  28. 28. Dinâmica texto/conversações<br />A relação de coorientação se manifesta de duas maneiras: por meio de textos e conversações;<br />Segundo Taylor e Robichaud (2004), a coorientação é mediada por textos e realizada por meio de diálogos;<br />
  29. 29. Dinâmica texto/conversações – Boden (1994)<br />Conversações representam a essência dos processos “organizantes”; é o locus primário da ação organizacional;<br />A estrutura organizacional modela e é modelada pelas conversações;<br />Compreender um sistema organizacional implica em rastrear as conversações que se passam nessa organização;<br />As conversações acontecem em múltiplos níveis; são intensivas e extensivas.<br />
  30. 30. Dinâmica texto/conversações –Taylor e Van Every (1993, 2000)<br />Porém, a Comunicação não se restringe a intercâmbios conversacionais;<br />Taylor e Van Every (1993, 2000) apresentam o “modelo bidimensional texto/conversações”;<br />Conversações compreendem o universo total de interações compartilhadas por linguagem; são múltiplas, constantes e contínuas;<br />Noção de texto é empregada para demonstrar que discursos são construídos por palavras e frases coordenadas de maneira mais ou menos sistemática.<br />
  31. 31. Dinâmica texto/conversações –Taylor e Van Every (1993, 2000)<br />Textos são conversações cristalizadas, estruturadas e inscritas num discurso;<br />No entanto podem ser questionados por novas conversações ou modificados por novas interpretações diferentes da original.<br />
  32. 32. Dinâmica texto/conversações –Taylor e Van Every (1993, 2000) – Resumo<br />A “dinâmica texto/conversações” representa um processo contínuo e circular em que conversações se transformam em textos e textos são traduzidos em conversações;<br />As Organizações emergem de tal dinâmica e são resultados dessas traduções;<br />A Comunicação é simultaneamente o contexto de emergência e local de manifestação das Organizações.<br />
  33. 33. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  34. 34. Premissas de análise<br />A Comunicação Organizacional é feita por meio da interatividade, em que a informação é transmitida pela interação entre os públicos envolvidos;<br />O objeto de estudo da Comunicação Organizacional é a relação entre Comunicação e Organização;<br />Tanto a Comunicação como a Organização precisam ser vistas como um sistema único, no qual a Organização não existe sem a Comunicação. Se isso acontecer, a Comunicação perde a sua identidade e a sua origem;<br />
  35. 35. Premissas de análise<br />Por mais que as palavras Comunicação e Organização tenham significado distintos, quando se fala em Comunicação Organizacional não se pode diferenciá-los. Para definir Comunicação Organizacional é preciso entender que a Organização é a Comunicação e vice-versa, pois elas são um fenômeno único;<br />Dessa forma, a Comunicação Organizacional conecta aspectos subjetivos e objetivos, em que a linguagem, processos de significado e os recursos cognitivos estão ligados, tornando-se uma coisa só.<br />
  36. 36. Premissas de análise<br />Comunicação Organizacional: intersecção entre Comunicação e Organização<br />Fonte: elaborada pela autora (CASALI, Adriana Machado)<br />
  37. 37. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  38. 38. Modelo do processo deComunicação Organizacional<br />Os processos de Comunicação Organizacional são uma série de interações entre no mínimo dois agentes (A e B) em relação a um objeto (X).<br />
  39. 39. Modelo do processo deComunicação Organizacional<br />Sensemaking: construção de sentido.<br />Uma vez que os indivíduos estejam interagindo, desenvolvem uma atividade de interpretação e construção da realidade. Isso lhes permite compreender e dar significado a situação.<br />Sensegiving: transmissão de sentido.<br />Ocorre quando os indivíduos compreendem o sentido da mensagem e o aceitam como legítimo.<br />
  40. 40. Modelo do processo deComunicação Organizacional<br />O processo de Comunicação Organizacional constitui uma série de interações (A/B/X) que constroem a realidade;<br />Todas as informações são frutos destas interações;<br />Essas informações serão transmitidas e recriadas integrando as noções de Comunicação informativa e construtiva.<br />
  41. 41. 1.A Escola de Montreal (Renata Cesário)<br />a)Origens históricas (Fernanda Botelho)<br />b)Pressuposto básico (Carolina Gancho)<br />c)Proposições teóricas (Douglas Carvalho)<br />2.Teoria da Coorientação (Alethéia Rocha)<br />3.Dinâmica texto/conversações (Ricardo Menino)<br />4.Premissas de análise (Mariana Rocha)<br />5.Modelo do processo de Comunicação Organizacional(Juliana Martinha)<br />6.Considerações finais (Renata Cesário)<br />Sumário<br />
  42. 42. Considerações finais<br />A comunicação e organização não funcionam separadas, pois as organizações são formadas por pessoas = seres sociais;<br />Sistema influencia e é influenciado por ele;<br />Duas proposições fundamentais:<br />Teoria da Coorientação;<br />Dinâmica texto/conversações.<br />
  43. 43. Dúvidas<br />
  44. 44. Grupo<br />Alethéia Rocha;<br />Carolina Gancho;<br />Douglas Carvalho;<br />Fernanda Botelho;<br />Juliana Martinha;<br />Mariana Rocha;<br />Renata Cesário;<br />Ricardo Menino.<br />

×